Encontre serviços e notícias do Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Novos alunos da Polícia Militar de Santa Catarina



Oportunidades


BANNER DEFICIENTES 01



A Agência de Desenvolvimento do Turismo de SC (Santur) lança nesta segunda-feira, 20, uma licitação para estruturar a Central de Inteligência Turística de Santa Catarina. Até 30 de janeiro as empresas interessadas poderão enviar propostas e participar da disputa, que inicia às 14h15.

A licitação será realizada na modalidade pregão eletrônico do tipo menor preço por item, para selecionar contratação de empresa para o fornecimento de licença de uso para plataforma de Big Data e Inteligência. O pregão eletrônico será realizado à distância em sessão pública via Sistema Integrado de Licitações do Estado (LIC). Poderão participar empresas interessadas que atenderem às exigências estabelecidas no edital 002/2020 e que estejam inscritas no Cadastro Geral de Fornecedores do Estado de Santa Catarina, para liberação de chave identificação e de senha pessoal.

A contratação inclui a aquisição de licença de uso de plataforma de Big Data e Inteligência, com acesso à base de dados disponível para Pessoa Física e Jurídica com abrangência estadual, serviços de manutenção, suporte técnico, atualização de dados, customização, modelagem de dados, treinamento, na modalidade SaaS (Software as a Service) e especificações técnicas constantes no Anexo I do edital.

“A Central de Inteligência Turística é um dos eixos centrais para consolidar o destino turístico e integra dados socioeconômicos, ambientais, de consumo de insumos (água, luz, lixo, outros), de circulação (aéreo, rodoviário, outros), entre outras fontes relacionadas à economia do turismo. Para isso, a implantação de uma estrutura para o monitoramento e análise de dados é fundamental”, destaca a diretora de Estudos e Inovação da Santur, Luana Emmendoerfer.

O edital do pregão foi publicado no Diário Oficial de Santa Catarina no dia 17/01/2020. Interessados em participar da disputa podem acessar informações adicionais no processo Santur 02/2020, neste link.

Informações adicionais para a imprensa:
Renan Koerich
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina - Santur
E-mail: renan@santur.sc.gov.br
Fone: (48) 3665- 7480​ / (48) 9-9959-8096
Site: www.turismo.sc.gov.br 




Placa de imprópria alterada. O escrito em vemelho sempre indica que o local não é recomendado para banho - Foto: Divulgação / IMA

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) alerta os banhistas para os recorrentes atos de vandalismo às placas de balneabilidade. Recém-instaladas no litoral catarinense, a sinalização, especialmente nas praias de Canasvieiras, Cachoeira do Bom Jesus e Ingleses, em Florianópolis, são frequentemente danificadas, o que pode comprometer a saúde da população e turistas.

Em alguns locais, a indicação IMPRÓPRIA é alterada para própria, pois a sílaba IM é retirada. De toda forma, o IMA chama a atenção dos usuários para as cores, pois a impropriedade é sinalizada também pela cor vermelha. Por isso, mesmo que alterada, a cor permanece indicando que o local não está adequado para mergulho. Já a própria é indicada pelo escrito em verde.


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Arquivo / Secom

A integração do transporte coletivo da Grande Florianópolis e a preocupação com a mobilidade urbana foram os principais temas da reunião entre a Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana (Suderf) e o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). O encontro ocorreu na tarde desta sexta-feira, 17, na sede do MPSC, em Florianópolis. 

O superintendente e subchefe da Casa Civil, Matheus Hoffmann, apresentou ao subprocurador-geral de Assuntos Institucionais, Alexandre Estefani, e ao promotor de Justiça Fabrício Pinto Weiblen o andamento do projeto que pretende integrar as linhas de ônibus intermunicipais e municipais da região. Entre as principais vantagens do novo modelo estão a gestão associada do sistema de transporte coletivo entre Governo do Estado e municípios e a reorganização dos itinerários, evitando sobreposição de linhas. Além da possibilidade de deslocamentos diretos na região continental, sem necessidade de entrar na Ilha, o que traria benefícios para o usuário e para a mobilidade urbana.

Segundo Hoffmann, a iniciativa teve um importante avanço em 2019, quando o governador Carlos Moisés retomou as tratativas para implantação da rede integrada. “Todas as Câmaras de Vereadores aprovaram o projeto de lei que autoriza a participação do município no novo sistema, embora algumas emendas inseridas ao projeto não possibilitem a integração imediata de todas as cidades da Grande Florianópolis”, explicou o superintendente.

Neste início de ano, a Suderf trabalha junto ao Observatório da Mobilidade Urbana da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na readequação do projeto para atender as emendas. Em seguida, será feito o detalhamento da operação com todos os municípios para definir como efetivamente o sistema vai funcionar.


Reunião nesta sexta-feira. Foto: Divulgação / Casa Civil

“A iniciativa de integração de linhas é de grande importância para os usuários que utilizam diariamente o transporte coletivo e também para legalizar a situação dos municípios que possuem contratos defasados e irregulares”, afirmou o subprocurador Alexandre Estefani.

Após detalhamento da operação, deverão ocorrer as assinaturas dos convênios de cooperação e dos contratos de programa com as prefeituras participantes. Por fim, será lançado o edital do processo licitatório do transporte coletivo metropolitano.

