Rio Cubatão - Foto: Anderson Shimidt / Casan

Para assegurar a qualidade e a eficiência da gestão dos recursos hídricos de Santa Catarina, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) finalizou nesta quinta-feira, 19, o repasse de R$ 952.366,22 às instituições parceiras para o gerenciamento dos Comitês das Bacias Hidrográficas do Estado. A parceria com as entidades executivas vem contribuindo para um gerenciamento de excelência na execução do funcionamento dos Comitês no Estado.

“É papel do Estado garantir que a gestão hídrica seja tratada de forma estratégica e assegurar o uso presente e futuro da água de forma sustentável em Santa Catarina”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

O secretário executivo do Meio Ambiente (Sema), Felipe Assunção Alencar, reforça que as entidades que gerenciam os Comitês de Bacias, têm o propósito de fornecer subsídios e fomentar discussões e ações, em relação à gestão de recursos hídricos. “Assim elas se tornam cada vez mais efetivas na ponta, trazendo resultados relevantes para a população e para o meio ambiente”.

Nos Termos de Cooperação assinados em 2018, em um Chamamento Público, para a operacionalização dos Comitês das Bacias Hidrográficas ficou definido que o gerenciamento são das seguintes entidades executivas: Proteção da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá, dos Rios Araranguá e Urussanga; Agência Brasileira de Desenvolvimento Regional, do Rio Tubarão, do Complexo Lagunar e do Rio Cubatão, Fundação Educacional da Região de Joinville/FURJ, de Cachoeira e de Itapocu. 

“Os comitês apoiam o Estado no debate e na execução das ações de interesse comum nas bacias hidrográficas e as entidades cumprem o papel de base no gerenciamento, concluindo assim um círculo virtuoso de uma gestão efetiva da água”, completa a diretora de Recursos Hídricos da SDE, Jaqueline Isabel de Souza.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

 

 


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Carlos Moisés e a presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, assinaram a ordem de serviço para a implantação de um emissário terrestre de esgotamento sanitário para a praia do Mar Grosso, em Laguna. O investimento é de aproximadamente R$ 1,89 milhão, com recursos da Caixa Econômica Federal e contrapartida da Casan. O ato ocorreu na tarde desta quinta-feira, 19, após o governador assinar o convênio que transfere a gestão do Terminal Pesqueiro Público de Laguna ao Estado.

A projeção da Casan é que o empreendimento fique pronto em janeiro de 2020. O emissário é uma rede de 2.718 metros de extensão e diâmetro de 315 milímetros, com tubos de polietileno. "É uma ordem de serviço muito importante para a Casan, porque vai permitir a ligação da rede de esgoto que atende os imóveis da praia do Mar Grosso à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Vila Vitória", explica a presidente da Casan.

O novo emissário terrestre vai substituir o atual, que é submarino. Com isso, não haverá mais o risco de obstruções como a registrada no fim de 2018 devido a uma ressaca. O emissário atual será desobstruído e mantido como reserva.

Repasse para o hospital de Laguna

O último ato da tarde em Laguna foi a liberação de R$ 351 mil para o Hospital de Caridade Bom Senhor Jesus dos Passos. O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, lembrou que os recursos serão usados no custeio das atividade da entidade. "Sabemos das dificuldades pelas quais passa o hospital, por isso estamos aportanto esse recurso ainda para o exercício de 2019, com a possibilidade de aumentar os repasses a partir do ano que vem como resultado da nova política hospitalar de Santa Catarina", frisa Borba.

Também acompanharam os atos os secretários Lucas Esmeraldino (Desenvolvimento Econômico Sustentável), Diego Goulart (Articulação Nacional), o diretor-presidente da SCPar Porto de São Francisco do Sul, João Batista Furtado, além do prefeito de Laguna, Mauro Candemil, o superintentende da Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq), Mário Povia, deputados e lideranças do município.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

 O primeiro passo para modernizar o Terminal Pesqueiro Público de Laguna foi dado nesta quinta-feira, 19. O governador Carlos Moisés assinou o convênio que transfere ao Estado a gestão do local. Com isso, a SCPar irá administrar a estrutura, com a perspectiva de contribuir com o trabalho de pescadores, conquistar novos mercados, aumentar a movimentação e gerar empregos na região.

"Vamos buscar novos arrendamentos, trazer novos operadores portuários, tanto da área da pesca quanto da de estaleiros, manutenção de embarcações, tudo o que puder ser trazido aqui para Laguna, que precisa dessa geração de emprego e renda", projeta Carlos Moisés. 

O governador acrescenta que melhorias estruturais também estão nos planos do Estado, como o aumento do calado de entrada. "Também haverá investimentos privados. Temos uma grande retroárea que está subutilizada, numa área privilegiada da cidade, com fácil acesso", completa.

:: MAIS IMAGENS NA GALERIA

De acordo com o presidente da SCPar, Gustavo Salvador Pereira, a holding fará a gestão por meio de uma filial em Laguna. A projeção da empresa é atingir a movimentação de aproximadamente 2.500 toneladas de pescado por mês, gerando até 200 empregos diretos e indiretos.

"Assim que começou o ano, ficamos com a missão de assumir a delegação do Porto de Laguna e colocar o equipamento para funcionar. Desde então, iniciamos as tratativas para que isso se tornasse realidade", afirmou Pereira.

O próximo passo, de acordo com ele, envolve um trabalho conjunto com outros setores do Governo do Estado, como as secretarias da Fazenda e do Desenvolvimento Econômico Sustentável.

O Terminal 

O Terminal Pesqueiro de Laguna conta com um cais de 300 metros de extensão e três esteiras de recepção de pescados, podendo atracar até 10 embarcações por vez.

Desde a década de 1990, a gestão estava sob responsabilidade da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), empresa pública vinculada ao Ministério da Infraestrutura.

Presente no ato, o secretário nacional de Portos e Transporte Aquaviário, Diogo Piloni, disse que repassar a gestão ao Estado é uma correção de um erro histórico. "Do ponto de vista local, isso faz muito mais sentido. O Governo Federal tem encontrado no Estado de Santa Catarina um excelente parceiro. Grandes entregas já foram realizadas e outras virão num futuro próximo", afirma.

Na ocasião, o governador também assinou o sexto aditivo de convênio para que a SCPar Porto de São Francisco do Sul continue na gestão do local. Ele ainda autorizou a construção de um emissário terrestre para a praia do Mar Grosso e liberou R$ 351 mil para o Hospital de Caridade Bom Senhor Jesus dos Passos.

Também acompanharam o ato o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, os secretários Lucas Esmeraldino (Desenvolvimento Econômico Sustentável), Diego Goulart (Articulação Nacional), o diretor-presidente da SCPar Porto de São Francisco do Sul, João Batista Furtado, além do prefeito de Laguna, Mauro Candemil, o superintendente da Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq), Mário Povia, deputados e lideranças do município.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Divulgação / SED

Com o crescente movimento de imigrantes e refugiados que chegam ao Brasil e a Santa Catarina, a Secretaria de Estado da Educação (SED) passou a oferecer uma alternativa para a integração social e a qualificação para o trabalho desses novos habitantes. A iniciativa do curso de Língua Portuguesa para Estrangeiros nos Centros de Educação de Jovens e Adultos (Cejas) abriu as primeiras turmas no segundo semestre de 2019. São 550 alunos de países como Haiti e Venezuela, matriculados em 17 cidades em diferentes regiões do Estado.

“Precisamos apoiar essas pessoas que se veem obrigadas a deixar seu país em busca de uma nova chance, para que aqui possam dar sua contribuição para o nosso desenvolvimento social e econômico. A língua é um dos primeiros e maiores obstáculos encontrados quando estamos em outro país”, argumenta o secretário da Educação, Natalino Uggioni.

O curso Língua Portuguesa para Estrangeiros cria um ambiente multicultural, relacionando a teoria e a prática, de acordo com as temáticas que integram a realidade dos estrangeiros. As abordagens envolvem culinária, perfil profissional, saúde, entre outros temas.

A partir de histórias reais, serão exploradas as quatro habilidades envolvendo o idioma: leitura, expressão oral, escrita e gramática. A prioridade é para o desenvolvimento da oralidade, com enfoque especial sobre traços marcantes de cultura e cidadania.



O projeto considera que, no processo de adaptação em outro país, a língua e os códigos de cultura e cidadania são fundamentais, por isso a iniciativa também contempla ações para inserção social.

Aulas de idioma e de acesso a serviços básicos

O curso é de nível básico e visa facilitar a realização de atividades cotidianas como: tirar carteira de trabalho, procurar emprego, expressar-se no posto de saúde, solicitar uma informação, realizar uma operação bancária, alugar um imóvel, preencher um cadastro, fazer compras e relacionar-se.

O conteúdo da cartilha utilizada para as aulas foi disponibilizado pela Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados e a cartilha impressa com recursos da própria Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina. O curso proposto é de 160 horas e está sendo oferecido conforme a demanda necessária.

Engenheira da Tunísia vê crescimento profissional e pessoal

Senda Mansour é uma imigrante vinda da Tunísia. Formada em Mecatrônica, aos 26 anos veio para o Brasil, especificamente para Joinville, para fazer um intercâmbio e ser estagiária de uma empresa multinacional que fabrica eletrodomésticos. Senda já falava três outras línguas fluentemente - Árabe, Francês e Inglês - e arriscava um pouquinho de Espanhol. Precisava aprender o Português, mas não tinha condições financeiras para pagar um curso com o salário de estagiária. Foi então que alguns conhecidos de outros países que também estavam morando em Joinville alertaram que o Ceja estava oferecendo o curso gratuitamente. Ela não pensou duas vezes e se matriculou.

“Estou adorando as aulas e a forma como são dadas, com muita prática e conversação. Além disso, conviver com pessoas de culturas tão diferentes me faz crescer muito e ver além do mundo que eu conhecia. Muitos aqui deixaram seus países por necessidade, muitos refugiados, e conviver com eles nos faz crescer como pessoa”, disse ela.

Regiões onde há turmas

Campos Novos
Itapiranga
Rio do Sul
Seara
Blumenau
Joaçaba
Brusque
Concórdia
Rio do Sul
São Joaquim
Videira
Xanxerê
Ituporanga
São Miguel do Oeste
Joinville
Ibirama
Caçador

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
Patrícia Antunes
(48) 3664-0347 / 988177973
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br 
www.sed.sc.gov.br 


Foto: Mayla Barbi / SES

Quase dois dias a menos de internação hospitalar e redução de mais de quatro horas no pronto-socorro. Esses são alguns dos resultados do segundo ciclo do Projeto Lean nas Emergências, em 20 unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) participantes. Os números foram divulgados nesta quarta-feira, 18, pelo Ministério da Saúde (MS). Em Santa Catarina, o Hospital Hans Dieter Schmidt (HHDS) é uma das unidades participantes desse ciclo.

Para o diretor do HHDS, Evandro Rodrigues Godoy, as mudanças com o uso das ferramentas do Lean são notáveis. "Conseguimos observar um maior engajamento da equipe, além de termos uma resposta mais rápida para resolvermos a lotação no pronto-socorro", observa. Godoy também ressalta que o projeto tem trazido uma mudança de cultura para o hospital. "Esse movimento visa a proporcionar à sociedade catarinense uma vida mais longa e com mais qualidade através de um atendimento mais resolutivo e que permita eliminar gradativamente todo e qualquer desperdício", pontua.

No geral, os 20 hospitais participantes mostraram redução de 55% do indicador de lotação, 44% na diminuição do tempo de permanência de internação e 40% na redução do tempo de passagem pela urgência até a alta. De acordo com o MS, isso garante não só uma maior oferta de leitos dos hospitais como a diminuição do desgaste emocional do paciente, de seu acompanhante e da equipe médica.

Após a intervenção, o período de espera no pronto-socorro das unidades passou de 11 horas para, em média, seis horas e 20 minutos. O paciente que busca atendimento nessas emergências fica quase quatro horas e meia a menos no pronto-socorro, considerando o período desde a entrada na unidade de saúde, passando pela triagem, consulta, administração de medicamentos e exames, até a alta médica. Esse resultado é reflexo da organização dos fluxos.

Ao todo 36 hospitais de todas as regiões do país fizeram parte das duas primeiras etapas, nas quais 800 profissionais foram treinados na metodologia Lean nos serviços de emergência. Em julho, o MS lançou o terceiro ciclo com 20 hospitais participantes, em uma parceria com o Hospital Sírio-Libanês. Dentre eles estão o Hospital Hans Dieter Schmidt, em Joinville, e o hospital Governador Celso Ramos, de Florianópolis. No primeio ciclo participou o Hospital Regional São José. 

Sobre o Lean

O Projeto Lean nas Emergências é realizado pelo MS em parceria com o Hospital Sírio Libanês, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS). Em 2019 completa dois anos e tem como principal objetivo reduzir a superlotação dos serviços de urgência e emergência do SUS. O projeto já está no terceiro ciclo, executando a terceira visita de intervenção nos hospitais participantes para implementação das ferramentas de gestão.

* Com informações do Ministério da Saúde

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br


Foto: Divulgação / Instituto Ideas

O Hospital Materno-Infantil Santa Catarina (HMISC), localizado em Criciúma, comemorou nesta quarta-feira, 18, o nascimento do bebê de número dois mil. Daniel veio ao mundo por cesárea gemelar, às 13h13, pesando 2,270 quilos e com 44,7 centímetros. O irmão dele, Danilo, que nasceu dois minutos antes, tinha 2,158 quilos e 44 centímetros. Eles são filhos de Mariana Rodrigues e Gabriel da Silva, moradores de Balneário Rincão.

Os bebês e a mãe passam bem. Logo após o parto, os irmãos foram encaminhados para acompanhamento na UTI neonatal devido à prematuridade. A mãe estava com 33 semanas e dois dias de gestação.

O HMISC é administrado pelo Instituto de Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas) em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde. O primeiro bebê nascido na nova maternidade foi Esther Soares Peruqui, às 16h29min do dia 17 de dezembro de 2018. Pesava 3,092 quilos e media 47 centímetros. Laura Aguiar foi a milésima. Ela nasceu às 23h30min, de 9 de maio deste ano, de parto normal, com 49,5 centímetros e 3,4 quilos.

A nova maternidade foi inaugurada em 1º de dezembro de 2018 e é referência para nascimentos em Criciúma e região via Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente, a capacidade da unidade materno-infantil é de 300 partos mensais.

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br



A Semana Nacional de Trânsito começou nesta quarta-feira, 18 e vai até o dia 25 de setembro, com o tema No trânsito, dê sentido à vida. O foco principal da campanha é sensibilizar a sociedade e valorizar a vida daqueles que estão mais vulneráveis no trânsito: pedestres, ciclistas e motociclistas.

O slogan segue as diretrizes da Organização das Nações Unidas (ONU), instituída pela Década Mundial de Ação pela Segurança no Trânsito – 2011/2020: Seja você a mudança no trânsito, para a redução de 50% dos índices de mortalidade nas vias.

“É um período muito importante para uma necessária reflexão. Temos que evoluir na complexa questão do trânsito, que afeta segmentos distintos como saúde, educação, segurança e economia”, ressalta a diretora do Detran, Sandra Mara Pereira.

O Detran tem se preocupado com a segurança viária e apoiado as iniciativas que visam a educação e a conscientização no trânsito de todo o Estado. Por meio de parcerias com órgãos públicos e privados incentiva o respeito às regras de trânsito, à gentileza, à condução responsável e à preservação da vida. O objetivo do órgão é intensificar as ações educativas a partir do próximo ano.

Este ano, o Detran tem investido na modernização e na melhoria dos serviços oferecidos ao cidadão catarinense. Com o lançamento do Portal Digital, é possível solicitar a CNH Definitiva, a segunda via do documento, a Permissão Internacional para Dirigir.

Informações adicionais para imprensa
Janaina Guliato
Assessoria de Imprensa
Departamento Estadual de Trânsito de SC (Detran)
E-mail: imprensa@detran.sc.gov.br  
Fone: (48) 3664-1733
www.detran.sc.gov.br 

 


Fotos: Divulgação / Celesc

O presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, entregou nesta quarta-feira, 18, ao Asilo São Vicente de Paulo, em Criciúma, um cheque de R$ 155 mil referente às doações dos catarinenses que participaram da 5ª edição do projeto Bônus Eficiente, no primeiro semestre deste ano.

“O Asilo São Vicente de Paulo é a última instituição de Santa Catarina a receber um dos três cheques que, juntos, somam de R$ 465 mil doados pelas pessoas que adquiriram eletrodomésticos mais eficientes com 50% de desconto. Para a Celesc, que aqui também representa o Governo do Estado, é uma satisfação em ver que esse recurso vai ajudar no fluxo de caixa da entidade pelos próximos cinco meses”, afirma Cleicio.  

A instituição, que atualmente conta com 70 moradores, 46 colaboradores, tem um custo mensal de aproximadamente R$ 110 mil. “É uma doação muito importante em um momento que a gente mais precisa, por causa das despesas de fim de ano e 13º salários dos funcionários. A nossa instituição é deficitária e investir no custeio é a maior dificuldade. Esse dinheiro vem em boa hora, sendo assim, podemos comprar fraldas, leite e medicamentos, por exemplo”, comemora o presidente do Asilo, Zalmir Casagrande.

Casagrande ainda fez um pedido para quem quiser ajudar o Asilo, encontra mais informações no site www.asilosaovicentedepaulo.org.  “As pessoas que quiserem doar para o asilo, podem fazer via fatura de energia elétrica ou depósito bancário”, completou.

Projeto Bônus Eficiente

A 5ª edição do Projeto Bônus Eficiente, que integra o Programa de Eficiência Energética Aneel/Celesc, foi executada entre janeiro e maio de 2019. Com ele, são oferecidos equipamentos elétricos com 50% de desconto em relação ao preço de mercado na troca por um equipamento antigo e, na compra, os consumidores doam R$ 50 para entidades pré-selecionadas. 

Este ano foram arrecadados R$ 465 mil, montante que foi dividido igualmente entre três instituições que desenvolvem importantes projetos sociais:  a Associação de Síndrome de Down, a Associação Catarinense de Autismo e o Asilo São Vicente de Paulo.

Desde a sua primeira edição, em 2013, mais de 514 mil catarinenses já foram atendidos pela iniciativa. Com objetivo de reduzir o consumo de energia elétrica, na última edição do projeto foram substituídos 4.500 refrigeradores, 2.700 aparelhos de ar condicionado split e 2.300 freezers antigos por outros mais modernos e eficientes. Além disso, também foram trocadas 55 mil lâmpadas fluorescente por lâmpadas de LED. 

Ao longo dos anos, o Bônus Eficiente tem contribuído, efetivamente, para o combate ao desperdício de energia. Nas cinco edições realizadas, a Celesc estima que houve uma redução de 56 GWh na demanda anual, volume que corresponde ao consumo de cerca de 280 mil residências por um mês, dentro da área de concessão da Empresa.

Informações adicionais para a imprensa:
Heda Wenzel
Assessoria de imprensa Celesc
(48) 3231-5140 - assessoria de imprensa
(48) 99901-7767 - plantão para emergências


Foto: Divulgação / Nutriplus 

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), no Brasil, 54% da população está com sobrepeso. Entre as crianças menores de cinco anos, 7,3% registram peso acima do ideal. Para trabalhar hábitos alimentares saudáveis desde a infância, está sendo trabalho nas escolas da rede o projeto Todos Contra a Obesidade. 

No programa, os nutricionistas das empresas fornecedoras de alimentação escolar estadual, a Nutriplus e a Risotolândia, percorrem as unidades de ensino e discutem com os alunos sobre hábitos e alimentação saudável. O sedentarismo infantil é outro alerta, pois costuma ser a causa de sérios danos à saúde, que podem refletir na vida adulta.

“O combate ao sobrepeso passa pela introdução de hábitos alimentares saudáveis que são criados principalmente na infância, por isso, a SED oferece na alimentação escolar prioritariamente alimentos in natura, para formar esses hábitos e assim combater a obesidade” explica a gerente de Alimentação Escolar, nutricionista, Osanilda Melo.

No projeto ocorre a interação entre a nutricionista e o aluno, abordando temas voltados ao bem-estar para o crescimento, a aprendizagem e o rendimento escolar, como escolhas saudáveis dos alimentos, prática de atividade física e qualidade de vida, composição equilibrada da refeição, consumo consciente e importância do consumo de frutas, verduras e água.

Dicas dos nutricionistas

Entre as dicas repassadas, destacam-se a montagem do prato colorido, o consumo das frutas, a diversidade dos legumes e verduras, o descascar mais e desembalar menos e o consumo de alimentos menos processados.

“Os alunos aprendem muito pelo exemplo, por isso é importante a prática de exercícios físicos e a refeições saudáveis no ambiente escolar e familiar desde cedo. Os projetos de educação nutricional trazem mudanças nos seus hábitos que farão muita diferença agora e no futuro”, destaca o nutricionista e coordenador da Nutriplus em SC, Guilherme Barbieri.

“É muito importante que as crianças aprendam desde cedo a prestar atenção àquilo que estão comendo, além de serem estimuladas a fazer atividades físicas com frequência, porque estes hábitos continuarão a reverberar na vida adulta de todos, tornando-os pessoas mais conscientes de suas ações para ter um corpo saudável”, destaca a gerente de operações da Risotolândia em SC, Renata Maluly.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
Patrícia Antunes
(48) 3664-0347 / 988177973
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br 
www.sed.sc.gov.br 


Foto: Mauricio Vieira / Secom

O Governo de Santa Catarina e o Consórcio Intermunicipal Catarinense (Cimcatarina) assinaram, no início da tarde desta quarta-feira, 18, o primeiro convênio do Projeto Recuperar para manutenção de rodovias estaduais. O ato foi celebrado pelo governador Carlos Moisés, o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, o secretário adjunto da Infraestrutura, Thiago Vieira, o coordenador da Central de Atendimento aos Municípios, Gabriel Loeff, e o prefeito de Luzerna e presidente do Cimcatarina, Moisés Diersmann.

Esse é o maior consórcio intermunicipal que integra o programa em número de municípios e malha rodoviária. São 64 cidades, com 1.651,7 quilômetros de rodovias estaduais e uma população total de 764 mil habitantes. 

"Nós somos muito felizes em assinar o primeiro convênio com o Cimcatarina, tanto pela abrangência quanto pela experiência que eles têm com as compras, já com resultados muito positivos de economia. É um momento de vitória. Uma ideia que nasceu dentro do nosso governo, uma ideia municipalista", afirma Carlos Moisés. "Vamos empoderar as prefeituras para decidir as prioridades e atender melhor os cidadãos", acrescenta.

Mais de R$ 2,5 milhões por mês

Esse primeiro contrato destina R$ 12,8 milhões para o Cimcatarina (referentes a cinco meses de trabalho) apenas para os serviços de manutenção. O valor do investimento do Governo do Estado é superior a R$ 2,5 milhões por mês. Assinado o convênio, o Cimcatarina já poderá receber os recursos para iniciar os trabalhos. 

De acordo com o chefe da Casa Civil, os demais consórcios que aderiram ao Recuperar vão assinar os convênios em breve. "Esse é o modelo que mais vai trazer efetividade na recuperação da malha viária. Esse convênio simboliza muito bem a aproximação do Estado com os municípios. É algo pioneiro no Brasil, que, sem dúvida, vai servir de exemplo para o restante do país", acredita Douglas Borba.

Novo modelo já apresenta resultados

Conforme o prefeito de Luzerna, o modelo de compra adotado pelo Cimcatarina já trouxe resultados. O consórcio já lançou um edital de licitação com valor global de R$ 45 milhões, e alcançou uma economia de R$ 17 milhões. "Conseguimos uma redução de 48% a 50% em relação à tabela do Deinfra no que diz respeito à sinalização e 35% a 37% quanto à recuperação", relata Diersmann. 

Estão contemplados no Cimcatarina todos os membros das associações de municípios do Alto Irani (Amai), Meio Oeste Catarinense (Ammoc), Alto Vale do Rio do Peixe (Amarp), Noroeste Catarinense (Amnoroeste), Planalto Sul de Santa Catarina (Amplasc), além de parte dos municípios da associação do Nordeste de Santa Catarina (Amunesc) e da Grande Florianópolis (Granfpolis).


Imagem: Sal Santos / Secom

Projeto Recuperar

Já nesta primeira etapa do Projeto Recuperar, estão aptos a firmar convênios com o Governo 11 consórcios, que envolvem 18 associações de municípios. Ou seja, 201 cidades do Estado, com 4,2 mil quilômetros de malha rodoviária, já podem utilizar esse modelo de serviço. O total de investimentos com os 11 consórcios chega a R$ 7,4 milhões mensais. 

Com o Recuperar, o Governo projeta dobrar a aplicação de recursos com o serviço. A partir do ano que vem, a previsão é que o projeto receba R$ 120 milhões por ano, o que representa um crescimento de 124% em relação aos R$ 53,5 milhões aplicados em 2018.

Confira a relação de todos os municípios contemplados neste primeiro convênio:

Abdon Batista
Abelardo Luz
Água Doce
Águas Mornas
Anitápolis
Antônio Carlos
Arroio Trinta
Bom Jesus
Brunópolis
Caçador
Calmon
Campos Novos
Capinzal
Catanduvas
Celso Ramos
Coronel Martins
Entre Rios
Faxinal dos Guedes
Fraiburgo
Galvão
Garuva
Ibiam
Ibicaré
Iomerê
Ipuaçu
Irati
Itapoá
Joaçaba
Jupiá
Lacerdópolis
Lajeado Grande
Lebon Régis
Luzerna
Macieira
Major Gercino
Marema
Matos Costa
Monte Carlo
Nova Trento
Novo Horizonte
Ouro
Ouro Verde
Passos Maia
Pinheiro Preto
Ponte Serrada
Quilombo
Rancho Queimado
Rio das Antas
Rio Negrinho
Salto Veloso
São Bernardino
São Bonifácio
São Domingos
São Francisco do Sul
São Lourenço do Oeste
Tangará
Timbó Grande
Treze Tílias
Vargeão
Vargem
Videira
Xanxerê
Xaxim
Zortéa

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC