Jaqueline (meio) mobilizou a comunidade e arrecadou 500 cestas básicas para moradores do Bairro Monte Cristo - Fotos: Jaqueline Ribeiro / Arquivo Pessoal 

Em meio ao isolamento e à situação de cautela e atenção que o momento exige por causa dos riscos de proliferação do coronavírus em Santa Catarina, ações positivas, de união, têm surgido. Muitos catarinenses estão pensando no coletivo e tendo iniciativas para ajudar outras pessoas, o que cria uma corrente de solidariedade no estado durante o momento difícil.

Morador de Florianópolis, Rodrigo Melim Ferreira estava em uma tarde da última semana orientando por telefone a madrinha de 88 anos sobre os cuidados com o coronavírus, já que a idosa mora sozinha e não acompanha os veículos de comunicação. Após a ligação de 40 minutos, Rodrigo ficou pensando na dificuldade que os idosos têm para comprar alimentos e remédios, pois fazem parte do grupo de risco da doença.

Como parou de trabalhar temporariamente na quarta-feira, 18, após o decreto de situação de emergência em Santa Catarina, ele e a esposa decidiram ajudar os moradores do condomínio. Eles colaram uma carta no elevador do prédio onde moram, no Centro, colocando-se à disposição para fazer compras aos idosos.

“Nosso prédio tem praticamente 80% dos moradores acima dos 60 anos de idade e sempre vemos alguns tendo dificuldades na rotina diária. Postei a carta também nas mídias sociais para estimular os mais jovens a ajudar os idosos. Minha rotina é muito corrida, mas sempre que posso ajudo quem precisa“, comenta Rodrigo Melim Ferreira, de 27 anos.

O casal também pediu aos funcionários do condomínio para avisarem os idosos que moram sozinhos no prédio sobre a iniciativa.

Arrecadação de 500 cestas básicas

Para Jaqueline de Souza Ribeiro, o momento de cautela com o coronavírus é também uma possibilidade de união para ajudar a comunidade. Moradora do Monte Cristo, na região continental de Florianópolis, ela teve apoio de uma amiga para arrecadar cestas básicas e um amigo com carro para distribuir os alimentos pela comunidade.

A arrecadação começou na terça-feira, 17, quando o trio conseguiu alimentos para atender 30 famílias na comunidade. O número aumentou na quarta, 18, quando as doações se estenderam a mais 70 famílias da comunidade. Nesta segunda, 23, já eram 500 cestas básicas. As doações são feitas por membros da comunidade, entidades e também por depósitos.

“Estamos montando as cestas e entregando direto para as famílias. Também tomamos o máximo de cuidado com os produtos para que a entrega seja feita de forma adequada.”, conta Jaqueline de Souza Ribeiro, de 31 anos.

Incentivo ao estudo durante a suspensão das aulas

Com a suspensão das aulas da rede pública e privada de ensino durante 30 dias para evitar a proliferação dos vírus nas escolas, a EEB São José, em São Joaquim, criou uma iniciativa para que os alunos possam usar esse período para seguir aprendendo. A diretora Singra Couto Strickert e os professores da unidade criaram um cronograma com duas a três aulas por dia para os alunos do ensino médio, anos finais do fundamental e magistério.

Foram criados grupos na internet para os alunos de cada uma das 26 turmas da EEB São José, incluindo também a diretora e um professor que atua como coordenador. O professor enviará a aula diariamente para o coordenador incluindo um texto base, uma vídeoaula e cinco perguntas para serem respondidas no caderno. Para atender às dúvidas, o coordenador resolve ou pede apoio ao professor e posta as respostas no grupo.

“A ideia é minimizar o prejuízo pedagógico e criar rotinas de estudo, além de estreitar o laço com as famílias pois os pais também estão nos grupos. E fazer valer o lema da nossa escola de que juntos somos mais fortes”, destaca Singra Couto Strickert, que também distribuiu aos alunos um documento com cinco dicas para estudo em casa.

A Secretaria de Estado da Educação estuda a flexibilização das atividades pedagógicas a distância para os 539 mil alunos da rede estadual. Para isso, está analisando modelos de ensino que possam alcançar alunos sem acesso residencial a computador e internet. Além desse levantamento, a SED está elaborando uma página de recursos digitais de aprendizagem como suporte aos docentes, pais e alunos. O endereço será disponibilizado nos próximos dias.