Informações adicionais à imprensa:
Mauren Rigo e Márcia Callegaro
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497 / 3665-2104 / 98842-8479
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Imagens: Divulgação / Fapesc

O ano de 2020 começa com oportunidades para quem está procurando uma vaga no mercado de trabalho. A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) está com inscrições abertas para bolsas na Rede Catarinense de Centros de Inovação e na área de Recursos Hídricos na Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE). São 47 vagas em diversas cidades do estado voltadas para profissionais com graduação.

No caso dos bolsistas para os Centros de Inovação, a inscrição precisa ser feita até 24 de janeiro. As bolsas são destinadas para candidatos com, no mínimo, nível de graduação. Eles devem desenvolver ações como a realização de workshops, summits, hackathons, coworkings, living labs, encontros de inovação, propriedade intelectual, governança inteligente, open innovation, entre outros.

Serão selecionados 30 bolsistas, sendo dois para cada um dos Centros de Inovação já em atividade ou para o comitê de implantação. As cidades contempladas são as que integram a Rede Catarinense de Centros de Inovação: Blumenau, Brusque, Caçador, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages, Rio do Sul, São Bento do Sul, Tubarão e Videira.

"Em Santa Catarina, aliamos potencialidade da mão de obra qualificada à inovação, com o intuito de fortalecer o mercado e incentivar a criação de demandas e soluções de ponta para os desafios econômicos, sociais e ambientais do nosso estado”, avalia o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

Quem pode participar

A submissão da proposta na Fapesc deve ser realizada por um coordenador vinculado à empresa privada pertencente ao ecossistema de inovação local. Ou seja, não é o bolsista que deve apresentar a proposta, mas o coordenador. Quem tiver interesse na vaga pode procurar o Centro de Inovação ou o comitê de implantação de sua cidade ou região.

“Nossa intenção é fortalecer a Rede Catarinense de Centros de Inovação, que por sua vez é muito importante para o ecossistema de inovação e para o desenvolvimento econômico de cada região de Santa Catarina. Neste edital, a intenção é facilitar o acesso à mão de obra qualificada para colocar várias ações em prática”, destaca o presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen.

O candidato terá que se dedicar por 30 horas semanais ao projeto. O valor da bolsa é de R$ 3,5 mil mensais por 12 meses.
O total disponibilizado para o programa é R$ 1,26 milhão, sendo R$ 630 mil da Fapesc e a outra metade do CNPq. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável também é parceira do programa.

Bolsas para área de Recursos Hídricos

Já as inscrições para as bolsas na área de Recursos Hídricos terminam no dia 23 de janeiro. Os bolsistas irão integrar o Programa de Apoio à Pesquisa Aplicada nas Áreas de Recursos Hídricos e Saneamento da Secretaria do Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável.

Os 17 bolsistas selecionados irão atuar no âmbito do segundo ciclo do Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas (Progestão). Para participar, é necessário ter graduação e comprovada experiência na área específica de seleção. As bolsas são para as modalidades de Hidrologia, Barragem, Instrumentos de Gestão, Geologia, Planejamento de Recursos Hídricos 1 e 2, Saneamento, Administrativo/Contabilidade e para os Comitês Cubatão, Tijucas e Camboriú.

As vagas são para Florianópolis e as bolsas variam entre R$ 2,5 mil e R$ 4 mil.

Inscrições

As inscrições para os dois programas devem ser realizadas na Plataforma Fapesc, no site www.fapesc.sc.gov.br.

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br 


Foto: Géssica da Silva/SCPar Porto de Imbituba

Uma carga de 89,5 mil toneladas de minério de ferro partiu do Porto de Imbituba nesta quinta-feira, 16, com destino à China. Foi a maior operação de embarque de granel sólido já realizada no porto do Sul catarinense, e uma das maiores do Sul do Brasil. A marca foi alcançada pelo navio Niki, cargueiro de bandeira liberiana, que conta com 253 metros de comprimento e 40 de largura.

Características como a facilidade de acesso ao Porto, com uma ampla bacia de evolução e a profundidade nos berços que chega a 15 metros, têm contribuído para a movimentação de maiores volumes de cargas em um único navio. “Além disso, a flexibilidade operacional para movimentar diferentes cargas e o baixo tempo de espera para atracação são alguns dos excelentes diferenciais do Porto no atendimento às necessidades do mercado. Esses fatores proporcionam maior eficiência operacional e a diminuição dos custos logísticos”, destaca Jamazi Alfredo Ziegler, diretor-presidente da SCPar Porto de Imbituba.

O navio Niki deixou o porto com 13,5 metros de calado, que é a distância vertical entre a superfície da água e a parte mais baixa do navio. 

Até então, o maior embarque realizado no Porto de Imbituba era de 71,5 mil toneladas, em uma operação de exportação de milho para o Irã, que ocorreu em março de 2019. Desde que foi delegado ao Governo do Estado, o Porto registra um crescimento acumulado de 180% na movimentação de cargas.

O embarque concluído nesta quinta foi realizado pela operadora Imbituba Logística Portuária (ILP), com dois guindastes MHC, entre os dias 10 e 16 de janeiro. A agência marítima Friendship agenciou o navio.

Mais informações para a imprensa:
Géssica da Silva
Comunicação Social
SCPar Porto de Imbituba
Fone: (48) 3355-8908
E-mail: gessica.silva@portodeimbituba.com.br
www.portodeimbituba.com.br

Página 1 de 663

Conecte-se