Foto: Mateus Silva / PMRv

A Polícia Militar Rodoviária (PMRv), por meio do Comando de Policiamento Rodoviário (CPMR), lançou oficialmente nesta semana a Operação Inverno 2020, que atenderá todas as rodovias estaduais catarinenses, principalmente na região serrana do Estado, caracterizada pelo frio intenso. Na prática, a operação já está ocorrendo desde o último dia 21 de junho.

A operação conta com o aumento do policiamento preventivo, a fim de proporcionar segurança aos usuários das rodovias estaduais, com apoio de outros postos da PMRv e outras unidades policiais militares. 

A Polícia Militar Rodoviária orienta os usuários das rodovias estaduais catarinenses que estão em regiões afetadas pelas baixas temperaturas – e que podem provocar a formação de gelo ou até mesmo neve sobre as pistas de rolamento – que observem as seguintes recomendações:

1. Planeje com antecedência sua viagem, evitando transitar durante a noite, uma vez que a temperatura é ainda menor, a visibilidade fica prejudicada e a probabilidade de deslizamentos sobre a pista é maior;

2. Os cuidados começam com a manutenção do carro. É preciso verificar a bateria, nível do óleo, freios, radiador, faróis e lanternas. O sistema de ignição também precisa estar em ordem e a calibragem dos pneus deve ser verificada. Devem tomar a precaução de adicionarem anticongelantes ao líquido dos radiadores de seus veículos, para evitar maiores problemas e surpresas;

3. Quando for ligar o carro, limpe o excesso de neve que estiver no teto, capô e vidros. Antes de sair com o veículo, limpe os vidros embaçados para melhorar a visibilidade – ligar o ar condicionado pode ajudar. É obrigatório, mesmo de dia, ligar os faróis e as lanternas, atitude essencial para que os outros motoristas tenho contato visual com seu veículo;

4. Observe as placas de sinalização que indicam possibilidade de gelo sobre a pista. Nestes locais redobre a atenção, assim como nas áreas de sombra sobre a pista, nas quais deve ser observado  se realmente há a presença de gelo. Se houver, informe o Posto da Polícia Militar Rodoviária pelo telefone 198, para que o policial de serviço possa auxiliá-lo no seu deslocamento com dicas e orientações sobre o trânsito no local.

Informações adicionais para imprensa:
Comando de Policiamento Militar Rodoviário – PMSC
Site: www.pmrv.sc.gov.br/
(48) 3271-2300

 


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Mesmo enfrentando a pandemia, o volume de vendas do comércio varejista catarinense, em maio, cresceu 18,1% em relação ao mês anterior, ultrapassando o crescimento nacional, que foi de 13,9%, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE.

“A reação que a economia catarinense tem demonstrado nos últimos meses reforça a previsão de que temos plenas condições de sairmos primeiro dessa crise. O comércio já tinha registrado a menor queda nacional em abril, e agora desponta em maio com o maior volume de vendas. Da mesma forma, o setor industrial voltou a crescer, evidenciando ainda mais o potencial de recuperação da nossa cadeia produtiva”, destaca o governador Carlos Moisés.

Na comparação com o mesmo período de 2019, o comércio varejista catarinense obteve um acréscimo de 6,4%. Já no acumulado do ano, ficou estável. Com estes dados, Santa Catarina fica com o 5º maior crescimento entre os 27 estados. Somente outros três estados tiveram crescimento nesta comparação: Mato Grosso (5,8%), Mato Grosso do Sul (2,8%) e Paraná (2,3%).

Quando se trata do comércio varejista ampliado, que inclui o comércio de veículos, motos, partes e peças e materiais de construção, Santa Catarina registrou, em maio, um crescimento de 22,1% no volume de vendas, maior que o do comércio varejista em geral. Em relação ao mesmo período do ano anterior, houve recuo de 4,4% no volume de vendas, que resultou na 4ª menor queda entre os 27 estados.

De acordo com o secretário da SDE, Rogério Siqueira, os números mostram o resultado do trabalho do Governo do Estado, com a retomada gradativa da economia. “Santa Catarina foi um dos primeiros estados a tomar as medidas de prevenção à Covid-19, obtendo destaque no cenário nacional na gestão da pandemia. Os dados demonstram que temos um povo trabalhador e empreendedor que supera crises e adversidades. Continuamos trabalhando focados na recuperação do crescimento econômico, gerando novas oportunidades”, destaca.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sde.sc.gov.br


Imagem: Divulgação/ FCEE

A Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) lançou nesta quarta-feira (08/07) a publicação “Diretrizes dos Centros de Atendimento Educacional Especializados em Educação Especial (CAESP) - 2020”, documento inédito e de importância histórica no contexto da Educação Especial em Santa Catarina. O trabalho tem o objetivo de fundamentar e orientar as práticas pedagógicas realizadas nas mais de 200 instituições especializadas em Educação Especial conveniadas com o Governo do Estado, entre APAEs, AMAs e outras parceiras que atendem mais de 20 mil educandos em todo o território estadual. O documento das “Diretrizes” já está disponível para download no site da FCEE neste link. O material impresso será encaminhado para as instituições conveniadas.

“Hoje é um dia muito especial para todos nós envolvidos com a Educação Especial em Santa Catarina. A publicação deste documento tem uma importância histórica, significa um marco na história da Educação Especial aqui no Estado”, destacou o presidente da FCEE, Rubens Feijó, na cerimônia online de lançamento da publicação, realizada através de uma live no canal da FCEE no YouTube. “Pela primeira vez, desde 2006, quando a estrutura dos CAESP foi prevista pela Política de Educação Especial do Estado de Santa Catarina, teremos um documento escrito no qual estarão detalhados todas as diretrizes para o funcionamento dos Programas Educacionais que formam a estrutura de um CAESP e que atendem educandos com Atraso Global do Desenvolvimento, Deficiência Intelectual e Transtorno do Espectro Autista”, acrescentou Feijó.

“Um dos nossos principais desafios ao assumirmos a gestão da FCEE ano passado era tornar a instituição, novamente, um centro de referência técnico. E é esse o caminho que estamos trilhando”, destacou, por sua vez, a diretora de Ensino, Pesquisa e Extensão, Jeane Probst Leite, explicando que o objetivo desta publicação “é dar um norte ao trabalho pedagógico realizado nas instituições especializadas”.

Em quase 200 páginas, estão detalhados os Programas Educacionais que formam a estrutura de um CAESP: Programa de Estimulação Precoce e Programa de Atendimento Educacional Especializado (que atendem crianças no contraturno do ensino regular); Programa de Educação Profissional (que atende jovens com perspectiva de ingresso no mercado de trabalho); e os Programas Serviço Pedagógico Específico, Educação Profissional, Atividades Laborais, Serviço de Atendimento Específico e Serviço de Convivência (que atendem educandos diariamente).

Histórico
A implantação dos CAESP em Santa Catarina remonta a 2006, quando da publicação da Política de Educação Especial do Estado de Santa Catarina, que previa a implantação dos Centros de Atendimento Educacional Especializados (CAESP) para o atendimento de educandos com Atraso Global do Desenvolvimento, Deficiência Intelectual e Transtorno do Espectro Autista. Em 2016, esta Política foi atualizada com a Resolução nº 100 do Conselho de Estadual de Educação (CEE), que fixou normas para a Educação Especial no Sistema Estadual de Educação de Santa Catarina, regulamentando o credenciamento e a autorização dos CAESP. Em 2019, uma ação conjunta da FCEE e do CEE, implantou o documento “Instrumento de Avaliação dos Parâmetros Gerais de Funcionamento de Centros de Atendimento Educacional – CAESP”, o qual permitiu às mais de 200 instituições especializadas neste atendimento em todo o Estado de Santa Catarina a realizarem seu credenciamento junto ao Conselho Estadual de Educação.

Assim, neste momento, com o lançamento do documento “Diretrizes dos CAESP - 2020”, a FCEE consolida as ações propostas na política de Educação Especial de Santa Catarina, buscando a qualificação dos programas educacionais desenvolvidos nesses centros e a discussão sobre metodologias que possibilitem o atendimento das especificidades do educandos público-alvo da Educação Especial.

Informações adicionais para a imprensa:
Aline Buaes
Assessoria de Imprensa 
Fundação Catarinense de Educação Especial - FCCE
E-mail: imprensa@fcee.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4943 / 99115-8918
Site: www.fcee.sc.gov.br

 



Há 38.408 pacientes com teste positivo para Covid-19 em Santa Catarina, sendo que 31.616 se recuperaram e 6.345 estão em acompanhamento. O balanço foi divulgado nesta quinta-feira, 9. Desde o início da pandemia, 447 óbitos foram causados pelo novo coronavírus. Esses números colocam a taxa de letalidade em 1,16%.

>>> Confira aqui o boletim diário desta quinta-feira, 9

O número de municípios com casos confirmados é 279. A novidade na lista é Campo Belo do Sul. A maior quantidade está em Joinville, que contabiliza 3.026 casos. Na sequência, aparecem Chapecó (2.739), Blumenau (2.643), Balneário Camboriú (2.351), Itajaí (2.183), Florianópolis (1.905), Concórdia (1.401), Palhoça (1.154), Criciúma (1.020) e São José (843).

A taxa de ocupação dos leitos de UTI pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Santa Catarina é de 67,7%. Isso significa que, dos 1.376 leitos existentes no estado, 445 estão livres e 931 estão ocupados, sendo 331 por pacientes com confirmação ou suspeita de infecção por coronavírus.

Óbitos mais recentes por Covid-19:

Brusque:
Homem, 73 anos, com comorbidade
Canoinhas:
Mulher, 63 anos, com comorbidade
Criciúma:
Mulher, 62 anos, com comorbidade
Homem, 84 anos, com comorbidade
Florianópolis:
Mulher, 59 anos, sem registro de comorbidade
Fraiburgo:
Homem, 73 anos, com comorbidade
Itajaí:
Mulher, 93 anos, com comorbidade
Homem, 68 anos, com comorbidade
Homem, 60 anos, com comorbidade
Homem, 66 anos, sem registro de comorbidade
Rio das Antas:
Homem, 82 anos, com comorbidade
São Bento do Sul:
Homem, 60 anos, sem registro de comorbidade
São José:
Homem, 77 anos, com comorbidade
Siderópolis:
Mulher, 78 anos, com comorbidade
Sombrio:
Homem, 61 anos, com comorbidade

Municípios com casos confirmados:

Abdon Batista - 46
Abelardo Luz - 74
Agrolândia - 24
Agronômica - 19
Água Doce - 22
Águas de Chapecó - 26
Águas Frias - 3
Águas Mornas - 26
Alfredo Wagner - 7
Alto Bela Vista - 6
Anchieta - 9
Angelina - 10
Anita Garibaldi - 25
Anitápolis - 7
Antônio Carlos - 69
Apiúna - 16
Arabutã - 33
Araquari - 122
Araranguá - 144
Armazém - 42
Arroio Trinta - 28
Arvoredo - 25
Ascurra - 26
Atalanta - 6
Aurora - 15
Balneário Arroio do Silva - 70
Balneário Barra do Sul - 51
Balneário Camboriú - 2351
Balneário Gaivota - 18
Balneário Piçarras - 125
Balneário Rincão - 12
Barra Velha - 90
Bela Vista do Toldo - 2
Belmonte - 1
Benedito Novo - 25
Biguaçu - 385
Blumenau - 2643
Bocaina do Sul - 1
Bom Jardim da Serra - 1
Bom Jesus - 36
Bom Retiro - 2
Bombinhas - 330
Botuverá - 21
Braço do Norte - 409
Braço do Trombudo - 8
Brunópolis - 10
Brusque - 615
Caçador - 96
Caibi - 19
Calmon - 2
Camboriú - 728
Campo Alegre - 6
Campo Belo do Sul - 1
Campo Erê - 30
Campos Novos - 168
Canelinha - 152
Canoinhas - 149
Capinzal - 68
Capivari de Baixo - 157
Catanduvas - 29
Caxambu do Sul - 35
Celso Ramos - 10
Chapecó - 2739
Cocal do Sul - 38
Concórdia - 1401
Cordilheira Alta - 29
Coronel Freitas - 57
Coronel Martins - 4
Correia Pinto - 15
Corupá - 98
Criciúma - 1020
Cunha Porã - 35
Cunhataí - 7
Curitibanos - 77
Descanso - 11
Dionísio Cerqueira - 21
Dona Emma - 5
Entre Rios - 179
Ermo - 1
Erval Velho - 45
Faxinal dos Guedes - 110
Flor do Sertão - 1
Florianópolis - 1905
Formosa do Sul - 3
Forquilhinha - 160
Fraiburgo - 59
Frei Rogério - 3
Galvão - 7
Garopaba - 52
Garuva - 19
Gaspar - 331
Governador Celso Ramos - 85
Grão-Pará - 14
Gravatal - 53
Guabiruba - 64
Guaraciaba - 11
Guaramirim - 137
Guarujá do Sul - 4
Guatambu - 72
Herval d'Oeste - 124
Ibiam - 2
Ibicaré - 10
Ibirama - 16
Içara - 102
Ilhota - 83
Imaruí - 7
Imbituba - 190
Imbuia - 10
Indaial - 343
Iomerê - 1
Ipira - 10
Iporã do Oeste - 16
Ipuaçu - 252
Ipumirim - 95
Iraceminha - 27
Irani - 61
Irati - 3
Irineópolis - 1
Itá - 54
Itaiópolis - 5
Itajaí - 2183
Itapema - 464
Itapiranga - 79
Itapoá - 73
Ituporanga - 42
Jaborá - 24
Jacinto Machado - 11
Jaguaruna - 78
Jaraguá do Sul - 399
Jardinópolis - 2
Joaçaba - 123
Joinville - 3026
José Boiteux - 2
Jupiá - 15
Lacerdópolis - 6
Lages - 320
Laguna - 80
Lajeado Grande - 23
Laurentino - 12
Lauro Müller - 11
Lebon Régis - 2
Lindóia do Sul - 75
Lontras - 7
Luiz Alves - 48
Luzerna - 21
Mafra - 48
Major Gercino - 11
Maracajá - 18
Maravilha - 145
Marema - 38
Massaranduba - 84
Meleiro - 28
Mirim Doce - 33
Modelo - 57
Mondaí - 25
Monte Carlo - 74
Monte Castelo - 4
Morro da Fumaça - 59
Morro Grande - 27
Navegantes - 707
Nova Erechim - 37
Nova Itaberaba - 14
Nova Trento - 61
Nova Veneza - 107
Orleans - 86
Otacílio Costa - 22
Ouro - 35
Ouro Verde - 13
Paial - 17
Palhoça - 1154
Palma Sola - 13
Palmeira - 1
Palmitos - 114
Papanduva - 21
Paraíso - 4
Passo de Torres - 33
Passos Maia - 11
Paulo Lopes - 13
Pedras Grandes - 7
Penha - 221
Peritiba - 23
Pescaria Brava - 51
Petrolândia - 1
Pinhalzinho - 65
Pinheiro Preto - 2
Piratuba - 27
Planalto Alegre - 17
Pomerode - 181
Ponte Alta - 1
Ponte Alta do Norte - 19
Ponte Serrada - 40
Porto Belo - 228
Porto União - 22
Pouso Redondo - 14
Praia Grande - 15
Presidente Castello Branco - 16
Presidente Getúlio - 9
Princesa - 9
Quilombo - 42
Rancho Queimado - 2
Rio das Antas - 3
Rio do Campo - 4
Rio do Oeste - 5
Rio do Sul - 151
Rio dos Cedros - 9
Rio Fortuna - 24
Rio Negrinho - 73
Rio Rufino - 3
Riqueza - 10
Rodeio - 10
Romelândia - 27
Salete - 50
Saltinho - 10
Salto Veloso - 4
Sangão - 59
Santa Cecília - 32
Santa Helena - 8
Santa Rosa de Lima - 2
Santa Rosa do Sul - 36
Santa Terezinha - 16
Santa Terezinha do Progresso - 11
Santiago do Sul - 8
Santo Amaro da Imperatriz - 59
São Bento do Sul - 186
São Bernardino - 13
São Bonifácio - 2
São Carlos - 36
São Cristóvão do Sul - 27
São Domingos - 28
São Francisco do Sul - 169
São João Batista - 202
São João do Itaperiú - 16
São João do Oeste - 11
São João do Sul - 9
São Joaquim - 12
São José - 843
São José do Cedro - 17
São José do Cerrito - 5
São Lourenço do Oeste - 32
São Ludgero - 191
São Martinho - 55
São Miguel da Boa Vista - 22
São Miguel do Oeste - 134
São Pedro de Alcântara - 14
Saudades - 53
Schroeder - 45
Seara - 337
Serra Alta - 10
Siderópolis - 47
Sombrio - 91
Sul Brasil - 16
Taió - 113
Tangará - 9
Tigrinhos - 15
Tijucas - 364
Timbé do Sul - 25
Timbó - 162
Timbó Grande - 1
Três Barras - 208
Treviso - 8
Treze de Maio - 14
Treze Tílias - 40
Trombudo Central - 7
Tubarão - 602
Tunápolis - 33
Turvo - 19
União do Oeste - 4
Urussanga - 160
Vargeão - 6
Vargem - 26
Vargem Bonita - 34
Vidal Ramos - 4
Videira - 107
Vitor Meireles - 2
Witmarsum - 4
Xanxerê - 688
Xavantina - 40
Xaxim - 610
Zortéa - 31
Outros estados - 613
Outros países -

Municípios com óbitos por Covid-19:

Abelardo Luz - 2
Agrolândia - 2
Agronômica - 2
Antônio Carlos - 4
Araquari - 1
Araranguá - 3
Arvoredo - 1
Balneário Arroio do Silva - 1
Balneário Camboriú - 24
Balneário Gaivota - 3
Balneário Piçarras - 1
Balneário Rincão - 2
Biguaçu - 7
Blumenau - 14
Braço do Norte - 3
Brusque - 5
Caçador - 4
Caibi - 1
Camboriú - 10
Campos Novos - 2
Canoinhas - 2
Caxambu do Sul - 1
Chapecó - 11
Cocal do Sul - 2
Concórdia - 13
Criciúma - 14
Curitibanos - 2
Dionísio Cerqueira - 3
Entre Rios - 2
Florianópolis - 22
Forquilhinha - 1
Fraiburgo - 2
Garopaba - 1
Garuva - 1
Gaspar - 3
Grão-Pará - 1
Gravatal - 3
Guabiruba - 3
Guaramirim - 1
Içara - 1
Ilhota - 1
Indaial - 2
Ipuaçu - 3
Irani - 1
Irati - 1
Itá - 1
Itaiópolis - 2
Itajaí - 50
Itapema - 11
Itapoá - 1
Ituporanga - 1
Jaraguá do Sul - 5
Joinville - 50
Laguna - 2
Lajeado Grande - 1
Marema - 1
Massaranduba - 1
Navegantes - 18
Palhoça - 6
Palmitos - 4
Papanduva - 4
Pedras Grandes - 1
Penha - 6
Peritiba - 1
Pescaria Brava - 2
Ponte Serrada - 2
Porto Belo - 1
Pouso Redondo - 1
Quilombo - 2
Rio das Antas - 1
Rio do Sul - 1
Rio Fortuna - 1
Rodeio - 1
Salete - 1
São Bento do Sul - 6
São Cristóvão do Sul - 1
São Francisco do Sul - 3
São João Batista - 3
São José - 13
São Lourenço do Oeste - 2
São Ludgero - 1
Seara - 1
Siderópolis - 2
Sombrio - 4
Taió - 1
Tangará - 1
Tijucas - 4
Tubarão - 4
Urussanga - 7
Vargem - 1
Vargem Bonita - 1
Xanxerê - 6
Xaxim - 16
Outros estados - 2

