Fotos: Peterson Paul/Secom

Chapecó já conta com uma nova subestação para garantir o fornecimento de energia elétrica mais estável pelos próximos 20 anos. O governador Carlos Moisés inaugurou nesta sexta-feira, 23, a subestação do bairro Santo Antônio (Chapecó III). A estrutura conta com Linha de Distribuição de 138 kV e capacidade instalada de 40 MVA. Foram investidos R$ 12,6 milhões no empreendimento, sendo R$ 7,8 milhões na subestação e R$ 4,8 milhões na linha de distribuição.


O equipamento já entrou em fase de teste e vai aliviar a demanda das SEs Chapecó e Chapecó II, aumentando a confiabilidade de atendimento e ampliando a capacidade do sistema elétrico que atende cerca de 113,2 mil unidades consumidoras (UCs), nos municípios de Chapecó, Guatambú, Cordilheira Alta, Nova Itaberaba, Coronel Freitas e Águas de Chapecó.

Segundo o governador Carlos Moisés, a obra dará condições para a continuidade do crescimento econômico da região: “Não há produção em Santa Catarina sem energia elétrica ou água. Estamos adquirindo terrenos em várias regiões e construindo uma série de novas subestações. Essas são ações pensando no futuro, não no agora, pois garantirão as condições para que o Estado continue a se desenvolver”, assinalou.

 

O presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, destacou a importância da obra, que vai aumentar a qualidade de energia na região Oeste. " A população vai receber mais energia e com mais qualidade, e, com isso, gerar mais renda e emprego. Estamos trabalhando pelo desenvolvimento de Santa Catarina.” O presidente também agradeceu pelo trabalho dos empregados da empresa para entregar bons serviços e atender a população.

Foram investidos R$ 228,4 milhões no sistema elétrico no Oeste catarinense entre 2019 e junho de 2021, entre redes de distribuição, subestações, linhas de distribuição, medição, entre outros.

Confira abaixo alguns desses empreendimentos:

- Ampliações na SE São José do Cedro e melhorias da SE Chapecó II: a SE São José do Cedro está sendo ampliada em 6MVA, com previsão de conclusão para agosto de 2021. Entre as principais benfeitorias realizadas na SE Chapecó II destaca-se a instalação dos equipamentos para conexão da nova linha de distribuição que irá atender a SE Chapecó Santo Antônio.

- Subestação e Linha de Distribuição em Abelardo Luz: Investimento aproximado de R$ 50 milhões para construção de uma subestação com capacidade instalada inicial de 26,67 MVA e construção de linha de distribuição com, aproximadamente, 31 quilômetros de extensão e 138 kV de tensão. O início das obras está previsto para 2021, a previsão de conclusão da obra é no início de 2023.

- Estão previstas obras de ampliação e compra de novos equipamentos para a rede de média tensão: nos municípios de Concórdia, Chapecó e São Miguel do Oeste, melhorias como a instalação de novos alimentadores e de religadores automáticos (equipamentos que permitem o restabelecimento do sistema de modo remoto, otimizando o trabalho e reduzindo o tempo de interrupção no fornecimento de energia elétrica), com aplicação de cerca de R$ 80 milhões em recursos.



- Corredor elétrico: que será implantado pela Celesc, com a instalação de eletropostos que farão a ligação do estado em rotas com 100 km, em média. Entre Florianópolis e Chapecó, estão previstas 23 estações de recarga de veículos elétricos ou híbridos.

- Programa Celesc Rural: O programa beneficia as propriedades rurais da região, com obras como a substituição de rede monofásica pela trifásica e de cabos nus por protegidos. O investimento para a região Oeste do estado de Santa Catarina é de R$ 34,5 milhões, com obras que correspondem a aproximadamente 395 quilômetros de rede, dos quais 274 quilômetros já foram finalizados. Lançado em 2019 pela Celesc e pelo Governo do Estado, o Celesc Rural tem um investimento de aproximadamente R$ 190 milhões, que representa mais de 3 mil quilômetros de rede.

- Projetos próprios em Eficiência Energética: Quase R$ 5,5 milhões investidos em projetos executados na região Oeste, na área de Eficiência Energética, em 2019 e 2020, como Iluminação Pública Eficiente nos municípios de Modelo e Itapiranga; construção de laboratório de eficiência energética no CEDUP de Chapecó; promoção da quarta edição do programa Bônus Eficiente, que beneficiou moradores de Chapecó, Concórdia, São Miguel do Oeste, Xanxerê e região; substituição de lâmpadas comuns por de LED e instalação de gerador fotovoltaico na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó).

- Chamadas Públicas: em 2020 foram destinados mais de R$ 633,5 mil em projetos Sociais, Esportivos e Culturais, desenvolvidos no Núcleo Oeste da Celesc por meio de Chamadas Públicas.


Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800 048 0120
Site: www.celesc.com.br


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Governadores e secretários de Estado das regiões Sul e Sudeste reuniram-se virtualmente na tarde desta quarta-feira, 7, para discutir o tema “Energia renovável e gestão hídrica para retomada econômica sustentável”. O encontro, promovido pela iniciativa Governadores pelo Clima, visa a articular conexões dos Estados do Sul e Sudeste com diferentes públicos do Brasil e Europa, para impulsionar as fontes de energia renovável. O governador Carlos Moisés foi representado pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon. O painel também contou com a participação do secretário executivo do Meio Ambiente (SEMA), Leonardo Porto Ferreira.

Na oportunidade, Porto Ferreira falou sobre os projetos catarinenses para a diminuição da participação do carvão na matriz energética e sobre as medidas de segurança hídrica que estão em implementação, para minimizar os impactos das estiagens no abastecimento urbano e na agricultura. Ele destacou que, nas próximas semanas, o governo do Estado encaminhará para a Assembleia Legislativa o Projeto de Lei para instituir a Política Estadual de Transição Energética Justa. A intenção da proposta é incentivar o uso de energia de fontes renováveis e o desenvolvimento tecnológico e o uso da inovação para a redução gradativa e eliminação do uso do carvão na produção de energia. “Quando se fala em transição justa, é sem esquecer de ninguém, sem esquecer da parte social, da economia ou do meio ambiente. Essa é a preocupação do governo”, destacou.

O secretário da SDE reforçou o compromisso do Governador com o Sul do Estado. “O governo de Santa Catarina tem o compromisso com o Sul, e, juntos com o Legislativo, iremos propor uma transição justa, priorizando o emprego, a segurança para o fornecimento de energia e a manutenção da economia dos municípios do entorno, visando, dentro de uma política sustentável, a uma nova matriz energética”, enfatizou Buligon.

Além disso, estão previstos investimentos estaduais na ordem de R$ 1,9 bilhão em ações para o fortalecimento da segurança hídrica a serem implementadas ao longo do segundo semestre deste ano e em 2022. A intenção é promover a retenção de água nas bacias hidrográficas através da recomposição ambiental, de reservação de água em propriedades rurais e sistemas de armazenamento, além da implementação de novos sistemas de captação e tratamento de água para abastecimento urbano.

Governadores pelo Clima

A iniciativa Governadores pelo Clima engloba 18 Estados. O objetivo é a promoção de um fórum sobre o papel que os Estados podem desempenhar no alcance dos objetivos e das metas da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) do Brasil, estabelecida no Acordo de Paris. A estratégia é atrair investimentos e contribuir para uma conexão direta entre Estados e agências internacionais de financiamento. Na reunião desta quarta-feira, além de governadores e secretários dos Estados das regiões Sul e Sudeste, estiveram presentes o Embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, e o ministro na Embaixada da República Federal da Alemanha em Brasília, Marc Bogdahn.


Mais informações para a imprensa:

Marcionize Bavaresco
Bolsista Fapesc
Gestão da Comunicação Institucional para Recursos Hídricos
Programa de Apoio à Pesquisa Aplicada na Área de Recursos Hídricos
Secretaria Executiva do Meio Ambiente - Sema
Fone: (48) 3665-4281


Foto: Arquivo/SCGás

As novas tabelas tarifárias do Gás Natural praticadas em Santa Catarina foram atualizadas pela SCGás, conforme Resolução n° 180, da ARESC (Agência Reguladora dos Serviços Públicos de Santa Catarina), publicada nesta terça-feira, 29. Os efeitos das tarifas nos diferentes segmentos atendidos passam a vigorar no dia 1º de julho. 

A tarifa praticada para as residências abastecidas com Gás Natural teve reajuste de 19,29%; aos estabelecimntos comerciais, de 23,39%, na média. No setor industrial, o reajuste médio foi de 36,57%. No caso do GNV, a tarifa única chegará aos postos abastecidos em rede no valor de 2,7830 R$/m³.


Informações adicionais para a imprensa:
Leonardo Mosimann Estrella
Gerência de Marketing e Comunicação
Companhia de Gás de Santa Catarina - SCGás
E-mail: leonardo.estrella@scgas.com.br
Telefone: (48) 3229-1256 / 99623-9891
www.scgas.com.br


Foto: Peterson Paul/Secom

O reforço ao sistema de transmissão de energia no Meio-Oeste catarinense e as diferenças tarifárias praticadas nos municípios estiveram na pauta de uma reunião entre o governador Carlos Moisés e o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, com o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone da Nóbrega. Em Brasília, a deputada federal Angela Amin, coordenadora do Fórum Parlamentar Catarinense, também acompanhou a agenda na sede do órgão regulatório nesta quarta-feira, 16.

“É uma satisfação receber aqui na sede da agência o governador e sua comitiva. Lembro que em janeiro de 2020 nós entregamos o prêmio Aneel de qualidade à Celesc em função de ser a melhor distribuidora do Brasil em 2019”, destacou o diretor. Ele afirmou ainda que os pleitos apresentados na reunião terão o devido encaminhamento na agência e a resposta, em breve, para os consumidores da energia em Santa Catarina.

O governador destacou que durante a reunião foi reforçado o pedido de projeto para redundância energética no Meio-Oeste, para evitar novas ocorrências como a registrada em Caçador após passagem do tornado. Além disso, se discutiu a questão das diferenças tarifárias entre municípios que tem a distribuição de energia atendida por empresas privadas.

Agenda com Ministro de Minas e Energia

Mais cedo, o governador Carlos Moisés e o presidente da Celesc, Cleicio Martins, também participaram de um encontro com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Houve o anúncio de que o governo federal planeja promover um leilão de energia para térmicas para o final deste mês. Também foram encaminhadas outras demandas de segurança energética em Santa Catarina.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800 048 0120
Site: www.celesc.com.br


Foto: Peterson Paul / Seco

Está programado para o final deste mês, pela Aneel, um leilão de energia para térmicas em operação. O anúncio feito ao governador Carlos Moisés pelo ministro de Minas e Energias, Bento Albuquerque, nesta quarta-feira, 16, em Brasília, traz expectativas positivas para o setor carbonífero do Sul de Santa Catarina. A boa notícia é que a empresa que opera o Complexo Termelétrico Jorge Lacerda participará do leilão e, se obtiver sucesso, fica em operação até 2047, mantendo cerca de 27 mil empregos na região. O governador também encaminhou junto ao ministro outras ações para garantir mais segurança energética para o estado.

"O sucesso da empresa que opera o Complexo poderá garantir uma sobrevida contratual de 20 anos, a partir de 2027. São soluções de todo o interesse de Santa Catarina, uma vez que isso poderá representar a continuidade de um ecossistema que envolve cerca de 27 mil empregos e todo o processo de recuperação ambiental, restabelecimento e modernização que queremos para o setor", afirma o governador Carlos Moisés.

>>> Mais fotos no álbum 

Com o fim do subsídio para energia gerada a partir do carvão, previsto para 2027, a empresa Engie, que explora o Complexo Jorge Lacerda havia anunciado a descontinuidade gradual dos trabalhos, impactando fortemente a economia e o emprego de milhares de famílias no Sul de Santa Catarina.

"Vamos trabalhar para que tudo dê certo e que a empresa obtenha sucesso nesse processo que representa muito para Santa Catarina", complementa o governador.

Mais Segurança energética

Em audiência com o ministro Bento Albuquerque, Carlos Moisés também apresentou outras demandas envolvendo a segurança energética para Santa Catarina. O governador relatou o apagão causado na região Meio-Oeste, em decorrência da passagem de um tornado, e disse ser inadmissível a situação vivida pelas famílias, pela indústria e pelo comércio da região. Como resposta, obteve o compromisso do ministro em acelerar a implantação de uma rede de redundância na região e a elaboração de um estudo para colocação de torres mais resistentes a fenômenos climáticos que atingem o estado com recorrência.

As pautas envolvendo as demandas do setor energético de Santa Catarina com o ministro Bento Albuquerque contaram com a participação do presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 


Foto: Divulgação/SCGás

O GNV (Gás Natural Veicular) é historicamente o combustível mais econômico para os motoristas catarinenses. Segundo cálculo realizado pela SCGÁS com base nos dados da Associação Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), no mês de maio o produto apresentou vantagem de 47% em relação à gasolina e de 58% quando comparado ao etanol. A frota catarinense de GNV conta com quase 112 mil usuários. De dezembro a junho, 1.714 usuários realizaram a adequação de seus veículos para uso do GNV, segundo dados do Denatran. Nos últimos quatro anos, a frota catarinense ganhou quase 18 mil novos usuários, o que representa um crescimento de 16%.

Com o maior número de usuários, o consumo do insumo também cresceu no Estado. Desde 2017, a SCGÁS contabiliza crescimento de 22% no volume comercializado. Em maio, por exemplo, foram comercializados mais de 337 mil m³ por dia de GNV. O resultado é o maior do ano e o melhor desde março de 2020, mês do início da pandemia no Brasil quando houve forte queda no consumo.

Entre as vantagens, diferentemente dos combustíveis líquidos que variam quase que mensalmente, a tarifa do GNV praticada pela concessionária aos postos é regulada pela Agência Reguladora dos Serviços Públicos em Santa Catarina (ARESC) e os reajustes acontecem apenas duas vezes ao ano, em janeiro e julho. Em 2021, por exemplo, o preço da gasolina variou seis vezes e atingiu patamares históricos de preços que vem assustando os consumidores - o preço por litro se aproximou de R$ 6 nesta semana no Estado.

“Cada vez mais motoristas estão adaptando seus veículos e economizando com o GNV. Isso se deve a competitividade histórica do produto, o fenômeno do transporte por aplicativos, e também pela segurança regulatória que nos permite expandir cada vez mais ampliar a oferta do produto”, cita Willian Anderson Lehmkuhl, Diretor Presidente da SCGÁS.  

O primeiro posto a fornecer GNV em Santa Catarina começou a operar em 2001, em Jaraguá do Sul. Atualmente, são 138 postos de abastecimento por GNV e GNC (Gás Natural Comprimido). O combustível é utilizado, principalmente, por motoristas de aplicativos, taxistas e representantes comerciais, que rodam vários quilômetros diariamente, fruto das suas atividades profissionais.

O Estado detém o terceiro mercado do GNV do país, e tem postos que ofertam o produto nas regiões Sul, Norte, Serra Catarinense, Planalto Norte e Grande Florianópolis. A maior parte da frota, 28%, encontra-se na Região Sul do Estado, seguida pela Grande Florianópolis e Vale do Itajaí. Nessas regiões também estão localizados a maior parte dos postos que ofertam o produto. 

“O programa de investimentos da SCGÁS prevê a ampliação da rede de postos de abastecimento no Estado de Santa Catarina para os próximos anos, aumentando ainda mais a oferta do GNV e trazendo mais alternativas de abastecimento aos usuários. No início do mês iniciamos abastecimento de um Posto em Pouso Redondo, o mais distante da região litorânea que está interligado à rede, fruto das obras de ampliação do Projeto Serra”, afirma Rafael Barreto Nicolazzi gerente comercial da distribuidora.

Focado na interiorização da oferta, o maior pacote de obras da história da SCGÁS prevê a conexão de 25 novos postos até 2025, um crescimento próximo de 20%. 

Informações adicionais para a imprensa:
Leonardo Mosimann Estrella
Gerência de Marketing e Comunicação
Companhia de Gás de Santa Catarina - SCGás
E-mail: leonardo.estrella@scgas.com.br
Telefone: (48) 3229-1256 / 99623-9891
www.scgas.com.br

 


Foto: Arquivo / SCGás

O consumo de Gás Natural em Santa Catarina registrou crescimento no mercado industrial, veicular e urbano durante o mês de maio. As indústrias, por exemplo, tiveram um recorde histórico, com crescimento 4,54% maior do que em abril, mês que já havia registrado recorde de consumo. Além disso, as 16 mil residências catarinenses que utilizam gás natural consumiram 30% a mais que no mês anterior e o setor comercial 5,63% comparando com abril.

“É um grande avanço. A distribuidora está apresentando resultados, ampliando os mercados atendidos e, em 2020, ligou o maior número de clientes da sua história, chegando a mais regiões catarinenses”, afirma o governador Carlos Moisés.

Estes sucessivos recordes no consumo de Gás Natural vão de encontro ao crescimento da economia catarinense em 2021. Segundo a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sustentável (SDE), o PIB catarinense cresceu 2,9% no acumulado dos 12 meses frente ao mesmo período do ano anterior. Setores como o industrial, com alta de 4,6%, puxaram esse crescimento. Além disso, a produção industrial catarinense teve variação positiva de 24,4% na comparação entre os meses de janeiro e abril de 2020 e de 2021.

Para o Diretor Presidente da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl, o Gás Natural é essencial para o desempenho da economia catarinense. “Desde o início do ano estamos registrando recordes no consumo de Gás Natural, com recuperação em todos os setores pós crise causada pela pandemia. As 321 indústrias que atendemos, por exemplo, são responsáveis por cerca de 50% do PIB industrial catarinense, o que significa que o crescimento no consumo desse setor está diretamente ligado à recuperação da economia em 2021”, finaliza Lehmkuhl.

Durante o mês de maio, o GNV (Gás Natural Veicular) comercializado segue mantendo o ritmo de reação pós crise no início da pandemia e registrou crescimento de 1,48%. O resultado é o maior do ano e o melhor desde março de 2020, no início da pandemia.

Recordes no volume comercializado

A alta do consumo em todos os setores atendidos pelo Gás Natural em Santa Catarina refletiu também nos recordes gerais de volume da SCGÁS. O volume mensal e o diário atingiram novos recordes, com 69.939.039 m³ e 2.256.098 m³, respectivamente.

Além disso, o pico de vendas da Companhia ocorreu no dia seis de maio, quando foram comercializados 2.451.657 m³ de Gás Natural.

Informações adicionais para a imprensa:
Leonardo Mosimann Estrella
Gerência de Marketing e Comunicação
Companhia de Gás de Santa Catarina - SCGás
E-mail: leonardo.estrella@scgas.com.br
Telefone: (48) 3229-1256 / 99623-9891
www.scgas.com.br


Foto: Divulgação/SCGás

O 2º Fórum Estadual do Uso Consciente do GNV será realizado nesta sexta-feira, 11, em Florianópolis. A proposta do evento, que tem a participação dos palestrantes presidente do Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro-SC), Rudinei Floriano, e do pesquisador do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia, (Inmetro), Alexandre Soratto, é apresentar o sistema veicular, o processo de instalação e regularização, dados sobre o combustível, histórico do mercado e projeção para o futuro.

O Fórum será realizado das 9h às 18h, desta sexta-feira, na Acate, Passeio Primavera, na Rodovia SC 401, número 4.100. A transmissão será on-line pela Internet, e as inscrições podem ser feitas em https://gnvsc.inlive.tech/

“O 2º Fórum Estadual do Uso Consciente do GNV vai reunir às entidades públicas e privadas que integram o segmento do Gás Natural Veicular em Santa Catarina e no Brasil”, explica o presidente do Imetro-SC, Rudinei Floriano. “É uma oportunidade ímpar de debater sobre os desafios e as perspectivas do GNV e aprender um pouco mais sobre um combustível que traz um ganho econômico para o usuário e ao meio ambiente”, completa o dirigente.

A organização do 2º Fórum Estadual do Uso Consciente do GNV é da  Associação Catarinense dos Organismos de Inspeção (ACOI), e, além do Imetro-SC, outros órgãos do Governo de Santa Catarina tem participação efetiva no evento, como a Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGÁS), com o palestrante Leonardo Estrella, gerente de marketing e comunicação.

“O GNV em Santa Catarina vem demonstrando crescimento desde 2017, fato acentuado com o fenômeno do transporte por aplicativos. Com esse evento, que tem foco na segurança, reforçamos a atenção que o Estado e diversos órgãos dão a esse importante produto que leva economia para os usuários”, destaca Willian Anderson Lehmkuhl, diretor presidente da SCGÁS.

Completam a lista de órgãos estaduais com participação no Fórum, a  Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), a Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC), o  Conselho Estadual de Combate à Pirataria (CECOP), o PROCON SC (Diretoria de Relação e Defesa do Consumidor de Santa Catarina), MPSC (Centro de Apoio Operacional do Consumidor do Ministério Público de Santa Catarina), a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina (SDE) e a Secretaria Executiva de Articulação Nacional (SAN).

Mais informações para imprensa:
Olavo Moraes 
Assessoria de Comunicação
Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro)
(48) 3381-5248 / 9-9960-8906
olavo@imetro.sc.gov.br 


Foto: Divulgação/Celesc  

Após a conclusão dos trabalhos para o restabelecimento da energia elétrica no Meio-Oeste de Santa Catarina, o governador Carlos Moisés determinou a criação de um grupo de trabalho para analisar as fragilidades dos sistemas de transmissão e distribuição e encaminhar as soluções adequadas. Ele considerou "inaceitável" a forma como um grande número de catarinenses ficou sem fornecimento e o tempo necessário para a retomada.

"A retomada do fornecimento de energia elétrica foi prioridade nestes dias, mas agora precisamos focar em soluções perenes. Teremos um diagnóstico completo e ações para tornar o sistema mais resiliente. É urgente. Uma situação como essa, ocorrida em cidades tão importantes, não pode voltar a acontecer em Santa Catarina. É inaceitável", afirma Carlos Moisés.

Antecipação de investimentos

O Estado já havia informado à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre a necessidade de incremento na transmissão para a região. "A agência realizou um leilão que promoverá investimentos de uma nova linha de transmissão de 230kV, até 2023, para que haja redundância na transmissão de energia elétrica ao Meio-Oeste. Vamos em busca de antecipar esta obra junto ao órgão regulador", informou o governador.

Entenda o ocorrido

Na última quinta-feira, dia 28, fortes ventos causaram problemas na rede elétrica da região, especialmente entre Videira e Campos Novos. Foram derrubadas quatro torres de transmissão de energia de 230 kV sob responsabilidade da empresa transmissora, com sede no Rio de Janeiro.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que, por conta disso, houve o desligamento automático da linha de transmissão entre Campos Novos e Videira, interrompendo a transferência de cargas da subestação de Videira devido à indisponibilidade de outras linhas de 138 kV na região, atingindo também outras três subestações em Caçador e Fraiburgo.

A Celesc disponibilizou todas as equipes para atender a ocorrência. A primeira providência de suas equipes foi percorrer os hospitais e postos de saúde para auxiliar no funcionamento de geradores, inclusive fornecendo óleo diesel. O fornecimento foi restabelecido na noite dessa terça-feira, 1º.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC




Foto: Divulgação/Celesc 

O trabalho de reparo das torres de 230kV que foram atingidas por um tornado, na noite da última sexta-feira, 28, continua no Meio-Oeste catarinense. A Celesc acompanha os trabalhos dos técnicos da empresa transmissora de energia e colabora com os serviços de auxílio à população. Na manhã, desta terça-feira, 1º de junho, a empresa transmissora emitiu nota oficial sobre o andamento dos trabalhos de recomposição do sistema.

A queda das torres de transmissão provocou o desligamento automático da linha de transmissão Campos Novos-Videira e treze municípios ficaram sem energia elétrica. Até o momento, a energia foi restabelecida parcialmente para cerca de 35% dos atingidos, através de remanejamento de carga de outros municípios.

NOTA OFICIAL EVOLTZ      

A Evoltz informa que houve um imprevisto técnico e de segurança e, por isso, a expectativa é de restabelecimento do circuito 1 no meio da tarde de hoje (01/06). Os cabos de uma das torres danificadas estavam muito esticados e demandaram maior tempo no reparo, por conta da dificuldade e do risco para os funcionários que trabalham no local. A companhia reafirma que está empenhada em estabelecer a transmissão de energia em prazo inferior ao previsto na regulamentação.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: imprensa@celesc.com.br 
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br