Encontre serviços e notícias do Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Programa Minha Nova Escola: infraestrutura para SC



Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Divulgação/ Polícia Civil

A Operação Zero Grau da Polícia Civil apurou que ao menos R$ 3 milhões foram desviados em fraudes contra a Celesc em 2010. A ação desencadeada pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC) nesta quinta-feira, 5, apreendeu carros de luxo, caminhões e R$ 100 mil em dinheiro em Santa Catarina e Paraná. Os investigados são quatro ex-funcionários, que atuavam na empresa na época, suspeitos de receberem valores indevidos dos cofres públicos.

As suspeitas são que as fraudes eram feitas por meio de ordens de serviço para avarias causadas por eventos climáticos, mas cujos serviços não foram prestados e o dinheiro desviado. “O inquérito apura desde 2013 serviços gerados por eventos climáticos pelo estado, mas em 90% deles conseguimos comprovar que eles não foram realizados e os pagamentos eram feitos por notas fiscais frias no conluio entre os funcionários e empresários investigados”, afirma o delegado da Delegacia de Combate à Corrupção da DEIC, Marcus Fraile. Ao todo, ele estima que o valor das fraudes possa chegar a R$ 10 milhões, mas essa quantia ainda não conseguiu ser comprovada pela polícia.

Nesta quinta-feira foram cumpridos 21 mandados de busca e apreensão e sequestro de 49 veículos determinados pela Justiça, em Florianópolis, São José, Itajaí, Blumenau, Orleans, Pescaria Brava e Curitiba (PR). Foram apreendidos carros de luxo e caminhões. A DEIC apreendeu ainda euros, dólares e reais que alcançam mais de R$ 100 mil. Os documentos apreendidos serão analisados e farão parte do inquérito. São apurados os crimes de peculato, associação criminosa e fraude à licitação.

Combate à corrupção é compromisso da Polícia Civil

Em entrevista coletiva pela manhã, o diretor da DEIC, delegado Luis Felipe Fuentes, destacou o combate à corrupção como compromisso da Polícia Civil.

“Em casos de corrupção há valores altos envolvidos em dinheiro, patrimônio público, além da sensação de impunidade. Então o recado que estamos dando é de que uma hora a polícia chega”, ressaltou o diretor. Esta ação faz parte dos objetivos traçados no planejamento estratégico da Polícia Civil.

Informações adicionais para imprensa:
Diogo Vargas
Assessoria de Comunicação
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-8708 / (48) 99119-8960
Site: www.pc.sc.gov.br 

As inscrições para as empresas de alimentação e bebidas interessadas em participar da reabertura histórica da Ponte Hercílio Luz terminam nesta quinta-feira, 5. Os estabelecimentos precisam entregar e protocolar as propostas até as 19h, na sede da Santur, no Bairro Itacorubi, em Florianópolis.

Caso sejam selecionadas, as empresas poderão vender os produtos de 30 de dezembro a 5 de janeiro de 2020 nas cabeceiras da estrutura. A iniciativa faz parte do projeto Viva a Ponte, que prevê ampla programação neste período, com atrações artísticas, folclóricas e gastronômicas.

O edital 002/2019, disponível no site www.sc.gov.br/vivaaponte, traz os detalhes sobre o processo de seleção. Estão aptos a participar food karts, food bikes ou estandes. Os selecionados serão divididos em 20 espaços, sendo 14 no vão central da cabeceira insular e seis na continental.

Os interessados que tiverem suas propostas aprovadas pelo Grupo de Trabalho da Ponte Hercílio Luz serão notificados para participarem de sessão pública no dia 10 de dezembro.

Viva a Ponte é um projeto cultural, turístico e urbanístico do complexo da Hercílio Luz, com ações integradas da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Fundação Catarinense de Cultura, Fundação Catarinense de Esporte, Santur, Casa Civil, Secretaria Executiva da Casa Militar, Secretaria Executiva de Comunicação, Defesa Civil e Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
Site: www.sc.gov.br


Fotos: Mauren Rigo/Casa Civil

O projeto que cria um sistema único de ônibus para a região metropolitana da Grande Florianópolis foi discutido em audiência pública na noite desta quarta-feira, 4, na Câmara de Vereadores de São José. Representantes da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf) e do Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC explicaram como a integração deve funcionar. A audiência também contou com a participação de usuários de ônibus, vereadores, integrantes do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Público (Sintraturb) e pesquisadores da área da Mobilidade Urbana.

O superintendente da Suderf, Matheus Hoffmann, explicou que uma das principais vantagens do novo sistema é a gestão associada entre Governo do Estado e municípios. Dessa forma, as decisões são tomadas em conjunto. “Após aprovação do projeto de lei pelas câmaras de vereadores, saberemos quais municípios querem participar da integração. Depois disso, vamos discutir todas as alternativas em conjunto para construir uma rede integrada que realmente atenda às necessidades dos usuários”, afirmou Hoffmann. Em São José, o PL já passou por uma primeira aprovação e deve ir à votação novamente ainda neste ano. 

A secretária de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José, Andréa Pacheco, entende que o projeto municipal de transporte, não integrado ao intermunicipal, seria ruim à população, mais caro, menos eficiente e com menos serviços. “Há algumas preocupações sobre a delegação de poder, então estamos participando assiduamente do Coderf (Comitê de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis) e fazendo parte da comissão técnica que detalha a gestão do projeto. Isso significa que todas as demandas do josefense e dos vereadores, que antes encaminhávamos em ofício ao antigo Deter, agora serão discutidas nesse grupo de gestão compartilhada”, disse. “Eu não vejo nenhum ponto negativo nesse projeto, muito pelo contrário, salientando que São José dispõe de um transporte coletivo bastante precário, porque as linhas se sobrepõem”, concluiu.

O professor do Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, Werner Kraus Jr. explicou que a proposta tem sido debatida entre Governo do Estado, prefeituras e sociedade civil organizada desde 2015. Um dos principais benefícios ao usuário é a possibilidade de deslocamentos diretos na região continental sem necessidade de entrar na Ilha. “A concepção do sistema metropolitano é de uma integração forte norte-sul de São José. É um novo desenho, não é mais aquele em direção à Ilha, quer dizer o cidadão de Barreiros para ir ao Kobrasol tem que entrar na Ilha para depois voltar para a área continental. Isso não vai mais acontecer”, explicou.

Uso do ônibus de São José

Em São José, o sistema de ônibus atende 80 mil passageiros por dia, sendo que 14% das viagens ocorrem nas linhas municipais de São José e 85% das viagens nas intermunicipais. O problema é que 15% a 20% destas viagens em ônibus intermunicipais são deslocamentos municipais. Kobrasol/Campinas é a região na área continental da Região Metropolitana da Grande Florianópolis que mais atrai pessoas. 

Além disso, o josefense usa muito o automóvel para se deslocar dentro do município, aponta estudo do Observatório. "É o município da região metropolitana que mais utiliza automóvel e moto porque o sistema de transporte coletivo é muito ruim, concebido em direção à Ilha”, salientou Werner Kraus Jr.

A rede metropolitana vai reforçar serviços municipais, facilitar acesso à região de Kobrasol/Campinas, rever itinerários, melhorar atendimento populacional e fazer a integração temporal no centro e os bairros.

Florianópolis dentro do sistema

A integração do transporte com Florianópolis pode acontecer mesmo antes do fim do contrato que está em andamento na cidade. O secretário-adjunto de Mobilidade e Planejamento Urbano de Florianópolis, Marcelo Roberto da Silva, esteve presente na audiência e reiterou o interesse da Capital de participar do sistema. “Nós temos um contrato que pode ser revisto e não há nenhum impedimento legal nessa situação, não há necessidade de esperar até 2034, que é quando ele acaba. Temos interesse sim, até porque Florianópolis absorve todas as linhas intermunicipais e sabemos que a solução do sistema de Florianópolis passa pela região metropolitana”, afirmou.

Acessibilidade 

A acessibilidade no transporte coletivo também foi um dos temas da audiência. O professor Werner Kraus Jr. explicou que a acessibilidade universal é uma lei e que os ônibus precisam, obrigatoriamente, oferecer elevador para o cadeirante. “Na porção continental da região metropolitana, a falta de contrato dificulta para o operador a segurança jurídica para trocar de ônibus. É importante destacar este ponto, a licitação é urgente para dar segurança ao próprio operador. Hoje, a renovação da frota é complicada porque ele não sabe por quanto tempo vai operar”. disse. O novo sistema vai mudar essa realidade. Será exigida a acessibilidade universal para toda a frota.

Informações adicionais à imprensa
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Foto: Divulgação / SDE 

Mais de 100 alunos de escolas públicas e privadas se formam pelo projeto Novos Talentos SC Games, coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável. A solenidade ocorre nesta quinta-feira, 5, no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis, onde também serão homenageados os apoiadores da iniciativa que comemora 10 anos de atuação no estado, promovendo oportunidades no mercado profissional de games para crianças e adolescentes.

Os formandos recebem diplomas nas áreas de programação avançada, artes 2D, artes 3D, iniciação para games e robótica.

Lançado em 2009, o projeto atende alunos, a maioria de escolas públicas, com aulas gratuitas de entretenimento digital e cinema de animação.

Para a coordenadora do projeto, Márcia Regina Battistela, a formatura significa um novo passo rumo ao futuro promissor na área de games. "É muito satisfatório poder contribuir com novas possibilidades aos nossos jovens, além de colocar no mercado uma mão de obra capacitada para o setor de tecnologia e economia criativa”.

Setor de games

Segundo dados do Sebrae, Santa Catarina é o quarto estado brasileiro com mais empresas no setor de games e jogos digitais. Pesquisas divulgadas pela Newzoo, empresa especialista em análises no mercado de games, revelaram que o Brasil representa hoje o 13º maior mercado de games no mundo, gerando uma receita anual de US$ 1,6 bilhão para o setor.

Serviço: 
O que:
Formatura Projeto Novos Talentos SC Games 
Onde: Centro Integrado de Cultura – Sala de Cinema térreo - Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica, Florianópolis
Quando: 5 de dezembro - 14h
Quanto: Entrada gratuita

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

Página 6 de 635

Conecte-se