Foto: Flavia Maria de Oliveira/ Arquivo / Secom

A Embrapa Suínos e Aves, com apoio do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) e do Sindicarne, lança nesta quarta-feira, 16, em evento virtual, o Software de Gestão Ambiental da Suinocultura (SGAS). A ferramenta vai dar mais celeridade ao licenciamento de granjas de suínos em Santa Catarina, contribuindo com cerca de 13 mil produtores de todo o estado.

O novo software traz diversas funcionalidades que permitem ao usuário determinar automaticamente padrões de consumo de água e produção de dejetos nas granjas de suínos, assim como a oferta de nutrientes contidos nos dejetos em função da categoria de animais alojados, sistemas de manejo e o tratamento adequado dos dejetos.

Até agora, os projetos eram feitos de forma manual, em planilhas do Excel ou por meio de outras ferramentas que demandavam mais tempo para os consultores ambientais e para a análise dos processos pelos técnicos do IMA.

Para o presidente do IMA, Valdez Rodrigues Venâncio, o software é mais um diferencial para a suinocultura que pode acumular resultados ainda melhores nacional e internacionalmente. “O desenvolvimento de um software como ferramenta de análise que considere as particularidades das legislações ambientais e características das unidades de produção de suínos de cada estado do país pode trazer benefícios a toda cadeia produtiva e aos órgãos ambientais fiscalizadores”, destaca

A gestão ambiental da suinocultura envolve vários fatores como o projeto e dimensionamento das granjas e dos sistemas de tratamento de efluentes, manejo de coprodutos da produção animal, monitoramento de indicadores de qualidade ambiental e o licenciamento ambiental da propriedade, para que seja implantada e opere dentro dos limites das legislações ambientais vigentes no país.

Foco na preservação ambiental

O SGAS também vai auxiliar o usuário na gestão das áreas agrícolas das propriedades rurais, determinando a demanda de nutrientes. Estes dados são importantes para determinar a capacidade de alojamento de suínos nas granjas, de modo que os dejetos sejam reciclados como fertilizantes segundo recomendações agronômicas e indicadores ambientais, mitigando os potenciais impactos ao meio ambiente.

Durante o processo de licenciamento da atividade, por exemplo, o IMA monitora o solo dos empreendimentos onde é disposto o biofertilizante produzido a partir dos dejetos suínos. O SGAS vai facilitar a análise dos parâmetros do monitoramento, indicando se o solo poderá receber mais dejeto tratado ou não, analisando o nível dos nutrientes, principalmente, o fósforo (P).

“O SGAS dimensiona estruturas de armazenamento de dejetos, biodigestores e unidades de compostagem com base em critérios técnicos e padrões estabelecidos pelas normativas ambientais. Por meio deste sistema, os projetos realizados pelos consultores ambientais serão padronizados e os resultados terão com maior confiabilidade”, explica a gerente de Licenciamento Ambiental Rural do IMA, Gabriela Casarin Ribeiro.

O sistema foi desenvolvimento pela Embrapa Suínos e Aves com base na Instrução Normativa 11/2014 e validado com dados compartilhados pelo IMA por meio de contrato de cooperação técnica. O Sindicarne também é parceiro deste projeto, apoiando financeiramente todo o processo de validação, transferência de tecnologia e treinamentos dos futuros usuários do sistema.

O lançamento do SGAS será transmitido a partir das 14h, pelo Canal do Youtube.

A suinocultura em Santa Catarina

A suinocultura é o grande destaque do agronegócio catarinense em 2020. De janeiro a agosto deste ano, Santa Catarina já exportou 345,9 mil toneladas de carne suína, um crescimento de 27,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. O faturamento já passa de US$ 758,6 milhões, superando em 40% o valor de 2019.

Além da China, que vem aumentando os embarques mês a mês, outros mercados importantes estão investindo na produção catarinense. O Japão, por exemplo, se tornou o quarto maior comprador e ampliou em 166,2% o volume importado de Santa Catarina neste ano.

Maior produtor nacional de carne suína, Santa Catarina tem um status sanitário diferenciado, que abre as portas para os mercados mais exigentes do mundo. O estado é o único do país reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa sem vacinação, o que demonstra um cuidado extremo com a sanidade animal e é algo extremamente valorizado pelos importadores de carne.

Os números são divulgados pelo Ministério da Economia e analisados pela Epagri/Cepa.

