Foto: Divulgação / CIM-AMFRI 

O consórcio CIM-AMFRI assinou convênio do Projeto Recuperar com o Governo do Estado nesta sexta-feira, 6, em Itajaí. O documento, entregue ao Núcleo de Gestão de Convênios da Foz do Rio Itajaí, órgão da Casa Civil de Santa Catarina, garante o repasse financeiro para manutenção de estradas estaduais. 

Neste primeiro contrato, serão destinados cerca de R$ 569,4 mil para a conservação rotineira de 77,8 quilômetros de estradas. Os valores são referentes a três meses de trabalho. Segundo o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, a parceria com o CIM-AMFRI dará mais agilidade, economia e qualidade ao trabalho de recuperação asfáltica, roçadas, sinalização e serviços de drenagem. “O Projeto Recuperar já está trazendo resultados. Estamos com máquinas nas rodovias em diferentes regiões. Com essa assinatura, ampliamos ainda mais essa parceria que tanto fortalece os municípios catarinenses”, afirmou Borba.

O convênio foi assinado pelo presidente do CIM-AMFRI e prefeito de Balneário Piçarras, Leonel José Martins. Serão beneficiados os municípios de Balneário Piçarras, Ilhota, Itajaí, Luiz Alves, Navegantes e Penha. 

Informações adicionais à imprensa
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC

 

 


Fotos: Mauren Rigo/Casa Civil

O projeto que cria um sistema único de ônibus para a região metropolitana da Grande Florianópolis foi discutido em audiência pública na noite desta quarta-feira, 4, na Câmara de Vereadores de São José. Representantes da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf) e do Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC explicaram como a integração deve funcionar. A audiência também contou com a participação de usuários de ônibus, vereadores, integrantes do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Público (Sintraturb) e pesquisadores da área da Mobilidade Urbana.

O superintendente da Suderf, Matheus Hoffmann, explicou que uma das principais vantagens do novo sistema é a gestão associada entre Governo do Estado e municípios. Dessa forma, as decisões são tomadas em conjunto. “Após aprovação do projeto de lei pelas câmaras de vereadores, saberemos quais municípios querem participar da integração. Depois disso, vamos discutir todas as alternativas em conjunto para construir uma rede integrada que realmente atenda às necessidades dos usuários”, afirmou Hoffmann. Em São José, o PL já passou por uma primeira aprovação e deve ir à votação novamente ainda neste ano. 

A secretária de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José, Andréa Pacheco, entende que o projeto municipal de transporte, não integrado ao intermunicipal, seria ruim à população, mais caro, menos eficiente e com menos serviços. “Há algumas preocupações sobre a delegação de poder, então estamos participando assiduamente do Coderf (Comitê de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis) e fazendo parte da comissão técnica que detalha a gestão do projeto. Isso significa que todas as demandas do josefense e dos vereadores, que antes encaminhávamos em ofício ao antigo Deter, agora serão discutidas nesse grupo de gestão compartilhada”, disse. “Eu não vejo nenhum ponto negativo nesse projeto, muito pelo contrário, salientando que São José dispõe de um transporte coletivo bastante precário, porque as linhas se sobrepõem”, concluiu.

O professor do Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, Werner Kraus Jr. explicou que a proposta tem sido debatida entre Governo do Estado, prefeituras e sociedade civil organizada desde 2015. Um dos principais benefícios ao usuário é a possibilidade de deslocamentos diretos na região continental sem necessidade de entrar na Ilha. “A concepção do sistema metropolitano é de uma integração forte norte-sul de São José. É um novo desenho, não é mais aquele em direção à Ilha, quer dizer o cidadão de Barreiros para ir ao Kobrasol tem que entrar na Ilha para depois voltar para a área continental. Isso não vai mais acontecer”, explicou.

Uso do ônibus de São José

Em São José, o sistema de ônibus atende 80 mil passageiros por dia, sendo que 14% das viagens ocorrem nas linhas municipais de São José e 85% das viagens nas intermunicipais. O problema é que 15% a 20% destas viagens em ônibus intermunicipais são deslocamentos municipais. Kobrasol/Campinas é a região na área continental da Região Metropolitana da Grande Florianópolis que mais atrai pessoas. 

