Foto: Divulgação / Casan

A Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) juntamente com as agências reguladoras intermunicipais Aris e Agir assinaram acordo de cooperação técnica para auditoria e certificação das informações prestadas pela Casan. A Companhia catarinense repassa dados de saneamento e esgotamento sanitário ao Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

O SNIS, administrado pelo Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), é o maior e mais importante sistema de informações sobre o saneamento básico no Brasil, sendo alimentado de forma auto declaratória pelos prestadores de serviço.

Por meio da Metodologia Acertar, as agências reguladoras são responsáveis por verificar o nível de qualidade dessas informações que são repassadas ao SNIS, emitindo uma nota de certificação.

A informação adequada permite a tomada de decisões mais racionais e fundamentadas, e consequentemente uma melhor gestão dos serviços prestados, aumentando assim a transparência do setor perante à sociedade.

Iniciativa inédita no Brasil

Em razão da Casan atuar em diversos municípios de Santa Catarina, com diferentes órgãos reguladores, a cooperação entre as três agências é uma iniciativa inédita no país que tem como objetivo unir os trabalhos de auditoria para certificação conjunta das informações da Companhia estadual.

Isso qualifica não apenas a regulação, como a própria prestação dos serviços públicos, visto que a Metodologia Acertar tem como foco a melhoria contínua dos processos.

A gerente de Fiscalização de Saneamento Básico da Aresc, Luiza Burgardt, ressalta a importância da iniciativa para fortalecer o setor de saneamento em Santa Catarina. Ela também enfatiza que a ação conjunta vem a somar com os esforços que são realizados diariamente para garantir o atendimento adequado à população.

A gerente ainda defende que o projeto foi desenvolvido com foco na identificação e análise de riscos que podem resultar em distorções nas informações declaradas ao SNIS. "Então, para obter uma boa nota de certificação, é preciso desenvolver bons procedimentos internos de geração dessas informações. Processos sólidos geram informações confiáveis, que são imprescindíveis para moldar o futuro da prestação de serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, bem como para a formulação de políticas municipais, estaduais e nacionais de saneamento básico”, conclui.

Ciclo do Programa

A aplicação integral da metodologia de auditoria e certificação, que inclui testes de confiança e testes de exatidão das informações, garante uma atuação mais eficiente do ente regulador na fiscalização dos serviços públicos, na elaboração de normas disciplinadoras, assim como na regulação tarifária.

Mais informações para a imprensa
Flávia Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3664-4211
Site: www.aresc.sc.gov.br

 

 

Os cidadãos catarinenses terão à disposição, a partir desta sexta-feira, 24, o Painel Interativo do Programa de Monitoramento Qualiágua SC, que periodicamente analisa a qualidade da água de rios da região litorânea do estado. O objetivo é possibilitar um acesso mais simples, intuitivo e detalhado aos resultados das análises realizadas trimestralmente. Atualmente, a Secretaria Executiva do Meio Ambiente (Sema), integrada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), monitora 40 pontos em rios da região Leste. O objetivo é ampliar a rede com a implantação de mais 65 pontos de monitoramento, distribuídos pelas demais regiões, até 2022.

O Painel Interativo pode ser acessado por meio do portal do Sistema de Informações de Recursos Hídricos de Santa Catarina (Sirhesc), neste endereço. O Programa de Monitoramento Qualiágua SC foi implantado em 2019 e, até a disponibilização do Painel, os dados eram divulgados por meio de boletins que sintetizam as informações de cada campanha de análise. Com a ferramenta interativa, a principal mudança é a possibilidade de acessar os resultados de todos os parâmetros quantificados em cada ponto de monitoramento, o que pode ser consultado por meio do município onde ele está localizado.

Conforme explica o secretário Executivo do Meio Ambiente, Leonardo Porto Ferreira, o Programa de Monitoramento está construindo um banco de dados que é necessário para a efetividade e o avanço do processo de gestão de recursos hídricos em Santa Catarina. “Dar acesso a esses dados a todos os interessados, de maneira mais transparente, é mais um passo nessa direção.” Porto Ferreira lembrou que o Monitoramento da Qualidade da Água é um dos principais mecanismos de combate à poluição. “Com ele, a gente identifica os principais locais com problemas na qualidade e, com isso, consegue propor políticas e ações mais direcionadas a algumas regiões”, afirmou.

