Fotos: Divulgação / Defesa Civil de Santa Catarina

O Governo do Estado, por meio da Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC), finalizou a montagem de mais três kits de transposição no Meio-Oeste catarinense. As pontes foram instaladas no município de Lindóia do Sul e beneficiam as localidades de Barra do Cotovelo, Linha XV de Novembro e Linha Maria Guinter. As estruturas têm capacidade para veículos com até 30 toneladas. No total foram investidos R$ 165.509,52.

Os kits de transposição substituíram antigas pontes precárias que foram comprometidas durante enxurradas na região. Para a instalação foram realizados estudos nos locais e um projeto foi desenvolvido para evitar o estrangulamento dos rios e construir acima da cota de inundação. Duas das pontes têm sete metros de comprimento por cinco de largura e a terceira, uma extensão de oito metros.

"Além de reforçar a segurança no deslocamento das pessoas que residem nessas localidades, as estruturas garantem o escoamento da produção e evitam que as comunidades fiquem isoladas durante eventos extremos", comentou o Chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Júnior.

Segundo ele, além dos kits de concreto pré-moldado, o Governo do Estado está atuando de forma preventiva com o projeto dos kits de transposição metálicos fabricados com reaproveitamento do aço utilizado na reforma da Ponte Hercílio Luz em Florianópolis. "As pontes metálicas substituirão estruturas que apresentam risco para a população e também com base em critérios hidrológicos para melhorar a vazão dos rios durante enxurradas”, acrescentou.

Apoio da Defesa Civil é fundamental

Outra região que já foi beneficiada pelas pontes preventivas foi o Sul de Santa Catarina. Em maio de 2019 fortes chuvas atingiram o local, quando os municípios de Laguna, Pedras Grandes, Tubarão, Sangão, Jaguaruna, Imaruí e Treze de Maio decretaram situação de emergência. Durante o evento, várias pontes, pontilhões e tubulações que faziam parte da malha viárias dos municípios foram levados pelas águas. Muitas localidades chegaram a ficar isoladas.

"Com a situação sob controle, realizamos vistorias em todas as localidades e identificamos as estruturas que poderiam ser substituídas por kits de transposição para obstáculo", comentou o coordenador regional da DCSC, Anderson Martins.

Segundo ele, em resposta ao evento já foram instalados oito kits no município de Treze de Maio e em Jaguaruna outros três.

"A grande importância do kit é a segurança e longevidade do projeto, rapidez na montagem, melhor trafegabilidade e mobilidade nas localidades", completou o coordenador.

Projeto avança no estado

A DCSC já realizou a montagem de 400 kits de transposição em todo o estado e o projeto avança com a construção de outras 27 cabeceiras que receberão novas estruturas. Dentre elas, serão duas no município de Tubarão e três em Pedras Grandes, sendo que a cabeceira da localidade de Riacho já está concluída.

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Fotos: Divulgação / CBMSC

A região de Rio do Sul passará a ter um batalhão próprio do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC). Atendendo a uma demanda antiga da região, o Governo do Estado, pelo decreto 611, de 21 de maio, cria o 15º Batalhão de Bombeiros Militar, que trará autonomia e uma gestão de recursos específicos para atendimento.

“Essa é uma grande notícia para Rio do Sul, que há muito aguardava para instalar seu próprio batalhão. Isso permitirá mais autonomia e reforço da estratégia de atuação dos valentes profissionais que atuam na cidade e na região”, afirmou o chefe da Casa Civil, Amandio João da Silva Junior.

>>>Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina inicia atividades em quartel de Rancho Queimado

A região de Rio do Sul pertencia ao 5º Batalhão de Bombeiros Militar, até então o maior de Santa Catarina, com sede em Lages, a 130 quilômetros de distância. A unidade atendia 48 municípios e passará a atender 19, enquanto o 15º Batalhão abrangerá 29 cidades. 

“Esta é uma demanda que já era solicitada ao CBMSC há alguns anos. No passado já houve tratativas para concretizar o 15º BBM, com o objetivo de proporcionar mais autonomia à região, que apesar do tamanho e importância ao Estado e ao CBMSC, ainda era subordinada a outro batalhão. Com a assinatura do governador Carlos Moisés poderemos criar esta unidade e beneficiar ainda mais a sociedade com um serviço de excelência”, explica o comandante-geral do CBMSC, coronel Charles Alexandre Vieira.

>>>Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina dá início à Campanha do Agasalho com cuidados contra Covid-19

Em 2019, o 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina atendeu 13.655 ocorrências, sendo que 6.470, o equivalente a 47%, foram nos 29 municípios que passarão a ser atendidos pela nova unidade. 


Batalhão de Rio do Sul foi ativado em 1973

Para a concretização desta transformação foi realizado um estudo, analisando a área atendida, as ocorrências e as peculiaridades da região. O quartel que abrigará a sede do batalhão foi ativado no local em 31 de março de 1973 e possui todas as condições de funcionamento, não necessitando de novos investimentos. 

A ativação do batalhão ocorrerá em junho. O comando-geral do CBMSC está realizando uma consulta interna para a definição do comandante do batalhão. 

Sobre os batalhões do CBMSC

Rio do Sul ganha o número de 15º pela ordem de criação nas regiões. Na ordem de criação o CBMSC possui como sede: Florianópolis, Curitibanos, Blumenau, Criciúma, Lages, Chapecó, Itajaí, Tubarão, Canoinhas, São José, Joaçaba, São Miguel do Oeste, Balneário Camboriú e Xanxerê. Também existe o Batalhão de Operações Aéreas (BOA), que não entra com numeração já que se trata de uma atividade específica, porém é ativado em Florianópolis.

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina - CBMSC
48) 3665-8426 / (48) 98843-4427 / (48) 9 9938-9839
imprensa@cbm.sc.gov.br 


Foto: Divulgação / CBMSC

O município de Rancho Queimado, na Grande Florianópolis, passa a contar a partir desta sexta-feira, 22, com um quartel do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC). A unidade foi conquistada a partir de uma parceria entre o Estado e a Prefeitura Municipal.

“Essas parcerias são de extrema importância, principalmente para a comunidade que só tem a ganhar. Este é um município que já era atendido, porém por meio do serviço operacional de Santo Amaro da Imperatriz. Agora, com a ativação deste quartel, prestaremos um serviço com ainda mais excelência para região, estreitando os laços com a sociedade”, exalta o Comandante-Geral do Corpo de CBMSC, coronel Charles Alexandre Vieira.

>>>Incêndios em vegetação no estado crescem 407% em 2020, aponta Corpo de Bombeiros Militar

A Organização Bombeiro Militar (OBM) do município faz parte do 10º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM), com sede em São José. A intenção de ter um quartel no local é atender a população com mais agilidade, principalmente pela proximidade com a BR-282, possibilitando que a resposta às ocorrências seja mais rápida.

“É uma decisão estratégica em termos de tempo de resposta, temos a responsabilidade em oportunizar a instalação de estruturas que atendam a comunidade. Quando existe uma parceria entre a corporação e as prefeituras as soluções aparecem e a sociedade é a beneficiada”, reforça o comandante do 10º BBM, tenente coronel Christiano Cardoso.

Início das operações

A implementação dos serviços operacionais em Rancho Queimado possibilitará o atendimento aos casos de incêndio e resgate, combinados com esforços do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), para as ocorrências de atendimento pré-hospitalar. Além disso, a OBM também conta com os serviços de segurança contra incêndio, que compreenderão ainda as cidades de Anitápolis e Angelina.

>>>Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina dá início à Campanha do Agasalho com cuidados contra Covid-19

A estrutura foi entregue antecipadamente e agora, após todos os ajustes necessários entra em pleno funcionamento, comandada pelo sargento Fernando.

Após o período de restrições, para evitar a disseminação do novo coronavírus, o local contará com atividades para a formação de Bombeiros Comunitários na região, para aproximar a corporação e a população e ainda dar oportunidade para as pessoas da comunidade local.

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina - CBMSC
48) 3665-8426 / (48) 98843-4427 / (48) 9 9938-9839
imprensa@cbm.sc.gov.br 


Foto: Divulgação / CBMSC 

Do dia 1º de janeiro ao dia 15 de maio, foram registrados em Santa Catarina 2.786 incêndios em vegetação, enquanto no mesmo período em 2019 foram 684, ou seja, um aumento de 407,31% nas ocorrências deste tipo. A informação é do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina. Um dos fatores que contribuem para este crescimento é a estiagem pela qual o estado vem passando.

A ação humana continua sendo uma das principais causas dos incêndios em vegetação. Ela se dá de diferentes maneiras, como colocando fogo diretamente em regiões de mata, como em rejeitos, para limpeza de terrenos ou ainda no descarte de bitucas de cigarro e vidros que podem ter o efeito de lupa, em contato com o sol, iniciando uma chama na vegetação seca.

Perda do controle

As pessoas que iniciam as queimadas geralmente informam que iriam queimar uma pequena parte e perderam o controle da situação. Além do risco de um grande incêndio, também existe a possibilidade de queimaduras e mortes.

Na tarde desta terça-feira, 19, um senhor de 74 anos, estava limpando um terreno, em Biguaçu, quando acabou tomado pelas chamas e morreu no local. O intuito da queimada era limpar a área dentro do condomínio.

Cuidados que devem ser tomados

  • Não inicie queimadas, principalmente próximo a áreas de vegetação;
  • não queime lixo, terrenos ou pastagens;
  • não jogue bitucas de cigarro na mata, nas ruas ou em beira de estradas;
  • não deixe garrafas de vidro em áreas de vegetação (o sol faz o efeito lupa e pode iniciar um incêndio);
  • ao fazer trilhas evite acender fogueiras, fogareiros e demais opções que possam propagar fogo na vegetação.

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina - CBMSC
48) 3665-8426 / (48) 98843-4427 / (48) 9 9938-9839
imprensa@cbm.sc.gov.br 


Fotos: Divulgação / CBMSC 

Os bombeiros militar de Santa Catarina resgataram no começo da tarde desta terça-feira, 28, três jovens que estavam desaparecidos depois de fazerem um trilha no Morro do Cambirela em Palhoça. 

As buscas começaram já na segunda-feira, 27, à noite e recomeçaram nesta manhã, com uma equipe de cinco bombeiros do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), mais oito  bombeiros do quartel de Palhoça, que conhecem bem o local e um binômio - dupla entre cão e bombeiro militar formada pelo soldado Valdeley e pelo cão Marley.

Divididos em duas equipes os bombeiros buscaram pelas trilhas, com o apoio de montanhistas. Por volta das 13h15min um montanhista encontrou os adolescentes e avisou os bombeiros, que foram ao encontro dos três, que estavam conscientes, sem sinais de desidratação e acampados em uma parte do Morro.


Incêndio controlado




Já  no domingo, 26, os bombeiros militares foram acionados para apagar um incêndio na região. Foram mais de cinco horas de trabalho das equipes do 10º Batalhão de Bombeiros Militar, com bombeiros dos quartéis de São José e Palhoça e do Batalhão de Operações Aéreas.

Como o local é de difícil acesso, foi preciso que o helicóptero Arcanjo 01 levasse os bombeiros até o topo do Cambirela, para o combate por terra e também com o“bambi bucket”, equipamento utilizado pelo helicóptero para despejar água no local do incêndio.

Durante esta operação a equipe do Batalhão de Operações Aéreas resgatou quatro pessoas, dois homens e duas mulheres, que estavam realizando trilha e não conseguiram descer por conta das chamas.

As operações continuaram na segunda-feira, 27, já que restavam dois pequenos focos de incêndio, que foram controlados pela equipe da aeronave arcanjo 01, uma vez que o local era íngreme e as equipes não conseguiriam atuar por terra.


Trilhas estão proibidas

É importante frisar que as trilhas e permanência em parques segue proibida pelo decreto do Governo do Estado, para combater o avanço do novo coronavírus em Santa Catarina.

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina - CBMSC
48) 3665-8426 / (48) 98843-4427 / (48) 9 9938-9839
imprensa@cbm.sc.gov.br 

O Boletim Hidrometeorológico Integrado do Estado voltado para o abastecimento público divulgado nessa semana mostra que, com o tempo seco com predomínio de sol na primeira quinzena do mês de abril, a situação de seca em Santa Catarina se intensificou. Além do município de São Joaquim, que já estava em situação crítica de abastecimento, entram também agora nessa condição Papanduva, Paulo Lopes, e Rio do Oeste, estes regulados pela Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE).

Conforme o boletim, a situação é considerada crítica quando os mananciais utilizados para abastecimento estão afetados significativamente e as ações e intervenções de infraestrutura hídrica não estão sendo suficientes para minimizar os efeitos da estiagem no abastecimento. Os prestadores de serviços desses municípios estão intensificando as medidas de emergência com a captação em mananciais alternativos, perfuração de poços, aumento no tempo de operação da estação de tratamento de água e manobras operacionais.

>>>Santa Catarina anuncia medidas para minimizar prejuízos com a estiagem no meio rural

A gerente de fiscalização da Aresc, Luiza Borges Burgardt, afirma que os acumulados de precipitação previstos na segunda quinzena não devem ser suficientes para amenizar de forma significativa a situação de estiagem nas áreas mais críticas do Estado. "É muito importante que cada um faça sua parte utilizando de forma racional e consciente a água tratada", destaca. , considera a Gerente de Fiscalização da Aresc, Luiza Borges Burgardt.


Boletim Hidrometeorológico

O boletim hidrometeorológico é elaborado pela Defesa Civil de Santa Catarina em conjunto com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento. O documento traz informações atualizadas a cada quinze dias.

"Resultado de um trabalho integrado de todos os órgãos envolvidos, este levantamento é fundamental para o monitoramento com precisão e agilidade das condições nossos rios, avaliando impactos no abastecimento das cidades. Os dados nos fornecem subsídios para o enfrentamento de problemas como estiagens e inundações, bem como um mapeamento preciso das condições hídricas atuais”, ressalta o secretário de Estado da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

Além da análise da distribuição da chuva no estado e da previsão para os próximos 15 dias, o Boletim Integrado indica a situação hidrológica atual em Santa Catarina, bem como a condições do abastecimento urbano em cada cidade, considerando as condições: normal, atenção, alerta e crítico.

Os municípios em estado crítico de abastecimento urbano estarão em destaques no documento chamando atenção a necessidade de intervenções pelos prestadores de serviço, bem como a adoção de medidas emergenciais para minimização do impacto aos usuários.

Mais informações para imprensa:
Flávia Farias Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: comunicacao@aresc.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-9013 / 99127-1839
www.aresc.sc.gov.br


Foto: Flávio Vieira Júnior / Defesa Civil 

Em Santa Catarina, 27 municípios se encontram em estado crítico no abastecimento de água em função da estiagem. Esses são os dados do primeiro Boletim Hidrometeorológico Integrado do Estado, lançado nesta semana pela Defesa Civil de Santa Catarina, em conjunto com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE). As situações mais graves foram registradas no Oeste.

As previsões de pouca chuva para os próximos 15 dias indicam que a situação do nível dos rios deve se agravar, o que demandará intervenções imediatas em algumas regiões. Diante deste cenário, o Governo de Santa Catarina alerta para o uso consciente de água, principalmente durante a pandemia do novo coronavírus no estado.

Uma das preocupações do Estado é com a população rural que não é atendida pelas concessionárias e que é abastecida por poços, açudes e ribeirões. Mas com o boletim e esse acompanhamento constante, é possível estabelecer um planejamento mais assertivo e fornecer resposta mais rápida aos municípios.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, reforça que o Governo vem formulando programas para aumentar a resiliência nas bacias hidrográficas, como, por exemplo, o aumento da capacidade de preservação de água, incentivo ao reuso e uso hídrico mais eficiente no processo produtivo.

“Com o objetivo de deixar as bacias hidrográficas mais resilientes frente às estiagens, estamos trabalhando para que os planos propostos pelos comitês apresentem ações emergenciais e efetivas. E, com intuito de reforçar a importância do uso consciente da água, principalmente neste momento desafiador que estamos enfrentando, estamos reforçando as orientações aos usuários”, pondera o secretário.

A ferramenta também pode ser usada como referência na construção de planos de contingência municipais e na mitigação dos efeitos das estiagens. “No Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGERD) o monitoramento hidrológico é constante e com a integração com os demais órgãos do Governo do Estado o resultado serão ações práticas”, destaca o chefe da Defesa Civil de Santa Catarina, João Batista Cordeiro Junior.

As Defesas Civis municipais atendem as comunidades disponibilizando carros-pipa e têm solicitado à SDE autorização para perfuração de novos poços.

Boletim Hidrometeorológico

O Boletim, que também tem a participação da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), traz informações atualizadas a cada quinze dias que serão divulgadas nos sites das instituições.

“Este estudo é resultado de uma parceria entre a SDE e a Defesa Civil e se torna fundamental para apresentar o monitoramento das condições dos rios no estado e avaliar os impactos no abastecimento urbano nos municípios, bem como divulgar com transparência a situação à população”, destaca o secretário Executivo do Meio Ambiente, Celso Albuquerque.

A gerente de Fiscalização da Aresc, Luiza Burgardt, reforça a importância do boletim hidrometeorológico e afirma que uma equipe técnica estará acompanhando as medidas necessárias da Casan em São Joaquim, município conveniado ao órgão regulador e no momento, um dos afetados pela estiagem. “O documento também serve como instrumento de planejamento das ações frente às previsões hidrometeorológicas, visando minimizar estes efeitos no abastecimento público”, enfatiza a gerente.

Além da análise da distribuição da chuva no estado e da previsão para os próximos 15 dias, o Boletim Integrado indica a situação hidrológica atual em Santa Catarina, bem como a condições do abastecimento urbano em cada cidade, considerando as condições: normal, atenção, alerta e crítico.

Como ter um consumo consciente de água:

1) Evitar o desperdício,

2) Cheque vazamentos e não deixe torneiras pingando. Um gotejamento simples pode gastar cerca de 45 litros de água por dia.

3) Antes de lavar pratos e panelas, limpe os restos de comida com uma escova, toalha de papel, guardanapo ou esponja e jogue no lixo.

4) Deixe pratos e talheres de molho antes de lavá-los. Ensaboe toda a louça e depois enxágue todas as peças.

5) Aproveite a água da chuva para regar as plantas e o jardim. As plantas absorvem mais água em horários quentes. Opte, portanto, por regar as plantas de manhã cedo ou no fim do dia.

6) Em vez da mangueira, use vassoura e balde para lavar pátios e quintais. Uma mangueira aberta por 30 minutos libera cerca de 560 litros de água.

7) Reaproveite a água da sua máquina de lavar para lavar a calçada ou nos vasos sanitários.

8) Não tome banhos demorados. Uma ducha durante 15 minutos consome 135 litros de água.

9) Saber ler o hidrômetro é muito simples e pode ajudar a detectar problemas como vazamentos, percebidos pelo consumo fora do normal.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sde.sc.gov.br


Foto: Divulgação / Defesa Civil de SC

Três kits de transposição da Defesa Civil de Santa Catarina foram instalados no município de Jaguaruna, no Sul do Estado. Nesta ação, as pontes irão beneficiar as comunidades de Sanga Grande Baixa, Morro Azul e Morro Bonito. Os kits substituíram as estruturas danificadas por uma forte enxurrada.

No total, a Defesa Civil de Santa Catarina já instalou mais 400 estruturas em todo o estado. Apenas nos kits montados em Jaguaruna foram investidos R$ 253,4 mil.

O chefe da Defesa Civil de Santa Catarina, João Batista Cordeiro Júnior, explicou que as estruturas foram instaladas acima da cota de inundação e possuem a capacidade para 20 toneladas. "São pontes com dimensão maior que as anteriores que evitam o estrangulamento dos rios e problemas com enxurradas", disse. João Batista reforçou que o principal foco da DCSC é o apoio aos municípios com uma resposta rápida e soluções definitivas. "É mais uma ação para a mitigação de desastres com uma estrutura que é melhor que a anterior e com muito mais segurança para a população", finalizou.

As pontes vão melhorar a qualidade de vida das comunidades, destacou o morador da localidade de Sanga Grande Baixa Elisandro Bosqueti. "A situação era problemática. A chuva arrancou todas as tábuas da ponte antiga, mas agora vai ser uma beleza e não tem mais perigo de ônibus cair", comentou.

A iniciativa vai também trazer avanços na economia local facilitando o escoamento da produção agrícola da região.

O Prefeito de Jaguaruna, Edenilson Montino da Costa, ressaltou a ajuda do Governo do Estado. “As pontes antigas provocavam transtornos diretos e agora, com o apoio total da DCSC, essa realidade está mudando", ressaltou.

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Foto: Divulgação / Defesa Civil

O Governo do Estado, por meio da Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC), e a Prefeitura de Treze de Maio entregaram oito kits de transposição ao município do Sul do estado na noite desta sexta-feira, 28. O total investido nas pontes foi de R$ 1,1 milhão, sendo R$ 803,9 mil para estruturas, transporte e montagem dos kits com recursos da DCSC, e R$ 313,7 mil do município para construção das cabeceiras.

O apoio faz parte das ações de reestabelecimento e reconstrução após as fortes chuvas que atingiram o município em maio de 2019. “Eu me lembro quando cheguei ao município após o desastre e vi a tristeza da população, mas todo o trabalho valeu a pena. Ajudamos a mudar a realidade da cidade”, afirmou o chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Jr.

De acordo com ele, as novas pontes estão acima da cota de inundação, permitindo uma maior vazão dos rios, ou seja, preparadas para suportar chuvas intensas. “As estruturas entregues vão melhorar o sistema viário e também o escoamento da produção contribuindo para a economia e para uma melhor qualidade de vida para a população”, completou.

O prefeito de Treze de Maio, Clesio Bardini de Biasi, ressaltou a resposta dada no município. Ele relembrou que foram dois dias de chuva que isolaram a cidade e que nunca tinha visto uma situação como essa. “O Governo do Estado está de parabéns pela reabilitação. Após a construção das cabeceiras em cinco meses finalizamos a montagem de todas as pontes”, finalizou.

A Defesa Civil de Santa Catarina já instalou kits de transposição em centenas de comunidades em todo o estado. Até o momento, já foram entregues 391 pontes e estão em fase de construção 39 cabeceiras.

>> Leia também:
Defesa Civil do Estado conclui instalação de oito pontes em Treze de Maio

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Fotos: Mauricio Vieira / Secom

O 6º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, que atende a região de Chapecó, já conta com um novo quartel, mais espaçoso, moderno e bem equipado. A edificação foi inaugurada na tarde desta sexta-feira, 21, em ceromônia com a presença do governador Carlos Moisés. O investimento total na construção, equipamentos e novas viaturas foi de R$ 9,7 milhões, entre recursos do Governo de Santa Catarina e de parceiros. 

O novo quartel tem aproximadamente de três mil metros quadrados de área construída e três pavimentos. A estrutura foi erguida na Avenida Getúlio Dorneles Vargas, Bairro Passo dos Fortes, mesmo local onde ficava o antigo prédio do Corpo de Bombeiros, que foi demolido para dar lugar ao novo.

"É um quartel à altura do que a cidade de Chapecó e todo o Oeste merecem. Sabemos que aqui temos muitos parceiros: Prefeitura, Sinduscon, Sitran, e todo esse povo que trabalha muito", reconheceu o governador. A vice-governadora Daniela Reinehr, também participou da solenidade.

A edificação abriga as equipes de atendimento pré-hospitalar em parceria com o Samu, de combate a incêndio, Seção de Atividades Técnicas (SAT), setor de atendimento ao público, alojamentos, biblioteca, academia e garagem para as viaturas.

>>> Mais fotos na galeria 

Na solenidade também foram apresentadas as três novas viaturas: um auto socorro de urgência (ambulância), um auto bomba tanque e resgate e uma auto carreta tanque (caminhões para combate a incêndio) e um adquirido com recursos da Prefeitura de Chapecó, Ministério Público do Trabalho e Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística (Sitran). O investimento nos veículos foi de R$ 1,5 milhão.

Carlos Moisés, Daniela, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, coronel Charles Alexandre Vieira, o prefeito Luciano Buligon e outras autoridades presentes no evento prestaram uma homenagem aos profissionais envolvidos no projeto e na construção do novo quartel. 

A empresa Tozzo Alimentos e o Sitran receberam o título honorífico Amigo do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina pelos relevantes serviços prestados à corporação. 

O comandante do 6º Batalhão do CBMSC, tenente-coronel Hilton de Souza Zeferino, considerou o envolvimento da comunidade na construção do novo quartel um resultado de uma boa relação construída ao longo dos anos. "É fruto de um trabalho integrado, cooperado e da união de esforços de uma cidade em prol de uma corporação que tão bem atende e recebe da sociedade um abraço fraterno. Estamos começando a reescrever a história da segurança pública no município neste 21 de fevereiro de 2020", concluiu.

A agenda do governador pelo Oeste incluiu ainda anúncios de recursos em Xaxim, na noite de  quinta-feira, 20, e em Chapecó, nesta sexta-feira, 21 e abertura da nova ala do Hospital Regional do Oeste

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 98843-2296
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC