A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) subiu no Latin American University Ranking, levantamento de melhores instituições de ensino superior da América Latina feito pela organização internacional Times Higher Education (THE). Acesse o ranking.

Após estrear no ranking em 2019, no estrato 101+, a Udesc foi classificada neste ano na 92ª colocação, mantendo-se como a segunda melhor entre as quatro instituições catarinenses listadas. As outras são a Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) e a Universidade do Vale do Itajaí (Univali).

O Brasil tem o maior número de instituições no ranking: 61, dentre as 166 avaliadas de 13 países. As melhores colocadas são a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade de Campinas (Unicamp), que se mantiveram em segundo e terceiro lugares, assim como em 2019. A lista é encabeçada pela Pontifícia Universidade Católica do Chile pelo segundo ano seguido.

Melhores do mundo

No mês passado, a Udesc também foi classificada pela THE entre as melhores instituições do mundo no Golden Age University Rankings 2020, que avalia universidades que foram instituídas entre 1945 e 1967 e têm, portanto, entre 50 e 75 anos de existência.

Esses dois rankings do THE utilizam a mesma metodologia do World University Rankings, que faz sua análise com base em 13 indicadores, distribuídos em cinco dimensões: ensino, pesquisa, citações de artigos científicos, transferência de tecnologia e internacionalização.

O ranking mundial deste ano será divulgado pela entidade em outubro. A Udesc também estreou no World University Rankings em 2019, quando foi classificada no estrato 1.001+, dentre 1.396 instituições de 92 países.

Vestibular de Inverno

Até 21 de agosto, a Udesc está com inscrições abertas para Vestibular de Inverno 2020, que oferece 1.040 vagas em 37 cursos de graduação da instituição.

Nesta edição, a universidade fará um processo seletivo especial, com inscrições gratuitas e três formas de avaliação, devido à impossibilidade de realizar provas presenciais durante a pandemia de Covid-19. 

Confira o edital, veja o Guia de Cursos Udesc e acesse a página de inscrição.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010  


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Arquivo / Secom

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) suspendeu nesta terça-feira, 7, a liminar em mandado de segurança que paralisava as aulas de pós-graduação da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A liminar havia sido concedida no juízo de primeiro grau após solicitação da Seção Sindical dos Professores da Udesc (Aprudesc). Com isso, as aulas não presenciais dos 50 cursos de mestrado e doutorado da universidade serão retomadas nesta terça-feira, 7.

Na decisão judicial desta terça, o desembargador Luiz Fernando Boller rechaçou a possibilidade de haver ilegalidade na tramitação da Resolução nº 019/2020, que foi aprovada por ad referendum do Conselho Universitário (Consuni) pelo reitor, Dilmar Baretta, e determinou a retomada não presencial das aulas na pós-graduação desde 25 de maio. A decisão do desembargador ocorreu após a Reitoria da Udesc ingressar no TJSC com um agravo contestando a liminar.

No despacho, Boller reconhece a legalidade da medida, editada em 13 de maio, e afirma que não houve tempo hábil para análise na reunião ordinária subsequente do Conselho Universitário. E que, portanto, seguindo o rito processual, a resolução foi encaminhada para tramitação na Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação (CPPG), órgão técnico que faz parte da estrutura do Consuni.

Em 2 de junho, ocorreu reunião da CPPG, que aprovou por maioria a resolução ad referendum do reitor, que já está pautada para a sessão ordinária do Plenário do Consuni a ser realizada em 15 de julho.

Situação da graduação

Na liminar em mandado de segurança, o juiz Jefferson Zanini, da 2ª Vara da Fazenda Pública da Capital, já havia indeferido as reclamações da Aprudesc em relação à Resolução nº 032/2020, que foi aprovada por ad referendum do Consuni pelo reitor e determinou a retomada dos cursos de graduação de forma não presencial. Além da Resolução nº 033/2020, que também foi aprovada por ad referendum do reitor e instituiu o auxílio de inclusão digital para alunos da graduação. Na sentença, o juiz de primeiro grau não viu ilegalidade nessas resoluções. Por essa razão, as aulas da graduação de forma não presencial também seguem normalmente.

A Resolução nº 032/2020 está em análise na Câmara de Ensino de Graduação do Consuni (CEG) para, em seguida, ser tramitada no plenário do conselho.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010  


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Arquivo / Secom

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) recebeu nesta segunda-feira, 6, uma liminar em mandado de segurança (nº 5045271342020.8.24.0023) que suspende as aulas dos 50 cursos de pós-graduação, retomadas de forma não presencial em 25 de maio.

A decisão judicial ocorreu após solicitação da Seção Sindical dos Professores da Udesc (Aprudesc), sob o entendimento que a Resolução nº 019/2020, que foi aprovada via ad referendum do Conselho Universitário (Consuni) pelo reitor, Dilmar Baretta, e autorizou a volta das aulas, não foi apreciada em reunião ordinária subsequente no Plenário do Consuni.

Para não haver prejuízo aos alunos da pós-graduação e por discordar da decisão judicial, sob entendimento de que foram obedecidos todos os ritos processuais e regimentais, a Reitoria da Udesc decidiu recorrer da decisão judicial por meio de agravo ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Com isso, as aulas nos cursos de mestrado e doutorado serão suspensas até que o agravo seja apreciado na Justiça ou até deliberação do Consuni. A matéria já está pautada para reunião ordinária do conselho no dia 15.

Na liminar, o juiz destaca que o ato do reitor "não viola o princípio da gestão democrática do ensino público consagrado no art. 206, VI, da Constituição Federal".

Cumprimento do regimento

A Resolução nº 019/2020 foi aprovada ad referendum pelo reitor em 13 de maio, para retomada das aulas em 25 de maio, após ampla discussão com diretores-gerais, diretores assistentes e membros da comunidade acadêmica. Depois seguiu o rito regimental: a Administração Central encaminhou a resolução para tramitação na Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação (CPPG), órgão técnico que faz parte da estrutura do Consuni e é responsável por avaliar a resolução, conforme os artigos 12-A e 15-D do novo Estatuto da Udesc.

Em 2 de junho, ocorreu reunião da CPPG, que aprovou por maioria a resolução ad referendum do reitor, para que fosse pautada, então, em nova sessão ordinária do Plenário do Consuni – e, assim, entrou na pauta da reunião de 15 de julho.

Em 18 de maio, a Administração Central já havia respondido, a pedido da 25ª Promotoria de Justiça da Capital (MP-SC) e depois da Controladoria Geral do Estado (CGE), acerca das medidas que estavam sendo tomadas para o retorno das atividades de ensino dos cursos de graduação e de pós-graduação na universidade.

Situação da graduação

Na liminar em mandado de segurança, o magistrado indeferiu reclamações da Aprudesc em relação à Resolução nº 032/2020, que foi aprovada por ad referendum do Consuni pelo reitor e determinou a retomada dos cursos de graduação de forma não presencial, e à Resolução nº 033/2020, que também foi aprovada por ad referendum do reitor e instituiu o auxílio de inclusão digital para alunos da graduação. Na sentença, o juiz não viu ilegalidade nessas resoluções. Por essa razão, as aulas da graduação de forma não presencial seguem normalmente.

A Resolução nº 032/2020 está em análise na Câmara de Ensino de Graduação do Consuni (CEG) para, em seguida, ser tramitada no plenário do conselho.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010  


 Imagem: Divulgação/ SED

O estudante com bolsa de estudos vigente para o segundo semestre de 2020 no Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina (Uniedu) deve realizar alguns procedimentos a partir de julho para manter o benefício. A exigência legal inclui anexar o histórico escolar para comprovar aprovação, atualizar o cadastro no site do Uniedu e inserir os documentos comprobatórios do Índice de Carência.

Haverá um espaço no Sistema Uniedu para que o aluno possa inserir o histórico escolar de graduação do semestre anterior (em formato pdf). Será necessário que o estudante assine uma declaração de que possui “desempenho acadêmico satisfatório, com frequência suficiente e aprovado(a) em todas as disciplinas curriculares no semestre passado” para poder confirmar o envio.

Na área de “Alterar Cadastro”, o bolsista deverá inserir todos os documentos de comprovação do Índice de Carência. A lista inclui os comprovantes de renda familiar, do tipo de moradia e do número de pessoas do grupo familiar, que são exigidos para todos os bolsistas. Dependendo das respostas do aluno no questionário socioeconômico, também será necessário incluir os comprovantes de despesa familiar com doença crônica, da despesa familiar mensal com transporte coletivo e da despesa familiar com educação paga para outro membro do grupo familiar.

Enquanto o bolsista não anexar o histórico escolar, atualizar o cadastro no sistema Uniedu e inserir os documentos comprobatórios do Índice de Carência, não será possível assinar os recibos da bolsa. As instituições de ensino superior poderão visualizar os documentos e acompanhar o envio pela seção “Status da Bolsa Estudantil”.

O acesso dos alunos ao sistema será aberto no dia 7 de julho e permanecerá disponível até o dia 19 para consultas, comprovantes, assinaturas e novos cadastros. Do dia 20 ao dia 31 de julho, as instituições de ensino superior poderão fazer concessões e ajustes de bolsas, além de consultas. O processo se repete em agosto: do dia 1 a 16, o sistema de acesso dos alunos estará liberado para consultas, comprovantes, assinaturas e novos cadastros, enquanto entre os dias 17 e 31 o módulo das instituições de ensino superior estará aberto para consultas, concessões e ajustes de bolsas.


Objetivo das medidas é adequar programa à legislação

O secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, destaca que o calendário do Uniedu para o segundo semestre de 2020 foi apresentado previamente e recebeu sugestões das entidades que representam as instituições de ensino superior em Santa Catarina. Também ressaltou que o objetivo das atualizações do programa é adequar o Uniedu à legislação prevista na Constituição Estadual.

"Todo esse regramento que estamos apontando é importante para podermos cumprir à risca as determinações legais. É dessa forma, com a inclusão das informações que estão sendo solicitadas aos estudantes, que contamos com a participação de todos os envolvidos para podermos seguir fazendo a gestão do programa à luz de toda a legislação que ampara o Uniedu", frisa.

Necessidade de comprovar participação em projetos sociais e de pesquisa

A partir de julho, os bolsistas do Uniedu pelo artigo 170 também devem comprovar a participação em projeto social com visão educativa com 20 horas semestrais. A exigência é prevista no Artigo 2º da Lei Complementar nº 281/2005, que determina que a obtenção ou a renovação do benefício pelo aluno ficará vinculada à participação (20 horas semestrais) em programas e projetos sociais, com visão educativa, propostos pelas universidades em seus projetos de extensão.

Os bolsistas pelo programa 170 (pesquisa) e 171 (pesquisa/extensão) também devem comprovar a participação em um programa de pesquisa e/ou extensão. Conforme o artigo 8º da Lei Complementar nº 281/2005, as instituições de ensino superior devem lançar, anualmente, editais públicos para apresentação de Projetos de Pesquisa, com base nas políticas nacional e institucional de pesquisa.

É obrigação do bolsista encaminhar a cada semestre os documentos comprobatórios de desenvolvimento do projeto de pesquisa e/ou extensão, no caso de concessão de bolsa de pesquisa e extensão, sob pena de cancelamento da bolsa, conforme o art. 12 do Decreto 470/2020. Além disso, a assinatura dos recibos do semestre seguinte ficará bloqueada até que o bolsista realize essas operações.

Para comprovar a participação tanto em programa social quanto de pesquisa e/ou extensão, os alunos deverão consultar um dos modelos de documentos disponíveis na página: “Comprovação da participação em Projeto Social com Visão Educativa” ou “Declaração não-cumprimento por conta da pandemia de Covid-19”. É necessário preencher todos os campos do documento e assinar, coletar a assinatura e carimbo da instituição de ensino superior, digitalizar o documento e anexar o comprovante no sistema Uniedu para análise.

Casos em que há devolução dos recursos

Atendendo aos Art. 7º e Art. 14 da Lei Complementar 281/2005 e ao Art. 12 do Decreto 470/2020, a SED tem um procedimento para os casos em que o bolsista deve restituir os valores recebidos indevidamente. Essa devolução deve ser feita nos casos em que for identificado:

- Abandono do curso durante a vigência do CAFE;
- Desistência do curso sem justificativa aceita pela equipe técnica ou comissão de fiscalização;
- Acumulação de bolsas de estudo concedidas com recursos públicos;
- Constatação de inidoneidade de documento apresentado ou falsidade de informação prestada pelo bolsista;
- Alterações no projeto de pesquisa sem o consentimento da SED, no caso de bolsas concedidas para cursos e programas de pós-graduação em nível de especialização, mestrado e doutorado;
- Não atendimento à notificação para regularização de obrigação sanável;
- Notificação para devolução de recursos decorrente de grave descumprimento de obrigação.

As legislações, portarias e demais regramentos do programa estão disponíveis para consulta pública no site do Uniedu.

Informações adicionais para imprensa:
Gabriel Duwe de Lima
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
Fone: (48) 3664-0347 
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br
www.sed.sc.gov.br 


Foto: Cristiano Estrela / Arquivo / Secom

O comitê estratégico para retomada das aulas presenciais em Santa Catarina, formado por 15 instituições, teve a segunda reunião na tarde desta terça-feira, 30 de junho. Durante o encontro, foram apresentadas as ações iniciadas por cada um dos cinco grupos de trabalho responsáveis por elaborar os protocolos de medidas sanitárias, ações pedagógicas, gestão de pessoas, transporte escolar e alimentação escolar para o retorno às salas de aula no Estado.

Os grupos de trabalho entregaram um protocolo inicial e compartilharam algumas dúvidas levantadas durante a elaboração. Também foi reforçada a importância de um documento único que seja publicado pelo Governo do Estado, em articulação com as entidades que participam do comitê, com uma regra geral que considere as especificidades dos diferentes níveis de ensino.

O secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, considerou que as contribuições apresentadas na reunião foram positivas para somar ao que os grupos de trabalho relataram durante o encontro. “Queremos ter as condições definidas para quando pudermos retomar as aulas presenciais, seguindo as informações técnicas e possibilidades apresentadas pela Secretaria de Estado da Saúde.”

Novo encontro agendado para 9 de julho

A próxima reunião do comitê foi agendada para a quinta-feira da próxima semana, 9 de julho. A orientação é que os grupos de trabalho acelerem as definições internas e a redação do documento para apresentar uma minuta de protocolos mais estruturada e detalhada no encontro.

Para analisar os cenários, a maior parte dos grupos de trabalho tem elencado pontos favoráveis, negativos, oportunidades e ameaças para as alternativas encontradas, a fim de viabilizar a tomada de decisão. Paralelamente, também está sendo criado o Plano de Contingenciamento, no modelo da Defesa Civil, para servir como base para diversos protocolos gerais que estão sendo definidos.

Os grupos de trabalho também podem se apropriar de algumas determinações que constam nas portarias que regulamentam as medidas para aulas presenciais do ensino superior e cursos técnicos em Santa Catarina, publicadas na segunda-feira.

Aulas presenciais suspensas até 2 de agosto

O decreto 630/2020, estabelecido pelo Governo do Estado, suspende até 2 de agosto as aulas presenciais nas redes privada e pública, nas esferas municipal, estadual e federal, incluindo educação infantil, ensino fundamental, nível médio e educação de jovens e adultos (EJA).

O secretário Natalino Uggioni reforçou durante a reunião que ainda não há data determinada para o retorno das aulas presenciais. Essa definição será comunicada com a devida antecedência e apenas quando as informações técnicas da Secretaria de Estado da Saúde indicarem condições favoráveis para tal decisão.

Os protocolos de retomada das aulas presenciais estão sendo definidos por um comitê que reúne 15 instituições, incluindo a Secretaria de Estado da Educação, Secretaria de Estado da Saúde, Defesa Civil de Santa Catarina, Tribunal de Contas, Ministério Público de Santa Catarina, Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Conselho Estadual de Educação, Fundação Catarinense de Educação Especial, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), Sindicato das Escolas Particulares de Santa Catarina (Sinepe), União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação, Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte), Sindicato dos Trabalhadores em Instituições de Ensino Particular e Fundações Educacionais e Federação de Trabalhadores do Magistério.

A queda ou instabilidade dos serviços de energia elétrica, telefonia e internet por conta do ciclone extratropical que atinge o Estado desde a tarde de terça-feira, 30, afeta o calendário das atividades não presenciais da rede estadual de ensino. A Secretaria de Estado da Educação (SED) emitiu um informe extraordinário às 36 Coordenadorias Regionais de Educação (CRE) orientando sobre a atuação dos gestores escolares neste período.

Entre as principais determinações está a suspensão temporária do envio de atividades escolares não presenciais nas regiões afetadas, até o restabelecimento dos serviços mencionados.

Cada Coordenadoria deve gerenciar a situação localmente. “Estamos cientes do impacto do ciclone no acesso à eletricidade e à internet nas casas de muitos servidores, bem como das famílias de nossos estudantes, inclusive na estrutura física de suas residências, interferindo diretamente no acesso e na realização das atividades remotas pelos professores e alunos”, salienta a diretora de Ensino em exercício, Maria Tereza Hermes.

O fenômeno natural provocou ocorrências em, ao menos, 101 municípios. A informação é do balanço divulgado pela Defesa Civil no início da tarde desta quarta-feira, 1º de julho.

Atividades alteradas
O documento enviado às Coordenadorias Regionais de Educação nesta quarta-feira, 1º de julho, informou ainda a alteração em três atividades previstas:
1. Ampliação do prazo de preenchimento dos formulários diagnóstico das escolas, acerca do Retorno às Aulas Presenciais
2. Transferência da webconferência sobre Gestão Escolar, que seria realizada nesta quarta, para a próxima quarta-feira, 8 de julho.
3. Transferência de reuniões técnicas programadas pelas Gerências da SED para ocorrerem nesta semana para a seguinte.

Celesc trabalha para recompor a rede
A Celesc registrou o maior dano da história da rede elétrica, após a passagem do ciclone extratropical. No total, 1,5 milhão de unidades consumidoras do estado ficaram sem luz. A Celesc está trabalhando para recompor 90% do sistema até o final desta quarta-feira.

Comunicação
Os fortes ventos dificultam também a comunicação, já que muitas cidades estão sem sinal de telefone e internet ou sem luz. Por isso, é solicitado que a população se mantenha em local seguro e protegido, mantenha a calma e, se necessário, acione os Bombeiros pelo telefone 193.

Informações adicionais para imprensa:
Ana Paula Flores
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
Fone: (48) 3664-0353 
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br
www.sed.sc.gov.br


Foto: Márcia Callegaro/ Casa Civil

O plano de retomada às aulas e demandas da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), de Lages, foram apresentados ao chefe interino da Casa Civil, Juliano Chiodelli, na manhã desta terça-feira, 30, em Florianópolis.

Participaram da reunião o reitor da Uniplac, professor Kaio Amarante, e a pró-reitora de Pesquisa, Extensão e Pós-graduação, professora Lilia Kanan. O Plano de Apoio de Retomada das Atividades iniciou dia 7 de junho com aulas práticas em laboratórios e estágios. Agora, a universidade se prepara para a retomada geral autorizada pela Portaria 447/2020, publicada nesta segunda-feira, 29 no Diário Oficial do Estado. 

A Portaria autoriza a realização de atividades presenciais de ensino superior em estabelecimentos acadêmicos públicos e privados a partir de 6 de julho. A medida autoriza o retorno, inclusive, em nível de pós-graduação, desde que as instituições tenham estrutura para manter o distanciamento de 1,5 metro entre todos os frequentadores do ambiente educacional. O retorno das aulas está condicionado às decisões regionalizadas.

Conforme prevê o decreto estadual 630/2020, as aulas presenciais nas redes privada e pública, nas esferas municipal, estadual e federal, incluindo educação infantil, ensino fundamental, nível médio e educação de jovens e adultos (EJA) seguem suspensas até o dia 2 de agosto.

Trabalho remoto

Desde março as aulas presenciais estão suspensas em Santa Catarina por conta da pandemia de Covid-19. Chiodelli destacou que o trabalho remoto mudou a realidade em todos os setores.“Todos tiveram que fazer uma readequação do trabalho, alterar suas rotinas, mas as coisas têm funcionado muito bem ”, disse. 

O reitor afirmou que neste período não houve perdas aos alunos, pois eles tiveram acesso às aulas de forma remota. Mas reforçou que nenhum estado mais será o mesmo após essa pandemia. “Observamos que a produtividade é até maior que de forma presencial. Inclusive, essa será uma discussão após a pandemia, pois o trabalho remoto será uma necessidade daqui pra frente”.

Entre os pleitos da Uniplac estão as bolsas de estudo do Programa Uniedu e recursos do Fumdes. O chefe interino da Casa Civil se comprometeu a encaminhar essas demandas para uma discussão futura.

A partir de 2020, as novas regras do programa garantem que os alunos mais carentes sejam os principais beneficiários. A seleção é feita com base na avaliação dos candidatos de acordo com o Índice de Carência (IC), calculado de forma automática pelo Sistema de Cadastro do Uniedu. Esse cálculo garante a transparência do processo de avaliação. 

O processo de seleção e a distribuição das bolsas Uniedu são regidos e executados pelas IES, baseados na legislação em vigor. As instituições são as responsáveis pela execução e orientação de seus estudantes. 

Medidas de retorno às aulas

Nesta segunda-feira, 29, a Secretaria de Estado da Saúde publicou uma portaria que regulamenta os protocolos para o retorno das aulas presenciais do ensino superior em Santa Catarina. Outra portaria também estabelece as medidas para permitir as aulas práticas de cursos técnicos no Estado, com exceção dos cursos técnicos das escolas da rede estadual de ensino.

Uma retificação será publicada no Diário Oficial nesta terça-feira, 30, determinando que ambas as portarias entram em vigor a partir de 6 de julho. 

>> Portarias estão disponíveis aqui

Informações adicionais à imprensa
Márcia Callegaro
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2104 / 98842-8479
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Foto: Mauricio Vieira / Secom

As obras na Escola Aderbal Ramos da Silva, em Florianópolis, foram pauta de reunião entre o governador Carlos Moisés, o senador Esperidião Amin e o secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, na Casa D’Agronômica, nesta segunda-feira, 29. Durante o encontro, foram abordadas as etapas do processo envolvendo a reforma e ampliação da escola.

“Nosso compromisso é não deixar uma escola sequer sem o atendimento necessário, seja ele uma reforma, uma ampliação, melhorias nos laboratórios de tecnologia, entre outras demandas. O ambiente escolar tem que ser receptivo, seguro e inovador. Estamos empenhados nesta missão”, frisou o governador.

O secretário Natalino Uggioni explicou que a atual etapa é uma das mais demoradas porque há uma exigência técnica minuciosa na elaboração do projeto.

“Fazemos questão de começar uma obra com a segurança de que ela terá início, meio e fim. Mesmo que leve mais tempo nessa fase de elaboração, ter em mãos um projeto correto faz com que a execução flua mais rapidamente”, defendeu Uggioni.

O argumento foi validado também pelo secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira, com base em casos onde as obras começam e são paralisadas por erros ou irregularidades nos projetos de execução.

“É assim que deve ser. Este cuidado é crucial para o bom andamento das obras públicas”, ratificou o senador Esperidião Amin.

O projeto da Escola Aderbal Ramos da Silva, orçado em cerca de R$ 6 milhões, está passando por readequações para atender normas técnicas atuais recomendadas por órgãos responsáveis pela segurança. “Assim que esse projeto estiver concluído, dedicaremos agilidade no andamento do processo”, acrescentou o secretário da Educação.

Também participaram do encontro o vereador de Florianópolis Rafael Daux, o chefe de gabinete do senador Esperidião Amin, Amaro Lúcio da Silva, o presidente do Conselho de Desenvolvimento do Continente (CODECON), Dalton Heros Malucelli, o representante do Conselho Comunitário do Balneário Estreito Hugo Belli, e os diretores Carlos Leonardo Teixeira Sampaio e Jean Paulo Cimolin.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Carlos Moisés visitou na manhã desta segunda-feira, 29, a sede da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), em São José, na Grande Florianópolis. Com 52 anos de serviços prestados à sociedade catarinense, a instituição elabora as políticas públicas para a área da educação especial.

Após uma reunião de trabalho com o secretariado, o governador conheceu um pouco mais da estrutura da Fundação, que está localizada no bairro Roçado. Ao lado do presidente Rubens Feijó e da primeira-dama Késia Martins da Silva, Carlos Moisés visitou os pavilhões, conversou com funcionários e se mostrou impressionado com o local.  

“Viemos constatar in loco, mesmo em tempos de pandemia, como está funcionando esse órgão tão importante do Governo de Santa Catarina. Estamos mantendo em dia os repasses não apenas para as APAEs, mas também para as mais de 200 associações que atendem pessoas com deficiência em Santa Catarina. A FCEE é uma instituição que há décadas presta um serviço de excelência e nós queremos fortalecê-la ainda mais. Nosso governo é de inclusão”, disse o governador.

>> Mais fotos na galeria

O presidente Rubens Feijó explicou que a Fundação ajuda na educação de mais de 20 mil pessoas no Estado. Ele também mostrou o projeto para a construção de um novo prédio sustentável para reunir os diferentes setores da FCEE em apenas um espaço.

“Esse prédio será um marco para a educação especial em Santa Catarina. Será uma estrutura totalmente acessível, captando também energia solar e a água da chuva. Ele terá portas e salas adaptadas para o atendimento à pessoa com deficiência. Será um projeto pioneiro para o Estado”, diz Feijó.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 


Imagem: Divulgação/ Udesc

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) publicou o edital do Vestibular de Inverno 2020 - Processo Seletivo Especial nesta quinta-feira, 25, com informações sobre as três formas de avaliação para 1.040 vagas de 37 cursos de graduação da instituição. As inscrições são gratuitas e ficarão abertas entre 29 de junho e 21 de agosto. Confira o edital, veja o Guia de Cursos Udesc e acesse a página de inscrição.

A universidade fará um processo seletivo especial neste Vestibular de Inverno devido à impossibilidade de realizar provas presenciais durante a pandemia de Covid-19. Para participar da seleção da Udesc, o candidato deverá optar por um dos critérios abaixo:

  • Nota geral do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): apenas para candidatos que prestaram a prova do Enem em 2016, 2017 ou 2018;
  • Média final do Vestibular da Udesc: apenas para candidatos que prestaram a prova do Vestibular de Inverno 2019 ou do Vestibular de Verão 2020 da Udesc e que não foram reprovados ou eliminados. É possível fazer nova opção de curso;
  • Média final geral de conclusão do ensino médio: apenas para candidatos que já concluíram o ensino médio.


Mais detalhes sobre cada forma de avaliação podem ser conferidos no item 3 do edital. As inscrições serão homologadas em 14 de setembro, e a primeira chamada está prevista para ocorrer até 28 de setembro. Os aprovados deverão iniciar as aulas pela Udesc no segundo semestre letivo de 2020 da universidade.

Municípios com vagas

Confira onde há oportunidades de estudo da Udesc:

  • Balneário Camboriú (Cesfi): Administração Pública e Engenharia de Petróleo;
  • Chapecó (CEO): Enfermagem e Zootecnia;
  • Florianópolis (Cefid): Educação Física (Bacharelado), Educação Física (Licenciatura) e Fisioterapia;
  • Florianópolis (Esag): Administração, Administração Pública e Ciências Econômicas;
  • Florianópolis (Faed): Geografia (Bacharelado), História (Licenciatura) e Pedagogia;
  • Ibirama (Ceavi): Ciências Contábeis, Engenharia Civil e Engenharia de Software;
  • Joinville (CCT): Ciência da Computação, Engenharia (Civil, de Produção e Sistemas, Elétrica e Mecânica), Física (Licenciatura), Matemática (Licenciatura), Química (Licenciatura) e Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas;
  • Lages (CAV): Agronomia, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Florestal e Medicina Veterinária;
  • Laguna (Ceres): Ciências Biológicas (Biologia Marinha e Biodiversidade) e Arquitetura e Urbanismo;
  • Pinhalzinho (CEO): Engenharia Química;
  • São Bento do Sul (Ceplan): Engenharia de Produção - Habilitação Mecânica e Sistemas de Informação.


Distribuição de vagas

Para cada um dos três critérios do Vestibular de Inverno 2020 da Udesc - Processo Seletivo Especial, haverá vagas específicas em cada curso oferecido. No curso de Medicina Veterinária, por exemplo, são oferecidas 30 vagas. Dessas, dez serão disputadas por candidatos que optarem pela avaliação da nota geral do Enem, outras dez pela média final do Vestibular da Udesc e as dez restantes pela média final geral de conclusão do ensino médio.

O edital ainda respeitará as políticas de ações afirmativas da Udesc, com reserva de 30% das vagas para candidatos com todo o ensino médio na rede pública e para candidatos negros.

Ou seja, levando em conta o mesmo exemplo de Medicina Veterinária, das dez vagas a serem disputadas por quem optar pela avaliação da nota geral do Enem, duas são para candidatos que se declarem de escola pública, uma para candidatos que se declararem negros e as sete restantes para não optantes. O mesmo ocorre para as vagas oferecidas nos outros dois critérios do processo seletivo especial.

"Essa configuração do vestibular é adaptada para este período excepcional de pandemia, no qual tivemos que encontrar maneiras de sermos inovadores e enfrentarmos o problema", avalia o vice-reitor da universidade, Luiz Antonio Ferreira Coelho, que também é coordenador do Grupo de Trabalho do Vestibular da Udesc.

Por enquanto, o calendário do Vestibular de Verão 2021 da Udesc está mantido, com provas presenciais a serem realizadas em novembro, para ingresso no primeiro semestre do próximo ano.

No entanto, a universidade acompanhará a situação da pandemia e poderá implementar soluções semelhantes às medidas do Vestibular de Inverno 2020 - Processo Seletivo Especial.

Mais informações

Mais informações podem ser obtidas na página oficial do vestibular e com a Coordenadoria de Vestibulares e Concursos (Covest), pelo e-mail vestiba@udesc.br. Acompanhe as notícias do vestibular pelo Facebook, pelo Instagram, pelo Twitter e pela Udesc em Rede.

Confira todas as ações desenvolvidas pela Udesc no combate à pandemia do novo coronavírus no site udesc.br/coronavirus.

Mais informações para a imprensa:
Luiz Eduardo Schmitt
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-8006/8010