Imagem: DCSC

A Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC) elevou o nível de alerta para Aviso de Frio Extremo a partir da próxima quinta-feira, 20. Segundo os meteorologistas, o avanço de uma massa de ar polar vai provocar a queda acentuada das temperaturas em todo o Estado. Na quinta e na sexta-feira, 21, a sensação de frio permanece ao longo do dia, com pouca amplitude térmica devido à nebulosidade.  Com as temperaturas muito baixas e alta umidade relativa do ar, existe a chance de neve e chuva congelada nas regiões do Planalto Sul, Grande Florianópolis Serrana, Meio Oeste e Planalto Norte, entre a noite de quinta-feira e manhã de sexta. Não está descartado o acúmulo de neve nas regiões mais altas.

O Governo do Estado, através da DCSC e da Polícia Militar Rodoviária (PRM), alertam para o risco de gelo na pista. No final de semana as temperaturas devem permanecer baixas e com a possibilidade de formação de geada ampla. Em função das restrições de combate ao coronavírus, que limita o número de vagas nos hotéis e pousadas, além do frio intenso, a recomendação é de que apenas as pessoas com reserva na rede hoteleira devem seguir para a Serra. Não está descartada a interdição de rodovias devido à possibilidade de formação de gelo na pista e acúmulo de neve. A fiscalização nas rodovias de acesso à Região Serrana e Planalto Norte será intensificada pela PRM.

“A preocupação do Governo do Estado é com a segurança e bem-estar das pessoas”, comentou o chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Júnior. Segundo ele, Além do risco que a queda acentuada de temperatura oferece, os pontos turísticos estão fechados em função das ações contra o Covid19. “Solicitamos o apoio e a compreensão da população neste momento para evitar situações que possam oferecer risco”, completou.

A Defesa Civil de Santa Catarina recomenda atenção especial com os moradores de rua, idosos, enfermos e crianças em função do frio. Evite locais fechados e com a aglomeração de pessoas. Também é recomendado que animais de estimação de áreas rurais sejam abrigados durante a noite.


Foto: Divulgação/ PMRv

Recomendações para os motoristas

Caso exista a necessidade de transitar nas regiões de Serra, a Polícia Militar Rodoviária recomenda cuidado com a manutenção dos veículos. Não se esqueça de verificar a bateria, o nível do óleo, freios, radiador, faróis e lanternas. Com a temperatura reduzida, a visibilidade fica prejudicada e aumenta a possibilidade de deslizamentos sobre a pista.

No caso de nevasca, antes de ligar o carro limpe o excesso de neve sobre o veículo e limpe os vidros embaçados para melhorar a visibilidade. Redobre a atenção em locais onde a sinalização aponta a possibilidade de formação de gelo na pista.

Preocupação com o turismo

A Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur) está atuando na orientação dos turistas para que se dirijam para as áreas de serra apenas com reservas confirmadas na rede hoteleira. “Estamos trabalhando de forma conjunta. O Governo do Estado, através da Polícia Militar e da Defesa Civil, estão em contato direto com os municípios da Serra catarinense e monitorando a situação. Desta forma, estamos orientando os turistas e todo o trade turístico para que as pessoas não subam a Serra sem a reserva em hotéis ou pousadas”, destacou o presidente da Santur, Leandro "Mané" Ferrari. Ele completou lembrando que estamos atravessando um momento difícil da pandemia e devemos evitar aglomerações. “Esse é um momento de orientação e de responsabilidade para todos os turistas e moradores de Santa Catarina”, completou.

Já a turismóloga da Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures), Ana Vieira, lembrou que a Associação se preocupa com as pessoas que possam se dirigir para a Serra catarinense sem reserva em hotéis. “Não teremos como acomodar essas pessoas. Em anos anteriores, podíamos fazer isso, mas com os regramentos por conta da pandemia isso não será possível. Os municípios estão com hospedagens lotadas, então aconselhamos que as pessoas não venham para a Serra sem a reserva. É preciso cuidar das pessoas e sermos responsáveis”, finalizou.

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Foto: Flavio Vieira Junior/ DCSC

Na tarde desta terça-feira, 18, foi realizada uma reunião virtual entre o Governo do Estado de Santa Catarina e o Grupo de Ações Coordenadas do Sul do Estado, para traçar estratégia de ação conjunta em função dos avisos de queda acentuada de temperatura. O encontro contou com a participação de representantes das prefeituras da Região, da Associação dos Municípios da Região Serrana (AMURES), Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC) e Polícia Militar (PMSC).

O Monitoramento Climático da DCSC informa que uma massa de ar polar avança sobre o Estado na próxima quinta-feira, 20, provocando o declínio acentuado das temperaturas em todo o Estado. A previsão aponta que entre quinta e sexta-feira, 21, a sensação de frio vai permanecer ao longo do dia, com pouca amplitude térmica devido à nebulosidade. As temperaturas máximas também serão baixas, não passando dos 10°C na Serra e dos 14°C nas demais áreas.

Existe a possibilidade de neve e chuva congelada entre o final da quinta-feira,20, e manhã de sexta-feira,21, no Planalto Sul, Grande Florianópolis Serrana, Meio Oeste e Planalto Norte. Não está sendo descartado o acúmulo de neve nas regiões mais altas e o risco de gelo na pista.

“A maior chance de neve será no Planalto Sul, mas a possibilidade de neve se estende para outras regiões. A chuva congelada também pode abranger outras regiões como a Grande Florianópolis Serrana, Meio Oeste e Planalto Norte. Devemos ter uma atenção especial caso as previsões se confirmem”, ressaltou o coordenador do monitoramento climático da DCSC, Frederico Ruthorff.


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Não é recomendado visitar a Região Serrana

Devido ao risco de gelo na pista e em função das ações restritivas da Operação contra o Covid-19, a Defesa Civil solicita que as pessoas não se dirijam para as regiões de Serra. A rede hoteleira já está com a capacidade esgotada e existe a possibilidade de acidentes em função de gelo na pista.

“Pedimos para os catarinenses que não se desloquem para a serra devido à previsão de grandes acúmulos de neve e do perigo nas rodovias.”, ressaltou o chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Jr. Segundo ele, em função da Pandemia, pontos turísticos e áreas públicas como o Morro da Antena, em Urupema, e o Mirante da Serra do Rio do Rastro, em Lauro Muller, estão fechados.

“O Governo do Estado, a Santur e todos os municípios estão tomando os cuidados necessários diante do que dizem as previsões meteorológicas, com o frio intenso, forte chuva e até possibilidade de neve. Essa reunião com os prefeitos e lideranças locais, além da presença da Polícia Militar e Defesa Civil, nos trouxe o consenso de que o momento não é de fazer turismo. Os hotéis e pousadas da região já estão com as suas capacidades completas, com os 50% permitido em decreto. A orientação para a população catarinense é de que não vá para a Serra sem que tenha a sua reserva confirmada”, destacou o presidente da Santur, Leandro "Mané" Ferrari.

Para a segurança nas rodovias a Polícia Rodoviária Militar (PRM) está preparando sal para ser jogado na pista, mas a instituição também recomenda que os motoristas evitem transitar em áreas de Serra. Principalmente na Rodovia SC 390, a Serra do Rio do Rastro, que passa por obras. A Polícia Militar vai reforçar o contingente de policiais para dar suporte as ações da Região Serrana.

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Carlos Moisés participou nesta terça-feira, 18, de uma videoconferência com parlamentares e prefeitos de cidades atingidas pelas fortes tempestades e tornados que passaram por Santa Catarina na última sexta-feira, 14. O chefe do Executivo ressaltou as ações de assistência humanitária em andamento para mitigar os danos causados pelos eventos climáticos. Ele também destacou a intenção do Governo em fazer a postergação do pagamento do ICMS para as empresas afetadas, além da criação de linhas de crédito emergenciais por meio dos bancos de fomento, essencialmente o Badesc e o BRDE.

“Temos diversas ações para dar continuidade. Desde já agradecemos a ajuda oferecida pelos prefeitos e parlamentares. Esse é um momento de união. Vamos continuar conversando em busca de soluções que ajudem a diminuir o sofrimento das pessoas diretamente afetadas. Infelizmente estamos vendo a ocorrência de eventos climáticos extremos em sequência, mas o Estado seguirá fornecendo todo o apoio necessário”, declarou o governador após o encontro.


Foto: Flavio Vieira Junior / DCSC

Os prefeitos de Ibicaré, Gianfranco Volpato, de Água Doce, Antônio Bissani, de Tangará, Nadir Baú, de Vargem Bonita, Melânia Meneghini, e de Catanduvas, Dorival Ribeiro dos Santos, relataram os extensos danos sofridos por seus municípios e agradeceram a pronta ajuda do Estado neste primeiro momento, fornecendo ajuda humanitária. Eles foram seguidos pelos deputados estaduais Neodi Saretta, Padre Pedro, Altair Silva, Nilso Berlanda, Marcos Vieira e Paulinha, que apresentaram as demandas relacionadas ao trabalho de recuperação das cidades. Os deputados Saretta e Paulinha também relataram que conversarão com o presidente da Alesc sobre a possibilidade de liberação de recursos do Legislativo para ajudar nesse momento.

O chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior, destacou o trabalho para entrega de telhas, lonas e outros itens de assistência humanitária. Ao todo, 37 municípios já relataram danos por conta dos eventos climáticos. A videoconferência também teve a participação dos secretários da Fazenda, Paulo Eli, da Casa Civil, Juliano Chiodelli, da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira, do adjunto da Agricultura, Ricardo Miotto, além dos presidentes da Epagri, Edilene Steinwandter, da Celesc, Cleicio Poletto, e da Casan, Roberta Maas dos Anjos.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 


Foto: Arquivo/ Secom

Com a previsão de frio extremo para o Estado nos próximos dias, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) alerta sobre os cuidados que devem ser tomados pelas pessoas.

Estar bem agasalhado, beber água para se hidratar e consumir alimentos que auxiliam no aquecimento do corpo são atitudes importantes para se proteger dos efeitos das baixas temperaturas.

Os dias frios são propícios para a propagação de vírus, a exemplo do novo coronavírus. Por isso, é fundamental que a população se mantenha firme em relação às medidas de isolamento social e proteção.

Saia de casa apenas em casos de extrema necessidade, sempre de máscara, e mantenha as mãos higienizadas, lavando com água e sabão ou utilizando o álcool gel.

Além do coronavírus, as baixas temperaturas contribuem para a diminuição da imunidade, condição que abre caminho para outras doenças típicas de inverno, como as de natureza respiratória.

É importante manter o distanciamento social recomendado, evitar aglomeração de pessoas e garantir boa ventilação nos ambientes de convívio coletivo.

Aquecedores, fogões a lenha, lareiras e ar condicionado

Nos períodos mais frios aumentam os acidentes domésticos e incêndios envolvendo equipamentos elétricos, fogões e lareiras para aquecimento de ambientes.

Como as pessoas estão passando mais tempo em casa, em função da pandemia, a chance de incidentes aumenta, fato que exige cuidado redobrado ao utilizar esses utensílios.

Segundo dados da Diretoria de Segurança Contra Incêndio, em 2019 foram 48 incêndios originados em fogões à lenha, lareira ou aquecedores. Em 2020 já são 33 incêndios.

Dicas para a segurança

Tenha em mente que, ao utilizar qualquer tipo de aquecedor, é preciso ventilar o ambiente para a renovação do ar. A falta de oxigênio no ambiente pode provocar asfixia ou intoxicação com monóxido de carbono, podendo levar o indivíduo a óbito.

Verifique se o equipamento foi instalado em local seguro na residência, distante de cortinas, estofados, móveis, e demais materiais inflamáveis. Não coloque materiais combustíveis perto dos aquecedores, pois em caso de incêndio eles propagarão as chamas rapidamente.

Mantenha crianças e idosos em uma distância segura de lareiras ou fogões a lenha, e monitore o uso de aquecedores dentro de casa.

Os aparelhos aquecedores elétricos devem ser certificados pelo Inmetro, Antes de ligá-los, verifique a voltagem e confira se o equipamento precise de manutenção ou limpeza.

As lareiras devem ter tela de proteção metálica com malha entre dois e cinco milímetros, de modo a evitar que as fagulhas sejam propagadas para fora do local de queima. Antes de acender lareiras e fogões a lenha, verifique também as condições de instalação das chaminés.

Não se esqueça de utilizar material apropriado e não coloque lenha em excesso. Ao terminar o uso, nunca deixe o local antes de se certificar que o fogo está extinto. Preferencialmente utilize um anteparo não combustível na frente de fogões e lareiras.

Ao utilizar lareiras com combustível líquido, popularmente conhecidas como lareiras ecológicas, tenha muita atenção às recomendações dos fabricantes. Não manuseie a sua lareira ecológica com o equipamento quente, uma vez que essa situação pode ocasionar uma explosão – o líquido combustível em contato com o calor pode gerar uma nova chama. Neste ano foram registrados incêndios dessa origem em Santa Catarina, inclusive, com vítimas.

Acidentes de trânsito

Nestas condições climáticas, em caso de neve, de geada ou umidade devido a temperaturas negativas, a pista fica escorregadia e as chances de acontecer um acidente aumentam expressivamente. Por isso, é importante manter apenas o deslocamento necessário, com distância do veículo da frente e velocidade reduzida.

Lembre-se de manter em dia a manutenção do carro.


Foto: Ricardo Wolffenbüttel/ Secom

Cuidados com cães

Além dos cuidados com os humanos, não podemos esquecer dos nossos melhores amigos, que também sentem frio e também devem ser protegidos.

Os cães domésticos, que são escovados e tomam banhos frequentes, perdem a proteção natural e requerem alguns cuidados.

Se os animais não forem muito peludos, utilize uma roupa nele, desde que ele se adapte bem ao acessório e que seja um de tecido macio. Caso o cão não aceite, não insista.

Outra opção são as cobertas próprias para cães, que ajudam bastante nestes dias. Basta colocar no local em que o animal dorme ou passa boa parte do tempo, como na casinha.

Não deixe seu animal sozinho próximo a lareiras e aquecedores. Tenha uma barreira, principalmente quando forem filhotes, uma vez que a curiosidade do animal pode causar um acidente e ele vir a se machucar.

Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina - CBMSC
48) 3665-8426 / (48) 98843-4427 / (48) 9 9938-9839
imprensa@cbm.sc.gov.br 


Foto: Divulgação/ DCSC

O Governo do Estado, através da Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC), está realizando a entrega de telhas nos municípios atingidos pelos tornados e granizo. A ação de logística conta com o apoio das forças-tarefa do Corpo de Bombeiros Militar. Até o momento já foram encaminhadas 29.418 telhas, dentre outros materiais, totalizando 46.412 itens de assistência humanitária. No total, 37 municípios relataram danos em função das tempestades.

“Estamos agilizando a entrega das telhas e todo o suporte necessário para as famílias atingidas”, destacou o chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Júnior. Ele reforça que a função do Estado é dar apoio aos catarinenses e toda a assistência necessária está sendo realizada. “Temos previsão de chuvas para os próximos dias e estamos intensificando os trabalhos de entrega das telhas para que as pessoas possam cobrir as residências que foram danificadas.”, finalizou.

>>> Confira mais informações no Informe da Defesa Civil

O 11º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM) de Joaçaba, com apoio das forças-tarefa de Rio do Sul e Lages, está realizando uma operação de ajuda humanitária nas cidades de Catanduvas, Vargem Bonita e Água Doce.

A missão tem o objetivo de minimizar os danos causados pelo evento climático e prestar apoio às famílias atingidas. O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) também está mobilizado na distribuição de telhas e demais insumos. Os trabalhos estão sendo realizados desde a última sexta-feira, 14.

Família relembra momentos de desespero

Durante a entrega das telhas a dona de casa Eliane Batista, moradora do município de Vargem Bonita, relembrou os momentos de pânico que viveu durante a intensa chuva de granizo. “O tempo estava limpo e de repente começou a chuva forte, quando olhamos foi só pedras do tamanho de ovos. Foram cinco minutos de chuva, foi muito triste e assustador” destacou.

Ela relata que todas as telhas da residência quebraram devido à força do granizo. “Minha mãe saiu a pouco do hospital e estava de cadeira de rodas, no momento a abracei e meu filho de nove anos e olhamos chover dentro de casa igual como se estivéssemos na rua”, relatou a dona de casa.

A família recebeu lona, colchões e cesta básica da Defesa Civil. “Vai ajudar bastante porque conseguimos cobrir a casa e agora vamos dormir sossegados. O auxílio que recebemos da Defesa Civil é importante, eu estou desempregada e ajuda está sendo bem-vinda pois toda a cidade foi atingida”, completou Eliane.

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Informações adicionais à imprensa:
Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina - CBMSC
48) 3665-8426 / (48) 98843-4427 / (48) 9 9938-9839
imprensa@cbm.sc.gov.br 

O Portal da Transparência do Poder Executivo, mantido pela Controladoria-Geral do Estado, criou uma consulta exclusiva para despesas relativas ao enfrentamento dos efeitos do ciclone que atingiu Santa Catarina no dia 30 de junho. O objetivo é facilitar o acesso e a análise das informações sobre as despesas feitas para auxílio financeiro aos municípios atingidos pela situação de anormalidade.

Além do valor total do orçamento comprometido - R$ 19, 1 milhões, a consulta traz uma análise detalhada com a possibilidade de filtragem das informações de diversas formas, como por credor ou órgão. A separação foi possível devido à utilização do complemento 120 (ciclone extratropical) utilizado obrigatoriamente nas notas de empenho relativas ao evento.

Para fazer a consulta basta acessar www.transparencia.sc.gov.br e clicar no banner Ciclone 2020, que está logo abaixo do menu principal, junto ao banner da área de despesas do enfrentamento à Covid-19. O gerente de Transparência e Dados Abertos da CGE, Maurício Lyrio, explica que a ideia é disponibilizar, de forma contextualizada, informações sobre temas relevantes à sociedade catarinense. “Tanto no caso da Covid-19 quanto do Ciclone, a contextualização permite aos usuários do Portal da Transparência acompanhar os gastos de forma mais efetiva, ampliando a transparência e o controle social”, avalia Maurício.

Portal da Transparência

É um instrumento de controle social que possibilita ao cidadão acompanhar tudo o que o Estado arrecada em impostos, taxas e outras receitas, bem como a aplicação detalhada desses recursos. O www.transparencia.sc.gov.br também traz os principais programas e serviços da gestão estadual.

CGE é o órgão central do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo. Compete à secretaria controlar e avaliar gastos e políticas públicas, promover a correição, combater a corrupção e fomentar a transparência e o controle social.

Informações adicionais para imprensa:
Cléia Schmitz
Assessoria de Imprensa
Controladoria-Geral do Estado
E-mail: cschmitz@cge.sc.gov.br
Fone: (48) 99128-1980
Site: www.cge.sc.gov.br 




Reconstrução em Tangará. Foto: Flavio Vieira Junior/ DCSC

Os tornados e tempestades que atingiram Santa Catarina na última sexta-feira, 14, provocaram estragos em ao menos 31 cidades catarinenses e danos em pelo menos cinco mil residências. O dado consta no último boletim divulgado pela Defesa Civil, na manhã desta segunda-feira, 17. Os eventos climáticos resultaram em fortes ventos e chuva de granizo em diversas regiões do estado. Uma pessoa morreu e dezesseis ficaram feridas por conta das tempestades.

>> Confira o informe desta segunda-feira da Defesa Civil

A Defesa Civil estadual continua o seu trabalho de assistência aos atingidos. Até o momento, mais de 34,5 mil itens de assistência humanitária já foram entregues. Foram encaminhados para as áreas atingidas 74 rolos de lona, 550 colchões e 20,6 mil telhas, além de cestas básicas.

Dois tornados

Uma avaliação realizada pelos técnicos conclui que houve a formação de dois tornados em Santa Catarina na última sexta-feira. Segundo o Laboratório de Clima da Defesa Civil de Santa Catarina, o primeiro tornado fez um traçado nos municípios de Água Doce, Ibicaré e Tangará. Já o segundo tornado afetou o município de Irineópolis. O Sistema também provocou micro explosões e chuva de granizo intensa, como registrado no município de Vargem Bonita, onde 80% dos telhados de residências foram danificados.

>>> Veja mais foto na galeria

Até o momento foram registrados 16 feridos, 848 pessoas desabrigadas e 650 desalojados. Quatro municípios estão com abrigos abertos para receber os afetados.

>> Leia também:
Defesa Civil presta auxílio humanitário a municípios do Meio Oeste atingidos por eventos climáticos
Defesa Civil confirma a passagem de tornados em Santa Catarina

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Fotos: Flavio Vieira Junior/DCSC

>>> Confira os dados atualizados deste domingo no Informe da Defesa Civil 

Os trabalhos das equipes do Governo do Estado seguem neste domingo em apoio aos municípios atingidos pelos tornados e pelas tempestades no Meio Oeste catarinense, na última sexta-feira, 14. Até o momento, 26 cidades relataram estragos provocados pelos fortes ventos e granizo. Uma avaliação mais detalhada em campo concluiu que o sistema provocou dois tornados no Estado.

Segundo o Laboratório de Clima da Defesa Civil de Santa Catarina, o primeiro tornado fez um traçado nos municípios de Água Doce, Ibicaré e Tangará. Já o segundo tornado afetou o município de Irineópolis. O Sistema também provocou micro explosões e chuva de granizo intensa, como registrado no município de Vargem Bonita, onde 80% dos telhados de residências foram danificados.

>>> Veja mais foto na galeria

A Defesa Civil (DCSC) está prestando suporte técnico e encaminhando itens de assistência humanitária conforme a chegada de solicitações dos municípios. Foram entregues até o momento 74 rolos de lona, 550 colchões, kits de acomodação e 70 cestas básicas. Da mesma forma, foi acionada a Ata de Registro de Preços da DCSC para a entrega de 13.230 telhas.

“O Governo do Estado não está medindo esforços para dar todo o suporte necessário às famílias atingidas”, comentou o chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Jr. Neste domingo, 16, Cordeiro permaneceu na região e manteve contato com os prefeitos para agilizar o atendimento às vítimas. “Nosso objetivo é dar celeridade ao processo, pois a maior preocupação do Governo do Estado é com o bem estar dos catarinenses”, finalizou.

Até o momento foram registrados 16 feridos, 830 pessoas desabrigadas e 197 desalojados. As defesas civis municipais abriram abrigos para dar suporte aos atingidos. Um exemplo é em Vargem Bonita onde o abrigo foi montado no salão paroquial. “Estamos enfrentando uma situação complicada, mas, juntos e com o apoio da Defesa Civil estamos ajudando as famílias”, comentou a prefeita de Vargem Bonita, Melânia Romam Meneguini. Ela afirmou que o esforço do Governo do Estado está sendo importante. “Vamos reerguer e reconstruir nossa cidade ao lado da população”, completou.

Prejuízos econômicos

Os tornados também trouxeram prejuízos econômicos com a destruição de empresas e indústrias na região. A situação mais complicada está sendo registrada na cidade de Tangará, onde indústrias de grande porte tiveram as instalações destruídas, afetando a vida de milhares de trabalhadores. “Além de dar suporte para a população, também visitamos estas empresas. O Governo do Estado vai buscar alternativas, como possíveis financiamentos para normalizar a produção e assim assegurar os postos de trabalho”, reforçou João Batista.

A prefeitura de Tangará informou que o tornado atingiu 80% das empresas do município. “Estamos solicitando o apoio para que os empresários retomem a produção e não ocorram demissões”, declarou o prefeito de Tangará, Nadir Baú da Silva.

>>> LEIA TAMBÉM

Defesa Civil presta auxílio humanitário a municípios do Meio Oeste atingidos por eventos climáticos

Defesa Civil confirma a passagem de tornados em Santa Catarina

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Fotos: Flavio Vieira Junior/DCSC

Logo após o registro de tornados e tempestades intensas no Meio Oeste catarinense, o chefe da Defesa Civil de Santa Catarina, João Batista Cordeiro Junior, se deslocou até a região para acompanhar os trabalhos.

João Batista relata que algumas cidades da região foram afetadas por tempestades de granizo, tornados e vendavais bastante severos. Segundo ele, em passagem pelo município de Vargem Bonita foi possível observar muitas residências com os telhados destruídos. Cerca de 42 famílias ficaram alojadas em um ginásio de esportes municipal.

>>> Confira o Informe atualizado da Defesa Civil

“Nossa primeira atitude é de socorrer as pessoas, garantindo a integridade física de todos. Depois segue o trabalho de distribuição de lonas, para cobertura emergencial, que já está ocorrendo nesses municípios. Na sequência faremos o levantamento dos prejuízos para entrega de telhas, colchões, sestas básicas e demais itens humanitários”, explica Cordeiro Junior.

>>> Leia Também 

Defesa Civil confirma a passagem de tornados em Santa Catarina

Tornado causa prejuízos em Água Doce

De acordo com o chefe da Defesa Civil estadual, o município registrou grande destruição provocada pela passagem de um tornado. João Batista relata que no local existem muitas casas, galpões de empresas e estruturas públicas completamente destruídos. “Foi um prejuízo muito significativo, sendo que em Água Doce algumas pessoas ficaram feridas e duas estão em estado grave no hospital”, lamenta.

A Defesa Civil segue com o trabalho de distribuição de materiais aos atingidos e continuará visitando os demais municípios da região que registraram danos provocados pelos fenômenos climáticos ocorridos na última sexta-feira, 15.

>>> Confira mais imagens na galeria

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br




Foto: Divulgação/ DCSC

Durante a tarde da última sexta-feira, 14, tempestades severas e tornados foram registrados no território catarinense. Ocorreu o registro de granizo, chuva forte e rajadas intensas de vento, principalmente nas regiões do Extremo Oeste, Oeste e Meio Oeste. Os municípios mais afetados durante a tarde foram Vargem Bonita, Catanduvas, Água Doce, Tangará e Ibicaré, onde rajadas de vento provocaram destelhamento e destruição de edificações.

O monitoramento meteorológico da Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC) confirmou o registro de tornados nos municípios de Água Doce e Irineópolis, sendo que a distância entre as cidades é de 100 km. O deslocamento da supercélula, com características tornádicas, foi registrado pelo radar meteorológico Oeste entre às 15h30min e 15h35min sobre o município de Água Doce.

>>> Confira o Informe da Defesa Civil 

Informações preliminares apontam que, em Água Doce, 700 casas foram destelhadas e 25 totalmente destruídas, 700 pessoas foram desabrigadas e 25 desalojadas. No município, 11 pessoas foram feridas, sendo duas de forma mais grave. Em Catanduvas, 235 residências tiveram os telhados danificados e duas foram destruídas. No município de Ibicaré foram registrados danos em três comunidades de interior, duas igrejas e dois pavilhões.

Em Tangará ocorreram destelhamentos em todos os bairros, estima-se que 90% das casas e empresas foram atingidas e cinco pessoas ficaram feridas. A Defesa Civil municipal informou que 100 pessoas estão desabrigadas e 20 desalojadas. Já em Vargem Bonita os primeiros números apontam 1300 casas com os telhados danificados, 30 pessoas estão desabrigadas e 20 desalojadas. Os levantamentos ainda estão sendo realizados e informações mais concretas serão divulgadas durante o sábado.

“O atendimento para as pessoas atingidas e os feridos foram prestados pelo Corpo de Bombeiros Militar, SAMU e PMSC”, destacou o chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Júnior. Segundo ele, a primeira resposta está em andamento e os levantamentos dos prejuízos estão sendo realizados pelas defesas civis municipais com o apoio da DCSC. “No primeiro momento realizamos a distribuição de lonas e demais itens de assistência humanitária estão sendo disponibilizados para a população”, completou.


Lonas sendo distribuídas no município de Água Doce

Alertas emitidos para a população

Desde o início desta semana o monitoramento da DCSC vem divulgando informações sobre a mudança nas condições de tempo. Já na última terça-feira, 11, foi emitido um boletim de tempo adverso indicando condições de tempo instável no decorrer da semana. Nos dias seguintes a previsão foi atualizada e diariamente foram emitidos Avisos Meteorológicos nos níveis de Observação e Atenção para temporais, com rajadas fortes de vento e risco para granizo.

Apenas nesta sexta-feira, 14), até as 20 horas, foram divulgados 16 alertas de curtíssimo prazo, elaborados com base nas imagens de radar e do satélite GOES 16. Entre as mensagens enviadas para a população e divulgadas no site e redes sociais da DCSC, foram emitidos oito observações, sete atenções e um alerta.

Para receber os alertas da DCSC basta encaminhar uma mensagem de texto SMS para o número 40199, contendo no texto apenas o Código de endereçamento postal do local que deseja receber as informações.

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: ascom@defesacivil.sc.gov.br
Site: www.defesacivil.sc.gov.br