Além disso, o josefense usa muito o automóvel para se deslocar dentro do município, aponta estudo do Observatório. "É o município da região metropolitana que mais utiliza automóvel e moto porque o sistema de transporte coletivo é muito ruim, concebido em direção à Ilha”, salientou Werner Kraus Jr.

A rede metropolitana vai reforçar serviços municipais, facilitar acesso à região de Kobrasol/Campinas, rever itinerários, melhorar atendimento populacional e fazer a integração temporal no centro e os bairros.

Florianópolis dentro do sistema

A integração do transporte com Florianópolis pode acontecer mesmo antes do fim do contrato que está em andamento na cidade. O secretário-adjunto de Mobilidade e Planejamento Urbano de Florianópolis, Marcelo Roberto da Silva, esteve presente na audiência e reiterou o interesse da Capital de participar do sistema. “Nós temos um contrato que pode ser revisto e não há nenhum impedimento legal nessa situação, não há necessidade de esperar até 2034, que é quando ele acaba. Temos interesse sim, até porque Florianópolis absorve todas as linhas intermunicipais e sabemos que a solução do sistema de Florianópolis passa pela região metropolitana”, afirmou.

Acessibilidade 

A acessibilidade no transporte coletivo também foi um dos temas da audiência. O professor Werner Kraus Jr. explicou que a acessibilidade universal é uma lei e que os ônibus precisam, obrigatoriamente, oferecer elevador para o cadeirante. “Na porção continental da região metropolitana, a falta de contrato dificulta para o operador a segurança jurídica para trocar de ônibus. É importante destacar este ponto, a licitação é urgente para dar segurança ao próprio operador. Hoje, a renovação da frota é complicada porque ele não sabe por quanto tempo vai operar”. disse. O novo sistema vai mudar essa realidade. Será exigida a acessibilidade universal para toda a frota.

Informações adicionais à imprensa
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Manutenção na SC-415, em São Francisco do Sul. Fotos: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

As máquinas já estão na pista. Lançado neste ano pelo Governo de Santa Catarina, o Projeto Recuperar avança com o início dos trabalhos de recuperação das estradas estaduais por meio do modelo de parceria com consórcios interfederativos. Desde o fim de novembro, trabalhadores contratados pelo Cincatarina realizam operações de recuperação asfáltica no Norte e Meio-Oeste catarinense, em rodovias como a SC-415, em São Francisco do Sul, a SC-350, em Caçador e Águas Mornas, e SC-120, em Lebon Régis.

“O Programa Recuperar começa a dar os primeiros sinais de efetividade. Agora, os consórcios municipais que aderiram a esse programa do Governo do Estado começam a receber a atenção das máquinas. E o melhor de tudo: trata-se de uma intervenção com muito mais qualidade do que se fazia antes. É um trabalho que, apesar de emergencial, vai ter uma durabilidade muito maior, com o recorte no asfalto e a colocação de uma base”, explica o governador Carlos Moisés.

>> Mais fotos disponíveis na galeria

Operários em ação

Às margens da SC-415, em São Francisco do Sul, o panificador Adriel Alexandre Dias observa o trabalho dos homens e máquinas. Primeiro, os trabalhadores removem a camada de asfalto danificada. Em seguida, o asfalto quente é colocado, compactado e fresado. Dias conta que, embora aguarde por uma revitalização completa da rodovia, a comunidade do bairro da Reta tem avaliado positivamente o trabalho realizado até aqui.

“Tudo que vem para beneficiar o que não está bom é salutar. Será bom para o município e para quem usa a rodovia essa parceria com o Governo. A gente fica até um pouco espantado com a rapidez que a empresa veio para realizar o serviço, atendendo ao pedido da comunidade”, relata Dias.

Duas empresas contratadas atuam no local, uma para executar a obra e outra para fiscalizar. Na SC-415, o trecho a ser recuperado tem uma extensão total de 10 quilômetros, e o fiscal responsável é Edson Manoel de Farias. Além de acompanhar in loco a recuperação da rodovia, ele também realiza o levantamento que precede a operação em si.

“Nós percorremos a estrada e fazemos um levantamento fotográfico. Em um relatório, marcamos o diâmetro dos buracos e fazemos a marcação dos cortes. Em seguida, isso é levado para o nosso setor de engenharia. Por fim, retornamos ao trecho para acompanhar o trabalho da empreiteira, ver se tudo está correto. O objetivo de todo esse processo é fazer um serviço dentro das normas e bom para quem trafega aqui”.

Ainda segundo Farias, o trabalho realizado pelo Programa Recuperar é com asfalto quente, ao contrário do que era realizado anteriormente. Essa técnica proporciona uma maior durabilidade, com a retirada completa do piso danificado com infiltrações e buracos.



Próximos trabalhos

Além das SCs 350 e 415, o Cincatarina dará início aos trabalhos até a próxima semana na SC-284, em Campos Novos, e na SC-390, em Zortéa, com recuperação asfáltica, limpeza de sarjeta e roçada. Na SC-390, em Celso Ramos, está autorizada a manutenção emergencial da rodovia não pavimentada.
No total, cerca de 600 quilômetros de estradas já foram mapeados pelo consórcio e devem receber intervenção em breve. É o caso das SCs 416 (Itapoá), 417 (Garuva / Itapoá), 452 (Monte Carlo/Fraiburgo), 452 (Abdon Batista / Anita Garibaldi), 452 (Vargem / Abdon Batista), 355 (Lebon Régis / Fraiburgo), 355 (Fraiburgo / Videira), 284 (Campos Novos), 135 (Celso Ramos), 135 (Caçador / Matos Costa), 135 (Matos Costa / Porto União), 390 (Zortéa), 390 (BR-470 a Brunópolis), 390 (Celso Ramos / Anita Garibaldi), 155 (Xanxerê / Xavantina) e 455 (Macieira).



Como funciona o projeto

O Projeto Recuperar é um modelo de cooperação inovador e mais econômico para manutenção de rodovias estaduais por meio da parceria com consórcios interfederativos. O Governo do Estado repassa os recursos para a execução dos trabalhos, e as associações de municípios - ligadas aos consórcios - apontam os trechos e os serviços prioritários. O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, reforça que o Recuperar não delega a competência das estradas para os municípios e que o Estado segue com suas responsabilidades jurídicas sobre as rodovias.

De acordo com o Cincatarina, já nos primeiros editais para execução do projeto, foi possível alcançar uma economia de cerca de 32% no valor estimado para os serviços. Os investimentos também são maiores. A partir do ano que vem, a previsão é que o projeto receba R$ 120 milhões por ano, o que representa um crescimento de 124% em relação aos R$ 53,5 milhões aplicados em 2018.

Grande parte do Estado já aderiu ao Recuperar. Atualmente, nove consórcios integram a iniciativa, abrangendo 15 associações de municípios. A parceria alcança cerca de 4 mil quilômetros de malha rodoviária estadual — Santa Catarina tem 6 mil quilômetros de estradas estaduais.

“Queremos que todas as 265 cidades que possuem estradas estaduais em Santa Catarina façam parte e se beneficiem deste projeto, possibilitando essa ação em âmbito local e dando agilidade e economia aos cofres públicos”, salientou Borba.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 


Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Arquivo / Secom

Policiamento e instalação de 13 câmeras são ações previstas para a Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, que será reaberta ao público no dia 30 de dezembro. Outras medidas foram debatidas na tarde desta terça-feira, 26, entre representantes da Secretaria de Estado da Segurança Pública, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar.

As ações de segurança são para a reabertura da estrutura e para uma série de eventos artísticos e culturais do projeto Viva a Ponte, que vão até o dia 5 de janeiro. Por isso, irão envolver PM, Bombeiros Militar, Polícia Civil e Instituto Geral de Perícias (IGP), com serviços para atender a moradores e turistas que passarem pelo local e arredores.

 Fotos: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

De forma pioneira no país, a implementação do Registro Nacional de Veículos em Estoque (Renave) já está em curso em Santa Catarina. Um ato em Florianópolis na tarde desta terça-feira, 26, marcou a entrada em operação do sistema, que seguirá em testes até fevereiro do próximo ano, quando estará em funcionamento em todo o Estado. O Renave é uma ferramenta que traz mais segurança, economia e controle nos processos de compra e venda de veículos usados quando há o intermédio de uma revendedora — concessionária ou lojista. O objetivo é reduzir a burocracia e a informalidade nesse tipo de transação. 

A solenidade ocorreu no auditório da Secretaria de Segurança Pública e contou com a presença do governador Carlos Moisés, do diretor do Denatran, Jerry Adriane Dias, e da diretora do Detran/SC, Sandra Mara Pereira. Segundo o governador, o Renave garante mais estabilidade no processo. 

“É importante para o cidadão a segurança jurídica que isso traz quando ele deixa o seu veículo em uma revenda. Normalmente assinava-se um recibo em branco e não se sabia que aquele veículo continuava no seu nome. Agora, você tem a possibilidade de comunicação imediata ao Detran/SC, isentando o ex-proprietário de qualquer responsabilidade civil sobre o carro. Por outro lado, também havia uma renúncia de receita do Estado por conta da informalidade. Com o novo sistema, a gente integra as transações na rede arrecadadora da Fazenda”, explica Moisés. 

Segundo a diretora do Detran/SC, a sintonia entre os governos Estadual e o Federal foi fundamental para que Santa Catarina saísse na frente na hora de colocar o Renave em funcionamento. Ela explica como funcionará o processo: “Esse sistema atinge toda a cadeia de venda de um veículo. Agora, quando você chega em uma revenda e entrega o veículo, ele já sai do seu nome na mesma hora. Não é preciso mais levar consigo uma procuração. O Renave favorece a todos e traz para a formalidade a maioria dessas transações”.

O Renave é fruto da parceria entre o Ministério da Infraestrutura/Denatran, o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e o Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina S.A. (Ciasc). 

 Diretora do Detran/SC 

Benefícios

Atualmente, o proprietário de veículo que deseja vender o seu bem para uma revenda faz uma procuração em cartório e deixa o CRV (Certificado de Registro de Veículo) em branco nas mãos do lojista, mas em apenas 14% das transações eles transferem o veículo para o nome da empresa. Se o veículo for comprado por outra revenda, ele continua sem ser transferido, na maioria dos casos. E assim ele permanece até ser vendido para o consumidor final.

Sem o Renave, a transferência de um veículo usado, intermediado por uma empresa, passa por um processo burocrático que inclui cópias de contratos sociais, reconhecimento de firmas, taxas, entre outros documentos até então necessários para a formalização de um registro físico.

De acordo com o diretor do Denatran, Jerry Adriane Dias, Santa Catarina se prontificou a ser o primeiro estado do país a aderir ao sistema por ter aceitado reduzir o valor das taxas cobradas nessas transferências. Atualmente, a taxa é de R$ 146, valor que deve cair para R$ 35 se a minuta enviada à Assembleia Legislativa (Alesc) for aprovada. Há um estudo em andamento para reduzir também o valor da vistoria, hoje em R$ 127. 

“Nós pensamos que seria agora a oportunidade de fazer um piloto e avaliar todos os prós e contras. Dessa maneira, fica mais fácil saber se vamos cumprir todas as premissas pensadas no início do projeto. Santa Catarina se prontificou a fazer esse teste. Se o Governo do Estado não abraçar a ideia, ele não avança. Vimos aqui as condições ideais. Houve a iniciativa de haver uma redução de custos no valor com a transferência eletrônica. A partir dos resultados, teremos condições de implementar no país todo”, explica Dias. 

Operação 

A operacionalização será feita diretamente pelo lojista que, com uso de sua certificação digital, por meio de um sistema informatizado, se comunicará com o Denatran, que fará o envio das informações ao Detran para validação do processo. O vendedor irá assinar o CRV/ATPV (antigo DUT) fisicamente ou via certificação digital (conforme o sistema evoluir) e o lojista emitirá a Nota Fiscal e registrará as informações no Renave. Quando a fiscalização for ao local, poderá emitir relatório e verificar de forma segura o cumprimento da legislação. 

Informações adicionais para imprensa
Janaina Guliato
Assessoria de Imprensa
Departamento Estadual de Trânsito de SC (Detran)
E-mail: imprensa@detran.sc.gov.br  
Fone: (48) 3664-1733
www.detran.sc.gov.br 

 Fotos: Cristiano Estrela/Secom

O Governo do Estado irá contratar empresa especializada para fazer uma avaliação minuciosa das estruturas das pontes Pedro Ivo Campos e Colombo Machado Salles, em Florianópolis. Uma vistoria realizada por engenheiros da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade indicou a necessidade de um estudo específico para reparar ao menos seis eixos de sustentação. A situação foi apresentada pelo governador Carlos Moisés em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, 20. Para a licitação de 2016, as condições dos blocos não foram analisadas nos estudos realizados em 2015.

"Esse trabalho precisa ser realizada antes da intervenção, para que a obra seja feita exatamente nos pontos mais críticos e com segurança. Historicamente tivemos um descaso, uma falta de compromisso, que não vamos repetir daqui para frente. Vamos agir", disse o governador. "Não existe risco iminente. Essa medida que estamos tomando é por cautela. Vamos contratar uma empresa altamente especializada e fazer tudo o que for necessário para garantir a segurança, com total transparência", completou.

::: VEJA A SITUAÇÃO DOS SEIS EIXOS DE SUSTENÇÃO 

O governador destacou que a situação é estável, mas os engenheiros da Secretaria da Infraestrutura vão fazer análises mais frequentes a partir de agora. Cada ponte tem 16 eixos de sustentação, sendo três em cada uma em condição aparentemente mais críticas: os de número 4, 6 e 10 da Colombo Salles, e 7, 7N e 9 da Pedro Ivo. A empresa especializada vai verificar todos, inclusive as estruturas sem danos aparentes.

De acordo com o secretário de Estado da Infraestrutura, Carlos Hassler, a deterioração se agravou em progressão geométrica a partir de 2015, resultado da falta de manutenção adequada nas pontes ao longo das últimas décadas: "A empresa especializada a ser contratada terá 20 dias úteis para fazer o laudo, que vai indicar a real situação da estrutura. O processo de dispensa de licitação será lançado na semana que vem". 

A análise especializada deve demandar um investimento de aproximadamente R$ 900 mil. A partir do novo parecer, o Estado terá uma estimativa do quanto custará a reforma estrutural, caso ela seja necessária. 

Hassler ainda lembrou que a vistoria só foi possível porque o Governo do Estado decidiu contratar novos engenheiros para reforçar as equipes técnicas. "A situação da ponte hoje é estável e não há motivos para a população se preocupar. Nossos engenheiros que já estão atuando na reforma vão fazer verificações diárias e nos manter informados", afirmou o secretário.


Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Doia Cercal / Secom

O Detran vai disponibilizar a versão digital da CNH antes da impressa. A chamada inversão na emissão é uma opção disponível para quem abrir um processo presencial ou digital  de habilitação definitiva ou renovação. Santa Catarina é um dos quatro estados do país a oferecer mais essa comodidade aos condutores.

Para ter essa inovação, o motorista precisa estar com todos os dados atualizados junto ao órgão de trânsito, o que pode ser feito através do Portal Digital do Detran e fazer o download do aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT), do Governo Federal.

Ao abrir um processo de CNH, o usuário terá duas opções: CNH impressa ou CNH impressa + CNH digital. Quem optar pela segunda opção deve ter as informações do telefone celular e e-mail válidos cadastrados no sistema. Caso contrário, uma mensagem será mostrada ao usuário ou operador, solicitando a atualização. Para isso, é preciso acessar a aba Meus Dados, dentro do Portal Digital.

Essa atualização é obrigatória, pois é pelo e-mail que o condutor receberá o número de registro da habilitação e o número de segurança, que serão utilizados para validar a CNH digital no aplicativo CDT. Tudo isso, antes mesmo de retirar o documento físico, que continua sendo indispensável.

“Nosso objetivo é modernizar os serviços do Detran. Com a parceria do Governo Federal conseguimos disponibilizar cada vez mais melhorias ao cidadão catarinense. Aproveitem esses recursos tecnológicos”, ressaltou a diretora do Detran, Sandra Mara Pereira.

O coordenador-geral do Denatran, Eduardo Sanches, frisou a importância de somar esforços com os estados como Santa Catarina, para efetivar cada vez mais a transformação digital no país, reduzir custos, desburocratizar e entregar serviços de qualidade. E revelou que esse foi o primeiro passo para o fim da obrigatoriedade da CNH física, cujo projeto está em fase de elaboração para ser implantado em 2020 por meio de uma resolução do Contran.

Além de SC, Pernambuco, Espírito Santo e Ceará implementaram esse sistema. A previsão do Denatran é de que ainda este ano todos os estados ofereçam esse serviço.

CNH digital 

A versão digital da CNH está disponível em SC desde fevereiro de 2018. Ela só pode ser gerada para quem tem a última versão da CNH impressa, que conta com um QR Code na parte interna. O código está disponível nos documentos de habilitação emitidos a partir de 2 maio de 2017.

