Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Arquivo / Secom

A integração do transporte coletivo da Grande Florianópolis e a preocupação com a mobilidade urbana foram os principais temas da reunião entre a Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana (Suderf) e o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). O encontro ocorreu na tarde desta sexta-feira, 17, na sede do MPSC, em Florianópolis. 

O superintendente e subchefe da Casa Civil, Matheus Hoffmann, apresentou ao subprocurador-geral de Assuntos Institucionais, Alexandre Estefani, e ao promotor de Justiça Fabrício Pinto Weiblen o andamento do projeto que pretende integrar as linhas de ônibus intermunicipais e municipais da região. Entre as principais vantagens do novo modelo estão a gestão associada do sistema de transporte coletivo entre Governo do Estado e municípios e a reorganização dos itinerários, evitando sobreposição de linhas. Além da possibilidade de deslocamentos diretos na região continental, sem necessidade de entrar na Ilha, o que traria benefícios para o usuário e para a mobilidade urbana.

Segundo Hoffmann, a iniciativa teve um importante avanço em 2019, quando o governador Carlos Moisés retomou as tratativas para implantação da rede integrada. “Todas as Câmaras de Vereadores aprovaram o projeto de lei que autoriza a participação do município no novo sistema, embora algumas emendas inseridas ao projeto não possibilitem a integração imediata de todas as cidades da Grande Florianópolis”, explicou o superintendente.

Neste início de ano, a Suderf trabalha junto ao Observatório da Mobilidade Urbana da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na readequação do projeto para atender as emendas. Em seguida, será feito o detalhamento da operação com todos os municípios para definir como efetivamente o sistema vai funcionar.


Reunião nesta sexta-feira. Foto: Divulgação / Casa Civil

“A iniciativa de integração de linhas é de grande importância para os usuários que utilizam diariamente o transporte coletivo e também para legalizar a situação dos municípios que possuem contratos defasados e irregulares”, afirmou o subprocurador Alexandre Estefani.

Após detalhamento da operação, deverão ocorrer as assinaturas dos convênios de cooperação e dos contratos de programa com as prefeituras participantes. Por fim, será lançado o edital do processo licitatório do transporte coletivo metropolitano.

Informações adicionais à imprensa:
Mauren Rigo e Márcia Callegaro
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497 / 3665-2104 / 98842-8479
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Foto: Géssica da Silva/SCPar Porto de Imbituba

Uma carga de 89,5 mil toneladas de minério de ferro partiu do Porto de Imbituba nesta quinta-feira, 16, com destino à China. Foi a maior operação de embarque de granel sólido já realizada no porto do Sul catarinense, e uma das maiores do Sul do Brasil. A marca foi alcançada pelo navio Niki, cargueiro de bandeira liberiana, que conta com 253 metros de comprimento e 40 de largura.

Características como a facilidade de acesso ao Porto, com uma ampla bacia de evolução e a profundidade nos berços que chega a 15 metros, têm contribuído para a movimentação de maiores volumes de cargas em um único navio. “Além disso, a flexibilidade operacional para movimentar diferentes cargas e o baixo tempo de espera para atracação são alguns dos excelentes diferenciais do Porto no atendimento às necessidades do mercado. Esses fatores proporcionam maior eficiência operacional e a diminuição dos custos logísticos”, destaca Jamazi Alfredo Ziegler, diretor-presidente da SCPar Porto de Imbituba.

O navio Niki deixou o porto com 13,5 metros de calado, que é a distância vertical entre a superfície da água e a parte mais baixa do navio. 

Até então, o maior embarque realizado no Porto de Imbituba era de 71,5 mil toneladas, em uma operação de exportação de milho para o Irã, que ocorreu em março de 2019. Desde que foi delegado ao Governo do Estado, o Porto registra um crescimento acumulado de 180% na movimentação de cargas.

O embarque concluído nesta quinta foi realizado pela operadora Imbituba Logística Portuária (ILP), com dois guindastes MHC, entre os dias 10 e 16 de janeiro. A agência marítima Friendship agenciou o navio.

Mais informações para a imprensa:
Géssica da Silva
Comunicação Social
SCPar Porto de Imbituba
Fone: (48) 3355-8908
E-mail: gessica.silva@portodeimbituba.com.br
www.portodeimbituba.com.br


Foto: Divulgação / FCC

Estão abertas as inscrições para a Oficina de Bonecas Abayomi que será realizada na Biblioteca Pública de Santa Catarina (BPSC), com a contadora de histórias Maria Ana Raimundo. A atividade será desenvolvida na sexta-feira, 24, das 15h às 17h. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 24 pelo e-mail bpscsecretaria@fcc.sc.gov.br,  pelo telefone (48) 3665-6422 ou presencialmente na recepção.  

Serão oferecidas 20 vagas para crianças a partir de 7 anos. Não é necessário que os participantes levem material.

As Abayomis são bonecas de origem africana. Eram feitas por mães escravas com retalhos de tecidos ou até mesmo pedaços das próprias roupas como conforto e distração para as crianças. As bonecas se caracterizam por não ter costuras: são feitas apenas com nós e tranças.

Serviço

Oficina de de Bonecas Abayomi 
Local: Biblioteca Pública de Santa Catarina (auditório)
Rua Tenente Silveira, nº 343 - Centro, Florianópolis
Inscrições: 17/01/2020 a 24/01/2020
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail bpscsecretaria@fcc.sc.gov.br,  pelo telefone (48) 3665-6422 ou presencialmente na recepção.  
Data da oficina: 24/01/2020
Horário: das 15h às 17h
Ministrante: Maria Ana Raimundo
Número de vagas: 20

Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

A governadora em exercício Daniela Reinehr sancionou, na manhã desta sexta-feira, 17, projetos de lei para divulgação dos direitos das pessoas com deficiência nos sites oficiais dos Poderes do Estado e para instituir o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio em Santa Catarina.

Em relação à norma que trata dos direitos da pessoa com deficiência, a governadora em exercício já determinou o cumprimento imediato por parte do Executivo. "Essa lei, com certeza, vai agregar ainda mais e ajudar a divulgar os direitos das pessoas com deficiência. Inclusive, já solicitei que, nas páginas oficiais do Governo do Estado, esse conteúdo seja incluído tão logo a lei esteja publicada no Diário Oficial", explica. Com a nova legislação, essa divulgação nos sites passa a ser um dos objetivos a serem alcançados pela Lei dos Direitos das Pessoas com Deficiência.

>> Mais fotos na galeria 

A lei que institui o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio foi a primeira sancionada por uma governadora mulher no exercício do cargo em Santa Catarina. "Acredito que quanto mais nós trabalharmos com prevenção e conscientização, mais efetividade teremos na redução desses índices. Já temos outras ações, como o Agosto Lilás, implantado no ano passado, e todos os programas das forças de segurança. Existem ações muito importantes feitos pelo Estado que trabalham a conscientização do agressor. Esta lei vem somar. A luta contra o feminicídio precisa ser uma prática, um valor da sociedade catarinense", avalia Daniela. A data definida no texto é 22 de julho.

O projeto de lei sobre os direitos das pessoas com deficiência é de autoria do deputado estadual Vicente Caropreso, e o do Dia Estadual de Combate ao Feminicídio é do deputado estadual Nilso Berlanda.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: Divulgação / SAP

No Presídio de Rio do Sul, os internos estão fazendo a primeira colheita de hortifrúti da unidade. Até o momento, as culturas plantadas em setembro renderam 412 quilos de alimentos: 77 quilos de tomate, 82 quilos de batata doce, 23 quilos de repolho, 30 quilos de rúcula, 20 quilos de abóbora moranga, 167 quilos de melancia, 13 quilos de feijão vermelho e 400 espigas de milho. Toda a produção é utilizada na elaboração das refeições dos detentos.

A plantação começou em julho de 2019 com árvores frutíferas do tipo citrus, mas em setembro foi adaptada para receber milho, melancia, aipim, batata doce, feijão, abóbora e tomate. Na semana passada, 400 espigas milho verde foram colhidas pelos internos e nesta quinta-feira, 16, foi a vez das melancias, sendo que uma delas chegou a pesar 16 quilos.

 “Essa ação está alinhada com a política prisional de ressocialização, visto que temos apenados trabalhando desde o início do projeto com a preparação do sol, plantio e agora o início da colheita”, observa o gestor da unidade, Eduardo Weber Xavier.

A nutricionista do presídio, Maíra Bolduan, reforça que consumir alimentos que vem da horta garante uma refeição ainda mais saudável para os internos. Além dos legumes e frutas, na horta também são plantados temperos, como salsinha, cebolinha, orégano e manjericão.

A Penitenciária da região de Curitibanos, de Chapecó, da Capital e o Complexo Penitenciário do Estado, em São Pedro de Alcântara, são algumas das unidades que também contam com horta em sua estrutura.


Plantio começou em 2019

O pomar

O plantio de alimentos na unidade começou a ser concretizado quando um dos internos, que é técnico agrícola, utilizou seus conhecimentos para desenvolver um pomar no Presídio de Rio do Sul. Na primeira etapa, iniciada em 2019, foram plantadas 164 mudas de laranja, limão e tangerina. As espécies foram selecionadas considerando as demandas da unidade e período de frutificação, a fim de garantir frutas o ano inteiro.

Informações adicionais para a imprensa
Jacqueline Iensen
Assessoria de Imprensa
Secretaria da Administração Prisional e Socioeducativo (SAP)
E-mail: jacqueline.iensen@gmail.com
Fone: (48) 3664-5810 / (48) 99668-9634
Site: www.sjc.sc.gov.br 


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Os quase 4 milhões de candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 já podem conferir a nota na prova. O resultado foi publicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nesta sexta-feira, 17, na Página do Participante e no aplicativo do Enem.

Com a nota do Enem, estudantes podem ingressar em graduações oferecidas pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) de duas formas: pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ou pelo processo seletivo aberto para preenchimento de vagas em cursos a distância.


Foto: Polícia Civil / Divulgação

A Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC) desencadeou nesta sexta-feira, 17, a Operação Lavanderia. O objetivo é apurar lavagem de dinheiro por integrantes de uma organização criminosa que atua em Santa Catarina.

Ao longo do dia, estão sendo cumpridos 17 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça em Santa Catarina e no Paraná, nas cidades de Florianópolis, Palhoça, Gaspar, Blumenau, Chapecó e Joinville, além dos municípios paranaenses de Curitiba, Fazenda Rio Grande e Londrina.

Na ação desta sexta-feira, foram apreendidos R$ 16 mil em casas em Palhoça e em Joinville, documentos, cartas, bilhetes e comprovantes de depósitos bancários. São investigadas nove pessoas, além de uma empresa de fachada do ramo de transporte e que não possui sede. Os crimes investigados são lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Segundo o delegado Antônio Seixas Joca, durante a investigação foram indiciados 21 integrantes de organização criminosa, quando foram obtidos fortes indícios de lavagem de dinheiro pelo chefe do grupo.

Diante disso, foi representado pela quebra dos sigilos bancários e fiscais, pelo bloqueio de contas e pela expedição dos 17 mandados de busca e apreensão. Assim, foi instaurado novo Inquérito Policial para apurar o crime de lavagem de dinheiro, onde se verificou a existência de uma empresa fantasma que movimentou, em um mês, cerca de R$ 7,2 milhões.

 “Eles pegam esse dinheiro da venda de drogas, do pagamento de dízimo da facção e tentam lavar, dar aparência lícita a ele”, afirma o delegado Joca.

Para o diretor da Deic, Luis Felipe Fuentes, a Operação Lavanderia é importante para reduzir a capacidade financeira das organizações criminosas em Santa Catarina. “Além disso, identifica pessoas que tentam manter a organização funcionando enquanto vários líderes se encontram presos”, destaca Fuentes.

A operação teve apoio da DIC de Chapecó, DIC de Blumenau e Delegacias de Joinville, Canil da PC-SC, além da Polícia Civil do Paraná, que deu cumprimento aos mandados de busca e apreensão no estado vizinho.

Informações adicionais para imprensa:
Diogo Vargas
Assessoria de Comunicação
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-8708 / (48) 99119-8960
Site: www.pc.sc.gov.br 

 


Fotos: Cristiano Estrela / Secom

Com um vasto material fotográfico produzido ao longo da semana passada, a governadora em exercício, Daniela Reinehr, expôs a situação das rodovias do Oeste de Santa Catarina à equipe técnica do Ministério da Infraestrutura na tarde desta quinta-feira, 16. Ela pediu investimentos urgentes para amenizar transtornos, riscos à segurança e prejuízos causados pela condição das vias. Após explicação detalhada dada pela vice-governadora, os técnicos reconheceram que a região precisa de mais atenção. 

>>> Mais fotos na galeria

"O foco é rodoviário porque andei três dias, percorri quase mil quilômetros, fizemos um levantamento fotográfico. Perdemos cerca de 40% dos grãos produzidos. É dinheiro que se perde e prejudica o produtor. Para um agricultor familiar, o prejuízo é significativo", argumentou Daniela. "Se nessas condições o Oeste já produz tanto, imagina se tivermos uma infraestrutura melhor. Os valores investidos logo voltarão aos cofres da União com o crescimento na produção", acrescentou a governadora em exercício. 

Apresentação em momento decisivo

O secretário executivo adjunto do Ministério da Infraestrutura, Rodrigo Cruz, afirmou que o trabalho feito por Daniela veio em momento decisivo, uma vez que as prioridades para o ano serão decididas ao longo de semana que vem. "Nós também temos essa dificuldade orçamentária. Por isso é extremamente importante receber esse feedback dos estados para que possamos concentrar os investimentos onde há mais necessidade", disse. "O presidente Bolsonaro nos cobra que andemos mais fora das capitais para conhecer as regiões, os municípios. Vamos olhar com mais carinho essa situação no Oeste de Santa Catarina", assegurou.

A equipe do Ministério da Infraestrutura pediu cópias do levantamento. Últimos detalhes serão adicionados ao relatório até esta sexta-feira, 17, e Daniela fará o encaminhamento.

A governadora em exercício focou os pedidos por investimentos nas BRs 282, 163 e 153. O Ministério da Infraestrutura já havia garantido recursos para continuidade nas obras das BRs 470, 280 e 285. Em fevereiro, estão previstos o leilão para a concessão do trecho Sul da BR-101 e a assinatura de aditivo para o contorno da Grande Florianópolis. "Uma vez assinado, esperamos que não haja mais qualquer impedimento à retomada da obra. Sabemos o quanto é importante para o cidadão e para Santa Catarina", projetou o secretário nacional de Transportes Terrestres, Marcello da Costa.

Programa "Município + Cidadão"

No Ministério da Cidadania, Daniela tratou com a secretária executiva Ana Maria Pellini a respeito do programa "Município + Cidadão", com o objetivo de estimular a participação de prefeituras catarinenses. Nesta semana, cinco municípios se cadastraram: Agrolândia, Balneário Camboriú, Gaspar, Monte Carlo e São Bento do Sul.

A adesão de cada um será avaliada pelo Ministério da Cidadania, que priorizará os que mais necessitarem do apoio federal.

A participação no Município + Cidadão prevê premiações às prefeituras que mais se destacarem no cumprimento de metas do programa. Esta iniciativa é a junção de várias ações que os municípios já fazem, na maior parte das vezes, e que elevam o patamar da cidadania, e melhoram a qualidade de vida da população. O prazo para aderir é 2 de fevereiro.

Audiência no Ministério da Saúde 

O último compromisso de Daniela Reinehr na Capital Federal foi no Ministério da Saúde. A governadora em exercício e o ministro Luiz Henrique Mandetta discutiram na noite desta quinta-feira, 16, propostas de melhorias para a saúde pública em Santa Catarina.

"Nós vamos melhorar muito os equipamentos do Laboratório Central de Santa Catarina para aumentar a rapidez com que identificamos os vírus, principalmente da gripe, e isso vai servir para o Brasil inteiro", antecipou o ministro. A habilitação de mais serviços para hospitais no estado e a instalação de novos aceleradores lineares em Joinville também estiveram na pauta.

Agenda de trabalho em Brasília

A agenda da governadora em exercício nesta quinta em Brasília começou pela manhã, com uma audiência com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

À tarde, Daniela participou do evento de lançamento da nova fase e da página online da Operação Acolhida, resposta humanitária do Governo Federal ao fluxo de venezuelanos em direção ao Brasil. A ocasião marcou o início de uma nova etapa da ação, que prevê a distribuição dos migrantes pelo país, com iniciativas voltadas à moradia e ao emprego. O evento teve a presença do presidente Bolsonaro e ministros.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Daiane Fagundes / Portonave 

O Complexo Portuário de Itajaí realizou, nesta quinta-feira, 16, a primeira manobra especial de teste na nova bacia de evolução. A manobra foi executada com o navio “Valor”, de 300 metros de comprimento e 48,3 metros de largura (boca) e durou cerca de 1h e 40 minutos. A ação foi permitida por conta da obra de dragagem realizada pelo Governo do Estado para o aumento da capacidade da Bacia de Evolução, concluída em abril de 2019, além de investimento complementar do Porto de Itajaí e da Portonave.

A manobra, efetuada pela primeira vez no Brasil, iniciou no berço 02 da Portonave. O navio foi rebocado de ré até a área da bacia, dando sequência para o giro de 180º.

A nova bacia contempla 500 metros de diâmetro e 14 metros de profundidade. O investimento de R$ 141,9 milhões do Governo do Estado possibilita a atracação de navios de 335 a 366 metros de comprimento e 48 a 52 metros de largura.

“É uma obra de extrema importância que trará mais desenvolvimento econômico para Santa Catarina”, afirmou o secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler.

O Complexo Portuário de Itajaí é segundo maior em operações de contêineres no Brasil, representando quase 4% da balança comercial brasileira e 60% dos produtos produzidos em Santa Catarina. A estimativa é que com a chegada de navios maiores, aumente em 30% a movimentação de contêineres - o que representa R$ 27 milhões a mais de receita nas atividades ligadas ao setor portuário. 

Mais informações para imprensa:
Patricia Zomer
Vanessa Pires
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade
(48) 3664-2008 / 9-9995-8494
ascom.sie@gmail.com


Imagem: Divulgação / Fapesc

Foram prorrogadas até o dia 15 de fevereiro as inscrições para o Programa Nascer, da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) em pareceria com o Sebrae. O objetivo da pré-incubação é transformar o conhecimento tecnológico em novos produtos, processos ou serviços para serem explorados no mercado.

As propostas selecionadas nas áreas de economia criativa e tecnologia receberão apoio por cinco meses gratuitamente. O auxílio consiste em mentorias, palestras, workshops e networking dentro da metodologia TXM, desenvolvida pelo professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luiz Salomão Ribas Gomez, e utilizada nos Cocriations. Podem participar residentes em Santa Catarina com mais de 18 anos.

“Nosso papel como gestores públicos é incentivar o empreendedorismo e a inovação, e, assim, fomentar o crescimento do estado. E o Programa Nascer é uma ferramenta essencial de apoio a novas ideias e que pode inspirar muitas pessoas”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

Para o presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen, o programa é uma grande oportunidade para que boas ideias possam ganhar maturidade e entrar no mercado com maior força. “Além disso, a parceria com os Centros de Inovação vem para fortalecer ainda mais o ecossistema de inovação em Santa Catarina”, acrescenta. 

Pré-incubação ocorrerá em 15 cidades

As turmas serão formadas em 15 cidades consideradas polos regionais: Blumenau, Brusque, Caçador, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville, Joaçaba, Lages, Rio do Sul, São Bento do Sul, Tubarão e Videira.

Nas cidades-polo onde o Centro de Inovação ainda não está em funcionamento, o Comitê de Implantação será o responsável pela disponibilização do espaço físico adequado à realização das atividades de pré-incubação. A intenção, de acordo com o presidente da Fapesc, é levar oportunidade para todas as regiões de Santa Catarina.

Como fazer a inscrição

Os interessados em fazer a inscrição poderão acessar o link do programa ou a Plataforma no site www.fapesc.sc.gov.br.

Serviço:

O quê: inscrições do Programa Nascer
Quando: até 15 de fevereiro
Onde: Blumenau, Brusque, Caçador, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages, Rio do Sul, São Bento do Sul, Tubarão e Videira.

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br