Informações adicionais à imprensa:
Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa IMA
Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina
E-mail: comunicacao@ima.sc.gov.br
Fone: (48) 3665 4177 / (48) 99172 8277
Site: www.ima.sc.gov.br 


Foto: Mauricio Vieira / Arquivo / Secom

Ao longo desta segunda-feira, 14, o vento do sul com rajadas de 60 a 80km/h atinge a região do litoral de Santa Catarina, sobretudo de Passo de Torres a Florianópolis. A condição será mais intensa na tarde e noite desta segunda e dura até terça-feira pela manhã. O mar também fica muito agitado, com uma ondulação com picos de 3 a 3,5 metros, podendo ser ainda mais altos em pontos afastado da costa. As informações são da Epagri/Ciram, que alerta para a condição desfavorável à navegação de pequenas e médias embarcações.

O vento forte e mar agitado estão ligados a um ciclone extratropical com origem no sul do Uruguai e que se desloca para o alto mar. Em função disso, uma frente fria passa pelo litoral catarinense e causa ainda queda da temperatura no período da tarde e da noite em todas as regiões. Em todas as regiões de Santa Catarina terá predomínio de nuvens e chuva mal distribuída do Meio-Oeste ao Litoral.

A partir de terça-feira, uma massa de ar mais frio com origem no litoral Sul do Brasil e um sistema cavado, em áreas de baixa pressão que se forma no Rio Grande do Sul, devem causar tempo instável com predominância de nuvens e condição de chuva no estado.

Confira a previsão detalhada para a semana:*

Terça-feira (15/09):
Tempo:
sol entre muitas nuvens em SC. No Litoral Sul, condição de chuva isolada, especialmente na madrugada, manhã e fim do dia.
Temperatura: amena, mais baixa ao amanhecer.
Vento: sudeste a nordeste, fraco a moderado.
Sistema: alta pressão (massa de ar mais frio) no litoral Sul do Brasil. Cavado (área de baixa pressão) no Rio Grande do Sul.

Quarta-feira (16/09):
Tempo: sol entre nuvens em SC. No decorrer da tarde, condição de chuva com trovoadas isoladas, começando pelo sul do estado, estendendo-se às demais regiões de noite, devido à formação de um sistema de baixa pressão no litoral do Rio Grande do Sul.
Temperatura: em elevação.
Vento: nordeste, fraco a moderado.

Quinta-feira (17/09):
Tempo:
instável com predomínio de nuvens e condição de chuva em todas as regiões de SC, devido ao deslocamento de uma frente fria. Risco de temporais localizados. No fim do dia, o tempo melhora a partir do Oeste e Sul do estado.
Temperatura: mais elevada, diminuindo no fim do dia.
Vento: nordeste a sudeste, fraco a moderado com rajadas.

Sexta-feira (18/09):
Tempo:
sol e algumas nuvens em SC.
Temperatura: em elevação durante o dia.
Vento: sudeste a nordeste, fraco a moderado.

*Gilsânia Cruz - Meteorologista (Epagri/Ciram)

Informações adicionais para imprensa:
Gabriela Ferrarez Figueiredo
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - Secom
E-mail: ferrarezgabriela@gmail.com
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br


Foto: Divulgação / Aresc

A situação de estiagem teve uma melhora significativa em Santa Catarina devido ao volume de chuva considerável nos últimos três meses. É o que aponta o nono Boletim Hidrometeorológico Integrado do Estado. Porém, algumas cidades ainda enfrentam algum tipo de problema no abastecimento impactado pelo tempo seco.

Confira o boletim na íntegra aqui

Conforme dados estudados entre 285 cidades catarinenses, é possível destacar que Santa Catarina tem 221 cidades em estado de normalidade, 55 em estado de atenção, seis em alerta e três em estado crítico. Isso demonstra que o período ainda delicado no estado, já que registra falta de chuva por longos períodos desde 2019.

A gerente de Fiscalização de Saneamento Básico da Aresc, Luiza Burgardt comenta que embora a situação tenha melhorado, o período é delicado para alguns municípios que se encontram ainda em estado de alerta e crítico. “Iremos continuar monitorando a situação dos municípios visando o acompanhamento das ações preventivas que estão sendo adotadas para minimizar a ocorrência de desabastecimento frente à escassez hídrica”, afirma.

Para o diretor de Recursos Hídricos e Saneamento da Secretária de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Leonardo Ferreira, as informações apresentadas nos boletins confirmam a importância do monitoramento constante dos recursos hídricos. “Os dados atuais do boletim traduzem uma condição de melhora significativa no número de municípios atingidos, assim como uma boa perspectiva de manutenção das chuvas bem distribuídas. No entanto, cabe ainda ressaltar a necessidade da consciência pelo uso da água”, frisa.

O estudo de monitoramento, coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) em parceria com a Defesa Civil de Santa Catarina, Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (ARESC) e outras agências reguladoras do Estado, tem o objetivo de monitorar e divulgar a situação hídrica catarinense.

Previsão

Para o próximo trimestre, a previsão é de continuidade de médias a poucas chuvas, mantendo a normalização do abastecimento urbano. No entanto, devido à condição hidrológica dos cursos d’água, é possível indicar a permanência da estiagem prolongada em Santa Catarina por conta da necessidade de uma maior distribuição e volume de chuvas.

Mais informações para a imprensa
Flávia Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3664-4211
Site: www.aresc.sc.gov.br

 


Foto: Divulgação/IMA

Nesta sexta-feira, 28, uma equipe composta pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA), Polícia Civil, Polícia Militar Ambiental, Ibama, Funai e Batalhão Aéreo, realizaram em Doutor Pedrinho, no Médio Vale do Itajaí, a Operação Madeira de Lei. A Ação tem o objetivo de desmantelar esquema de extração e venda ilegal de madeiras nativas na área de sobreposição entre a Reserva Biológica Estadual do Sassafrás e a Terra Indígena Ibirama-Laklãnõ.

A operação vistoriou seis serrarias onde foram identificados mais de 100 m³ de madeira nativa sem origem confirmada, resultando em dois autos de infração, quatro notificações, uma apreensão e um termo de embargo. No local da sobreposição, foi possível verificar aberturas de estradas, diversas árvores cortadas, inclusive espécies ameaçadas de extinção como imbuia (Ocotea porosa) e canela-preta (Ocotea catharinensis).

Além da coibição dos crimes, a operação conseguiu colher informações como o modo de operação dos grupos, o que será fundamental para acabar com o esquema de extração e venda ilegal de madeira nativa e garantir a conservação da Reserva Biológica do Sassafrás e da Terra Indígena. 

Reserva Biológica Estadual do Sassafrás

Criada em 04 de fevereiro de 1977, a Reserva tem uma área de 5.229 hectares, dividida em duas partes. A menor possui cerca de 1.361 hectares e está localizada na comunidade de Alto São João, no município de Benedito Novo. A maior possui cerca de 3.868 hectares e fica na comunidade de Alto Forcação, no município de Doutor Pedrinho.

O nome da UC faz referência à espécie arbórea (Ocotea odorifera), conhecida popularmente como canela-sassafrás ou simplesmente sassafrás, pertencente à família das Lauráceas. Presente em elevada abundância na região, a canela-sassafrás foi sobre-explorada a partir do início do século 20, em função da qualidade da sua madeira para a construção civil e de sua grande capacidade de produção do óleo essencial Safrol, com aplicabilidades diversas para a farmacologia, cosmetologia e medicina, fatores que resultaram na sua inclusão na Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçada de Extinção.

A Reserva abriga e protege rica biodiversidade de Santa Catarina. Além da fauna e da flora, está repleta de nascentes que formam belos vales de característica “encaixada”. Tais nascentes formam cursos d’água que abastecem os principais rios da região e que são importantes tributários do rio Itajaí.

Informações adicionais à imprensa:
Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa IMA
Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina
E-mail: comunicacao@ima.sc.gov.br
Fone: (48) 3665 4177 / (48) 99172 8277
Site: www.ima.sc.gov.br 


Imagem: Reprodução/SDE

Propor diretrizes que visem harmonizar as políticas de desenvolvimento econômico sustentável de Santa Catarina, bem como acompanhar os trabalhos dos programas de Zoneamento Ecológico e Econômico (ZEE) e Gerenciamento Costeiro (Gerco) de forma integrada, é o objetivo do Núcleo Interinstitucional para a Gestão e Planejamento Ambiental.

A iniciativa do Governo de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), tem o intuito de capacitar e realizar o balizamento das instituições que estão compondo o grupo. O workshop realizado nesta quinta-feira, 27, contou com cerca de 65 participantes.

O Zoneamento Ecológico e Econômico e o Gerenciamento Costeiro estiveram entre os destaques do evento, conduzido pela Secretaria Executiva do Meio Ambiente (Sema), a partir da palestra do analista ambiental, Bruno Siqueira, que compõe a equipe técnica do Ministério do Meio Ambiente.

“Os instrumentos de gestão territorial, como o ZEE e o Gerenciamento Costeiro, são fundamentais para a qualificação e conciliação das políticas públicas de desenvolvimento econômico e conservação ambiental. E os momentos de troca de experiências, como hoje, exercem um papel decisivo na sensibilização dos atores sobre essa importância”, pontuou o analista ambiental.

Representando o governador Carlos Moisés, o secretário da SDE, Rogério Siqueira, destacou que este workshop é uma etapa fundamental para agregação de valor e na construção do debate, por meio da colaboração e da inovação, e que vai possibilitar um planejamento e uma gestão ambiental efetiva para os próximos anos em Santa Catarina.

“Temos um estado de potencialidades e oportunidades. A gestão ambiental é fundamental para o desenvolvimento sustentável de Santa Catarina. As inciativas relatadas no evento são uma forte fonte de inspiração e servirão de exemplo para atingirmos nossos propósitos de construir políticas de estado, perenes. A organização territorial é fundamental para fortalecer essa espiral de prosperidade, esperança e confiança”, destaca o secretário Siqueira, ressaltando que contará com cada membro do núcleo, servidores da SDE e Sema, para o sucesso deste desafio.

Gestão ambiental participativa

Entusiasta do ZEE, o presidente do Instituto do Meio Ambiente (Ima), Valdez Rodrigues Venâncio, falou que todo licenciamento deve estar atrelado não somente ao plano de gerenciamento costeiro, mas também à visão do zoneamento ecológico.

“Isto seria um grande avanço e, junto com o plano de ação, teríamos condições de dar os próximos passos, nos antecipando inclusive as metas da ODS, agenda 2030. Também é necessário que Santa Catarina se una para realizar o zoneamento, um instrumento importante para planejar e ordenar o território. Ele dá segurança jurídica para o empreendedor, à sociedade e ao órgão que autoriza o empreendimento”, explicou o presidente do IMA.

Fechando o encontro, o secretário da Sema, Celso Albuquerque, enfatizou que com este planejamento do ZEE e Gerco em mãos, o Estado conhecerá as potencialidades e fragilidades econômicas e ecológicas de cada região, servindo como um guia.

“O zoneamento se torna um instrumento importantíssimo para a regularização da ocupação do solo. Da mesma forma, essa interação nos trará embasamento para a construção de políticas de estado. E, para um trabalho ainda mais efetivo, vamos trabalhar os programas de forma integrada e participativa, envolvendo diversos atores, não somente governamentais, com foco em promover o desenvolvimento econômico sustentável”, frisou Albuquerque.

Este evento faz parte de mais uma das ações de gestão territorial e ambiental através do fortalecimento dos Programas de Zoneamento Ecológico-Econômico e Gerenciamento Costeiro retomadas pelo Governo de Santa Catarina.

Mais informações para a imprensa:
Mariane Lidorio
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-4298 / 99601-1488
E-mail: mari@sde.sc.gov.br
Site: www.sde.sc.gov.br


Foto: Divulgação/IMA

Com o objetivo de prover auxílio para mais de mil famílias atingidas pelo ciclone extratropical no Oeste do Estado, o Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) que integra a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável ( SDE), publicou, em caráter emergencial, a Resolução nº 172/2020. O texto define que os efeitos referentes ao reaproveitamento de material lenhoso contidos na Resolução nº 169/2020 serão estendidos para os eventos climáticos que afetaram o estado nos dias 14 e 15 de agosto provocando a queda de inúmeras árvores. O Conselho resolveu ainda suspender a aplicação da Resolução nº 20/2008 que estabelecia critérios para o aproveitamento de material lenhoso derrubado e/ou danificado por fenômenos naturais, quando aplicável a Resolução nº 169/2020.

Sendo assim, fica autorizado o aproveitamento da madeira das árvores derrubadas ou danificadas pelo ciclone extratropical ocorrido no Estado, em 30 de junho de 2020, e também pelos tornados que atingiram o território catarinense nos dias 14 e 15 de agosto, especialmente, a região Oeste. A concessão é válida para imóveis que obrigatoriamente estão inseridos no Cadastro Ambiental Rural (CAR), previsto no art. 12 da Lei Federal n° 12.651, de 25 de maio de 2012

Em caráter excepcional, a norma elaborada pelo Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) levou em consideração a necessidade de material de construção, em especial de madeira, para reparos e reconstrução de moradias e demais estruturas.

Com a aprovação da norma é possível remover ou utilizar este material lenhoso de menor custo, oriundo das próprias árvores derrubadas ou danificadas por ação do temporal, sem autorização prévia do órgão ambiental, como ocorre em outros casos.

Regras para utilização

Entre os critérios para a retirada e aproveitamento do material gerado pelo ciclone destacam-se:
- o material lenhoso deverá ser utilizado em reparos e reconstrução de benfeitorias ou para local de uso diferente da propriedade, quando se tratar de doação da madeira para obras públicas emergenciais ou de assistência social;
- situações onde o material esteja interrompendo ou obstruindo passagens em rodovias.

Os critérios são válidos para o reparo dos danos. Não é permitido o uso comercial, direto ou indireto, de espécies da flora nativa provenientes de formações naturais, para consumo nas propriedades rurais.

O responsável pelo aproveitamento do material lenhoso terá um prazo de até 30 dias após a utilização do material para a entrega dos documentos junto ao órgão ambiental, entre eles, croqui da propriedade e levantamento fotográfico que caracterize os danos causados pelo vendaval.

A Resolução nº 172/2020 com os efeitos estendidos para os eventos dos dias 14 e 15 de agosto foi publicada nesta quarta-feira, 26, no Diário Oficial de Santa Catarina.

Informações adicionais à imprensa:
Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa IMA
Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina
E-mail: comunicacao@ima.sc.gov.br
Fone: (48) 3665 4177 / (48) 99172 8277
Site: www.ima.sc.gov.br 


Bom Jardim da Serra na noite de quinta-feira. Foto: Divulgação / PMRv 

A intensa onda de frio, provocada por uma massa de ar polar, trouxe neve, geada e temperaturas negativas para Santa Catarina. No amanhecer desta sexta-feira, 21, muitos municípios registraram temperaturas abaixo de 0°C e também houve registro de geada nos pontos mais altos. Segundo a meteorologia, ainda há chance de nevar até o fim da manhã desta sexta em alguns pontos do Planalto Norte, Alto Vale do Itajaí e região serrana da Grande Florianópolis.

A neve mais forte foi registrada por volta das 20h30 desta quinta-feira, 20, no município de Bom Jardim da Serra. Cerca de uma hora depois, ocorreu também em São Joaquim, na região da Serra Catarinense. A temperatura na cidade era de -0,9°C. Já em Bom Jardim, a temperatura mínima chegou a quase - 3°C. Além de Bom Jardim da Serra e São Joaquim, segundo a Epagri/Ciram, nevou em outros sete municípios catarinenses. Urupema, Urubici, e Grão-Pará registraram o fenômeno. O órgão ainda confirmou a ocorrência de neve nos municípios de Rancho Queimado, Anitápolis e Major Gercino, na região da Grande Florianópolis serrana. Nesta sexta-feira também nevou na Serra Smith, em Joinville, na divisa com o município de Campo Alegre.

>> Mais fotos na galeria

Segundo a Epagri/Ciram, o amanhecer desta sexta-feira, 21, registrou temperaturas negativas em muitos municípios de Santa Catarina. No Morro da Igreja, em Urubici, chegou a -8,6°C. Segundo a Epagri/Ciram é o recorde absoluto, já que a mínima mais baixa registrada no local até então era de - 7,8°C, em julho de 2013.

Em São Joaquim, o amanhecer foi com -5°C. Com o tempo ficando mais seco, ainda durante a madrugada, o dia começou com a geada em grande parte da Serra Catarinense. Durante a manhã desta sexta-feira o frio intenso continua em todas as regiões e as temperaturas não devem passar dos 9°C na Serra e Meio-Oeste e dos 14°C, na região do Litoral.


Florianópolis registrou 9°C. Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Condições do tráfego

Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRV/SC), as condições de trânsito estão dentro da normalidade na Serra catarinense, onde houve registro de neve na noite desta quinta-feira. Na rodovia SC-390, foram utilizadas quatro sacas de sal para derreter um ponto de congelamento na altura do quilômetro 404. Permanece a orientação de cautela ao circular pelas rodovias da região, por causa da umidade e de trechos com baixa visibilidade. A PMRV orienta os motoristas a verificarem equipamentos de segurança e o sistema de iluminação dos veículos.  

