Foto: Ascom/Casan

No ano em que completou 50 anos, a Casan deixou para Santa Catarina a marca do planejamento e da expansão do esgotamento sanitário. Com suporte financeiro de R$ 1,7 bilhão do Governo do Estado, que estabeleceu a segurança hídrica como uma de suas prioridades, a Companhia deu início ao maior aporte de recursos de sua história em infraestrutura de abastecimento. São obras para ampliação da capacidade de produção de água, com 50 projetos para implantação ou modernização de Estações de Tratamento de Água. Esse investimento permitirá que no Sistema Casan, atualmente integrado por 194 municípios, a capacidade de produção de água seja mais do que duplicada. 

Os recursos estão também sendo aplicados em mais de 180 obras para implantação de novos reservatórios, 30 para ampliação de redes de adução e distribuição de água e mais de 50 perfurações de novos poços em todo o estado. Uma das principais frentes de trabalho é o Projeto Chapecozinho, maior obra de Sistema de Abastecimento de Água em Santa Catarina. Com 58 quilômetros de adutoras, reservatórios, estações de recalque (bombeamento) e de tratamento de água, O Chapecozinho vai beneficiar a população de Cordilheira Alta, Chapecó, Xaxim e Xanxerê.

“Com economias geradas em dois anos desta Diretoria formada por profissionais de carreira, e com o Planejamento Hídrico sendo uma das metas do Governo Carlos Moisés, a Casan prepara as cidades para os momentos de crise hídrica e para o crescimento da população, garantindo um bem essencial para a saúde e qualidade de vida”, destaca o Diretor-Presidente em exercício, Evandro André Martins.

Verão Mais Seguro

A segurança hídrica recebeu atenção também com foco na temporada 2021/2022. Integrada à operação Verão Mais Seguro, do Governo, a Casan nvestiu quase R$ 45 milhões em infraestrutura de água e esgoto para receber turistas na temporada que se inicia com Santa Carina em níveis controlados de contaminação pela Covid-19. A Operação Verão da Companhia ainda inclui campanha para uso responsável da água, com orientações e ações na mídia convencional, em plataformas digitais e redes sociais.

Esgotamento sanitário

No campo do esgotamento sanitário, 10 obras foram finalizadas em 2021, beneficiando as cidades de Araquari (Bairro Itinga), Chapecó (Bairro Efapi), Concórdia, Criciúma, Curitibanos, Ibirama, Indaial (Bairro Tapajós), São José (Ponta de Baixo e Centro Histórico), Maravilha e  Florianópolis (Monte Cristo).

Na Capital, a Companhia possui em andamento a ampliação do Sistema de Esgoto Insular e a implantação do Sistema Saco Grande/Monte Verde e do Sistema Ingleses/Santinho  – projetos que em conjunto somam investimentos de mais de R$ 340 milhões.

Ainda este ano, a Casan encaminhou aquela que será a maior obra de esgotamento sanitário de Santa Catarina: a desativação das lagoas de estabilização de Potecas, em São José, e a construção de uma nova e moderna Estação de Tratamento. Estão ainda em andamento projetos de implantação da infraestrutura de esgoto em Barra do Sul, Ipira-Piratuba, Itá, Rio do Sul e Santo Amaro.

Tratos pelo Saneamento

A Companhia também deixou sua marca nos Tratos pelo Saneamento. Os projetos são desenvolvidos em Florianópolis (Trato pela Lagoa e Trato pelo Capivari) e no Sul do estado, com o Trato por Laguna. Outros dois programas – o Trato pelo Lajeado São José, em Chapecó, e o Trato pelo Rio Araújo, no município de São José – estão sendo iniciados para fiscalização, orientações e diálogo com as comunidades para melhoria do uso da infraestrutura de coleta e tratamento de esgotos.

Marco do Saneamento

A Companhia prossegue também seu trabalho para ingressar na nova fase regida pelo Marco do Saneamento. Um dos fatos relevantes nesta caminhada foi o retorno positivo obtido junto ao mercado de capitais para obtenção dos recursos necessários à expansão dos serviços de abastecimento, de coleta e de tratamento de esgotos, como exige a nova legislação. 

Prospecção indicativa realizada pela Casan para captação de R$ 2,4 bilhões, valor avaliado como necessário para a primeira etapa de cumprimento das exigências do Novo Marco do Saneamento, até 2026, trouxe a possibilidade de obtenção de até R$ 13 bilhões –  quase seis vezes mais em relação ao que estava sendo buscado. 

Outro reconhecimento do mercado veio com o Troféu do Selo WOB – Women on Board, premiação que reconhece e divulga as organizações com pelo menos duas mulheres nos conselhos de administração ou consultivos. 

Atualmente, entre nove membros do Conselho Consultivo da Casan, quatro são mulheres, representatividade de 44% no órgão colegiado responsável pela orientação dos negócios da Companhia. Esse índice coloca a Casan como uma das empresas brasileiras de saneamento com a maior representação feminina em seu Conselho de Administração. A atenção à questão da diversidade é crescente, pois esse é um dos pilares da boa governança, uma meta também priorizada pela Casan.

Qualificação do corpo funcional 

Por meio de sua Universidade Corporativa, a Casan também continuou investindo em 2021 na capacitação e educação continuada de seu quadro funcional. Entre os diferenciais no ano de aniversário de 50 anos está a realização do 10º Encontro Técnico, com o tema “Inovando para o Futuro”. 

Com programações abertas ao público, o evento contou com apresentações de trabalhos de profissionais da própria Companhia e também palestrantes de renome, como o ecoteólogo Leonardo Boff, o coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto, Carlos Augusto de Lemos Chernicharo, e o pesquisador da Fiocruz, Léo Heller, que abordou o “Saneamento Básico como direito fundamenta.

Responsabilidade ambiental 

No ano em que completa cinco décadas, a Casan fortaleceu suas ações de responsabilidade ambiental. Tornou-se signatária do Movimento ODS Santa Catarina e renovou a parceria com o Consórcio Iberê para continuidade de ações de proteção e conservação da Mata Ciliar na Região Oeste.

O trabalho permite a proteção e recuperação de áreas de vegetação ao longo de cursos d´água nos municípios de Águas de Chapecó, Caxambu do Sul, Chapecó, Cordilheira Alta, Guatambu, Planalto Alegre e São Carlos. A valorização da agricultura familiar e da Política Nacional de Recursos Hídricos são metas do trabalho.

Além disso, como mais um marco em seu Cinquentenário, consolidou sua integração ao Programa Governo Sem Papel, que demonstra os ganhos com o Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos/SGP-e. No fechamento deste ano, a empresa contabiliza uma economia de 6 milhões de quilos de papel e uma poupança de 13 milhões de litros de água, que deixaram de ser usados para produzir todo o material economizado em 84 milhões de processos.

“É mais uma conquista que nos faz fechar com otimismo o ano, pois a digitalização dá mais transparência e celeridade à CASAN, qualificando os serviços, trazendo economia e sustentabilidade aos processos”, finaliza o Diretor Administrativo.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Fabiano Marques
www.casan.com.br

 


Foto: Divulgação / Casan 

Além do planejamento a longo prazo, a Casan trabalha com ações emergenciais para manter o abastecimento na Região Oeste. A Casan vem atuando para minimizar os impactos e manter o abastecimento para a população. Entre as ações está o trabalho de limpeza em barragens de captação de água, perfuração de novos poços, contratação de caminhão-pipa e melhorias na estrutura de tratamento e distribuição.

Segundo dados da Epagri/Ciram, as chuvas irregulares durante novembro e dezembro impactaram os níveis dos mananciais e rios da região. A situação é preocupante porque a previsão para os meses de verão é de chuvas irregulares e abaixo da média histórica justamente no Oeste.

Em São Miguel do Oeste, desde novembro, o fornecimento de água é feito por meio de manobras operacionais, com o revezamento entre parte alta e baixa da cidade. No município de União do Oeste, e nas localidades altas de Seara e Saltinho, também são executadas ações operacionais para manutenção do abastecimento. Em Anchieta e Maravilha, as manobras foram iniciadas nesta semana.

Estão ainda em monitoramento constante os municípios de Chapecó, Concórdia, Cunha Porã, Dionísio Cerqueira, Formosa do Sul, Iporã do Oeste, Palmitos, São Carlos, Vargeão e Xaxim.

Ações realizadas nos municípios

Chapecó
Em Chapecó foi feita a limpeza mecanizada de pontos dentro da barragem do Engenho Braun, no Lajeado São José, principal manancial da cidade. Também foi reaberto o canal de entrada da barragem, com a utilização de draga.

Ainda foram perfurados três novos poços, dos quais dois têm vazão suficiente para operação nos bairros Esplanada e EFAPI. Estão em fase de implantação novos reservatórios para os bairros Paraíso, Esplanada e EFAPI. Também está sendo feita a contratação de caminhão-pipa de água tratada para atendimento de emergências.

Catanduvas
Foi realizada a limpeza da barragem de captação de água bruta para garantir a reserva de mais água. Outro trabalho, feito ao longo do ano, foi a substituição de redes antigas de abastecimento. Foram trocados 5.100 metros de tubulação, o que é muito importante para reduzir perdas e vazamentos de água.

Concórdia
A Adutora Portinari foi entregue em outubro, um reforço essencial para o Sistema de Abastecimento de Água do município. Com extensão de quase dois quilômetros, a nova rede de água tratada, associada a uma nova estação de recalque, trouxe mais segurança ao abastecimento de bairros como Portinari, Morro do Merlo, Bem Viver, Linhão São José, Frei Lency 1 e 2 e Loteamento Berbardi.

Uma nova adutora e rede foram instaladas na Rua Paulo Secchi. E as ruas João Turminha, João Suzim, João Pravato, João José de Vargas e Alberto Nichelle receberam novas redes de abastecimento, em substituição às antigas tubulações.

Em outra frente de trabalho, foi feito o desassoreamento e limpeza no ponto de captação de água no Rio Suruvi.

Formosa do Sul
Já foi feita a perfuração de um novo poço para a captação profunda de água, que agora está em fase de instalação da rede. Também será feita a contratação de caminhão-pipa de água bruta.

Guaraciaba
Está sendo contratado caminhão-pipa de água tratada e está em andamento o processo para perfuração e instalação de dois novos poços.

Iporã do Oeste
Já está sendo feita a captação emergencial de água em córrego alternativo e foi perfurado um novo poço para reforçar o sistema de abastecimento.

Maravilha
Nesse município está sendo feita a captação emergencial de água em um córrego e está sendo adquirida uma bomba para o acionamento de um novo poço, o que irá ampliar a capacidade de captação. Também está sendo feita a contratação de caminhão-pipa de água bruta.

São Miguel do Oeste
Foi realizada a limpeza da barragem de captação do Rio Cambuim, uma ação importante para o perfeito funcionamento do processo de captação da água que vai para o tratamento.

Também foram perfurados dois novos poços para captação de água. A CASAN trabalha para a contratação de caminhão-pipa de água bruta e no aumento do volume de água captada no Rio das Flores, com a contratação de um gerador.

Seara
Já foi contratado caminhão-pipa para fornecimento de água bruta e está sendo feita a contratação para a ampliação emergencial da barragem. Além disso, foi adquirida uma motobomba de alta performance para garantir melhores condições operacionais de eficiência ao poço profundo localizado no município.

Quilombo
Foram realizadas melhorias nas redes de abastecimento, além da duplicação da adutora de água tratada. As tubulações de mais de 3,6 quilômetros foram implantadas entre a Estação de Tratamento de Água (ETA) e o Cemitério, em um investimento de quase R$ 1,5 milhão.

União do Oeste
Será feita a perfuração e instalação de um novo poço.

Xaxim
Entre as ações está a captação emergencial em açude. O município contará também com três poços para a captação. Um poço já foi construído e será feita a locação do gerador. Os outros dois foram perfurados e estão em operação, aguardando somente a interligação da rede. Com vazão de 11 litros por segundo, os poços vão contribuir para amenizar a falta de chuvas que prejudica o rio Jacu, principal manancial de captação de água de Xaxim. O Sistema de Abastecimento também recebeu uma nova subestação elétrica junto à Estação de Tratamento de Água, trazendo maior segurança à operação.

Xanxerê
Foi feita a ampliação da adutora de água bruta do Sistema de Abastecimento de Água de Xanxerê, o que possibilitou um incremento de 10% na produção. Os mais de 2 mil metros de tubulação proporcionam maior vazão, ampliando o tratamento e o abastecimento de água para a população até que sejam finalizadas as obras do Sistema Integrado de Abastecimento do Rio Chapecozinho.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Fabiano Marques
www.casan.com.br

 

 

 Foto: Divulgação / Casan  

O Governo do Estado e a Casan darão sequência ao trabalho de reforço e ampliação dos Sistemas de Abastecimento de Água em Santa Catarina nesta quinta e sexta-feira, 25 e 26. Será anunciado o investimento de mais de R$ 13 milhões na compra de novos reservatórios, na perfuração de poços e melhorias no sistema para municípios do Alto Vale do Rio do Peixe e do Meio-Oeste, onde o governador Carlos Moisés cumpre agenda nos próximos dois dias.

Entre as ações, está previsto o lançamento da licitação para a compra de nove novos reservatórios para água tratada, em um investimento de cerca de R$ 10 milhões. O município de Salto Veloso receberá dois reservatórios, já Catanduvas, Erval Velho, Matos Costa, Rio das Antas, Santa Cecília, Timbó Grande e Treze Tílias terão um novo reservatório cada. A iniciativa ampliará a capacidade de reserva de água em 1,6 milhões de litros.

Também dentro do processo de ampliação do sistema de abastecimento de água, será feito investimento na perfuração de novos poços profundos na região. A licitação será lançada para o atendimento a seis municípios com 10 novos poços, em um investimento de R$ 1,1 milhão. Para os municípios de Rio das Antas e Treze Tílias estão previstos três novos poços em cada cidade. Já em Catanduvas, Ibicaré, Matos Costa e Presidente Castello Branco serão perfurados um poço em cada.

“São investimentos importantes nos sistemas de abastecimento de água. Em conjunto com o Governo do Estado estamos aplicando recursos que garantirão água em situações de escassez hídrica e que também preparam os municípios para o crescimento da população”, afirma a presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos.

Para Calmon, será lançada a licitação para a melhoria e substituição de aproximadamente 90% da rede de distribuição de água no município, totalizando 25.000 metros de extensão e com diâmetros de 50 a 100 mm (milímetros). O investimento total é estimado em R$ 500 mil.

Outra obra anunciada será a implantação do sistema de desaguamento mecanizado para o lodo gerado na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Catanduvas, com investimento estimado em R$ 1,5 milhão.

Esse conjunto de ações faz parte do Planejamento Hídrico para Santa Catarina, com obras para ampliação da capacidade de produção de água, projetos para melhoria, modernização e implantação de novas Estações de Tratamento de Água. Estão previstos R$ 1,7 bilhão em investimento na infraestrutura de abastecimento para preparar o estado para as próximas décadas.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Fabiano Marques
www.casan.com.br

 



 

 Foto: Flávia Grechi /Aresc

Técnicos da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) iniciaram nesta quarta-feira, 20, uma operação para fiscalizar a prestação de serviços da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa), de Balneário Camboriú. A agência está verificando os serviços de saneamento oferecidos aos usuários, tanto de abastecimento de água como de esgotamento sanitário. Como são muitas as unidades que integram os sistemas, os trabalhos de inspeção vão perdurar até sexta-feira, 22.

A fiscalização Inicial é a primeira fase do acompanhamento na prestação dos serviços e se estende desde a análise das informações solicitadas à concessionária até o término da elaboração do relatório de fiscalização. Envolve observações e análises criteriosas durante as atividades de campo e confecção de um relatório de análise técnica. Se for o caso, aponta irregularidades a serem corrigidas e verificadas pelo próprio órgão regulador, em um segundo momento, que é a fiscalização de acompanhamento.

A gerente de Fiscalização de Saneamento Básico da Aresc, Luiza Burgardt, informou que no sistema de água estão sendo verificados todos os reservatórios, estação de tratamento, captações de água bruta  e estações de recalque. Já no sistema de esgotamento sanitário, a inspeção está em todas as unidades de tratamento e elevatórias. Além disso, será verificada a unidade de escritório de atendimento ao usuário.

“Essa campanha visa a verificar a conformidade dos sistemas com as resoluções da Aresc nºs 46, 47 e 48, que dispõem sobre as obrigações das prestadoras de serviço quanto à prestação em si, nas condições técnicas operacionais e também de atendimento ao usuário”, completou o gerente.

Ao final, o relatório técnico de fiscalização será disponibilizado no site da Aresc 

Mais informações para a imprensa
Flávia Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3664-4211
Site: www.aresc.sc.gov.br


Foto: Divulgação / Casan

A Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) juntamente com as agências reguladoras intermunicipais Aris e Agir assinaram acordo de cooperação técnica para auditoria e certificação das informações prestadas pela Casan. A Companhia catarinense repassa dados de saneamento e esgotamento sanitário ao Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

O SNIS, administrado pelo Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), é o maior e mais importante sistema de informações sobre o saneamento básico no Brasil, sendo alimentado de forma auto declaratória pelos prestadores de serviço.

Por meio da Metodologia Acertar, as agências reguladoras são responsáveis por verificar o nível de qualidade dessas informações que são repassadas ao SNIS, emitindo uma nota de certificação.

A informação adequada permite a tomada de decisões mais racionais e fundamentadas, e consequentemente uma melhor gestão dos serviços prestados, aumentando assim a transparência do setor perante à sociedade.

Iniciativa inédita no Brasil

Em razão da Casan atuar em diversos municípios de Santa Catarina, com diferentes órgãos reguladores, a cooperação entre as três agências é uma iniciativa inédita no país que tem como objetivo unir os trabalhos de auditoria para certificação conjunta das informações da Companhia estadual.

Isso qualifica não apenas a regulação, como a própria prestação dos serviços públicos, visto que a Metodologia Acertar tem como foco a melhoria contínua dos processos.

A gerente de Fiscalização de Saneamento Básico da Aresc, Luiza Burgardt, ressalta a importância da iniciativa para fortalecer o setor de saneamento em Santa Catarina. Ela também enfatiza que a ação conjunta vem a somar com os esforços que são realizados diariamente para garantir o atendimento adequado à população.

A gerente ainda defende que o projeto foi desenvolvido com foco na identificação e análise de riscos que podem resultar em distorções nas informações declaradas ao SNIS. "Então, para obter uma boa nota de certificação, é preciso desenvolver bons procedimentos internos de geração dessas informações. Processos sólidos geram informações confiáveis, que são imprescindíveis para moldar o futuro da prestação de serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, bem como para a formulação de políticas municipais, estaduais e nacionais de saneamento básico”, conclui.

Ciclo do Programa

A aplicação integral da metodologia de auditoria e certificação, que inclui testes de confiança e testes de exatidão das informações, garante uma atuação mais eficiente do ente regulador na fiscalização dos serviços públicos, na elaboração de normas disciplinadoras, assim como na regulação tarifária.

Mais informações para a imprensa
Flávia Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3664-4211
Site: www.aresc.sc.gov.br

 

 

Os cidadãos catarinenses terão à disposição, a partir desta sexta-feira, 24, o Painel Interativo do Programa de Monitoramento Qualiágua SC, que periodicamente analisa a qualidade da água de rios da região litorânea do estado. O objetivo é possibilitar um acesso mais simples, intuitivo e detalhado aos resultados das análises realizadas trimestralmente. Atualmente, a Secretaria Executiva do Meio Ambiente (Sema), integrada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), monitora 40 pontos em rios da região Leste. O objetivo é ampliar a rede com a implantação de mais 65 pontos de monitoramento, distribuídos pelas demais regiões, até 2022.

O Painel Interativo pode ser acessado por meio do portal do Sistema de Informações de Recursos Hídricos de Santa Catarina (Sirhesc), neste endereço. O Programa de Monitoramento Qualiágua SC foi implantado em 2019 e, até a disponibilização do Painel, os dados eram divulgados por meio de boletins que sintetizam as informações de cada campanha de análise. Com a ferramenta interativa, a principal mudança é a possibilidade de acessar os resultados de todos os parâmetros quantificados em cada ponto de monitoramento, o que pode ser consultado por meio do município onde ele está localizado.

Conforme explica o secretário Executivo do Meio Ambiente, Leonardo Porto Ferreira, o Programa de Monitoramento está construindo um banco de dados que é necessário para a efetividade e o avanço do processo de gestão de recursos hídricos em Santa Catarina. “Dar acesso a esses dados a todos os interessados, de maneira mais transparente, é mais um passo nessa direção.” Porto Ferreira lembrou que o Monitoramento da Qualidade da Água é um dos principais mecanismos de combate à poluição. “Com ele, a gente identifica os principais locais com problemas na qualidade e, com isso, consegue propor políticas e ações mais direcionadas a algumas regiões”, afirmou.

Qualiágua SC

O Programa de Monitoramento da Qualidade das Águas de Santa Catarina é desenvolvido em parceria com a Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANA) e é uma das linhas de ação previstas no Plano Estadual de Recursos Hídricos (PERH). A implantação do Painel Interativo conta com o apoio, ainda, da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) e do laboratório que realiza as análises do Qualiágua SC (LABB).

Mais informações para a imprensa:
Marcionize Bavaresco
Jornalista | Gestão da Comunicação Institucional para Recursos Hídricos
Programa de Apoio à Pesquisa Aplicada na Área de Recursos Hídricos (Fapesc/SDE)
Secretaria Executiva do Meio Ambiente – Sema
E-mail: marcionize@sde.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4281
Site: www.sde.sc.gov.br e www.aguas.sc.gov.br

 Rio Chapecozinho, na região Oeste - Foto: Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica/Defesa Civil

A edição do Boletim Hidrometeorológico Integrado, divulgada nesta quarta-feira, 02, indica agravamento generalizado das condições de estiagem em Santa Catarina. Os acumulados de chuva em agosto foram baixos na maior parte do Estado. Apenas em pontos do Litoral Norte é que a umidade transportada do oceano para a costa fez com que a chuva ficasse com valores acima dos 100 mm, com destaque para Joinville, onde choveu 160 mm. Nas demais regiões, no geral, a precipitação acumulada ficou abaixo dos 70 mm, com destaque para cidades do Meio Oeste, onde os acumulados ficaram entre 20 mm e 60 mm.

Com a confirmação da permanência da previsão de chuvas abaixo da média no longo prazo, a expectativa é de que os níveis dos rios não retornem à média histórica até o início de 2022. Essas condições seguem impactando com maior intensidade as regiões Oeste e Meio Oeste. Desse modo, verifica-se que a estiagem hidrológica tende a intensificar seus impactos e consequências para o restante deste ano.

Confira aqui o boletim na íntegra 

Situação do abastecimento urbano

Entre os 295 municípios de Santa Catarina, 264 atualizaram a situação do abastecimento urbano junto às agências reguladoras. Desses, 150 estão em estado de normalidade do abastecimento, 83 em atenção, 27 em alerta e quatro em estado crítico. Isso representa um crescimento de municípios com algum tipo de comprometimento do abastecimento em comparação com o boletim anterior, divulgado em 18 de agosto, quando eram 70 municípios em estado de atenção, 18 em alerta e dois em estado crítico. 

Conforme o secretário executivo do Meio Ambiente, Leonardo Porto Ferreira, a situação requer que se intensifique a atenção para o consumo consciente de água. Especialmente tendo em vista que a previsão é de manutenção das chuvas abaixo da média para o período pelo menos até o fim deste ano. “Vamos monitorar se essa previsão se confirmará, de qualquer forma, é fundamental um consumo consciente e a atenção de todos para vazamentos ou outras formas de desperdício”, explica.

Previsão

O período até o dia 8 de setembro deve ser marcado por chuva em Santa Catarina. A previsão indica a passagem de sistemas frontais que provocam chuva irregular pelo estado. Já no segundo período de setembro (entre os dias 9 e 16), a previsão indica chuva melhor distribuída. Com isso, os volumes de precipitação previstos variam de 20 mm a 90 mm, sendo esperados os maiores valores entre as regiões Oeste e Centro-Norte catarinense.

A previsão para setembro, outubro e novembro é de que a chuva se mantenha abaixo da normal climatológica entre o Extremo Oeste e o Meio Oeste, enquanto que no Litoral e planaltos fique próxima da média esperada para o período. "Estamos dando atenção especial ao monitoramento, em especial, às regiões mais afetadas, dentro do que nos compete enquanto entidade fiscalizadora, auxiliando assim os demais órgãos parceiros neste monitoramento da estiagem", explica a Gerente de Fiscalização da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), Luiza Burgardt.

Boletim Hidrometeorológico

O Boletim Integrado é fundamental para o planejamento dos municípios em relação ao enfrentamento da estiagem. As informações são repassadas para os administradores dos municípios e das empresas de captação e distribuição de água para que ações mitigatórias sejam desenvolvidas. O documento mais atual demonstra o agravamento generalizado das condições de estiagem e consequente piora do abastecimento em grande parte das cidades catarinenses.

A Defesa Civil de Santa Catarina segue atuando no apoio técnico e na resposta aos municípios com o repasse de equipamento para suporte as comunidades atingidas. Até o momento, foram entregues 580 reservatórios e 64 kits de transporte de água limpa, que amplia a capacidade de distribuição de água pelas prefeituras. Isso representa um investimento de R$ 2.781.419,50 do Governo do Estado.

A confirmação da previsão de chuvas abaixo da média demonstra que, apenas no início de 2022, os rios devem voltar para a média histórica. Esta realidade reforça a necessidade de ações de médio e longo prazo para a busca de soluções para o fenômeno. “É de fundamental importância que projetos, como a construção de reservatórios e a proteção de nascentes, sejam desenvolvidos”, destacou o chefe da DCSC, David Busarello. Segundo ele, o uso consciente da água pela população também tem um papel fundamental para o enfrentamento do quadro.

Mais informações para imprensa:
Flávia Farias Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-9013 / 99127-1839
www.aresc.sc.gov.br


Mais informações para a imprensa:
Marcionize Bavaresco
Jornalista | Gestão da Comunicação Institucional para Recursos Hídricos
Programa de Apoio à Pesquisa Aplicada na Área de Recursos Hídricos (Fapesc/SDE)
Secretaria Executiva do Meio Ambiente – Sema
E-mail: marcionize@sde.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4281
Site: www.sde.sc.gov.br e https://www.aguas.sc.gov.b


Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

 
Fotos: Divulgação/SEMA

Foi lançado, em evento virtual realizado nesta quarta-feira, 4, o Plano de Capacitação Continuada em Recursos Hídricos de Santa Catarina (PCRHI-SC), desenvolvido pela Secretaria Executiva de Meio Ambiente (Sema), órgão integrante da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE). Voltado aos integrantes das organizações vinculadas ao Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SEGRH) e a entidades que de alguma forma se relacionam com a gestão da água em âmbito estadual, os eventos e capacitações que integram o plano serão realizados ao longo do segundo semestre de 2021.

Conforme o diretor de Recursos Hídricos e Saneamento da Sema, Pedro Brolezzi, o objetivo do Plano de Capacitação é possibilitar o desenvolvimento de competências necessárias para melhorar o desempenho das atividades de gestão dos recursos hídricos em Santa Catarina. O Plano de Capacitação Continuada é uma das ações do Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas (Progestão), da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), do qual o Estado participa.

O secretário executivo de Meio Ambiente, Leonardo Porto Ferreira, destacou que o Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos é dinâmico e vem passando por um processo de modernização. “Por isso, a importância da capacitação, do treinamento continuado, para que os atores do sistema fiquem atualizados sobre o que há de novo na política estadual e nacional de Recursos Hídricos e preparados para os novos desafios que temos pela frente, com relação à gestão das águas”, enfatizou.


Leonardo Porto Ferreira, secretário executivo da SEMA

O evento de lançamento foi transmitido pelo canal da SDE no Youtube (youtube.com/c/SDEGOVSC), onde o vídeo está disponível.


Atividades

As capacitações serão realizadas de maneira remota, com o apoio da Fundação Escola de Governo (ENA). A diretora técnico-científica da Fundação, Mara Brognoli Hack, explicou os mecanismos principais da plataforma que será utilizada para as atividades. Os cursos e eventos serão gratuitos e os participantes receberão certificados.

A apresentação do cronograma das ações coube ao gerente de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos da Sema, Vinícius Tavares Constante. Ele destacou que os temas a serem abordados foram elencados de maneira coletiva, por meio de consulta aos integrantes do Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SEGRH). Entre agosto e dezembro de 2021 serão realizadas nove atividades. A programação e demais informações sobre as formas de inscrição e participação podem ser conferidas AQUI.

O Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos

O SEGRH é composto pelo órgão gestor, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE); pelo órgão de orientação superior, o Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CERH/SC); os comitês de bacia hidrográfica; e as Entidades Executivas que prestam apoio aos comitês. Atualmente existem 16 comitês em funcionamento em Santa Catarina, distribuídos por todas as regiões do Estado.


Saiba mais em: www.aguas.sc.gov.br.

Marcionize Bavaresco
Jornalista | Gestão da Comunicação Institucional para Recursos Hídricos
Programa de Apoio à Pesquisa Aplicada na Área de Recursos Hídricos (Fapesc/SDE)
Secretaria Executiva do Meio Ambiente – Sema
E-mail: marcionize@sde.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4281


O governador Carlos Moisés e a presidente da Casan - Fotos: Júlio Cavalheiro/Secom

O governador Carlos Moisés conheceu nesta sexta-feira, 9, em reunião na Casa D'Agronômica com a presidente da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), Roberta Maas dos Anjos, os resultados do projeto 'Casan Sem Papel', que usa a tecnologia como parceira na gestão de processos administrativos. Na oportunidade, o chefe do Executivo estadual foi agraciado com uma placa que marca a comemoração dos 50 anos da empresa. A homenagem foi concedida como uma forma de agradecimento pelas contribuições do governo do Estado ao setor de saneamento e pelo apoio do chefe do Executivo à gestão da companhia.

Carlos Moisés enalteceu o trabalho da Casan e destacou que as ações da empresa representam gestos de responsabilidade com o presente, com as futuras gerações e a preocupação com o meio ambiente. “A companhia se integra de fato ao colegiado da gestão pública do nosso governo. Temos um compromisso de aplicar o dinheiro público naquilo que é necessário à população. O projeto 'Casan sem papel', alinhado ao 'Governo sem Papel', nos deixa muito satisfeitos, e já apresentou uma economia de R$ 1,4 milhão neste primeiro semestre”, destacou o governador.

Roberta Maas dos Anjos explicou que, desde janeiro, quando a digitalizarão do 'Casan sem Papel' passou a ser usada para a gestão de processos de modo 100% automatizado, a companhia registrou economia de cerca de três mil quilos de papel e 273 toners de tinta para impressão, que seriam destinados à compra de papel, impressões, armazenagem e transporte de documentos físicos, além de 7 milhões de litros de água poupados na fabricação de papel.

A presidente da Casan disse também que a companhia está investindo em todo o Estado. São obras que melhoram os índices de saneamento básico, além de desenvolver projetos que envolvem planejamento e tecnologia, para proporcionar mais segurança e eficiência aos sistemas de abastecimento e tratamento da água. Acrescentou que estão sendo investidos R$ 800 milhões somente em esgotamento sanitário. Ainda para 2021, a projeção é de colocar em operação pelo menos oito novos sistemas de esgotamento sanitário, reduzindo ainda mais o déficit de cobertura no Estado.

“Esses dois anos da gestão do governador Carlos Moisés foram os mais positivos já registrados pela empresa. Período que não tivemos mais déficit em valores financeiros. O governo do Estado aumentou o capital da empresa, reinvestiu e colocou a companhia dentro do planejamento hídrico catarinense. Carlos Moisés proporcionou à Casan a oportunidade de oferecer mais qualidade de vida e segurança hídrica para a população. Então, nada mais justo do que reconhecer esse apoio recebido”, pontuou Roberta.

Também estiveram presentes os Diretores de Administração, Evandro Martins, e Financeiro, Ivan Gabriel Coutinho.

'Casan Sem Papel'

Conta com um painel eletrônico de resultados em tempo real, marca a transição da tramitação física de processos na instituição para o Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos (SGP-e), do Governo de Santa Catarina, e facilita o contato dos serviços da empresa aos cidadãos catarinenses.

 


Fotos: Divulgação/CASAN

A CASAN previa concluir até a meia-noite desta sexta-feira, 18, a instalação do sistema de bombeamento destinado a transportar excesso de água da chuva na Lagoa de Evapoinfiltração, que recebe o efluente depurado na estação de Tratamento de Esgoto Lagoa da Conceição. A medida, proposta terça-feira, 15, pela Companhia e aceita quinta-feira, 17, pelo órgão ambiental do município, foi adotada diante da previsão de fortes chuvas para o fim de semana, superiores a 100 milímetros, segundo alguns modelos meteorológicos.

A complexa instalação, que precisou do apoio de helicóptero para transportar os equipamentos até a região das dunas e assim respeitar a área de preservação ambiental, teve início tão logo a Floram deu aval à solicitação da CASAN, perto do meio-dia de quinta-feira, 17.

Os engenheiros e técnicos estão trabalhando sem interrupção, inclusive varando a madrugada, para colocar o equipamento em condições de operação. “Esta rede será utilizada nos momentos em que a intensidade pluviométrica estiver contribuindo para a elevação da cota do nível de operação da lagoa”, explicou o engenheiro Joel Horstmann, coordenador da operação.

Força-tarefa

Uma série de outras medidas foi colocada em prática pela Companhia, conforme a presidente Roberta Maas dos Anjos e o engenheiro Alexandre Trevisan expuseram aos participantes de reunião realizada no final da tarde desta sexta-feira, com a participação de representantes da Casa Civil do Governo do Estado, Prefeitura Municipal, Floram, Defesa Civil do Município e do Estado e do Instituto do Meio Ambiente (IMA), força-tarefa criada devido à previsão de chuvas intensas.

Roberta Maas relatou como a Companhia está fazendo o monitoramento permanente da área e detalhou todas as medidas implementadas para dar tranquilidade e acolhimento aos moradores da Servidão Manoel Luiz Duarte, afetados pelo deslizamento da lagoa em janeiro. O engenheiro Trevisan relatou os reforços nas estruturas recuperadas e, ao detalhar os níveis de cotas e volumes da lagoa artificial, mostrou os números que a CASAN considera limites, “em níveis ainda bem distantes de serem alcançados”, garantiu. 

Ao agradecer o comentário do secretário Municipal do Meio Ambiente, Fábio Braga, que falou em união das instituições “em prol da segurança dos moradores e do meio ambiente”, o presidente do IMA, Daniel Vinicius Netto, defendeu a gestão integrada da região da Lagoa da Conceição, incluindo cuidados com drenagens, ações assistenciais permanentes e inúmeras outras medidas. “Há uma tendência de sempre voltar o foco das responsabilidades na CASAN, mas temos de nos preocupar com a gestão como um todo da região, em momentos distantes das situações de risco”, sugeriu. “Há uma excessiva penalização da Companhia, mas a médio e longo prazo há outras atribuições que têm de ser lembradas”, complementou.

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Stefanelli 
Assessoria de Comunicação
Presidência da Casan
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5034 / 99136-9345
www.casan.com.br