Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Tem produtos da agricultura familiar nas refeições de todas as escolas de SC



Oportunidades

Próximos eventos

 
Foto: Maurício Vieira/Secom

O primeiro passo para a pavimentação da rodovia SC-108, entre Jacinto Machado e Praia Grande, no Extremo Sul, foi dado na tarde desta quinta-feira, 14. O governador Carlos Moisés assinou a liberação de R$ 3,98 milhões com recursos próprios para asfaltar um trecho de quatro quilômetros, a partir de Jacinto Machado. A obra foi a terceira do dia anunciada na região pelo programa Novos Rumos, criado para investimentos estratégicos nas regiões catarinenses.

"Quando a gente assina uma obra dessas, não é dinheiro do governador, não é dinheiro dos deputados. É dinheiro das pessoas. Nós estamos economizando, fazendo o dever de casa, para que o dinheiro das pessoas sejam usados em estradas, hospitais, escolas, segurança", destacou Carlos Moisés.

O trecho é importante para o escoamento de produção agrícola. A rodovia tem 30 quilômetros entre os dois municípios, e a pavimentação total está orçada em mais de R$ 100 milhões. O governador explicou que o restante da obra poderá se concretizar assim que o estado tiver acesso a financiamentos.

"Tenho certeza que quando o governador voltar aqui e ver o trecho concluído, por um custo abaixo do previsto em projeto, vai aumentar o ânimo para seguir asfaltando mais ao longo dessa rodovia. O que o Governo do Estado vem provocando uma transformação, e agora é o começo da realização de um sonho", projetou o prefeito de Jacinto Machado, João Batista Mezzari.

Emendas parlamentares para infraestrutura em São João do Sul, Turvo e Jacinto Machado

O governador fechou a agenda no município com a assinatura de liberação de recursos de seis emendas parlamentares para o Extremo Sul, todas para a infraestrutura. Para Jacinto Machado, foram assegurados R$ 300 mil para pavimentação com lajotas das ruas Pedro José Rosso e Abílio Trombim, via emenda do deputado Mário Marcondes, e mais R$ 723 mil das ruas Araçá e Giovanni Boselho, por emenda do ex-deputado Manoel Mota. Também foram liberados R$ 400 mil para a aquisição de 110 toneladas de asfalto para as ruas Frederico Rovaris, Anibal P. Della e Jorge Lacerda, resultado de emenda do parlamentar Luiz Fernando Vampiro.

O município de São João do Sul foi beneficiado com R$ 200 mil para a recuperação de estradas vicinais, em razão de emenda do ex-deputado Manoel Mota. Já Turvo ganhará melhorias nas rodovias TVO-352 e TVO-357, assim como nas ruas Três, Antônio Zatta e Anita Formentin Baesso, por meio de emenda do deputado estadual Rodrigo Minotto. no valor de aproximadamente R$ 1,1 milhão. A cidade também terá mais R$ 254 mil para obras na rodovia TVO-355, como resultado de emenda da deputada Ada de Luca.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Carolina Rios / FCC

O Museu Nacional do Mar - Embarcações Brasileiras, administrado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) em São Francisco do Sul, oferecerá ao público a partir desta quinta-feira, 14, uma nova atração em seu espaço expositivo: uma maquete com 84 metros quadrados retrata todo o perímetro urbano do Centro Histórico do município, incluindo a orla da Baía da Babitonga e o ancoradouro dos navios de cabotagem. O diorama foi construído pelo artesão Conny Baumgart, com a participação de outros profissionais, e levou 20 anos para ser concluído.

Produzida na escala de 1:75 (1 metro = 1,38 centímetros), a maquete tem 6m x 14m de tamanho, e está localizada no andar superior do Museu. O trabalho, iniciado em 1999, foi finalizado graças ao patrocínio da empresa Arcelor Mital e à parceria com o Instituto Federal Catarinense, que contribuiu com a parte de automação do diorama.

A obra retrata o Centro Histórico de São Francisco do Sul na virada da década de 1930 para 1940, com suas edificações, ruas, morros, vegetação, personagens e meios de transporte. As edificações, feitas de poliestireno com pintura à base de água, foram executadas através de levantamentos fotográficos e métricos in-loco, além de entrevistas com os moradores.

Os personagens (pessoas e animais), meios de transporte e objetos são feitos de resina de gel coat e também recebem pintura à base de água. Foram executados, ainda, reparos e pintura em algumas maquetes de edificações que já estavam prontas, mas que sofreram desgaste com o tempo e necessitavam de manutenção. Além disso, a maquete recebeu fechamento em vidro temperado, nova iluminação e pintura tanto interna quanto externa. O diorama conta, ainda, com efeitos de luz e movimento, graças à parceria com o curso de Automação do campus de São Francisco do Sul do IFC.

Histórico da maquete

O projeto do diorama do Centro Histórico de São Francisco do Sul tem como principal característica sua especificidade e nível de detalhamento, alcançados graças ao trabalho de inúmeros profissionais envolvidos, entre artesãos, arquitetos, designers, estudantes, que contribuíram com a finalização da peça.

A ideia de construir o diorama surgiu em novembro de 1998, quando o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio de seu superintendente, Dalmo Vieira Filho, e a Associação dos Amigos do Museu Nacional do Mar convidaram o artesão Conny Baumgart para estudar a viabilidade de execução do projeto que retratasse todo o Centro Histórico de São Francisco do Sul entre os anos 1930 e 1940.

Esta época foi escolhida por coincidir com o início da 2ª Grande Guerra Mundial, como âncora para a memória, e também por não ser muito remota. Foi um período áureo para São Francisco do Sul, quando as atividades portuárias e comerciais se desenvolveram em frente aos armazéns da Cia Carl Hoepcke, que hoje abrigam o Museu Nacional do Mar, e Moinho Santista. A cidade também atingiu, neste período, uma configuração que pode ser considerada completa.

O início dos trabalhos deu-se em fevereiro de 1999 e, até 2013, o artesão esteve à frente do projeto, com a participação de estagiários, estudantes e moradores de São Francisco do Sul. Baumgart desenvolveu, exclusivamente para o projeto, moldes para personagens (pessoas, animais, carroças, entre outros) e métodos para acabamentos (vegetações, efeitos de água para representar a baía).

De 2013 a 2015, os trabalhos não avançaram. Mas, no início de 2016, a bibliotecária do Museu, Cleonisse Schmidt, e o arquiteto Marcio Rosa montaram um projeto para finalizar a maquete. Em agosto deste ano, já com o patrocínio da Arcelor Mital, reiniciam-se os trabalhos sob a coordenação do arquiteto Marcio Rosa. A equipe contava também com Conny Baumgart como mestre artesão, além da designer Lilian Hennemann e da artesã Rosete Menezes, que participa do projeto desde 2005 sob a orientação de Baumgart. A equipe ainda era formada por um arquiteto e dois estudantes de Arquitetura de duas universidades da região.

Na etapa final, foram realizadas, também, parcerias com faculdades de Arquitetura para produzir, dentro de oficinas, uma quantidade expressiva de árvores específicas, como palmeiras, pinheiros, ipês amarelos, entre outras, que complementaram a vegetação já distribuída por toda a maquete.

Informações adicionais para imprensa
Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br

 Foto: Doia Cercal/ Secom

A SC-401 Norte alcança nesta quinta-feira, 14, uma marca histórica: 365 dias sem acidentes de trânsito fatais. O recorde da rodovia estadual mais movimentada de Santa Catarina é resultado de diversas ações, como aumento de fiscalização e melhora do comportamento dos motoristas. Até então a melhor marca tinha sido registrada em 1997, quando a estrada completou 210 dias sem mortes.

A via, que liga o Centro de Florianópolis às praias do Norte da Ilha de Santa Catarina, tem um tráfego médio de 63 mil veículos por dia. O comandante da Polícia Militar Rodoviária de Santa Catarina, Evaldo Hoffmann Júnior, explica que diversos fatores levaram a esse resultado inédito para a rodovia que passou a funcionar na década de 1970.

“Estamos realizando operações de fiscalização de velocidade com radar portátil e de forma transparente. Fizemos um estudo técnico no local e estabelecemos regras claras para a fiscalização, com viatura ao longo da via e policiais bem posicionados. Assim o condutor sabe que precisa reduzir a velocidade. Além disso, trabalhamos em muito operações de Lei Seca”, reforça.

Enquanto em 2018 foram 17,6 mil operações de fiscalização de velocidade realizadas, em 2019 esse número saltou para 18,9 mil na SC-401. O comandante afirma que essas medidas, além de zerar o número de acidentes fatais, reduziram a imprudência dos condutores.

“Trânsito seguro se faz com infraestrutura viária, o Governo do Estado está fazendo a restauração da SC-401; com fiscalização, a Polícia Militar Rodoviária tem feito esse papel, e também estamos trabalhando muito no comportamento do condutor, seja por excesso de velocidade, embriaguez ao volante e uso de smartphone na direção e demais atos de imprudência que levam a acidentes”, complementa.

:: VEJA MAIS FOTOS NA GALERIA

No ano passado, foram registradas 2246 notificações por ultrapassar em 50% o limite de velocidade na rodovia, em 2019 foram 802, o que representa uma redução de 64%.

“Esse recorde de um ano sem mortes na SC-401 deve-se a um conjunto de ações e da conscientização dos usuários. A Polícia Militar Rodoviária, desde o início do ano, tem mudado suas estratégias e ações e o efeito tem sido positivo. Além disso, tem o comportamento do próprio condutor, que está usando a rodovia respeitando a legislação de trânsito, as sinalizações e as orientações da PMRv. Assim, chegamos a esse número tão expressivo e digno de comemoração”, ressalta o presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, Araújo Gomes.

Informações adicionais para imprensa:
Karine Wenzel
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
Fone: (48) 3665-3005 
E-mail: karinew@secom.sc.gov.br 
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Fotos: Maurício Vieira/ Secom

Com liberação de R$ 8 milhões em recursos próprios do Governo do Estado, Carlos Moisés assinou nesta quinta-feira, 14, convênios para a pavimentação da rodovia Jacob Westrup, entre Forquilhinha e Maracajá, na BR-101. A confirmação ocorreu durante agenda de trabalho no Sul, e o investimento faz parte do programa Novos Rumos. No mesmo ato, também foi firmado acordo pelo Projeto Recuperar com o Consórcio Intermunicipal Multifinalitário da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (CIM-Amrec), totalizando mais de R$ 2,7 milhões. O evento ainda contou com liberação de mais de R$ 910 mil em emendas parlamentares para deputados da região. Ao todo, na primeira parada da viagem, foram anunciados R$ 11,6 milhões em investimentos.

Dois convênios foram assinados: um, de R$ 5 milhões, com a Prefeitura de Forquilhinha e outro, de R$ 3 milhões, com a de Maracajá. As administrações municipais ficarão responsáveis pela obra e os valores são correspondentes ao trecho da rodovia situado em cada município.

O governador lembrou que a origem dos recursos são as economias feitas ao longo deste primeiro ano de gestão. "São obras feitas com recursos próprios. Temos uma relação republicana com os deputados, que levam as prioridades da região, ouvimos os prefeitos, e assim conseguimos avançar. Nós fazemos a nossa parte, economizando, revisando contratos, inovando com o Governo Digital, fazendo parcerias com consórcios, e o dinheiro público chega onde precisa estar", afirmou Carlos Moisés. "Vamos colocar a casa em ordem e fazer o Estado ser superavitário para que o dinheiro esteja a serviço das pessoas", acrescentou.

:: VEJA MAIS FOTOS NA GALERIA

Corredor de desenvolvimento

A pavimentação beneficia diretamente Forquilhinha e Maracajá e também tem impacto positivo para toda a região. Os dois municípios e Nova Veneza têm 50% de área territorial utilizada para a produção agrícola, além de contar com importantes indústrias. O novo acesso à BR-101 significa mais qualidade e agilidade para escoar a produção, além de oferecer mais segurança à população. 

