Recurso poderá ser usado em reforma de escolas, obras de infraestrutura e em hospitais - Foto: Julio Cavalheiro / Arquivo / Secom

O Governo do Estado continua investindo nos municípios catarinenses. A região Norte deverá ser beneficiada por mais de R$ 27 milhões com o pagamento de 125 emendas impositivas do Orçamento de 2020, por meio da Casa Civil e da Secretaria de Estado da Fazenda. Os recursos atendem a 23 deputados estaduais.

O Estado já destinou R$ 70,4 milhões até julho para 579 emendas, dinheiro que beneficiou 245 municípios de todas as regiões. Até o final do ano, a previsão é repassar cerca de R$ 491 milhões para pagamentos das emendas parlamentares (Orçamentos 2019 e 2020).

O chefe interino da Casa Civil, Juliano Chiodelli, reforça que o Estado está antecipando pagamentos que estavam previstos para dezembro. “O Governo tem se esforçado para fazer os repasses. Cerca de R$ 176 milhões das emendas parlamentares do Orçamento de 2019 já foram pagas e, agora, estamos a caminho de quitar o previsto no exercício de 2020 das que são repassadas diretamente ao municípios”, conclui.

Na região Norte, devem receber os recursos 24 cidades que compõem a Associação do Municípios do Nordeste de Santa Catarina (Amunesc), a Associação dos Municípios do Planalto Norte Catarinense (Amplanorte) e a Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali). Os repasses atendem diversas áreas, como Educação, Saúde, Infraestrutura e Segurança Pública.

Além de auxiliar prefeituras financeiramente para aquisição de equipamentos agrícolas, veículos e insumos, o dinheiro será utilizado para reformas em unidades escolares. Na área da Infraestrutura, está prevista a ampliação da ponte sobre o Rio Canoinhas, em Monte Castelo, um importante caminho de escoamento da produção local. Na área da Saúde, entidades e hospitais da região também foram apontados pelos deputados para receberem as emendas, como o Hospital Santa Cruz de Canoinhas, para manutenção e custeio da unidade.

Os municípios contemplados com o pagamento das emendas impositivas são Araquari, Balneário Barra do Sul, Barra Velha, Bela Vista do Toldo, Campo Alegre, Canoinhas, Corupá, Garuva, Irineópolis, Itaiópolis, Itapoá, Jaraguá do Sul, Joinville, Mafra, Massaranduba, Monte Castelo, Papanduva, Porto União, Rio Negrinho, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, São João do Itaperiú, Schroeder e Três Barras.

As emendas impositivas são os recursos que os deputados estaduais indicam para investimentos nas mais variadas áreas nos municípios catarinenses. Os repasses são previstos em lei e constam no Orçamento Anual do Executivo Estadual.

Autores das emendas

Ana Caroline Campagnolo
Ana Paula da Silva
Coronel Mocelin
Vicente Caropreso
Fernando Krelling
Ismael dos Santos
Jair Miotto
João Amin
Julio Garcia
Kennedy Nunes
Laércio Schuster
Luciane Carminatti
Marcius Machado
Marcos Vieira
Maurício Eskudlark
Moacir Sopelsa
Nazareno Martins
Neodi Saretta
Nilso Berlanda
Ricardo Alba
Sargento Lima
Sérgio Motta
Valdir Cobalchini

Informações adicionais à imprensa
Márcia Callegaro
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2104 / 98842-8479
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Foto: Filipe Scotti / Fiesc

Tornar Santa Catarina referência em desenvolvimento sustentável. Esse é o intuito do Governo do Estado que, em conjunto com o setor produtivo, tem fortalecido o alinhamento por meio do diálogo com entidades e federações. Nesta quinta-feira, 6, secretários estiveram com o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar. Na oportunidade, conheceram em detalhes o programa Travessia e aprofundaram questões para alavancar o crescimento durante a retomada econômica catarinense.

“Uma reunião extremamente produtiva com a Fiesc, na qual pudemos conhecer um pouco mais do programa Travessia, estabelecer pontos de conexão entre a atuação da Federação, das indústrias e das ações do Governo para a retomada econômica, com foco principalmente em Infraestrutura. Este movimento continua em conversa com as demais entidades e setores para que possamos unir estes planejamentos ao do Governo e ter um único plano do Estado de Santa Catarina para a retomada econômica”, avaliou o secretário de Administração, Jorge Eduardo Tasca.

Para o presidente da Fiesc, “os encontros buscam soluções conjuntas e propostas para o desenvolvimento do estado. É uma oportunidade para que o governo ouça o setor produtivo”, avalia Aguiar.

“Temos ciência da responsabilidade e sabemos da complexidade deste momento, mas temos também grandes projetos e oportunidades de colocar Santa Catarina no eixo do investimento mundial. Isso está muito claro e o governador entende isso como essencial. Acredito que juntos, podemos criar condições de investimentos que sejam modelo e que possam gerar uma espiral de prosperidade, confiança e esperança”, conclui o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira.

Durante o encontro, foi abordado o Programa Travessia, proposta da Fiesc para reinvenção econômica do estado após a pandemia, que tem apoio do Governo de Santa Catarina e do Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM).

Também participaram do encontro o secretários da Infraestrutura, Thiago Vieira; o chefe interino da Casa Civil, Juliano Chiodelli; a secretária Executiva de Assuntos Internacionais, Daniella Abreu; o presidente da SCPar, Enio Parmeggiani, entre outros representantes do Governo e da Fiesc.

 

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sde.sc.gov.br

Com o objetivo de abrir portas para estrangeiros que tenham interesse em investir em Santa Catarina, a Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) divulgou, na última semana, a versão em inglês do resumo do Balanço Geral do Estado de 2019.

“O tema para a publicação foi inovação e governança, apresentando as inovações tecnológicas feitas no ano passado pelo Governo do Estado, enaltecendo as boas ações e as políticas públicas desenvolvidas em Santa Catarina”, pontua a secretária adjunta da SEF, Michele Roncalio,

O material em inglês, disponível para acesso no Portal da Transparência, é uma versão resumida do Balanço Geral do Estado, entregue ao Tribunal de Contas (TCE) em abril. A publicação, desenvolvida anualmente pela Diretoria de Contabilidade de Informações Fiscais (DCIF) da SEF, apresenta as finanças estaduais aos catarinenses de forma simples e didática, ampliando a transparência dos gastos públicos.

> Acesse o Balanço Geral do Estado aqui

O documento foi apresentado em reunião da SEF com participação das secretárias de Integridade e Governança (SIG), Naiara Augusto, e Assuntos Internacionais (SAI), Daniella Abreu, realizada via webconferência. “O Balanço é uma ferramenta fundamental, principalmente para o nosso objetivo que é atrair parcerias e buscar recursos. É importante mostrar que Santa Catarina possui diferenciais para os investidores, com muita transparência, seriedade e accountability”, ressaltou a secretária Daniella, na ocasião.

Para a secretária Naiara Augusto, o material irá auxiliar na divulgação das boas práticas do Estado. “O ano passado foi um período de muito trabalho e de resultados excelentes em Santa Catarina. Este resumo em inglês é um tipo de produto que não mostra apenas a capacidade de atração de investimentos, mas demonstra a qualidade do trabalho e do nosso comprometimento”, afirma.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 99992-2089
Site: www.sef.sc.gov.br 
facebook.com/fazendasc
https://www.instagram.com/fazendasc


Imagem: Reprodução/SDE

A tecnologia da Informação e comunicação (TIC) aplicada ao agronegócio em Flandres, na região da Bélgica, será tema do Projeto Innov-al 2 que o Governo de Santa Catarina participa por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE). O objetivo é acelerar ainda mais a inovação e a competitividade da economia catarinense. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, 5, em um workshop on-line que contou com a participação de atores da academia e do setor privado, como Fiesc, SindCarne, Epagri, Centros de Inovação de Caçador, Chapecó e Videira, Acate e Udesc.

