Encontre serviços e notícias do Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Novos alunos da Polícia Militar de Santa Catarina



Oportunidades


BANNER DEFICIENTES 01

Os participantes da 3° edição do Hackathon #Desenvolve SC iniciam o processo de imersão na busca por soluções nas áreas da Saúde e Educação a partir desta sexta-feira, 18. A maratona tecnológica, que segue até domingo, irá reunir cerca de 70 designers, profissionais de negócios e programadores na sede do Centro de Informática e Automação de Santa Catarina (Ciasc), no bairro Itacorubi, em Florianópolis. No local, haverá área de lazer para crianças e completa estrutura de alimentação, da Associação dos Food Trucks de Florianópolis, durante o fim de semana.

O objetivo do evento é trazer ações de inovação e tecnologia para aprimorar os processos do Governo do Estado. “A cada dia, as pessoas passam a utilizar mais ferramentas digitais e tecnológicas para facilitarem suas rotinas. E percebemos que também precisamos deixar o Estado mais acessível ao cidadão, facilitando o acesso aos serviços. Por isso, a maratona surge como uma oportunidade importante de transformação digital“, afirma o secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca.

Os gestores e técnicos de cada área apontaram os desafios em Saúde e Educação, para serem trabalhados durante a maratona. O foco é priorizar os serviços que têm maior potencial de impactar positivamente a vida das pessoas.

Programação da 3° edição do Hackathon #Desenvolve SC

Sexta-feira, 18
18h às 24h Recepção, palestra de abertura, formação de equipes
Local: Sede do Ciasc, na Rua Murilo Andriani, 327, no bairro Itacorubi, em Florianópolis 

Sábado, 19
8h às 23h Desenvolvimento das ações pelos participantes
11h às 22h Food trucks no local
Local: Sede do Ciasc, na Rua Murilo Andriani, 327, no bairro Itacorubi, em Florianópolis 

Domingo, 20
8h15 às 23h Mentorias finais, apresentação dos pitchs e divulgação dos vencedores
11h às 22h Food trucks no local
Local: Sede do Ciasc, na Rua Murilo Andriani, 327, no bairro Itacorubi, em Florianópolis 

Atendimento à imprensa
Profissionais da imprensa interessados em cobrir o evento poderão comparecer no local a qualquer hora e fazer contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Administração.

Informações adicionais para imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Administração - SEA
E-mail: comunicacao@sea.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-1636 /(48) 99105-4085
http://www.sea.sc.gov.br 


Fotos: Olavo Moraes/Imetro

Um posto de combustível em Blumenau foi flagrado nesta quinta-feira, 17, fraudando o abastecimento em uma bomba. Em uma medida de 20 litros, foi detectado 730 ml a menos — padrão 12 vezes maior do que o tolerado por lei, de 60 ml. A irregularidade foi conferida pelo Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro), em uma operação que percorreu quatro postos na cidade. 

“Neste caso será instaurado processo administrativo no Imetro, com multa que pode chegar até R$ 1,5 milhão”, alerta Rudinei Floriano, presidente do Instituto de Metrologia de Santa Catarina. 

Se a fraude por utilização de dispositivo para obter vantagem no preço for constatada em todas as instâncias do processo, o estabelecimento poderá ser fechado por cinco anos. A nova lei estadual nº 17.760, sancionada pelo governador Carlos Moisés em julho de 2019, também impede o dono do posto de abrir novas empresas no mesmo ramo durante o período equivalente, punição estendida aos sócios e administradores do estabelecimento.

“É uma lei importante, que vem fortalecer a fiscalização para combater as fraudes e impedir que o consumidor seja lesado nos postos de combustíveis de todo o Estado”, destaca Floriano.

O Imetro em Santa Catarina é vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável. Para o secretário da pasta, Lucas Esmeraldino, o Instituto vem garantir à população um produto final dentro das normas.  “O Imetro atua em várias frentes no estado e em sinergia com vários órgãos, tendo como missão fortalecer e assegurar a segurança dos produtos comercializados, aumentando a produtividade e a qualidade dos produtos e serviços em Santa Catarina”.

A operação do Imetro contou com a participação da equipe do delegado Lucas Almeida, da 2° Delegacia de Polícia de Blumenau e apoio da DIC e 1° DP, além da da Agência Nacional do Petróleo e da Secretaria de Estado da Fazenda.

Mais informações para imprensa:
Olavo Moraes 
Assessoria de Comunicação
Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro)
(48) 3381-5248 / 9-9960-8906
olavo@imetro.sc.gov.br 


Foto: Krislei Oechsler / SEA

A partir desta quarta-feira, 16, empresas interessadas em fornecer produtos e serviços ao Estado poderão fazer o cadastro para participar de licitações de maneira online. Os procedimentos passarão a ser feitos no Portal de Compras, o que evita gastos com impressões, despachos físicos de documentos e deslocamentos. A estimativa é que o Certificado de Cadastro de Fornecedores (CCF) seja emitido em até 48 horas. Antes, o processo poderia levar 15 dias. 

”Com isso ampliamos também a possibilidade de participação de mais empresas nos processos de pregão, fomentando a economia catarinense e aumentando a concorrência entre as empresas participantes, o que resulta diretamente em mais economia para o estado”, explica o secretário da Administração, Jorge Eduardo Tasca.

Como Funciona

Os interessados em fornecer produtos e serviços ao estado precisam de um Certificado de Cadastro de Fornecedores (CCF), que é emitido pela Secretaria de Estado da Administração, homologando a participação nos processos de licitação.

De acordo a diretora de Gestão de Licitações e Contratos da SEA, Karen Bayestorff, para receber este certificado, os interessados devem comprovar uma série de requisitos, de acordo com a legislação vigente. “A diferença está na forma de como o fornecedor irá apresentar estes documentos. Antes, eles precisavam se deslocar até o Centro da Capital ou encaminhar via Correios as certidões necessárias à efetivação do cadastro ou atualização documental. Agora, basta anexar ao cadastro online os documentos solicitados e aguardar a análise do setor responsável”.

Mais opções para o estado 

Karen acredita que pode haver aumento na participação de empresas nos processos licitatórios, o que irá impactar positivamente nos cofres públicos. Na modalidade de pregão, por exemplo, a competitividade entre as empresas resulta na melhor oferta para o estado, seja baixando o preço dos produtos a serem comprados, seja melhorando a oferta de serviços. “Por isso, apostamos em facilitar a vida dos empresários, desburocratizando o acesso às licitações e favorecendo a demanda de interessados em participar dos certames”, disse.

Para requerer o Certificado, o interessado deve entrar no Portal de Compras de SC e clicar no ícone Cadastro online. Ao iniciar o novo cadastro é importante ter em mãos as principais informações da empresa, como endereço e dados bancários, além da documentação exigida para anexar ao processo.

Informações adicionais para imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Administração - SEA
E-mail: comunicacao@sea.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-1636 /(48) 99105-4085
http://www.sea.sc.gov.br 

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) divulgou na noite desta quarta-feira, 16, o resultado da etapa de Avaliação do Prêmio Catarinense de Cinema 2019. O prazo para entrega da Documentação Complementar das propostas selecionadas começa nesta quinta-feira, 17, e vai até as 23h59 do dia 24 de outubro, na plataforma de inscrições.

:: Confira o resultado da etapa de Avaliação

O resultado da etapa de Documentação Complementar será divulgado no dia 31 de outubro de 2019.

Sobre o Prêmio

A edição de 2019 do Prêmio Catarinense de Cinema terá um valor recorde distribuído a projetos em 26 categorias. O Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), e o Governo Federal, por meio do Fundo Setorial do Audiovisual(FSA)/Agência Nacional do Cinema (Ancine) disponibilizarão recursos na ordem de R$ 19,2 milhões para o setor audiovisual catarinense.

Informações adicionais para imprensa
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br


Eduardo Machado Batista é um dos participantes do curso - Foto: Júlio Cavalheiro/Secom

Sem uma fonte estável de renda para ele e a esposa, Eduardo Machado Batista mora nas ruas de Florianópolis. Com a chegada do verão, vislumbrou uma oportunidade para se inserir no mercado de trabalho: o aumento da procura por mão de obra para a maricultura. Nesta semana, ele e mais 11 pessoas participam de uma capacitação oferecida gratuitamente pela Epagri e pela Associação de Maricultores do Sul da Ilha (Amasi),  voltada para pessoas em situação de rua, selecionadas pela Prefeitura de Florianópolis, e que oferece conteúdo teórico e prático para o trabalho no cultivo de ostras e mariscos.

:: Veja mais fotos na galeria

As aulas ocorrem na Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP), na passarela Nego Quirido e vão até sexta-feira, 18. Nos últimos dois dias, os alunos terão uma aula no Ribeirão da Ilha, para conferir de perto como funciona a maricultura, e receberão ajuda para elaborar um currículo. 

"Eu quero conseguir um trabalho para ter uma renda, e trabalhar com os mariscos é algo que quero fazer. Estou aprendendo ligeiro", relata Batista.

No espaço utilizado como sala de aula, é possível perceber o empenho dos alunos. Eles ajudam uns aos outros, questionam os instrutores e se mostram otimistas quanto à possibilidade de conseguir trabalho nas próximas semanas.

Aumento na oferta de vagas

De acordo com o extensionista da Epagri em Florianópolis, Philipe Medeiros da Costa,  existe um acréscimo sazonal da demanda por para auxiliares de maricultura no verão. Nesse período, muitos profissionais da área buscam ocupação no turismo, abrindo oportunidades no cultivo de ostras e mexilhões.

"Eles são muito interessados, até na aula teórica demonstram curiosidade e vontade de aprender. Aqui eles ficam sabendo sobre as características da aquicultura marinha em Santa Catarina, quais espécies são cultivadas, como fazer o manejo para ter maior produtividade. O curso também contempla a parte prática, com montagem de long-line, de coletor de mexilhões e sementes, manutenção de lanternas, entre outras atividades", explica Philipe.

Santa Catarina é responsável por quase toda a produção nacional de mexilhões, ostras e vieiras. De acordo com os dados do Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca (Epagri/Cedap), o estado produziu mais de 14 mil toneladas desses moluscos em 2018. Florianópolis participa com uma produção de aproximadamente três toneladas.

Conforme a presidente da Amasi, Tatiana da Gama Cunha, além de dar perspectivas para as pessoas em situação de rua, a capacitação cumpre um papel importante para a produção em um momento de necessidade de mão de obra. "O interessante é que o produtor pode contratar pessoas que já tenham noção do manejo, porque não é possível parar o trabalho para ensinar alguém. Um trabalhador que tem algum conhecimento passa a ter a preferência na contratação", detalha Tatiana.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Página 78 de 662

Conecte-se