Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Vigas de metal retiradas da Hercílio Luz serão usadas na construção de outras pontes

Oportunidades

Próximos eventos

Araranguá

Cirurgia inédita HRA
Foto: Divulgação/IMAS

 A inovação continua fazendo parte da rotina do Hospital Regional de Araranguá, sob a gestão do Instituto Maria Schmitt (IMAS). Um exemplo foi a realização da primeira Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica- CPRE na unidade hospitalar, que atenuou o sofrimento de um paciente que corria risco de morte.

Tal procedimento possibilitou a retirada de cálculo no canal biliar principal, que causava ao paciente infecção generalizada e icterícia (o amarelão), sob risco de morte caso não houvesse sua remoção. O procedimento é realizado - sem incisões cirúrgicas - em casos de cálculos impactados no canal biliar principal, evitando cirurgias convencionais com maior risco de complicações. Além disso, possui alta taxa de sucesso, promovendo uma recuperação bem mais rápida.

Segundo o presidente do IMAS, Dr. Robson Schmitt, o crédito é todo do corpo clínico. “A ideia foi do Dr. Julio Cechinel e com o apoio da Dra. Cíntia Scherer que acreditou na possibilidade de execução no Hospital Regional de Araranguá e então decidimos viabilizar. O mérito é todo deles e principalmente do Dr. Rafael Ostermann que realizou o procedimento de forma exemplar e em tempo recorde, ocorrendo tudo perfeitamente bem,” explicou.

Dr. Robson explica ainda que caso o paciente não tivesse sido submetido a este procedimento, o índice de mortalidade aumentaria em 10 vezes. “Diagnosticamos a necessidade desse procedimento ao meio dia, corremos atrás do equipamento e o procedimento iniciou às 23h e terminou às 00h30 de ontem, dia 27. Ficamos muito empolgados por conseguir realizar procedimentos tão complexos em tão pouco tempo atuando no HRA, é gratificante trabalhar com uma equipe tão dedicada, disposta e motivada,” finalizou.

Diante do alto custo, o procedimento só foi possível porque os equipamentos foram emprestados pelo Hospital Regional de São José, mas já estão sendo providenciados pela atual gestão do HRA.

Na opinião do médico Dr. Julio Cechinel, o procedimento foi um marco para o hospital e para as cidades da Amesc especialmente Araranguá, cujas filas cirúrgicas continuam diminuindo e logo toda região alcançará níveis excelentes para saúde pública.

De acordo com Dr. Rafael Ostermann, especialista em cirurgia do aparelho digestivo e endoscopia digestiva, a CPRE é uma das modalidades de endoscopia mais complexas que existem, e tem por objetivo tratar doenças que afetam os canais biliares, fígado e o pâncreas.

“Uma dessas doenças é a presença de cálculos que geralmente saem de dentro da vesícula biliar e se alojam no canal biliar principal, essa é uma condição infrequente mas que pode gerar complicações como por exemplo infecção nos canais biliares, levando os pacientes pra UTI e um dos tratamentos, talvez o principal deles, seja a retirada endoscópica desses cálculos do canal biliar principal, e foi exatamente isso que foi feito. O procedimento é feito sem cortes, não é um processo cirúrgico convencional, e foi fruto do esforço de clínicos, intensivistas, cirurgiões e equipe de enfermagem sendo realizado com êxito. O paciente está estável e por essa razão consideramos que foi um marco a realização desse tipo de procedimento, que nunca havia sido feito no HRA, ficamos muito felizes por estar a frente deste evento marcante para história do hospital e do IMAS,” explicou.

Informações:
Instituto Maria Schmitt

Informações adicionais para a imprensa
Leneza Della Krás
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá
E-mail: imprensa@aru.adr.sc.gov.br
Telefones: (48) 3529-0084 / 99183-1799
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrararangua
Facebook: www.facebook.com/regional.ararangua

Diante da intensidade do calor e das altas temperaturas registradas nesta época do ano, o que costuma ser um incômodo para quem espera por atendimento médico, o Instituto Maria Schmitt - IMAS se preocupou em investir na climatização do Hospital Regional de Araranguá. O primeiro ambiente a receber climatização foi o Pronto-Socorro, principalmente por ser o local que recebe maior fluxo de pessoas. O investimento foi planejado para proporcionar mais conforto aos funcionários, pacientes e seus acompanhantes, tornando o local mais agradável, acolhedor e  amenizando momentos que costumam ser marcados por apreensão e estresse.

O presidente do Instituto Maria Schmitt, Dr. Robson Schmitt, falou da importância da iniciativa. “Temos algumas necessidades básicas como o sono, a alimentação, a água e a respiração. Dessa forma, se não há o controle da temperatura em um ambiente, essa certamente irá prejudicar consideravelmente o bem-estar e a produtividade da pessoa. Quando a temperatura está elevada, há queda na pressão arterial e as pessoas ficam sonolentas, além de se abaterem mais facilmente. Nos preocupamos com este equilíbrio para melhor acolher nossa equipe e pacientes, trabalhamos com humanização”, ressaltou.

População reconhece investimento

Uma diferença sentida por quem precisa de carinho, atenção, cuidado e percebida por quem acompanha os pacientes. Seu Manoel Jair Cardoso acompanhava um paciente em atendimento e notou o conforto.

“Já estive aqui várias vezes como acompanhante, graças a Deus ainda não vim como paciente, sempre fomos bem atendidos mas quando ficávamos esperando era um desconforto e percebi que colocaram ar condicionado, tanto que agora estamos esperando aqui dentro, ficou muito bom. A climatização faz diferença.”

 De acordo a coordenadora do Pronto-Socorro, Daiane Polli, o ambiente necessitava com urgência de climatização. “Estávamos preocupados com a situação da recepção e espera do pronto-socorro. Por se tratar de um lugar muito quente, algumas pessoas já até passaram mal, alguns chegando a desmaiar. Desde que o IMAS iniciou a gestão planejamos este investimento para o conforto dos nossos pacientes, pois sabemos que eles estão em um momento de aflição e tentamos tornar o local um pouco mais agradável. Em breve será feita a pintura e também disponibilizaremos sinal wi-fi,” conta.

Informações

IMAS – Instituto Maria Schmitt

 

Climatização Pronto Socorro HRA

Foto: Divulgação/IMAS

captação de órgãos HRAFoto: Divulgação/IMAS 

As sutilezas na abordagem da família, as dificuldades em convencer a ceder partes de um parente querido, a urgência na retirada dos órgãos e a alegria de transformar a dor no renascimento de outras vidas. Todas essas são etapas reais no processo dramático e emocionante do mundo dos transplantes. Esse é o universo vivido todos os dias pela equipe que integra a Comissão Hospitalar de Transplantes-CHT do Hospital Regional de Araranguá, que comemorou na última terça-feira, 18, o sucesso na captação de fígado e rins na unidade hospitalar. 

Após novo treinamento da equipe e com suporte total da SC Transplantes, foi realizado o procedimento que durou algumas horas. Graças ao trabalho da Comissão Hospitalar de Transplantes, atualmente o HRA está habilitado a realizar a captação múltipla de órgãos. Há pelo menos 8 anos, o HRA já vinha realizando a captação de órgãos para transplante de córneas, no entanto, de fígado e rins ainda é uma novidade. A iniciativa ganhou apoio total do Instituto Maria Schmitt-IMAS, que atualmente administra o Hospital.

Segundo Daiane Polli, coordenadora do Pronto Socorro e da Comissão Hospitalar de Transplante CHT, qualquer hospital acima de 80 leitos precisa ter cadastro ativo na SC Transplantes, porém nem todos recebem incentivo da Administração para buscar especialização na área. “Recebemos apoio total do IMAS, por isso nos organizamos e iniciamos um treinamento interno na segunda-feira, na véspera da captação” explica.

Uma decisão que pode salvar muitas vidas

Você sabia que um único doador de órgãos é capaz de salvar ou melhorar a vida de mais de 20 pessoas? A doação de órgãos e tecidos pode ocorrer após a constatação de morte encefálica, que é a interrupção irreversível das funções cerebrais, ou em vida. No HRA uma pessoa pode salvar até oito vidas com a doação, os órgãos destinados a doação e captados pela equipe de explante são: coração, pulmão, rins, fígado, córnea e pâncreas.

Para constatação de morte encefálica são realizados dois testes clínicos por médicos diferentes, mais um teste de apneia e um teste gráfico com laudo de neurologista. Após os testes a equipe aborda os famíliares sobre o interesse de doação e mediante autorização é iniciado o protocolo junto com a SC Transplantes que faz a busca do receptor compatível no estado, ou no país, caso não haja ninguém na fila em Santa Catarina.

O processo é sigiloso e quem vai receber o órgão não é identificado. Não há contato entre doador e receptor. O procedimento de captação também não tem tempo definido devido a localização do receptor e o deslocamento da equipe que realiza o transplante.

O diretor geral do Hospital Regional de Araranguá, Rafael Bonfada diz que é gratificante apoiar iniciativas como esta que contribuem para salvar vidas e ao mesmo tempo desmistificar um assunto tão cercado pelo preconceito e a falta de informação.  “É gratificante e ao mesmo tempo emocionante, pois vivenciamos a generosidade das famílias doadoras e até mesmo a alegria delas em saber que apesar da perda estarão transformando e dando esperança a vida de outras pessoas.”

Já o presidente do IMAS, Robson Schmitt, falou sobre o momento ímpar e agradeceu o empenho da equipe e da plantonista Dra. Cintia Scherer, que teve grande agilidade no diagnóstico e início do protocolo. “Para nós, é motivo de orgulho poder participar desse processo de captação de órgãos visto que com essa estrutura de profissionais, conseguimos beneficiar muitas pessoas e  salvar vidas. Meus cumprimentos especiais à esta grande equipe que demonstra não apenas um conhecimento técnico elevado na área, mas um espírito de generosidade e compaixão ao próximo fazendo um trabalho tão importante e nobre” elogiou.

Ainda de acordo com o presidente, são iniciativas como esta que devem guiar o Hospital Regional de Araranguá a um futuro mais próspero em 2019.

Informações:
IMAS – Instituto Maria Schmitt 

captação de órgãos HRAFoto: Dovulgação/IMAS

Abertura colheita maracujá GaivotaFoto: Divulgação/Epagri

Com o ato simbólico em Balneário Gaivota, foi aberta a colheita do maracujá no Sul catarinense. O evento organizado pela Epagri e contou com mais de 70 agricultores que prestigiaram o ato. Além da abertura da colheita, também participaram de um dia de campo sobre a cultura do maracujazeiro.

De acordo com o gerente regional da Epagri de Araranguá, Reginaldo Ghellere, o evento marca um importante momento da região depois dos problemas enfrentados com a virose nos últimos anos. "Com a adoção de técnicas recomendadas pela Epagri, como a produção de mudas em ambientes protegidos, o transplante de mudas grandes e o vazio sanitário, conseguimos antecipar a colheita e manter a atividade rentável para mais de 700 famílias na região".

A abertura que foi realizada na propriedade de Protasio Matias, contou com a presença do prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva, que aproveitou para assinar o novo contrato com a Epagri para 2019.

Reginaldo Ghellere
Gerente Regional
Epagri/Gerência Regional de Araranguá
Contato: 48-35290303 ou 991485003

 

Abertura colheita maracujá Gaivota

Foto: Divulgação/Epagri

 

Abertura colheita maracujá Gaivota

Foto: Divulgação/Epagri

 

Abertura colheita maracujá Gaivota

Foto: Divulgação/Epagri

Inauguração da EEM Ana Machado Dal Toé 14 12

A construção do novo prédio escolar da EEM Ana Machado Dal Toé, em Morro Grande, escola da área da 21ª Gerência Regional de Educação, foi inaugurada na manhã desta sexta-feira, 14, pelo secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, acompanhado dos gerentes Regionais de Educação, Celina Hobold da Rosa e de infraestrutura, engenheiro Jocilon Coelho, do Prefeito Valdionir Rocha, demais lideranças, representatividades e comunidade escolar.

Foram investidos pelo Governo do Estado na construção do prédio, padrão MEC, R$ 8,8 milhões. A escola possui 225 alunos e uma área de 5.600 metros quadrados, dividida em quatro grandes blocos, que abrigam parte administrativa, pedagógica, 10 salas de aula, laboratórios de Artes, Química e Física, Matemática, Biologia, biblioteca, serviços de vivência e refeitório, auditório e ginásio de esportes.   

O secretário executivo da ADR Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, disse que com grande satisfação entrega oficialmente, em nome do Governo do Estado, a nova estrutura à comunidade escolar. “A concretização desta obra só foi possível graças a um esforço coletivo, envolvendo a disponibilidade do Governo do Estado, da Secretaria de Estado da Educação, dos técnicos da Secretaria Regional de Araranguá, da Administração de Morro Grande e da APP da Escola. Este é o resultado, uma estrutura moderna para atender toda comunidade escolar”.

A diretora Dolores Martins Bosa destaca que 225 alunos do ensino médio e fundamental foram beneficiados com a nova unidade escolar, moradores do Centro e das seguintes comunidades: São Bento, Nova Roma, Vila Pasini, Sanga das Pedras, Rio do Meio, Volta Redonda, Vila Nicolete, Santa Luzia, Santa Bárbara e São Mateus.

O prefeito de Morro Grande, Valdionir Rocha, disse que a entrega oficial da nova escola é um grande momento para o Município. “Este é um dia muito especial para Morro Grande. É uma linda e ampla estrutura, que trará mais qualidade de ensino aos alunos e condições de trabalho aos professores. Muitos outros Municípios gostariam de receber uma obra grandiosa como esta, fruto do trabalho e da dedicação de muitas pessoas”, disse.

Doação da antiga escola

Durante a solenidade, o secretário executivo da ADR Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, assinou o Termo de Permissão de Uso do Imóvel com 10.080 metros quadrados, na Rua Rui Barbosa, no centro, onde está edificada a antiga EEB Ana Machado Dal Toé (incluindo o ginásio de esportes), doando o imóvel do Estado para o Município.

Kit tecnológico

A EEM Ana Machado Dal Toé também foi contemplada com equipamentos que permitem uma aula mais moderna e atrativa aos estudantes. Ela recebeu um kit lousa digital, que já está em funcionamento e foi instalado em uma sala multimídia.

De acordo com a secretária de Estado da Educação, Simone Schramm, o kit custa cerca de R$ 29 mil e está sendo distribuído entre as escolas com melhor desempenho, e nas que atendem alunos na modalidade integral. Ao todo, serão investidos R$ 14 milhões na aquisição dos equipamentos, segundo a secretária, com as economias feitas pelo setor em 2018.

Inauguração da EEM Ana Machado Dal Toé 14 12

Foto: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

 

Inauguração da EEM Ana Machado Dal Toé 14 12

Foto: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

 

Inauguração da EEM Ana Machado Dal Toé 14 12

Foto: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

 

Inauguração EEM Ana Machado assinatura termo
Foto: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

Informações adicionais para a imprensa
Leneza Della Krás
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá
E-mail: imprensa@aru.adr.sc.gov.br
Telefones: (48) 3529-0084 / 99183-1799
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrararangua
Facebook: www.facebook.com/regional.ararangua

Subcategorias

Conecte-se