Vale lembrar que na Serra do Rio do Rastro o trânsito está com alterações devido a obras em alguns trechos.

Previsão para os próximos dias

A Epagri/Ciram indica para o próximo sábado, 22, e domingo, 23, tempo estável com a permanência do frio, com sol e poucas nuvens em SC. Temperatura seguirá baixa, com formação de geada nas áreas altas (acima de 700/800m) do estado na madrugada e amanhecer, e frio mais intenso no sábado. Durante o dia, a temperatura estará em elevação.

Cuidados

Para os dias de frio intenso, a Defesa Civil de Santa Catarina alerta para os cuidados com a população mais vulnerável (especialmente idosos e crianças). Mantenha-se agasalhado e bem hidratado. É importante reforçar os cuidados com os protocolos de prevenção ao coronavírus. Evite aglomerações, pratique a rotina de higiene adequada, use máscaras e mantenha o distanciamento social. Se puder, fique em casa.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Arquivo / Secom

Os próximos dias serão gelados em Santa Catarina. Uma forte massa de ar frio de origem polar no Sul do Brasil atinge todas as regiões catarinenses, e causará um declínio acentuado da temperatura. Na maior parte do Estado, a máxima fica abaixo de 15°C, e não passa de 5°C na serra. O frio intenso e alta umidade vão aumentar as chances de acúmulo de neve no Planalto Sul no decorrer desta quinta-feira, 20, especialmente à noite. Na madrugada e manhã de sexta, 21, há também condição de neve e chuva congelada nas regiões do Planalto Sul e Planalto Norte, com menor chance para o Meio-Oeste, áreas altas da Grande Florianópolis e Alto Vale do Itajaí. São informações da Epagri/Ciram.

No final de semana a temperatura permanece baixa, com mínima próxima de 0°C a -7°C na madrugada e no amanhecer, com condição de formação de geada. O frio será mais intenso no sábado, 22, e diminuirá gradativamente no domingo, 23. Na Grande Florianópolis e no Litoral Norte, apesar da chance de geada ser menor, a temperatura mínima deve variar de 3 a 6°C.

Cuidado redobrado

Devido ao risco de gelo na pista e em função das ações restritivas da Operação contra o Covid-19, a Defesa Civil solicita que as pessoas não se dirijam para as regiões de Serra sem que tenham reservas já confirmadas. A rede hoteleira já está com a capacidade esgotada e existe a possibilidade de acidentes em função de gelo na pista. O assunto foi tema de conversa entre Governo do Estado e municípios na última terça-feira, 18.

"Estamos orientando os turistas e todo o trade turístico para que as pessoas não subam a Serra sem a reserva em hotéis ou pousadas. Nós atravessamos um momento difícil da pandemia e queremos evitar aglomerações. Esse é um momento de responsabilidade para todos, turistas e moradores de Santa Catarina", enfatiza o presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari.

A turismóloga da Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures), Ana Vieira, reforça a recomendação. De acordo com ela, os prefeitos estão preocupados com a possibilidade de ocorrer aglomerações e, principalmente, com a limitação dos meios de hospedagem por causa da pandemia.

"Temos uma preocupação muito grande com as pessoas que vierem para a Serra catarinense sem reserva em hotéis, pois não teremos como acomodá-las. Os municípios estão com as hospedagens lotadas. Em anos anteriores, podíamos fazer isso, mas com os regramentos por conta da Covid-19 isso não será possível. Então, não aconselhamos a vinda para a Serra sem a reserva. É preciso cuidar das pessoas e sermos responsáveis",  disse.
Para a segurança nas rodovias a Polícia Militar Rodoviária (PMRv) está preparando sal para ser jogado na pista, mas a instituição também recomenda que os motoristas evitem transitar em áreas de Serra. Principalmente na Rodovia SC-390, a Serra do Rio do Rastro, que passa por obras. A Polícia Militar vai reforçar o contingente de policiais para dar suporte às ações da Região Serrana.

