Fotos: Ricardo Wolffenbüttel /Secom  

O governador Carlos Moisés anunciou a abertura de novos leitos de UTI neonatal e pediátricos durante uma visita ao Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, em Joinville, na manhã desta sexta-feira, 24. Até a próxima semana, serão abertos 21 leitos intensivos em Santa Catarina - 10 destes estão na unidade infantil de Joinville. Desde a decretação da situação de emergência em saúde, no começo deste mês, o Governo do Estado abriu outros 20 leitos de UTI para crianças e recém-nascidos. A meta do Executivo estadual é disponibilizar 92 novos leitos deste tipo até agosto.

Além disso, o governador também anunciou que o Estado dobrará o número de cirurgias eletivas realizadas mensalmente. Atualmente são 11 mil procedimentos por mês, em média, e a quantidade passará para 22 mil. Segundo Carlos Moisés, os serviços já estão contratualizados. O chefe do Executivo estadual salienta que o enfrentamento à pandemia de Covid-19 deixou sequelas no sistema de saúde e que o Governo está trabalhando para elevar o patamar dos serviços oferecidos à população.

“Temos um problema na saúde, uma sequela da guerra que lutamos contra a Covid-19 nos últimos dois anos. Para combater esse problema, concluímos ainda ontem a contratação de 22 mil cirurgias eletivas por mês - o dobro das 11 mil realizadas atualmente. Se os hospitais entregarem o que o governo contratou, até o fim do ano acabaremos com a fila das eletivas, um problema histórico do nosso estado. Também vamos abrir 21 novos leitos de UTIs já na próxima semana - totalizando 92 novos leitos de UTIs até o final de agosto. Sei que a saúde pública está longe do que nós gostaríamos e do que os catarinenses esperam. Mas, com trabalho sério, tenho certeza de que vamos lutar e vencer essa batalha”, destaca o governador.

O secretário de Estado da Saúde, Aldo Baptista Neto, revela que o Governo está trabalhando em parceria com os municípios para que eles ampliem a oferta de serviço pediátricos. Dessa maneira, haverá um distensionamento nas unidades de média e alta complexidade administradas pelo Estado.

“A nossa estratégia passa pelo apoio aos municípios para eles estruturarem as suas unidades básicas de saúde. Estamos investindo R$ 60 milhões até agosto para o fortalecimento da atenção básica. Com mais médicos e ampliando os horários de atendimento, nós iremos distensionar os atendimentos nas portas especializadas”, conta Neto.

10 novos leitos no Hospital Infantil de Joinville

Inaugurado em 2008, o Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria é referência para a região Norte do Estado. A unidade conta com 40 leitos de UTI – sendo 20 neonatal e 20 pediátricos. Nesta sexta-feira, o governador visitou o espaço que está sendo preparado para receber mais 10 leitos intensivos pediátricos, passando o total da unidade para 50. A vice-prefeita de Joinville, Rejane Gambin, também acompanhou a visita.

Segundo a diretora do hospital, Estela Mari Galvan Cuchi, a nova ala deverá ser disponibilizada à população na próxima quarta-feira, 29. “É uma ação de extrema importância. Essa visita do governador foi muito positiva, até como uma forma de reconhecimento do trabalho. Esses 10 novos leitos de UTI agregam muito e serão permanentes. No dia 29, eles entram em funcionamento e proporcionarão um ganho gigante para Joinville e Santa Catarina”, diz a diretora.

O Governo do Estado investiu R$ 2 milhões para a compra dos equipamentos da nova ala de UTI e arcará com R$ 450 mil mensais para o custeio até que os leitos sejam homologados pelo Governo Federal.

:: Leia também: Governo do Estado inicia ampliação de leitos nas unidades hospitalares catarinenses

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

 

 Foto: Mauricio Vieira / Secom

O trabalho de articulação desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Secretaria da Saúde, permitiu que, nos últimos 15 dias, fosse realizada a abertura de mais 47 leitos para atender à população catarinense, sendo que, destes, 20 dedicados ao atendimento neonatal e pediátrico.

Buscando suprir a demanda de forma imediata, além da ampliação da rede SUS, o Estado está realizando a compra de todos os leitos disponíveis na rede privada que, por conta da demanda, também está sofrendo pressão na assistência.

Além disso, a SES está pactuando junto à rede privada a ampliação dos leitos de UTI.

Nesse primeiro momento, já foram abertos 6 novos leitos de UTI neonatal, sendo 1 no Hospital Infantil Joana de Gusmão e 5 no Hospital Hélio dos Anjos Ortiz, em Curitibanos; 8 de cuidados intermediários pediátricos, no HIJG; e 6 leitos de UTI pediátrica, no Hospital Pequeno Anjo (Itajaí).

Situação de emergência

Recentemente, decretou-se situação de emergência por 90 dias, permitindo mais segurança jurídica para os gestores do estado e dos municípios para ampliação dos serviços de saúde e viabilização da abertura dos novos leitos de UTI e leitos intermediários em todas as regiões de Santa Catarina, para que os municípios possam, junto ao Estado, fortalecer as ações de saúde:

“Estamos trabalhando incansavelmente na busca por leitos. Desta forma, através da Central de Regulação do Estado estamos promovendo transferências de pacientes entre as regiões, a compra de leitos na rede privada, que também tem se mostrado sobrecarregada, e até mesmo a busca em outros estados”, explica o secretário de Estado da Saúde, Aldo Neto.

A articulação com unidades hospitalares segue e o custeio desses leitos está sendo realizado totalmente pelo governo do estado. O investimento total no plano de ação desenvolvido com o decreto prevê um aporte de R$ 65 milhões entre ações de abertura de leitos, ampliação da rede de atenção básica, combate à dengue e ampliação das campanhas de vacinação.

Este movimento faz parte da estratégia adotada para enfrentamento da sobrecarga do sistema de saúde frente às doenças respiratórias, características desta época do ano, bem como da COVID-19 e da dengue.

A implementação dos novos leitos prevê, ainda, 62 leitos infantis e mais 5 adultos. “Quando falamos em abertura de leitos é necessário que haja a percepção que se está fazendo para o atendimento de toda a população catarinense. Temos uma logística de atendimento que nos permite realizar transferências com a garantia de segurança total ao paciente”, reforça.

Como funciona o processo de regulação de um leito

A Central de Regulação observa os leitos de forma estadual e não regional. Ou seja, um leito que esteja disponível em Joinville não necessariamente será usado por um paciente de Joinville quando vagar, mas por aquele que tiver um caso de maior urgência. Para isso, a Saúde possui uma rede de absorção integrada e de apoio aos casos mais graves. As transferências são realizadas de acordo com a necessidade e respeitando as condições clínicas do paciente SUS, sendo necessário também o consentimento do familiar.

Novos leitos

  • No próximo período ainda estão previstas as aberturas nas seguintes unidades:
  • Hospital e Maternidade Jaraguá do Sul, com 6 de UTI pediátrica;
  • Hospital Azambuja, em Brusque, com 10 de UTI neonatal e 2 de UTI pediátrica;
  • Hospital Seara do Bem, em Lages, com 5 de UTI pediátrica;
  • Hospital Governador Celso Ramos, Florianópolis, com 4 UTI adulto;
  • Hospital Regional de Araranguá, com 5 de UTI neonatal;
  • Hospital e Maternidade Carmela Dutra, Florianópolis, 3 leitos intermediários canguru;
  • Hospital Infantil Jesser Amarante Faria, em Joinville, com 10 de UTI pediátrica;
  • Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul, com 4 de UTI neonatal;
  • Hospital Materno Infantil Santa Catarina, em Criciúma, com 7 de UTI neonatal;
  • Hospital Regional de São José, com 10 de UTI neonatal e 1 de UTI adulto.

O governo e a saúde de Santa Catarina têm trabalhado todos os dias para suprir a alta demanda, o catarinense também pode ajudar, procurando o pronto atendimento do município para casos de saúde não emergenciais e ficando em dia com o calendário vacinal.

Mais informações para a imprensa:
Karla Lobato
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br



A Secretaria de Estado da Saúde (SES) iniciou nesta sexta-feira, 17, uma série de reuniões técnicas nos hospitais de Santa Catarina para tratar do andamento das cirurgias eletivas pactuadas na Política Hospitalar Catarinense (PHC) de 2021. Atualmente, a fila é de 102.750 cirurgias eletivas em Santa Catarina. No primeiro trimestre deste ano, foram realizadas 34.202 cirurgias eletivas, sendo que a média mensal foi de 11.401. Ao mesmo tempo, entram 9.232 novos procedimentos para a fila. A meta da SES, pactuada com toda a rede hospitalar, é de 21.600 procedimentos mensais.

De acordo com o secretário adjunto da pasta, Alexandre Lencina Fagundes, é necessário continuar avançando com a rede hospitalar para ofertar mais cirurgias eletivas. “Já estamos realizando mais de 11 mil procedimentos ao mês, porém a meta pactuada com a rede hospitalar, entre hospitais públicos, administrados por organizações sociais, filantrópicos contratualizados, somam mais de 20 mil procedimentos. Estamos fazendo esse movimento de conversar com toda a rede hospitalar para entender as dificuldades, auxiliá-los e conseguir realizar as cirurgias pactuadas. E nesse primeiro momento, vamos nos grandes hospitais que são referência para as altas complexidades, melhorando e buscando atingir essa meta para tirar os pacientes das filas por cirurgia eletiva”, explica.

A primeira região a ser visitada é a Oeste. Na sexta-feira, o secretário adjunto realizou agenda no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, e no Hospital Regional São Paulo, em Xanxerê. Na segunda-feira, 20, será a vez do Hospital São Francisco, de Concórdia, e no Hospital Universitário Santa Teresinha, de Joaçaba. As reuniões serão com a direção das unidades, secretários de saúde dos municípios e representantes da região.

A nova Política Hospitalar Catarinense é uma importante ação para aumentar o número de cirurgias realizadas e diminuir as filas. Ela permitirá um investimento de aproximadamente R$ 618,2 milhões nos hospitais de Santa Catarina neste ano. Os recursos são utilizados para custeio, manutenção e investimento (desde que previamente aprovado). Os profissionais da SES têm trabalhado, desde o segundo semestre de 2021, implantando ações efetivas para entregar serviços de saúde mais próximos do cidadão, de forma regionalizada.

Referência Nacional

Santa Catarina foi o estado que mais realizou cirurgias eletivas hospitalares em 2021, mesmo em ano de pandemia, segundo dados do Ministério da Saúde. Foram 41.603 cirurgias hospitalares em 365 dias, mais 57.081 cirurgias ambulatoriais no período. Foram realizadas um total de 98.684 cirurgias eletivas, ou seja, 17% do montante de 578 mil feitas no país.

Entre os estados do Sul, Santa Catarina foi o que mais realizou cirurgias eletivas como um todo, 350% a mais do que seus vizinhos. O Rio Grande do Sul fez 21.896, e o Paraná  20.045 procedimentos.

Os números também são positivos em cirurgias por habitante em comparação com todos os estados. Santa Catarina só perde pro Amapá, que tem uma população de 857 mil habitantes e realizou 43 mil cirurgias eletivas, enquanto o território catarinense possui 7.351.785 de habitantes e fez mais de 98 mil procedimentos.

Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br e secretariadeestadodasaude@gmail.com

Fotos: Mauricio Vieira / Secom 

Mantendo o trabalho de ampliação de assistência à saúde da população catarinense, o governador Carlos Moisés assinou convênio no valor de R$ 12 milhões para a construção da nova torre do Hospital Azambuja, em Brusque. Além disso, foram repassados mais R$ 5 milhões para abertura de dois novos leitos de UTI pediátrica e 10 neonatais, que estarão em funcionamento até o fim do mês. O ato ocorreu na tarde desta quarta-feira, 15, em agenda na região do Vale do Itajaí.

No período da tarde o chefe do Executivo estadual visitou a área onde será construída a torre e o local onde estão sendo instalados os novos leitos. A assinatura dos convênios ocorreu em seguida, durante ato na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB).

A nova torre com seis andares permitirá a ampliação do centro cirúrgico que hoje conta com seis salas e passará a contar com 10. Também serão instalados UTI Neonatal com 10 leitos de cuidados avançados e seis leitos de cuidados intermediários, lactário, leitos de internação clínica, 20 leitos de UTI adulto, salas de centro cirúrgico e Central de Material Esterilizado. Com o projeto, serão beneficiados cerca de 300 mil habitantes não só do município de Brusque, mas de toda a região. Além do investimento do Governo do Estado, o hospital terá uma contrapartida de cerca de R$ 2 milhões.

“É um importante hospital. Uma unidade filantrópica parceira. É muito bom saber que os recursos públicos estão sendo bem aplicados. Ampliar as ofertas de serviços é fundamental. Reforço que governar é diminuir o sofrimento das pessoas e esses investimentos vão trazer exatamente isso. Depois de dois anos de pandemia continuamos investindo em saúde para deixar o catarinense cada vez mais bem assistido. A direção do hospital me informou que é a primeira vez que a instituição recebe tantos recursos. Isso não acontece apenas na área da saúde, mas também com a educação, segurança, infraestrutura e outras áreas”, disse o governador.

:: Leia também: 
Governo do Estado inicia ampliação de leitos nas unidades hospitalares catarinenses
Governo do Estado repassa R$ 40 milhões para finalização do Complexo Madre Teresa

O repasse de verba para a abertura dos leitos infantis faz parte da estratégia do Governo do Estado para o enfrentamento da emergência em saúde. No Hospital Azambuja, serão abertos 12 dos 82 leitos entre neonatal e pediátricos previstos. “O Hospital atendeu à solicitação SES e compreendeu a urgência do momento, adiantando a abertura dos 10 leitos de UTI neonatal que posteriormente serão transferidos para a nova torre”, explica o secretário de Estado da Saúde, Aldo Neto.  “Momentos como este são o reflexo do trabalho desenvolvido por este governo. São ações de curto e longo prazo sempre com o objetivo de promover o acesso mais próximo aos serviços de saúde”, complementa.

A unidade participa da Política Hospital Catarinense, sendo hospital de porte IV, podendo receber o teto de R$ 1 milhão ao mês, atendendo às especialidades de neurologia, obstetrícia, psiquiatria, ginecologia, pediatria clínica e cirúrgica, clínica geral e hospital dia.

“A construção da Torre representa um marco na história do Hospital Azambuja, que comemora neste mês de junho, 120 anos de trajetória. Ela significa não só a ampliação de nossa estrutura, mas dos serviços oferecidos à população e reconhecemos que a assinatura deste convênio com o Governo do Estado, é o que tornará este projeto uma realidade. Carlos Moisés é o primeiro governador que olhou com carinho para a saúde” afirmou o diretor Administrativo Hospita Azambuja, Padre Nélio Roberto Schwanke.

Mais informações para a imprensa:
Karla Lobato
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

 

 Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O Governo do Estado anuncia, nesta terça-feira, em ato oficial em Itajaí, a finalização do repasse de R$ 40 milhões para o Hospital Marieta Konder Bornhausen. O valor será usado para instalação de aparelhos e mobiliário na nova torre, que teve investimento de R$ 95 milhões. A construção da nova estrutura também foi totalmente bancada pelo Executivo estadual, por meio do Pacto pela Saúde.

O Complexo Madre Teresa contará com Urgência e Emergência, Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI), Ambulatório, Banco de Leite, 241 leitos de internação, 20 leitos de UTI Adulto e 10 de UTI Neonatal, 10 leitos de Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), 12 salas cirúrgicas sendo 3 obstétricas, Central de Materiais Esterilizados (CME) e Unidade de Alta Complexidade Oncológica (Unacon).

“Itajaí é mais uma cidade que ganhará reforço importante para a saúde. Esse complexo é uma nova realidade, uma iniciativa que vai garantir um atendimento com mais eficiência e qualidade, não apenas para os moradores do município, mas de toda região”, diz o governador Carlos Moisés. 

“O hospital é um dos principais equipamentos em saúde para Foz do Rio Itajaí, e a entrega desse complexo trará ainda mais qualidade de atenção à população dessa região. Essa é a forma de trabalhar do governo de Santa Catarina, com mais serviços, qualidade e mais próximo de quem necessita”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Aldo Neto. 

Do último aporte de R$ 40 milhões, parte é decorrente do Pacto pela Saúde, sendo que R$ 35 milhões já foram repassados à unidade. Os outros R$ 4.350.710,65 deverão ser liberados em junho após a aprovação do Relatório de Identificação de Intervenções pelo BNDES. 

