Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Conheça o novo RG disponível em Santa Catarina

Oportunidades

Próximos eventos


Edição de 2018 em Itajaí - Foto: Pedro Martinez / The Ocean Race

Itajaí será a única parada da América Latina da maior regata de volta ao mundo, a The Ocean Race. A competição deve chegar à cidade no primeiro semestre de 2022 e é a quarta quarta vez consecutiva que ela passa pelo município catarinense. O anúncio oficial foi feito nesta quarta-feira, 16, em coletiva de imprensa, que reuniu a presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), Flavia Didomenico, o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni e o presidente da Amfri, Fabricio Oliveira.

A expectativa é repetir o sucesso de público de edições anteriores, que registrou mais de 440 mil pessoas na Vila da Regata só em 2018.

“É fantástico voltar a Itajaí após três paradas bem-sucedidas nas edições anteriores”, afirma Richard Brisius, presidente da The Ocean Race. “Em 2018, ver a resposta da torcida local à velejadora Martine Grael foi um lembrete poderoso do que esse esporte significa para nossos fãs no Brasil”.

Esta será a 11ª vez que o Brasil recebe os barcos da regata, que chega em sua 14ª edição. O município catarinense venceu a disputa com São Sebastião (SP).

“O anúncio é uma conquista suada, não foi fácil chegar até aqui. Quero parabenizar Itajaí e dizer que o Governo do Estado está comprometido com o evento. Sabemos do retorno financeiro da The Ocean Race para Santa Catarina, mas também dos benefícios sociais, ambientais e no desenvolvimento econômico - afirma a presidente Santur, Flavia Didomenico.


Foto: Saul Oliveira / Santur 

O prefeito de Itajaí conta que pesaram a favor da cidade o sucesso das últimas três paradas realizadas em 2012, 2015 e 2018, além do carinho do povo itajaiense com os velejadores e a organização da etapa, considerada a mais difícil da competição.

“ É uma alegria e um orgulho para nossa cidade receber novamente a The Ocean Race. Isso consolida Itajaí como Polo Náutico do Brasil, fortalecendo a economia do mar e o turismo de toda região. Além disso, é um evento que leva o nome de Santa Catarina e do Brasil para o pódio mundial”, ressalta Morastoni. 

Novidades

Uma das novidades da edição 2021-2022 é o maior envolvimento do Governo do Estado na organização do evento. Desta vez, a parada carregará o nome do estado e passa a se chamar Santa Catarina Itajaí Host City. A divulgação do Estado como destino turístico também será reforçada durante a regata, além de outras contrapartidas ambientais e esportiva.

Impactos econômicos

A última edição da The Ocean Race, nova identidade da Volvo Ocean Race, teve mais de R$ 83 milhões de impacto econômico em Santa Catarina – 28% a mais do que a parada de 2015. Ao todo, 75% desse montante ficou em Itajaí e região. O governo estadual arrecadou mais de R$ 5 milhões em impostos.


Edição 2018 em Itajaí - Foto: Divulgação / The Ocean Race 

O setor hoteleiro do município foi o maior impactado, lucrando em torno de R$ 5 milhões com a disputa. A vinda da regata internacional também fez com que a rede hoteleira de Itajaí triplicasse o número de leitos para atendimento aos visitantes.

“Os benefícios desse evento vão além do turismo, por isso trabalhamos para trazê-lo de volta a Itajaí. A cada parada conseguimos evoluir na organização e tenho certeza que entregaremos uma edição ainda melhor que a última”, comenta o secretário de Turismo e Eventos de Itajaí e presidente da Itajaí Stopover em 2018, Evandro Neiva.

Duas classes de barcos

A edição 2021-2022 da The Ocean Race terá duas classes de barcos pela primeira vez em 25 anos. A novidade é a classe IMOCA 60, menor e de alto rendimento, que disputa o troféu The Ocean Race. Os monotipos VO65, que competiram nas últimas edições, continuam, mas agora lutarão pelo troféu Ocean Challenge. O resultado disso será uma regata mais rápida, mais extrema e mais difícil de ganhar.

A largada da maior regata de volta ao mundo será em Alicante, na Espanha, no segundo semestre de 2021. A chegada dos barcos ocorrerá em Gênova, na Itália, em junho de 2022, após nove paradas. As cidades já confirmadas são: Alicante, Aarhus (Dinamarca), Haia (Holanda), Mindelo/Ilha de São Vicente (Cabo Verde), Gênova e Itajaí.

Texto: Com informações de Itajaí e da Amfri

Informações adicionais para a imprensa:
Renan Koerich
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina - Santur
E-mail: renan@santur.sc.gov.br
Fone: (48) 3665- 7480​ / (48) 9-9959-8096
Site: www.turismo.sc.gov.br 





A quinta edição da reunião do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), encontro que reúne em Florianópolis, nos dias 18 e 19 de outubro, governadores dos sete estados destas duas regiões, terá como tema uma gestão pública digital e mais simples. Para debater o assunto, o evento traz dois convidados: o diretor federal de Desburocratização do Ministério da Economia, Geanluca Lorenzon, e o secretário especial de Modernização do Estado na Secretaria Geral da Presidência da República, José Ricardo da Veiga. 

As palestras fazem parte da sessão plenária, que ocorre no Costão do Santinho Resort na manhã de sábado, 19. Lorenzon falará sobre a Lei de Liberdade Econômica, os próximos passos do Governo Federal na desburocratização e o papel dos Estados nesse contexto. Veiga vai abordar as oportunidades de sinergia entre governo federal e os governos estaduais com a transformação digital na modernização do Estado Brasileiro.

“Em Santa Catarina estamos trabalhando para desburocratizar processos, torná-los mais ágeis e acessíveis à população. Um exemplo é o Governo Sem Papel, que já gerou uma economia de R$ 17 milhões em seis meses aos cofres públicos, além de agilizar os processos internos. O evento será um momento de dividir as boas experiências e aprender com os outros estados”, destaca o governador Carlos Moisés.

“O desafio dos governos é estar mais disponível às pessoas e facilitar as entregas de serviços. Nesse sentido, o encontro será uma oportunidade ímpar para compartilhar as iniciativas em inovação e tecnologia entre os estados do Sul e Sudeste”, reforça o secretário da Administração, Jorge Eduardo Tasca.

O encontro é voltado a secretários e gestores dos governos estaduais. A sessão plenária começa às 8h, com as boas-vindas do governador catarinense. Já na sexta-feira, 18, haverá a discussão de 14 grupos de trabalho, de diferentes áreas de governo.

Leia mais: Governadores do Sul e Sudeste reúnem-se em Florianópolis para debater temas nacionais relevantes

A expectativa do chefe da Casa Civil de Santa Catarina, Douglas Borba, é de um encontro  que traga avanços nos debates. “Teremos a participação de mais de 200 agentes públicos do primeiro escalão, dos sete estados do Sul e do Sudeste. Resultados serão apresentados, fruto do amadurecimento dos grupos de trabalhos das quatro edições anteriores”, ressalta.

Além de Carlos Moisés, está confirmada a presença dos governadores Eduardo Leite (RS), Carlos Massa Ratinho Júnior (PR), João Doria (SP), Wilson Witzel (RJ), Romeu Zema (MG) e Renato Casagrande (ES). 

Cobertura 

Profissionais interessados em acompanhar a plenária do evento e a entrevista coletiva que ocorrem no sábado, 19, têm até sexta-feira, às 12h, para realizar a inscrição pelo site, na área Sala de Imprensa.

A abertura oficial será transmitida ao vivo. A Secretaria Executiva de Comunicação (Secom) fará a cobertura do evento e textos, áudios, fotos e vídeos estarão disponíveis aos veículos no site. Uma entrevista coletiva com os governadores está marcada para as 11h45min de sábado, após a leitura da Carta de Florianópolis.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
Site: www.sc.gov.br

Os testes com ferramentas de cruzamento de dados começaram há quatro meses e os primeiros resultados já foram registrados pelo Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (Iprev). Com a utilização do Power Bi, o controle dos parcelamentos em folha, por exemplo, que antes era feito em um dia, agora leva uma hora. Também foram identificadas inconsistências nos recolhimentos de contribuição de pensionistas no valor de R$ 341.815,33 em um período de uma semana. 

