Foto: Ascom/CBMSC

Um homem de 58 anos foi encontrado na manhã desta sexta-feira, na região de Vista Alegre, na cidade de Imbuia. Ele sofre de Alzheimer e estava desaparecido desde 17h da última segunda-feira, 7, segundo os familiares. Após quatro dias de buscas, a equipe do Corpo de Bombeiro Militar de Santa Catarina conseguiu localizá-lo e encaminhá-lo ao hospital do município.

“Nesta sexta de manhã foi localizado um chinelo, como pista, que a família deu certeza que era dele e a partir disso fizemos uma varredura na área, em que encontramos rastros, pegadas, galhos quebrados, até que conseguimos avistar ele na mata. O senhor já estava bem desidratado, debilitado, bastante cansado, já que praticamente cinco dias esteve caminhando na mata”, conta o cabo BM Ronaldo Fumagalli.

As primeiras buscas foram realizadas pelos bombeiros militares ao serem acionados durante a madrugada do dia 7. Na manhã de terça-feira, o binômio (bombeiro militar e cão de busca) formado pelo cabo BM Ronaldo Fumagalli e Hunter, junto com o Soldado BM Giandro, de Curitibanos, foram empregados para procurar o homem pela região.

Segundo o cabo, a perícia da corporação foi importante mais uma vez para desenvolver todo o processo de busca até a localização: “Tem todo o trabalho terrestre envolvido, são várias técnicas utilizadas e a experiência que o CBMSC tem neste tipo de ocorrência ajuda, como a coleta de informações, a parte de rastreamento humano observando a mata, verificando rastros deixados pelas pessoas perdidas”.

Já em relação ao emprego do animal, Fumagalli exalta a participação do animal para o êxito na operação.  “O cão consegue passar por uma área muito grande em bem menos tempo do que os humanos levariam, então o Hunter nos ajuda nas buscas eliminando áreas de mata mais intensa e por meio do olfato buscando a direção correta da vítima”.  

Além do trio de Curitibanos, também participaram desta operação:
 - 1º Ten BM Rubens
- Sargento BM França
- Soldado BM Daniele
- Soldado BM Luis Fernando
- Soldado BM Bloot

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina - CBMSC
48) 3665-8426 / (48) 98843-4427 / (48) 9 9938-9839
imprensa@cbm.sc.gov.br 

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) divulgou, na tarde desta sexta-feira, 11, o resultado da etapa de Análise, Avaliação, Classificação e Seleção do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2019. Apesar da antecedência de três dias na divulgação do resultado desta etapa, o prazo para entrega dos documentos complementares dos selecionados seguirá o previsto no cronograma do Prêmio: de 15 de outubro às 23h59 de 22 de outubro de 2019. O resultado sobre a aceitabilidade dos documentos complementares deve ser divulgado no dia 29 de outubro de 2019.

:: Confira o resultado na plataforma de inscrições 

Avaliadores

Os projetos aprovados foram avaliados por uma comissão especialmente montada para isso. A Comissão Autônoma de Seleção (CAS), que examinou os projetos individualmente seguindo os critério estabelecidos nos editais, foi formada pelos seguintes membros:

Música - Gustavo Strapazon
Música - Éder Alves Gonçalves
Música - Luciano Maia
Teatro - Silvia Mara Abreu
Teatro - Paulo Martins Fontes
Teatro - Toni Edson
Patrimônio - Candice Ballester
Patrimônio - Rodrigo Simas Aguiar
Patrimônio - Cícero de Almeida
Cultura Popular - Omar da Rocha Júnior
Cultura Popular - Kátia Araújo
Cultura Popular - Ranngner Mota de Albuquerque
Letras - Marcelino Freire
Letras - Márcio Vassalo
Letras - Renata Pimentel
Dança - Marila Velloso
Dança - Airton Tomazzoni
Dança - Alexandre Molina
Artes Visuais - Júlio Martins
Artes Visuais - Rafaela Tasca
Artes Visuais - Plínio Santos Filhos

Sobre o Prêmio

A quinta edição do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura distribuirá R$ 5,6 milhões a projetos de três áreas: Patrimônio Cultural, Artes e Artes Populares. Os recursos são do Governo do Estado de Santa Catarina, com promoção da FCC.

Informações adicionais para imprensa
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br


Reunião na manhã desta sexta-feira. Foto: Divulgação / Secretaria de Agricultura

A falta de chuvas ainda não traz prejuízos para as lavouras de Santa Catarina, porém o setor se mantém em alerta. Na manhã desta sexta-feira, 11, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural e a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) reuniram lideranças do setor produtivo e técnico para discutir os impactos da estiagem no meio rural. Até o momento, as lavouras de Santa Catarina se desenvolvem normalmente, com atrasos no plantio de algumas culturas, mas não há previsão de queda na produção ou perda de qualidade na safra de verão.

"A Epagri vem monitorando a situação meteorológica, hidrológica e também as safras em Santa Catarina. E nós queremos criar um ambiente para discutirmos essas informações, auxiliando o produtor na tomada de decisões. Nossa intenção é minimizar os impactos da estiagem no meio rural catarinense e tranquilizar a população", destaca o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa.

Segundo relatório do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epagri/Ciram), este é o período de estiagem mais severo dos últimos 10 anos no estado. A maior preocupação são as baixas reservas de água no solo e mananciais.   

"Nós estamos com chuva abaixo da média histórica desde junho. A boa notícia é a previsão de chuva a partir de segunda-feira (14). A tendência é de uma semana mais chuvosa, com até 50 milímetros de precipitação", afirma o meteorologista da Epagri/Ciram, Clovis Correa.

Impactos na agricultura

As chuvas abaixo da média histórica causam um atraso no plantio de algumas culturas, como tomate, batata, milho silagem, fumo e soja, segundo informações do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa). 

"Estamos em plena janela de plantio para as culturas da safra de verão e a situação ainda está normal para a agricultura, porém a estiagem prolongada já traz preocupações ao setor. Até o momento não existem registros de prejuízos ou perdas, caso as chuvas voltem, ainda há tempo para a situação no campo se normalizar", explica o analista da Epagri/Cepa, João Rogério Alves.

A maior preocupação é o abastecimento de água para o consumo animal, principalmente nas granjas de suínos e aves.

Boas práticas de produção

Em tempos de pouca chuva, o produtor rural pode adotar algumas práticas para minimizar os impactos e garantir uma boa safra. A recomendação é de que os agricultores não deixem de fazer um bom seguro agrícola e que procurem fazer o escalonamento de plantio de sua safra, a fim de minimizar possíveis prejuízos caso a estiagem persista.

O investimento na construção de cisternas ou sistemas de irrigação também traz mais segurança para os produtores nos tempos de estiagem.

Incentivos do Governo do Estado

Para minimizar os efeitos da falta de chuva, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural mantém diversas linhas de apoio aos agricultores e pecuaristas. Em cinco anos, o Governo do Estado investiu mais de R$22,9 milhões na construção de cisternas e de sistemas de abastecimento de água, além da cessão de uso de 465 distribuidores de água para os municípios.

Informações adicionais para imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br

 
Foto: Allan Franzou/Semasa

Medidas para conter a poluição e oferecer mais qualidade ao Rio Itajaí-Mirim foram pauta no encontro entre representantes do Governo do Estado e entidades municipais e federais, na sede do Serviço Municipal de Água, Saneamento Básico e Infraestrutura (Semasa), em Itajaí. Nos últimos anos, o abastecimento de água do município é impactado com a queda na qualidade da água no principal manancial da região e fonte de abastecimento da cidade.

Entre as ações elencadas, ficou definido que serão realizadas reuniões mensais com o objetivo de traçar meios e ações para o monitoramento e consequentemente melhorias na qualidade do rio, após convite aos demais municípios e entidades interessadas que não puderam estar presentes na conversa inicial.

“É de extrema importância reunir atores estratégicos da bacia do Rio Itajaí-Mirim a fim de traçar ações conjuntas com o objetivo de buscar mais qualidade dos nossos mananciais, tão fundamentais para a população. A SDE expõe ações prioritárias, como revitalização de bacias hidrográficas por meio do Programa Produtor de Água, e também um melhor controle da qualidade e quantidade com os processos de outorga”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

O encontro, uma iniciativa da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, contou com a participação da bióloga Larissa Martins. Na oportunidade, ela fez uma apresentação dos resultados, após uma constatação de indícios de despejos ilegais de efluentes proveniente da indústria têxtil que preocuparam os técnicos de saneamento em julho deste ano. A ação irregular também motivou alterações na rotina de tratamento, como o aumento da dosagem de cloro. O problema, que ultrapassou os limites municipais, deu ensejo às propostas de união de forças entre as instituições de diferentes esferas.

