Fotos: Thiago Andrade/ ImetroSC

A Operação Posto Seguro deflagrada nesta terça-feira, 16, fiscalizou 30 postos de combustíveis em seis cidades do Estado. Destes, quatro foram autuados e tiveram bombas interditadas por abastecerem uma quantidade menor do que marcava, ou por estarem com o lacre Inmetro rompido. A operação foi formada por agentes do Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro), Polícia Civil, e Secretaria de Estado da Fazenda, além da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Os agentes percorreram postos em Florianópolis, São José, Itajaí, Joinville, Itapema e Porto Belo. O objetivo foi apurar a qualidade e a quantidade de combustíveis comercializados, além de verificar denúncias de fraudes fazendárias. Os proprietários dos locais notificados têm um prazo para regularizar a sua situação, sujeitos multas e até o fechamento do estabelecimento.

O presidente do Imetro, órgão vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), o subtenente Rudinei Floriano, realça a importância das fiscalizações para garantir a segurança dos usuários. “A Operação Posto Seguro será contínua, a fim de verificar e garantir a qualidade dos combustíveis, a integridade das bombas e as possíveis adulterações na composição dos produtos”, destaca Floriano.

O secretário da SDE, Lucas Esmeraldino, ressaltou que uma das atribuições do Imetro é fazer com que a sociedade tenha acesso a produtos de confiança. “Isso promove relações de comércio justas e incentiva a competitividade no Estado. As Operações são fruto de ações de inteligência em conjunto para reprimir e reduzir as irregularidades que prejudicam o consumidor'', frisou.

A ação coordenada pelo Imetro, em parceria com o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Delegacia Crimes contra a Fazenda (Defaz), envolveu mais de 100 agentes.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

 Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

Servidores de carreira em funções estratégicas da Secretaria de Estado da Saúde (SES), critérios técnicos na alocação de recursos públicos, redução da dívida e melhorias nos processos de compra são algumas das marcas implantadas pelo setor nos primeiros 200 dias de gestão. Apenas nos primeiros seis meses deste ano, as unidades da Saúde estadual realizaram mais de 1 milhão de atendimentos. Para debater os resultados já alcançados e projetar os próximos passos na melhoria do atendimento ao cidadão, a SES organizou um seminário nesta terça-feira, 16, em Florianópolis. 

O governador Carlos Moisés participou da abertura do seminário, parabenizou os servidores pelos resultados já alcançados e reiterou que as melhorias precisam continuar. “Nossos sistemas muitas vezes ficaram isolados. Sempre houve muita crítica quanto à transparência na saúde. Este foi um grande desafio, melhorar o controle e o acesso aos dados da saúde. Também temos avançado muito na melhoria das compras”, avaliou o governador. “Quero que as pessoas que estão sendo atendidas sintam o resultado disso tudo, que sintam uma melhoria real, com profissionais cumprindo horários, hospitais limpos, organizados, sem faltar insumos, sem filas”, projetou Moisés.

O seminário seguiu durante toda a tarde, com apresentações das diretorias e superintendências da Secretaria de Estado da Saúde. De acordo com o secretário, Helton de Souza Zeferino, o principal avanço nesses 200 dias foi a valorização dos servidores com experiência dentro do setor, que passaram a ocupar cargos de gestão. “Eles apresentaram várias ideias, apontaram situações que não eram conduzidas da melhor forma e nos ajudaram em processos vitoriosos, como a digitalização dos processos licitatórios”, mencionou o titular da pasta. “Estamos pensando no futuro, com uma política de investimentos bem desenhada, nos pilares da transparência, da eficiência e da produtividade. Seguiremos avançando. Melhorar sempre continua sendo a meta”, completou o secretário.

No período, conforme Zeferino, também houve maior agilidade na realização de cirurgias eletivas, R$ 200 milhões em dívidas quitadas e a passagem do gerenciamento do Fundo Estadual de Saúde à própria pasta, trazendo mais autonomia para o setor.

Números da saúde

Conforme balanço da Secretaria de Estado da Saúde, foram realizados mais de 1 milhão de atendimentos apenas nos primeiros seis meses de 2019. Os números se referem às cirurgias, atendimentos ambulatoriais ou de emergência, exames de imagem e internações. Os detalhes podem ser conferidos aqui.

Entre janeiro e junho foram realizadas 70 mil cirurgias nas unidades estaduais. O número de exames de imagem (raios X, ultrassonografia, entre outros) passou de 333 mil e as internações hospitalares somaram mais de 46 mil.

A SES ainda atendeu 281 mil pessoas em casos de emergências e registrou 31 mil atendimentos ambulatoriais. Além disso, foram registrados 9.202 nascimentos em unidades estaduais.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) registrou cerca de 170 mil ocorrências no primeiro semestre de 2019. A média total de atendimento de uma Unidade de Suporte Avançado é de menos de 15 minutos.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196

Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

 Fotos: Mauren Rigo/ Casa Civil

O prefeito de São Joaquim, Giovani Nunes, e a diretora-presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, assinaram na tarde desta segunda-feira, 15, o 37º contrato de programa da companhia. A continuidade de atuação da Casan no saneamento do município aconteceu no gabinete do chefe da Casa Civil, Douglas Borba. Baseado no Plano Municipal de Saneamento Básico, o contrato de programa estabelece ações a serem realizadas nos próximos 34 anos em São Joaquim, bem como define um cronograma de compromissos.  

Durante o encontro, a Casan também assinou com a prefeitura convênio de aproximadamente R$ 1,4 milhão para repavimentação de quatro ruas onde foram executadas obras de esgotamento sanitário. Nestas vias, também serão realizadas melhorias na rede de distribuição de água. A presidente Roberta Maas dos Anjos agradeceu a confiança do prefeito de São Joaquim e de sua equipe. “Acompanhamos pressões contrárias à assinatura do contrato, mas o prefeito sempre manteve o diálogo e esteve disposto a manter a parceria, confiante na qualidade dos serviços prestados pela Casan”, ressaltou a engenheira sanitarista, que desde fevereiro está à frente da presidência da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento.

“A assinatura desse contrato é um grande passo para São Joaquim, prevendo grandes investimentos no saneamento básico do município. Parte do repasse desse recurso já se inicia hoje, com este convênio para repavimentação de ruas importantes da cidade”, disse o prefeito Giovani Nunes, que também agradeceu ao chefe da agência local da Casan, Luiz Carlos do Amaral, pela atenção constante e trabalho de excelência de sua equipe. 

O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, ressaltou a relevância da assinatura para o município e o reconhecimento da nova gestão da Casan. “Esse é mais um momento com significado muito importante para que essa equipe possa prosseguir em sua gestão técnica, focada em resultados e na eficiência”, destacou.

Mais informações:
Arley Reis
Assessoria de Comunicação
Casan
Fone: (48) 3221-5034

 Foto: Julio Cavalheiro/ Arquivo Secom

As obras de duplicação da Rodovia Antônio Heil (SC-486), entre Itajaí e Brusque, já têm um novo plano de continuidade. Durante uma reunião realizada na tarde desta segunda-feira, 15, a empreiteira Compasa apresentou para os técnicos da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE) o cronograma de ações e já está se mobilizando para retomar os trabalhos nesta terça-feira, 16. Os serviços terão início com a implantação da sinalização na rodovia e também com a continuidade da execução da passarela localizada no quilômetro 3.

A Compasa faz parte do consórcio que venceu a licitação para execução da obra juntamente com a empresa Triunfo. A medida possibilita que o os recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) sejam utilizados para finalizar os serviços conforme o projeto original da obra.

Os serviços a serem executados preveem três interseções ao longo do trecho (quilômetros 2+100, 14+160 e 20+280) com ações de terraplenagem, drenagem, pavimentação e sinalização. Além disso, será retomada e conclusão da passarela do quilômetro 3+858, na Escola Monsenhor Vedelino Hobold.

De acordo com o Mapa do Portal da Transparência, a obra está cerca de 70% concluída e já foram executados R$ 186,6 milhões.

Informações adicionais à imprensa
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Infraestrutura
(48) 3664-2008

 


Foto: Detran / Divulgação 

Após ser implantado nas aulas práticas de direção veicular das categorias B, C, D e E, chegou a vez do sistema iBIO ser adotado também na categoria A. O processo compreende a identificação biométrica dos instrutores e candidatos durante a realização das aulas, nos cursos ministrados pelos Centros de Formação de Condutores (CFC), com o objetivo principal de certificar o cumprimento da carga horária exigida pela legislação e evitar possíveis tentativas de fraudes. O sistema será obrigatório a partir desta segunda-feira, 17, em Florianópolis e, 14 de agosto nos demais municípios do Estado.

No sistema iBio-Aula Prática categoria A, instalado no smartphone, há o controle digital de todas as aulas, por meio da confirmação dos dados do aluno; captura de fotografias do odômetro; digitação das quilometragens do veículo no início e no final da aula;  coleta da biometria do instrutor e do candidato no início, nos processos de fiscalização e no final da aula; além da atribuição de conceito ao desempenho demonstrado pelo candidato durante a aula ou bloco de aulas.

O diferencial dessa categoria, e que é contemplado pelo aplicativo, é a possibilidade do CFC usar um instrutor de trânsito para dois candidatos simultaneamente, devendo ser utilizado um veículo para cada candidato.

Todos os requisitos constantes em portaria devem ser preenchidos para que o crédito da aula ou bloco de aulas seja validado. O certificado será gerado eletronicamente pelo sistema DetranNet.

Informações adicionais para imprensa
Janaina Guliato
Assessoria de Imprensa
Departamento Estadual de Trânsito de SC (Detran)
E-mail: imprensa@detran.sc.gov.br  
Fone: (48) 3664-1733
www.detran.sc.gov.br 

 


Carne de frango foi a mais exportada, com aumento de 58,8% em relação ao nao passado - Foto: Cristiano Estrela / Secom

Maior produtor nacional de suínos e segundo maior produtor de aves do Brasil, Santa Catarina fecha o primeiro semestre com crescimento de 56% nas exportações de carnes. No acumulado do ano, o Estado embarcou mais de 929 mil toneladas de carne suína e de frango - 331,4 mil toneladas a mais do que no mesmo período de 2018. Os números são divulgados pelo Ministério da Economia e analisados pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).

A carne de frango segue como o principal produto da pauta de exportações de Santa Catarina, com 727,5 mil toneladas embarcadas este ano, 58,8% a mais do que no primeiro semestre de 2018. A alta se repete também no faturamento, as exportações do produto já geraram receitas que passam de US$ 1,25 bilhão ao Estado, uma alta de 60,5%.

“O ano de 2019 está sendo muito favorável para o agronegócio catarinense, principalmente para as exportações de carnes. O cenário mundial passa por grandes mudanças em função dos casos de peste suína africana na China e esse é um grande mercado para as carnes produzidas em Santa Catarina. Nós já temos um agronegócio consolidado, reconhecido pela qualidade dos nossos produtos. Nossas expectativas são de um ano com grandes conquistas”, ressalta o secretário da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa.

Os principais destinos para carne de frango são: Japão, China e Emirados Árabes. O bom momento da avicultura catarinense pode ser explicado pelo aumento significativo nos embarques ao longo do primeiro semestre para quase todos mercados para os quais SC exporta, sendo que a maioria deles ampliou em mais de 30% as compras do produto.

Suinocultura

O crescimento nas exportações vale também para a carne suína. No primeiro semestre foram 201,6 mil toneladas embarcadas, 44,5% a mais do que no mesmo período de 2018. Esse volume gerou um faturamento de US$ 392,5 milhões.

Em termos de quantidade, Santa Catarina respondeu por 58,7% das exportações brasileiras de carne suína. Os principais mercados para o produto catarinense são China, Hong Kong e Chile. A Rússia também voltou a ser um importante destino para a carne suína produzida no estado e já ocupa o quinto lugar no ranking das exportações.

Expectativas e influência do mercado externo

Segundo o analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), Alexandre Giehl, as perspectivas para as exportações deste ano são muito positivas, principalmente por conta dos efeitos causados pelos casos de peste suína africana na China e em outros países asiáticos. As estimativas são de que a produção chinesa de carne suína diminua em até 30%, o que levará a China a ampliar suas importações de proteínas de origem animal.