Acompanhe as notícias sobre o novo coronavírus

As notícias sobre as medidas para conter a propagação do novo coronavírus em Santa Catarina e os boletins atualizados com a situação do Estado podem ser acessadas no site sc.gov.br ou www.coronavirus.sc.gov.br. As atualizações podem ser acompanhadas ainda pelo Youtube, Instagram e Facebook do Governo do Estado.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
E-mail: imprensa@secom.sc.gov.br
Site: www.sc.gov.br


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Arquivo / Secom

O Governo do Estado tem atuado de maneira permanente para ampliar o atendimento e fazer o enfrentamento à Covid-19 em Santa Catarina. Desde o início, foram criados 570 novos leitos de UTI para atender aos pacientes em estado grave da doença. Eles estão distribuídos por todas as regiões catarinenses. Além disso, o Estado tem acompanhado de perto a evolução dos casos da Covid-19 e garantido suporte aos municípios na tomada de decisões.

Porém, com a queda de temperaturas e disseminação do novo coronavírus, torna-se fundamental reforçar as medidas de prevenção. O governador Carlos Moisés destaca a importância do trabalho conjunto. “Mesmo com o esforço constante do Governo do Estado, a prevenção é, e continuará sendo a melhor forma de combatermos esse vírus. Eu confio nos catarinenses. Sei que Santa Catarina, com o trabalho dos gestores e a conscientização da população, irá vencer essa batalha”, ressalta.

Até o momento, o Estado contabiliza 31.616 recuperados de um total de 38.408 casos confirmados da doença. De acordo com dados atualizados pela Secretaria de Saúde nesta quinta-feira, 9, foram pelo menos 107 mil testes do tipo PCR realizados e mais de 200 mil testes rápidos distribuídos. Além disso, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, já entregou, pelo menos, 279 respiradores adquiridos da WEG a unidades hospitalares em todas as regiões.

Santa Catarina é o segundo estado com menor incidência de mortes do Brasil e tem a menor taxa de letalidade (1,17%) entre os estados da região Sul e Sudeste.

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, lembra que, mesmo com o monitoramento constante e retomada responsável das atividades, o momento é de atenção. “A melhor forma de prevenir é não se contaminar com o coronavírus. Temos reforçado o cuidado que a população tem que tomar para evitar a disseminação. Temos trabalhado há 120 dias no COES para a ampliação da nossa rede hospitalar e habilitação de leitos", ressalta.


Informações adicionais para imprensa:
Gabriela Ferrarez Figueiredo
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - Secom
E-mail: ferrarezgabriela@gmail.com
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br




Foto: Divulgação/SED

Um levantamento concluído pela Secretaria de Estado da Educação (SED), nesta semana, mostra que o atendimento das atividades não presenciais alcança 97% dos estudantes da rede estadual. O relatório da Diretoria de Ensino da SED indica que 522.325, dos 537.584 alunos matriculados na rede, estão acessando as atividades remotas de forma virtual ou com os materiais impressos.

A diminuição significativa de alunos que não respondem às atividades não presenciais, público que era de 34 mil no início de junho, é positiva na visão do secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni. Contudo, ele ressalta que a SED mantém ações para integrar os demais estudantes ao ensino não presencial e que o objetivo é que nenhum aluno fique para trás.

“A participação dos estudantes é fundamental para que a gente consiga êxito nesse desafio de atingirmos a totalidade da rede. Essa redução significativa de estudantes que não estavam participando das atividades, e que passaram a acompanhar as ações não presenciais, mostra também que a campanha que realizamos está dando bons resultados, e que nós precisamos continuar trabalhando com essa iniciativa da busca ativa”, destaca o secretário.

Os dados consideram as informações cadastradas pelos docentes na plataforma Professor ​On-line da SED. Há quatro opções possíveis de preenchimento: atendido via recurso tecnológico e material impresso, atendido via recurso tecnológico, atendido via material impresso e não está sendo atendido. Para tornar o acompanhamento mais próximo, também é possível registrar as diferentes formas de atendimento, conforme a periodicidade das atividades.

O relatório considera que a condição familiar de acesso à internet é uma variável que pode ser alterada diversas vezes durante um curto período. Assim, um estudante pode acessar o material virtual em um período e no outro receber as atividades impressas, ou ainda fazer as atividades de forma virtual em uma disciplina e impressa em outra. Não é possível, portanto, fazer uma soma dos números isolados de atendimento de forma virtual e impressa.

Busca ativa para encontrar alunos que não respondem às atividades

A SED iniciou em junho o processo de busca ativa dos alunos que não estavam respondendo a nenhuma das atividades propostas pelos professores e pela unidade escolar, tanto na plataforma on-line quanto com os materiais impressos. O diagnóstico inclui um questionário virtual, disponibilizado para uso dos professores e gestores escolares, com perguntas para entender o motivo do aluno não estar participando das ações não presenciais.

Após um mês, o número de estudantes identificados na plataforma Professor ​On-line como “não atendidos” diminuiu para 2.522. Como o diagnóstico da busca ativa está em andamento, ainda há ​12.737 estudantes que não têm registro de atendimento no sistema.

É necessário levar em conta que a estratégia utilizada pela SED possibilita diferentes maneiras de atendimento ao estudante de uma disciplina para outra. Dessa forma, a estratégia de busca ativa também se aplica aos 103.661 ​estudantes que acessam atividades em algumas disciplinas e em outras não.

Lançamento de campanha para engajar alunos nas atividades

Para manter o engajamento dos alunos nas atividades não presenciais, a SED lançou a campanha “Cada um na sua casa. Todos presentes na Educação”. O objetivo é estimular principalmente os estudantes do Ensino Médio, público que reduziu a frequência de realização das atividades, a continuarem fazendo os exercícios propostos pelos professores, seja de forma on-line ou impressa, exercendo o direito à educação e praticando a autorresponsabilidade.

As ações da SED durante a campanha incluem duas transmissões ao vivo com o professor de matemática da rede estadual, Dagoberto Cipriano Filho. As lives voltadas aos estudantes têm como temática a Organização de estudos e dicas de estudo para a área de Matemática e suas linguagens.

A campanha também prevê ações específicas para os professores e pais, mantendo toda a comunidade escolar engajada neste momento para construir um ensino de qualidade. Conheça mais detalhes sobre a campanha clicando aqui.

Informações adicionais para imprensa:
Gabriel Duwe de Lima
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
Fone: (48) 3664-0347 
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br
www.sed.sc.gov.br 


Foto: Divulgação / Secretaria da Infraestrutura

A empresa JR Construções e Terraplanagem foi a vencedora do processo licitatório para a execução das obras na rodovia Jorge Lacerda, em Criciúma. O resultado da licitação foi publicado nesta semana no Diário Oficial do Estado de Santa Catarina. O valor para a execução dos serviços é de R$ 15.748.423,18 e o prazo é de 300 dias, após assinatura da ordem de serviço.

A rodovia faz a ligação entre Criciúma e a BR-101, além de ser um importante acesso para o município de Forquilhinha. O trecho compreende 8,3 quilômetros entre a rodovia federal e a rótula de intersecção com a Rodovia Gabriel Arns.

“Estamos cumprindo mais um compromisso do Governo do Estado. Esta é uma obra muito esperada na região e vai garantir a segurança e comodidade a todos que trafegam pelo local”, explicou o secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira.

Os serviços incluem terraplanagem, pavimentação, drenagem, obras de arte correntes, sinalização, serviços complementares, meio ambiente, iluminação, obras de contenção (muro de concreto armado) e seis intersecções.

A próxima etapa é a assinatura do contrato com a empresa, seguida da emissão da ordem de serviço para o início dos trabalhos, que deve ocorrer até o fim de julho.

Mais informações para imprensa:
Patricia Zomer
Vanessa Pires
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade
(48) 3664-2008 / 9-9995-8494
ascom.sie@gmail.com


Foto: Divulgação / SES

O Governo de Santa Catarina entregou nesta quinta-feira, 9, oito unidades de respiradores para o Hospital Hans Dieter Schmidt, em Joinville. A operação de entrega foi realizada no final da manhã pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) e Defesa Civil, com apoio da Polícia Militar. Os respiradores integram o último lote de 230 das 500 unidades adquiridas pelo Estado junto à empresa WEG, de Jaraguá do Sul.

A SES vem reforçando o apoio ao município de Joinville para o enfrentamento da pandemia. Além da entrega de 20 respiradores WEG ao Hans Dieter - oito hoje e 12 em junho - já foram fornecidos 20 para o Hospital Municipal São José. Além disso, o recurso dos 17 leitos do Hans Dieter, na ordem de R$ 3,8 milhões, já entrou no fundo municipal de Joinville.

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, destaca que os equipamentos são entregues às unidades hospitalares seguindo critérios de distribuição que avaliam o risco epidemiológico de cada região.

Desde o início da pandemia, o Estado vem planejando ações para possibilitar a ampliação de leitos de UTI Covid. Foram identificados 49 hospitais para ampliação de 713 leitos, disponibilizados recursos e equipamentos. Além disso, o Governo derrubou as metas para pagamento das organizações sociais e hospitais participantes da Política Hospitalar Catarinense.

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br


Foto: Divulgação/ Epagri

Apesar da estiagem e da erosão do solo, a safra de verão 2019/20 em Santa Catarina teve um desempenho considerado satisfatório, puxado pelos bons preços, altas produtividades em algumas culturas e regiões específicas, além da qualidade adequada de grãos colhidos. A previsão para a safra de inverno 2020/21 é positiva, caso as condições climáticas previstas se confirmem. Os números foram apresentados pelos técnicos do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (Epagri/Cepa) em evento virtual na tarde desta quinta-feira, 9, que marcou o encerramento da safra de verão e a abertura da safra de inverno.

De acordo com a analista da Epagri/Cepa, Gláucia de Almeida Padrão, a estiagem que atingiu principalmente o Meio-oeste catarinense no final de 2019 e início de 2020, atrasou o plantio e trouxe queda de produtividade, principalmente para as lavouras de milho, soja e feijão. A erosão de áreas cultiváveis foi outro problema que atingiu pontualmente a safra de verão. A degradação do solo acontece em cultivos que não primam pela cobertura de solo e rotação de culturas, contrariando recomendações da Epagri.

Aspectos positivos também foram apontados na safra de verão durante o evento on-line. O arroz teve uma produtividade elevadíssima, principalmente no Sul do Estado. Soja e milho também apresentaram produtividades acima do ciclo agrícola anterior nas regiões Oeste e Meio Oeste. A qualidade dos grãos colhidos foi impulsionada justamente pela pouca chuva no período adequado. Essa condição reduz também o custo de secagem para a indústria. O alto valor do dólar ajudou a elevar os preços, principalmente das commodities. “Tivemos perdas nas safras de verão, mas quem colheu teve qualidade e bons preços”, resume Glaucia.

Verão

arroz foi um dos destaques da safra de verão. A produtividade de 8.391kg/ha ficou acima da média dos anos anteriores. No ciclo 2019/20 foram colhidas uma média de 168 sacas de arroz por hectare, contra uma média de 160 na safra passada. O Sul do Estado contribuiu fortemente para a boa colheita. Apesar da alta oferta do produto no mercado, os preços se mantiveram em patamares elevados, graças à expectativa inicial de uma safra abaixo da média provocada pela estiagem no Sul do Brasil e à corrida aos mercados no início da pandemia, o que aumentou a demanda pelo alimento.

milho total em Santa Catarina teve uma redução de 3,48% na área plantada, queda de 10,78% no total produzido, e enfrentou uma produtividade 7,57% menor, sempre em comparação com a safra 2018/19. A estiagem que se agravou desde janeiro foi um dos motivos da queda, mas é importante ressaltar que a área plantada com milho no Estado catarinense vem caindo a cada ciclo agrícola. O cereal tem nos bons preços um alento, que compensaram para os agricultores a redução de produtividade.

Na região que se espalha a partir de Joaçaba para o Oeste do Estado, o milho grão total alcançou uma boa produtividade, graças principalmente o período em que é plantado, que fez com que as lavouras se livrassem dos piores momentos da estiagem. O estado continua dependendo da importação de milho de outras regiões e países para suprimento das agroindústrias. O cereal participa com cerca de 70% da composição das rações e é fundamental para a cadeia produtiva da proteína animal.

soja vem aumentando continuamente sua área plantada no Estado, avançando por espaços que antes eram ocupados principalmente por plantios de milho e pastagens. Entre as safras 2018/19 e 2019/20 a área plantada com o grão em Santa Catarina aumentou 2,35%, enquanto que a produtividade reduziu em 4,76%, resultando numa produção total 2,52% menor do que no ciclo anterior. Mais uma vez a estiagem e a erosão em algumas regiões de cultivo foram os vilões, mas, assim como no milho, os preços foram compensatórios, impulsionados pela alta do dólar e pelo volume da importação chinesa. O estado exportou 1,4 milhão de toneladas de soja entre janeiro e junho, volume recorde.

feijão foi outro cultivo de verão que sofreu com a estiagem. Em relação à safra passada, houve uma queda na produção de 9,11%, resultado de uma redução de 6,18% na produtividade e de 3,12% na área plantada. A primeira safra de feijão, que responde por 66% da produção estadual, obteve um produto de boa qualidade, que alcançou preços excelentes. A segunda safra, que responde por 34% do total de feijão produzido no Estado, foi a que mais sentiu os reflexos da falta de chuvas, resultando numa queda de 23% na produção e menor qualidade dos grãos. Na média das duas safras, os preços pagos ao produtor foram considerados muito bons.

Inverno

As culturas agrícolas de inverno são aquelas plantadas a partir de maio. A cebola é uma das mais importantes delas em Santa Catarina, visto que o Estado é responsável por 30% da produção nacional. O transplante das mudas e também o semeio direto, que se dão entre junho e agosto, apontam para uma área plantada 7,4% menor na safra 2020/21 quando comparada com o ciclo passado. Assim, também cai a expectativa de total produzido, que deve ser 8,71% mais baixo que na safra 2019/20.

A possível redução na produtividade se deve ao resultado excepcional da safra 2019/20, que ficou acima das médias dos últimos anos no Estado. Contudo, graças à alta tecnologia que deverá ser aplicada pelos produtores, espera-se que a produtividade enfrente uma queda menos acentuada, de 1,42%. A concretização deste cenário depende das condições climáticas para os próximos meses, principalmente nos períodos críticos de desenvolvimento da cultura.

alho encerrou a safra 2019/20 com bons resultados em termos de produtividade, produção e qualidade comercial, bem como de preços pagos ao produtor. A condição representa uma virada na cultura, que vinha sofrendo nos últimos anos com produções e preços muito ruins, devido, sobretudo, a estiagens, doenças e importações. Diante dos bons resultados alcançados, a safra 2020/21 deve ter a área de cultivo aumentada em 8,85%. O reflexo esperado é um aumento de 11,69% no total produzido, com produtividade 2,61% maior. Se tudo se confirmar, Santa Catarina deve colher 21.100t de alho em 2020/21, contra 18.892t no ciclo agrícola anterior.

Cerca de 48% da área destinada ao plantio de trigo no Estado para a safra 2020/21 já foi cultivada. A área plantada nesta safra deverá aumentar 7,82% em relação ao ano anterior, com um crescimento na produtividade média de aproximadamente 9%. Assim, o total produzido deve ser de aproximadamente 182 mil t, representando um incremento de 17,52% na produção. Á campo, as lavouras estão com bom desenvolvimento agronômico, o que leva a crer que a boa perspectiva se confirmará. Os preços favoráveis, que vêm sendo praticados desde o ano passado, impulsionados pela alta do dólar, estão entre os fatores para o aumento da área da cultura no Estado. As restrições para importação do grão da Argentina, impostas pela pandemia, também colaboram para a elevação dos valores pagos ao produtor. O aumento em Santa Catarina acompanha o cenário nacional de crescimento da área plantada.

A cevada terá redução significativa de 66,3% na área plantada, reflexo da má safra verificada no ciclo 2019/20. A quantidade produzida na safra 2020/21 deve ser 47,57% menor que o ciclo anterior. Em relação à produtividade é esperado um crescimento de 55,54%, chegando a 4.100 quilos por hectare.

Em relação à cultura da aveia grão, a Epagri/Cepa estima um pequeno aumento de 1,29% na área plantada. Esse dado, aliado ao crescimento de 22,9% na produtividade, resultará num crescimento de 24,48% na produção total.

Informações e entrevistas
Safra de verão: Gláucia de Almeida Padrão, analista da Epagri/Cepa, pelo fone (47) 98843-4922
Safra de inverno: João Rogério Alves, analista da Epagri/Cepa, pelo fone (48) 98835-8990

Mais informações para a imprensa:
Gisele Dias
Assessoria de imprensa 
Epagri
Fone: (48) 3665-5147 / 99989-2992
E-mail: giseledias@epagri.sc.gov.br
Site: www.epagri.sc.gov.br


Danos causados pelo ciclone do dia 30 de junho fizeram o estado decretar calamidade pública - Foto: Flavio Vieira Jr / DC

Os municípios catarinenses que estão em estado de calamidade pública ou emergência podem obter recursos federais. A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SDS) orienta sobre como é possível aderir ao Serviço de Proteção em Situação de Calamidades Públicas e de Emergências, programa de proteção social especial, do Sistema Único de Assistência Social (Suas).

A SDS esclarece que todos os municípios são elegíveis para solicitarem o cofinanciamento federal, desde que estejam sob reconhecimento de situação de emergência ou calamidade pública.

“A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social tem buscado apoiar tecnicamente os municípios na implantação do Serviço neste momento de recuperação dos danos causados pelo ciclone e com vistas à garantia de proteção social integral para quem esteja desabrigado”, afirma Maicon de Medeiros, gerente de Alta Complexidade da Diretoria de Assistência Social da SDS.

Os municípios poderão utilizar os recursos para a compra de alimentos, colchões e colchonetes, roupas de cama, vestimentas, materiais de higiene e limpeza, gás, água, contratação de equipes de apoio e recursos humanos necessários para execução do serviço, pequenas reformas de abrigos, entre outras possibilidades.

O serviço

O programa prevê a oferta de apoio e proteção à população atingida por situações de emergência e/ou calamidade pública, como incêndios, desabamentos, deslizamentos, alagamentos, a partir da instalação de alojamentos provisórios e provisões materiais. Também contempla realização de trabalho social como acolhimento imediato em condição de segurança; a identificação das perdas e danos ocorridos; o cadastramento da população atingida; e, articulação da rede de políticas públicas e encaminhamentos para garantia de direitos.

O público do Serviço são famílias e indivíduos que se encontram com perdas parciais ou totais de moradia, estando temporária ou definitivamente desabrigados.

Os recursos são do Piso Variável de Alta Complexidade, e pagos pelo Fundo Nacional de Assistência Social diretamente aos municípios.

Como obter os recursos

O caminho para solicitação do cofinanciamento federal para execução do Serviço de Proteção em Situação de Calamidades Públicas e de Emergências é o seguinte:

a) Ser elegível - ter seu decreto de emergência ou calamidade pública reconhecido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, além de contabilizar no mínimo 50 indivíduos desabrigado e/ou desalojados;

b) Realizar o aceite do Serviço - preenchimento do aceite e aprovação em Resolução pelo respectivo Conselho Municipal de Assistência Social;

c) Preenchimento do Requerimento de Solicitação de Recursos com a devida exposição dos motivos para o apoio da União;

d) Encaminhamento para o Ministério da Cidadania da documentação solicitada - Termo de Aceite, Resolução do Conselho Municipal de Assistência Social, Portaria do Ministério do Desenvolvimento Regional e Decreto Municipal sobre a Situação de Emergência ou Calamidade Pública; Requerimento; Lei de Benefícios Eventuais, se existente no município; registros fotográficos dos alojamentos, se já estiverem instalados.

>>> Tire suas dúvidas aqui

Mais informações para imprensa:
Marta Scherer
Assessoria de Comunicação 
Secretaria de Desenvolvimento Social - SDS
Fone: (48) 3664-0916
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br