Para embasar o alerta e o pedido de colaboração, o Semasa contratou um serviço de coleta e análise laboratorial de 12 pontos no rio, realizados durante quatro semanas, entre agosto e setembro. Os parâmetros analisados foram fósforo total, pH, alcalinidade bicarbonatada, DQO, nitrogênio amoniacal, oxigênio consumido, sulfatos, sulfetos e surfactantes. As anomalias observadas nos valores também indicaram a ocorrência de lançamentos de esgotos domésticos e industriais.

Entre as entidades representadas na reunião, além da Aresc e Semasa, compareceram: a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDE), o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), o Instituto Cidade Sustentável de Itajaí (ICS), a Polícia Militar Ambiental, o Samae de Brusque, a Fundação Municipal do Meio Ambiente de Brusque (Fundema) e o Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Itajaí-Açu, por meio de sua representante do Porto de Itajaí.

“A melhoria ambiental desse manancial de captação é de fundamental importância para se ter uma água tratada de qualidade para a população. E a realização dessa reunião foi um importante passo na busca da qualidade ambiental do Rio Itajaí-Mirim”, concluiu a bióloga da Aresc, Larissa Martins.

Para o superintendente da Fundação Municipal de Meio Ambiente de Brusque (Fundema), Cristiano Olinger, a comprovação dos responsáveis por despejos irregulares é difícil e a fiscalização será eficiente a partir do momento que houver monitoramento contínuo: "Devemos ser mais rigorosos e sentíamos falta desse trabalho conjunto. Todos os municípios a montante do rio devem ser inseridos nesse processo".

Mais informações para a imprensa
Flávia Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3664-4211
Site: www.aresc.sc.gov.br

Responsáveis por 70% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, os sete Estados das regiões Sul e Sudeste têm um novo avanço na discussão de pautas conjuntas. Os governadores de Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná e Rio Grande do Sul, assim como secretários estaduais, vão se reunir nos dias 18 e 19 de outubro para o quinto encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud). O evento será no Costão do Santinho Resort, em Florianópolis.

“As reuniões anteriores do Cosud foram muito produtivas e temos a responsabilidade de criar um ambiente favorável à evolução dos debates. Temos muito trabalho a ser feito para desenvolver a gestão, segurança pública, saúde, educação, geração de empregos, turismo e tecnologia”, projeta o anfitrião e governador de Santa Catarina, Carlos Moisés.

O encontro irá reunir 14 grupos de trabalho: “Fazenda e Planejamento”, “Desenvolvimento Econômico”, “Agricultura”, “Turismo”, “Inovação, Ciência e Tecnologia”, “Educação”, “Meio Ambiente e Infraestrutura”, “Logística e Transporte”, “Saúde Pública”, “Segurança Pública”, “Gestão e Planejamento”, “Administração Penitenciária”, “Controle e Transparência” e “Reforma da Previdência”. Pela primeira vez, também haverá um encontro de trabalho com representantes das Secretarias de Comunicação dos estados para discutir boas práticas na área.

“É um momento em que Santa Catarina vai reunir os governadores e seus secretários para discutir pautas relevantes para o Brasil. É a oportunidade de buscar soluções para os grandes temas que o estado e o país precisam avançar”, destaca o chefe da Casa Civil, Douglas Borba. A Reforma da Previdência, a revisão do Pacto Federativo e o equilíbrio fiscal dos estados estão entre os principais temas da pauta do encontro.

“O quinto encontro do Cosud dá continuidade a um trabalho de parceria entre os estados no compartilhamento de experiências e boas práticas em diversas áreas temáticas de governo, como segurança, infraestrutura, mobilidade e meio ambiente”, reforça o secretário da Administração, Jorge Eduardo Tasca.

O Cosud foi criado em março deste ano, durante encontro dos governadores em Minas Gerais. O objetivo é integrar esforços em áreas de interesse comum dos sete estados. As edições anteriores ocorreram em Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Gramado (RS) e Vitória (ES).

O evento é realizado pelo Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), com apoio do Governo de Santa Catarina, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), e Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGás).

Credenciamento de imprensa

Veículos de imprensa interessados em realizar a cobertura do evento deverão fazer credenciamento. A inscrição dos profissionais deverá ser feita pelo site oficial do evento a partir de terça-feira, 15 de outubro. A programação de sexta-feira, 18, será fechada para a imprensa. No sábado, está prevista entrevista coletiva.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
Site: www.sc.gov.br

 

Foto: Julio Cavalheiro/ Secom

O feriado de 12 de outubro terá a maioria dos espaços culturais administrados pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) abertos e com programação disponível para o público. As exceções ficam por conta da Biblioteca Pública de Santa Catarina e da Galeria do Artesanato, que estarão fechados no sábado.

Centro Integrado de Cultura (CIC)

Abre normalmente, das 10h às 21h.

:: Consulte a programação

Endereço: Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis.
Contato: (48) 3664-2555.

Sala de Cinema do CIC

Terá sessões de quinta-feira a domingo, às 20h. No sábado (12), também haverá sessão do Cineclube Infantil às 16h.

:: Consulte a programação aqui

Endereço: Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis.
Contato: (48) 3664-2555.

Museu de Arte de Santa Catarina (Masc)

Abre normalmente, das 10h às 21h.

:: Confira a programação do espaço

Endereço: no Centro Integrado de Cultura (CIC) – Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis
Contato: (48) 3664-2629

Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC)

Abre normalmente, das 10h às 21h.

:: Confira a programação do espaço

Endereço: no Centro Integrado de Cultura (CIC) – Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis
Contato: (48) 3664-2650

Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa

Abre normalmente, das 10h às 16h.

:: Confira a programação do espaço

Endereço: Praça XV de Novembro, 227 - Centro - Florianópolis.
Contato: (48) 3665-6363

Museu Nacional do Mar - Embarcações Brasileiras

Abre normalmente, das 10h às 18h (última admissão às 17h30).

Endereço: Rua Manoel Lourenço de Andrade, 133 - Centro - São Francisco do Sul
Contato: (47) 3481-2155

Casa de Campo do Governador Hercílio Luz

Abre normalmente, das 10h às 17h.

Endereço: Rua Paulo Sell, 428 - Taquaras - Rancho Queimado
Contato: (48) 3275-1453

Biblioteca Pública de Santa Catarina

Fechada.

Endereço: Rua Tenente Silveira, 343 - Centro - Florianópolis
Contato: (48) 3665-6422

Galeria do Artesanato - Casa da Alfândega

Fechada.

Endereço: Praça XV de Novembro, enquina com Rua Victor Meirelles

Museu Etnográfico Casa dos Açores

Sábado e domingo abre normalmente, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Endereço: BR-101, km 189 - Balneário São Miguel - Biguaçu
Contato: (48) 3665-6195

Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)

:: Consulte a programação para o feriado aqui

Endereço: Rua Marechal Guilherme, 26 - Centro - Florianópolis
Contato: (48) 3665-6401.

Teatro Ademir Rosa (TAR)

:: Consulte a programação para o feriado aqui

Endereço: Localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Avenida Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis
Contato: (48) 3664-2628.
FCC - Geral

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 


 
Imagem do Parajasc de 2018 | Antonio Prado/Fesporte

Começa nesta segunda-feira, dia 14, em Caçador, a 15ª edição dos Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc), evento que envolve atletas com deficiência física (DF), auditiva (DA) intelectual (DI) e visual (DV). Serão cerca de dois mil participantes de 71 municípios que disputarão 12 modalidades até 19 de outubro: atletismo, tênis de mesa, xadrez, futsal, ciclismo, golbol, handebol em cadeira de rodas, xadrez, basquete, basquete em cadeira de rodas, bocha paralímpica e bocha rafa vollo.

O evento é uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de Caçador. A abertura oficial da competição será na segunda-feira, 14, às 19 horas, no ginásio de esporte da Escola Paulo Schieffler. No mesmo dia, pela manhã, serão realizadas as classificações funcionais, que definem a classe de competição de cada atleta. 

A modalidade de natação, por questões técnicas, foi antecipada para 2 e 3 de agosto, a fim de que se realizasse em Indaial, paralelamente às disputas dos Jogos Escolares Paradesportivos de Santa Catarina (Parajesc). Com a antecipação da modalidade, Joinville saiu na frente na pontuação dos Parajasc ao faturar sete dos oito títulos em disputa na modalidade: DF masculino, DF feminino, DV masculino, DV feminino, DA feminino, DI masculino e DI feminino.

Os Jogos Abertos Paradesportivos foram criados visando à inclusão e integração de atletas com deficiência por meio do esporte. O evento tem como finalidades favorecer o desenvolvimento global da pessoa com deficiência e sua integração na sociedade pela prática esportiva adequada às suas necessidades especiais. 

Ainda está entre as finalidades dos Parajasc proporcionar aos atletas a aquisição de experiências que venham enriquecer seus conhecimentos e facilitar sua relação com o meio em que vivem, contribuindo para o exercício de sua cidadania, e propiciar o intercâmbio técnico e de gestão entre profissionais e dirigentes.

Mais informações para a imprensa: 
Heron Queiroz
Assessoria de Comunicação
Fesporte
Fone: (48) 99635-9617 / 3665-6126
www.fesporte.sc.gov.br
www.facebook.com/fesporte


Foto: Giovani Luiz Wilmsen / Prefeitura de Vargeão

A Defesa Civil de Santa Catarina (DC SC) e a Secretaria de Estado da Educação (SED) assinaram na manhã desta sexta-feira, 11, o termo de cooperação técnica para a implementação na rede estadual de ensino do “Programa Defesa Civil e Prevenção na Escola". O ato foi realizado no município de Xanxerê e marcou a adesão da primeira escola estadual à iniciativa, a EEB Presidente Artur da Costa e Silva. O evento contou com a participação do chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Jr., e do secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni.

O objetivo da ação é criar um sistema de aprendizagem teórica e prática de ações em proteção e defesa civil, capaz de apoiar a educação formal nas séries finais do Ensino Fundamental. Um dos objetivos é incentivar a resiliência e a redução de riscos a desastres, em consonância com a Lei 12.608/12 e com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação - LDB 9394/96.

"O Programa Defesa Civil e Prevenção na Escola é uma ferramenta que também vai contribuir com as discussões inerentes às condições de saúde ambiental e proliferação de doenças que alteram a qualidade de vida", comentou o chefe da Defesa Civil. Segundo ele, a assinatura do termo de cooperação é apenas o início, pois agora o programa pode ser realizado em outras escolas estaduais de Santa Catarina. "Com a educação, vamos mudar o comportamento da nossa população em relação aos desastres para uma atitude proativa e resiliente, incentivando o sentido de autoproteção dos catarinenses", destacou.

O termo de cooperação prevê a colaboração entre os órgãos para a que haja políticas públicas permanentes em defesa do meio ambiente, redução da vulnerabilidade, prevenção, estudos básicos sobre gestão de riscos e de desastres, cidadania, promoção de saúde e segurança global por meio do currículo escolar. O Programa será incorporado às disciplinas no próximo ano letivo nas escolas que aderirem à iniciativa. 

O secretário de Estado da Educação explicou que a ação também busca revitalizar a Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola, COM-Vida, para dar continuidade ao Programa. "Essa é uma ação de investimento na idade certa, de forma preventiva, antes que os problemas aconteçam e esperamos que se reverta em benefício para a sociedade. Dentro do programa, vamos realizar a capacitação de professores para que os temas de proteção e defesa civil sejam incorporados no currículo escolar", ressaltou Uggioni. Segundo ele, todas as ações terão o acompanhamento das coordenadorias regionais de Defesa Civil e da SEE.

Da escola para a sociedade

O Programa Defesa Civil e Prevenção na Escola busca fomentar ações educativas e pedagógicas para sensibilizar a sociedade civil e as instituições públicas e privadas sobre as consequências das mudanças climáticas. O conteúdo engloba o entendimento dos problemas relacionados com a extinção de espécies, contaminação do ar, escassez da água e efeito estufa, ou seja, os problemas que interferem diretamente na qualidade de vida e nos relacionamentos sociais. A metodologia utilizada é pioneira no Brasil e pretende aumentar a resiliência e o fortalecimento da cooperação no papel fundamental da escola, a formação do cidadão.

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Foto: Thiago Andrade/ ImetroSC

Utilizar dispositivo eletrônico ou mecânico para fraudar o volume e obter vantagem no preço ou comercializar combustível adulterado são infrações que podem levar ao fechamento do estabelecimento por cinco anos. A nova lei estadual nº 17.760 também impede o dono do posto de abrir novas empresas no mesmo ramo durante o período equivalente.

Sancionada pelo governador Carlos Moisés, a lei, que “dispõe sobre fiscalização e coibição da comercialização irregular de combustíveis e adota outras providências”, altera a anterior, de novembro de 2009, que previa punições apenas em caso de reincidência. 

A nova regulamentação pune o infrator com o cancelamento da inscrição no Cadastro de Contribuintes do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação.

“Vamos intensificar as operações conjuntas em todo o estado com Procon, Polícia Civil, Ministério Público, Fazenda estadual e ANP (Agência Nacional do Petróleo). Não iremos tolerar ação de organizações criminosas em Santa Catarina”, destaca Rudinei Floriano, presidente do Imetro em SC.

Ele ainda ressalta que a nova lei, em vigor desde 31 de julho deste ano, é mais um mecanismo de defesa dos direitos do consumidor e da qualidade do produto.

Mais informações para imprensa:
Olavo Moraes 
Assessoria de Comunicação
Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro)
(48) 3381-5248 / 9-9960-8906
olavo@imetro.sc.gov.br 

Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

De 14 a 18 de outubro, a Epagri vai capacitar 15 moradores de rua de Florianópolis em maricultura. O objetivo é gerar oportunidade de trabalho para pessoas que enfrentam dificuldades de inserção no mercado. As aulas serão oferecidas na passarela Nego Quirido, onde funciona o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua - chamado Centro POP -, e no Ribeirão da Ilha.  

Os participantes foram previamente selecionados pela prefeitura e vão estudar temas como conceito de maricultura, características do setor em Santa Catarina e anatomia, fisiologia e alimentação de moluscos bivalves. O grupo vai aprender também a parte técnica da atividade de produção, como montagem e manutenção dos artigos de captura dos moluscos. 

“Depois do curso, a probabilidade do morador de rua, então capacitado, ser contratado como freelancer é grande, pois existe falta de mão de obra qualificada na maricultura”, diz o coordenador do curso e extensionista da Epagri em Florianópolis, Philipe Medeiros da Costa. No último dia da capacitação, os moradores vão entregar seus currículos aos maricultores. 

O curso será ministrado pelo extensionista Philipe e por representantes da Associação de Maricultores do Sul da Ilha (Amasi). O projeto é uma parceria das duas entidades com a Superintendência de Pesca, Maricultura e Agricultura da prefeitura de Florianópolis. Os recursos para a capacitação são do Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis (Igeof).

Produção

Santa Catarina é responsável por quase toda a produção nacional de mexilhões, ostras e vieiras. De acordo com os dados do Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca (Epagri/Cedap), o Estado produziu mais de 14 mil toneladas desses moluscos em 2018. Florianópolis participa com uma produção de aproximadamente três toneladas.

---------------------------------------------

Serviço

O quê: curso de capacitação em maricultura para pessoas em situação de rua
Quando: de 14 a 18 de outubro, das 09h às 16h30
Onde: Avenida Gustavo Richard, S/N – Passarela do Samba Nego “Quirido”, Centro. Florianópolis – SC 
Informações e entrevistas: Philipe Medeiros da Costa, extensionista da Epagri em Florianópolis, pelo fone (48) 3665-5204

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Epagri
Gisele Dias
Fone: (48) 3665-5147 / (48) 99989-2992
E-mail: giseledias@epagri.sc.gov.br
Cinthia Andruchak
Fone: (48) 3665-5344
E-mail: cinthiafreitas@epagri.sc.gov.br
Isabela Schwengber
Fone: (48) 3665-5407
E-mail: isabelas@epagri.sc.gov.br
Site: www.epagri.sc.gov.br