Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Vigas de metal retiradas da Hercílio Luz serão usadas na construção de outras pontes

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O governador Raimundo Colombo visitou neste sábado, 10, a 14ª Feira de Exposição Agropecuária do Vale do Braço do Norte e Região (Feagro), em Braço do Norte, no Sul catarinense. O evento é considerado uma das maiores feiras de gado Jersey da América Latina. A Feagro, realizada no Parque de Exposição Huberto Oenning, destaca-se ainda no cenário do agronegócio brasileiro por apresentar uma grande variedade de tecnologias, produtos, serviços e oportunidades de troca de experiência e busca de conhecimento para a cadeia produtiva do leite. O evento teve o apoio do Governo do Estado, com recursos de R$ 150 mil. 

>>> Galeria de fotos

“É uma feira que concentra, potencializa, reúne e integra todo o setor produtivo, mostra a força da economia da região e do agronegócio de Santa Catarina. A cada ano, o evento é maior e melhor, agregando tecnologia e qualidade. Braço do Norte tem uma grande produção de leite, um dos maiores rebanhos de gado Jersey e mais bem qualificados do Brasil e também possui uma suinocultura forte”, disse o governador.

O presidente da Feagro, Adir Engel, informou que a expectativa é receber cerca de 60 mil pessoas até neste domingo, 11, quando encerra-se a feira, que começou na quinta, 7.  Além da cadeia produtiva do leite, o evento dá destaque para a suinocultura, pecuária de corte, máquinas e equipamentos. Ao todo, são 76 expositores mostrando as novidades em produtos e equipamentos para as indústrias de leite e de suínos. A feira, com mais de 400 animais da raça Jersey expostos, pretende movimentar cerca de R$ 35 milhões em negócios. Em 2016, a feira gerou cerca de R$ 20 milhões e superou os 50 mil visitantes durante os cinco dias de sua realização.

A região de Braço do Norte concentra o maior rebanho de gado Jersey do Sul do país, além de se destacar na produção de suínos, sendo o segundo maior polo produtor do Estado. Em Santa Catarina, o leite representa a principal fonte de renda de mais de 70 mil famílias rurais, conforme dados da Secretaria de Estado da Agricultura. 

O governador  também ressaltou que o agronegócio está em uma boa fase de desenvolvimento. "Um setor, que apesar de todas as dificuldades  consegue agregar conhecimento e tecnologia, produz muito e faz com que nosso Estado seja referência”, finalizou Raimundo Colombo.

Incentivo para agricultura

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca está auxiliando os agricultores para adquirir matrizes leiteiras. Ao todo, serão R$ 200 mil em recursos do Programa de Fomento à Produção Agropecuária (FDR) para financiamentos de vacas de raças leiteiras.

Um dos segredos para ampliar a produção de leite em Santa Catarina é investir no melhoramento genético do rebanho e é justamente esse o objetivo do financiamento para aquisição de matrizes leiteiras. Os produtores podem comprar animais expostos em feiras ou não, num limite de R$ 7 mil para matrizes Puro de Origem (PO) e de R$ 5 mil para animais Puro por Cruza de Origem Conhecida (PCOC), com três anos de prazo para pagar e sem juros.

Agronegócio em Santa Catarina  

Milho 

Conforme dados da Secretaria da Agricultura e do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), Santa Catarina é o maior consumidor de milho do país, são utilizadas 16,5 mil toneladas de grão por dia. Com uma produção de aproximadamente 3 milhões de toneladas por ano, o estado importa mais 3 milhões de toneladas para abastecer a cadeia produtiva de suínos, aves e bovinocultura de leite.

A safra 2015/16 teve 367 mil hectares plantados e uma produção de 2,7 milhões de toneladas. A expectativa é de que a safra 2016/17 tenha um aumento de 8,1% na produção, resultando em 2,95 milhões de toneladas de milho catarinense.

Soja

A produção de soja em SC vem aumentando nos últimos anos em decorrência do aumento da área plantada. Entre a safra de 2011/12 e 2015/16, a área destinada a soja vem crescendo num ritmo de 8% ao ano no estado. A produção de soja na safra 2015/16 foi de 2,1 milhões de toneladas e a expectativa para a safra 2016/17 é de que sejam colhidas 2,2 milhões de toneladas. Deste total, 828 mil toneladas serão destinadas para exportação. 

Leite

Santa Catarina é o quinto produtor nacional, com cerca de três bilhões de litros produzidos em 2015. O Oeste catarinense é a principal região produtora, com mais de dois milhões de litros produzidos em 2014. O leite tem o terceiro maior Valor Bruto de Produção Agropecuária catarinense, com um faturamento de R$ 3,7 milhões em 2016.

Arroz

Santa Catarina é o segundo maior produtor nacional de arroz, com mais de 30 mil pessoas envolvidas na atividade, distribuídas em 83 municípios, principalmente no Litoral Sul.  Na safra 2015/16, Santa Catarina produziu 1,04 milhão de toneladas de arroz. As estimativas da Epagri/Cepa para safra 2016/17 são de um aumento na produção de 6%, chegando a 1,10 milhão de toneladas produzidas, com um rendimento de 7.455 quilos por hectare.

Maçã

Santa Catarina é o maior produtor de maçã do país. Na safra 2015/16, produziu 525 mil toneladas em 16.916 hectares plantados, 46% do total produzido no Brasil. Santa Catarina conta com mais de três mil produtores e 77% da produção está concentrada na região Serrana.

Banana

Santa Catarina é o quarto maior produtor de banana do país, com 721 mil toneladas colhidas em 2016.

Bovinocultura

Com status sanitário privilegiado, o Estado possui o rebanho bovino todo identificado. De acordo com a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), o estado possui um rebanho de 4,39 milhões de cabeças, sendo 51% de animais de corte e 34,7% de leite, além de 13,75% de aptidão mista.  A bovinocultura está presente em 291 municípios (98% do total) e o rebanho está distribuído em 78.729 produtores.

Suinocultura

Santa Catarina é o maior produtor nacional de suínos. A produção anual de carne suína gira em torno de 950 mil toneladas/ano. Com um rebanho efetivo estimado em sete milhões de cabeças, o estado é responsável por 27% da produção nacional, cerca de 3,48 milhões de toneladas, e é o maior exportador de carne suína do país.

Avicultura

Santa Catarina é o segundo maior produtor nacional de carne de frango, com 881 milhões de aves abatidas em 2015, 15,22% do total brasileiro. A produção está concentrada no Oeste catarinense, responsável por 77% dos frangos abatidos no estado. Santa Catarina é também o segundo maior exportador nacional de carne de frango, com 984,32 mil toneladas em 2015. Entre os principais países compradores estão Japão, Países Baixos, China, Arábia Saudita e Reino Unido. A avicultura tem o maior Valor Bruto da Produção Agropecuária catarinense, com um faturamento de R$ 7,1 milhões em 2016.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Foto: Divulgação / PMSC

O 6º Batalhão de Polícia Militar de Lages recebeu na tarde desta sexta-feira, 9, os policiais de outras cidades do Estado para reforçar a segurança na 29ª Festa Nacional do Pinhão, que ocorre até o próximo dia 18.

Oos comandantes da 2ª Região de Polícia Militar, coronel Dionísio Tonet, e do 6º BPM, tenente-coronel Alfredo Nogueira dos Santos, agradeceram a disponibilidade dos policiais e repassaram as instruções de como será o trabalho durante o evento.

O policiamento na Festa do Pinhão faz parte da “Operação Inverno”, lançada no último dia 2 pela PM e que vai realizar ações em todos os municípios da Serra Catarinense de forma a garantir a ordem pública e a segurança dos turistas.


Foto: Fernanda Peres / FCC

Foi lançado na tarde desta sexta-feira, 9 no Café do Museu Nacional do Mar - Embarcações Brasileiras o Portal Barcos do Brasil que disponibilizará o acervo com 800 obras da Biblioteca Kelvin Duarte, localizada no Museu. O projeto foi financiado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio de convênio com a Associação dos Amigos do Museu Nacional do Mar (AAMNM), e com a parceria da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esportes (SOL) e da Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

A solenidade contou com a participação de autoridades, convidados e comunidade de São Francisco do Sul. A primeira parte teve uma explicação técnica sobre o portal com o idealizador e benemérito do Museu, Dalmo Vieira Filho; a bibliotecária da AAMNM, Cleonice Schmitz, também coordenadora do projeto; e do professor da Udesc, Divino Inácio Ribeiro Júnior, que explicou o processo de desenvolvimento da plataforma de forma sustentável, para a facilitação da posterior manutenção do Portal. Além dos 800 itens já publicados, Divino adiantou que há outros três lotes de informações que deverão ser incluídos em breve no site.

Entre as autoridades presentes estavam o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, representando o governador do Estado, Raimundo Colombo; a superintendente do Iphan, Liliane Nizolla; o presidente da FCC, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz; o presidente da Fundação Cultural Ilha de São Francisco, Aldair Carvalho, representando o prefeito de São Francisco do Sul, Renato Gama Lobo; o presidente do Porto de São Francisco do Sul, Arnaldo S. Thiago; e a representante da Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville, Lorena Rothbarth.

O presidente do Porto de São Francisco do Sul anunciou a parceria com as instituições gestoras do Museu para a reforma do píer localizado junto à edificação, na Baía da Babitonga. Além disso, Thiago disse que irá verificar o orçamento do Porto para que R$ 400 mil sejam disponibilizados anualmente para a manutenção das atividades da Associação de Amigos do Museu.

Natural de São Francisco do Sul, Pinto da Luz ressalta que ele irá disponibilizar o acesso ao acervo da Biblioteca do Museu a pesquisadores e interessados em todas as partes do mundo. O presidente da FCC relembrou que a atual gestão iniciou suas ações junto ao Museu já no dia seguinte à posse. Desde então foi desenvolvido o regimento interno da instituição e obras de recuperação do telhado e estruturas do Museu, orçado em cerca de R$ 400 mil. Ainda anunciou que um projeto de reforma completa de toda a estrutura do Museu, orçado em R$ 18 milhões, já está em andamento e com previsão de lançamento de licitação para 2018.

O secretário estadual de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, sugeriu estimular visitas de escolas para resgatar a importância histórica da cultura retratada no Museu do Mar.  "Além dos investimentos financeiros, temos que investir nas pessoas. Os visitantes precisam viver, imaginar, envolver-se com esse acervo tão rico que temos nesse local."

Termo de cooperação

Ainda durante a manhã desta sexta-feira, foi assinado no gabinete do prefeito de São Francisco do Sul o termo de cooperação entre prefeitura e Estado para a gestão integrada do Museu. O documento, assinado pelo presidente da FCC, secretário de Turismo, Cultura e Esporte o prefeito municipal foi entregue pelo presidente da Fundação Cultural de São Francisco do Sul também durante a solenidade da tarde, como forma de materializar a parceria.

O Portal

A intenção da plataforma  é disponibilizar o acervo da Biblioteca do Museu Nacional do Mar ao maior número de pesquisadores possível, promovendo acessibilidade e tornando a biblioteca uma referência nacional no tema. O acervo, que está acessível no site reúne, além de livros, plantas, cartas náuticas e manuscritos. Grande parte do material se constitui em uma reunião de exemplares fora de circulação do mercado livreiro, edições esgotadas e de conteúdo preciosos, abordando assuntos que incluem história naval, modelismo, pesca, folclore, descrição de viagens, entre outros.

Também é possível acessar imagens e informações sobre as embarcações que compõem o acervo expositivo do Museu Nacional do Mar, bem como as fichas do inventário completo da Coleção Alves Câmara. Os pesquisadores encontrarão no site publicações como Compendio del arte de navegar (Rodrigo de Zamorano, 1581) e Viagem do Paraguay ao Amazonas (Paulo Ehrenreich, 1853). Para facilitar o acesso ao usuário, as buscas das publicações poderão ser feitas segundo critérios de: comunidades e coleções; data do documento; autores; títulos; e assuntos. 

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
S
ite: www.fcc.sc.gov.br
T
witter: www.twitter.com/fccoficial
F
acebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: Marcionei Hillesheim/Prefeitura de Lontras

As águas baixaram em todo o Alto Vale e junto com a limpeza de ruas e imóveis atingidos pelas cheias, inicia também o levantamento dos prejuízos. Em Lontras, a cidade mais afetada na Regional de Ibirama, só na agricultura as perdas somam R$1,3 milhão, já nos outros setores o cálculo deve ser finalizado até a terça-feira, dia 13.

De acordo com o prefeito, Marcionei Hillesheim, até esta data todos as indústrias, comércios, prestadores de serviço e também agricultores que foram afetados de alguma forma podem preencher um formulário eletrônico disponível na página da Defesa Civil no Facebook. “Quando concluirmos esse levantamento teremos uma ideia total de prejuízo, mas desde já sabemos que serão grandes e vamos precisar de toda ajuda possível”.

A cidade que precisou abrir cinco abrigos para receber 255 pessoas que tiveram suas casas inundadas, já recebeu ajuda humanitária da Defesa Civil de Santa Catarina através de 130 cestas básicas, 520 kits de higiene pessoal, 912 galões de água de cinco litros, 130 kits de limpeza, 30 colchões de solteiro e 30 kits acomodações e deve receber recursos do Governo do Estado.

A vendedora, Nair Uhlmann, que trabalha em uma loja de confecções no Centro de Lontras, conta que já na terça-feira, 6, ela e outros colaboradores precisaram retirar tudo do estabelecimento e até agora ele não pode ser reaberto, por isso o prejuízo ainda está sendo calculado. “A gente sabe que contra a força da natureza a gente não pode fazer nada, mas hoje em dia graças a |Defesa Civil a agente pode se preparar antes e por aqui conseguimos retirar tudo. Prejuízo mesmo só os dias que a loja está parada.”

Segundo o prefeito, aos poucos a rotina dos moradores começa a ser retomada. “Devagar as coisas vão voltando para o lugar, e a cidade vai caminhando novamente. Hoje estamos com três caminhões lavando todas as ruas e queremos deixar tudo limpo e bonito novamente o mais rápido possível”, comentou.

Ele comenta que apesar de todas as dificuldades, a enchente também mostra a força e solidariedade da população. “Nas cheias muita coisa triste acontece, mas também muitos exemplos de solidariedade. Tenho certeza que aos poucos vamos poder agradecer a todos que ajudaram seja fazendo doações, trabalhando ou mesmo ajudando de outras formas. Cada um foi e é fundamental para possamos superar mais essa enchente afinal vontade não nos falta e pessoas temos as melhores.”

Mais informações para a imprensa:

Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br
Site: www.adrs.sc.gov.br/adribirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama


Foto de arquivo:  Alexandre Mees / Cidasc 

Os três estados do Sul já são grandes parceiros no fomento à produção de leite e nas discussões sobre a demanda por milho e agora estão prestes a criar o Comitê Interestadual de Sanidade da Pomicultura (Cisp), para defender a sanidade nos pomares de maçã. A portaria deverá ser assinada pelos secretários da Agricultura de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul às 9h de terça-feira, 13, no Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da Epagri (Epagri/Cepaf) em Chapecó.

Página 520 de 559

Conecte-se