O Projeto Innov-Al é uma iniciativa da União Europeia, com financiamento da Direção-Geral da Política Regional e Urbana (DGREGIO), que apoia a disseminação e a troca de experiência e boas práticas das políticas descentralizadas de inovação e de especialização inteligente em nível regional da Europa com o Brasil. “Este projeto está sendo executado por um consórcio de consultorias europeias, sob a liderança da Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI). E Santa Catarina vai se beneficiar dessa ação ao estabelecer vínculos importantes de cooperação internacional”, explica Thaís Soares, consultora da empresa.

De acordo com o Diretor de Ciência, Tecnologia e Inovações da SDE, Rafael Meyer, a especialização inteligente é uma metodologia que a comissão europeia está utilizando para poder direcionar a inovação, para setores específicos identificados e que geram maior impacto na região, promovendo o que eles chamam de política de coesão. “Vemos na União Europeia uma grande oportunidade para mostramos os potenciais de Santa Catarina. Acreditamos que o resultado para o estado será o de abrir uma parceria bilateral e tudo que pudermos incluir e usufruir de benefício para nossa economia a partir deste projeto”, destaca o diretor.

Para André Ricardo Poletto, gerente de Empreendimento da secretaria de Estado da Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural, participar do Innov-Al é uma oportunidade imensa, já que essa metodologia traz inovações na forma de trabalhar, une os atores para a tomada de decisões e prioriza soluções para Santa Catarina. “A agricultura familiar tem uma importância muito grande para o Estado. Porém, sabemos que neste setor a inovação demora um pouco para chegar. Agora, com essa metodologia, estamos buscando o conhecimento de outras regiões e países para trazer a Santa Catarina”, ressalta Poletto.

Nesta nova fase do projeto, além de Santa Catarina, o estado do Ceará também está integrando a missão, tendo como setor de energias renováveis para estudo de caso. A previsão de término desta cooperação é em dezembro de 2020. Na primeira edição do Innov-Al, em 2018, participaram os estados do Paraná, Pernambuco e Pará.

A escolha do tema

Para a escolha do tema, a Sociedade Portuguesa de Inovação realizou uma missão ao estado catarinense em setembro de 2019. Na oportunidade, foi desenvolvido o primeiro workshop, com apresentação do projeto, dos fundos europeus de financiamento e do conceito da especialização inteligente. Além disso, também realizaram a análise swot do ecossistema de inovação de Santa Catarina.

Após análise, elencou-se seis áreas econômicas de destaque para possível troca de experiências, sendo elas: metal mecânica e ferramentaria, têxtil, cerâmica, móveis, tecnologia de informação e comunicações e agronegócio.

A partir dos workshops e da própria metodologia, o setor escolhido foi o de TIC para agronegócio.

A escolha da região

A agregação de valor a matéria-prima, competitividade e uso da tecnologia em equipamentos para o pequeno agricultor foram os pontos cruciais que levaram os diversos atores, da academia ao setor privado, a escolherem a Bélgica para a troca de experiências.

Entre os pontos positivos que levaram a decisão, estão: presença de grandes empresas que possuem o seu setor interno de P&D; implementação de especialização inteligente: transformação econômica da região voltada para a inovação, com forte componente político; domínios identificados: química sustentável, soluções para fábricas, saúde, logística, agroalimentar, smart cities e plataformas gerais de TIC; mais de 40 projetos inovadores aprovados pelo Ministério da Agricultura; entre outros.

Com a região escolhida, a partir de agora a Sociedade Portuguesa de Inovação estabelecerá contato com Flandres, para dar início a troca de experiências.

Mais informações para a imprensa:
Mariane Lidorio
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-4298 / 99601-1488
E-mail: mari@sde.sc.gov.br
Site: www.sde.sc.gov.br

 
Foto: Cristiano Estrela / Secom

Os proprietários de veículos com placas que terminam em 8, que optarem por pagar o IPVA em três vezes sem juros, devem quitar a primeira parcela até a próxima segunda-feira, 10 de agosto. O prazo para pagamento do imposto em cota única é dia 31 deste mês. Já os contribuintes com veículos placas final 6 e 7, podem pagar a terceira e a segunda parcela do imposto, respectivamente, também no dia 10.

Em 2020, os catarinenses estão pagando, em média, 2,4% a menos de IPVA do que no ano passado. O índice representa a desvalorização dos veículos em relação a 2019, de acordo com a tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), utilizada pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) como base de cálculo. Em Santa Catarina, o tributo varia entre 1% e 2% do valor venal do veículo.

Para pagar o IPVA 2020, clique aqui.

A quitação do imposto é um dos requisitos para licenciar o veículo. O não pagamento também implica em Notificação Fiscal, com multa de 50% do valor devido, mais juros Selic ao mês ou fração. Para saber qual o valor do IPVA do seu carro, acesse a tabela disponível aqui.

IPVA em Santa Catarina - Alíquotas vigentes

2% para veículos de passeio, utilitários e motor-casa, nacionais ou estrangeiros;

1% para veículos de duas ou três rodas e os de transporte de carga ou passageiros (coletivos), nacionais ou estrangeiros;

1% para veículos destinados à locação, de propriedade de locadoras de veículos ou por elas arrendados mediante contrato de arrendamento mercantil.

Alíquotas de IPVA em outros Estados

Rio Grande do Sul: 3%

Paraná: 3,5%,

São Paulo: 4%

Rio de Janeiro: 4%

Calendário de pagamento

FINAL DE PLACA

COTA ÚNICA

PARCELAMENTO-COTAS

     1ª

     2ª

    3ª

1

último dia do mês de janeiro

10.01

10.02

10.03

2

último dia do mês de fevereiro

10.02

10.03

10.04

3

último dia do mês de março

10.03

10.04

10.05

4

último dia do mês de abril

10.04

10.05

10.06

5

último dia do mês de maio

10.05

10.06

10.07

6

último dia do mês de junho

10.06

10.07

10.08

7

último dia do mês de julho

10.07

10.08

10.09

8

último dia do mês de agosto

10.08

10.09

10.10

9

último dia do mês de setembro

10.09

10.10

10.11

0

último dia do mês de outubro

10.10

10.11

10.12

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 99992-2089
Site: www.sef.sc.gov.br 
facebook.com/fazendasc
https://www.instagram.com/fazendasc


Foto: Renan Medeiros / Arquivo / Secom

O Governo de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), lançou nesta quarta-feira, 5, a edição de julho do Boletim de Indicadores Econômico-Fiscais de Santa Catarina. O estudo traz a retomada econômica que, aliada às estratégias de gestão durante a pandemia de Covid-19, trouxeram uma melhora na confiança dos empresários. Pela primeira vez, desde março, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEI-SC) indica otimismo do setor industrial.

Comércio

Entre os destaque no estado, o comércio em maio teve forte recuperação e com 22,1%, registrou o maior crescimento da série, se comparado com abril. No acumulado do ano, o varejo ampliado registra queda de 5,1%. Ainda assim, o comércio catarinense apresentou a maior taxa de crescimento do país nos últimos 12 meses, com 4,4%.

Índice de confiança do empresário

Em julho de 2020, a percepção dos empreendedores do comércio também teve expressiva melhora. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC/SC) entre junho e julho teve variação positiva de 13% e atingiu 68,9 pontos, e reverteu a tendência pessimista iniciada em abril.

Serviços

O setor de serviços, o maior da economia estadual e o que mais gera empregos, registrou três meses seguidos de queda no volume de receitas. Porém, em maio, o setor recuperou parte desta retração e apresentou o maior crescimento do país, com taxa de 6,4%.

Emprego

Os indicadores do mercado de trabalho também passaram a melhorar. Depois de três meses registrando mais demissões, a economia estadual abriu 3.721 novos postos formais em junho. O que constitui o melhor resultado da série histórica para o mês dos últimos sete anos, quase quatro vezes acima das 940 vagas geradas em 2019. No país, foram fechados 11 mil postos de emprego formal no último mês.

“A evolução dos indicadores apresentados nesse boletim, embora tenham evoluído positivamente, ainda não permitem uma comemoração, mas demostram que o pior, muito possivelmente, já tenha passado. Torna-se fundamental avaliar, daqui para frente, o ritmo de vendas no varejo, a evolução do mercado de trabalho, a evolução na oferta e demanda por crédito, bem como do nível de confiança dos empresários e consumidores”, pontua o economista da SDE, Paulo Zoldan.

Acesse aqui todos os detalhes do Boletim de Indicadores Econômico-Fiscais de Santa Catarina do mês de julho.

Mais informações para a imprensa:
Mariane Lidorio
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-4298 / 99601-1488
E-mail: mari@sde.sc.gov.br
Site: www.sde.sc.gov.br


Foto: Bruno Colaço / AgênciaAL

Durante reunião da Comissão de Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), realizada nesta quarta-feira, 5, o Governo do Estado apresentou um aplicativo para acompanhamento das emendas impositivas. A ferramenta está disponível em um link permanente no site da Fazenda.

"Trata-se de um marco para Santa Catarina, com redução de burocracia e transparência nos repasses do Estado aos municípios", enfatizou o secretário de Estado da Fazenda (SEF), Paulo Eli.

Neste biênio, o governo catarinense tem a previsão de repassar mais de R$ 491 milhões em emendas parlamentares, sendo que R$ 243 milhões são referentes a 2019 e R$ 248,8 milhões são deste ano. Em julho, o Poder Executivo beneficiou 245 municípios catarinenses com o pagamento total de R$ 70,4 milhões. “Antecipamos as emendas que seriam quitadas em dezembro para agosto, para não realizar o pagamento parcelado durante o período eleitoral”, explicou Eli.

A apresentação da ferramenta foi ministrada pela secretária adjunta da SEF, Michele Roncalio. “O Governo do Estado está cumprindo a portaria 198, publicada no Diário Oficial de ontem (terça), com a divulgação dos municípios beneficiados e os respectivos montantes a serem repassados pelo Estado a título do pagamento de emendas parlamentares impositivas. Todas as emendas parlamentares de 2020 estão catalogadas e disponíveis para acesso não apenas dos parlamentares, bem como, da sociedade”, salientou.

"A ferramenta permite que toda a população catarinense acompanhe datas e quais municípios estão recebendo os pagamentos”, complementou o chefe interino da Casa Civil, Juliano Chiodelli.

Emendas impositivas parlamentares

Segundo a Constituição Estadual, as emendas individuais de parlamentares são recursos do orçamento público, legalmente indicados por deputados ao projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA). Elas serão aprovadas no limite de 1% da receita corrente líquida prevista no projeto de lei encaminhado pelo Poder Executivo.

Tais emendas permitem que os deputados apontem a destinação de recursos sem a intervenção direta do Executivo. Em julho de 2020 a Alesc promulgou a Emenda Constitucional número 078/2020, transformando todas as emendas parlamentares impositivas destinadas à municípios em transferências especiais.

Informações adicionais à imprensa
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 99992-2089
Site: www.sef.sc.gov.br 
facebook.com/fazendasc
https://www.instagram.com/fazendasc


Fotos: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Santa Catarina encerrou o mês de julho com resultados positivos na arrecadação do Estado. De acordo com dados do Sistema de Administração Tributária (SAT), da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF), o crescimento foi de 8% em relação ao ano anterior, totalizando R$ 2,3 bilhões. O ICMS, principal tributo estadual, teve aumento de 9%, finalizando o mês com R$ 1,8 bilhão, R$ 200 milhões a mais que o mesmo período em 2019.

“Nosso Estado está reagindo à crise causada pela pandemia. Os indicadores mostram que há mais otimismo da indústria, o comércio está em forte recuperação e registramos um saldo positivo nos empregos formais e na abertura de empresas. Será mais um desafio que o povo catarinense irá vencer”, disse o governador do Estado, Carlos Moisés da Silva.

Segundo o secretário da SEF, Paulo Eli, mesmo com os impactos da pandemia, a arrecadação de julho foi positiva. “Registramos quedas acentuadas em abril e maio, em junho já havíamos observado um leve crescimento na arrecadação. Iremos continuar trabalhando para que todas as áreas recebam os recursos programados, em especial a Saúde”, pontuou Eli.

Entre os meses de março e junho, o Estado teve impacto negativo de 11,3% ao que era esperado para o período.

Outros indicadores positivos



Em relatório apresentado no fim de julho pelo IBGE, os índices mais recentes do setor de serviços, comércio, indústria e emprego demonstram evolução e crescimento em Santa Catarina acima da média nacional. No segmento de serviço, por exemplo, depois de três meses de queda, o volume de receitas no estado cresceu 6,4% em maio, representando o melhor desempenho do país. No Brasil, houve uma retração de 0,9% no mesmo período. Os dados fazem parte do último relatório apresentado pelo IBGE.

O comércio também teve forte recuperação em maio, de 22,1%, registrando então o maior crescimento da série, embora o setor ainda se encaminhe para atingir o nível pré-crise. Entre os fatores que contribuíram para essa recuperação está o trabalho responsável de retomada das atividades, a adoção de estratégias de e-commerce e tele-entregas, entre outras ações.

Os indicadores de confiança da indústria também apontam para a retomada. Com um índice de confiança do empresário no estado de 51,1 pontos em julho, Santa Catarina, pela primeira vez, desde março, tem números que indicam otimismo, ultrapassando os 50 pontos. Os dados são do Índice de Confiança do Empresário (ICEI), do Observatório Fiesc.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 99992-2089
Site: www.sef.sc.gov.br 
facebook.com/fazendasc
https://www.instagram.com/fazendasc


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Carlos Moisés participou na manhã desta terça-feira, 04, do ato de lançamento da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e), em São José, na Grande Florianópolis. O documento trará mais segurança, agilidade controle e simplificação ao processo de coleta de impostos em Santa Catarina.

Em um primeiro momento, 20 redes de lojas participarão do projeto experimental para a implementação da NFC-e. Durante o ato desta terça-feira, o governador adquiriu um produto e houve a emissão da primeira nota eletrônica do estado.

>> Mais fotos na galeria

Carlos Moisés destacou que a NFC-e era um pedido de sua administração ao setor fazendário do Estado e que a implementação trará mais justiça fiscal, evitando também a sonegação de impostos.

“Essa nota vai trazer a possibilidade de a Fazenda trabalhar com tecnologia e inovação. Ao mesmo tempo, vai facilitar a vida de quem empreende. Iniciamos um projeto piloto com 20 empresas, que terão mais facilidade para prestar as suas contas ao Fisco. A NFC-e também trará muitas pessoas à formalidade no futuro, diminuindo custos para a emissão dos cupons”, afirmou o governador durante o evento.

Na visão do secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, a mudança levará o Governo a um novo patamar de tecnologia. Ele conta que a Secretaria se transformará em uma plataforma digital de arrecadação de tributos.

“A NFC-e faz parte desse processo, que ajuda na formalização da economia. As notas fiscais serão emitidas em um sistema da Secretaria, permitindo um controle mais efetivo. Isso vai levar também a uma redução da possibilidade de sonegação”, destacou o secretário.

Futuramente, a Secretaria da Fazenda poderá montar um sistema de emissão de notas fiscais com premiação. Toda NFC-e terá um QR Code, o que poderá incentivar a criação de aplicativos nesse sentido.

Histórico e vantagens da NFC-e

O projeto de Implantação do uso da NFC-e começou em outubro de 2018, com a criação de um grupo de trabalho formado por auditores fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda de Santa Catarina. Após a definição do marco regulatório e aprovação junto ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), o Estado de Santa Catarina foi autorizado a adotar o uso deste Documento Fiscal Eletrônico.

A principal vantagem da NFC-e é sua emissão ser realizada por meio de Programa Aplicativo Fiscal, de forma autônoma, sem dependência direta do Equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF). Outro ponto positivo é que o uso da NFC-e simplificará o conjunto de obrigações acessórias relacionadas com a escrituração fiscal e contábil das empresas.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 


Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 99992-2089
Site: www.sef.sc.gov.br 
facebook.com/fazendasc
https://www.instagram.com/fazendasc


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Em agenda na cidade de Rio do Sul na tarde desta segunda-feira, 03, o governador Carlos Moisés anunciou investimentos que totalizam R$ 88,3 milhões para atender 36 municípios das regiões do Médio e Alto Vale do Itajaí. São repasses que atendem diversos setores, como infraestrutura, saúde, educação, saneamento básico e energia elétrica. 

O ato foi acompanhado por parte do colegiado de Governo, entre eles o secretário da Infraestrutura, os presidentes da Celesc e Casan e o chefe da Defesa Civil, além dos deputados estaduais Jerry Comper, Nilso Berlanda e Paulinha.

Segundo Carlos Moisés, o Governo tinha compromissos com a região do Alto Vale e está honrando todos eles. O Chefe do Executivo aponta que, considerando ações complementares do Executivo em andamento, o valor investido no Alto Vale chega a R$ 96 milhões.

“Somos um Governo de compromisso. Estamos honrando, inclusive, convênios anteriores. São investimentos como o da Casan, para trazer comodidade, e da Celesc, beneficiando famílias de produtores rurais. Todos os programas de Governo serão mantidos. Vamos honrar as emendas parlamentares, pagando quase R$ 500 milhões até o fim de 2020”, disse o governador.

O deputado estadual Jerry Comper agradeceu o governador pela sua terceira visita à cidade de Rio do Sul e por honrar os seus compromissos com o Alto Vale do Itajaí, mesmo aqueles assumidos pelo Governo do Estado em outras gestões.

“O Alto Vale precisa de um olhar diferenciado e da presença do governador. Vivemos um momento difícil. Obrigado ao Governo do Estado por tantos recursos destinados para a nossa região. Estaremos sempre ao lado dos nossos prefeitos. Junto com o Governo do Estado, procuramos fazer cada vez mais o melhor para as pessoas”, disse Comper

O deputado estadual Nilso Berlanda também destacou a presença do governador no Alto Vale e falou da retomada econômica pela qual atravessa o Estado. O parlamentar reforçou a importância dos valores destinados às prefeituras, para melhorar os serviços prestados à população. “A parte do Governo do Estado está sendo feita, que é redistribuir os impostos que são recolhidos. Esse é um momento muito importante para o Alto Vale”, disse.

Na opinião do prefeito de Rio do Sul, José Eduardo Thomé, a visita do governador foi importante para prestigiar os municípios do Alto Vale. Especificamente sobre os investimentos na cidade por parte da Casan e do BRDE, ele salientou a importância para o município. “São obras que levarão o desenvolvimento para vários bairros da cidade. Quem ganha com isso é a comunidade de Rio do Sul. Por isso, nos cabe aqui fazer o agradecimento ao governador Carlos Moisés e a sua equipe pela agilidade em todos esses convênios”

Visita ao Hospital Regional do Alto Vale

A agenda do governador Carlos Moisés incluiu ainda uma visita ao Hospital Regional do Alto Vale, onde o chefe do Executivo conheceu o espaço que recebeu 10 novos leitos de UTI exclusivos para o tratamento da Covid-19. Moisés disse que o hospital está muito bem organizado e que o Governo trabalha para uma ampliação ainda maior dos leitos de terapia intensiva na região do Vale do Itajaí.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br