Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

A casa centenária, de 1918, no interior de Canoinhas, abrigou muitas histórias, mas, receber a visita de um governador de Estado, nem de longe estava na lista dos fatos que iriam marcar a trajetória de três gerações que viveram no local. Hoje é a família do agricultor Ivo Dranka que mora na propriedade. Ele e a esposa, Sueli Dranka, foram quem recepcionaram o governador Carlos Moisés para um café da tarde. A visita celebra uma ação importante do Governo do Estado para melhorar a vida do trabalhador rural.

>>> Mais imagens no álbum 

Da mesa onde foi servido o café para o governador e o presidente da Celesc, Cleicio Poleto e deputada Paulinha, seu Ivo consegue apontar o benefício que mudou a vida da família. “Temos luz em casa, não falta mais como antes e, quando há algum problema, as equipes fazem o conserto com rapidez”, comemora. Dona Sueli complementa dizendo que, agora, eles planejam investir na implantação de uma granja na propriedade, já que energia elétrica é um dos principais insumos para colocar de pé o novo negócio.

“Este é o verdadeiro sentido de governar. A mão do Estado tem que alcançar essas pessoas que, por muito tempo, não foram ouvidas, não foram atendidas em suas demandas. Esse era um dos nossos compromissos com o trabalhador rural e é gratificante acompanhar de perto essa ação trazendo mais conforto e qualidade de vida para as famílias do interior”, enfatizou o governador.

Celesc Rural

O programa que está ajudando seu Ivo e milhares de outras famílias é o Celesc Rural. Com ele, serão investidos R$ 151 milhões em todo o estado na substituição de 2.500 quilômetros de redes monofásicas nuas por redes monofásicas ou trifásicas com cabos protegidos, até meados de 2021. Assim, o sistema elétrico ficará mais robusto e resistente aos impactos, como o de vegetação na rede.

Cerca de mil obras serão feitas para atender este antigo pleito dos produtores catarinenses. Aproximadamente 135 mil propriedades rurais serão beneficiadas, o que corresponde em torno de 500 mil pessoas, ou 50% da população que vive em áreas rurais no estado.

Somente no Norte catarinense, os trabalhos contemplam 944 quilômetros, oferecendo melhores condições para o desenvolvimento do agronegócio. Os investimentos beneficiarão 17 mil propriedades rurais nos municípios de Campo Alegre, Canoinhas, Corupá, Guaramirim, Irineópolis, Itaiópolis, Jaraguá do Sul, Joinville, Mafra, Major Vieira, Papanduva, Porto União, Rio Negrinho, São Bento do Sul e Schroeder. Serão investidos R$ 36,5 milhões na região.

“Para fixar o homem no campo é preciso oferecer qualidade, melhores condições para a produção. Energia elétrica é fundamental para isso. As redes rurais são das décadas de 70, 80 e agora estamos substituindo para sistemas mais protegidos e confiáveis. Isso traz qualidade de vida e oportunidade de desenvolvimento também para o meio rural, finaliza o presidente da Celesc.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Imagem: Divulgação/Celesc

Os números das centrais de teleatendimento da Celesc receberam mais um ZERO e passam a contar com 11 dígitos, ficando assim: 0800 048 0196 (emergências), 0800 048 0120 (comercial), 0800 048 3232 (ouvidoria) e 0800 0646 4050 (atendimento para deficientes auditivos). A mudança já aconteceu, mas por enquanto os clientes podem ligar para os telefones novos e antigos, que funcionarão em paralelo até 28 de setembro de 2020, quando os números antigos serão desativados.

A alteração está sendo realizada pela operadora que presta serviços de telefonia para a Celesc, em atendimento a Resolução nº 709, de 27 de março de 2019, da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Os clientes da Celesc não precisam se preocupar, pois quando os números de telefone antigos forem desativados, uma gravação vai informar a alteração para quem ligar no [0800] antigo. Essa mensagem ficará por mais três meses, ou seja, até o final do ano de 2020.

O que muda para o cliente?

A única mudança para o cliente será acrescentar um ZERO logo após digitar 0800. As ligações continuam gratuitas e podem ser realizadas de qualquer telefone fixo ou celular. “Os serviços oferecidos em nossas centrais de atendimento também vão continuar os mesmos”, destaca o gerente do Departamento de Gestão de Clientes e Faturamento da Celesc, Evandro de Paula Santos.

Veja na tabela abaixo como ficarão os números:



Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 


Foto: Divulgação/Celesc

Dando continuidade à divulgação das obras e investimentos pelo Estado, a Celesc informa as melhorias no Norte de Santa Catarina. Até o fim deste ano serão investidos R$ 140,1 milhões no sistema elétrico que atende os 25 municípios que integram o Núcleo Norte. A companhia já aplicou, até o momento, R$ 81 milhões em obras já executadas. Além disso, por meio do Programa Celesc Rural, estão sendo investidos R$ 36,5 milhões na rede elétrica que atende as áreas rurais da região. 

Entre as obras entregues, estão as novas subestações Araquari-Corveta (inaugurada no último dia 27 de julho) e Canoinhas-Rio da Areia (inaugurada no fim do ano passado). Também foram ampliadas as Subestações Canoinhas, Joinville Vila Nova (+ 9,375 MVA) e inaugurada a nova Linha de Distribuição (LD) Araquari Hyosung - Araquari Corveta de 138 kV. “Cerca de 40 mil unidades consumidoras – entre residências, comércio e indústrias – serão beneficiadas com uma energia de mais qualidade e apta para atender as demandas de crescimento da região pelos próximos cinco anos”, afirma o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. Segundo ele, os investimentos vão garantir um desenvolvimento econômico ainda maior e atender uma reivindicação antiga de quem vive, trabalha e investe na região.

De acordo com o diretor de Distribuição da empresa, Sandro Levandoski, a rede de média tensão – que sai das subestações para as unidades consumidoras – também recebeu melhorias, como novos alimentadores e a instalação de religadores e bancos reguladores que, entre outros benefícios, trazem mais segurança e flexibilidade na operação do sistema elétrico. “Os religadores são equipamentos importantes para o restabelecimento da energia elétrica, pois quando desligada por motivo acidental é possível religá-la por meio de um comando remoto. Ou seja, da nossa central conseguimos energizar a rede atingida. Já os bancos reguladores são responsáveis por manter a qualidade da tensão do início do sistema até a sua chegada ao consumidor”, explica Levandoski.

Parte dos recursos da região ainda é destinada à ampliação da Subestação Jaraguá Rio da Luz, obra já em execução, com a implantação de um transformador de 26 MVA. Também serão executadas melhorias nas subestações Mafra e Joinville I e iniciada a licitação para a obra da Linha de Distribuição e subestação Joinville/Boa Vista. São obras estruturantes que aumentarão a capacidade de distribuição de energia e a segurança do sistema elétrico.

Programa Celesc Rural

Por meio do Programa Celesc Rural, serão investidos R$ 151 milhões em todo o Estado na substituição de 2.500 quilômetros de redes monofásicas nuas por redes monofásicas ou trifásicas com cabos protegidos, até meados de 2021. Assim, o sistema elétrico ficará mais robusto e resistente aos impactos de vegetação na rede. Ao todo, cerca de mil obras serão realizadas para atender este antigo pleito dos produtores catarinenses, que beneficiará 135 mil propriedades rurais, o que corresponde há cerca de 500 mil pessoas, ou 50% da população que vive nas áreas rurais.

Somente na região Norte catarinense, os trabalhos contemplam 944 quilômetros, oferecendo melhores condições para o desenvolvimento do agronegócio. Os investimentos beneficiarão 17 mil propriedades rurais nos municípios de Campo Alegre, Canoinhas, Corupá, Guaramirim, Irineópolis, Itaiópolis, Jaraguá do Sul, Joinville, Mafra, Major Vieira, Papanduva, Porto União, Rio Negrinho, São Bento do Sul e Schroeder.

>>> Leia também

Investimentos e obras da Celesc somam R$ 880 milhões e levam mais qualidade de vida para os catarinenses

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br


Foto: Peterson Paul 

O governador Carlos Moisés inaugurou nesta segunda-feira, 27, a Subestação (SE) Araquari – Corveta, no quilômetro 65, às margens da BR-101, no Norte de Santa Catarina. Com investimento de R$ 9,3 milhões, a nova estrutura tem potência instalada inicial de 30,00 MVA e aumenta em 70% a capacidade de atendimento na demanda no município de Araquari e o polo regional.

“Esse investimento é fundamental para garantir energia de qualidade à região, que vai permitir um desenvolvimento econômico ainda maior nos próximos anos. Sem energia não podemos trazer o empreendimento privado à região. Trabalhamos 24 horas por dia para não parar com o serviço público de qualidade”, destacou o governador Carlos Moisés. O chefe do Executivo estadual também reforçou que a obra melhora a qualidade da energia elétrica fornecida e atende a um antigo pleito de quem vive, trabalha e investe na região, que é um pólo industrial catarinense.

”Esse investimento é extremamente importante porque aumenta a capacidade de distribuição e a qualidade de energia entregue na região”, destacou o diretor de Gestão Corporativa, Pablo Cupani Carena, que representou no ato o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. A capacidade máxima do empreendimento é de 120 MVA, o que viabiliza o crescimento da demanda por mais 10 anos.

O prefeito de Araquari, Clenilton Carlos Pereira, afirmou que a obra é fundamental para que o município mantenha o ritmo de crescimento econômico. “Somos a cidade que mais cresceu no estado durante cinco anos consecutivos. Apesar do cenário de pandemia, novas empresas chegam à cidade, trazendo emprego e renda. Antes da subestação, estávamos vulneráveis. O Governo do Estado fez a sua parte para garantir infraestrutura a esse crescimento”, destacou.

O vice-prefeito de Araquari, Ludgero Jasper Junior, e o presidente da Associação Empresarial de Araquari, Londry Turra, também acompanharam o ato.

Informações técnicas

A Subestação Araquari Corveta possui 6.400 metros quadrados e está ligada a SE Araquari Hyosung – BMW pela Linha de Transmissão (LT) Araquari Hyosung – Araquari Corveta, em 138 kV, que possui 2,58 Km de extensão, também inaugurada na ocasião.
Novos investimentos reforçam o sistema elétrico na região Norte de Santa Catarina
A construção da Subestação Araquari – Corveta faz parte de um grande pacote de obras com investimentos de quase R$ 140,1 milhões para atender a região Norte de Santa Catarina, que inclui R$ 43,6 milhões em obras no sistema de alta tensão, como a construção da Subestação Canoinhas – Rio da Areia, inaugurada no fim do ano passado; a construção da LT Araquari Hyosung – Araquari Corveta, em 138 kV; e a construção da nova LD e da nova SE Joinville - Boa Vista; além da ampliação de 43,3 MVA nas subestações Canoinhas (já concluída) e Jaraguá Rio da Luz (em andamento); e de melhorias nas subestações Mafra e Joinville I.

Já nos sistemas de média e baixa tensão, estão sendo investidos R$ 10,6 milhões na construção de novos alimentadores e mais de R$ 49 milhões na ampliação e melhorias das redes de distribuição, em equipamentos especiais, como religadores automáticos, que agilizam o restabelecimento do fornecimento de energia em caso de ocorrências não programadas, entre outros.

Por meio do Programa Celesc Rural, que substitui redes monofásicas nuas por redes monofásicas ou trifásicas com cabos protegidos, a empresa está investindo R$ 36,5 milhões, beneficiando 17.246 propriedades rurais em localidades que compreendem as regiões de Mafra, São Bento do Sul, Jaraguá do Sul e Joinville. Até o momento, já foram executadas obras em 269,73 quilômetros, de um total de 944 quilômetros em áreas dos municípios de Campo Alegre, Canoinhas, Corupá, Guaramirim, Irineópolis, Itaiópolis, Jaraguá do Sul, Joinville, Mafra, Major Vieira, Papanduva, Porto União, Rio Negrinho, São Bento do Sul e Schroeder.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: imprensa@celesc.com.br 
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 


Fotos: Rodrigo Kobs / Arquivo / Celesc 

Mesmo diante da pandemia, as obras do Programa Celesc Rural ganham reforço e auxiliam produtores rurais do estado. Serão cerca de 1.000 obras que vão substituir redes monofásicas nuas por redes monofásicas ou trifásicas com cabos protegidos, até meados de 2021, em cerca de 2.500 quilômetros em Santa Catarina. O investimento no Programa é de mais de R$ 151 milhões, sendo que R$ 81 milhões já foram licitados e as obras iniciadas para construção das redes compactas com cabos protegidos e outros R$ 30 milhões investidos na aquisição de religadores para o campo. Além disso, mais R$ 40 milhões serão lançados para licitação com foco em novas redes até agosto deste ano.

O Celesc Rural foi lançado em 2019 para atender antigas reivindicações dos produtores rurais e reforçar as redes de distribuição de energia no campo. O programa foi idealizado após visitas do atual presidente, Cleicio Poleto Martins, a áreas rurais do Estado para conhecer a necessidade e realidade dos produtores rurais que há tempos reivindicavam energia elétrica de qualidade no campo.

No Celesc Rural, novas redes trifásicas com cabos compactos protegidos permitirão a instalação de equipamentos mais potentes e modernos para as atividades rurais, contribuindo para o aumento da produção e trazendo uma nova realidade para os produtores e para o agronegócio catarinense.

A instalação de novas redes monofásicas com cabos protegidos, assim como as novas redes trifásicas, garantirão maior confiabilidade ao produtor rural, pois este novo padrão de rede garante a continuidade da distribuição de energia elétrica mesmo quando tocado por vegetação, o que não ocorria com os cabos nus. Outro investimento sendo realizado, tanto no campo quanto na área urbana, ocorre com a instalação de religadores, que energizam automaticamente as redes em caso de queda não programada da energia. Quando finalizadas as instalações destes equipamentos, ainda em 2020, haverá um incremento de cerca de 120% de religadores no sistema elétrico da Celesc.

“O Celesc Rural traz benefícios diretos aos produtores rurais catarinenses, responsáveis por cerca de 30% do PIB estadual”, diz o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. Ele explica que com a rede trifásica é possível ampliar a presença de sistemas de irrigação, ordenhadeiras elétricas, motores para a moagem de trato dos animais, aquecedores de estufas, ventiladores para granjas e muitos outros equipamentos que requerem elevadas potências e que, devido ao alto consumo, não podem ser atendidos pelo sistema monofásico.

“Estamos trabalhando para o crescimento de Santa Catarina, viabilizando condições para fixar homens e mulheres no campo e melhorar, cada vez mais, a qualidade de vida dos catarinenses, de forma alinhada ao trabalho do Governo do Estado”, enfatiza o presidente.

A seleção das localidades por onde passa o traçado da rede trifásica é realizada a partir de análise técnica realizada pela Celesc, que considera a necessidade de um sistema elétrico com mais qualidade para o fomento da produção e o atendimento simultâneo do maior número de unidades consumidoras.

A partir da construção do novo padrão das redes, os interessados em ter o sistema trifásico deverão solicitar à Celesc a instalação do transformador trifásico e da rede de baixa tensão entre a nova rede e sua propriedade. Em regiões, onde já foram instaladas estas redes, a redução no número de interrupção caiu cerca de 90% , como foi o caso do Alto Vale. Já a ação de substituição de cabos monofásicos nus por cabos monofásicos protegidos aumentou em 95% a confiabilidade do sistema, mesmo com a presença de vegetação.

Quanto aos religadores, serão investidos cerca de R$ 38 milhões, entre 2019 e 2020, na compra e instalação de cerca de 2.100 equipamentos para as áreas rurais e urbanas.

Acompanhe, abaixo, o Celesc Rural em cada macrorregião atendida pela empresa. Desde o início do Programa já foram atendidos 1.104 km.

Núcleo Grande Capital

· Na Grande Florianópolis e região, serão investidos mais de R$ 3 milhões para atender 4.795 clientes.
· Já executados e em obras: 6,56 Km, de um total de 40,65 Km. Municípios Atendidos: Águas Mornas, Alfredo Wagner, Angelina, Canelinha, Nova Trento, Palhoça, Rancho Queimado, São João Batista, São José, Santo Amaro da Imperatriz e Tijucas.

Núcleo Alto Vale:

· Na região do Alto Vale, serão investidos R$ 34,7 milhões para atender 17.333 clientes.
· Já executados e em obras : 621,54 Km, sendo um total de 882,23 Km em áreas dos municípios de Agrolândia, Apiúna, Atalanta, Aurora, Benedito Novo, Botuverá, Brusque, Chapadão do Lageado, Doutor Pedrinho, Ibirama, Imbuia, Ituporanga, Leoberto Leal, Lontras, Luiz Alves, Petrolândia, Pouso Redondo, Presidente Getúlio, Presidente Nereu, Rio do Campo, Rio do Sul, Rio dos Cedros, Salete, Trombudo Central, Vidal Ramos e Vitor Meireles.

Núcleo Norte:

· Nas localidades que compreendem a região dos municípios de Mafra, São Bento do Sul, Jaraguá do Sul e Joinville, serão investidos R$ 36,5 milhões para atender 17.246 clientes.
· Já executados e em obras : 269,73 km, sendo um total de 944 Km em áreas dos municípios de Campo Alegre, Canoinhas, Corupá, Guaramirim, Irineópolis, Itaiópolis, Jaraguá do Sul, Joinville, Mafra, Major Vieira, Papanduva, Porto União, Rio Negrinho, São Bento do Sul e Schroeder.

Núcleo Planalto:

· Nas localidades que compreendem a região dos municípios de Lages e Curitibanos, serão investidos quase R$ 12,5 milhões de rede para atender 16.164 clientes.
· Já executados e em obras : 63,13 Km, sendo um total de 159,29 Km atendendo áreas dos municípios de Anita Garibaldi, Bocaina do Sul, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Campo Belo do Sul, Capão Alto, Cerro Negro, Correia Pinto, Curitibanos, Lages, Painel, Palmeira, Ponte Alta, Rio Rufino, São Cristóvão do Sul, São Joaquim, São José do Cerrito, Urubici e Urupema.

Núcleo Meio Oeste:

· Nas localidades que compreendem a região dos municípios de Vieira, Caçador, Campos Novos e Joaçaba, serão investidos R$ 7,4 milhões para atender 23.067 clientes.
· Já executados e em obras : 45,39 Km, no total de 94,39 Km, em áreas dos municípios de Abdon Batista, Água Doce, Brunópolis, Caçador, Campos Novos, Capinzal, Catanduvas, Erval Velho, Fraiburgo, Ibiam, Ibicaré, Iomerê, Ipira, Irani, Joaçaba, Lacerdópolis, Lebon Régis, Luzerna, Monte Carlo, Ouro, Pinheiro Preto, Piratuba, Rio das Antas, Salto Veloso, Tangará, Timbó Grande, Treze Tílias, Vargem, Vargem Bonita, Videira e Zortéa.

Núcleo Oeste:

· Nas localidades que compreendem a região dos municípios de Concórdia, Chapecó e São Miguel do Oeste, serão investidos quase R$ 24,5 milhões para atender 50.980 clientes.
· Já executados e em obras: 94,71 Km, sendo ao todo 315 Km, atendendo áreas dos municípios de Abelardo Luz, Águas de Chapecó, Alto Bela Vista, Anchieta, Arabutã, Arvoredo, Bandeirante, Barra Bonita, Belmonte, Caibi, Campo Erê, Chapecó, Concórdia, Cordilheira Alta, Coronel Freitas, Cunha Porã, Descanso, Dionísio Cerqueira, Faxinal dos Guedes, Guaraciaba, Guarujá do Sul, Guatambú, Iporã do Oeste, Ipumirim, Iraceminha, Itá, Itapiranga, Jaborá, Jupiá, Lindóia do Sul, Maravilha, Mondaí, Nova Itaberaba, Novo Horizonte, Paial, Palma Sola, Palmitos, Paraíso, Passos Maia, Ponte Serrada, Princesa, Quilombo, Riqueza, Romelândia, São Miguel da Boa Vista, Saltinho, Santa Helena, São Bernardo, São Carlos, São Domingos, São João do Oeste, São José do Cedro, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Seara, Tigrinhos, Tunápolis e Vargeão.

Núcleo Sul:

· Nas localidades que compreendem a região dos municípios de Tubarão, Criciúma, Imbituba e Araranguá, será investido R$ 1,45 milhão para atender 459 clientes.
· Já executados e em obras: 1,01 Km, sendo ao todo 12,6 Km em áreas dos municípios de Sombrio e Criciúma.

Núcleo Leste:

· Nas localidades que compreendem a região dos municípios de Itajaí, Balneário Camboriú e Itapema, será investido quase R$ 908,4 mil para atender 361 clientes.
· Já executados e em obras 1,44 Km, num total de 6,8 Km, em áreas dos municípios de Camboriú, Porto Belo e São João do Itaperiú.

Informações adicionais para imprensa:
Heda Wenzel
Assessoria de Comunicação
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc
E-mail: imprensa@celesc.com
(48) 3231-6226
Site: www.celesc.com.br


Foto: Divulgação/ Celesc

Até o momento, a Celesc restabeleceu 98% do sistema elétrico de Santa Catarina, após a passagem do “ciclone bomba”, na última terça-feira. Esse trabalho só foi  possível, graças ao empenho das 300 equipes, compostas pelos 1.300 trabalhadores que estão nas ruas dia e noite.

Áreas rurais do Planalto Serrano, Extremo Norte e Meio Oeste, assim como Garuva e a região da Grande Florianópolis, receberam equipes de reforços neste fim de semana. Os técnicos foram deslocados de regiões onde a situação já foi resolvida. Os  trabalhos continuam intensos  e o ritmo não deve diminuir até que todo o sistema elétrico catarinense esteja restabelecido.

Saiba como o trabalho dos eletricistas é realizado

O atendimento da Celesc ocorre em diferentes etapas. O primeiro atendimento é prestado pelas equipes emergenciais, equipadas em camionetes com cesto aéreo, e sua principal função é eliminar o risco de acidentes à população. Elas também conseguem solucionar situações de menor complexidade.

Já os casos mais complexos exigem atuação de equipes maiores, em caminhões com guindastes. São elas que substituem transformadores queimados, colocam postes danificados e reconstroem longos vãos de redes de distribuição.

Em momentos de calamidade como o que vivemos, equipes de fiscalização também estão circulando em carros pequenos para levantar a quantidade de material necessário para recompor a rede. Portanto, se uma equipe da Celesc esteve em uma localidade, mas o sistema não foi religado, é porque o serviço exige a presença de outra equipe especializada, que logo chegará.

Lembre-se: Para que o trabalho seja realizado no menor tempo possível, não basta a dedicação desses profissionais, mas é extremamente necessário que a população receba bem os eletricistas e dê a eles condições de trabalho para que resolvam a situação em suas comunidades.

Mais informações para a imprensa:
Heda Wenzel
Agência Comunicaz a serviço da Celesc
Fone: (48) 3231-5140 
Twitter.com/CelescInforma
Confira a situação em tempo real no estado: celgeoweb.celesc.com.br


Foto: Divulgação/ Celesc

Depois de três dias de trabalho ininterrupto, as 300 equipes de eletricistas da Celesc conseguiram restabelecer 95% do sistema elétrico em Santa Catarina. A passagem do chamado “ciclone bomba” causou danos significativos em todas as regiões, na última terça-feira.

Neste momento, municípios da Grande Florianópolis e Lages são os que mais sentem os efeitos da maior tragédia no sistema elétrico do Estado, em 60 anos. Equipes de reforço foram deslocadas das áreas já recuperadas para as que ainda apresentam muitas demandas. A população pode acompanhar o andamento dos trabalhos no mapa que mostra a situação em tempo real, no site da Celesc.

As condições de cada ocorrência vêm sendo avaliadas pelas equipes de atendimento e a intenção da Empresa é recompor grande parte do sistema ainda hoje, mas, dependendo da complexidade e do acesso a algumas regiões, os casos mais complicados podem ser resolvidos até domingo.

Cuidados necessários

A Celesc pede atenção aos catarinenses para que se mantenham afastados de cabos, fios e postes, pois eles podem estar energizados, oferecendo sério risco à vida. Também esclarece que alguns casos são mais complexos do que aparentam. Por exemplo, quando há queima do fusível, outros componentes da rede são afetados e também precisam ser substituídos por uma equipe de profissionais especializados da companhia.

Além disso, existem situações em que parte dos consumidores de uma mesma localidade podem estar com a rede energizada e outros não. Isso acontece porque mesmo quando o alimentador é recuperado, alguns transformadores que levam energia a imóveis de áreas próximas podem apresentar problemas e precisar de reparos.

Nesses casos, a orientação é fazer um novo registro sobre a falta de energia, de preferência pelo App Celesc (para iOs e Android), ou no ícone “Sem Luz” no site da empresa. Atualmente, o Call Center para emergências da Celesc - 0800 48 0196 - está funcionando, mas, devido à alta demanda, pode haver atraso no atendimento ou na identificação dos locais com defeito na rede de distribuição. Outra opção é enviar SMS para 48196, com a mensagem SEM LUZ.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Menos de dois dias após a passagem do ciclone por Santa Catarina, a Celesc conseguiu restabelecer 85% do sistema elétrico catarinense. Em todo estado, neste momento, cerca de 226 mil unidades consumidoras ainda estão sem energia. Nesta quinta-feira, 2, 300 equipes da empresa seguem trabalhando de forma incansável para sanar todas as ocorrências.

Equipes de reforço estão sendo deslocadas das áreas já recuperadas para aquelas que ainda têm demanda, como as regiões da Grande Florianópolis e o Norte do estado. Os casos são analisados por cada equipe de atendimento e a intenção da empresa é recompor grande parte do sistema nesta quinta-feira. Porém alerta que, dependendo da complexidade e do acesso à algumas regiões, os casos mais complicados deverão ser resolvidos até domingo.

Outra consequência do ciclone foi o rompimento  do cabo de fibra ótica da Oi, que atingiu o sistema de telecomunicação da empresa e de outras distribuidoras que atendem o Sul do país. Atualmente, o call center para emergências da Celesc (0800 48 0196) está funcionando, mas devido à alta demanda pode haver atraso no atendimento ou na identificação dos locais com defeito na rede de distribuição. Os consumidores também podem se comunicar com a empresa por meio do site e do aplicativo, disponível na App Store e no Google Play.

A Celesc orienta a população a ficar em casa, se possível, e não se aproximar de locais próximos da rede elétrica para evitar acidentes.

>> Leia também:

Informações adicionais para imprensa:
Heda Wenzel
Assessoria de Comunicação
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc
E-mail: imprensa@celesc.com
(48) 3231-6226
Site: www.celesc.com.br

 
Foto: Ricardo Wolfenbuttel / Secom

A manhã desta quarta-feira, 1 de julho, ainda é de muito trabalho para as equipes da Celesc, nos reparos decorrentes da passagem do ciclone extratropical pelo Estado. Cerca de 1,3 mil funcionários trabalham para restabelecer a distribuição de energia para cerca de 750 mil unidades consumidoras que ainda estão sem luz. A previsão é recompor até 80% do sistema até o fim da manhã desta quarta-feira.

O trabalho envolve, principalmente, a retirada de material pesado que caiu sobre a rede e pode levar de dois a três dias em determinadas localidades. “Neste momento, as pessoas devem ficar em casa e não se aproximarem de locais próximos à rede elétrica para evitar acidentes”, orientou o diretor de Geração, Transmissão e Novos Negócios da Celesc, Pablo Cupani.

>> Mais fotos na galeria 

Registro de dano histórico

De acordo com informações da companhia, o ciclone extratropical provocou o maior registro de danos na rede elétrica da história, deixando 1,5 milhão de unidades consumidoras sem luz em todo o Estado. Árvores, postes e placas caíram sobre a rede elétrica e provocaram problemas graves na distribuição de energia.

“Embora a Celesc estivesse preparada para a passagem do ciclone com equipes de sobreaviso, os danos foram muito significativos”, disse Cupani.

Comunicação

Os fortes ventos também provocaram o rompimento de cabos de fibra ótica, o que impossibilitou a recomposição automática do sistema e a comunicação de consumidores com o call center da empresa. Esta situação dificultou ainda mais a identificação dos locais com problemas na rede de distribuição. A única forma de comunicação dos consumidores é através do aplicativo da Celesc.

>> Leia também:

Informações adicionais para imprensa:
Heda Wenzel
Assessoria de Comunicação
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc
E-mail: imprensa@celesc.com
(48) 3231-6226
Site: www.celesc.com.br

 
Subestação Capoeiras, região continental de Florianópolis - Foto: Divulgação / Celesc 

Mesmo com o contingenciamento que a empresa precisou fazer diante da pandemia do novo coronavírus, a Celesc continuou investindo em obras e projetos para levar energia com mais qualidade aos catarinenses. Somente em 2019, a empresa investiu mais de R$ 360 milhões no sistema de distribuição de energia, que leva eletricidade a todas as regiões de Santa Catarina. Agora, em 2020, os valores aplicados são ainda maiores, somam mais de R$ 520 milhões em obras e melhorias. Numa série de matérias e entrevistas, a Celesc vai divulgar, por região, os investimentos em toda Santa Catarina.

Este ano, também serão investidos quase R$ 65 milhões na modernização e na ampliação do parque gerador da companhia e em novos negócios. A área comercial receberá cerca de R$ 63 milhões para ações de modernização. Já os valores aplicados nos programas de Eficiência Energética e Pesquisa & Desenvolvimento somam mais de R$ 110 milhões entre 2019 e 2020 em todo o Estado.

“O trabalho do governo continua em todos os setores do estado, mesmo diante do desafio que é enfrentar a Covid-19 em Santa Catarina. A Celesc tem levado melhorias substanciais para a população, modernizando e ampliando a rede elétrica”, destaca o governador Carlos Moisés.

O presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, observa que os investimentos realizados foram cuidadosamente estudados. “A aplicação dos recursos foi planejada de forma estratégica para atender o crescimento do mercado na área de concessão da Celesc, manter e melhorar os serviços e indicadores da Empresa”, diz.

Ele ainda ressalta a continuidade do Programa Celesc Rural - que substitui redes monofásicas com cabos nus por cabos protegidos e instala redes trifásicas com cabos compactos protegidos, que não desligam por toque de vegetação na rede. Além disso, faz a instalação de religadores, que energizam a rede automaticamente quando eventualmente o fornecimento de energia é interrompido de forma não programada.

O programa foi lançado em 2019 e irá beneficiar mais de 135 mil propriedades rurais em todo o estado, com investimentos de R$ 121,0 milhões em 18 meses. “O Celesc Rural traz benefício direto aos produtores rurais, responsáveis por cerca de 30% do PIB estadual. A execução das obras deve ocorrer até meados de 2021. Estamos trabalhando para o crescimento de Santa Catarina, melhorando as condições para manter homens e mulheres no campo, e aumentar cada vez mais a qualidade de vida dos catarinenses, alinhado ao trabalho do Governo do Estado”, enfatiza o presidente Cleicio.

Investimentos na Grande Florianópolis entre 2019 e 2020

Em relação aos investimentos de alta tensão na região, em 2019 a Celesc entregou as novas subestações Florianópolis Capoeiras e São José Real Parque; ampliou a Subestação Ilha Sul; e investiu nas novas linhas de distribuição em 138 kV, Biguaçu-Tijucas, Florianópolis Capoeiras – Seccionamento Palhoça-Trindade e São José Real Parque – Seccionamento Biguaçu-Florianópolis.

Este ano, a empresa trabalha na construção das novas subestações Palhoça Caminho Novo e Santo Amaro da Imperatriz; na ampliação das subestações Tijucas e Biguaçu Quintino Bocaiúva; em melhorias nas subestações Trindade e Ilha Sul e na construção das novas linhas de distribuição em 138kV, Tijucas – Porto Belo e Trindade-Ratones-Ilha Norte.

Os investimentos aplicados em 2019/2020 nas obras de média tensão na região do Núcleo Grande Florianópolis compreendem ampliações e melhorias no sistema, aquisição de novos alimentadores de rede e de equipamentos especiais (como religadores), e implantação do Programa Celesc Rural em 11,77Km, atendendo algumas áreas dos municípios de Águas Mornas, Alfredo Wagner, Angelina, Canelinha, Nova Trento, Palhoça, Rancho Queimado, São João Batista, São José, Santo Amaro da Imperatriz e Tijucas.

Mais informações para a imprensa:
Heda Wenzel
Agência Comunicaz a serviço da Celesc
Fone: (48) 3231-5140 
Twitter.com/CelescInforma
Confira a situação em tempo real no estado: celgeoweb.celesc.com.br