Qualiágua SC

O Programa de Monitoramento da Qualidade das Águas de Santa Catarina é desenvolvido em parceria com a Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANA) e é uma das linhas de ação previstas no Plano Estadual de Recursos Hídricos (PERH). A implantação do Painel Interativo conta com o apoio, ainda, da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) e do laboratório que realiza as análises do Qualiágua SC (LABB).

Mais informações para a imprensa:
Marcionize Bavaresco
Jornalista | Gestão da Comunicação Institucional para Recursos Hídricos
Programa de Apoio à Pesquisa Aplicada na Área de Recursos Hídricos (Fapesc/SDE)
Secretaria Executiva do Meio Ambiente – Sema
E-mail: marcionize@sde.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4281
Site: www.sde.sc.gov.br e www.aguas.sc.gov.br

 Rio Chapecozinho, na região Oeste - Foto: Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica/Defesa Civil

A edição do Boletim Hidrometeorológico Integrado, divulgada nesta quarta-feira, 02, indica agravamento generalizado das condições de estiagem em Santa Catarina. Os acumulados de chuva em agosto foram baixos na maior parte do Estado. Apenas em pontos do Litoral Norte é que a umidade transportada do oceano para a costa fez com que a chuva ficasse com valores acima dos 100 mm, com destaque para Joinville, onde choveu 160 mm. Nas demais regiões, no geral, a precipitação acumulada ficou abaixo dos 70 mm, com destaque para cidades do Meio Oeste, onde os acumulados ficaram entre 20 mm e 60 mm.

Com a confirmação da permanência da previsão de chuvas abaixo da média no longo prazo, a expectativa é de que os níveis dos rios não retornem à média histórica até o início de 2022. Essas condições seguem impactando com maior intensidade as regiões Oeste e Meio Oeste. Desse modo, verifica-se que a estiagem hidrológica tende a intensificar seus impactos e consequências para o restante deste ano.

Confira aqui o boletim na íntegra 

Situação do abastecimento urbano

Entre os 295 municípios de Santa Catarina, 264 atualizaram a situação do abastecimento urbano junto às agências reguladoras. Desses, 150 estão em estado de normalidade do abastecimento, 83 em atenção, 27 em alerta e quatro em estado crítico. Isso representa um crescimento de municípios com algum tipo de comprometimento do abastecimento em comparação com o boletim anterior, divulgado em 18 de agosto, quando eram 70 municípios em estado de atenção, 18 em alerta e dois em estado crítico. 

Conforme o secretário executivo do Meio Ambiente, Leonardo Porto Ferreira, a situação requer que se intensifique a atenção para o consumo consciente de água. Especialmente tendo em vista que a previsão é de manutenção das chuvas abaixo da média para o período pelo menos até o fim deste ano. “Vamos monitorar se essa previsão se confirmará, de qualquer forma, é fundamental um consumo consciente e a atenção de todos para vazamentos ou outras formas de desperdício”, explica.

Previsão

O período até o dia 8 de setembro deve ser marcado por chuva em Santa Catarina. A previsão indica a passagem de sistemas frontais que provocam chuva irregular pelo estado. Já no segundo período de setembro (entre os dias 9 e 16), a previsão indica chuva melhor distribuída. Com isso, os volumes de precipitação previstos variam de 20 mm a 90 mm, sendo esperados os maiores valores entre as regiões Oeste e Centro-Norte catarinense.

A previsão para setembro, outubro e novembro é de que a chuva se mantenha abaixo da normal climatológica entre o Extremo Oeste e o Meio Oeste, enquanto que no Litoral e planaltos fique próxima da média esperada para o período. "Estamos dando atenção especial ao monitoramento, em especial, às regiões mais afetadas, dentro do que nos compete enquanto entidade fiscalizadora, auxiliando assim os demais órgãos parceiros neste monitoramento da estiagem", explica a Gerente de Fiscalização da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), Luiza Burgardt.

Boletim Hidrometeorológico

O Boletim Integrado é fundamental para o planejamento dos municípios em relação ao enfrentamento da estiagem. As informações são repassadas para os administradores dos municípios e das empresas de captação e distribuição de água para que ações mitigatórias sejam desenvolvidas. O documento mais atual demonstra o agravamento generalizado das condições de estiagem e consequente piora do abastecimento em grande parte das cidades catarinenses.

A Defesa Civil de Santa Catarina segue atuando no apoio técnico e na resposta aos municípios com o repasse de equipamento para suporte as comunidades atingidas. Até o momento, foram entregues 580 reservatórios e 64 kits de transporte de água limpa, que amplia a capacidade de distribuição de água pelas prefeituras. Isso representa um investimento de R$ 2.781.419,50 do Governo do Estado.

A confirmação da previsão de chuvas abaixo da média demonstra que, apenas no início de 2022, os rios devem voltar para a média histórica. Esta realidade reforça a necessidade de ações de médio e longo prazo para a busca de soluções para o fenômeno. “É de fundamental importância que projetos, como a construção de reservatórios e a proteção de nascentes, sejam desenvolvidos”, destacou o chefe da DCSC, David Busarello. Segundo ele, o uso consciente da água pela população também tem um papel fundamental para o enfrentamento do quadro.

Mais informações para imprensa:
Flávia Farias Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-9013 / 99127-1839
www.aresc.sc.gov.br


Mais informações para a imprensa:
Marcionize Bavaresco
Jornalista | Gestão da Comunicação Institucional para Recursos Hídricos
Programa de Apoio à Pesquisa Aplicada na Área de Recursos Hídricos (Fapesc/SDE)
Secretaria Executiva do Meio Ambiente – Sema
E-mail: marcionize@sde.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4281
Site: www.sde.sc.gov.br e https://www.aguas.sc.gov.b


Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

 
Fotos: Divulgação/SEMA

Foi lançado, em evento virtual realizado nesta quarta-feira, 4, o Plano de Capacitação Continuada em Recursos Hídricos de Santa Catarina (PCRHI-SC), desenvolvido pela Secretaria Executiva de Meio Ambiente (Sema), órgão integrante da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE). Voltado aos integrantes das organizações vinculadas ao Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SEGRH) e a entidades que de alguma forma se relacionam com a gestão da água em âmbito estadual, os eventos e capacitações que integram o plano serão realizados ao longo do segundo semestre de 2021.

Conforme o diretor de Recursos Hídricos e Saneamento da Sema, Pedro Brolezzi, o objetivo do Plano de Capacitação é possibilitar o desenvolvimento de competências necessárias para melhorar o desempenho das atividades de gestão dos recursos hídricos em Santa Catarina. O Plano de Capacitação Continuada é uma das ações do Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas (Progestão), da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), do qual o Estado participa.

O secretário executivo de Meio Ambiente, Leonardo Porto Ferreira, destacou que o Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos é dinâmico e vem passando por um processo de modernização. “Por isso, a importância da capacitação, do treinamento continuado, para que os atores do sistema fiquem atualizados sobre o que há de novo na política estadual e nacional de Recursos Hídricos e preparados para os novos desafios que temos pela frente, com relação à gestão das águas”, enfatizou.


Leonardo Porto Ferreira, secretário executivo da SEMA

O evento de lançamento foi transmitido pelo canal da SDE no Youtube (youtube.com/c/SDEGOVSC), onde o vídeo está disponível.


Atividades

As capacitações serão realizadas de maneira remota, com o apoio da Fundação Escola de Governo (ENA). A diretora técnico-científica da Fundação, Mara Brognoli Hack, explicou os mecanismos principais da plataforma que será utilizada para as atividades. Os cursos e eventos serão gratuitos e os participantes receberão certificados.

A apresentação do cronograma das ações coube ao gerente de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos da Sema, Vinícius Tavares Constante. Ele destacou que os temas a serem abordados foram elencados de maneira coletiva, por meio de consulta aos integrantes do Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SEGRH). Entre agosto e dezembro de 2021 serão realizadas nove atividades. A programação e demais informações sobre as formas de inscrição e participação podem ser conferidas AQUI.

O Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos

O SEGRH é composto pelo órgão gestor, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE); pelo órgão de orientação superior, o Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CERH/SC); os comitês de bacia hidrográfica; e as Entidades Executivas que prestam apoio aos comitês. Atualmente existem 16 comitês em funcionamento em Santa Catarina, distribuídos por todas as regiões do Estado.


Saiba mais em: www.aguas.sc.gov.br.

Marcionize Bavaresco
Jornalista | Gestão da Comunicação Institucional para Recursos Hídricos
Programa de Apoio à Pesquisa Aplicada na Área de Recursos Hídricos (Fapesc/SDE)
Secretaria Executiva do Meio Ambiente – Sema
E-mail: marcionize@sde.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4281


O governador Carlos Moisés e a presidente da Casan - Fotos: Júlio Cavalheiro/Secom

O governador Carlos Moisés conheceu nesta sexta-feira, 9, em reunião na Casa D'Agronômica com a presidente da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), Roberta Maas dos Anjos, os resultados do projeto 'Casan Sem Papel', que usa a tecnologia como parceira na gestão de processos administrativos. Na oportunidade, o chefe do Executivo estadual foi agraciado com uma placa que marca a comemoração dos 50 anos da empresa. A homenagem foi concedida como uma forma de agradecimento pelas contribuições do governo do Estado ao setor de saneamento e pelo apoio do chefe do Executivo à gestão da companhia.