No primeiro semestre deste ano já se observam os reflexos disso: Santa Catarina exportou 74,3 mil toneladas de carne suína para a China, resultando em receitas US$ 156,4 milhões, um incremento de 50% em relação ao primeiro semestre de 2018.

“Mas não são apenas as exportações de carne suína que devem ser favorecidas pela crise da suinocultura chinesa. A avicultura também deve parte de seus bons resultados à ampliação das exportações para a China. No primeiro semestre, as exportações catarinenses de carne de frango para a China cresceram 56,7% em termos de valor, quando comparadas ao mesmo período de 2018”, explica.

Balanço de junho

Em junho, Santa Catarina embarcou 100,7 mil toneladas de carne de frango, um crescimento de 46,2% em comparação com o mesmo mês de 2018. O faturamento já passa de US$ 175,7 milhões, aumento de 53,4% em relação ao ano passado.

O desempenho das exportações de carne suína em junho também surpreendeu. As receitas geradas pelos embarques do produto foram 94,5% maiores que no ano anterior, chegando a US$ 72,6 milhões, com 34,5 mil toneladas vendidas para o mercado internacional.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/(48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC 


Imagem: Celesc 

Os primeiros dias de julho os catarinenses observaram queda brusca nas temperaturas ocasionada por uma massa de ar polar. Em períodos assim é comum que as pessoas adotem mudanças em seus hábitos diários que acabam impactando diretamente no consumo (e na fatura) de energia daquela Unidade Consumidora. Pensando nisso, a Celesc está promovendo uma campanha para conscientizar a população sobre seus hábitos de consumo em qualquer época do ano. 

Na maioria das residências, o uso demorado do chuveiro elétrico lidera o consumo de energia e pode representar um acréscimo 25% a 35% da despesa total com energia. “É importante lembrar que o uso do chuveiro no modo inverno demanda, em média, 30% a mais de energia que na posição verão”, explica Thiago Jeremias, gerente do Departamento de Eficiência Energética e P&D da Celesc.

Ele alerta que são gastos 45 litros de água a cada 5 minutos de banho e que, para não ter um aumento excessivo do consumo de energia durante o inverno, ele deve durar de cinco a oito minutos. “O ideal é que as pessoas programem seus banhos para horários em que a temperatura esteja mais elevada, como no fim da manhã ou início da tarde”, conclui.

Veja abaixo outras dicas da Celesc

Máquina de secar roupas - Dê preferência para secar as roupas ao ar livre, mas se os dias estão chuvosos e você precisa usar a secadora, para gastar menos energia você deve usá-la só depois de juntar a quantidade máxima indicada no manual e conservar seu filtro sempre limpo, reduzindo esforço da máquina e ajudando a diminuir o consumo de energia.

Geladeira - Seja no inverno ou no verão, o mau uso da geladeira pode ser um grande vilão na sua conta de energia. Para reduzir o consumo de energia do aparelho, ajuste o termostato de acordo com a época do ano, mantenha a borracha de vedação em bom estado, não deixe a porta aberta por muito tempo, não guarde alimentos quentes no seu interior e nem seque roupa na parte de trás.

Aquecedor - Nos dias frios, nada melhor que uma casa quentinha. Se para isso você usa aquecedores elétricos, é importante manter janelas e portas fechadas para evitar a entrada de ar frio, limpar os filtros com freqüência e desligar o aquecedor ou o ar condicionado quando se ausentar do ambiente por tempo prolongado. Cuidado! Nunca cubra um aquecedor elétrico, pois isso pode provocar um incêndio

Ferro de passar roupas - Para economizar energia ao passar as roupas você deve juntar o maior número de peças a fim de ligar o ferro o mínimo de vezes possível e começar a passar roupa pelos tecidos mais leves, aproveitando o calor do ferro para as roupas mais grossas.

Chuveiro elétrico - Para gastar menos energia durante o banho, a dica é procurar fazê-lo nos horários mais quentes do dia e evitar banhos demorados. Se o ajuste de temperatura do chuveiro for por meio de vareta, reduza a sua potência e solte menos água, pois isso fará com que a temperatura da água aumente e, consequentemente, economize energia e água. Verifique a possibilidade de instalar um sistema de aquecimento solar de água em sua residência. E lembre-se: nunca reaproveite uma resistência queimada! Além de aumentar o consumo de energia, essa atitude coloca em risco a segurança do usuário.

Informações adicionais para a imprensa:
Heda Wenzel
Assessoria de imprensa Celesc
(48) 3231.5140 - assessoria de imprensa
(48) 99901.7767 - plantão para emergências

 Fotos: Divulgação/ CBMSC

Mais um filhote de labrador começará a ser treinado para atuar em buscas e salvamento com o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC). A Moana já passou por uma seleção inédita: foi a primeira vez que o CBMSC atuou em parceria com uma comportamentalista canina para a escolha do cão. 

“Essa inovação é de extrema importância para a atividade catarinense, para um avanço no trabalho com cães no CBMSC, trazendo cada vez mais resultados nas buscas”, explica o coordenador da atividade cinotécnica da corporação, Tenente Coronel BM Walter Parizotto. Cinotecnia é a ciência responsável pelo estudo da fisiologia e psicologia dos cães e, no Corpo de Bombeiros, responde por todo o trabalho realizado com esses animais.

A cadelinha agora faz parte do 7º Batalhão Bombeiros Militar, com sede em Itajaí, e será a dupla inseparável do soldado BM Thiago Amorim. Além do novo tutor, esteve em São Paulo o sargento BM Evandro Amorim, que traz a experiência adquirida de anos de treinamento com o Ice, cão de busca aposentado do CBMSC. Hoje o animal atua com terapias visitando hospitais, além de auxiliar nos treinamentos da corporação, com outros cães.

“Ela vai seguir os passos do Ice, no 7º Batalhão, continuando o trabalho dele. Vamos nos dedicar muito para esse treinamento e tenho certeza que ela vai ajudar a população futuramente”, comemora o soldado Amorim.

A seleção ocorreu durante dois dias com a adestradora Sara Favinha, sócia da empresa “Tudo de Cão”. Foram realizados testes em 15 cães de duas ninhadas que estão com 50 dias de vida. 

“Os bombeiros são muito conectados aos cães, muito preocupados com o bem estar dos animais. Realmente é incrível observar o cuidado, a atenção, o carinho e o amor que eles têm por esses cães”, comenta Sara.

Sara é zootecnista, adestradora comportamentalista, trabalha com a seleção de cães, desde 2005, para Intervenções Assistidas e também seleciona animais de serviço para cadeirantes e crianças com autismo. O conhecimento da profissional aliado aos testes, levaram em conta a personalidade dos filhotes e a experiência do Corpo de Bombeiros Militar de SC, que possui a tradição no trabalho com os cães. 

“Os bombeiros fizeram questão de trocar comigo as experiências durante toda a avaliação, nós conversamos muito. Eu falava a característica dos cães e eles me deram também a visão deles. Foi uma experiência muito bacana e fico à disposição para auxiliar em futuras seleções”, comentou a profissional.

A escolha dos filhotes

A seleção para um novo cão de busca e salvamento, que não seja de uma cruza entre os animais da corporação, é bem detalhada e demanda atenção. Além das características dos animais, entra ainda em questão a genética.

“Mapeamos alguns estados e encontramos neste local um risco reduzido para o desenvolvimento de doenças genéticas que os labradores podem apresentar. Também levamos em conta o bem estar dos pais e o cuidado com os filhotes”, detalha o tenente-coronel Parizotto.

Além dos laudos negativos para as doenças, foram feitos testes com os filhotes, para verificarem as pré-disposições e o comportamento dos animais.  “O temperamento é algo que não muda com o condicionamento, então nós precisamos saber as características para que possa ser iniciado o treinamento, com os cães ainda jovens”, explica o sargento Amorim. “Por exemplo, para as nossas buscas não podemos ter um cão que apresente medo. E nessa fase, com 50 dias, já é possível analisar se o cão possui essa característica, que para nós é excludente”, complementa.

Os testes realizados pelos bombeiros militares, em parceria com a comportamentalista canina, foram feitos individualmente, em uma sala reservada, dando a oportunidade para o filhote se expressar, sendo assim avaliados e induzidos a expressar comportamentos necessários para um cão de busca, para então ser feita a leitura do perfil traçado para o CBMSC.

“Nós corríamos o risco de vir para São Paulo e nessas duas ninhadas não conseguirmos encontrar um cão com o perfil que o CBMSC precisa”, destaca o sargento.

Os resultados da Moana

“Ela é muito doce, extremamente conectada com pessoas e se mostrou muito equilibrada, em todos os momentos. A Moana respondeu muito bem a todas as propostas que foram apresentadas para ela, se movimentou bem, explorou os ambientes apresentados para ela, foi com todo mundo e demonstrou pouca sensibilidade a barulhos. Ela é o tipo de cão que pode se desenvolver de forma muito colaborativa com o tutor, já que é um cachorro que cria ligações, ela prefere brincar com pessoas do que com brinquedos e isso é muito relevante neste caso”, descreve Sara.

Por que Labrador Retriever?

Em Santa Catarina, a raça escolhida para atuação com busca e resgate é o Labrador. As grandes características destes animais são a docilidade, a capacidade de aprendizado e a obediência. Muito ativos e brincalhões, possuem um olfato apurado e são extremamente adaptáveis.

“Os Labradores são cães que respondem às nossas necessidades, por gostarem muito de água, de pessoas, não se melindram em andar na lama. São cães rústicos, muito brincalhões e que se adaptam aos nossos salvamentos. E não é qualquer cão que tem essa possibilidade”, explica o sargento.


A casa da Moana

Assim como todos os cães de busca do CBMSC, que vivem com seus tutores, a Moana agora convive diretamente com o soldado Amorim, na casa dele. Já em Itajaí, a cadelinha chegou mostrando quem é a dona do novo quintal. Cheia de energia ela correu atrás dos cães mais velhos, o Ice, Labrador já conhecido da corporação e o Maui, Border Collie da família. Em poucos dias a nova moradora conquistou todo mundo. “Eu só tenho a agradecer a todos que apoiaram essa jornada para chegar até aqui”, exclama o soldado.

 
Informações à imprensa
Melina Cauduro 
Assessoria de Imprensa CBMSC
(48) 9 8843-4427

Centro de Comunicação Social
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina

 Fotos: Julio Cavalheiro/ Secom

Os alunos do ensino fundamental em Santa Catarina terão mais segurança, conforto e acessibilidade durante o trajeto para a escola. O Ministério da Educação (MEC) entregou na manhã desta segunda-feira, 15, 74 novos micro-ônibus escolares ao Governo do Estado, que repassará os veículos a 64 municípios catarinenses. Outros 42 já estão em fase de emplacamento e serão entregues até 31 de agosto, beneficiando 93 cidades ao todo. Os 116 veículos representam uma renovação de 46% da frota.

:: VEJA GALERIA DE FOTOS

O ato de entrega foi realizado no hangar da Base Aérea de Florianópolis, com a presença do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (representando o presidente da República, Jair Bolsonaro), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, o governador Carlos Moisés, o secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, além de outros secretários estaduais e municipais, prefeitos e autoridades.

"O Governo do Estado quer atender a todos os municípios. Precisamos nos preocupar com aqueles que não se desenvolveram. Sem educação, não chegamos a lugar algum, e não é possível ter uma boa educação sem um transporte adequado, uma boa merenda", afirmou o governador. 

De acordo com Moisés, o Estado também atua para aliar o ensino à realidade do mercado, reduzindo a distância entre a teoria e a prática. Ele ainda agradeceu aos deputados federais pelo empenho em viabilizar a emenda que garantiu os recursos para a compra dos ônibus. 

O ministro da Educação também parabenizou o empenho dos catarinenses por escolher, na avaliação dele, pessoas que contribuem para o desenvolvimento do Brasil. "São 116 ônibus, 93 municípios, que podem mudar muito o dia a dia das crianças. Graças a pessoas como os catarinenses, vamos mudar o país, dando maior importância à educação básica, à primeira infância. Santa Catarina está sendo ponta de lança desse processo que está mudando o Brasil", afirmou o ministro.

A entrega dos ônibus faz parte do programa Caminhos da Escola. O investimento para a compra dos 116 veículos foi de R$ 22 milhões, com recursos do Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação (FNDE), provenientes de emenda da bancada parlamentar catarinense. Cada micro-ônibus tem capacidade para 29 alunos e acessibilidade total. A manutenção dos veículos caberá aos municípios beneficiados.

“Para mensurar a importância desta entrega, ressaltamos que, entre 2011 e 2016, Santa Catarina adquiriu 252 ônibus escolares. Já esta aquisição, contratada em fevereiro de 2019, representa um aumento de 46% da frota. No início da gestão, fomos procurados pelo Fórum Parlamentar Catarinense para retomar o processo, que aguardava uma resolução desde 2017. Realizamos um mutirão para regularizar os documentos e participar da ata de registro de preços do FNDE. Hoje podemos celebrar hoje esta conquista para a Educação em Santa Catarina”, destacou Uggioni.

Transporte com segurança

A notícia dos novos ônibus deu tranquilidade a muitos pais do interior catarinense. Eloir e Clarice Lima, pais de Maike e Rafael Siqueira Lima, de 12 e nove anos, alunos de Campo Belo do Sul, sabem que, agora, os filhos terão acesso à educação com muito mais segurança. "São 28 quilômetros até a escola e era comum que o ônibus quebrasse e os alunos ficassem a pé ou dependendo de carona de conhecidos. A mãe ficava ansiosa à espera deles. Agora isso não vai mais acontecer. Estamos mais tranquilos", avaliou o pai.

A entrega simbólica das chaves foi feita pelos dois ministros a Moisés, durante o ato na Base Aérea de Florianópolis, com a presença dos estudantes Maike e Rafael.

Eloir e Clarice Lima, pais de Maike e Rafael Siqueira Lima, alunos de Campo Belo do Sul

De acordo com o ministro Onix Lorenzoni, priorizar o ensino básico e a primeira infância é um dos princípios do Governo Federal para a educação. A entrega dos ônibus vai contribuir com o objetivo de melhorar a qualidade do ensino. "Santa Catarina tem municípios onde muitos quilômetros são percorridos diariamente para ter acesso às escolas", lembrou. "Com fé, trabalho e humildade, vamos mudar o Brasil. Temos um imenso desafio a vencer", acrescentou.

Atenção aos municípios de baixo IDH

O Governo do Estado prepara as próximas medidas para a continuidade de melhoria do ensino e renovação da frota do transporte escolar em Santa Catarina. Um novo projeto protocolado junto ao FNDE pleiteia a captação de recursos para a aquisição de mais 200 ônibus escolares, destinados às 50 cidades com o mais baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado. De acordo com Moisés, a expectativa é também investir para qualificar os professores nessas localidades. 

"Esse é um projeto novo, orçado em R$ 500 milhões, que está em estudo no MEC. Nosso objetivo é melhorar as condições do professor e dar mais oportunidade nas cidades de baixo IDH, com novos laboratórios e estrutura que integre o aluno", afirmou Moisés.

LISTA DE MUNICÍPIOS E ÔNIBUS ENTREGUES

Município Quantidade
Abdon Batista 1
Abelardo Luz 1
Aguás Frias 1
Anita Garibaldi 2
Apiúna 1
Balneário Arrio do Silva 1
Balneário Barra do Sul 1
Balneário Camboriú 1
Biguaçu 1
Calmon 1
Camboriú 1
Campo Belo do Sul 1
Campo Erê 2
Campos Novos 1
Chapadão do Lageado 1
Chapecó 1
Coronel Freitas 1
Dona Emma 1
Gaspar 1
Governador Celso Ramos 1
Gravatal 1
Guarujá do Sul 1
Imbituba 1
Ituporanga 2
Jacinto Machado 2
Lages 1
Luiz Alves 2
Macieira 1
Major Gercino 1
Massaranduba 1
Matos Costa 1
Mondaí 1
Monte Carlo 1
Monte Castelo 1
Morro da Fumaça 1
Nova Erechim 1
Orleans 1
Otacilio Costa 2
Ouro 1
Painel 1
Passo de Torres 1
Passos Maia 2
Paulo Lopes 1
Ponte Alta 1
Ponte Serrada 1
Porto Belo 1
Pouso Redondo 1
Presidente Nereu 1
Rio do Campo 1
Rodeio 1
Salete 1
Santa Terezinha 1
São Bernardino 1
São João Batista 3
São João do Itaperiú 1
São João do Sul 1
São Joaquim 1
São José 1
Seara 1
Siderópolis 1
Tjucas 1
Treviso 1
Vidal Ramos 1
Witmarsum 2

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Foto: Antonio Prado/Fesporte

As mais de 250 lutas ficarão para a história do esporte de Santa Catarina, pois o estado sediou neste sábado, dia 13, em Canasvieiras, Florianópolis, o tão aguardado 1º Brasileiro de Jiu-Jitsu Paradesportivo. O evento envolveu 117 atletas com deficiências física, intelectual e visual de todas unidades federativas do país, além da participação de três angolanos e uma argentina. 

Durante as lutas, por traz das medalhas e subidas ao pódio, o que se viu foram momentos de superação. Histórias como a da paraense Maria do Carmo Paixão Teixeira, 47 anos, conhecida no meio do jiu-jitsu como "Carmem Casca Grossa", que viajou mais de três mil quilômetros de Belém até Santa Catarina para disputar a competição: “Esse evento é maravilhoso, pois permite que lutemos com atletas com as mesmas deficiências que a nossa. É uma grande oportunidade de inclusão”, disse Carmem.

A atleta vive como amputada da perna direita há sete meses e este evento em Santa Catarina é o primeiro que compete nesta condição. E logo de cara foi campeã ao vencer na final a atleta paulista Mirna Melo na classe K.

A amputação de Carmem ocorreu devido a uma infecção no pé direito. “Em outubro de 2018 acompanhei Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Belém, descalça na corda de promessas para pagar uma promessa que fiz para minha mãe que estava com câncer. Uma pedra entrou no meu pé, causou uma infecção e tive que amputar a perna”.

Assim como Carmem, os atletas deram show de participação e superação no Hotel Canasvieiras Internacional durante o 1º Brasileiro de Jiu-Jitsu Paradesportivo. Um deles foi Dione Luiz da Cruz, de Içara, cego há cinco anos, após um acidente de trânsito. Ele, que tem como guia o filho, João Vitor, de 13 anos, diz que jiu-jitsu paradesportivo e o atletismo lhe trouxeram de volta a alegria de viver.

“Quando fiquei cego entrei em depressão e cai no alcoolismo, já que era jogador de futebol e o esporte era a minha vida. Mas graças a Deus conheci o jiu-jtsu paradesportivo e voltei a sorrir”, afirma Cruz.

O 1º Brasileiro de Jiu-Jitsu Paradesportivo é uma realização da parceria entre do Governo do Estado de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, Federação Brasileira de Jiu-Jitsu Paradesportivo (FBJJP), Prefeitura de Florianópolis e Sumus.

Durante a competição várias autoridades esportivas tiveram presentes, entre as quais, Rui Godinho, presidente da Fesporte, e Elcyrlei Luz da Silva, presidente da Federação Brasileira de Jiu-Jitsu Paradesportivo.

Um aspecto bastante elogiado pelos competidores foi a inclusão da medalha com inscrição em braile e o pódio adaptado, que permite que o atleta com deficiência sua ao pódio. As duas medidas foram introduzidas pela Fesporte.

“Este pódio está aprovadíssimo. Parabenizo quem teve a ideia, pois isso nos dá total independência”, diz o atleta cadeirante Alex Alves, de São Paulo. “Nunca tinha visto um pódio adaptado em nenhuma competição do Brasil e essa medalha com inscrição em braile foi uma iniciativa nota dez, pois mostra respeito aos deficientes”, concluiu o atleta cego Rafael Brito, do Rio de Janeiro.

Informações adicionais para a imprensa:
Antônio Prado
Assessoria de Imprensa
Fundação Catarinense de Esporte - Fesporte
Fone: (48) 3665-6126/ 9 9949-5255
E-mail: prado@fesporte.sc.gov.br
Site: www.fesporte.sc.gov.br