A Jacob Westrup asfaltada se soma a outro investimento feito pelo Governo do Estado na região. Anunciada em outubro como parte do programa Novos Rumos, a revitalização da Rodovia Jorge Lacerda dará mais qualidade e segurança ao acesso sul de Criciúma à BR-101.

Participaram do ato o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, os secretários de Estado Natalino Uggioni (Educação) e Carlos Hassler (Infraestrutura e Mobilidade), prefeitos da região e deputados.

"Nosso governador tem feito uma verdadeira inovação no jeito de administrar Santa Catarina. Falo isso como prefeito e sei do carinho que estamos recebendo. É um sonho que está se realizando", destacou o prefeito de Maracajá, Arlindo Rocha. "É um dia histórico para Forquilhinha e Maracajá. A pavimentação é muito importante para o escoamento da produção agrícola e industrial e para o turismo. É um corredor de desenvolvimento", acrescentou o prefeito anfitrião, Dimas Kammer.

Projeto Recuperar: Amrec terá mais recursos para manutenção de rodovias

O Governo do Estado também firmou um convênio com o Consórcio Intermunicipal Multifinalitário da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (CIM-Amrec), para adesão ao Projeto Recuperar. Os 12 municípios que compõem a Região Carbonífera irão receber R$ 548.332,96 por mês. Os repasses contemplam Balneário Rincão, Cocal do Sul, Criciúma, Forquilhinha, Içara, Lauro Müller, Morro da Fumaça, Nova Veneza, Orleans, Siderópolis, Treviso e Urussanga. O convênio assinado vale por cinco meses, totalizando mais de R$ 2,7 milhões.

Com o Recuperar, o Governo projeta dobrar a aplicação de recursos com a manutenção de rodovias. A partir do ano que vem, a previsão é que o projeto receba R$ 120 milhões por ano, o que representa um crescimento de 124% em relação aos R$ 53,5 milhões aplicados em 2018.

Para a Região Carbonífera, o montante supera até mesmo o que foi aplicado mensalmente no ano passado em todos os municípios do Sul, incluindo as regiões de Araranguá, Criciúma e Tubarão. Somadas, as três microrregiões tiveram, em média, R$ 473 mil por mês aplicados com roçada, conserva, tapa-buracos e sinalização.

Forquilhinha se torna a Capital Estadual da Pastoral da Criança


O legado de Zilda Arns para Forquilhinha, Santa Catarina e o mundo foi reconhecido pelo governador durante a passagem pelo município. Carlos Moisés sancionou a lei que torna a cidade natal de Zilda a Capital Estadual da Pastoral da Criança.
O projeto de lei é de autoria do deputado Rodrigo Minotto. A ilustre forquilhinhense criou em 1983 a Pastoral da Criança, iniciativa que se espalhou pelo Brasil e amenizou o sofrimento de inúmeras famílias pobres. Zilda morreu em 2010, durante o terremoto no Haiti. Ela estava em Porto Príncipe, onde cumpria missão humanitária para implantar a Pastoral da Criança no país caribenho.

Urussanga, Morro da Fumaça e Cocal do Sul beneficiados por emendas parlamentares

Carlos Moisés concluiu a agenda em Forquilhinha com a assinatura de transferências de valores de emendas parlamentares, beneficiando quatro municípios.
Em Urussanga, o Centro Educacional Profissional Lydio de Brida será revitalizado e reformado, com R$ 100 mil destinados por uma emenda do ex-deputado estadual Valmir Comin. No mesmo município, um investimento de R$ 250 mil viabilizado por emenda do ex-deputado estadual e atual deputado federal Ricardo Guidi garantirá a pavimentação da rua Atílio Damian, no bairro Rio Salto.

Para Morro da Fumaça, o governador liberou R$ 300 mil de emenda parlamentar da deputada estadual Ada de Luca para pavimentar com asfalto o acesso à Gruta Nossa Senhora de Lurdes, no perímetro urbano do distrito de Presidente Juscelino.

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Cocal do Sul foi beneficiada com R$ 100 mil para uma obra de ampliação, resultado de emenda do deputado Luiz Fernando Vampiro.

Também foi assinada a liberação de R$ 160 mil para a construção de salas de aula no Centro de Educação Infantil Margarete Tomazi Rocha, em Maracajá. O investimento deve resolver totalmente a fila de espera no município. A transferência é resultado de uma emenda parlamentar do deputado estadual José Milton Scheffer, pela Secretaria de Estado da Educação.

 

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 

O feriado da Proclamação da República, nesta sexta-feira (15 de novembro) terá a maioria dos espaços culturais administrados pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) abertos e com programação disponível para o público. As exceções ficam por conta da Biblioteca Pública de Santa Catarina e da Galeria do Artesanato e do Museu Etnográfico, que estarão fechadas no dia. A Casa de Campo do Governador Hercílio Luz segue temporariamente fechada para obras de manutenção do telhado.

Centro Integrado de Cultura (CIC)

Abre normalmente, das 10h às 21h.

:: Consulte a programação

Endereço: Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis.
Contato: (48) 3664-2555.

Sala de Cinema do CIC

Terá sessão normalmente, às 20h.

:: Consulte a programação aqui

Endereço: Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis.
Contato: (48) 3664-2555.

Museu de Arte de Santa Catarina (Masc)

Abre normalmente, das 10h às 21h.

:: Confira a programação do espaço

Endereço: no Centro Integrado de Cultura (CIC) – Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis
Contato: (48) 3664-2629

Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC)

Abre normalmente, das 10h às 21h.

:: Confira a programação do espaço

Endereço: no Centro Integrado de Cultura (CIC) – Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis
Contato: (48) 3664-2650

Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa

Abre em horário de feriado, das 10h às 16h.

:: Confira a programação do espaço

Endereço: Praça XV de Novembro, 227 - Centro - Florianópolis.
Contato: (48) 3665-6363

Museu Nacional do Mar - Embarcações Brasileiras

Abre normalmente, das 10h às 18h (última admissão às 17h30).

Endereço: Rua Manoel Lourenço de Andrade, 133 - Centro - São Francisco do Sul
Contato: (47) 3481-2155

Casa de Campo do Governador Hercílio Luz

Temporariamente fechada.

Endereço: Rua Paulo Sell, 428 - Taquaras - Rancho Queimado
Contato: (48) 3275-1453

Biblioteca Pública de Santa Catarina

Fechada na sexta (15) e no sábado (16), volta a atender ao público na segunda-feira (18).

Endereço: Rua Tenente Silveira, 343 - Centro - Florianópolis
Contato: (48) 3665-6422

Galeria do Artesanato - Casa da Alfândega

Fechada na sexta (15), reabre normalmente no sábado (16), das 9h às 13h.

Endereço: Praça XV de Novembro, enquina com Rua Victor Meirelles

Museu Etnográfico Casa dos Açores

Abre normalmente, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Endereço: BR-101, km 189 - Balneário São Miguel - Biguaçu
Contato: (48) 3665-6195

Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)

Bilheteria abre normalmente, das 13h às 19h.

:: Consulte a programação

Endereço: Rua Marechal Guilherme, 26 - Centro - Florianópolis
Contato: (48) 3665-6401.

Teatro Ademir Rosa (TAR)

Bilheteria abre normalmente, das 13h às 19h.

:: Consulte a programação

Endereço: Localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Avenida Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis
Contato: (48) 3664-2628.

Teatro Governador Pedro Ivo

Bilheteria abre normalmente, das 14h às 20h.

:: Consulte a programação


Endereço: Localizado no Centro Administrativo do Governo 
Rodovia SC 401, Km 5, n° 4600 – Saco Grande – Florianópolis (SC)
Contato: (48) 3665-1630

Informações adicionais para imprensa
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 

Página 1 de 611

Conecte-se