Confira abaixo dicas de como prevenir acidentes e preservar a saúde durante esse período:

Veja a previsão do tempo detalhada para os próximos dias*:

Sexta-feira (21/08):
Tempo: mais úmido com mais nuvens e condição de chuva fraca na madrugada e manhã, melhorando no decorrer do dia com aberturas de sol na maioria das regiões.
Temperatura: baixa, frio intenso! Condição de neve especialmente para o Planalto Sul e Norte, com menor chance e possibilidade de chuva congelada no Meio-Oeste, Alto Vale do Itajaí e Florianópolis Serrana. A região que tem maior chance de acúmulo é o Planalto Sul.
Vento: sudoeste a sudeste, fraco a moderado com rajadas no Litoral (40 a 60km/h).
Sistema: intensa massa de ar frio de origem polar no Sul do Brasil.

Sábado e Domingo (22 e 23/08):
Tempo: estável e frio, com sol e poucas nuvens em SC.
Temperatura: baixa com formação de geada nas áreas altas (acima de 700/800m) do estado na madrugada e amanhecer, frio mais intenso no sábado. Durante o dia, temperatura em elevação, agradável.
Vento: sul a sudeste, virando para nordeste no domingo, fraco a moderado.

Segunda-feira (24/08):
Tempo: estável com sol e algumas nuvens em SC.
Temperatura: mais baixa ao amanhecer e à noite, e em elevação durante do dia.
Vento: nordeste, fraco a moderado com rajadas.

*Gilsânia Cruz e Marcelo Martins - Meteorologistas (Epagri/Ciram)

Informações adicionais para imprensa:
Gabriela Ferrarez Figueiredo
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - Secom
E-mail: ferrarezgabriela@gmail.com
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Arquivo / Secom

A semana começa com chuva em Santa Catarina e pode terminar com neve com o avanço de uma intensa massa de ar frio de origem polar no Sul do Brasil. O frio intenso e a alta umidade irão favorecer a condição de neve em algumas regiões na quinta, 20, e na sexta-feira, 21. As informações são da Epagri/Ciram.

Na tarde e na noite da terça-feira, 18, há condição de temporais localizados, que irão atingir todo o Estado na quarta-feira, 19. Isso significa chuva forte com raios, rajadas intensas de vento (acima de 60km/h) e granizo chuva forte em um curto intervalo de tempo. A Defesa Civil de Santa Catarina não descarta a ocorrência de alagamentos e deslizamentos pontuais, em função da persistência da chuva. O órgão recomenda atenção aos avisos e a previsão do tempo.

A partir do fim do dia de quarta-feira, a temperatura baixa de forma acentuada e uma intensa massa de frio de origem polar avança pelo estado na quinta-feira, 20. À noite, há chance de neve no Planalto Sul.  Em áreas altas do Oeste, Meio-Oeste e Planalto Norte pode nevar na sexta-feira, 21, com chance de acúmulo significativo especialmente no Planalto Sul.

No fim de semana, a umidade diminui e o frio mais seco provoca formação de geada no estado.

Confira abaixo a previsão do tempo detalhada para os próximos dias*:

Terça-feira (18/08):

Tempo: instável com nuvens e chuva em todas as regiões, no decorrer do dia. Na tarde e noite condição de temporais localizados em SC, com chuva forte em curto intervalo de tempo, granizo e rajadas intensas de vento, sobretudo no oeste e norte do estado, e a região da Grande Florianópolis.
Temperatura: amena.
Vento: sudeste a nordeste, fraco a moderado com rajadas.
Sistema: formação de um sistema de baixa pressão entre o RS e SC.

Quarta-feira (19/08):

Tempo: céu encoberto com chuva e trovoadas em SC, devido a chegada de frente fria.
Temperatura: amena e em declínio acentuado no final do dia.
Vento: sudoeste a sul, fraco a moderado com rajadas de 50 a 70km/h.

Quinta e Sexta-feira (20 e 21/08):

Tempo: instável com predomínio de nuvens e chuva na maioria das regiões de SC.
Temperatura: em declínio acentuado com a chegada de uma intensa massa de ar frio de origem polar, frio intenso com condição de neve no Planalto Sul na noite de quinta. Essa condição estende-se para as áreas altas (acima de 700/800 m) do Oeste, Meio-Oeste e Planalto Norte na sexta-feira, com chance de acúmulo significativo especialmente no Planalto Sul.
Vento: sudoeste a sudeste, moderado com rajadas mais fortes no Litoral (50 a 70km/h).