Pagamento aos fornecedores para ajudar a economia catarinense

Para evitar a propagação do coronavírus, algumas empresas tiveram que adiar atendimento ou paralisar o serviço temporariamente. Apesar disso, há empresas que decidiram manter o pagamento regular aos fornecedores, mesmo nos casos em que as atividades estão paralisadas e os serviços serão prestados após o fim da pandemia, movimentado a economia catarinense durante um período crítico.

“Nós acreditamos que a empresa tem um compromisso social com a nossa comunidade, por isso mantivemos os pagamento dos nossos fornecedores mesmo com as atividades paralisadas. Não conseguimos avaliar ainda os impactos econômicos, mas sabemos que vai atingir principalmente autônomos e pequenos negócios”, destaca André Krummenauer, CEO da empresa do setor de tecnologia e inovação.

>>> Envie sua ação de solidariedade também! imprensa@secom.sc.gov.br 

Informações adicionais para imprensa:
Gabriel Duwe de Lima
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
Fone: (48) 3664-0347 
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br
www.sed.sc.gov.br 


Foto: Divulgação / SIE

O Governo do Estado esclarece que, a partir desta segunda-feira, 23, passam a ser adotadas novas medidas referentes ao transporte aquaviário e no que se refere ao transporte rodoviário, com a autorização da abertura de oficinas e borracharias e venda de refeições por restaurantes localizados às margens das rodovias estaduais e federais em território catarinense. As regras estarão em decreto que será publicado no Diário Oficial do Estado nesta segunda-feira.

>>>Tire suas dúvidas sobre as medidas restritivas e as ações de combate e prevenção à Covid-19

A comercialização de refeições pode ser feita por restaurantes localizados às margens das estradas e oferecida exclusivamente para profissionais de serviços considerados essenciais pelo Governo do Estado, incluindo nesta categoria os transportadores de carga responsáveis pelo abastecimento e transbordo de insumos da saúde. Os restaurantes não podem estar abertos para acesso do público. Recomenda-se que o atendimento seja no modelo "drive thru" (compra e retira), para que não haja permanência de pessoas no local.

Também está permitida a abertura de oficinas e borracharias localizadas às margens das rodovias estaduais e federais.  É de responsabilidade do estabelecimento limitar a entrada de pessoas para que não haja aglomeração no interior do local.

Restrições para o transporte em ferry boat

O transporte aquaviário deverá operar com restrições. A travessia por ferry boat só poderá ser realizada por veículos e os passageiros deverão permanecer no interior dos automóveis durante todo o trajeto.

A travessia de pedestres ou ciclistas será autorizada somente em balsas específicas para os profissionais dos serviços considerados como essenciais pelo Governo do Estado, ou nos locais onde o transporte é necessário para subsistência da comunidade, por esta ser isolada.

"Estamos enfrentando uma grave crise. Diante das necessidades que nossa avaliação diária impõe, estas medidas são importantes para garantir o atendimento de saúde e o abastecimento das pessoas em seus lares. A situação continua crítica, por isso, para segurança de toda a população, as pessoas devem ficar em casa", explica o secretário da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira.

 

Mais informações para imprensa:
Patricia Zomer
Vanessa Pires
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade
(48) 3664-2008 / 9-9995-8494
ascom.sie@gmail.com


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O Governo do Estado publicará nesta segunda-feira, 23, uma portaria que regulamentará a quantidade de funcionários mínima necessária para a manutenção dos serviços essenciais em Santa Catarina. A informação foi confirmada pelo governador Carlos Moisés em pronunciamento por vídeo na noite deste domingo, 22.

O chefe do Executivo estadual também informou que um novo decreto será publicado nesta segunda-feira e tratará da especificação do que são os serviços essenciais, notadamente entre as indústrias, com a normatização do funcionamento das fábricas. Eventuais dúvidas serão tratadas pelo Centro de Operações em Emergência da Saúde (COES). Ambas as publicações constarão no Diário Oficial do Estado.

Em sua fala, Carlos Moisés destacou a importância do setor agroindustrial em Santa Catarina e disse que a manutenção dos trabalhos é fundamental. 

“É importante destacar que esse decreto visa fazer com que a angroindústria permaneça ativa para evitar o desabastecimento. Também quero aproveitar a oportunidade para agradecer a todos os profissionais deste setor que eleva o nosso Estado. Santa Catarina é um celeiro por força dessa gente que trabalha e está todo dia no campo”, frisou o governador.

>>>>Acompanhe as notícias do Governo do Estado

Pedido ao Ministério da Defesa

Carlos Moisés afirmou que a equipe de Governo trabalhou ao longo do domingo em prognósticos sobre as medidas de restrição do convívio social diante da pandemia do novo coronavírus. Ele informou também que um expediente foi enviado ao Ministério da Defesa solicitando apoio no controle de fronteiras e do movimento em aeroportos, inclusive com o uso das Forças Armadas. 

Também foi anunciada a formação de um grupo de trabalho envolvendo o Ministério Público (MPSC), o Tribunal de Contas (TCE), o Tribunal de Justiça (TJSC)e o Governo, por meio do Procon, para dar mais transparência às compras realizadas pela Secretaria da Saúde e combater a elevação de preços sem justificativa por parte de algumas empresas. 

Açougues, padarias, peixarias e mercearias abertas

Por fim, o governador esclareceu que o serviço das padarias, peixarias, mercearias e açougues segue funcionando normalmente, desde que respeitadas as regras de distanciamento entre as pessoas, com 1,5 metro entre cada indivíduo.

>>>>Tire suas dúvidas sobre o novo decreto do Governo

Ações para conter a propagação do vírus

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:

  • Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital.  Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento
  • Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde
  • Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa
  • Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração
  •  Evite viajar se estiver com febre ou tosse
  • Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)
  • Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel
  • Evite tocar os olhos, nariz e boca
  • Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente
  • Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo
  •  Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados
  • Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes
  • Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos
  • Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas


Os dados oficiais do Governo do Estado sobre a situação do novo coronavírus em Santa Catarina são atualizados no site www.coronavirus.sc.gov.br


Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
E-mail: imprensa@secom.sc.gov.br
Site: www.sc.gov.br

Santa Catarina tem 68 casos confirmados e 410 suspeitos do novo coronavírus, conforme o boletim divulgado pelo governador Carlos Moisés na noite deste domingo, 22. 

Os municípios com casos confirmados (por localidade de notificação) são: Florianópolis (10), Braço do Norte (7), Itajaí (7), Criciúma (7), Tubarão (6), Balneário Camboriú (6), Blumenau (6), Joinville (4), Rancho Queimado (2), Imbituba (2), Chapecó (2),  São José (3), Jaguaruna (1), Jaraguá do Sul (1), Navegantes (1), Pomerode (1), Lages (1) e Gravatal (1).

Os dados oficiais do Governo do Estado são atualizados no site www.coronavirus.sc.gov.br. As notícias relacionadas às medidas para combater a propagação da doença também podem ser conferidas aqui. 

>>>>Tire suas dúvidas sobre o novo decreto do Governo

Ações para conter a propagação do vírus

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:

  • Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital.  Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento
  • Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde
  • Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa
  • Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração
  •  Evite viajar se estiver com febre ou tosse
  • Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)
  • Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel
  • Evite tocar os olhos, nariz e boca
  • Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente
  • Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo
  •  Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados
  • Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes
  • Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos
  • Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br


Fotos: Polícia Civil / Divulgação

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil em Joinville fechou neste domingo, 22, uma fábrica clandestina de álcool em gel e prendeu três pessoas. A ação ocorreu nos bairros Adhemar Garcia, Guanabara e Saguaçu, em Joinville.

A operação contou com o apoio do Procon e da Vigilância Sanitária após o recebimento de diversas denúncias de estabelecimentos comerciais que estariam comercializando os produtos em desacordo com a regulamentação.

Segundo o delegado Murilo Batalha, na fábrica clandestina foram apreendidos mais de 1000 litros de insumos para a fabricação irregular de álcool em gel, cujo material é considerado extremamente corrosivo, segundo relataram os bombeiros militares.

Diversos frascos vazios e rótulos também foram apreendidos. O Instituto Geral de Perícias (IGP) também foi acionado e compareceu ao local. Dois homens e uma mulher foram encaminhados à Central de Polícia de Joinville para as medidas cabíveis.

Informações adicionais para imprensa:
Diogo Vargas
Assessoria de Comunicação
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-8708 / (48) 99119-8960
Site: www.pc.sc.gov.br 


Arte / Secom

Santa Catarina tem 57 casos confirmados e 410 suspeitos do novo coronavírus, conforme o boletim divulgado pelo governador Carlos Moisés na noite deste sábado, 21.

Os municípios com casos confirmados (por localidade de notificação) são: Florianópolis (10), Braço do Norte (6), Tubarão (6), Criciúma (6), Balneário Camboriú (6), Itajaí (6), Joinville (4), Rancho Queimado (2), Imbituba (2), Chapecó (2),  São José (2), Jaguaruna (1), Jaraguá do Sul (1),  Navegantes (1), Pomerode (1) e Gravatal (1).

Os dados oficiais do Governo do Estado são atualizados no site www.coronavirus.sc.gov.br. As notícias relacionadas às medidas para combater a propagação da doença também podem ser conferidas aqui. 

>>>>Tire suas dúvidas sobre o novo decreto do Governo

Ações para conter a propagação do vírus

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:

  • Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital.  Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento
  • Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde
  • Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa
  • Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração
  •  Evite viajar se estiver com febre ou tosse
  • Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)
  • Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel
  • Evite tocar os olhos, nariz e boca
  • Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente
  • Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo
  •  Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados
  • Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes
  • Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos
  • Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas


Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br


Foto: Maurício Vieira / Arquivo Secom

A partir da resolução aprovada na última semana pelo Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina (CEE-SC), sobre o regime especial de atividades escolares não presenciais para o cumprimento do calendário letivo de 2020, a Secretaria de Estado da Educação (SED) estuda a flexibilização das atividades pedagógicas a distância. A solução deve ser aplicável aos 539,6 mil alunos da rede estadual de ensino, considerando que parte dos matriculados não têm acesso a computador ou internet em casa.

O CEE aprovou a resolução CEE/SC Nº 009 na quinta-feira, 19, como medida de prevenção e combate ao contágio do coronavírus (COVID-19) para todo o sistema estadual de educação, o que consiste em redes municipal, estadual e particular. A homologação do documento deve ser publicada no Diário Oficial do Estado (DOE-SC) nos próximos dias.

O secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, afirma que, no caso da rede estadual, a premissa básica é a universalidade de ensino, com acesso para todos os alunos. Por isso, a SED estuda as alternativas existentes nos próximos 15 dias, em que a rede se encontra em antecipação do recesso escolar.

“O Conselho Estadual de Educação foi ágil na resolução. Estamos planejando ações e trabalhando diuturnamente com nossos especialistas para encaminhar a solução e orientar a rede. É necessário chegarmos a um modelo que contemple todos os estudantes, pois, segundo dados apontados por nossos alunos no momento da matrícula, mais 40% não têm computador em casa e próximo de 18% não têm qualquer acesso à internet na residência”, explica Uggioni.

Aulas em EAD demandam adaptações pedagógicas

O secretário complementa que a educação a distância (EAD) demandará adaptações pedagógicas e destacou que a maior parte dos alunos da rede estadual de ensino tem acesso a rádio, televisão e o smartphone. 

“Ministrar uma aula em EAD não é o mesmo que uma aula presencial. Requer material diferente, lúdico, interativo e atraente para obter a atenção do aluno por intermédio da tela. Estamos trabalhando com todas essas variáveis em uma situação completamente diferente, que nunca vivenciamos, e cujo período iremos transpor com responsabilidade e com a participação de toda a nossa rede de ensino”, reforça o secretário Natalino Uggioni.

Além do levantamento de uma solução para ensino a distância, a SED está elaborando uma página de recursos digitais de aprendizagem como suporte aos docentes, pais e alunos. O endereço será disponibilizado nos próximos dias.

Resolução cita materiais de estudo, plataformas e participação docente

O secretário de Estado da Educação reconhece a agilidade do CEE na aprovação do documento, ato decorrente das discussões de um grupo de trabalho criado na última semana, envolvendo a SED, o Ministério Público (MP-SC), a União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme), a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-SC), a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e o Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe).

A resolução do CEE aponta que o planejamento e a elaboração das ações pedagógicas e administrativas deverão contar com a colaboração do corpo docente, para serem desenvolvidas durante o período de aulas presenciais suspensas, objetivando viabilizar material de estudo de fácil acesso, tais como: videoaulas, conteúdos organizados em plataformas virtuais de ensino e aprendizagem, redes sociais, correio eletrônico e outros meios, digitais ou não. Estes recursos devem viabilizar a realização das atividades por parte dos estudantes, contendo, inclusive, indicação de sites e links para pesquisa.

Comprovação de aulas deverá ter registro de frequência e relatórios

O documento expõe, ainda, que instituições que aderirem ao regime especial de aulas a distância deverão realizar o registro da frequência dos estudantes, por meio de relatórios e acompanhamento da evolução nas atividades propostas, que computarão como aula, para fins de cumprimento do ano letivo de 2020.

O conteúdo estudado nas atividades escolares não presenciais poderá compor, a critério de cada instituição ou rede de ensino, nota ou conceito para o boletim escolar.

Informações adicionais para imprensa:
Sicilia Vechi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
Fone: (48) 3664-0353 / (48) 3664-0353 / 99132-5252
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br
www.sed.sc.gov.br 

A Polícia Civil ampliou a Delegacia Virtual em Santa Catarina e criou uma nova modalidade de registro. O objetivo é evitar o deslocamento da população a uma delegacia de polícia e com isso ajudar a frear os impactos da pandemia de coronavírus.

A Delegacia Virtual pode ser acessada no site da Polícia Civil. Se o delito não estiver no rol elencado na página, basta registrar a ocorrência na opção "Outras Ocorrências". O registro então será encaminhado pelo operador e despachado por um delegado de polícia.

“Em caso de necessidade, o cidadão pode fazer o registro acessando a internet. É rápido e fácil. Depois, ele receberá um protocolo validando o devido registro”, afirma o presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial e Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich.

>>>>Tire suas dúvidas sobre o novo decreto do Governo

Delitos graves ainda necessitam do registro presencial em uma unidade policial. Os crimes de homicídio, latrocínio, sequestro, cárcere privado, extorsão mediante sequestro, roubo de veículos e cargas, estupro e lesão corporal relacionada à violência doméstica devem ser registrados presencialmente.

A iniciativa da ampliação da Delegacia Virtual contou com a atuação técnica do Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc), que regularmente desenvolve novas tecnologias para os órgãos do Estado.

Acesse a Delegacia Virtual em www.pc.sc.gov.br

Fiscalização

Operações continuam sendo realizadas pela Polícia Civil pelo Estado para fiscalizar o cumprimento do decreto do governo do Estado que impõe medidas de restrições.

“Estamos intensificando operações diárias e também de noite com o único objetivo: fiscalizar locais de aglomerações públicas e que não são considerados serviços essenciais. O objetivo é dar cumprimento ao decreto e proteger a saúde do cidadão”, reforça Koerich.

Em Palhoça, na sexta-feira, 20, além de determinar o fechamento de duas lojas, policiais civis conduziram as gerências para a Delegacia de Polícia para assinatura de Termo Circunstanciado (TC) pelo descumprimento do decreto. Em Joinville, também na noite de sexta-feira, 10 dos 14 alvos fiscalizados foram interditados pela Polícia Civil.

Ajude a Polícia Civil contra o coronavírus

Denúncias sobre descumprimento das medidas restritivas podem ser dadas ao 181.

Todos os dados oficiais e notícias do Governo do Estado são atualizados no site www.coronavirus.sc.gov.br

Ações para conter a propagação do vírus

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:

  • Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital.  Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento
  • Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde
  • Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa
  • Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração
  •  Evite viajar se estiver com febre ou tosse
  • Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)
  • Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel
  • Evite tocar os olhos, nariz e boca
  • Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente
  • Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo
  •  Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados
  • Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes
  • Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos
  • Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas

Informações adicionais para imprensa:
Diogo Vargas
Assessoria de Comunicação
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-8708 / (48) 99119-8960
Site: www.pc.sc.gov.br 


Foto: Mauricio Vieira / Secom

O governador Carlos Moisés anunciou na manhã deste sábado, 21, que pagará aos hospitais filantrópicos de Santa Catarina o teto estabelecido pela Política Hospitalar Catarinense. Dessa maneira, ficam suspensos, até o fim da pandemia do novo coronavírus, os critérios de avaliação que determinavam o percentual de repasse.

A partir de agora, até a normalização da situação, os hospitais de porte 5 recebem R$ 2 milhões por mês e as unidades de porte 4 terão um repasse mensal de R$ 1 milhão. Também fazem parte da rede os hospitais de porte 3 (que receberão R$ 450 mil), as unidades de porte 2 (R$ 70 mil) e os hospitais de porte 1 (R$ 30 mil).

>>>Governo facilita pagamento de contas de água e luz para famílias de baixa renda

De acordo com o governador, essa medida trará um impacto aos cofres do Estado, porém é necessária por conta da pandemia de Covid-19.

"Atualmente, esses hospitais têm uma métrica para atingir determinados indicadores de avaliação, que levam em conta a produção, a disponibilidade de leitos, equipamentos, etc. São uma série de requisitos para que o hospital vá se qualificando. O que o Governo do Estado está decidindo é que, enquanto durar a situação de emergência e o estado de calamidade pública, nós manteremos a remuneração em teto máximo, independentemente da produção daquele hospital. Isso vai aliviar um pouco as contas dos hospitais filantrópicos. É uma boa notícia para quem trabalha com saúde", explica Carlos Moisés.

O governador acrescentou que há um acompanhamento diário da situação e que novas medidas serão tomadas conforme a necessidade. Em relação à Política Hospitalar Catarinense, o chefe do Executivo estadual lembrou que ela começou a valer ainda no ano passado e que busca fazer com que haja cada vez mais resolubilidade nas unidades hospitalares conveniadas com o Estado: "Isso significa zelo com o dinheiro público".

>>>Tire suas dúvidas sobre as medidas de restrição impostas pelo Governo do Estado

Ações para conter a propagação do vírus

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:

  • Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital.  Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento
  • Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde
  • Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa
  • Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração
  •  Evite viajar se estiver com febre ou tosse
  • Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)
  • Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel
  • Evite tocar os olhos, nariz e boca
  • Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente
  • Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo
  •  Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados
  • Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes
  • Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos
  • Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
E-mail: imprensa@secom.sc.gov.br
Site: www.sc.gov.br


Foto: Divulgação / PM

A Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE) autorizou a entrada em território catarinense de veículos de transporte coletivo e de fretamento vindos de outros países para repatriar turistas que estão em Santa Catarina e precisam retornar para casa.

Para entrar no estado, os ônibus devem estar vazios. Os veículos serão escoltados até o local onde os turistas irão embarcar e o retorno deverá ser imediato ao país de origem. As empresas catarinenses de transporte coletivo que tenham linhas para outros países também estão autorizadas a levar os turistas de volta ao seu país - sempre com o retorno vazio, sem passageiros.

>>>>Tire suas dúvidas sobre o novo decreto do Governo

"Essa é uma medida necessária para solucionar um problema pontual e garantir que as pessoas possam ser repatriadas pelos seus países ou local de origem", explica o secretário da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira.

O decreto 521 publicado na última quinta-feira, 19, pelo Governo de Santa Catarina proibiu a "circulação e o ingresso, no território estadual, de veículos de transporte coletivo de passageiros, interestadual ou internacional público ou privado, e de veículos de fretamento para transporte de pessoas".

O presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), Mané Ferrari, destaca como o estado é receptivo aos turistas, porém, neste momento, reforça a necessidade da medida para restringir a entrada de pessoas vindas de outras localidades. "É importante que os turistas, que sempre são bem-vindos aqui em Santa Catarina, tenham o entendimento do momento que estamos enfrentando, não só no nosso estado, mas também no mundo. Essa é uma medida necessária para que, em breve, todos possam retornar", garante.

Todos os dados oficiais e notícias do Governo do Estado são atualizados no site www.coronavirus.sc.gov.br

Ações para conter a propagação do vírus

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:

  • Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital.  Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento
  • Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde
  • Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa
  • Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração
  •  Evite viajar se estiver com febre ou tosse
  • Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)
  • Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel
  • Evite tocar os olhos, nariz e boca
  • Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente
  • Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo
  •  Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados
  • Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes
  • Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos
  • Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas

Mais informações para imprensa:
Patricia Zomer
Vanessa Pires
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade
(48) 3664-2008 / 9-9995-8494
ascom.sie@gmail.com