Desde que a obra foi retomada pela nova construtora, a SES realiza convênios para finalização do prédio. Em 2020, a pasta repassou R$ 881,9 mil para abertura de 40 leitos de UTI e 41 de internação, ambos de Covid-19. Também foram repassados quase R$ 3,6 milhões para aquisição de mobiliário, R$ 1,8 milhão para a conclusão de obras do convênio com a construtora anterior, R$ 9 milhões para a compra de equipamentos de grande porte que dependiam de obras para serem instalados (focos cirúrgicos, estativas e raios-x), e R$ 2,1 milhões para a finalização da obra do novo prédio. Além disso, a SES enviou 78 respiradores pulmonares para serem usados em pacientes Covid e que vão permanecer na unidade.

Atualmente, o Hospital conta com 329 leitos SUS entre Unidades de Terapia Intensiva adulto e Neonatal, cardiologia, neurologia, oncologia e obstetrícia.

Mais informações para a imprensa:
Karla Lobato
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

 Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

A região metropolitana da capital catarinense ganha um importante reforço na área da saúde com a abertura de 10 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) geral adulto e mais 17 de enfermaria no Hospital Florianópolis. As ampliações respondem à crescente necessidade de leitos de UTI e de enfermaria na região. As novas dependências foram inauguradas pelo governador Carlos Moisés na tarde desta segunda-feira, 13, no bairro Estreito, na Capital.

Com os novos leitos instalados no Hospital Florianópolis, o estado passa a ter 762 unidades, atualmente, ativas de terapia intensiva adulto. A unidade amplia de 10 para 20 leitos geral adulto, ou seja, dobra sua capacidade de internações. Na enfermaria, aumenta de 40 para 57.

O chefe do Executivo estadual ressaltou que este é mais um movimento do Estado no sentido de atender e oferecer os melhores serviços à população. Destacou também que a pressão na oferta de leitos acontece não só em Santa Catarina, mas em todo país. 

“Reagimos muito bem no enfrentamento da Covid-19, onde quase que triplicamos o número de leitos de UTI, isso nos trouxe a experiência necessária para que, agora, o Governo consiga ampliar a atuação neste momento de nova crise gerada por diversos fatores, mas principalmente pela aproximação dos dias frios e pela falta de fé no programa de imunização”, disse o governador, ao reforçar a necessidade da população comparecer nas salas de vacinas.

A obra é uma parceria entre o Hospital Florianópolis e o Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Saúde e o Instituto Maria Schmitt (IMAS) – a entidade gestora. O hospital é administrado por Organização Social (OS). Estes leitos serão custeados por meio de aditivo ao contrato principal, no valor de R$ 487.814,25 (acréscimo mensal para 10 leitos UTI) e de R$ 379.082,84 (acréscimo mensal para 17 enfermarias). O repasse permanece durante toda a vigência do contrato. 

O secretário adjunto da Saúde, Alexandre Lencina Fagundes, pontuou que o Governo reorganizou a rede para garantir a assistência à população em todas as regiões.

“O Hospital Florianópolis fez um importante papel no enfrentamento da pandemia, sendo referência, e hoje também colabora com as outras linhas de cuidado. Entregamos mais estrutura, mais serviços de qualidade. Esse é o nosso propósito na lógica da regionalização de saúde, para que a população tenha atendimento próximo de suas residências.” 

“Essas ampliações vão qualificar ainda mais os serviços na saúde, especialmente neste momento de muitas doenças respiratórias. Isso demonstra inclusive que a celeridade e a preocupação de todos, principalmente do Governo do Estado em solucionar essas questões latentes”, pontuou o presidente do IMAS, Walmiro Charão. 

A presidente da Associação Amigos do Hospital Florianópolis, Ivonete Brüggemann, destacou que as ampliações são fundamentais para oferecer um melhor atendimento. “O hospital está com um grande número de internações. Tudo que venha a melhorar é bem-vindo. Hoje, 13 de junho, é um dia que ficará marcado na história dessa unidade.” 

Mais 82 leitos pediátricos e neonatais

Na semana passada, foram abertos seis novos leitos de UTI neonatal e oito de cuidados intermediários pediátricos em Santa Catarina. São os primeiros 14 dos 82 leitos pediátricos e neonatais que estão sendo implantados na Grande Florianópolis, Meio-Oeste e Serra - 71 novos leitos de UTIs e 11 leitos de retaguarda.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Para monitorar as ações que estão sendo realizadas frente a emergência em saúde do Estado de Santa Catarina, decretada no dia 3 de junho, será publicada nesta sexta-feira a portaria que institui a instalação da Sala de Situação.

Este ambiente de trabalho será composto pelo gabinete da SES e superintendências; pelo Ministério Público (MP-SC) e Ministério da Saúde (MS), além dos Conselhos Estadual de Saúde (CES) e das Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS).

O Governo do Estado, por meio da SES, está trabalhando em diferentes áreas de atuação, divididas em: prevenção, aporte financeiro para a atenção primária por meio de convênios com os municípios e investimentos na ampliação de leitos.

Os valores repassados aos entes municipais visam a ampliação do enfrentamento à dengue e as doenças respiratórias, por meio da aquisição de medicamentos, equipamentos e materiais permanentes, além do custeio de horas trabalhadas por profissionais de saúde, entre outras atividades. O acompanhamento em tempo real das ações será realizado pelo gabinete e superintendências, que farão parte da Sala de Situação.

Além disso, serão realizadas, a cada 14 dias, reuniões com o grupo ampliado, promovendo discussões e a atualização das ações prevista e já realizadas.

Mais informações para a imprensa:
Karla Lobato
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

 Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

O governador Carlos Moisés voltou a fazer um apelo à população para que busque as vacinas contra doenças respiratórias disponíveis no sistema de saúde. O chefe do Exectuvio estadual enfatizou que dados da Secretaria de Estado da Saúde indicam que o alto índice de internações hospitalares está diretamente ligado à baixa cobertura vacinal de crianças, adultos e idosos.

“Temos vacinas disponíveis, seguras e eficientes contra a Covid-19 e contra a gripe. Novos casos de doenças respiratórias estão lotando hospitais e sobrecarregando o sistema. Em dois anos de pandemia, o Governo mais que dobrou o número de leitos na rede pública, estamos abrindo mais 82, e não tem sido suficiente diante da demanda. Vamos nos prevenir, nos cuidar e proteger quem está a nossa volta, principalmente crianças e idosos. Se você ainda não tomou as vacinas, procure um posto de saúde e faça a sua imunização”, reforçou o governador.

A cobertura vacinal da gripe está em 52% nos grupos prioritários, mas já chegou a mais de 90% em anos anteriores. Ao todo, 1.298.792 doses foram aplicadas até sexta-feira, 10. 

Também há redução na busca de imunização contra Covid-19. Atualmente, mais de 5,8 milhões de catarinenses completaram o esquema primário de vacinação, o que equivale a 86,1% da população vacinável. Porém, apenas 47,1% da população acima dos 18 anos recebeu a dose de reforço, que está liberada para este público desde 20 de novembro de 2021. 

O principal alerta é para a população acima dos 50 anos. Segundo os dados do boletim epidemiológico da Covid-19, dos 77 óbitos por Covid em maio deste ano, 71 deles (92%) foram de pessoas dessa faixa etária. Nessa população, o esquema primário de duas doses ou dose única alcançou 98,2%, mas a cobertura da primeira dose de reforço ficou em 66,5%. Além disso, desde a semana passada, uma segunda dose de reforço passou a ser recomendada para uma maior proteção deste público-alvo, e menos de 10% das pessoas aptas já a recebeu. 

Mais 82 leitos pediátricos e neonatais

 Foto: Maurício Vieira/Secom

Nesta semana, foram abertos 6 novos espaços de UTI neonatal e 8 de cuidados intermediários pediátricos. Esses são apenas os primeiros 14 dos 82 leitos previstos entre pediátricos e neonatais que farão parte dos atendimentos do serviço único de saúde.

Os novos leitos estão divididos entre a Grande Florianópolis, Meio-Oeste e Serra. São 5 UTIs neonatal no Hospital Hélio dos Anjos Ortiz, em Curitibanos, e 1 leito de UTI neonatal no Hospital Infantil Joana de Gusmão, que também ganhou 8 leitos de cuidados intermediários pediátricos.

As tratativas entre a SES e as unidades hospitalares seguem para tentar ampliar esses números. Até agora, foram acrescentados 14 leitos de atendimentos infantis aos 68 anunciados anteriormente, totalizando 82 (71 novos leitos de UTIs, divididas entre neonatal e pediátrica), mais 11 leitos de retaguarda). Há ainda a possibilidade de ampliação do número.

Além das 82 unidades para os pacientes infantis, no dia 13 serão abertos 10 novos leitos de UTI adulto e 17 de enfermaria instalados no Hospital Florianópolis. Com este incremento, o estado passará a contar com 756 unidades de terapia intensiva adulto.

Eficácia da vacinação contra Covid

Passado um ano e meio do início da vacinação contra a Covid-19, mais de 14,9 milhões de doses já foram aplicadas em Santa Catarina. Com isso, houve uma importante redução na gravidade da doença, refletido na queda do número de hospitalizações e mortes. 

A campanha de vacinação contra a Covid-19 teve início em janeiro de 2021. Até junho de 2021, pouco mais de 857 mil catarinenses já tinham completado o esquema primário de vacinação, o equivalente a 12.7% de cobertura da população vacinável. Considerando o período de janeiro de 2020 a junho de 2021, já tinham sido registrados 1.101.413 casos de Covid-19, com 62.418 hospitalizações e 17.928 óbitos. 

A partir de julho de 2021, foram registrados 655.795 casos de Covid-19, com pouco mais de 16.951 hospitalizações e 3.971 óbitos. Ou seja, a partir do momento que a campanha de vacinação começou a avançar no Brasil, houve uma redução de 40% nos casos, de 73% das hospitalizações e de 78% dos óbitos por Covid-19, mesmo com a presença de novas variantes, como a Delta e Ômicron, ainda mais transmissíveis que as anteriores.

Agora, a campanha de imunização entra em nova fase. O foco se dá principalmente nas doses de reforço, que comprovadamente aumentam a proteção contra o Coronavírus. 

::: A ROTA DA VACINA: Trabalho e logística eficiente levam esperança a milhões de catarinenses

Ao longo de dois anos e meio de pandemia, o coronavírus apresentou uma imensa capacidade de mutação, o que fez surgir diferentes variantes que foram responsáveis pelas grandes ondas pandêmicas. Destas, a variante Ômicron foi a responsável pelo grande número de casos registrados no início de 2022. No momento, uma subvariante da Ômicron, chamada BA.2, é responsável por quase que a totalidade dos casos novos. Ela é ainda mais transmissível que a original, e tem sido responsável por um aumento no número de casos graves e óbitos de pessoas com idade acima de 50 anos que não receberam as doses de reforço.

Portanto, a partir de agora, a melhor forma de se proteger contra uma possível nova onda de infecções pelo coronavírus é recebendo a dose de reforço, que deve ser aplicada para todas as pessoas a partir dos 12 anos de idade, e 4 meses após completarem o esquema vacinal primário. As pessoas acima de 50 anos devem receber uma segunda dose de reforço 4 meses após a primeira dose de reforço. Com isso, continuaremos mantendo os baixos índices de hospitalizações e mortes por Covid-19 no estado.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3029
E-mail: imprensa@secom.sc.gov.br
Site: www.sc.gov.br

 Foto: Maurício Vieira/Secom

Cumprindo o compromisso do Governo do Estado na ampliação de leitos em Santa Catarina, nesta semana foram abertos 6 novos leitos de UTI neonatal e 8 de cuidados intermediários pediátricos. Esses são apenas os primeiros 14 dos 82 leitos previstos entre pediátricos e neonatais que farão parte dos atendimentos do serviço único de saúde.

Os novos leitos estão divididos entre a Grande Florianópolis, Meio-Oeste e Serra. São 5 UTIs neonatal no Hospital Hélio dos Anjos Ortiz, em Curitibanos, e 1 leito de UTI neonatal no Hospital Infantil Joana de Gusmão, que também ganhou 8 leitos de cuidados intermediários pediátricos.

As tratativas entre a SES e as unidades hospitalares seguem para tentar ampliar esses números. Até agora, foram acrescentados 14 leitos de atendimentos infantis aos 68 anunciados anteriormente, totalizando 82 (71 novos leitos de UTIs, divididos entre neonatal e pediátrica, mais 11 leitos de retaguarda). Há ainda a possibilidade de ampliação.

Leitos adulto

Além das 82 unidades para os pacientes infantis, no dia 13 de junho serão abertos 10 novos leitos de UTI e 17 de enfermaria instalados no Hospital Florianópolis. Com este incremento, o estado passará a contar com 756 unidades de terapia intensiva adulto. 

Outros 5 leitos estão previstos para o Hospital Governador Celso Ramos e o Regional de São José.

As unidades inagurudas são:

*Hospital Hélio dos Anjos Ortiz, em Curitibanos: 5 UTIs neonatal
*Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis: 1 UTI neonatal, 8 intermediários pediátricos

As unidades que vão receber os demais leitos são:

Hospital Pequeno Anjo, em Itajaí: 6 UTI pediátrica;
Hospital e Maternidade Jaraguá do Sul: 6 de UTI pediátrica;
Hospital Azambuja, em Brusque: 10 de UTI neonatal e 2 de UTI pediátrica;
Hospital Seara do Bem, em Lages: 5 de UTI pediátrica;
Hospital Governador Celso Ramos, em Florianópolis: 4 de UTI adulto;
Hospital Regional de Araranguá: 5 de UTI neonatal;
Hospital e Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis: 3 leitos intermediários canguru;
Hospital Infantil Jesser Amarante Faria, em Joinville: 10 de UTI pediátrica;
Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul: 4 de UTI neonatal;
Hospital Materno Infantil Santa Catarina, em Criciúma: 7 de UTI neonatal;
Hospital Regional de São José: 10 de UTI neonatal e 1 de UTI adulto;
Hospital Florianópolis: 10 de UTI  adulto.

Este movimento de ampliação faz parte da estratégia adotada para enfrentamento da sobrecarga do sistema de saúde frente as doenças respiratórias, características desta época do ano, bem como da Covid-19 e da dengue. Desde o dia 1º de junho está valendo o decreto de emergência em saúde que possibilita a ampliação de leitos com as unidades hospitalares, bem como prevê um aporte financeiro aos municípios.

Esse incremento de verba deverá ser utilizado em estratégias de campanha de vacinação, ampliação dos horários de atendimento da rede básica de saúde e combate ao mosquito da dengue.

Mais informações para a imprensa:
Karla Lobato
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

 Foto: Peterson Paul/Secom

O governador Carlos Moisés se reuniu com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em Brasília nesta quarta-feira, 08, para tratar da alta na ocupação dos leitos de UTI neonatais e pediátricos em Santa Catarina. Moisés detalhou ao ministro a estratégia do Governo do Estado para abrir 77 novos leitos de UTI e retaguarda deste tipo nos próximos três meses. Pelo menos 20 deles devem ser abertos já nos próximos 10 dias. A audiência foi acompanhada pelo secretário de Estado da Saúde, Aldo Baptista Neto.

O governador também debateu com o ministro quais dos novos leitos serão habilitados permanentemente. Para isso, ele solicitou a parceria do Ministério da Saúde. “Nós já ampliamos o número de leitos anteriormente. Por uma questão sazonal, isso não foi suficiente. Por isso, estamos adotando essa nova estratégia, com 77 novos leitos”, afirmou o governador após a audiência. 

No encontro, o governador também solicitou ao ministro o envio de mais profissionais ao estado para atuar no combate à dengue. “O cenário da dengue hoje não combina com Santa Catarina. Nós percebemos uma diminuição do número de técnicos. Precisamos reforçar a estratégia de combate ao mosquito. Também estamos atuando ao lado dos municípios para ampliar a oferta de serviço, por meio de parcerias. Queremos cofinanciar”, detalhou o governador. 

Outros temas tratados na conversa com Queiroga foram os processos de habilitação para novas especialidades em hospitais do estado, a dificuldade na aquisição de alguns medicamentos e o aumento da conectividade entre os sistemas do Estado e da União para a integração de dados.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3029
E-mail: imprensa@secom.sc.gov.br
Site: www.sc.gov.br

Salvar
Preferências para Cookies
Usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você recusar o uso de cookies, este site pode não funcionar como esperado.
Aceitar todos
Rejeitar todos
Leia mais
Analytics
Ferramentas usadas para analisar os dados para medir a eficácia de um site e entender como ele funciona.
Google Analytics
Aceitar
Rejeitar