Fotos: Jéssica Maia / HUBSSP

Na manhã da última terça-feira, 21, o Laboratório de Inovação em Segurança Pública (HUBSSP) recebeu, na sede da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), cerca de 60 estudantes de escolas públicas da Grande Florianópolis, participantes do programa ESAG Kids, de extensão universitária, do Centro de Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (ESAG), da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

A visita faz parte de um ciclo de oficinas que fazem parte do projeto "Feirinha de Inovação e Empreendedorismo Mirim". Na SSP, foi abordado o tema "planejamento", englobando as atividades desenvolvidas pela Secretaria. A Oficina foi ministrada pela professora do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e embaixadora do ESAG Kids, Larice Steffen, e também pela coordenadora do HUBSSP, sargento BM Jéssica Maia.

Durante a imersão, foi trabalhada a “roda da vida”, além do planejamento de um sonho das crianças. Outras oficinas fazem parte do projeto, com os temas empreendedorismo, educação fiscal, liderança, inovação, ética e economia criativa, as quais envolverão instituições públicas e privadas como a Câmara de Vereadores de Florianópolis, a Controladoria Geral da União, Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), Sapiens Parque e Wegov.

O Programa ESAG Kids é coordenado pelo professor Eduardo Jara. “É muito importante essa aproximação das crianças com os profissionais de segurança pública, descontruindo paradigmas de repressão existentes na sociedade. Os indicadores demonstram que, para 100% das crianças, esse foi o primeiro contato com a SSP”, afirma. Além da oficina, também foi proporcionado um momento de interação com mombeiros e policiais militares, com grande interação das crianças e interesse com perguntas pertinentes às atividades dos profissionais.

Para completar a visita, todas as crianças puderam conhecer e manusear os equipamentos de Combate a Incêndio do Caminhão de Bombeiro, do 1º Batalhão Bombeiro Militar, com sede em Florianópolis, para proporcionar mais momentos de descontração para os futuros empreendedores mirins.

Texto e fotos: Jéssica Maia - HUBSSP

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
(48) 3665-8183 / (48) 99938-9839
melinacauduro@ssp.sc.gov.br
www.sc.gov.br 

 Fotos: Polícia Civil/SC

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira, 16, por intermédio da Draco (Divisão de Repressão ao Crime Organizado) da Diretoria de Investigações Criminais (DEIC), a "Operação 72". As diligências resultaram em 51 prisões - 36 de suspeitos que já cumprem pena no sistema prisional - e apreensão de drogas, dinheiro em espécie e livros com registro da contabilidade do tráfico de entorpecentes.

Foram cumpridos 72 mandados de prisão temporária e 34 de busca e apreensão nas cidades de Joinville, Itapoá, Balneário Barra do Sul, Tubarão, Capivari de Baixo, Bombinhas, Tijucas e Florianópolis com a participação de 180 Policiais Civis. O inquérito da Draco, coordenado pelo Delegado Antônio Cláudio de Seixas Jóca, apura crimes de organização criminosa, associação a organização criminosa, tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.

Segundo o diretor da Deic, delegado Luís Felipe Fuentes, o inquérito começou durante o período eleitoral de 2018 a partir de informações de possíveis ataques naquela época. “A investigação evolui e hoje estamos cumprindo esses mandados contra integrantes de duas organizações criminosas com atuação dentro e fora do sistema prisional”, relatou Fuentes.

Participaram da “Operação 72” Policiais Civis das DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Joinville, Blumenau, Jaraguá do Sul, Laguna, Tubarão, Criciúma, Araranguá, além da Capital.

Informações adicionais para a imprensa
Paulo Jorge Marques
Assessoria de Imprensa da Polícia Civil de SC
(48) 3665-8708
(48) 99961-4071

 Foto: James Tavares/Secom

A vice-governadora Daniela Reinehr assinou nesta sexta-feira, 10, um termo de cooperação para que Santa Catarina passe a fazer parte do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública - Regional Sul (CIISPR-Sul). A estrutura, com sede em Curitiba, no Paraná, foi ativada em evento no fim da tarde no Palácio Iguaçu, sede do governo paranaense, com a presença do presidente Jair Bolsonaro, do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior, e do governador em exercício do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira. 

Em seu discurso, a vice-governadora destacou que o centro integrado é um passo importante para o avanço do setor de inteligência e pode contribuir para uma queda ainda mais acentuada dos índices de criminalidade. Além disso, salientou Santa Catarina será parceira de iniciativas em qualquer área que levem a uma melhora da prestação dos serviços públicos.

“Nós acreditamos em parceria. O que cada Estado tem de melhor será compartilhado aqui. Temos certeza que muito em breve vamos colher excelentes resultados na segurança pública no Sul do Brasil e em todo país”, afirmou Daniela Reinehr.

A vice-governadora também destacou a criação do Colegiado Superior da Segurança Pública em Santa Catarina. O atual presidente do conselho, coronel Araújo Gomes, também foi ao evento no Paraná e listou vantagens que a nova estrutura vai trazer: “Esse centro vai trazer muitos benefícios para Santa Catarina. Nós vamos ter acesso a todas as ferramentas aqui utilizadas por demanda quando houver necessidade e acesso a relatórios periódicos que vão embasar o combate às organizações criminosas”.

Como membro do centro integrado, Santa Catarina ajudará com a manutenção da estrutura e cederá agentes, em especial nas áreas de inteligência e tecnologia da informação. Um delegado catarinense também coordenará um dos setores do Centro.

O CIISP-Sul funcionará no prédio da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp), no Centro Cívico. Além de agentes da segurança pública dos três estados do Sul, a estrutura reunirá representantes da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e de outros órgãos do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Durante o evento, o ministro Sérgio Moro afirmou também que o centro regional do Nordeste já está em operação em Fortaleza e teve papel fundamental para debelar a crise da segurança pública no Ceará no início do ano: “Essa é uma solenidade para celebrarmos a integração de esforços dos estados com o governo federal no âmbito da segurança pública. Sempre é dito que precisa de mais recursos e investimentos. Essa estrutura é um meio para efetivar a integração que já está totalmente operacional”. 

Último a falar, o presidente Bolsonaro destacou que os índices de criminalidade estão em queda em todo o país e que aposta no setor de inteligência para aprofundar ainda mais essa queda.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

 Foto Julio Cavalheiro/Secom

Durante dois dias, policiais militares e civis, além de bombeiros militares, passaram por um curso de preservação de local de crimes, coordenado pela Diretoria de Formação e Capacitação da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) e ministrado por peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP), em Florianópolis. A iniciativa deve ser ampliada para outras regiões catarinenses até o fim do ano.

VEJA MAIS IMAGENS NA GALERIA DE FOTOS

Divididos em partes teórica e prática, o curso com 16 horas tem o objetivo de agilizar as investigações, além de trazer um resultado fiel, tanto no laudo pericial, quanto à investigação, ao que aconteceu no momento do crime.

“Essa capacitação busca envolver, principalmente, os profissionais que estão na ponta, para que a abordagem sem a alteração no local de crime possa render investigações fidedignas. Além de mais segurança para as decisões judiciárias, também ajuda na economia de recursos, evitando um retrabalho, como no caso de uma reconstituição, por exemplo”, explica o diretor de Formação e Capacitação, coronel da reserva da Polícia Militar José Aroldo Schlichting. 

As aulas foram ministradas pelos peritos Rogério Tocantins e Gelso Luiz Borba Júnior, no Centro de Ensino Bombeiro Militar. A parte prática contou com simulação de ocorrências reais. “Este curso não se destina apenas aos profissionais que estão iniciando nas corporações de segurança, mas também àqueles ativos há alguns anos, como uma forma de reciclagem”, pontua o diretor.

Durante a parte prática, Tocantins destacou a importância de cursos como este para a integração do atendimento, meta do governador Moisés para a Segurança Pública. “Pude perceber, durante a aula, que cada instituição tem um foco específico durante uma abordagem, por isso esse curso envolvendo instituições diferentes torna a troca ainda mais válida”, disse.

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
(48) 3665-8183 / (48) 99938-9839
melinacauduro@ssp.sc.gov.br
www.sc.gov.br 

A Polícia Civil recebe nesta quinta-feira, 9, um respirador pulmonar para transportes aeromédicos ao Serviço Aeropolicial de Fronteira (Saer-Fron). A solenidade com está marcada para as 17h no hangar do Saer-Fron no Aeroporto Serafim Bertazo, em Chapecó, com a presença do delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Koerich; do diretor de Polícia de Fronteiras (Difron), Carlos Morbini; e do comandante do Saer-Fron, Albert Dieison Silveira.

O equipamento, avaliado em R$ 49,9 mil, é fruto de doação da Justiça Federal de Chapecó, para otimizar os atendimentos aeromédicos na região, em favor dos pacientes atendidos.

O respirador pulmonar será usado nos atendimentos realizados pelo Saer-Frone e pelo Serviço de Atendimento e Resgate Aeromédico - que é um órgão da estrutura de Saúde do município de Chapecó que atua em conjunto com o Saer - nos atendimentos aeromédicos em Chapecó e na Região do Extremo-Oeste Catarinense.

O quê: Solenidade de entrega de respirador pulmonar

Onde: Hangar do Saer-Fron, no Aeroporto Serafim Bertazo, em Chapecó

Quando: Quinta-feira, 9, 17h

Informações adicionais para a imprensa
Paulo Jorge Marques
Assessoria de Imprensa da Polícia Civil de SC
(48) 3665-8708
(48) 99961-4071

 Arte: Sal Santos/Secom

Santa Catarina fechou o mês de abril com o menor número de homicídios da última década, segundo dados da Segurança Pública. Em 2019, foram 52 casos, com uma redução de 34% em comparação ao mesmo mês de 2018, quando foram registrados 79 assasinatos. Em 2017 e 2016, foram 73 e 78, respectivamente. Em 2009, foram registrados 76 homicídios.​ (Veja no gráfico acima)

“Quando propus o Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, era esse tipo de resultado que tinha em mente: um estado mais seguro, com estratégias baseadas em quem vive a Segurança Pública, feitas por profissionais que estão na ponta, que sabem o que deve ser feito para reduzir a criminalidade”, afirmou o governador Moisés.

Com desafios lançados, e a estratégia traçada, o Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial está focado em buscar a meta estipulada pelo secretário, o coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes: tornar Santa Catarina o estado mais seguro do país.

Integração e eficiência são as palavras de ordem do órgão, pilares também estipulados pelo Governo Carlos Moisés e Daniela Reinehr. Os índices de redução da criminalidade comprovam, na prática, o que é ordenado como estratégia, todas as semanas, nas reuniões de análise.

“Nós temos as melhores forças de segurança do país! Estamos apenas nos primeiros cinco meses do ano e tenho certeza que, com inovação e cada vez mais integração, teremos a eficiência que buscamos para trazer qualidade de vida às pessoas que residem no nosso estado, com resultados positivos e transparência na divulgação dos dados”, completou o governador.

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
(48) 3665-8183 / (48) 99938-9839
melinacauduro@ssp.sc.gov.br
www.sc.gov.br 

 Foto: Julio Cavalheiro/Secom

A Polícia Civil terá 51 novos delegados. O anúncio foi feito pelo governador Carlos Moisés e pelo delegado-geral Paulo Koerich na tarde desta segunda-feira. A nomeação dos profissionais, já aprovados em concurso público, recebeu o aval do grupo gestor de governo. 

O concurso público dos delegados, de 2014 e prorrogado em 2015, venceria neste mês, por isso a nomeação deles teve prioridade. O curso na Acadepol - Academia da Polícia Civil - será concluído até fim do ano. "Essa medida só reforça o compromisso do Governo de Santa Catarina com a Polícia Civil e com a segurança pública", afirma Moisés. 

De acordo com Koerich, depois da nomeação, os novos delegados ingressarão na Academia de Polícia Civil para formação e serão destinados a todas as regiões, seguindo critérios técnicos. "Com isso, a Polícia Civil continuará a cumprir com a sua missão que é servir à sociedade catarinense e aos nossos visitantes", afirmou o delegado-geral. 

O Governo do Estado também analisa outras nomeações na área de segurança pública, como no Corpo de Bombeiros Militar, que dependem de disponibilidade financeira para que o limite de gastos com pessoal previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal seja respeitado.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Fotos: James Tavares/ Secom

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) realizou nesta sexta-feira, 3, a solenidade de celebração do seu 184º aniversário, que será completado no domingo. O governador Carlos Moisés acompanhou o evento e recebeu a comenda Barriga Verde, a ordem mais elevada concedida pela instituição. Em uma noite de homenagens, condecorações a civis e militares e promoções, o governador também deflagrou, com o comandante-geral da PMSC, coronel Araújo Gomes, a Operação Presentes e Protegendo - Leste a Oeste. A ação tem o objetivo de proteger as principais áreas de fronteira de Santa Catarina.

:: VEJA GALERIA DE FOTOS DA CERIMÔNIA

“Além de receber essa homenagem, também queremos reafirmar o nosso compromisso com a Polícia Militar de Santa Catarina, de dar continuidade a todas as ações que vêm apresentando excelente resultado, inclusive com redução dos índices de criminalidade”, afirmou o governador. Moisés também destacou o bem-sucedido trabalho de gestão colegiada da segurança pública. “As nossas polícias têm demonstrado que têm sido eficientes e isso muito nos orgulha por estarmos em meio a tropa que é preparada para o atendimento, tem vontade de trabalhar e prestar um serviço público de qualidade”, destacou.

Tecnologia a favor da segurança

O comandante-geral da PMSC, coronel Araújo Gomes, reforçou o compromisso da corporação com a segurança dos catarinenses. “Quando olhamos para trás, vemos a história como um legado a ser preservado. Quando olhamos à frente, vemos os resultados do presente, com a redução da criminalidade e do medo que a sociedade enfrenta e o aumento da confiança na nossa instituição como possibilidade de continuar avançando com inovação, integração e tecnologia”, afirmou.

Com a operação deflagrada na noite desta sexta-feira, 3, a PMSC intensifica a segurança em pontos do Litoral e da fronteira com a Argentina. “Durante essa noite, estaremos fortemente nesses locais, garantindo a segurança do cidadão. Será uma operação de choque de ordem”, afirmou Araújo Gomes. Os trabalhos irão se estender por toda a noite e se encerram na manhã de sábado, 4.

“A PM é uma instituição que se reinventa a cada dia. A tecnologia e a inovação são marcos de projetos já premiados, mas que nos permitem pensar em fazer mais com menos e criar novas ferramentas que nos permitam ampliar o gerenciamento de informações e nossa capacidade de inteligência”, acrescentou o comandante-geral.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

 As forças de segurança pública catarinenses estiveram presentes em operações nacionais entre a quarta-feira, 24, e a quinta-feira, 25. A Operação Tiradentes – Adsumus, proposta pelo Conselho Nacional de Comandantes Gerais (CNCG), durou 24h, empregando Bombeiros e Policiais Militares. Já a #PC27, foi proposta pelo Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil (CONCPC).

Ao todo, a participação de Santa Catarina nas operações envolveu 4.612 policiais e bombeiros militares e policiais civis, 1.446 viaturas, 10 embarcações e duas aeronaves, além de drones.

 Fotos: CCS/PMSC

Tiradentes – Adsumus

Com a deliberação firmada pelos comandantes-gerais PM/CBM, que estiveram reunidos no Rio de Janeiro no dia 2 de abril, foi proposta a realização de uma nova edição da operação, que aconteceu outras duas vezes, com o objetivo de fortalecer e articular as ações integradas das polícias e corpos de bombeiros militares.


Para o Corpo de Bombeiros Militar SC (CBMSC) a operação tem cunho prioritariamente preventivo, aonde 1134 bombeiros militares passaram o dia nas ruas realizando ações que buscam mitigar e evitar a incidência de ocorrências futuras. Folhetos, orientações, visitas em residências, palestra em escolas, universidades, recepção em quartéis, são alguns exemplos das ações realizadas em todo o Estado de Santa Catarina. 


Em Santa Catarina, o “start” da operação foi dado na Praça Getúlio Vargas, em frente ao Quartel do Comando-Geral da Polícia Militar de SC e ao Quartel do CBMSC, em Florianópolis.
Segundo o Comandante-Geral do CBMSC, coronel BM Edupércio Pratts, foi uma importante articulação entre as corporações, que conseguiram demonstrar a população parte do trabalho realizado, e se aproximar das pessoas. “A idéia principal é garantir a segurança do cidadão, para evitar uma situação de incêndio e pânico em locais de concentração de público”, explica.

Balanço Estadual – Operação Tiradentes


Neste período, policiais e bombeiros militares aturam nas mais diversas regiões do Estado.

O número final da operação, a nível nacional, será divulgado no transcorrer do dia pelo Conselho Nacional de Comandantes Gerais (CNCG), já que o evento engloba todas as policias e corpos de bombeiros militares do Brasil.

Somente em Santa Catarina foram empregados 3.881 militares, 1.207 viaturas, 10 embarcações e duas aeronaves, nas 24 horas da operação.
O relatório final do Estado também informa que 1.606 ocorrências foram atendidas no período. Da mesma forma, 15.378 pessoas foram abordadas, onde 162 acabaram presas ou apreendidas. Quinhentos e sessenta e dois veículos também foram recolhidos.

Outro dado interessante é referente ao número de TCOs que contabiliza 158 Termos Circunstanciados de Ocorrência lavrados.
Por fim, a Tiradentes tirou de circulação 13 armas de fogo e 120 munições em Santa Catarina. Diversas frações de drogas também foram apreendidas pelo Estado.

Balanço nacional – Operação Tiradentes


O  Conselho Nacional dos Comandantes Gerais (CNCG) divulgou os números finais da Operação Tiradentes - Adsumus, em nível nacional. 
Ao todo, por todo território nacional, foram empregados 105.839 militares, 34.458 viaturas, 458 embarcações e 75 aeronaves.
O relatório final também informa que 364.257 pessoas foram abordadas. Destas, 2.281 acabaram presas ou apreendidas. Duzentos e oitenta e dois foragidos foram recapturados.
Além disso, 1.182 salvamentos foram registrados e 9.795 vistorias foram realizadas.
Quinhentos e trinta e dois veículos puderam ser recuperados. 
Por fim, os números contabilizam a apreensão de 569 armas de fogo, 5.491 munições e a apreensão de mais de uma tonelada de maconha.

Operação #PC27


A Polícia Civil de Santa Catarina integrou a Operação #PC27 deflagrada para cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão em todo o País. A operação foi coordenada pelo CONCPC (Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil) como forma de promover e integrar o Sistema Único Segurança Pública, coordenado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.
O nome Operação #PC27 é uma referência à união e padronização de atuação de todas as Polícias Civis do Brasil.

Balanço estadual - #PC27

Em Santa Catarina, a #PC27 mobilizou 731 policiais civis e 239 viaturas.
Foram cumpridos 132 mandados de busca e apreensão, com 20 armas de fogo apreendidas.
No total, foram presas 181 pessoas – 107 com sentença condenatória, 52 preventivamente, duas temporárias e 20 em flagrante -, e apreendidos 14 adolescentes – sete com decisão definitiva, seis provisoriamente e um em flagrante.

Em Florianópolis, numa ação da Decod (Delegacia de Combate às Drogas), foram apreendidos diversos aparelhos celulares, notebook, um artefato explosivo e aproximadamente R$ 200 mil.

“Consideramos a operação um sucesso e uma demonstração de que a Polícia Civil está cumprindo com a sua missão que é a repressão e o cumprimento das normais judiciais”, destacou o delegado-geral Paulo Norberto Koerich.

O CONCPC tem neste plano, como objetivo principal, o planejamento e emprego de efetivo policial, na área de atua de cada UF, visando o combate aos mais diversos delitos que assolam a sociedade brasileira, procurando reestabelecer a normalidade e contribuir para a diminuição da criminalidade e do crime organizado.

Veja o resumo da operação aqui.

Fotos e informações: Polícia CivilPolícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar de SC

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
(48) 3665-8183 / (48) 99938-9839
melinacauduro@ssp.sc.gov.br
www.sc.gov.br 

O governo do Estado tem intensificado o combate à prática da Farra do Boi em Santa Catarina neste ano de 2019. As operações, que ocorrem em parceria entre a Polícia Militar (PMSC) e a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (Cidasc), envolveram aproximadamente 350 agentes até aqui e resultaram em uma queda significativa no número de denúncias: foram 136 no ano passado contra 48 no mesmo período deste ano.

“Ainda há muito por fazer, mas a PMSC está se esforçando ao máximo. Estamos motivados e com boas parcerias. É o caminho certo para combater os injustificáveis maus tratos aos animais”, conta o comandante-geral da PMSC, coronel Araújo Gomes, destacando também a campanha contra a  Farra do Boi conduzida pelo governo do Estado desde de fevereiro nas redes sociais.

Na região de Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, que historicamente registra grande parte dos casos, foram montadas barreiras 24 horas por dia durante o período da Semana Santa. Além disso, a inteligência militar levantou e identificou propriedades rurais suspeitas e, juntamente com a Cidasc, fiscalizou dezenas de sítios e fazendas. Uma relação de parceria foi montada com ONGs e Coletivos de proteção aos animais para criar uma rede de informantes nas regiões onde a prática é mais comum. 

As ocorrências de Farra do Boi são mais frequentes no período da Quaresma, que se encerrou nesta semana com a celebração da Páscoa.

Tudo isso resultou também numa diminuição do número de denúncias confirmadas. Foram 32 no ano passado, ao passo que esse número se reduziu para 12 neste ano. Os conflitos entre farristas e a PMSC também caíram: de oito para três. Por parte da Cidasc, que mantém 18 funcionários no combate à Farra do Boi, aconteceram 18 fiscalizações  com barreiras móveis, em um total de 271 veículos abordados. 

A Farra do Boi é crime. A prática se enquadra na Lei 9605/95, que no artigo 32 diz: “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos é crime, com pena de detenção de três meses a um ano, e multa.”

O que o cidadão deve fazer ao presenciar uma cena de Farra do Boi?

Quem testemunhar um ato de farra do boi deve acionar a Polícia Militar, por meio do telefone 190. A confidencialidade de quem denuncia o crime é garantida.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br