O secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Paulo Bornhausen, recebeu a presidente da Associação das Organizações de Microcrédito e Microfinanças de Santa Catarina (Amcred), Isabel Baggio, nesta quarta-feira, 4, para avaliar a institucionalização do programa catarinense de microcrédito produtivo e orientado e microfinanças. “Formaremos um grupo de trabalho para discutir o tema e apresentaremos a proposta ao governador Raimundo Colombo”, garantiu Bornhausen.

O projeto busca desburocratizar, facilitando a concessão de crédito para empreendedores que não possam comprovar a renda, dentre algumas razões pela ausência de documentação e por não terem como oferecer garantias reais, além de criar políticas que garantam o programa de microcrédito produtivo e orientado. “O apoio do Governo do Estado será fundamental para esta importante conquista para o setor. Já temos uma exitosa parceria, por meio do Juro Zero, que configura um ambiente adequado para construção da proposta”, afirmou Isabel.

Participaram, ainda, da reunião, o diretor de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Empreendedor Individual da SDS, Carlos Augusto Harger; o vice-presidente da Amcred, Júlio César Búrigo e o consultor da Amcred, Pedro Ananias.

Informações adicionais
Michele Nunes de Oliveira
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável 
E-mail: michelle@sds.sc.gov.br
Telefone: (48) 9929-4998

O governador Raimundo Colombo visitou os municípios de Presidente Castello Branco, Irani e Piratuba, no Meio-Oeste, nesta terça-feira, 2. Em Presidente Castello Branco e Irani, Colombo participou de audiências com os prefeitos e vereadores, conheceu as prioridades de cada local e liberou R$ 2,3 milhões. “Já visitamos 193 municípios. Queremos melhorar a infraestrutura e a atividade econômica de todas as cidades catarinenses. As pessoas querem ações e obras que possam fazer a diferença no local onde vivem, como por exemplo, um posto de saúde, hospital, escola, uma rodovia de qualidade para vender a sua produção, entre tantas outras. E é isso que buscamos a cada dia”, disse o governador.

presidente castello 20130702 1000599379
Presidente Castello Branco. Foto: Neiva Daltrozo / Secom

Em Piratuba, o governador participou da Convenção das Igrejas Evangélicas Assembleia de Deus de Santa Catarina e Sudoeste do Paraná, que reúne, até quinta-feira, 4, cerca de 2,5 mil líderes das Igrejas. Na ocasião, Colombo assinou o decreto que regulamenta a Lei nº 15.314, de 2010, que proíbe o repasse da cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços –ICMS, nas contas de serviços públicos estaduais a igrejas e templos de qualquer crença, relativo ao fornecimento de energia elétrica. “Estar aqui e assinar esse decreto é uma forma de reconhecer o trabalho social, humano e espiritual que as Igrejas prestam em Santa Catarina”, afirmou Colombo.

Recursos
Para o município de Presidente Castello Branco, o governador autorizou o repasse de R$ 1,1 milhão. Dos recursos, R$ 1 milhão será aplicado na construção do Centro de Lazer do município, que deve viabilizar o desenvolvimento econômico do setor do turismo, por se tratar da construção de uma piscina de ondas, com praia artificial. Para equipamentos da Unidade Básica de Saúde, Colombo autorizou R$ 150 mil.

Em Irani, o governador Raimundo Colombo, anunciou o repasse de R$ 1,2 milhão. Os recursos de R$ 600 mil serão aplicados na construção de um túnel de passagem interna na rodovia BR-153, ligando o bairro Alto Irani ao centro do município, o que vai garantir mais segurança para as pessoas. O restante dos recursos serão destinados à pavimentação asfáltica de ruas da cidade, para melhorar o sistema de esgoto, além de investimentos no posto de saúde, para que o município possa realizar o Serviço de Pronto Atendimento (PA).

Informações adicionais
Elisabety Borghelotti
Secretaria de Estado de Comunicação
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 8843-5460

Os dados geoespaciais de 45 municípios do Sul do Estado serão entregues nesta quinta-feira, 4, em três eventos. O primeiro será 8h30min, no auditório da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc), em Araranguá. Em seguida, às 11h, a entrega será no auditório da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) e, por fim, às 15h, no auditório da Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel). “Estamos disponibilizando este importante mecanismo de gestão pública.”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Paulo Bornhausen.

O levantamento aerofotogramétrico é um trabalho coordenado pela Diretoria de Recursos Hídricos (DRHI) da SDS, iniciado em 2008, mas que foi acelerado há dois anos, pela necessidade de atualização da rede hidrográfica estadual. “A consciência sobre planejamento foi crescendo com o desenvolvimento do projeto. No decorrer do tempo, percebemos que havia uma necessidade maior para os municípios, um pedido do governador Raimundo Colombo”, diz Bornhausen. Os dados geoespaciais poderão ser utilizados para várias finalidades, entre elas, planejamento urbano, expansão da rede viária, uso e ocupação do solo, além de estudos socieconômicos.

O material foi lançado dia 14 de junho, em São José e já foi entregue para as cidades que fazem parte da Associação dos Municípios da Grande Florianópolis (Granfpolis), da Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali), e da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi).

Programação:

04 de junho de 2013 – 

Auditório da Amesc

Rua Praça Sagrada Família, 37 – Cidade Alta

Araranguá/SC

04 de junho de 2013 – 11h

Auditório da Amrec

Avenida Santos Dumont, 855 – Milanese

Criciúma/SC

04 de junho de 2013 – 15h

Auditório da Amurel

Rua Rio Branco, 67 – Vila Moema

Tubarão/SC

Michele Nunes de Oliveira
michelle@sds.sc.gov.br
Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável
(48)9929-4998 

A dívida tributária de R$ 2,1 milhões de uma grande rede de supermercados de Santa Catarina foi totalmente garantida graças à atuação da Procuradoria Geral do Estado (PGE). O valor foi obtido, esta semana, com a penhora de 10% dos pagamentos recebidos pela empresa através de cartões de crédito e está depositado em juízo até a conclusão do processo.

Atendendo ao pedido do procurador de Estado Celso Antônio Carvalho, no início de maio, a Vara de Execuções Fiscais da Capital tinha autorizado a penhora de parte dos recebíveis de cartões, para saldar dívidas do supermercado junto ao Fisco estadual.

Buscando a suspensão da medida, a empresa recorreu ao Tribunal de Justiça que, em 13 de maio, confirmou a decisão de primeira instância. Ao mesmo tempo, mandou intimar a principal administradora de cartões de crédito e débito do país para que efetue o depósito dos recursos em juízo até atingir o valor devido pela empresa.

“O valor corresponde a três processos diferentes em que a rede de supermercados é devedora nas execuções fiscais”, afirma Celso Carvalho, acrescentando que existem outras ações similares em várias comarcas do Estado onde a empresa tem filiais. “Sem dúvida, ao aceitar a penhora dos cartões, a Justiça está contribuindo para possibilitar a cobrança dos devedores do Estado e também para combater a sonegação fiscal, que prejudica toda a sociedade”.

Informações adicionais:

Billy Culleton

Procuradoria Geral do Estado

E-mail: billyculleton@gmail.com

Telefone: (48) 8843-2430

 

Três municípios do Meio-Oeste do Estado vão receber a visita do governador Raimundo Colombo, nesta terça-feira, 2. A primeira parada de Colombo será em Piratuba, às 11h da manhã, onde participa da Convenção Geral das Assembleias de Deus em Santa Catarina. O encontro será no Centro de Eventos do município e deve reunir, até a próxima quinta-feira, 4, 2.500 líderes da Assembleia de Deus.

Na sequência, o governador Raimundo Colombo visita o município de Presidente Castello Branco e será recebido na prefeitura municipal. Na audiência marcada para as 13h30, Colombo vai conhecer de perto a realidade local e quais as prioridades do município para, só então, liberar recursos. A ajuda faz parte de uma parceria entre o Estado e os municípios, para contemplar as pequenas obras, que não estão previstas no Pacto por Santa Catarina e que, muitas vezes, o município sozinho não tem condições de realizar.

Encerrando o roteiro na região, o governador cumpre a mesma tarefa no município de Irani. A conversa com o prefeito está marcada para as 14h50. De acordo com o secretário de desenvolvimento regional de Concórdia, Paulo Eduardo Pastore, além de demandas específicas, como a implantação de um balneário em Presidente Castello Branco, os gestores municipais esperam obter recursos do Estado para investimentos em obras de Saúde e de Infraestrutura, voltadas à manutenção da malha rodoviária.

A expectativa é que juntos, os municípios de Irani e Presidente Castello Branco recebam cerca de R$ 1,7 milhão para o encaminhamento das obras. “Essa participação direta do governo do Estado no atendimento das prioridades de cada município atende a comunidade local, fomenta a economia e o desenvolvimento de toda a região”, destacou Pastore, que vai acompanhar o governador durante a passagem pelos dois municípios.
 

Mais informações 
Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da redação da Secom/SC no (48) 3665-3006 ou com a assessora Francieli Dalpiaz, que acompanha o governador. O celular da assessora é (48) 8843-5676. Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa

As fotos também estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Para pedidos de fotos ou outro material de imagens, favor enviar no fotografia@secom.sc.gov.br ou diretamente pelo telefone (48) 3665-3013.

Estamos à disposição.

A Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS) capacitou cerca de 50 técnicos para trabalharem com o  Cadastro Ambiental Rural (CAR) no Estado. Os cursos foram ministrados pelos analistas Bernardo Trovão, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e Aline Menke, do Ministério do Meio Ambiente, nesta quinta-feira, 27, em Chapecó, e sexta-feira, 28, em Florianópolis. “O cadastro é uma importante ferramenta para o planejamento ambiental e regularização”, comentou o secretário em exercício da SDS, Christiano Lopes de Oliveira.

O CAR é um registro eletrônico obrigatório para todos os imóveis rurais após a aprovação do Novo Código Florestal brasileiro em 2012. Seu objetivo é integrar as informações ambientais referentes à situação das Áreas de Preservação Permanente (APPs), de reserva legal, florestas e remanescentes de vegetação nativa, áreas de uso restrito e aquelas consolidadas das propriedades e posses rurais do país.

Os agentes capacitados atuam em órgãos governamentais, como Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) e Fundação do Meio Ambiente (Fatma), associações de municípios de todo Estado, universidades, entre outros. “O próximo passo será ir em todas as regiões catarinenses, com apoio das SDRs e outros parceiros, para que o cadastro chegue aos municípios”, declarou o gerente de Recursos Mineiras da SDS, José Emídio Trilha.

 

Informações adicionais:
Michele Nunes de Oliveira
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável 
E-mail:michelle@sds.sc.gov.br
Telefone: (48) 9929-4998

 

 

Durante a realização do pregão eletrônico, que durou dois dias e terminou nesta quinta-feira, 27, o Governo de Santa Catarina economizou 40% na aquisição de materiais de limpeza e de uso geral. Dos R$ 18,6 milhões projetados com base nos valores de mercado, o Poder Executivo atingiu o valor final de R$ 11 milhões após a disputa dos 72 lotes. A expectativa da Secretaria da Administração antes do pregão era de reduzir o valor em 30%.

Ao todo, 37 fornecedores enviaram 1,3 mil propostas. Todo o pregão é realizado de forma eletrônica e por registro de preço, onde o fornecedor dispõe do menor valor e o Governo comprará apenas sob demanda. Todos os produtos foram divididos entre as regiões da Grande Florianópolis, Norte, Oeste, Planalto, Sul e Vale do Itajaí. “Dessa forma de divisão, você facilita para os microempreendedores entrarem na disputa e também diminui o custo de deslocamento para os fornecedores entregarem aos órgãos do Governo”, explica o diretor de Gestão de Materiais e Serviços, Alexandre Tonini.

Por conter uma maior oferta de produtos, a região da Grande Florianópolis foi a que obteve os maiores descontos. Apenas dois lotes, envolvendo a aquisição de papel higiênico, papel toalha e saco de lixo, houve uma economia de R$ 3,4 milhões. “Como a estrutura do Governo é maior em Florianópolis, há uma grande disponibilidade de compra e os fornecedores podem oferecer um desconto mais elevado”, analisa Tonini. O pregão foi centralizado na Secretaria da Administração, mas servirá para os órgãos do Estado realizarem o pedido de acordo com a necessidade.

Estoque Zero
A compra sob demanda pelos órgãos faz parte do Modelo de Gestão Estratégica (MGE) que o Governo de Santa Catarina adotou em 2012. “Dessa forma, não há um custo de estocagem dos produtos nos almoxarifados para o Estado e o fornecedor que realiza a entrega diretamente”, esclarece o secretário da Administração e coordenador do MGE, Derly Massaud de Anunciação.

Informações adicionais
Rafael Wiethorn
Secretaria de Estado da Administração
E-mail: comunicacao@sea.sc.gov.br
Telefone: (48) 9158-1740

governador em toquio 20130628 1149372347

A carne suína catarinense está oficialmente liberada para entrar no Japão, maior importador mundial do produto. Para selar a parceria histórica, uma comitiva do Governo do Estado participou na manhã desta sexta-feira, dia 28, em Tóquio (noite de quinta-feira, dia 27, no Brasil), de um seminário que reuniu lideranças do agronegócio e empresários catarinenses e japoneses na capital do Japão. Em seguida, o governador Raimundo Colombo visitou o Ministério de Agricultura, Floresta e Pesca japonês, onde assinou e entregou documento confirmando que Santa Catarina atenderá as exigências necessárias para dar início às exportações. Os primeiros embarques comerciais da carne suína catarinense devem deixar o Estado em julho e chegar aos compradores japoneses em agosto.

> Acesse a galeria de fotos da viage

Ao abrir o seminário “A carne suína de Santa Catarina e do Brasil no Japão”, o governador Raimundo Colombo destacou a força do agronegócio catarinense, lembrando que mesmo com apenas 1,1% do território nacional, o Estado é o maior produtor de carne suína do Brasil, o segundo maior produtor de carne de frango e o quarto maior produtor de leite. “Santa Catarina tem uma tradição muito forte no agronegócio, com os pequenos produtores rurais mantendo uma relação especial com as nossas indústrias pelo sistema de produção integrada. E esse trabalho é aprimorado por um serviço público de controle muito preciso e diferenciado e que continuará tendo nossa atenção e dedicação”, afirmou o governador. Colombo ressaltou, ainda, a participação da comunidade japonesa em Santa Catarina no início do plantio de maçã no Estado, que hoje lidera a produção da fruta no país.

O embaixador do Brasil em Tóquio, Marcos Galvão, lembrou que a liberação do mercado japonês foi um longo trabalho, iniciado em 2006, e que, nos últimos anos, contou com o empenho do governador Raimundo Colombo nas negociações, em parceria com os órgãos do governo federal e das próprias indústrias. “Agora, Santa Catarina está plenamente habilitada para iniciar as exportações. A carne suína catarinense vai se somar à parceria do agronegócio brasileiro com o Japão, que em 2012 movimentou cerca de US$ 3,5 bilhões em exportações”, comemorou. Oito frigoríficos foram habilitados a exportar carne suína ao mercado japonês nesta etapa: BRF (com as unidades de Campos Novos e de Herval D’Oeste), Seara (frigoríficos de Seara e de Itapiranga), Pamplona (Rio do Sul e de Presidente Getúlio), Aurora (Chapecó) e o Sul Valle (São Miguel do Oeste).

Galvão ressaltou que o Brasil já é o principal fornecedor de carne de frango para o Japão, respondendo por 90% do abastecimento do mercado japonês, sendo que o frango catarinense é responsável por 60% dessa fatia. E a expectativa do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, é de que os atuais compradores do frango catarinense também passem a comprar a carne suína produzida no Estado.

O presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Glauco José Corte, também destacou a grande parceria comercial já existente entre Santa Catarina e Japão. Em 2012, o Japão foi o quinto principal destino das exportações catarinenses, movimentando US$ 500 milhões. Em contrapartida, o Estado importou US$ 235 milhões dos japoneses, principalmente insumos e matérias-primas. Ou seja, somando exportações e importações, a parceria movimentou US$ 735 milhões. Com a entrada da carne suína na lista dos produtos exportados, a expectativa da Fiesc é atingir a marca de US$ 1 bilhão de corrente comercial entre SC e Japão até 2015.

A abertura do mercado japonês é um incentivo também para o aumento da produção catarinense, concentrada no Oeste do Estado. Hoje, Santa Catarina é líder nacional em produção de carne suína, com a média de 800 mil toneladas por ano. Projeção apresentada pelo diretor do Sindicato das Indústrias de Carnes e Derivados em Santa Catarina (Sindicarne), Ricardo Gouvêa, indica que a produção catarinense de carne suína passará para 1,065 milhão de toneladas em 2017, um ganho da ordem de 30%.

O seminário em Tóquio, promovido pela Fiesc em parceria com o Governo do Estado, também contou com apresentações de representantes do Ministério da Agricultura do Brasil e do Banco do Brasil. Para encerrar o evento, foi exibido um vídeo institucional abordando a diversidade e a força da economia industrial catarinense.

Ministério japonês

Após o seminário, a comitiva catarinense visitou o Ministério de Agricultura, Floresta e Pesca japonês. O governador Raimundo Colombo assinou e entregou o documento que sela a parceria para a liberação da entrada da carne suína catarinense no Japão. O grupo brasileiro foi recebido pelo vice-ministro sênior da pasta, Yoshito Kajiya. “Essa parceria é resultado do trabalho de ambas as partes e queremos manter esse bom relacionamento, com um diálogo permanente entre nossos países”, afirmou o vice-ministro.

Colombo agradeceu a parceria e reforçou o compromisso do Estado em cumprir as exigências sanitárias estabelecidas. Após o encontro, o governador voltou a conversar com a imprensa que acompanhou a viagem. “Todas as etapas foram superadas e as exigências atendidas. Agora é trabalhar a produção e trazer a carne suína para o Japão. Estamos realizando um sonho que vai melhorar a vida de todas as famílias de produtores e dar mais visibilidade para as indústrias, garantindo mais empregos e melhor renda ao setor”, destacou.

A importância do Japão

O Japão é o maior importador de carne suína do mundo, comprando o equivalente a 1,2 milhão de toneladas por ano (em equivalente a carcaça), com o diferencial de que os japoneses pagam melhor do que os outros países porque compram cortes específicos e de valor agregado (sem osso) e fazem contratos de longo prazo, o que vai garantir estabilidade para a suinocultura catarinense. Trata-se também de um mercado que é referência internacional no setor. Ou seja, o aval dos japoneses deve agilizar a negociação para venda de carne suína catarinense para novos destinos, como Coreia do Sul e União Europeia, que já estão em negociações com o Governo do Estado.

Historicamente, os japoneses só importavam carne suína quando todo o país de origem possuía o status de área livre de aftosa, mas foi aberta uma exceção para os catarinenses, diante da qualidade do trabalho sanitário – Santa Catarina é o único Estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação e o governo catarinense mantém uma barreira sanitária em cada fronteira do Estado (são 67 em operação atualmente).


Mais informações
Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da redação da Secom/SC no (48) 3665-3006 ou com o jornalista Alexandre Lenzi, que acompanha a comitiva, pelo e-mail lenzi@secom.sc.gov.br ou telefone (48) 8843-4350. Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa, no Portal do Governo do Estado. As fotos também estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Para pedidos de fotos ou outro material de imagens, favor enviar no fotografia@secom.sc.gov.br ou diretamente pelo telefone (48) 3665-3013.
Estamos à disposição.

governador em toquio 20130627 1856898528

A abertura do mercado japonês para a carne suína catarinense foi celebrada com uma recepção em homenagem ao governador Raimundo Colombo na Residência Oficial da Embaixada do Brasil no Japão. O evento aconteceu nesta quinta-feira, dia 27, às 20h30min no horário de Tóquio (8h30min no horário de Brasília), reunindo representantes do Governo do Estado e empresários catarinenses e japoneses. Confira as fotos da viagem.

> Rádio Secom: governador de SC e embaixador do Brasil em Tóquio falam do acordo com o Japão

O embaixador do Brasil em Tóquio, Marcos Galvão, destacou a dedicação e o envolvimento nas negociações do governador Raimundo Colombo, que esteve três vezes no Japão nos últimos dois anos tratando pessoalmente dos detalhes do histórico acordo comercial. “Estamos celebrando essa vitória de Santa Catarina e do Brasil. Mas a abertura do mercado é só o começo, agora é preciso trabalhar a produção e a exportação. Desejo todo êxito para Santa Catarina ocupar esse novo mercado”, discursou o embaixador.

governador em toquio 20130627 1711603758

O governador Raimundo Colombo destacou a importância da embaixada e sua equipe nessa conquista catarinense e lembrou do caráter inédito da parceria. Historicamente, os japoneses só importavam carne suína quando todo o país de origem possuía o status de área livre de aftosa, mas foi aberta uma exceção para a suinocultura catarinense diante da qualidade do trabalho sanitário realizado – Santa Catarina é o único Estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação e o governo catarinense mantém uma barreira sanitária em cada fronteira do Estado (são 67 em operação atualmente). “Todo esse grande esforço vai ter reflexo também na ponta da cadeia, com mais emprego e melhor renda. Agora o momento é de reconhecer e agradecer a participação de todos os envolvidos nesse processo que exigiu muito trabalho”, ressaltou Colombo.

Nesta sexta-feira, dia 28, a partir das 9h no horário do Japão (21h de quinta-feira, dia 27, no horário de Brasília), terá início, em Tóquio, o seminário “A carne suína de Santa Catarina e do Brasil no Japão”, quando será assinado o contrato para exportações da carne suína catarinense para o Japão, o maior importador mundial do produto. Nesta primeira etapa, oito plantas de cinco empresas catarinenses foram autorizadas a vender cortes de carne suína para os japoneses. A expectativa é de que a nova parceria comercial represente um ganho significativo em preço e em volume. Hoje, Santa Catarina já é líder nacional em produção de carne suína – com produção média de 800 mil toneladas por ano, sendo que destas cerca de 200 mil toneladas vão para o mercado internacional atualmente.

Mais informações
Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da redação da Secom/SC no (48) 3665-3006 ou com o jornalista Alexandre Lenzi, que acompanha a comitiva, pelo e-mail lenzi@secom.sc.gov.br ou telefone (48) 8843-4350. Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa, no Portal do Governo do Estado.
As fotos também estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Para pedidos de fotos ou outro material de imagens, favor enviar no fotografia@secom.sc.gov.br ou diretamente pelo telefone (48) 3665-3013.
Estamos à disposição.



 

Lideranças do Governo do Estado e do agronegócio catarinense vivem um dia histórico nesta sexta-feira, 28, em Tóquio, quando será assinado o contrato para exportações da carne suína de Santa Catarina para o Japão, o maior importador mundial do produto. Nesta primeira etapa, oito plantas de cinco empresas catarinenses foram autorizadas a vender cortes de carne suína para os japoneses. A expectativa é de que a nova parceria comercial represente um ganho significativo em preço e em volume.

Na manhã desta quinta-feira, 27, no horário do Japão (noite de quarta, 26, em Brasília), o governador Raimundo Colombo conversou com jornalistas que integram a comitiva catarinense em Tóquio. O governador destacou a importância do Japão para a estabilidade da suinocultura do Estado, pois, além de comprar cortes de valor agregado, os japoneses fazem contratos de longo prazo. “Hoje vendemos para mercados muito instáveis, o que derruba o preço. Por isso, a suinocultura vive enfrentando crises. Com o Japão, não tenho dúvidas de que vamos estabilizar o mercado, vamos ter um preço melhor e um volume muito maior. É de fato uma oportunidade que a gente nunca teve”, explicou Colombo. 

Após conversa com a imprensa, o governador teve encontros com lideranças do Banco do Brasil em Tóquio, importante parceiro do Governo do Estado. Ainda para esta quinta, dia 27, (às 20h30min no horário em Tóquio e 8h30min no horário de Brasília), está programada uma recepção em homenagem ao governador Raimundo Colombo na Residência Oficial da Embaixada do Brasil no Japão, cerimônia promovida pelo embaixador Marcos Galvão.

Empresários

Uma comitiva de empresários, liderada pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), também está no Japão para tratar das negociações para a venda de carne suína, visitando órgãos de comércio exterior e potenciais compradores. “A abertura do mercado japonês para a carne suína de Santa Catarina é um certificado que representa um exame muito rigoroso das condições de sanidade e da qualidade do nosso produto. Já temos participação expressiva na venda de frango catarinense para o Japão e, agora, buscaremos o mesmo sucesso com a carne suína”, avalia o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte.

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, afirma que os primeiros embarques da carne suína catarinense para o Japão ocorrem dentro de 90 dias. Oito frigoríficos foram habilitados a exportar carne suína ao mercado japonês nesta etapa: BRF (com as unidades de Campos Novos e de Herval D’Oeste), Seara (frigoríficos de Seara e de Itapiranga), Pamplona (Rio do Sul e de Presidente Getúlio), Aurora (Chapecó) e o Sul Valle (São Miguel do Oeste).

Nesta quinta-feira, dia 27, os empresários da Fiesc visitaram a Jetro – Japan External Trade Organization, órgão de apoio aos empresários japoneses interessados em exportações e importações. A comitiva catarinense conheceu a estrutura de apoio oferecida aos japoneses, entre elas, a Jetro Business Library Tokyo, uma biblioteca especializada em informações econômicas e de comércio exterior, localizada em Tóquio. A Fiesc presenteou a entidade com publicações, no idioma japonês, que tratam da economia catarinense e convidou a Jetro para promover uma missão com empresários japoneses interessados em visitar Santa Catarina e conhecer novas possibilidades de investimentos.

Seminário

Nesta sexta-feira, dia 28, a partir das 9h no horário do Japão (21h de quinta-feira, dia 27, no horário de Brasília), terá início em Tóquio o seminário “A carne suína de Santa Catarina e do Brasil no Japão”, que reúne empresários japoneses e catarinenses. O Japão é o maior importador de carne suína do mundo, comprando o equivalente a 1,2 milhão de toneladas por ano (em equivalente a carcaça). A expectativa do presidente da Cidasc, Enori Barbieri, é de que, em uma primeira etapa, Santa Catarina responda por 10% desse mercado, ou seja, cerca de 120 mil toneladas.

O Japão é um mercado especialmente importante, pois, além de ser o maior importador do mundo, é uma referência internacional no setor. Ou seja, o aval dos japoneses deve agilizar a negociação para venda de carne suína catarinense para novos destinos, como Coreia do Sul e União Europeia, que já estão em negociações com o Governo do Estado. O governador Raimundo Colombo afirma que a expectativa é muito grande em relação à confirmação, em breve, da abertura do mercado da Coreia do Sul para a produção da suinocultura de Santa Catarina.

No seminário desta sexta-feira, promovido pela Fiesc em parceria com o Governo do Estado, estão confirmadas as presenças do governador Raimundo Colombo; do Secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues; do Diretor de Defesa Agropecuária, Roni Tadeu Naschenveng Barbosa; do presidente da Cidasc, Enori Barbieri; do presidente da Fiesc, Glauco José Côrte; do embaixador do Brasil em Tóquio, Marcos Galvão; do ministro da Embaixada do Brasil em Tóquio, Alexandre Porto; do presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs), Rui Vargas; do diretor do Sindicarne, Ricardo de Gouvêa; e do vice-presidente de assuntos corporativos da Brasil Foods (BRF), Wilson Newton de Mello Neto; entre outras autoridades.

Status diferenciado

Santa Catarina é líder nacional em produção de carne suína (média de 800 mil toneladas por ano) e o único Estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação. Historicamente, os japoneses só importavam carne suína quando todo o país de origem possuía o status de área livre de aftosa, mas foi aberta uma exceção para SC, diante da qualidade do trabalho sanitário – o governo catarinense mantém uma barreira sanitária em cada fronteira do Estado (são 67 em operação atualmente). A última ocorrência de febre aftosa em Santa Catarina foi em 1993. O Estado suspendeu a vacinação em 2001 e, em 2007, garantiu a certificação com área livre de febre aftosa sem vacinação, emitida pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE).

Alexandre Lenzi 

Secretaria de Estado de Comunicação

Mais informações

Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da redação da Secom/SC no (48) 3665-3006 ou com o jornalista Alexandre Lenzi, que acompanha a comitiva, pelo e-mail lenzi@secom.sc.gov.br ou telefone (48) 8843-4350. Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa, no Portal do Governo do Estado.
As fotos também estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Para pedidos de fotos ou outro material de imagens, favor enviar no fotografia@secom.sc.gov.br ou diretamente pelo telefone (48) 3665-3013.
Estamos à disposição.