Carlos Moisés enalteceu o trabalho da Casan e destacou que as ações da empresa representam gestos de responsabilidade com o presente, com as futuras gerações e a preocupação com o meio ambiente. “A companhia se integra de fato ao colegiado da gestão pública do nosso governo. Temos um compromisso de aplicar o dinheiro público naquilo que é necessário à população. O projeto 'Casan sem papel', alinhado ao 'Governo sem Papel', nos deixa muito satisfeitos, e já apresentou uma economia de R$ 1,4 milhão neste primeiro semestre”, destacou o governador.

Roberta Maas dos Anjos explicou que, desde janeiro, quando a digitalizarão do 'Casan sem Papel' passou a ser usada para a gestão de processos de modo 100% automatizado, a companhia registrou economia de cerca de três mil quilos de papel e 273 toners de tinta para impressão, que seriam destinados à compra de papel, impressões, armazenagem e transporte de documentos físicos, além de 7 milhões de litros de água poupados na fabricação de papel.

A presidente da Casan disse também que a companhia está investindo em todo o Estado. São obras que melhoram os índices de saneamento básico, além de desenvolver projetos que envolvem planejamento e tecnologia, para proporcionar mais segurança e eficiência aos sistemas de abastecimento e tratamento da água. Acrescentou que estão sendo investidos R$ 800 milhões somente em esgotamento sanitário. Ainda para 2021, a projeção é de colocar em operação pelo menos oito novos sistemas de esgotamento sanitário, reduzindo ainda mais o déficit de cobertura no Estado.

“Esses dois anos da gestão do governador Carlos Moisés foram os mais positivos já registrados pela empresa. Período que não tivemos mais déficit em valores financeiros. O governo do Estado aumentou o capital da empresa, reinvestiu e colocou a companhia dentro do planejamento hídrico catarinense. Carlos Moisés proporcionou à Casan a oportunidade de oferecer mais qualidade de vida e segurança hídrica para a população. Então, nada mais justo do que reconhecer esse apoio recebido”, pontuou Roberta.

Também estiveram presentes os Diretores de Administração, Evandro Martins, e Financeiro, Ivan Gabriel Coutinho.

'Casan Sem Papel'

Conta com um painel eletrônico de resultados em tempo real, marca a transição da tramitação física de processos na instituição para o Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos (SGP-e), do Governo de Santa Catarina, e facilita o contato dos serviços da empresa aos cidadãos catarinenses.

 


Fotos: Divulgação/CASAN

A CASAN previa concluir até a meia-noite desta sexta-feira, 18, a instalação do sistema de bombeamento destinado a transportar excesso de água da chuva na Lagoa de Evapoinfiltração, que recebe o efluente depurado na estação de Tratamento de Esgoto Lagoa da Conceição. A medida, proposta terça-feira, 15, pela Companhia e aceita quinta-feira, 17, pelo órgão ambiental do município, foi adotada diante da previsão de fortes chuvas para o fim de semana, superiores a 100 milímetros, segundo alguns modelos meteorológicos.

A complexa instalação, que precisou do apoio de helicóptero para transportar os equipamentos até a região das dunas e assim respeitar a área de preservação ambiental, teve início tão logo a Floram deu aval à solicitação da CASAN, perto do meio-dia de quinta-feira, 17.

Os engenheiros e técnicos estão trabalhando sem interrupção, inclusive varando a madrugada, para colocar o equipamento em condições de operação. “Esta rede será utilizada nos momentos em que a intensidade pluviométrica estiver contribuindo para a elevação da cota do nível de operação da lagoa”, explicou o engenheiro Joel Horstmann, coordenador da operação.

Força-tarefa

Uma série de outras medidas foi colocada em prática pela Companhia, conforme a presidente Roberta Maas dos Anjos e o engenheiro Alexandre Trevisan expuseram aos participantes de reunião realizada no final da tarde desta sexta-feira, com a participação de representantes da Casa Civil do Governo do Estado, Prefeitura Municipal, Floram, Defesa Civil do Município e do Estado e do Instituto do Meio Ambiente (IMA), força-tarefa criada devido à previsão de chuvas intensas.

Roberta Maas relatou como a Companhia está fazendo o monitoramento permanente da área e detalhou todas as medidas implementadas para dar tranquilidade e acolhimento aos moradores da Servidão Manoel Luiz Duarte, afetados pelo deslizamento da lagoa em janeiro. O engenheiro Trevisan relatou os reforços nas estruturas recuperadas e, ao detalhar os níveis de cotas e volumes da lagoa artificial, mostrou os números que a CASAN considera limites, “em níveis ainda bem distantes de serem alcançados”, garantiu. 

Ao agradecer o comentário do secretário Municipal do Meio Ambiente, Fábio Braga, que falou em união das instituições “em prol da segurança dos moradores e do meio ambiente”, o presidente do IMA, Daniel Vinicius Netto, defendeu a gestão integrada da região da Lagoa da Conceição, incluindo cuidados com drenagens, ações assistenciais permanentes e inúmeras outras medidas. “Há uma tendência de sempre voltar o foco das responsabilidades na CASAN, mas temos de nos preocupar com a gestão como um todo da região, em momentos distantes das situações de risco”, sugeriu. “Há uma excessiva penalização da Companhia, mas a médio e longo prazo há outras atribuições que têm de ser lembradas”, complementou.

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Stefanelli 
Assessoria de Comunicação
Presidência da Casan
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5034 / 99136-9345
www.casan.com.br


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

A cidade de Curitibanos completou 152 anos de fundação nesta sexta-feira, 11, e coube ao governador Carlos Moisés entregar o presente. Uma solenidade marcou a inauguração do Sistema de Esgotamento Sanitário do município, um importante centro regional da Serra Catarinense. O investimento é de R$ 50,8 milhões, realizado pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), em uma parceria com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

A obra de Curitibanos integra o planejamento do Governo de Santa Catarina, que tem no saneamento uma de suas prioridades. Por meio da Casan, estão sendo investidos R$ 800 milhões somente em esgotamento sanitário. Para 2021, a projeção é de colocar em operação pelo menos oito sistemas de esgotamento sanitário, reduzindo ainda mais o déficit de cobertura no estado.

Na visão do governador Carlos Moisés, o investimento em saneamento básico representa um ato de responsabilidade não apenas para o presente, mas principalmente para as futuras gerações. Ele salientou ainda a alegria de poder estar presente em Curitibanos no aniversário da cidade e com uma entrega tão importante.

”Hoje é um dia emblemático para a cidade. É um prazer vir aqui para vivenciar esse momento. A Casan tem priorizado este tipo de investimento e nós entendemos que ele vai trazer mais atratividade para o município. Trata-se de uma iniciativa pensando no futuro, pois também gera riqueza e melhorias para o meio ambiente”, diz o governador.

A primeira etapa do Sistema de Esgotamento Sanitário de Curitibanos conta com uma Estação de Tratamento com capacidade de depurar até 40 litros por segundo, além de 38,6 quilômetros de rede coletoras, beneficiando 14 mil moradores. Os bairros contemplados são Centro, Bosque, Bom Jesus, Água Santa, Universitário Waldemar Ortigari, Vila Nossa Senhora Aparecida e São Francisco, atendendo pouco mais de 30% da população urbana do município.

A presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, salienta que a obra trará mais condições de saúde e qualidade de vida aos moradores, permitindo a conservação do meio ambiente e um desenvolvimento mais sustentável para Curitibanos no longo prazo. Ela ainda parabenizou a cidade pelos seus 152 anos e disse que a Casan continuará a investir na região.

“Essa entrega é um grande presente para o município no dia do seu aniversário. Uma obra importante e moderna que oportuniza saúde, além de colaborar com o desenvolvimento da região. Não somente do ponto de vista ambiental, mas também econômico”, diz.

O prefeito Kleberson Lima destacou que a obra vai trazer mais qualidade de vida para a população curitibanense: “O sentimento hoje é de agradecimento. É um dia muito especial para a nossa cidade. Essa obra é um grande passo que está sendo dado em relação à qualidade de vida e à saúde dos nossos cidadãos. Temos que comemorar esse momento penais no bem estar da nossa população”.

Reforço no abastecimento de água

Para reforçar o abastecimento de água em Curitibanos, a Casan está investindo aproximadamente R$ 3 milhões em melhorias no sistema já instalado na cidade. A principal ação é a automação da Estação de Tratamento, trabalho já em fase final. A informatização, que otimizará todas as tarefas de operação, permitirá um controle total do processo de tratamento, proporcionando mais segurança e confiabilidade na qualidade da água distribuída.

Além disso, a Estação de Tratamento receberá mais água a partir do segundo semestre deste ano. Está previsto para entrar em operação um poço profundo que acrescentará mais 22 mil litros por hora ao sistema, reforçando o abastecimento para os bairros São Luís, São José, São Francisco e Bosque.

Tampas comemorativas



Localizada no centro geográfico de Santa Catarina, Curitibanos recebeu também no dia de seu aniversário duas tampas personalizadas da Casan, que são um dos equipamentos usados para manutenção do Sistema de Esgotamento Sanitário. As pesadas tampas de ferro possuem design com símbolos da cidade: a Igreja Matriz, o Museu do Contestado, a Araucária, árvore característica da região, o alho e o agronegócio.

A personalização das peças integra as comemorações de 50 anos da Casan. Para cada novo sistema de esgoto inaugurado em Santa Catarina, a companhia entregará à prefeitura tampões com imagens de referências para a cidade.

Coração de Santa Catarina

Além da inauguração do Sistema de Esgotamento Sanitário, o governador Carlos Moisés também sancionou uma lei que altera a denominação de Curitibanos de “Capital Catarinense do Alho” para “Coração do Estado de Santa Catarina”. A proposição é do deputado estadual Nilso Berlanda, que acompanhou o ato nesta sexta-feira. Também estiveram presentes o deputado estadual Valdir Cobalchini e o secretário de Estado da Infraestrutura, Thiago Vieira.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 


Investimento em saneamento é uma das metas do Governo do Estado para o Desenvolvimento Sustentável - Foto: Divulgação / Casan

Na Semana que marca o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, e no ano em que completa seu cinquentenário, a Casan firma mais um compromisso com o Desenvolvimento Sustentável. A Companhia se integrou ao Movimento ODS Santa Catarina, da Organização das Nações Unidas (ONU).

O programa é formado por instituições comprometidas com a melhoria da qualidade de vida da sociedade catarinense, impulsionando os compromissos da Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável.

“O Governo do Estado, por meio da Casan, tem investido e conquistado grandes avanços no saneamento, uma área estratégica para conservação ambiental, que devemos comemorar neste Dia do Meio Ambiente. As melhorias trarão mais condições de desenvolvimento sustentável, de saúde e de qualidade de vida em nosso Estado”, reforça o governador Carlos Moisés,

"A sustentabilidade e a inovação de processos e tecnologias são bandeiras muito presentes no Governo de Santa Catarina e estão na missão da Casan. Sermos signatários do Pacto Global da ONU, nos integrando ao Movimento ODS, é um grande estímulo a todo nosso corpo funcional. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nos direcionam e motivam a operarmos com excelência e sensibilidade, avançando no saneamento, com reflexos diretos na conservação do ambiente e na saúde dos catarinenses, destaca a presidente da Companhia, Roberta Maas dos Anjos.

Água Potável e Saneamento

Tento Planejamento Hídrico como uma de suas prioridades, o Governo do Estado encaminha por meio da Casan projetos estruturantes para melhoria do abastecimento em Santa Catarina, uma das metas do Movimento ODS. Os investimentos neste campo chegam a aproximdamente R$ 2 bilhões e têm como foco projetos como o Chapecozinho.

A maior obra de Sistema de Abastecimento de Água em Santa Catarina está em andamento e beneficiará diretamente os municípios de Chapecó, Xaxim, Xanxerê e Cordilheira Alta.

Projetado para também estimular o desenvolvimento econômico da região e o crescimento demográfico das cidades, O Chapecozinho tem previsão de execução de três anos, quando o sistema de abastecimento estará apto a captar, tratar e distribuir 1,2 mil litros de água por segundo.

No campo do esgotamento sanitário, os avanços também são significativos e contam com recursos iniciais na ordem de R$ 800 milhões. A meta é levar o Estado a um dos primeiros lugares do ranking nacional de saneamento, oportunizando a universalização do saneamento básico.

Por meio da Casan, o Governo do Estado entregou no final do ano passado os sistemas de esgotamento sanitário de Concordia, Chapecó (Bairro Efapi), Balneário Piçarras e Lauro Müller.

Este ano já foi inaugurada a infraestrutura pública de coleta e tratamento de esgoto de Ibirama. Em breve será entregue o Sistema de Esgotamento Sanitário de Curitibanos, e outros estão em etapa de finalização: Araquari (Região do Bairro Itinga), Criciúma (Bairros Próspera e São Luiz) e Indaial (Bairro Tapajós).

Na Capital está em fase avançada a ampliação do sistema de esgoto dos balneários Ingleses e Santinho, e em andamento a ampliação do SES Insular a do SES Saco Grande. A Casan também possui obras nos municípios de Rio do Sul, Balneário Barra do Sul, Santo Amaro da Imperatriz e Ipira- Piratuba.

ODS - Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

• ODS #01 - Erradicação da Pobreza

• ODS #02 - Fome Zero e Agricultura Sustentável

• ODS #03 - Saúde e Bem-estar

• ODS #04 - Educação de Qualidade

• ODS #05 - Igualdade de Gênero

• ODS #06 - Água Potável e Saneamento

• ODS #07 - Energia Limpa e Acessível

• ODS #08 - Trabalho Decente e Crescimento Econômico

• ODS #09 - Indústria, Inovação e Infraestrutura

• ODS #10 - Redução das Desigualdades

• ODS #11 - Cidades e Comunidades Sustentáveis

• ODS #12 - Consumo e Produção Responsáveis

• ODS #13 - Ação contra a mudança global do clima

• ODS #15 - Vida Terrestre

• ODS #16 - Paz, Justiça e Instituições Eficazes

>>> Saiba mais em https://sc.movimentoods.org.br/

Informações adicionais para a imprensa:
Arley Reis 
Gerência de Comunicação Social
Companhia Catarinense de Águas e Saneamento
E-mail: areis@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5036 
www.casan.com.br

 

 


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O sistema de saneamento básico da cidade de Ibirama recebeu um importante impulso na tarde desta quinta-feira, 13. Uma solenidade com o governador Carlos Moisés marcou a inauguração da primeira Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do município, um dos mais importantes do Vale do Itajaí. O sistema completo, implementado pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), inclui ainda 20 quilômetros de rede coletora, quase quatro quilômetros de emissários terrestres, mais de mil ligações domiciliares e duas unidades elevatórias de bombeamento.

A primeira etapa do Sistema de Esgotamento Sanitário de Ibirama atende cerca de 4,6 mil moradores, o equivalente a 30% da população urbana, essencialmente nos bairros Centro, Operária e Taquaras. O investimento total foi de R$ 16,7 milhões, realizado por meio de um financiamento junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

“Investir em saneamento básico é pensar nas futuras gerações. Essa é uma obra que ninguém vai visitar, as pessoas passam na frente e muitas vezes nem sabem do que se trata. Ninguém conseguirá ver também os canos e os dutos, mas o Governo investe nisso, pois significa saúde para o catarinense, preservando o meio ambiente. Assim como ocorre aqui em Ibirama, estamos fazendo investimentos como esse em diversos municípios. É dessa maneira que trabalhamos”, afirmou o governador.

>>> Mais fotos na galeria 

A presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, ressalta que a companhia tem feito investimentos em cidades de médio e pequeno porte de Santa Catarina. No caso de Ibirama, ela lembra que o momento é para que os moradores regularizem a sua situação, especialmente pela proximidade das residências e propriedades agrícolas do Rio Hercílio.

“Como diz o nome, Ibirama é a região da fortuna. Hoje a Casan entrega uma importante obra, trazendo qualidade de vida para a população. Essa é uma etapa inicial, atendendo cerca de 30% da população, mas nós já temos o planejamento para as fases seguintes. O contrato da Casan com a prefeitura possui metas. Vale destacar também que, por determinação do governador Carlos Moisés, a Casan não está fazendo distinção entre municípios, apostando bastante também no lado social. Hoje temos diversos canteiros de obras pelo Estado afora”, destaca a presidente da companhia.

Para o prefeito de Ibirama, Adriano Poffo, a chegada do sistema de esgotamento sanitário é uma importante benfeitoria para o município. Segundo ele, por se tratar de uma obra que gera entraves na cidade, muitos gestores evitam fazer, porém ele exaltou a determinação do governador com o tema.

