Nova loja da Celesc em Florianópolis. Foto: Heda Wenzel / Celesc

Os clientes da Celesc em Florianópolis serão atendidos em novo espaço a partir desta quarta-feira, 27. Localizado junto ao prédio da Administração Central, na Av. Itamarati, 160, bairro Itacorubi, o ambiente oferece mais conforto, é de fácil acesso para quem utiliza o sistema de transporte público, conta com estacionamento no entorno e possui agência bancária.

A nova loja abre na quarta, mas em função das mudanças, nesta segunda e terça-feira, 25 e 26, a loja no endereço antigo, na Rua Saldanha Marinho, 374, Centro, já estará fechada. Nesses dois dias, os clientes interessados em atendimento presencial deverão se dirigir às lojas mais próximas, em São José, Palhoça e Biguaçu.

Atualmente, o município de Florianópolis conta com 249.324 mil Unidades Consumidoras (UCs) ativas e são realizados, em média, 4,5 mil atendimentos mensais na loja da Celesc na cidade. O imóvel próprio representará para a empresa uma economia de quase R$ 340 mil por ano com aluguel.

Os serviços comerciais da Celesc também estão disponíveis em www.celesc.com.br; no telefone 0800 48 0120,e no Aplicativo Celesc, disponível em IOS e Android.

Investimentos na qualidade do atendimento

No intuito de estreitar e melhorar a relação com seus clientes, a Celesc vem realizando investimentos para além das lojas físicas que, atualmente, respondem por 20% dos atendimentos prestados. Por isso, a empresa oferece opções virtuais como a Agência Web, com acesso a mais de 20 serviços e por onde foram registrados mais de 45% dos atendimentos realizados entre 2018 e 2019, o App Celesc (disponível para os sistemas iOS e Android) e até um sistema de vídeo-atendimento disponibilizado nas lojas com maior movimento.

Além disso, a Celesc também utiliza mensagens via SMS para informar sobre falta e retorno de energia elétrica, avisos de desligamentos programados e faturamento final. Outra forma de contatar a empresa é nos telefones 0800 48 0196 (para casos de emergência), 0800 48 0120 (para questões comerciais), 0800 48 3232 (para ouvidoria) e 0800 6464050 (para acesso de deficientes auditivos).

Mais informações para a imprensa:
Heda Wenzel
Agência Comunicaz a serviço da Celesc
Fone: (48) 3231-5140 
Twitter.com/CelescInforma
Confira a situação em tempo real no estado: celgeoweb.celesc.com.br

 

 Fotos: Maurício Vieira/Secom

As emergências climáticas e os bons exemplos para promover o avanço econômico, social e ecológico foram temas de debate no I Green Summit 2019, que ocorreu em Florianópolis, nesta sexta-feira, 22. O evento, pioneiro no estado, em uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico  Sustentável  (SDE) por meio da Secretaria Executiva do Meio Ambiente (SEMA), reuniu atores do ecossistema ambiental para uma discussão ampliada sobre soluções, agregando inovação e integração entre governo, universidade e setor empresarial, visando desenvolvimento sem prejuízos ao meio ambiente.

“Nosso intuito é estabelecer conexões e levantar questões relevantes para o desenvolvimento sustentável e, com isso, fomentar políticas públicas para que possam ser colocadas em prática. A integração é peça chave para o equilíbrio e o crescimento aliado à preservação”, destacou o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, durante a abertura do evento.

O secretário de administração, Jorge Eduardo Tasca, destacou a importância da iniciativa do debate sustentável para Santa Catarina: “Transparência, Integridade, agilidade, qualidade, eficiência, simplicidade e inovação. Estas são as diretrizes do Governo de Santa Catarina. Portanto, neste evento, a associação da inovação com o tema meio ambiente representa que o direcionamento estratégico que o Governador Moisés deu ao seu governo está sendo colocado na prática”.

“Agregar as questões de biodiversidade e desenvolvimento de negócios nos faz perceber que existem interesses em comum que convergem, mas que precisam ser tratados de forma inteligente, com apoio de políticas públicas e de forma republicana e que possam resultar em entregas para a população”, avalia o secretário da SEMA, Felipe Assunção Alencar.

 I Green Summit

Alertas

Integrante dos conselhos do Instituto Life (presidente), do Funbio, do Forest Trends (EUA), de O Eco (site de notícias ambientais), da Fundação Neotrópica do Brasil e do Instituto SOS Pantanal, o professor Miguel Milano, doutor em ciências florestais, levou ao debate toda sua expertise sobre os desafios da sustentabilidade no contexto político global e brasileiro.

"Temos que pensar no desenvolvimento das cidades com sustentabilidade. Temos que desenvolver as cidades de forma que sejam resilientes para que sejam capazes de suportar as mudanças climáticas que estão por vir. Temperaturas muito mais altas e chuvas mais intensas, por exemplo. Isso vai impor um conjunto de ações importantes e uma mudança de comportamento, também", disse.

Pela internet, Michael Jenkins, presidente fundador e CEO da Forest Trends, participou do evento, diretamente Washington DC, de onde falou sobre as importância das infraestruturas verdes nas políticas públicas, soluções de mercado e sobre a perda de biodiversidade. “Em virtude dos incêndios ocorridos neste ano, o Brasil não está com uma boa imagem no cenário global. Realidade diferente de Santa Catarina, onde se vê muito interesse do setor público e privado nas questões com o meio ambiente”, exemplificou.

O diretor da Permian Global Serviços Ambientais, empresa que atua no mercado de carbono e florestas, Fábio Olmos, alertou sobre as mudanças climáticas: “Estamos caminhando para o aumento de até 4ºC na temperatura até o final do século. Alterações como o degelo do Ártico estão se acelerando”.

 Miguel Milano 

Impactos positivos

Francisca Gomes Vieira, representante do grupo Natural Cotton Color (NCC), usou sua experiência para expor sobre moda sustentável e contou o processo de criação de peças feitas com um novo tecido, em desenvolvimento industrial. Feito com fibras naturalmente coloridas, em uma variação entre o marrom e o rubi, fruto de uma parceria com o SENAI, iniciada em 2013. “Hoje estamos em todos os salões de moda de todo o Brasil”, frisou.

A diretora executiva do Grupo Boticário, Malu Nunes, reforçou a importância de fomentar e estruturar negócios de impacto: "Não faz mais sentido investir só pensando no lucro, mas em negócios que causem impactos positivos tanto na sociedade quanto em biodiversidade. Santa Catarina tem muito potencial, precisa estimular bons projetos".

 Francisca Gomes 

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

 Foto: Luiz Schmitt/Secom

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) aplica até as 19h30 deste domingo, 24, as provas do Vestibular de Verão 2020 em nove cidades catarinenses - Florianópolis, Lages, Laguna, São Bento do Sul, Joinville, Chapecó, Ibirama, Balneário Camboriú e Balneário Barra do Sul. Dos 8.054 candidatos inscritos para 1.425 vagas de 52 cursos de graduação gratuitos, 1.335 não compareceram aos locais de prova, o que gerou um índice de abstenção de 16,58%.

A seleção, realizada das 9h às 12h30 e das 15h às 19h30, tem 100 questões de múltipla escolha e uma redação. Pela manhã, os candidatos responderam 50 questões, sendo 14 de Biologia, 14 de Matemática, 14 de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira e oito de língua estrangeira (Inglês ou Espanhol). No período da tarde, a redação sobre atualidades, conhecimentos gerais e obras literárias exigidas no edital, além de mais 50 questões: 14 de Física, 14 de Química, 11 de História e 11 de Geografia.

Gabarito, resultado e matrícula

O caderno da prova objetiva e o gabarito preliminar serão divulgados até as 21h de domingo. Além desse exame geral, o Vestibular de Verão já teve prova prática de Música, gravada e enviada pelos candidatos em outubro, e realizará a de Teatro em 5 de dezembro, em Florianópolis.

A lista dos aprovados de todos os cursos sairá até 10 de dezembro. Quem for convocado na primeira chamada fará matrícula em 6 e 7 de fevereiro e terá aulas a partir de 17 de fevereiro. Veja o Calendário Acadêmico 2020.

Nove cidades com prova

O Vestibular de Verão da Udesc ocorre nas seguintes cidades:

  • Balneário Barra do Sul: Escola Manoel Henrique Borges;
  • Balneário Camboriú: Campus da Udesc (Cesfi) e Escola Ruizélio Cabral;
  • Chapecó: Colégio Bom Pastor;
  • Florianópolis: Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc) - CCE, CCJ, CCS, CSE e CTC;
  • Ibirama: Escola Eliseu Guilherme;
  • Joinville: Campus da Udesc (CCT);
  • Lages: Campus da Udesc (CAV);
  • Laguna: Campus da Udesc (Ceres);
  • São Bento do Sul: Escola Urbana São Bento.


Sistema de cotas

O número de vagas do vestibular representa 75% do total do próximo semestre, pois as demais serão preenchidas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019, exceto nos cursos de Música e Teatro.

A Udesc manterá o sistema de cotas pelo Programa de Ações Afirmativas. Das vagas de cada curso, 30% estão reservadas: 20% para candidatos com todo o ensino médio na rede pública e 10% para candidatos negros.

Cursos mais procurados

Na relação geral do Vestibular de Verão 2020, os três cursos mais procurados são: Fisioterapia, em Florianópolis (Cefid), com 32,26 candidatos por vaga; Medicina Veterinária, em Lages (CAV), com 26,70; e Design Gráfico, em Florianópolis (Ceart), com 26,67. 

Na categoria dos não optantes de cota, a lista ficou assim: Fisioterapia (27,80), Design Gráfico (27,50) e Medicina Veterinária (24,40). Esses três cursos também foram os mais escolhidos pelos candidatos com todo o ensino médio na rede pública, na seguinte ordem: Fisioterapia (55,20), Medicina Veterinária (46,20) e Design Gráfico (38). 

Entre os candidatos negros, a maior procura é por estes cursos de Florianópolis: Fisioterapia, com 11 por vaga; Bacharelado em Educação Física (Cefid), com 8,50;  e Administração (Esag, período noturno), com 6 candidatos por vagas.

Mais informações

Mais informações podem ser obtidas na página oficial e com a Coordenadoria de Vestibulares e Concursos (Covest) pelos telefones (48) 3664-8089 e 8091, das 13h às 19h, e pelo e-mail vestiba@udesc.br.

Mais informações para a imprensa:
Luiz Eduardo Schmitt
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-8006/8010

 Fotos: Maurício Vieira/Secom

Cerca de 200 pessoas, entre deficientes visuais, representantes de instituições especializadas no atendimento a este público e entidades atuantes em áreas relacionadas à temática em Santa Catarina, se reuniram para discutir, avaliar e elaborar políticas públicas para o segmento. O evento, realizado nos dias 21 e 22 no Hotel Cambirela, em Florianópolis, foi promovido pela Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE).

Apresentações culturais marcaram a cerimônia de abertura, com exibição do grupo de dança da Associação Catarinense para Integração do Cego (ACIC) de Florianópolis; do musicista Élder Luiz Ruas, profissional da Associação Camponovense de Apoio aos Deficientes Auditivos e Visuais (ACADAV) de Campos Novos; e também da pedagoga e musicista da FCEE, Juliana Buratto. 

A palestra de abertura, com o tema “Modelo Biopsicossocial com ênfase na Deficiência Visual”, foi ministrada por Moisés Bauer Luiz, assessor jurídico do Ministério Público do Rio Grande do Sul e presidente do Comitê Brasileiro das Organizações Representativas de Pessoas com Deficiência (CRPD). Na apresentação, Bauer Luiz narrou sua trajetória pessoal na educação e explanou sobre o modelo de avaliação das deficiências biopsicossocial, baseado no conceito de deficiência da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, adotada pela ONU em 2006, abordando também o instrumento único de avaliação das deficiências em desenvolvimento pelo Governo Federal.  

O presidente da FCEE, Rubens Feijó, destacou o pioneirismo da conferência no estado e a relevância das proposições discutidas. “Os deficientes visuais em Santa Catarina foram ouvidos e os encaminhamentos do evento serão muito importantes para esse segmento da população”, afirmou, destacando o êxito do encontro. Cerca de 50 instituições especializadas, associações e conselhos municipais provenientes de todas as regiões do estado marcaram presença, representando os mais de 190 mil deficientes visuais de Santa Catarina.  

Já o presidente da Federação Catarinense de Entidades de e para cegos (FECEC), Jairton Fabeni Domingos, parabenizou a organização do evento pela ótima recepção e apoio ao segmento. “Há muito tempo esperávamos por uma Conferência deste nível na área da Deficiência Visual e estamos muito satisfeitos”, afirmou Domingos.

A coordenadora da Comissão Organizadora da Conferência, Juliana Buratto, afirmou que um dos destaques do evento foi a participação das pessoas com deficiência visual em todos os momentos, incluindo o planejamento e a estruturação das discussões. Buratto também destacou que a pioneira proposta do evento será expandida, de modo que outras unidades federativas organizem conferências estaduais e ajudem a construir um documento nacional com propostas de políticas públicas ao segmento.

No segundo dia do evento, as discussões foram divididas nos eixos temáticos: Prevenção e Saúde; Inclusão Socioprofissional; Educação e Tecnologia; Acessibilidade; Financiamento, Parcerias e Projetos. Após as votações de proposições divididas por eixos, uma Plenária proporcionou a votação das emendas, encaminhamentos e definições que irão compor o “Relatório Final da I Conferência Estadual em Deficiência Visual” e a “Carta Compromisso Adílson Ventura”. Ambos documentos servirão de base para o trabalho de uma comissão, eleita com objetivo de dar continuidade às ações necessárias para implementar as políticas públicas de inclusão na área da deficiência visual. 

 Coordenadora da Comissão Organizadora da Conferência, Juliana Buratto


Informações adicionais para a imprensa:
Aline Buaes
Assessoria de Imprensa 
Fundação Catarinense de Educação Especial - FCCE
E-mail: imprensa@fcee.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4943 / 99115-8918
Site: www.fcee.sc.gov.br

 

 Foto: Antonio Prado/Fesporte

Valeu a pena esperar. Foi inaugurada oficialmente nesta sexta-feira, 22, a pista sintética de atletismo de Timbó. Com 400 metros de extensão (dimensões oficiais), a nova estrutura já começou a ser usada nas disputas da modalidade dos Jogos Escolares da Juventude (JEJ), evento organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil, no Vale do Itajaí.

A nova pista foi aprovada por treinadores e atletas. A estrutura, segundo os envolvidos nos Jogos, não fica devendo em nada em comparação com as melhores do Brasil. A obra custou R$ 1.277.291,81, em investimento do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte e a Fundação Municipal de Esportes (FME) de Timbó.

Na cerimônia de entrega da pista, antes das competições dos JEJ, estiveram presentes o gerente de Esporte de Base e Inclusão da Fesporte - ex-atleta com participação em três olimpíadas, Sérgio Galdino; os marchadores olímpicos timboenses Alessandro Bágio e Alessandra Picagevicz; além do prefeito de Timbó, Jorge Kruger, e o presidente da FME municipal, Márcio Elisio.

Em suas palavras Galdino agradeceu ao presidente da Fesporte, Rui Godinho, e ao governador Carlos Moisés pelo empenho para tornar uma antiga demanda da região em realidade. “Esta pista em Timbó será um dos grandes legados que o evento deixará para a comunidade local. Eu, o Bágio e a Alessandra fomos atletas olímpicos, frutos dos Jogos Escolares e esta pista será importante para revelar novos atletas. Era um sonho de todos, que hoje torna-se realidade”, destacou Galdino.

As disputas do atletismo prosseguem até segunda-feira, dia 25. Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), com apoio da Prefeitura Municipal de Blumenau e do Governo do Estado de Santa Catarina por intermédio da Fesporte.

Informações adicionais para a imprensa
Antônio Prado
Assessoria de Imprensa 
Fundação Catarinense de Esporte - Fesporte
Fone: (48) 3665-6126/ (48) 99949-5255
E-mail: prado@fesporte.sc.gov.br
Site: www.fesporte.sc.gov.br

 


Foto: James Tavares / Arquivo / Secom

Eliminar os criadouros do mosquito é o principal objetivo do Dia D de mobilização contra o Aedes aegypti em Santa Catarina, que será neste sábado, 23. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) reforça que os cuidados básicos para a prevenção das três doenças dengue, zika e febre de chikungunya, começa dentro de casa.

“É importante promover a limpeza de calhas, de piscinas, e de outros locais que possam acumular água, além de descartar corretamente o lixo”, afirma João Fuck, gerente de zoonoses da Dive.

Outro ponto importante: essa limpeza precisa ocorrer, pelo menos, uma vez por semana, isso porque os ovos do mosquito se transformam em adultos em aproximadamente sete dias. “Ao eliminar depósitos e recipientes que possam acumular água, ajudamos a evitar a proliferação do mosquito”, ressalta.

Situação de Santa Catarina

Até o dia 9 de novembro, foram registrados 25.747 focos do mosquito Aedes aegypti. Eles estão concentrados em 184 municípios, dos quais 94 são considerados infestados. O Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), realizado em novembro, indica que 11 municípios apresentam alto risco de transmissão de dengue, zika e febre de chikungunya; 39 apresentam médio risco e 44 apresentam baixo risco de transmissão das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, conforme dados divulgados nesta quinta-feira, 21, no Boletim.

Até essa mesma data foram confirmados 1.898 casos dengue, desses, 1.689 são autóctones, 141 importados, 54 indeterminados (sem a definição do Local Provável de Infecção - LPI) e 14 em investigação de LPI.

Ações conjuntas e coordenadas entre diversos setores são fundamentais para o controle do mosquito Aedes aegypti no estado. “As ações precisam se estender ao longo do ano. Cada um fazendo a sua parte para garantir saúde para todos”, finaliza Maria Teresa Agostini, diretora da Dive/SC.

Informações adicionais para a imprensa:
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br

 Foto: James Tavares/Arquivo/Secom

No dia 25 de novembro, comemora-se em todo o país o Dia Nacional do Doador de Sangue. Para celebrar a data, homenagear e agradecer às pessoas que dedicam parte de seu tempo  de forma voluntária para salvar vidas, o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) preparou uma semana especial. Neste ano, o tema da campanha no estado será “Quando você doa sangue, a esperança cresce”.

A data foi instituída em junho de 1964, por meio do decreto Lei nº 53.988. Foi escolhida também por marcar o dia da fundação da Associação Brasileira de Doadores Voluntários de Sangue (ADVS). Na programação estão previstas comemorações durante toda a semana de 25 a 29 de novembro pelos sete hemocentros da rede Hemosc, localizados em Florianópolis, Lages, Joinville, Criciúma e Joaçaba, e pelas duas Unidades de Coleta, situadas em Tubarão e Jaraguá do Sul. 

Durante o período, as instituições estarão decoradas para receber os heróis anônimos e entregarem uma singela lembrança. Além disso, simbolizando o carinho e reconhecimento, será servido um lanche especial aos doadores.

Doações 

Apenas no primeiro semestre de 2019, o Hemosc registrou 64.069 doações de sangue que geraram 90.682 transfusões em Santa Catarina. No ano de 2018, foram registrados  150.440 candidatos à doação.

Informações:

- Florianópolis (48) 3251-9811
- Lages – (49) 3289 - 7011
- Joaçaba – (49) 3527 - 2219
- Chapecó – (49) 3700-6411
- Criciúma – (48) 3444 - 7414
- Blumenau – (47) 3222 - 9800
- Joinville – (47) 3481 - 7413
- Tubarão – (48) 3621 - 2405
- Jaraguá do Sul – (47) 3055 - 0454


Foto: Mauricio Vieira / Secom

Santa Catarina está com 80,3% dos pontos do Litoral analisados próprios para banho. A informação foi divulgada nesta sexta-feira, 22, e é referente às coleta feitas de 18 a 21 de novembro. 

>>> Confira todos os pontos analisados

Em Florianópolis, dos 85 locais onde há coleta, 66 estão próprios para banho, o que representa 77,6%. No restante do Litoral, de 144 pontos monitorados, em 118 tiveram resultado positivo. Com relação ao relatório anterior, cinco pontos passaram da condição de próprio para impróprio e 10 de impróprio para próprio, entre eles dois pontos na Praia de Barra Velha, dois em Florianópolis, um ponto em Garopaba, um em Governador Celso Ramos, Itapoá, Laguna, Penha e São Francisco do Sul.

As coletas são realizadas nos municípios de Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Bal. Gaivota, Balneário Camboriú, Bal. Rincão, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Balneário Piçarras, Porto Belo e São José.

Durante a alta temporada, de novembro a março, a pesquisa é divulgada todas as semanas. O IMA disponibiliza as informações no site balneabilidade.ima.sc.gov.br.

Informações adicionais à imprensa:
Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa IMA
Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina
E-mail: comunicacao@ima.sc.gov.br
Fone: (48) 3665 4177 / (48) 99172 8277
Site: www.ima.sc.gov.br 


Fotos: Robson Valverde / SES

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) iniciou os trabalhos para a implantação de uma cooperação técnica internacional na área de Atenção Primária à Saúde. Técnicos da Agencia de Calidad Sanitaria de Andalucia (ACSA) da Espanha e da Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) estiveram em Florianópolis, nesta semana, para reuniões com o secretário Helton de Souza Zeferino, o secretário adjunto André Motta Ribeiro e equipe técnica da SES.

Foi traçado um panorama do atendimento do estado para implantar ações de qualificação na Atenção Primária. O representante da ACSA ainda visitou uma unidade básica de saúde (UBS), uma unidade de pronto atendimento (UPA) e uma unidade hospitalar estadual.

“A gestão atual da Secretaria de Estado da Saúde estipulou como uma das metas estratégicas a qualificação da Atenção Primária”, destaca o secretário Helton, ressaltando que o trabalho da ACSA, localizada em Andaluzia, na Espanha, estava próximo do projeto idealizado pela SES.

“Começamos a trabalhar no plano de cooperação entre Espanha e Brasil, em específico Santa Catarina. Essa cooperação busca o processo de acreditação, que nada mais é do que a criação de parâmetros de qualidade para que a população catarinense possa ser ainda melhor atendida na atenção primária, com um nível de atendimento equitativo. Isso nos traz muita esperança para os próximos meses”, explica Zeferino.

Victor Reyes Alcázar, representante da ACSA, destacou que foram dias intensos, para ficar a par da situação de Santa Catarina. “É um projeto importante, a acreditação na atenção primária. Visitamos várias unidades, conversamos com muitos interlocutores para que possamos definir um plano de trabalho em conjunto e elaboração de um projeto piloto”, afirmou Victor.

Sobre Atenção Primária à Saúde

A Atenção Primária à Saúde (APS) é conhecida como a porta de entrada dos pacientes no sistema público de saúde, ou seja, o atendimento inicial. Seu objetivo é orientar sobre a prevenção de doenças, solucionar os possíveis casos de agravos e direcionar os mais graves para níveis de atendimento superiores em complexidade. A APS funciona como um filtro capaz de organizar o fluxo dos serviços nas redes de saúde, dos mais simples aos mais complexos.

No Brasil, há diversos programas governamentais relacionados à atenção básica, sendo um deles a Estratégia de Saúde da Família (ESF), que leva serviços multidisciplinares às comunidades por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), por exemplo. Consultas, exames, vacinas, radiografias e outros procedimentos são disponibilizados aos usuários nas UBSs.

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

 


Foto: Cristiano Estrela/Secom

O Governo do Estado, a Casan, a WEG Equipamentos Elétricos e a Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris) assinaram nesta sexta-feira, 22, um Termo de Cooperação Técnica para modernizar os sistemas de bombeamento das unidades de água e de esgoto gerenciados pela Companhia de Saneamento de Santa Catarina. A parceria foi formalizada na Casa d’Agronômica, em Florianópolis.

"É uma semente que estamos plantando. A Casan hoje tem um grande consumo de energia elétrica, de cerca de R$ 100 milhões por ano, e essa conta pode ser reduzida. Precisamos investir mais em saneamento e, para isso, temos que fazer mais com o dinheiro que a empresa arrecada. Com esse termo de cooperação, vamos avaliar a eficiência de cada bomba utilizada pela Casan. Também poderemos instalar sistemas mais modernos que nos avisem quando um equipamento parar de funcionar, evitando poluição, falhas no abastecimento e garantindo economia", explica o governador Carlos Moisés.

>> Veja mais fotos na galeria

O Termo de Cooperação possibilitará o levantamento de dados e um diagnóstico das condições operacionais dos modelos de recalque e bombeamento da empresa. A radiografia fiel dos sistemas permitirá o desenvolvimento de projetos internos de modernização do parque eletromecânico e a captação de recursos de Programas de Eficiência Energética, como o da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), da Celesc ou de outras instituições do setor.

A diretora-presidente da Casan, engenheira Roberta Maas dos Anjos, lembra que o consumo de energia elétrica tem um impacto significativo na tarifa de água e esgoto. “Entre outros benefícios, a parceria com a WEG atenderá a princípios que buscamos com intensidade na gestão da Companhia, como sustentabilidade, eficiência, economicidade e inovação”, cita Roberta. Esse diagnóstico não terá custos para a Casan e o Estado.

O diretor de Vendas da WEG, Fernando Garcia, ressalta a importância desse diagnóstico, que pode trazer uma redução significativa de custos. “Empresas de saneamento utilizam em torno de 95% de sua energia elétrica em motores elétricos para bombear a água, então o potencial de economia pode chegar a 40%, e em alguns casos até mais”, reforça.

Na avaliação do chefe da Casa Civil, Douglas Borba, a assinatura é o marco de uma parceria que deve dar resultados positivos a Santa Catarina. "É um momento em que estamos fazendo uma cooperação técnica entre dois grandes orgulhos para os catarinenses, que são a Casan e a WEG, que nos representa tão bem em todo o cenário mundial", destaca.

O Termo de Cooperação contemplará, inicialmente, medições e análises nas unidades de bombeamento dos 143 municípios cujos sistemas são regulados pela Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), que acompanhará a execução das obrigações. A Casan buscará outros Termos de Cooperação com as demais agências para atender a todos os 194 municípios em que atua. 

A Celesc participou do ato nesta sexta-feira e irá acompanhar o programa.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC