Foto: Fabiano Peres/SDS

O Governo do Estado, por meio da Secretaria do Estado do Desenvolvimento Social, entregou nesta sexta-feira, 10 de junho, o novo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Laurentino, em comemoração ao aniversário de 60 anos do município. O investimento do equipamento foi de cerca de R$ 360 mil.

A construção possui 172 metros quadrados e respeita os padrões estabelecidos pelo Estado. O espaço físico conta com sala de atendimento familiar, administração, recepção, cozinha, banheiro, área de serviço, sala multiuso, área externa coberta e mobília.

“Sabemos do impacto positivo que a inauguração do novo CRAS vai trazer para o município, pois o equipamento é a porta de entrada da assistência social para a população em situação de vulnerabilidade. É onde as pessoas que mais necessitam recebem atendimento, onde buscam uma vida mais digna e justa”, disse o secretário de Estado do Desenvolvimento Social, João Batista Costa.

O novo equipamento está situado na Rua Ipê 185, bairro Vila Nova e vai ofertar Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) e o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Os cidadãos também recebem orientação sobre os benefícios assistenciais. Há atendimentos às famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social, pessoas com deficiência, idosos, crianças e adolescentes e pessoas inseridas no Cadastro Único, beneficiários do Auxílio Brasil e do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros.

O prefeito da cidade de Laurentino, Marcelo Tadeo Rocha, exaltou a valia do Centro para os munícipes. “A prioridade para a Assistência Social é total porque sabemos da importância de estar ao lado de quem mais precisa. Hoje, inauguramos a nossa mais nova unidade do Cras, não tenho dúvida que o equipamento vai ajudar a vencer o enorme desafio que a cidade apresenta no campo social. O Equipamento novo, amplo e aconchegante, garante o melhor atendimento e serviços para as pessoas”, destaca o prefeito Marcelo.

A cerimônia contou com a presença do deputado estadual, Vicente Caropreso, do vice-prefeito, Agenor Avi, da secretária de Assistência Social de Laurentino, Elaine Lūckhann, o secretário de Administração, Jean Carlos Cristofolini, o secretário de Habilitação, Armando Jose de Oliveira, a secretária de Finanças, Bianca Paula Tonet, e Patricio Bonacolsi, secretário de Agricultura Indústria Comércio e Turismo. Participaram também o presidente da Câmara, Marinel Tarsia, os vereadores Cristofolini, Luzia Deluca Alves, Maicon Schimidt, Mario Alexandrini, Vilmar Tonet, Osmildo Caetano, Gilberto Marçaneiro e Marcelo Tonet.

Mais informações para a imprensa:
Fabiano Peres
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Desenvolvimento Social - SDS
Fone: (48) 3664-0916
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br 

 Foto Ricardo Wolffenbüttel/Secom

Os tetos para abrigarem 45 famílias do rigoroso frio do inverno, que ficará ainda mais intenso neste mês de junho, serão construídos por meio do programa SC Mais Moradia. A Secretaria de Desenvolvimento Social liberou nesta quinta-feira, 09, a primeira parcela do programa. Os moradores de Bom Jardim da Serra, Entre Rios e Vargeão serão contemplados com 15 residências, cada município, no valor somado de R$ 1.050.000 com recursos do Governo do Estado. 

A Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado confirma outros 58 municípios contemplados com o SC Mais Moradia, que terá um investimento total de R$ 70 milhões para a construção de mil casas, com o objetivo de combater o déficit habitacional. As residências terão entre 45 e 50 metros quadrados, com dois quartos, sala, cozinha e banheiro e valor total de R$ 70 mil na construção.

"Nosso governo investe na população e o SC Mais Moradia tem orçado a construção de 1000 casas. O déficit habitacional infelizmente é uma realidade, mas temos recursos para investir e trazer mais qualidade de vida para os catarinenses. Há 11 anos não tínhamos um programa voltado para a construção de moradias com recursos do executivo", ressaltou o governador Carlos Moisés.

Os municípios contemplados com o SC Mais Moradia são os que possuem o menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Social, João Batista Costa, o estado abraça ainda mais a população e investe cada vez mais nas pessoas.

"Vamos entregar mais do que residências, vamos ajudar a devolver a dignidade para os catarinenses com dificuldade. O SC Mais Moradia é exemplo para todo o Brasil e mostra o nosso comprometimento em fazer o melhor para todos. A gestão técnica do nosso governo possibilitou recursos que há anos não eram direcionados para a habitação", reforça.

O SC Mais Moradia integra o programa Gente Catarina e prevê a construção de casas para pessoas que vivem em situação de pobreza e pobreza extrema. O objetivo é impulsionar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de cidades com os menores indicadores em Santa Catarina. O projeto é destinado aos municípios com IDH até 0,699. São 61 cidades que podem participar desde que indiquem as matrículas de onde as unidades podem ser construídas.

"As famílias beneficiadas pelo SC Mais Moradia vão receber mais que uma casa nova, mas também a perspectiva de um futuro melhor. Todos saem ganhando com um programa tão importante do governo do Estado. Isso mostra que Santa Catarina conta com uma gestão que olha para todos", falou Pedro Ostetto, prefeito de Bom Jardim da Serra.

A cessão de uso dos imóveis ficará em nome de mulheres. O objetivo por trás da medida é garantir que elas tenham mais segurança em caso de problemas domésticos. O SC Mais Moradia sairá do papel por meio de uma parceria com as prefeituras, que ficarão responsáveis pela doação dos terrenos e a execução dos trabalhos. O cronograma dos pagamentos seguirá a ordem nos dias 4, 21, 27, 28 e 30 deste mês, além das datas estabelecidas para despesas gerais 15, 24 e 29 de junho de 2022.

Veja lista dos municípios que receberão o auxílio no estado:

  • Abdon Batista;
  • Abelardo Luz;
  • Água Doce;
  • Alfredo Wagner;
  • Anchieta;
  • Angelina;
  • Anita Garibaldi;
  • Anitápolis;
  • Bandeirante;
  • Bela Vista do Toldo;
  • Bocaina do Sul;
  • Bom Jardim da Serra;
  • Bom Retiro;
  • Brunópolis;
  • Calmon;
  • Campo Belo do Sul;
  • Campo Erê;
  • Canelinha;
  • Capão Alto;
  • Caxambu do Sul;
  • Cerro Negro;
  • Coronel Martins;
  • Entre Rios;
  • Frei Rogério;
  • Imaruí;
  • Ipuaçu;
  • Irineópolis;
  • José Boiteux;
  • Lebon Régis;
  • Leoberto Leal;
  • Macieira;
  • Major Gercino;
  • Major Vieira;
  • Matos Costa;
  • Monte Carlo;
  • Monte Castelo;
  • Ouro Verde;
  • Painel;
  • Palmeira;
  • Passos Maia;
  • Ponte Alta do Norte;
  • Ponte Alta;
  • Ponte Serrada
  • Rio das Antas;
  • Rio Rufino;
  • Romelândia;
  • Saltinho;
  • Santa Cecília;
  • Santa Terezinha do Progresso;
  • Santa Terezinha;
  • São Bernardino;
  • São Cristovão do Sul;
  • São João do Sul;
  • São Joaquim;
  • São José do Cerrito;
  • Timbó Grande;
  • Urubici;
  • Urupema;
  • Vargeão;
  • Vargem;
  • Vitor Meireles

 

Mais informações para a imprensa:
Fabiano Peres
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Desenvolvimento Social - SDS
Fone: (48) 3664-0916
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br 

 Foto Fabiano Peres/SDS

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SDS) realizou nesta quarta-feira, 25, uma rodada de conversa com os municípios contemplados pelo SC Mais Moradia. A reunião foi realizada em Videira, na região do Vale do Rio do Peixe, e contou com a presença dos gestores de habitação e prefeitos. Participaram, ainda, representantes da Associação dos Municípios do Alto Vale do Rio do Peixe (Amarp), Associação dos Municípios da Região do Contestado (Amurc), Associação dos Municípios do Planalto Sul (Amplasc) e a Associação dos Municípios do Planalto Norte (Amplanorte).

O secretário de Estado do Desenvolvimento Social, João Batista Costa, também presente no evento, falou da importância do encontro. “Estamos empenhados em auxiliar os municípios em todas as etapas do programa. Queremos conhecer as situações, identificar possíveis problemas e facilitar ao máximo o acesso dos municípios a esse importante programa de habitação para a população em situação de vulnerabilidade social em Santa Catarina”, relata.

A SDS colocou-se a disposição para auxiliar os 41 municípios contemplados no programa SC Mais Moradia. Foram realizadas até o momento três reuniões com as regiões. A prefeita de Santa Cecília, Alessandra Aparecida Garcia, por exemplo, comenta sobre a importância da ação para a região. “O programa veio numa boa hora porque a nossa região necessita muito desse tipo de ação. E essa reunião técnica, toda essa troca de ideias é excelente. O Governo do Estado está nos preparando pra esse programa, esclarecendo todas as etapas e isso é muito importante. A Secretaria de Desenvolvimento Social está dando um aparato muito grande nessa questão técnica para que possamos executar esse projeto tão especial. Assim, vamos chegar de maneira mais rápida a quem realmente precisa”.

O SC Mais Moradia integra o programa Gente Catarina e prevê a construção de casas para pessoas que vivem em situação de pobreza e pobreza extrema. O objetivo é impulsionar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de cidades com os menores indicadores em Santa Catarina. O projeto é destinado aos municípios com IDH até 0,699. São 61 cidades que podem participar desde que indiquem as matrículas de onde as unidades podem ser construídas.

Mais informações para a imprensa:
Fabiano Peres e Luciane Lemos
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Desenvolvimento Social - SDS
Fone: (48) 3664-0916
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br 

O governador Carlos Moisés sancionou a lei que cria Política Estadual de Incentivo ao Terceiro Setor em Santa Catarina. Com ela, Santa Catarina contará com uma política pública permanente para estimular e fortalecer as organizações da sociedade civil em atuação no estado.

A Casa Civil orientará e coordenará as ações e os projetos a serem realizados por órgãos e entidades da administração estadual para a realização dos objetivos da nova política de incentivo. Poderão ser atendidas as entidades privadas sem fins lucrativos, as cooperativas sociais e organizações religiosas que se dediquem a atividades de cunho social.

Santa Catarina conta desde abril de 2020 com a Rede Laço. O programa é hoje responsável pela integração entre o poder público estadual e as entidades do terceiro setor, com foco no incentivo e promoção do voluntariado.

“A Rede Laço hoje faz as capacitações para a elaboração de projetos, divulga os editais e também faz o cadastro das entidades e dos voluntários. A nova lei garante que essas instituições tenham sempre uma porta aberta dentro do governo do Estado”, destaca a presidente da Rede, a primeira-dama Késia Martins da Silva.

A nova legislação também permitirá ao governo capacitar as entidades para atividades de inovação e captação de recursos, e integrar as bases de dados sobre o terceiro setor. Define ainda a articulação entre governo e iniciativa privada no incentivo à captação de recursos para projetos de organizações sociais.

“Com a lei, estamos criando um selo social que será concedido às instituições e empresas que fomentam e incentivam o terceiro setor. O governo vai criar e ampliar a conectividade de todas essas instituições, pois elas estão presentes muitas vezes onde o Estado não pode estar. Por isso, essa lei é de grande relevância. Nós vamos incentivar essa atividade importantíssima aqui em Santa Catarina”, explica o governador Carlos Moisés.

Informações adicionais à imprensa
Renê Müller
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC

 A pesquisa usa enfoque desenvolvido a partir da experiência do Observatório de Inovação Social de Florianópolis da Udesc Esag

Um projeto de pesquisa liderado por duas professoras da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) vai estudar e comparar ecossistemas de inovação social e seus efeitos em cidades de várias regiões do Brasil, com ênfase nos negócios de impacto socioambiental. Esses negócios são empreendimentos híbridos, que combinam as lógicas social e de mercado.

O projeto “Ecossistemas de Inovação Social e Cidades no Brasil: um olhar direcionado aos Negócios de Impacto Socioambiental”, reúne 12 pesquisadores de 10 universidades. A pesquisa, financiada com recursos do edital universal do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), terá duração de três anos.

À frente desse trabalho estão as professoras Graziela Alperstedt, que lidera a pesquisa, e Carolina Andion, coordenadora do Observatório de Inovação Social de Florianópolis, programa de ensino, pesquisa e extensão do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Udesc, em Florianópolis.

Cidades

O objetivo é avançar no conhecimento sobre os ecossistemas de inovação social e seus efeitos para melhorar a resiliência das cidades. Para isso, serão feitos estudos comparados em quatro regiões do Brasil (Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e Sul), com ênfase nos negócios de impacto socioambiental, suas práticas e os problemas que os mobilizam.

A pesquisa se inspira no enfoque de cartografia e análise desses ecossistemas, já desenvolvido e testado a partir da experiência do Observatório de Inovação Social de Florianópolis. Coordenado pela professora Carolina Andion, o Observatório envolve a coleta de dados primários, com aplicação de questionários, entrevista e observação, e de dados secundários.

Rede

O projeto é resultado de uma Jornada de pesquisa proposta pelo Instituto de Cidadania Empresarial (ICE) que reuniu professores interessados na temática. Além das professoras Graziela Alperstedt e Carolina Andion, da Udesc Esag, participam do projeto Ana Zanardo dos Santos (PUCRS), Cynthia Suassuna (Unicap), Fabricia Rossato (UFMS), Franciane Silveira (UFABC), Inessa Salomao (Cefet-RJ), Ivana Ferrer Silva (UFMT), Luiza Teixeira (UFBA), Zilma Borges (FGV Eaesp), Suzanne Correia e Verônica de Oliveira (UFCG).

Saiba mais aqui sobre o Observatório de Inovação Social de Florianópolis da Udesc Esag.

Assessoria de Comunicação da Udesc Esag
Jornalista Carlito Costa
E-mail: comunicacao.esag@udesc.br

 

 Fotos: Ascom/SDS

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos entregou sete veículos destinados aos Conselhos Tutelares dos municípios de Santa Catarina. A ministra, Cristiane Britto, entregou os automóveis que serão utilizados na proteção e promoção dos direitos de crianças e adolescentes. Os carros foram adquiridos por R$ 654,5 mil provenientes de emendas parlamentares. A solenidade ocorreu em São José. 

“Essa é uma importante ação e é bem simbólico estar aqui, um dia depois do 18 de maio, Dia Nacional de combate ao Abuso e à Exploração Sexual, e também no Maio Laranja. É uma forma de dizer ao estado que podem contar conosco no fortalecimento dos direitos dos mais vulneráveis. É uma maneira de tirar as crianças e adolescentes do ciclo da violência”, lembrou a ministra. 

Foram contemplados os municípios de Balneário Barra do Sul, Cocal do Sul, Ilhota, Jaborá, Otacílio Costa, Painel e Saudades. Pelo MMFDH, além da ministra, participaram da cerimônia o secretário nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Maurício Cunha e a secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Ana Muñoz dos Reis. Também esteve presente a deputada federal, Carmen Zanotto, e Cláudia Pastorini, representante da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social. 

“Equipar os conselhos tutelares fortalece a garantia de direitos de cada criança e adolescente no estado. E também auxilia no enfrentamento da violência e exploração sexual”, disse Cláudia Pastorini. 

Informações adicionais para a imprensa
Luciane Lemos
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SDS)
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br
Telefone: (48) 3664-0753
www.sst.sc.gov.br

 

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SDS) realizou nesta sexta-feira, 20, por meio de uma reunião virtual, mais uma rodada de conversa com os municípios contemplados do SC Mais Moradia. Estiveram presentes os gestores de habitação e prefeitos de Santa Catarina.

No dia 13 de maio, mais 10 municípios foram contemplados pelo SC Mais Moradia. Os repasses serão efetuados para as cidade de Bela Vista do Toldo, Bom Retiro, Coronel Martins, Leoberto Leal, Major Gercino, Matos Costa, Monte Castelo, Palmeira, Passos Maia e Ponte Alta. Cada município receberá R$ 1.050.000,00 para construção de 15 casas, o que equivale a R$ 70 mil para cada unidade. O pagamento está autorizado pela Secretaria da Fazenda (SEF) e será feito em duas parcelas.

“Com a publicação da nova portaria entendemos que integração entre os técnicos da SDS e os técnicos dos municípios auxilia no aperfeiçoamento e avanço do programa SC Mais Moradia”, explica o Diretor de Habitação Leonardo Machado.

Para ter acesso ao valor os municípios devem cumprir uma série de etapas estabelecidas no programa que estão previstas na Portaria 321/21, com base nas Transferências Voluntárias Especiais dispostas no § 3º do art. 123 da Constituição Estadual. Foi publicado no Diário Oficial de 27 de abril a lista dos 41 municípios que estão autorizados a receberem as transferências especiais do SC Mais Moradia.

“Nosso objetivo é dar celeridade e apoio técnico aos municípios. Assim como a reunião com os 41 municípios da portaria anterior, queremos nos aproximar e auxiliar nas etapas do programa, conhecer situações e fatos e identificar problemas”, comenta a gerente de Projetos Habitacionais da SDS, Cinthia Ferrari Angeli.

O SC Mais Moradia integra o programa Gente Catarina que pretende elevar o índice de desenvolvimento humano das 61 cidades com menor IDH do Estado. O programa prevê a construção de casas para pessoas que vivem em situação de pobreza. O projeto é destinado aos municípios com IDH até 0,699. São 61 cidades que poderão participar, desde que indiquem as matrículas de onde as unidades poderão ser construídas.

Mais informações para a imprensa:
Fabiano Peres
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Desenvolvimento Social - SDS
Fone: (48) 3664-0916
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br 

 Foto: Fabiano Peres/SDS

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social, anunciou nessa quinta-feira, 19, o repasse de R$ 50 milhões para a assistência social dos municípios por meio de cofinanciamento para 2022. A informação foi divulgada durante a reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) em Indaial.

O repasse será realizado em três parcelas. Estão previstos R$ 20 milhões  para maio; R$ 15 milhões para agosto e outros R$ 15 milhões para novembro. Os valores são por Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

“Sabemos da importância do trabalho que é realizado pela assistência social e por isso, lutamos e conseguimos garantir R$ 50 milhões em cofinanciamento para este ano. É cuidando das pessoas que vamos construir um estado mais digno para os catarinenses”, disse o governador Carlos Moisés.

Durante a atual gestão, o Governo do Estado aumentou o investimento na área de assistência social. Em 2020 o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social, repassou aos municípios catarinenses para a assistência social um valor 208% maior do que o previsto no início do ano e 250% maior em relação aos cinco anos anteriores, em média. Os recursos previstos no orçamento para cofinanciamento dos Serviços de Proteção Social Básica, Proteção Social Especial e Benefícios Eventuais chegavam a R$ 17,2 milhões, mas foram disponibilizados R$ 53 milhões.

Em 2018 eram apenas R$ 10 milhões. E já no primeiro ano do Governo Moisés esse valor aumentou para R$ 16 milhões. Durante a pandemia de Covid-19 esse valor aumentou ainda mais passou para R$ 53 milhões em 2020 e chegou a R$ 50 milhões em 2021.

“Pensar no próximo é pensar no desenvolvimento do nosso estado. E com esse repasse vamos conseguir atender a população em situação de vulnerabilidade em suas necessidades. Sem recursos financeiros não é possível executar essa importante política pública”, disse o secretário de Estado do Desenvolvimento Social, João Batista Costa.

A Diretora de Assistência Social da SDS, Luciane dos Passos, fala sobre a importância do cofinanciamento para os municípios. “A manutenção dos R$ 50 milhões para o cofinanciamento estadual é essencial para o atendimento da política de assistência social para a população catarinense em situação de vulnerabilidade”, conclui.

Mais informações para a imprensa:
Fabiano Peres
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Desenvolvimento Social - SDS
Fone: (48) 3664-0916
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br 

 Arte/Secom

O Governo de Santa Catarina autorizou a transferência especial de R$ 15,9 milhões para construção de 228 unidades habitacionais do SC Mais Moradia, que faz parte do programa Gente Catarina. Destas, 78 casas são para municípios atingidos por desastres climáticos. As outras 150 unidades são para cidades com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs) do estado. A autorização será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira, 13.

“Muitos catarinenses foram afetados e cabe ao Governo do Estado auxiliar neste suporte, principalmente para aqueles que mais precisam”, destaca o governador Carlos Moisés.

Os repasses para as unidades habitacionais que serão construídas em cidades que sofreram com desastres somam R$ 5,4 milhões e serão efetuados para a Defesa Civil. Seis municípios vão receber os recursos: Ibirama, Guaramirim, Descanso, Governador Celso Ramos, Barra Velha e Tangará.

 Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

“A Defesa Civil de Santa Catarina sempre atua para dar a pronta e efetiva resposta aos catarinenses atingidos pelas adversidades climáticas, e sabe a responsabilidade dessas ações. Com esta ação, estamos auxiliando 78 famílias que tiveram suas casas comprometidas pelas adversidades climáticas oportunizando uma moradia e um recomeço pra famílias que perderam tudo”, disse o chefe da DCSC, David Busarello.

Outras 150 residências serão construídas em dez cidades catarinenses, cujo IDH é inferior a 0,699. Os repasses serão efetuados pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) para Bela Vista do Toldo, Bom Retiro, Coronel Martins, Leoberto Leal, Major Gercino, Matos Costa, Monte Castelo, Palmeira, Passos Maia e Ponte Alta. Cada município receberá R$ 1.050.000,00 para construção de 15 casas, o que equivale a R$ 70 mil para cada unidade.

As habitações devem ter entre 45 e 50 metros quadrados com dois quartos, sala, cozinha e banheiro. O programa é realizado em parceria com os municípios, que doam o terreno. E a cessão de uso dos imóveis fica em nome das mulheres para garantir que tenham mais segurança em caso de problemas domésticos.

“No fim de abril, o Governo catarinense autorizou R$ 43 milhões para construção de 615 unidades habitacionais de municípios com menores IDHs. Agora, foram autorizadas mais 150 casas, que serão cedidas em regime de comodato para as famílias por um período inicial de até dez anos”, revelou o secretário da SDS, João Batista Costa. Segundo ele, 61 cidades catarinenses têm IDH abaixo de 0,699 e poderão participar do SC Mais Moradia, desde que indiquem as matrículas de onde as unidades poderão ser construídas.

  Croqui de uma unidade em Urubici 

Informações adicionais para imprensa:
Michelle Nunes
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Fazenda
Fone: (48) 3665-2575 / (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Site: www.sef.sc.gov.br 
facebook.com/fazendasc
https://www.instagram.com/fazendasc

A plataforma da Rede Laço está disponível para organizar a adesão de voluntários para auxiliar prefeituras e instituições no atendimento às pessoas atingidas pelas cheias em Santa Catarina. O cadastro das organizações deve ser feito pelo site www.redelaco.sc.gov.br

No espaço, é possível organizar a chamada de voluntários por tipo de voluntariado, data da atividade, local, horário e quantidade de voluntários. O cadastro está disponível para prefeituras, Defesa Civil dos municípios, secretarias municipais, igrejas, escolas e outras instituições do terceiro setor.

Rede Laço

A Rede Laço é uma rede solidária virtual, criada para conectar voluntários com entidades públicas e privadas, sem fins lucrativos, do Estado de Santa Catarina, em ações voluntárias destinadas a fazer o bem e ajudar a transformar a realidade das pessoas, criando laços de cooperação e de solidariedade.

A Rede Laço divulga oportunidades para captação de recursos de fundos públicos e privados, nacionais e internacionais para projetos de entidades do terceiro setor. As entidades cadastradas na plataforma recebem, via e-mail, informativos sobre os editais disponíveis.

Mais informações com a Rede Laço, pelos telefones: (48) 3665 2232, (48) 98843 2308 e (48) 98843 1665.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3029
E-mail: imprensa@secom.sc.gov.br
Site: www.sc.gov.br

Salvar
Preferências para Cookies
Usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você recusar o uso de cookies, este site pode não funcionar como esperado.
Aceitar todos
Rejeitar todos
Leia mais
Analytics
Ferramentas usadas para analisar os dados para medir a eficácia de um site e entender como ele funciona.
Google Analytics
Aceitar
Rejeitar