“Antes esse trabalho era feito manualmente, analisando a folha de cada uma dos 11 mil pensionistas. É um grande avanço! Com estas ferramentas podemos desenvolver 'mapas' específicos de controle dos pagamentos e recolhimentos do Iprev, não mais sendo necessária a busca de informações, restritas aos menus do Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos, o SIGRH. Ganhamos tempo e independência nas nossas ações”, afirma Jean Braun, auditor de Previdência.

No futuro, os mapas poderão ser aplicados periodicamente à folha como robôs. Dependendo da programação aplicada, possibilitará a identificação imediata das inconsistências, comunicação aos responsáveis pelo procedimento inconsistente, bem como controle das medidas aplicadas para a resolução do problema.

Além de fazer o levantamento de inconsistências na arrecadação previdenciária dos servidores inativos, pensionistas e serventuários da justiça, o principal trabalho da Coordenadoria de Auditoria e Fiscalização foi regularizar a cobrança de contribuições nos casos em que o servidor esteve afastado sem remuneração em virtude de licença, mandato eletivo e à disposição.

Desde o começo do ano, foram emitidos diversos tipos de notificações envolvendo contribuições não recolhidas e benefícios previdenciários indevidos. A partir dos dados, o Instituto de Previdência de Santa Catarina está habilitado a reaver o montante de R$15.680.225,64 – 41,33% a mais que no ano passado.

NOTIFICAÇÕES EMITIDAS:

-  2017 – R$ 10.189.135,96
-  2018 – R$ 11.094.496,34
-  2019 (até 09/2019) – R$15.680.225,64

“Como minha atuação e a experiência de mais de 20 anos na área, não poderia deixar de tomar as iniciativas necessárias ao fortalecimento de uma das atividades mais importantes do Iprev. São muitas inconsistências decorrentes de erros de interpretação e ausência de “regras de negócio” nos sistemas corporativos, que permitem a inserção indevida de dados e falhas na migração. Essa iniciativa é decorrente de inúmeras inconsistências verificadas pontualmente em alguns processos e está alinhada aos objetivos do programa Pró-Gestão, idealizado pela Secretaria de Previdência do Ministério da Economia” diz o presidente do Iprev, Kliwer Schmitt.

Informações adicionais à imprensa: 
Assessoria: Mariana Paniz
Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina - Iprev
(48) 3665.4600
comunicacao@iprev.sc.gov.br
www.sc.gov.br 



 Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

O surgimento de novos produtos e o aumento da competitividade da indústria catarinense estão entre os objetivos do Programa de Apoio à Inovação Tecnológica, o Tecnova II, lançado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep). Para tal, serão investidos R$ 7,5 milhões para subsidiar os projetos aprovados no edital.

Santa Catarina foi o primeiro a lançar o Tecnova II. “O Estado é exemplo para o país, lugar onde a gente lança os programas e os programas dão êxito, resultado para o país. Isso porque os empreendedores entendem a importância que é receber essa subvenção”, afirma o gerente da Finep, Marcelo Camargo.

“A inovação é um dos motores da competitividade das empresas, que gera desenvolvimento econômico do nosso Estado e que vem se consolidando como referência tecnológica. O Governo catarinense incentiva programas como o Tecnova, que vem trazendo resultados, inspirando pessoas e trazendo novas soluções para os problemas da sociedade”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Lucas Esmeraldino.

O secretário-adjunto da pasta, Amândio João da Silva Junior, ressalta a relação cada vez mais próxima do Governo com o ecossistema de inovação catarinense: “Não existe outro caminho para que continuemos com os bons números em Santa Catarina que não seja a tecnologia e inovação. Existe um esforço gigantesco do Estado para seguir neste caminho e programas como Tecnova nos mostram que estamos no caminho certo”.

Novidades em 2019

O presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen, explica duas novidades implantadas nesta segunda edição do Tecnova. “Uma delas é a qualificação das áreas temáticas. Isso significa que o Governo está perseguido política pública e tentando identificar prioridades e cada vez mais utilizar os recursos públicos para resolver os problemas e gargalos do Estado como um todo e colocando esses desafios para vocês”, afirma Zabot.

A outra novidade é a regionalização, fazendo com que todas as áreas de Santa Catarina possam ser contempladas. “Estamos trabalhando com 11 regiões metropolitanas e o primeiro projeto vai concorrer na sua região. Isso para respeitar a diversidade e contemplar pelo menos um projeto de cada parte do estado, interiorizando o desenvolvimento a inovação em todos cantos de SC”, explica Holthausen.

Prazo

As propostas devem ser submetidas até 29 de novembro de 2019 no site www.fapesc.sc.gov.br. Cada projeto poderá receber de R$ 150 mil a R$ 300 mil.

O Programa Tecnova é voltado para empresas, independentemente do tipo societário sob o qual estejam constituídas, que se encaixem em requisitos como: faturamento bruto anual de até R$ 16 milhões; data de registro na Junta Comercial ou no Registro Civil das Pessoas Jurídicas de sua jurisdição até pelo menos seis meses antes do lançamento do edital (15/04/2019); garanta o oferecimento de Contrapartida Financeira mínima de 5%; demonstre ter efetuado qualquer atividade operacional, não-operacional, patrimonial ou financeira até pelo menos três meses antes do lançamento do edital (15/07/2019); objeto social que contemple atividade compatível com a que será desempenhada no projeto proposto na data de divulgação do presente edital.

As propostas devem se encaixar nas seguintes temáticas: Tecnologias da Informação e Comunicação; Saúde; Inovação, Diversificação e Competitividade; Cadeia Produtiva de Alimentos; Gestão Pública e Turismo.

Dos 7,5 milhões disponibilizados pelo Tecnova, R$ 5 milhões são financiados pela Finep e os outros R$ 2,5 milhões serão investidos pela Fapesc.

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br 

 
Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

O governador Carlos Moisés e o chefe da unidade de Santa Catarina do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Roberto Gomes, discutiram na tarde desta terça-feira, 15, a possibilidade de parcerias para a realização do Censo 2020 no estado. Na ocasião, o governador foi convidado a ser o primeiro recenseado, como de costume, com a entrevista maracada para o dia 3 de agosto de 2020. 

“Colocamos a estrutura do Estado à disposição para o trabalho dos recenseadores. O Censo é determinante para a tomada de decisões dos gestores públicos. Ele também influencia, por exemplo, no valor que as prefeituras recebem por meio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Por isso, é importante que ele seja o mais preciso possível”, afirmou Moisés. 

Aproximadamente 7,5 mil recenseadores atuarão em Santa Catarina no próximo ano para o levantamento, que é realizado a cada dez anos. As entrevistas com os cidadãos duram aproximadamente 15 minutos e são preferencialmente presenciais. A novidade para o próximo ano é que o IBGE disponibilizará um link para um formulário online,  possibilitando a participação pela internet. 

“É importante salientar que haverá um prazo para o envio do formulário online. Caso ele não seja cumprido, o recenseador voltará à casa do cidadão”, explica Gomes. 

O representante do IBGE informa ainda que os primeiros resultados do Censo 2020 serão liberados já no fim do próximo ano. Além da contagem populacional, o estudo analisa também aspectos sócio-econômicos das famílias, tais como renda e escolaridade. Segundo a última estimativa do órgão, Santa Catarina conta com 7,1 milhões de habitantes. A partir das próximas semanas, o Instituto vai iniciar uma rodada de reuniões com os gestores municipais para a discussão de cada plano de trabalho. 

Também participaram da audiência na Casa d’Agronômica o secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, e o coordenador operacional do Censo 2020 em Santa Catarina, Fabiano Rodolfo.

“Os dados do Censo, bem como a importância do levantamento, podem ser trabalhados como conteúdo em sala de aula”, diz Uggioni.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

Página 3 de 586

Conecte-se