“Essa é uma obra que dificilmente um gestor quer fazer, pois gera transtornos e dá confusão na cidade. É um tal de fecha e abre, enterra tubo. Ninguém quer fazer, mas é uma obra de extrema importância para o futuro dos nossos municípios. Hoje o dia é de gratidão”, discursou o prefeito

Renovação de contrato com a Agência Francesa de Desenvolvimento



Também nesta quinta-feira, ocorreu a celebração simbólica da renovação de contrato entre a Casan e a Agência Francesa de Desenvolvimento. O aditivo permite investimentos de até R$ 100 milhões, possibilitando a conclusão de 16 obras em andamento nas diferentes regiões catarinenses. Na visão da presidente da Casan, trata-se de uma importante parceria para avançar na cobertura de saneamento básico do Estado.

“A Agência Francesa de Desenvolvimento é uma importante parceira da Casan, especialmente nas obras de esgotamento sanitário em cidades de médio porte. Hoje recebemos este aditivo de R$ 100 milhões, que permitirão avançarmos ainda mais. O dinheiro será usado também para a finalização de algumas obras, e como contrapartida de outros investimentos feitos com recursos próprios ou financiados pela Caixa Econômica Federal”, conta Roberta Maas dos Anjos.

Acompanharam o ato em Ibirama o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Dione Tonet, e os deputados estaduais Jerry Comper, Milton Hobus e Onir Mocellin.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

 


Rio Chapecó. Foto: Divulgação/ Comitê de Bacia Hidrográfica de Chapecó

Dados do Boletim Hidrometeorológico Integrado do Estado mostram que, na última quinzena, Santa Catarina registrou expansão da área de estiagem principalmente no Oeste e Meio-Oeste. De acordo com o documento, divulgado nesta quinta-feira, 06, pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), por meio da Secretaria Executiva do Meio Ambiente (Sema), 15 municípios estão em estado crítico frente à seca. No último relatório apresentado em abril, havia 11 cidades neste patamar.

Entre os municípios em estado crítico de abastecimento devido à estiagem estão: Abdon Batista; Águas Frias; Anchieta; Bom Jesus do Oeste; Chapecó; Concórdia; Coronel Martins; Descanso; Dionísio Cerqueira; Guaraciaba; Monte Carlo; Planalto Alegre; São Miguel da Boa Vista; São Miguel do Oeste e Zortéa.

Além disso, dos 283 municípios que encaminharam informações, 163 municípios estão em estado de normalidade; 97 de atenção, e oito em alerta.

“O agravamento da situação de estiagem acontece devido aos baixos volumes de precipitação nos últimos dois meses, principalmente no interior. E as perspectivas de chuva para os próximos meses indicam um período ainda mais seco no trimestre. Com a piora nos estados de criticidade, persiste a estiagem prolongada em Santa Catarina”, afirma o secretário da Sema, Leonardo Ferreira.

Diante da alta intensidade da seca hidrológica sobre o Estado, o comprometimento do abastecimento urbano em diversos municípios tende a se elevar. “Estamos seguindo, em parceria com as agências reguladoras, o acompanhamento junto às prestadoras de serviço de abastecimento urbano, para que as medidas de mitigação planejadas sejam efetivas, no sentido de reduzir os impactos da estiagem neste momento”, frisa o secretário, enfatizando a necessidade do uso racional e consciente por parte dos usuários de recursos hídricos e da população de modo geral em Santa Catarina.

O Boletim Hidrometeorológico Integrado é um estudo quinzenal, coordenado pela SDE, por meio da Sema, juntamente com a Defesa Civil de Santa Catarina, Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e outras agências reguladoras do Estado.

Recomendações

• Evite banhos demorados;
• Mantenha a torneira fechada ao fazer a barba e ao escovar os dentes;
• Antes de lavar os pratos e panelas, limpe bem os restos de comida e jogue-os no lixo;
• Deixe a louça de molho na pia com água e detergente por uns minutos e ensaboe. Repita o processo e enxágue;
• Adote o hábito de usar a vassoura e não a mangueira para limpar a calçada e o quintal de sua casa;
• Não lave o carro durante a estiagem. Caso precise, use balde e pano para lavar o carro em vez de mangueira;
• Use regador para molhar as plantas no lugar de mangueira;
• Utilize a máquina de lavar somente quando estiver na capacidade total;
• No tanque, feche a torneira enquanto ensaboa e esfrega a roupa;
• Mantenha a válvula de descarga regulada, e conserte imediatamente vazamentos.

Mais informações para a imprensa:
Mariane Lidorio
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-4298 / 99601-1488
E-mail: mari@sde.sc.gov.br
Site: www.sde.sc.gov.br