Encontre serviços e notícias do Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Verão SC: Programa Praia Acessível



Oportunidades


BANNER DEFICIENTES 01


Fotos: Comissão de Leilão do Detran / Divulgação

A Comissão Estadual de Leilão do Detran realizou entre os dias 2 e 5 de maio a maior ação contínua de prensagem de veículos judiciais de Santa Catarina, incluindo quatro municípios – São José, Tijucas, Garopaba e Canelinha. Foram compactados 824 veículos, entre carros e motos, gerando 226,8 toneladas, totalizando R$ 43 mil. Um final ecologicamente correto para esses veículos que estavam há anos nos pátios das delegacias e que agora serão reutilizados como matéria-prima para a indústria siderúrgica.

Um a um, os carros foram colocados dentro do compartimento de amassamento. Após alguns segundos se transformaram em um pacote de 1,5m por 1,8m, e 700 quilos, aproximadamente. As motos foram agrupadas de 3 a 5 unidades. Após esse processo, o material compactado segue para o Rio Grande do Sul onde será reciclado.

Os prefeitos de Tijucas, Eloi Rocha, e o de Canelinha, Moacir Montibeler, estiveram nos pátios das delegacias para conhecer o trabalho de prensagem. Eles agradeceram a e parabenizaram a Comissão de Leilão pela iniciativa, que vem atender a uma reivindicação antiga dos moradores.



“Esse é um trabalho louvável. Há tempos a gente convivia com esse problema sem encontrar uma solução. Hoje nos deparamos com um espaço limpo. Toda a equipe está de parabéns. Esse projeto deve ser levado para todo o Rstado”, frisou o prefeito de Canelinha.

O delegado Adalberto Safanelli, coordenador dos ferrosos e integrante da Comissão de Leilão disse que é gratificante finalizar o trabalho com êxito, constatar a limpeza do espaço público e receber o agradecimento da população. “O trabalho foi árduo e desafiador. Encontramos um montante de veículos amontoados e empilhados nos pátios. Contamos com o auxílio das prefeituras e dos órgãos governamentais locais que disponibilizaram maquinários e profissionais para nos auxiliar. O esforço conjunto de todos foi crucial para o sucesso de mais essa operação”, ressaltou Safanelli.

Informações adicionais para a imprensa:
Janaina Guliato
Comissão Estadual Leilão - Detran/SC
Fone: (48) 3381-2108





Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

A instituição de ensino superior mais antiga de Santa Catarina, a Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac) - fundada em julho de 1959 -  recebeu um novo prédio que vai abrigar seis diferentes cursos para cerca de 700 alunos. A entrega foi oficializada, durante solenidade, pelo governador Raimundo Colombo, na noite desta quinta-feira, 4 de maio, no campus da universidade, em Lages, na Serra Catarinense. O governador afirmou o compromisso para a construção do complexo esportivo no valor de R$ 4 milhões onde o Governo do Estado ajudaria com R$ 2 milhões. A estrutura vai contar com ginásio esportivo e academia.

“Esse novo prédio vai desenvolver um potencial enorme porque são cursos especializados de engenharia. Isso faz com que o capital social da cidade se amplie significativamente, além de abrir um espaço de oportunidade qualificada para os jovens da nossa região e atrair de outras”, disse Colombo.

A nova estrutura, que recebeu investimento do Governo do Estado de R$ 12,5 milhões, vai abrigar o Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CCET), com os cursos de Engenharia de Produção, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Arquitetura e Design de Interiores. O prédio de 6,5 mil metros quadrados conta com mais de 50 salas de aula, laboratórios e auditório para 255 pessoas sentadas.

“O polo educacional se fortalece muito, porque são cursos estratégicos que vão ter impacto no desenvolvimento econômico, também forte para nossa região. Passa a agregar um portfólio bem mais ampliado de oferta e qualificação das pessoas da nossa região”, concluiu o governador.

Para o prefeito de Lages, Antonio Ceron, a Uniplac vem ao longo de sua história, cumprindo uma missão muito importante. “Temos a certeza que com este avanço na sua estrutura a instituição ainda tem muito a ajudar a escrever uma história de crescimento, uma história de bem estar”.

A Uniplac é uma Instituição pública de direito privado. Sua história se iniciou em 1959 com a criação da Associação Catarinense de Cultura (ACC). Se tornou reconhecida como universidade em 1999, embora oferecesse cursos superiores há mais 30 anos. Oferece cursos de graduação, como medicina, engenharia civil, fisioterapia, engenharia elétrica, administração, direito, biomedicina, terapia ocupacional, odontologia entre outros. Além de cursos de pós-graduação latu-sensu e stricto-sensu.

“Por ser a mais antiga, a Uniplac é referência por sua história, pela qualidade do ensino e pelas atividades de pesquisa e extensão junto à comunidade. Hoje tem cerca de 4 mil alunos em 28 cursos de graduação, além de especializações e mestrados”, destacou o reitor da Uniplac, Luiz Carlos Pfleger.

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Florianópolis - Reunião sobre projetos de lei da Região Metropolitana da Grande Florianópolis e parcerias público-privadasFoto: Maiara Gonçalves/SCC

Reunião realizada na Secretaria da Casa Civil, nesta quinta-feira, 4, discutiu o encaminhamento dos projetos de lei enviados pelo Governo do Estado à Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) a respeito de alterações na Superintendência da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf) e dos programas de parcerias público-privadas (PPPs). O secretário Nelson Serpa solicitou ao líder do Governo na Alesc, deputado Darci de Matos, agilidade na tramitação das matérias consideradas importantes para as ações governamentais.

“O Governo de Santa Catarina precisa adequar a legislação que instituiu a Região Metropolitana da Grande Florianópolis em 2014 ao Estatuto da Metrópole, sancionado pela União em 2015. Essa modernização da Suderf é fundamental para que se concretizem as ações necessárias na região metropolitana, como, por exemplo, a viabilização do processo de licitação do sistema de transporte público da Grande Florianópolis”, explicou o secretário Serpa.

O chefe da Casa Civil ressaltou que projetos de lei para instituir regiões metropolitanas em outras áreas do Estado serão encaminhados ao Parlamento catarinense após a efetiva implementação das ações da Região Metropolitana da Grande Florianópolis. “Precisamos fortalecer a região da Grande Florianópolis e implantar ações especialmente nas áreas da mobilidade urbana e do saneamento básico. Com resultados satisfatórios nessa primeira região, será possível avançarmos para as demais áreas de Santa Catarina que também apresentam características de região metropolitana”, avaliou Serpa.

O secretário do Planejamento, Murilo Flores, o superintendente da Suderf, Cássio Taniguchi, e o deputado estadual Jean Kuhlmann, relator do projeto de lei na Alesc, participaram do encontro.

Parcerias público-privadas

Outros dois projetos de lei de origem do Poder Executivo, em tramitação em regime de urgência na Alesc desde o final do ano de 2015, foram abordados na reunião realizada na Casa Civil nesta quinta-feira. O primeiro deles é o que institui o marco regulatório dos programas de parcerias público-privadas (PPPs). O segundo estabelece o fundo garantidor dessas parcerias. Da mesma forma como o projeto da Suderf, os projetos que envolvem PPPs têm o objetivo de adequar a legislação catarinense à lei federal que trata do tema.

De acordo com o secretário Nelson Serpa, a votação das matérias é fundamental para o Governo do Estado. “Sem a aprovação desses projetos de lei, não se resolve situações como, por exemplo, a modelagem da gestão do Centro de Eventos de Canasvieiras e o de Balneário Camboriú, que está em construção”, afirmou. Em relação ao fundo garantidor das PPPs, o chefe da Casa Civil observou que a falta dessa garantia inviabiliza as parcerias na medida em que não se demonstra segurança jurídica e financeira para atração de empreendedores da iniciativa privada.

 

Informações adicionais para a imprensa:
Maiara Gonçalves
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Casa Civil de Santa Catarina
comunicacao@casacivil.sc.gov.br
(48) 3665-2005 / 9 8843-3497

Florianópolis - Exposição recebe obras de xilogravura e serigrafia no CIC
Serigrafia Costa da Lagoa, de Ivan de Sá, é uma das obras que estará na exposição

Brilhantes, opacas, difusas. Transparentes. Em alto e baixo relevo. Sutis com tom de aquarela, intensas como a tinta a óleo. Essas são algumas das possibilidades da serigrafia exploradas por Marta Dischinger e Ivan de Sá na exposição que ficará aberta à visitação de 10 de maio a 2 de junho no Espaço das Oficinas de Arte do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis.

Para Ivan de Sá, a serigrafia é arte e ofício. Formado pelo Senai em artes gráficas, já foi professor de serigrafia no CIC e na Universidade Federal de Santa Catarina. É artista visual, gravurista, e trabalha também cinema. Em suas obras escolhidas para a exposição, há imagens da Costa da Lagoa e de dunas, gravadas com cinco e seis cores.

Marta é arquiteta com doutorado pela Chalmers University of Technology, Suécia. É professora de Arquitetura. Como artista, trabalha principalmente com a xilogravura, litografia e gravura em metal. Está experimentando pela primeira vez a serigrafia, reinventado algumas de seus trabalhos anteriores e criando novas composições, como um pôr-do-sol e de cardos, espécie de plantas.

Serviço:

O quê: Exposição de serigrafias e xilogravuras de Ivan de Sá e Marta Dischinger
Abertura: 09/05/2017, às 19h
Visitação: de 10/05 a 02/06/2017 – de terça-feira a domingo, das 10h às 21h.
Onde: Espaço das Oficinas do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis (SC)
Informações: (48) 3664-2639
Entrada gratuita

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: Arquivo Corpo de Bombeiros

Considerando todos os incêndios em edificações registrados no ano passado em Santa Catarina, os prejuízos causados pelo fogo somaram R$ 86.756.903 (oitenta e seis milhões, setecentos e cinquenta e seis mil e novecentos e três reais), de acordo com levantamento feito pela Divisão de Perícias em Incêndios e Explosões do Corpo de Bombeiros Militar. Por outro lado, a boa notícia é que o montante salvo somou quase o triplo dos valores dos patrimônios que foram consumidos pelas chamas. Com as rápidas ações de combate a incêndios, o Corpo de Bombeiros Militar salvou valores que chegam a R$ 302.535.767 (trezentos e dois milhões, quinhentos e trinta e cinco mil e setecentos e sessenta e sete reais), em patrimônios dos catarinenses.

Apesar da complexidade dos números, o cálculo é bem simples de ser explicado. De acordo com o Major Deivid Nivaldo Vidal, chefe da Divisão de Perícias em Incêndios e Explosões do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, ao ser realizada uma perícia de incêndio, os peritos apontam os valores de mercado aproximados dos imóveis, equipamentos e mobiliário atingidos. Depois, eles calculam a área consumida pelas chamas e as cotas que foram salvas graças às intervenções dos bombeiros. Assim, é possível estimar a diferença dos prejuízos trazidos pelo fogo e o valor do que pode efetivamente ser salvo. “Os dados se referem somente aos sinistros que foram periciados. Se fizermos uma estimativa dos casos não periciados, certamente, o montante salvo chegaria a R$1 bilhão”, conclui.

Outra informação interessante é com relação ao número de perícias que vem aumentando graças a intensificação das especializações dos profissionais que atuam no setor. Com a formação de bombeiros em especialização em perícias, foi possível direcionar melhor os profissionais capacitados para atender todo o estado. Para se ter uma ideia, de 2015 para 2016, os percentuais de eventos periciados aumentaram em cerca de 15%. O desafio é chegar a 100% de perícias de incêndio em Santa Catarina. Em muitos casos, este trabalho ocorre em parceria com os diversos núcleos do Instituto Geral de Perícias (IGP) no estado.

Informações adicionais para a imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa 
Corpo de Bombeiros Militares de Santa Catarina - CBMSC
E-mail: ccs@cbm.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-9614 / 98843-4427
Site: www.cbm.sc.gov.br

Página 651 de 668

Conecte-se