*Por Gilsânia Cruz e Marcelo Martins - Meteorologistas (Epagri/Ciram)

Informações adicionais para imprensa:
Gabriela Ferrarez Figueiredo
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - Secom
E-mail: ferrarezgabriela@gmail.com
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br


Foto: Mauricio Vieira / Secom

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) inicia nesta segunda-feira, 17, a primeira capacitação da história da instituição para novos servidores. Por webconferência, o governador Carlos Moisés participou do início do curso de formação de Instrução em Processos e Práticas Ambientais para os 30 profissionais aprovados em concurso e que ingressam no órgão. As aulas teóricas e práticas ocorrem até o dia 18 de setembro.

Ao dar as boas-vindas aos novos servidores, o governador Carlos Moisés ressaltou que o reforço no quadro de profissionais do IMA é muito importante para o Estado. Segundo o chefe do Executivo estadual, o Instituto tem papel fundamental no sentido de garantir agilidade e segurança jurídica para quem quer empreender em Santa Catarina.

“A eficiência tem a ver com capacidade de responder às demandas e estamos trabalhando para o Instituto ser cada vez mais este órgão que equilibra o desenvolvimento com a gestão do meio ambiente. E os novos servidores vêm para somar, para atuar com qualidade, integridade, com respeito aos mais frágeis, levando em consideração que a razão de existir do Estado é o cidadão”.

O governador também reforçou a importância da atuação junto aos municípios catarinenses, entidades e empreendedores que auxilia nos princípios do desenvolvimento sustentável.

Os 30 novos servidores do IMA são formados nas áreas de Administração, Biologia, Economia, Engenharia Agrônoma, Engenharia Elétrica, Engenharia Florestal, Engenharia Sanitária, Geografia, Geologia, Oceanografia e Sociologia. Eles vão atuar nas Regionais do IMA em Blumenau, Caçador, Canoinhas, Criciúma, Florianópolis, Joaçaba, Lages, Rio do Sul e Tubarão. Os servidores empossados atuarão em locais onde havia deficit de funcionários provocado por diversos motivos, como aposentadoria e exonerações.

O presidente do IMA, Valdez Rodrigues Venâncio, apresentou a estrutura do IMA e destacou que a missão do órgão e de todos que o compõem é atuar com ética, transparência, eficiência, celeridade, inovação e responsabilidade socioambiental. “Esses são princípios fundamentais que devem nortear a atuação do servidor em cada dia de trabalho para garantir que o IMA seja reconhecido como um órgão de excelência pela contribuição para o desenvolvimento ambiental, social e econômico de Santa Catarina”.

A abertura contou ainda com a participação do secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca, do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira, e do secretário Executivo de Meio Ambiente, Celso Albuquerque. Eles destacaram a importância do órgão ambiental para o crescimento do estado e, consequentemente, a responsabilidade dos servidores para aliar a chegada de novos investimentos com a garantia da preservação dos recursos naturais.

Concurso público

O concurso foi aberto pelo edital 01/IMA/2019 com 30 vagas, além da composição de cadastro reserva. As vagas foram distribuídas entre as diversas regiões do estado e em distintos cargos.

Com um expressivo quantitativo de 5.036 inscritos que efetuaram as provas no dia 15 de dezembro de 2019, obteve-se como resultado 1.737 aprovados. Destes, assumem o cargo 30 servidores aprovados para vagas abertas. Os demais compõem o cadastro reserva do IMA e poderão, em caso de abertura de novas vagas e conforme consta no edital, serem convocados para tomar posse durante o período de validade do concurso.

Curso de Instrução

O Curso de Instrução em Processos e Práticas Ambientais do IMA (CIPPA) destina-se à preparação e formatação de conhecimento aos novos servidores para o pleno exercício profissional nas diversas áreas de atuação do Instituto. O curso é ofertado pelo programa “Academia do Meio Ambiente” do IMA, composto por servidores do Instituto com expertise em cada tema a ser ministrado.

Ao final do programa, os novos servidores estarão aptos a atuar nos processos de fiscalização, licenciamento e auditoria ambiental, na gestão de Unidades de Conservação e em outras atividades finalísticas do IMA.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Informações adicionais à imprensa:
Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa IMA
Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina
E-mail: comunicacao@ima.sc.gov.br
Fone: (48) 3665 4177 / (48) 99172 8277
Site: www.ima.sc.gov.br