Em Santa Catarina, foram emitidas até hoje 2.212.203 CNHs com QR Code, sendo que apenas 247.053 estão na versão digital.

CDT

A nova versão da CDT, lançada na segunda-feira, 18, pelo Ministério da Infraestrutura, possibilitará a adesão de um maior número de pessoas à CNH Digital. Hoje, existem três milhões de CNH digitais válidas em todo o Brasil, e outras 40 milhões com potencial para a versão eletrônica, ou seja, que possuem o documento impresso com o QR Code.

Informações adicionais para imprensa
Janaina Guliato
Assessoria de Imprensa
Departamento Estadual de Trânsito de SC (Detran)
E-mail: imprensa@detran.sc.gov.br  
Fone: (48) 3664-1733
www.detran.sc.gov.br 


Fotos: Mauricio Vieira / Secom

Em ritmo acelerado, a recuperação da Ponte Hercílio Luz entra na reta final. Para organizar o momento de liberação ao tráfego, o Governo do Estado lançou nesta terça-feira, 19, o projeto Viva a Ponte, um plano para o Complexo Turístico e Cultural que prevê ampla programação de 30 de dezembro a 5 de janeiro de 2020, com atrações artísticas, folclóricas e gastronômicas. Também foram anunciadas as chamadas públicas para empresas e atrações interessadas em participar dessa programação histórica.

“O dia 30 de dezembro será um marco para Santa Catarina. Mais importante do que isso, um marco para a vida da população catarinense. Muitos já não acreditavam que a Ponte Hercílio Luz seria reaberta. Entregar essa obra foi um compromisso que assumimos e é uma honra fazer parte deste momento”, destacou o governador Carlos Moisés. Com o lançamento do projeto, o Governo do Estado chama a sociedade catarinense para participar deste momento inesquecível e contribuir com a programação que será montada de forma transparente a partir de chamamentos públicos.

>> Notícias, fotos e vídeos da Ponte disponíveis aqui 

Viva a Ponte é um projeto cultural, turístico e urbanístico do complexo da Hercílio Luz, com ações integradas da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Fundação Catarinense de Cultura, Fundação Catarinense de Esporte, Santur, Casa Civil, Secretaria Executiva da Casa Militar, Secretaria Executiva de Comunicação, Defesa Civil e Secretaria de Estado da Segurança Pública.

O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, acrescentou que esse projeto irá reintegrar a ponte à rotina dos moradores e turistas de Florianópolis e do estado. “Será uma forma de promover o turismo e o desenvolvimento econômico da cidade e de Santa Catarina. A Ponte Hercílio Luz tem grande potencial de se tornar um vetor de desenvolvimento e promoção do estado”, disse.

A presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina, Flavia Didomenico, lembrou que a Hercílio Luz é um grande símbolo do estado e torna-se um ativo do turismo catarinense. “É extremamente importante para nós, pois é uma referência histórica latente do nosso estado, além de todo o charme arquitetônico e de conectar o continente à Ilha de Santa Catarina”, destacou.

Após a entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, 19, o governador fez uma vistoria em parte da estrutura, acompanhado de secretários de Estado e jornalistas.

Confira detalhes dos editais

As empresas e os artistas interessados em participar já podem fazer o credenciamento diretamente no site www.sc.gov.br/vivaaponte. O edital 002/2019 trata da seleção de empresas de alimentação e bebidas que poderão ocupar 20 espaços nas cabeceiras insular e continental da Ponte Hercílio Luz. Estão aptos a participar da seleção food karts, food bikes ou estandes. As propostas deverão ser entregues e protocoladas até as 19h do dia 29 de novembro, na sede da Santur, no Bairro Itacorubi. O resultado será publicado em 4 de dezembro.

Também está aberta a seleção de propostas de apresentações artísticas e culturais para compor a programação do projeto Viva a Ponte. Artistas de diversas áreas, como música, teatro, dança e circo podem se inscrever até 2 de dezembro, em formulário online. O resultado da seleção será divulgado em 6 de dezembro. O envio das informações e divulgação dos resultados serão feitos no site.

