Foto: Divulgação / Celesc  

A Celesc abriu chamada pública para selecionar projetos de Pesquisa e Desenvolvimento, em edital publicado nesta segunda-feira, 30, no Diário Oficial do Estado. Estão abertas as inscrições para projetos nas linhas temáticas Mobilidade Elétrica e Realidade Virtual. Os interessados têm até 21 de junho para enviar as propostas.

Para participar, é necessário que empresas, fundações, institutos de pesquisa ou universidades possuam atribuições para a atividade de Pesquisa e Desenvolvimento em seus respectivos estatutos ou contratos sociais. Além disso, as entidades interessadas também deverão comprovar experiência no tema do projeto proposto.

Em relação às linhas temáticas específicas de Mobilidade Elétrica e Realidade Virtual, que já estão com prazo de envio de proposta aberto, os detalhes podem ser acessados nos termos de referência que constam no site. No mesmo site, é possível acessar o Edital Base da chamada pública.

O envio dos projetos será feito por meio da Plataforma Sparks, no endereço.

O edital base tem vigência de 12 meses, a contar de sua publicação, podendo ser renovado ou cancelado a qualquer momento por interesse estratégico da Celesc. Durante sua vigência, serão publicados os Termos de Referência para as linhas temáticas, com os respectivos prazos e regras específicas. A publicidade será dada pelo Diário Oficial do Estado, sendo esta publicação a referência para o prazo de envio dos projetos em cada desafio. Caso selecionadas, as propostas vão integrar o portfólio de projetos ligados ao Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Celesc. 

Dúvidas e esclarecimentos podem ser obtidos em contato pelo e-mail ped@celesc.com.br.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800 048 0120
Site: www.celesc.com.br



Foto: Julio Cavalheiro / Arquivo / Secom  

A Celesc alerta os consumidores para a crescente incidência de golpes usando o nome da empresa em faturas falsas enviadas por e-mail. A situação está sendo registrada em diferentes regiões de Santa Catarina.  

Para prevenir e evitar possíveis transtornos, a Celesc orienta que, neste momento, a atenção seja redobrada para o e-mail do remetente, que deve ser obrigatoriamente celesc-fatura@celesc.com.br, e também para os dados cadastrais da Companhia, como a razão social (Celesc Distribuição SA) e o CNPJ (08.336.783/0001-90).

A empresa reforça que os consumidores podem fazer os pagamentos por débito automático ou, em caso de dúvida, confirmar a veracidade da fatura via aplicativo da empresa, na modalidade online para Android iOS. 

O  cliente também pode acessar a 2ª via diretamente no site da Celesc, acessando a área logada da Agência Web pelo ícone "Acesse seus Dados" na página inicial.

A  Celesc reforça ainda que:

  • A distribuidora não solicita depósito em conta, não liga para solicitar dados do consumidor e os serviços são agendados pelo próprio cliente.
  • Na dúvida, entre em contato com a Celesc por meio dos canais oficiais de atendimento: 08000 48 0120 (comercial), 08000 48 3232 (ouvidoria) e 0800 64 64 050 (para deficiente auditivo).
  • O atendimento também está disponível de forma presencial em diversos pontos de Santa Catarina.

Para tirar dúvidas e para mais informações sobre  o pagamento em débito automático, todas  as orientações estão neste link

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: imprensa@celesc.com.br 
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 

 Foto: Maurício Vieira/Secom

A Celesc informa que segue mobilizada para atendimento de ocorrências em Tubarão, onde o rio transbordou na área central na noite desta quarta-feira, 5, atingindo também pontos mais baixos do município. Por volta das 9h da manhã, havia registro de aproximadamente 2 mil unidades consumidoras sem luz. Dessas, aproximadamente 260 unidades estão desligadas preventivamente, nos bairros Bom Pastor, Km 60 - Margem Direita, Morrotes e São João.

Nesses casos, por questão de segurança, não há previsão de religamento do sistema elétrico. Para isso, a Celesc aguardará parecer da Defesa Civil.

As demais interrupções são relacionadas a cabos partidos, situações em que as equipes de eletricistas trabalham desde a madrugada, de forma incansável, para solucionar os problemas. No momento, oito equipes de emergência e duas de trabalho pesado estão atuando na região.

Ainda durante a madrugada de quinta, por volta da 01h45, houve registros de falta de energia no Centro. No pico da ocorrência, 17 mil unidades consumidoras ficaram sem luz devido à vegetação trazida pela correnteza.

A Celesc também informa que a loja de atendimento de Tubarão segue fechada na manhã desta quinta-feira, situação que é avaliada de forma constante.

O que fazer em caso de danos na rede

Em caso de danos à rede elétrica provocados por chuvas e tempestades, como queda de fios e de postes, sempre considere a rede energizada. Em hipótese alguma aproxime-se. Se a sua unidade consumidora registra energia em meia fase, desligue os equipamentos eletrônicos da tomada. Informe essas ocorrências no telefone 08000 48 0196 (emergência).

Para registrar falta de energia, envie SMS para 48196 com a mensagem SEM LUZ + nº da unidade consumidora e o sistema será notificado imediatamente. Acompanhe a situação do fornecimento de energia em Tempo Real.

Os demais canais oficiais de atendimento online são: 08000 48 0120 9 (comercial), 08000 48 3232 (ouvidoria) e www.celesc.com.br (agência web).

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: imprensa@celesc.com.br 
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 

Foto: Maurício Vieira/Secom 

A Celesc trabalha para a rápida recuperação do sistema elétrico, afetado pelas chuvas incessantes que atingem Santa Catarina desde a última segunda-feira, 2. Até as 17h30 desta quarta-feira, 4, a Região Sul foi a mais atingida pelos temporais.

NÚCLEO SUL

Até o momento, a Região Sul foi a mais atingida pelos temporais. As ocorrências registradas na cidade de Tubarão durante a madrugada, decorrentes da vegetação que desceu com o leito do Rio Tubarão atingiu a rede de distribuição foram solucionadas por equipes da Celesc ainda na manhã desta quarta-feira, 4.

Por volta das 17h, havia interrupções de energia nos bairros Bom Pastor, Morrotes e São João, além de casos de falta de luz pontuais, somando aproximadamente 230 unidades consumidoras afetadas. No momento, a Celesc mobiliza 15 equipes de plantão de emergência e mais três equipes de manutenção pesada, que atuam nas manobras e reparos do sistema elétrico.

Em razão do estado de emergência decretado pela Prefeitura de Tubarão, o atendimento presencial da loja da Celesc foi suspenso a partir do meio-dia. Nesta quinta-feira, 5, a loja deve permanecer fechada, situação que será reavaliada ao longo do dia. Os clientes que precisarem devem procurar atendimento on-line, nos canais oficiais da Celesc: Agência Web (no site www.celesc.com.br), do aplicativo (gratuito para celulares iOS) e pelos números de teleatendimento: 08000 48 0196, para emergências e 08000 48 0120, para assuntos comerciais.

NÚCLEO VALE

Na região de Rio do Sul, o nível da água impediu o acesso dos atendentes até os postos de atendimento da Celesc nas cidades de Atalanta, Witmarsum, Chapadão do Lageado, Aurora, Lontras, Vitor Meireles e Presidente Nereu, que ficaram fechadas nesta quarta-feira. A situação será reavaliada nesta quinta-feira, 5. Nos outros municípios que integram o Núcleo Vale da Celesc, as lojas de atendimento e a rede elétrica estão funcionando normalmente. A região encontra-se em estado de alerta e a evolução do nível da é acompanhada pelas equipes da Empresa de forma constante.

NÚCLEO LESTE

No Núcleo Leste da Celesc, 16 equipes de emergência trabalham para atender as ocorrências emergenciais. Eram cerca de 150 ocorrências relacionadas à interrupção de energia por volta das 16h. Com o encharcamento do solo, alguns postes cederam e outros chegaram a tombar. Também foram registradas ocorrências devido à vegetação na rede, principalmente no interior. O foco principal dos trabalhos segue na retirada de vegetação e objetos da rede elétrica, além de atendimento a falta de energia em unidades consumidoras, na reposição de ramais de ligação partidos.

NÚCLEO GRANDE CAPITAL

O Núcleo Grande Capital da Celesc registrou, da noite de terça até a manhã desta quarta-feira, quedas de postes em cidades da Grande Florianópolis, em decorrência do volume de chuvas. Equipes da Celesc atuaram nos reparos das estruturas atingidas, especialmente em Angelina, Nova Trento e Palhoça.

NÚCLEO MEIO-OESTE

Na região atendida pelo Núcleo Meio-Oeste, a situação ocasionada pelas fortes chuvas foi praticamente normalizada na tarde desta quarta. Durante a manhã, um deslizamento de terra atingiu a rede elétrica em Videira, enquanto em Joaçaba a queima de transformadores e quedas de árvores interromperam o fornecimento de energia. Técnicos da Celesc atuaram nos locais e já recuperaram os sistemas.

Na cidade de Ibicaré, a loja de atendimento da Celesc ficou fechada durante a tarde, porque parte da equipe não conseguiu acesso ao local em virtude das chuvas.  A loja de Luzerna também foi fechada, ainda durante a manhã, porque o nível do rio estava subindo. A situação será reavaliada nesta quinta-feira, 5. As outras lojas da região estão abertas e assim devem permanecer, já que não foram identificados riscos de alagamento.

Nas cidades atendidas pelo Núcleo Planalto, Núcleo Norte e Núcleo Oeste da Celesc a situação seguia normal durante a tarde desta quarta-feira, apesar de o nível dos rios da região estarem elevados em algumas áreas.

O QUE FAZER EM CASO DE DANOS NA REDE

Em caso de danos à rede elétrica provocados por chuvas e tempestades, como queda de fios e de postes, sempre considere a rede energizada e em hipótese alguma aproxime-se.

Se a sua unidade consumidora registra energia em meia fase, desligue os equipamentos eletrônicos da tomada. Informe essas ocorrências no telefone 08000 48 0196 (emergência).

Para registrar falta de energia, envie SMS para 48196 com a mensagem SEM LUZ + nº da unidade consumidora e o sistema será notificado imediatamente.

:: Acompanhe a situação do fornecimento de energia em tempo real 

Os demais canais oficiais de atendimento online são: 08000 48 0120 9 (comercial), 08000 48 3232 (ouvidoria) e www.celesc.com.br (agência web).

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800 048 0120
Site: www.celesc.com.br




 Foto: Maurício Vieira/Secom

A Celesc está em alerta devido às chuvas incessantes que atingem Santa Catarina desde a última segunda-feira, 2. Até o final da manhã desta quarta-feira, 4, a Região Sul foi a mais atingida pelos temporais.

NÚCLEO SUL

Durante a madrugada e na manhã desta quarta-feira a vegetação que desceu com o leito do Rio Tubarão atingiu a rede de distribuição na área das margens que percorrem a cidade de Tubarão. As enchentes registradas em alguns bairros do município também causaram falhas nos alimentadores que fornecem energia para os circuitos de redes. No pico das ocorrências, cerca de seis mil unidades consumidoras ficaram sem energia.

Entre os bairros mais afetados com as quedas de luz estão Bom Pastor, Oficinas, Humaitá, Santo Antônio de Pádua e Nova Congonhas. No momento, a Celesc mobiliza oito equipes de plantão de emergência e mais duas equipes de manutenção pesada, que atuam nas manobras e reparos do sistema elétrico.

Em razão do estado de calamidade pública que deverá ser decretado pela prefeitura de Tubarão, o atendimento presencial da loja da Celesc será suspenso a partir do meio-dia. A entrada da loja de atendimento foi reforçada para que a água não atinja a unidade. Todos os atendentes serão dispensados e os serviços poderão ser realizados de forma online, por meio dos canais oficiais de atendimento da Celesc: Agência Web (no site www.celesc.com.br), do aplicativo (disponível para celulares iOS) e pelos telefones de teleatendimento: 08000 048 0120, para assuntos comerciais, e 08000 048 0196, para emergências.

Em Garopaba, Laguna e Jaguaruna, que também integram o Núcleo Sul da Celesc, foram registradas interrupções pontuais no fornecimento de energia elétrica, já restabelecidas pelas equipes da Celesc.

NÚCLEO GRANDE CAPITAL

O Núcleo Grande Capital da Celesc registrou, da noite de terça até a manhã desta quarta-feira, quedas de postes em cidades da Grande Florianópolis, em decorrência do volume de chuvas. Em Angelina, na localidade de Rio Knaul, um poste caiu, deixando 38 unidades consumidoras (UCs) sem energia. Ainda no Centro da cidade, quatro postes cederam, afetando o fornecimento de energia a 100 UCs, no pico da ocorrência. Equipes da Celesc estão atuando nos reparos das estruturas atingidas.

Já em Nova Trento, na região da Claraiba, dois postes cederam, deixando 340 UCs sem energia. Neste momento, a Celesc realiza a manutenção das estruturas afetadas.

Em Palhoça, no bairro Santa Clara, um poste foi derrubado, porém não houve falha no sistema elétrico.

NÚCLEO MEIO OESTE

Na região atendida pelo Núcleo Meio Oeste, Videira registra 593 unidades consumidoras sem energia elétrica em decorrência de deslizamento de terra que afetou a rede elétrica. Já em Joaçaba, 98 unidades consumidoras estão sem energia elétrica devido a transformadores queimados e quedas de árvores.

Em virtude das chuvas registrada nas últimas horas, a equipe de atendimento não conseguiu acesso à loja da Celesc em Ibicaré e, por isso, ela permanece fechada. A loja de Luzerna está aberta, situação que vem sendo avaliada de forma constante, já que o nível da água pode aumentar. As outras lojas da região estão abertas e devem assim devem permanecer, já que não foram identificados riscos de alagamento. 

NÚCLEO VALE

Na Região de Rio do Sul, o nível da água impediu o acesso dos atendentes até os postos de atendimento da Celesc nas cidades de Chapadão do Lageado, Aurora, Lontras e Presidente Nereu, que estão fechadas nesta quarta-feira.

Nos outros municípios que integram o Núcleo Vale da Celesc, as lojas de atendimento e a rede elétrica da região estão funcionando normalmente. A região encontra-se em estado de alerta e a evolução do nível da água é acompanhada pelas equipes da Empresa de forma constante.

NÚCLEO OESTE

Nos municípios que compõem o Núcleo Oeste da Celesc, nesta quarta-feira, 4, a situação está normalizada, sem chuvas muito intensas ou constantes.

NÚCLEO LESTE

As equipes que atendem Núcleo Leste da Celesc trabalham para restabelecer as ocorrências ocasionadas pelas chuvas intensas, com prioridade às faltas de fases em ramais grandes e trafos. Neste momento, as equipes estão restabelecendo os ramais que abriram durante a madrugada e, nesta manhã, os níveis dos rios estão normais e não foram registradas ocorrências relacionadas às chuvas.

NÚCLEO PLANALTO

Nas cidades atendidas pelo Núcleo Planalto da Celesc a situação também está normal, apesar de o nível dos rios da região estarem elevados em algumas áreas. A situação é acompanhada de forma constante, mas até o momento o atendimento permanece normalizado nas lojas de atendimento em todos os municípios.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: imprensa@celesc.com.br 
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 

 Foto: Ascom/SCGÁS

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE/SC) pediu nesta segunda-feira, 25, que a Justiça determine a prorrogação da liminar que impede que a Petrobras aumente o preço do gás natural comercializado em Santa Catarina. O órgão central de serviços jurídicos do Estado já havia obtido manifestação favorável no final de 2021, mas a decisão do juiz Rudson Marcos, à época, suspendia o reajuste apenas até o final deste mês. A ação, determinada pelo governador Carlos Moisés, foi movida contra a estatal brasileira a fim de evitar o aumento médio de 40% sobre o preço do gás natural comercializado em Santa Catarina.

No pedido protocolado, os procuradores do Estado alegam que o repasse vai impactar o fornecimento de gás feito a milhares de residências e estabelecimentos comerciais e industriais, assim como o abastecimento de boa parte da frota de veículos, especialmente aqueles utilizados para o transporte de passageiros – táxis e aplicativos.

“Boa parte da indústria de grande porte será prejudicada, em especial o polo cerâmico catarinense, no qual o custo do gás representa cerca de 20% de todas as despesas operacionais. Trata-se de um impacto gigantesco e irreversível na economia estadual, especialmente no orçamento das famílias, já corroído pela inflação e pela crise econômica provocada pela pandemia de Covid-19”, afirma a PGE/SC nos autos. O gás natural sofreu reajustes por parte da Petrobras, que foram repassados pela SCGás, da ordem de 30% em janeiro e 40% em julho de 2021.

O aumento nos valores do gás natural comercializado pela Petrobras também foi alvo de ações judiciais protocoladas por outros Estados, entre eles Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Sergipe, que obtiveram liminares favoráveis à suspensão do reajuste.

"Estamos agindo a favor dos catarinenses e contra uma política de preços arbitrária praticada pela Petrobras. Nosso pedido é para que a Justiça considere o andamento das obras do Terminal de Regaseificação de São Francisco do Sul, que estão 60% concluídas e devem ser finalizadas no segundo semestre deste ano, e prorrogue a vigência da liminar concedida na última semana de 2021 até a conclusão desses trabalhos ou o final deste ano", diz o procurador-geral do Estado, Alisson de Bom de Souza.

Atuam no processo, além do procurador-geral do Estado e do procurador-geral adjunto para Assuntos Jurídicos, Sérgio Laguna Pereira, os procuradores do Estado Daniel Cardoso e Gabriel Pedroza Bezerra Ribeiro.

Processo número 5110261-97.2021.8.24.0023.

Informações adicionais para a imprensa:
Felipe Reis
Assessoria de Comunicação
Procuradoria-Geral do Estado
comunicacao@pge.sc.gov.br
(48) 3664-7650 / 3664-7834 / 98843-2430

 Foto: Ascom/Aresc

Uma equipe técnica do setor de gás natural da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) esteve nessa semana em roteiro de visitas técnicas na Serra catarinense. Os trabalhos compreenderam na fiscalização operacional das obras de interligação da rede principal de distribuição de gás natural à rede isolada de Lages.

As atividades fiscalizatórias seguiram com as inspeções dos trechos entre Pouso Redondo e Ponte Alta, para conclusão fim deste ano; Ponte Alta e Otacílio Costa (conclusão para dezembro de 2023); e, por fim, trechos entre Otacílio Costa e Lages, onde teve uma reavaliação de rota para uma melhor eficiência na aplicação do investimento. Esse projeto está previsto para ser finalizado segundo semestre deste ano.

Após término dessas obras de interligação, a rede isolada de Lages ficará conectada à rede principal, não sendo necessário o transporte do gás pelas carretas. A logística é atualmente utilizada para cidade serrana, onde o transporte do insumo vem de uma base de compressão de Indaial até o município e é descomprimido e injetado na rede para abastecer os consumidores da região.

Avanço regulatório contribuiu para a interiorização do gás natural em SC

A rede de Lages foi a primeira rede isolada de Gás Natural de Santa Catarina e faz parte do projeto de interiorização da SCGÁS, que objetiva levar o insumo para novas regiões catarinenses que ficam mais distantes do gasotudo. A rede estruturante funciona com o modal GNC (Gás Natural Comprimido), que permite o fornecimento ao município até a chegada da rede principal de distribuição.

A Aresc contribuiu com o projeto de interiorização por meio da resolução nº 75, a qual institui condições e critérios para a autorização de projetos estruturantes na prestação de serviço de distribuição de gás canalizado por rede local, no âmbito da área de concessão SCGÁS.

“As obras de interligação vem trazer ainda mais impacto positivo para região serrana, aumentando a oferta de distribuição do insumo para as empresas, além de promover o desenvolvimento e competividade no mercado”, considera o Presidente da Aresc, João Carlos Grando.

Atualmente, quatro indústrias consomem o gás por meio da rede isolada de Lages, além de outros potenciais clientes em negociação.

Mais informações para a imprensa
Flávia Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3664-4211
Site: www.aresc.sc.gov.br

Foto: Divulgação / ISA CTEEP

A equipe técnica da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), representada pela Diretoria de Empreendedorismo e Competitividade, realizou nesta sexta-feira, 8, uma visita técnica nas obras da Interligação Elétrica (IE) Biguaçu. O projeto ISA CTEEP prevê o aumento da oferta de energia para toda a região e, ampliará o desenvolvimento econômico, social e tecnológico do estado, além de atrair novos empreendimentos. 

“É um projeto que trará um ganho muito grande para a Grande Florianópolis e para o Estado, tanto com o aumento da oferta de energia, quanto com a segurança contra eventuais quedas causadas por questões meteorológicas. Irá impulsionar o desenvolvimento, sendo um grande atrativo para investimentos na região o que resultará em mais empregos e oportunidades”, destaca o secretário Jairo Sartoretto. 

“É perceptível que a obra caminha em um ritmo muito avançado dentro do cronograma previsto. Nos chamou atenção também a preocupação da Companhia com a responsabilidade sustentável incentivando ações de aproveitamento da água e destinação correta dos resíduos sólidos, bem como, o uso da inovação para ações que reduzam o impacto ambiental”, destacou o diretor de Empreendedorismo e Competitividade, Carlos Alberto Arns Filho.

Estiveram presentes também a gerente de Energia e Sustentabilidade Helena Cristina Moreira Zanella, o gerente de Novos Negócios Antônio Ricardo Machado Slosaski e o gerente de Empreendedorismo Individual, Micro e Pequenas Empresas, Adílio Anísio.

Reforço no abastecimento

A interligação elétrica Biguaçu envolve a ampliação de uma subestação (Biguaçu, localizado na Grande Florianópolis) e a construção de outra (Ratones, no Norte da Ilha), além de uma linha de transmissão de 230 kV com dois circuitos de 28 km cada, incluindo trechos aéreos, submarinos e subterrâneos. O investimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de todo o projeto é de R$ 641 milhões e o prazo estipulado pelo regulador para energização é setembro de 2023.

Com isso, Florianópolis deve ser abastecida por dois ou mais sistemas de transmissão. Atualmente, o município tem apenas um interligado à rede básica. Com o projeto, serão três, evitando a interrupção do fornecimento de energia, em caso de saída de operação dos circuitos existentes. 

“Além da geração de empregos, empreendimentos como o nosso alavancam o desenvolvimento do estado, pois reforçam o sistema elétrico local, atraindo novos investimentos. Santa Catarina tem grande potencial energético e queremos, cada vez mais, atuar de forma a gerar valor sustentável, por meio da implantação de projetos que beneficiam a sociedade, como o de Biguaçu”, diz Rui Chammas, diretor-presidente da ISA CTEEP, responsável pelo projeto.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sde.sc.gov.br



 

 Foto: Caio Cezar/Celesc

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), vinculado ao Ministério de Minas e Energia (MME), anunciou nesta quarta-feira, 6, que a bandeira tarifária escassez hídrica será encerrada no próximo dia 16 de abril, data a partir da qual será aplicada a bandeira verde (que não sofre nenhum acréscimo). A eliminação da cobrança adicional resultará em uma redução média de 20% na conta de luz do consumidor residencial no país.

A boa notícia para Santa Catarina é que no estado ela será ainda maior. Para os consumidores residenciais e comerciais catarinenses a redução será de aproximadamente 21%, enquanto para o consumidor rural ela será de aproximadamente 23%. Ambas são as maiores reduções do Brasil. Já para a indústria, será de 24% (mercado cativo).

Atualmente, Santa Catarina possui a tarifa de energia elétrica mais baixa do país para o consumidor residencial. Por isso, proporcionalmente, o efeito da retirada da bandeira faz a redução ficar maior.

A bandeira escassez hídrica é a mais cara do sistema e foi uma medida do Governo Federal aplicada para enfrentar a falta de chuvas no país, que reduziu drasticamente o volume de água nos reservatórios das usinas. Ela incide nas contas de luz desde setembro de 2021,na tentativa de cobrir os custos adicionais com geração de energia elétrica, e adicionou R$ 14,20 às contas de energia para cada 100 mWh consumidos (exceto para as famílias inscritas na Tarifa Social).

O Governo Federal afirma que o nível de chuvas nos últimos meses e a adoção de medidas emergenciais, permitiram reduzir o acionamento das usinas termelétricas, mais caras e poluentes que as hidrelétricas. Com a redução de custos, o Governo Federal antecipou o fim da bandeira escassez hídrica, que estava previsto para o fim de abril.

Informações adicionais para imprensa:
Heda Wenzel
Assessoria de Comunicação
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc
E-mail: imprensa@celesc.com
(48) 3231-6226
Site: www.celesc.com.br

Foto: Divulgação / Celesc 

Buscando ampliar a capacidade de distribuição e melhorar a qualidade no fornecimento de energia elétrica, a Celesc segue investindo na ampliação da infraestrutura no Núcleo Grande Capital (Nucap), que atende às cidades da Grande Florianópolis. Entre novas subestações, linhas de distribuição, além de projetos de eficiência energética e chamadas públicas, o montante previsto pela empresa em novas obras na região em 2022 é estimado em cerca de R$ 130 milhões. Entre 2019 e 2021, já foram investidos R$ 326 milhões em obras.

Uma das principais obras é a construção de duas novas linhas de distribuição que serão conectadas à nova Subestação (SE) Ratones, no Norte da Ilha, em Florianópolis. As duas linhas possuem tensão de 138.000 volts, e terão aproximadamente cinco quilômetros de extensão.

Iniciada em 2021, a obra segue em execução neste ano de 2022. A expectativa é de que as duas linhas estejam aptas para entrar em operação neste mês, com investimento de R$ 62 milhões.

A implantação da SE Ratones e das linhas associadas irá eliminar os riscos de corte de carga no atendimento à Ilha de Santa Catarina, tanto em regime normal de operação quanto em casos de contingências, garantindo mais confiabilidade no abastecimento para a Capital.

Outra obra de grande porte prevista para 2022 na região é a implantação da Subestação Santa Amaro da Imperatriz - Vila Becker. Em processo de licitação, a obra tem previsão de começar neste ano, com estimativa de que entre em operação em 2023, e beneficiará os municípios de Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Pedro de Alcântara e Palhoça, com a melhora na qualidade do atendimento.

Ainda entre as obras estruturantes previstas para 2022 na Grande Florianópolis está a Subestação São José Sertão do Maruim, área de forte concentração industrial no município de São José. O processo de licitação está em andamento, e as obras devem iniciar também neste ano, beneficiando diretamente as cidades de São José e Palhoça.

Completa a lista de obras estruturantes na Grande Florianópolis a construção da Subestação Florianópolis - Monte Verde, no Bairro Saco Grande, na Capital. A obra está em fase final de elaboração de projetos, e os trabalhos têm previsão de início para este ano. Com a nova subestação, haverá melhora no atendimento aos bairros Monte Verde, João Paulo, Santo Antônio de Lisboa, Cacupé, Trindade e Itacorubi, em Florianópolis.

O gerente do Nucap, Renato Rolim, destaca que as obras representam grande volume de investimentos, trazendo significativa melhora na qualidade do fornecimento a toda a Grande Florianópolis.

"A implantação das novas subestações propicia não somente uma maior capacidade de fornecimento de energia, mas também maior recursividade na rede de distribuição, e os novos alimentadores construídos com cabos protegidos possuem maior confiabilidade, diminuindo sensivelmente a exposição da rede de distribuição às ocorrências causadas por agentes externos, tais como condições meteorológicas adversas, contato de vegetação com as redes e até mesmo em casos de abalroamentos de postes. Como consequência, estaremos aptos a conectar novas cargas residenciais, industriais e comerciais de forma mais rápida, fazendo com que a Celesc cumpra sua função social e aja como indutor do desenvolvimento", destaca Rolim.

Obras entregues em 2021

A região da Grande Florianópolis recebeu investimentos importantes em 2021, com a entrega de obras que beneficiam a região com mais qualidade e segurança no fornecimento de energia elétrica. Entre elas, está a ampliação da Subestação Ilha Sul, em Florianópolis. Os trabalhos foram concluídos no ano passado, melhorando o atendimento com mais qualidade e disponibilidade de energia para os bairros do Sul da Ilha. Os investimentos foram de R$ 4,9 milhões.

Voltada a aprimorar o atendimento da Celesc nos municípios de Biguaçu e Governador Celso Ramos, a ampliação da Subestação Biguaçu - Quintino Bocaiúva também passou por obras de ampliação, que foram concluídas e entregues em 2021, com investimento de R$ 3,8 milhões.

Outra obra de grande porte concluída pela empresa no ano passado na área de abrangência do Nucap foi a ampliação da Subestação Florianópolis - Ingleses. Beneficiando diretamente os bairros do Norte da Ilha, na Capital, a obra representou investimento de R$ 5,2 milhões.

Nas redes de distribuição, novos alimentadores foram construídos, com novos padrões construtivos, com cabos protegidos, de maior confiabilidade e, consequentemente, menores níveis de interrupção no fornecimento de energia.

Na região de São José, dois novos alimentadores da Subestação São José Real Parque foram construídos, e levarão mais energia para os bairros de Real Parque, Potecas e Forquilhas. Na região da Palhoça, foram cinco novos alimentadores, que melhoram a qualidade do fornecimento de energia para os bairros Nova Palhoça, Barra do Aririú, Pachecos, Caminho Novo, Bela Vista, Madrid, São Sebastião e região. Em Florianópolis, os novos alimentadores da subestação Florianópolis Capoeiras trarão melhorias também para a parte continental da Capital catarinense. Os investimentos nas redes de distribuição realizados no ano de 2021 foram de aproximadamente R$ 12 milhões.

Chamadas Públicas

A Celesc também segue investindo na região com repasse de recursos por meio das chamadas públicas com foco em Projetos de Eficiência Energética e em projetos sociais, esportivos e culturais.

Em 2021, foram R$ 1,8 milhão e cerca de R$ 500 mil em repasses, respectivamente. Essas ações representaram importante auxílio à comunidade, empresas, instituições e entidades das cidades que compõem o Núcleo Grande Capital.

Entre os destaques dos projetos concluídos em 2021 na região, está a instalação de uma usina fotovoltaica para atender toda a estrutura da Apae Florianópolis, localizada no Bairro Itacorubi. A iniciativa é da Chamada Pública do Programa de Eficiência Energética Celesc/Aneel 2018, e a companhia destinou R$ 559,13 mil em recursos na implantação desse projeto.

Outra instituição beneficiada por projetos de Eficiência Energética no ano passado foi a Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina) em Florianópolis. Foram instalados sistemas fotovoltaicos para geração de energia elétrica com potência de 50,4 kW, e substituídas 6.100 lâmpadas fluorescentes tubulares por lâmpadas LED visando uma maior economia de energia.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800 048 0120
Site: www.celesc.com.br

 

Salvar
Preferências para Cookies
Usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você recusar o uso de cookies, este site pode não funcionar como esperado.
Aceitar todos
Rejeitar todos
Leia mais
Analytics
Ferramentas usadas para analisar os dados para medir a eficácia de um site e entender como ele funciona.
Google Analytics
Aceitar
Rejeitar