Já a Chamada Pública Nº 003/2019 orienta a participação de proprietários de carros e motos antigos para desfile no dia 30 de dezembro. Poderão se inscrever pessoas físicas ou jurídicas, proprietários de veículos de modelos fabricados entre os anos de 1920 e 1985, licenciados em Santa Catarina, não sendo obrigatório filiação a clubes de automóveis antigos. As inscrições serão feitas no site até 2 de dezembro, às 23:59h.

Também está prevista a seleção de empresa de esporte de aventura que irá operacionalizar atrações no local. A proposta deverá prever ações de rapel, escalada, bungee jumping, pêndulo humano, slackline, entre outras atividades. As inscrições e os critérios também estão disponíveis no site.  

A programação prevê ainda corrida de 5 quilômetros no dia 5 de janeiro de 2020. Organizada pela Fesporte, a prova terá largada da Ponte Hercílio Luz com percurso em direção ao continente e chegada também na estrutura. A inscrição será gratuita no site e a previsão é de 2 mil vagas. 


Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

Sobre as obras 

Os serviços na estrutura superior da Ponte Hercílio Luz estão sendo finalizados para a reabertura no dia 30 de dezembro. Estão em andamento a retirada das gruas centrais, a instalação do piso gradil no vão central, a colocação das passarelas de pedestres e ciclistas e das defensas metálicas. A previsão é que estes serviços terminem na primeira quinzena de dezembro. Paralelamente, está sendo feita a pintura de toda a estrutura superior, trabalho que será realizado até a véspera da abertura da Ponte.

“Estamos entrando na reta final e neste momento um dos objetivos do Governo, além de concluir a obra em março de 2020, é resgatar a ligação da população com a Ponte Hercílio Luz. E para isso estamos adequando os trabalhos finais com a possibilidade da realização de eventos culturais e lazer. Hoje temos aproximadamente 150 metros de piso para finalizar a colocação no vão central e após isso será instalada a sinalização viária”, ressaltou o secretário da Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler.

Também na primeira quinzena de dezembro serão retirados mais dois módulos da treliça inferior para possibilitar que o teste de carga seja feito. A previsão é que ele seja realizado entre os dias 16 e 20 de dezembro à noite. Para isso, serão enfileirados sobre a Ponte 48 caminhões de 20 toneladas cada, um total de 920 toneladas. O peso corresponde a 80% da capacidade total da estrutura, sem a margem de segurança.

A retirada da base de apoio inferior será iniciada em dezembro, e a retirada dos dois últimos módulos da treliça inferior começará em janeiro, assim como o acabamento da pintura da estrutura inferior. A previsão é que os serviços acabem até março de 2020.

Desde 2006, quando os primeiros contratos foram assinados para início dos trabalhos visando à recuperação da Ponte Hercílio Luz, o valor contratado para as obras é de R$ 474.910.654,56, conforme os dados que podem ser acessados no Portal da Transparência do Governo do Estado.

Viva a Ponte

Além de informações e divulgação das etapas dos chamamentos públicos, o site www.sc.gov.br/vivaaponte traz a linha do tempo sobre os fatos que cercam a primeira ligação entre a Ilha de Santa Catarina e o continente, os detalhes da maior obra de recuperação da história do estado, um teste de conhecimento sobre a estrutura, além de reunir notícias sobre a Ponte Hercílio Luz, símbolo de Santa Catarina. Inaugurada há 93 anos, é a maior ponte pênsil do Brasil e também a mais longa ponte pênsil com sistema de barras de olhal do mundo.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 

 
Foto: Maurício Vieira/Secom

O primeiro passo para a pavimentação da rodovia SC-108, entre Jacinto Machado e Praia Grande, no Extremo Sul, foi dado na tarde desta quinta-feira, 14. O governador Carlos Moisés assinou a liberação de R$ 3,98 milhões com recursos próprios para asfaltar um trecho de quatro quilômetros, a partir de Jacinto Machado. A obra foi a terceira do dia anunciada na região pelo programa Novos Rumos, criado para investimentos estratégicos nas regiões catarinenses.

"Quando a gente assina uma obra dessas, não é dinheiro do governador, não é dinheiro dos deputados. É dinheiro das pessoas. Nós estamos economizando, fazendo o dever de casa, para que o dinheiro das pessoas sejam usados em estradas, hospitais, escolas, segurança", destacou Carlos Moisés.

O trecho é importante para o escoamento de produção agrícola. A rodovia tem 30 quilômetros entre os dois municípios, e a pavimentação total está orçada em mais de R$ 100 milhões. O governador explicou que o restante da obra poderá se concretizar assim que o estado tiver acesso a financiamentos.

"Tenho certeza que quando o governador voltar aqui e ver o trecho concluído, por um custo abaixo do previsto em projeto, vai aumentar o ânimo para seguir asfaltando mais ao longo dessa rodovia. O que o Governo do Estado vem provocando uma transformação, e agora é o começo da realização de um sonho", projetou o prefeito de Jacinto Machado, João Batista Mezzari.

Emendas parlamentares para infraestrutura em São João do Sul, Turvo e Jacinto Machado

O governador fechou a agenda no município com a assinatura de liberação de recursos de seis emendas parlamentares para o Extremo Sul, todas para a infraestrutura. Para Jacinto Machado, foram assegurados R$ 300 mil para pavimentação com lajotas das ruas Pedro José Rosso e Abílio Trombim, via emenda do deputado Mário Marcondes, e mais R$ 723 mil das ruas Araçá e Giovanni Boselho, por emenda do ex-deputado Manoel Mota. Também foram liberados R$ 400 mil para a aquisição de 110 toneladas de asfalto para as ruas Frederico Rovaris, Anibal P. Della e Jorge Lacerda, resultado de emenda do parlamentar Luiz Fernando Vampiro.

O município de São João do Sul foi beneficiado com R$ 200 mil para a recuperação de estradas vicinais, em razão de emenda do ex-deputado Manoel Mota. Já Turvo ganhará melhorias nas rodovias TVO-352 e TVO-357, assim como nas ruas Três, Antônio Zatta e Anita Formentin Baesso, por meio de emenda do deputado estadual Rodrigo Minotto. no valor de aproximadamente R$ 1,1 milhão. A cidade também terá mais R$ 254 mil para obras na rodovia TVO-355, como resultado de emenda da deputada Ada de Luca.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: Maurício Vieira/Secom 

Uma reivindicação antiga do Vale do Araranguá foi atendida pelo governador Carlos Moisés na tarde desta quinta-feira. Cumprindo agenda na região, ele assinou a liberação de R$ 15,8 milhões para a construção de uma ponte sobre o Rio Araranguá, na localidade de Hercílio Luz, facilitando o acesso ao Morro dos Conventos. o investimento faz parte do programa Novos Rumos, criado pelo Governo de Santa Catarina para canalizar recursos para as prioridades de cada região.

O ato da assinatura ocorreu na sede da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc), em Araranguá. "Já trabalhei muito aqui na região quando atuava no Corpo de Bombeiros em Criciúma, e conheço bem o potencial que existe aqui. O projeto da rodovia Interpraias é um sonho que vamos trabalhar muito para ver realizado. Já estamos fazendo muitas economias, revisando contratos, para fazer o dinheiro chegar onde é preciso investir", afirmou Carlos Moisés.

::: Mais imagens na galeria de fotos

A ponte facilitará o trânsito no litoral do Sul do Estado, uma vez que a travessia no local, atualmente, depende de balsa. O projeto e a execução são de responsabilidade da prefeitura do município. Conforme o prefeito, Mariano Mazzucco, a obra representa uma conquista histórica para a região, aguardada há décadas.

"Foram raras vezes na minha vida pública que eu presenciei um governo assim, que já entrou buscando a gestão eficiente desde o início e conseguiu economizar recursos para, em dez meses, já chegar aqui anunciando obras", expôs o prefeito.

Participaram do ato o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, os secretário de Estado Lucas Esmeraldino (Desenvolvimento Econômico Sustentável) e Natalino Uggioni (Educação), os secretários executivos Diego Goulart (Articulação Nacional) e Naiara Augusto (Integridade e Governança), prefeitos da região, deputados, vereadores e representantes de comunidades de Araranguá.

Mais investimentos

Este foi o segundo investimento em infraestrutura anunciado pelo governador durante a agenda de trabalho no Sul. O primeiro foi a pavimentação da rodovia Jacob Westrup, entre Forquilhinha e Maracajá, na BR-101.  

Durante o ato em Araranguá, também foi assinada a liberação de R$ 200 mil para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Sombrio. A transferência é consequência de uma emenda parlamentar do deputado José Milton Scheffer e servirá para a construção de uma quadra coberta.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC