Encontre serviços e notícias do Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Novos alunos da Polícia Militar de Santa Catarina



Oportunidades


BANNER DEFICIENTES 01


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Santa Catarina teve importantes avanços nos indicadores de segurança pública em 2019. Além de ter investido em equipamentos de tecnologia da informação, a Secretaria de Estado da Segurança Pública conseguiu reduzir os índices criminais e atuou no desenvolvimento de ferramentas para atender a população catarinense de forma mais ágil e dinâmica, com o aplicativo PM Cidadão e a nova carteira de identidade.    

A Secretaria de Estado da Segurança Pública atua de forma coordenada através da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e com o Instituto Geral de Perícia. Para prestar serviços de qualidade para a sociedade catarinense utiliza diversas ferramentas com o uso intensivo da tecnologia. Um exemplo disso é o projeto de videomonitoramento Bem-Te-Vi, que reforça a capacidade de monitoramento nos espaços públicos pelo estado.

O sistema mantém 3.040 câmeras cadastradas em Santa Catarina, com 2.753 delas ativas. Ao todo são 140 municípios atendidos com este serviço e 471 clientes conectados. Neste ano, a SSP adquiriu equipamentos de tecnologia da informação, que ampliam a capacidade de processamento e armazenamento nos maiores municípios catarinenses, como São José, Florianópolis, Blumenau, Joinville, Criciúma e Chapecó. Com isso, a capacidade média de gravação aumentou de oito para 16 dias de gravação, o que permite um maior número de buscas de imagens nos servidores do programa Bem-Te-Vi.


Foto: Aurelio de Oliveira / PMSC

PMSC - Redução de crimes letais, roubos e furtos

Os números da Polícia Militar revelam uma redução nos principais indicadores de crimes pelo estado. Até 8 de dezembro, foram registrados 461.101 boletins de ocorrências, 45.107 prisões em flagrante e o cumprimento de 7.161 mandados de prisão. Também foram contabilizados 756 crimes letais em Santa Catarina, o que representa uma redução de 14% na comparação com o mesmo período de 2018, ou seja, 128 vidas preservadas.  A incidência de roubos ficou em 6.265, indicando uma redução de 31%. Em relação a furtos, houve diminuição de 12%, com 36.552 furtos em 2019. Também foram recuperados 4.954 veículos e apreendidas 2.072 armas neste ano. 

“A PMSC  age sempre de forma proativa, com engajamento contínuo dos efetivos e meios em ações de abordagens policiais nos logradouros públicos, barreiras, bloqueios, varreduras, pente-fino, fiscalização de estabelecimentos de diversão, na fiscalização de apenados, dentre outros”, afirma o comandante-geral, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Junior.

Como parte do trabalho preventivo, a Polícia Militar realizou 73.857 visitas comerciais, 35.983 escolares, 22.359 dentro do Programa Rede Catarina e 20.304 residenciais e ou condominiais. Ao todo foram 694.263 programações operacionais, 151.375 rondas, 218.018 policiamentos, 193.863 operações, 26.043 fiscalizações entre situações de apenados e de medidas protetivas e 934 ações do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, o Proerd.

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) também lançou neste ano o aplicativo que facilita a interação do cidadão catarinense na solicitação de atendimento. Com o PMSC Cidadão, o usuário pode enviar vídeos, fotos e áudios, que irão gerar as ocorrências. O PMSC Cidadão também promove, além de denúncias de forma anônima, as ações de proteção à mulher vítima de violência doméstica e familiar, dentro do Programa Rede Catarina de Proteção à Mulher.


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Corpo de Bombeiros Militar

O ano de 2019 também foi de muitas atividades e atendimentos do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina. Dentro do quadro de Ações Operacionais foram registrados 109.302 atendimentos pré-hospitalares, 13.022 ações preventivas, 9.933 salvamentos, buscas e resgates e 9.383 combates a incêndios entre janeiro e outubro de 2019. Já o Batalhão de Operações Aéreas atendeu a 976 ocorrências, com 776 vítimas atendidas diretamente em um total de 850 horas/voo. O Batalhão registrou uma média de tempo resposta de 11 minutos.

O quadro de Ações Ordinárias e Extraordinárias do CBMSC apresentou números significativos também. A Operação Brumadinho, por exemplo, se desenvolveu em 52 dias, com o emprego de 43 Bombeiros Militares e 14 Forças-Tarefas.Já a Operação Veraneio registrou 4,8 milhões de prevenções, com o registro de 42.120 ocorrências de água-viva, 2.848 salvamentos, além de atendimento a 2,2 mil crianças dentro do Projeto Golfinho, com o emprego de 204 guarda-vidas civis por dia. 

Dentro do programa de Alerta Vermelho, foram 49.450 pessoas orientadas, 31.241 participantes de palestras, 25.375 folders distribuídos, 13.498 residências visitadas e 52 Eventos.

No quadro de Prevenção e Segurança Contra Incêndio foram atendidos 278 municípios. No total, foram 469.901 atendimentos em segurança contra incêndio, sendo 361.854 vistorias, o que totalizou a atuação de 400 bombeiros militares. No período, cerca de R$ 1 bilhão em bens foram salvos em prevenção e combate. 

Polícia Civil

No período de janeiro a outubro, a Polícia Civil realizou 454 operações, principalmente contra o tráfico de drogas (27,97%), homicídios (9,69%) e furto e roubo (9,25%). No total, foram mais de 97 mil procedimentos policiais, que resultaram na apreensão de 140 armas, 1.808 mandados judiciais e 1.132 mandados de prisão. 

Neste período foram apreendidos 6,8 quilos de maconha, 105 quilos de cocaína, 55 quilos de ecstasy, 15 quilos de Skank, 35 quilos de crack, 394 micropontos de LSD e 79 unidades de “pé” de maconha. 

Instituto Geral de Perícias (IGP)

O IGP concentrou suas ações na melhoria dos serviços para a população. Em 2019 um dos destaques foi o projeto de desenvolvimento da nova Carteira de Identidade. O documento trouxe mais benefícios para os catarinenses, como a inclusão do nome social sem alteração do registro civil. Além disso, permite o registro de deficiências, fator RH, identificação do idoso, números de outros documentos e “QR Code”.

O IGP também realizou 82.093 exames, 69.081 laudos e nomeou novos profissionais, sendo 94 peritos e dois papiloscopistas. Foram 465.262 carteiras de identidades confeccionadas e 21 ações sociais desenvolvidas neste ano, envolvendo campanhas para identificação de moradores de rua, população carcerária e carteiras de identidade para os mais vulneráveis.

Informações adicionais para a imprensa
Savas Apóstolo
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Fone: (48) 36658183/ (48) 984230139
Site: www.ssp.sc.gov.br; www.facebook.com/segurancapublicasc
@segurancapublicasc

 


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Ao começar o período de maior consumo do ano, que vai do Natal a 10 de janeiro, a Casan reforça aos moradores e visitantes de Santa Catarina a importância do uso consciente de água tratada.

“Assim como aconteceu no período de estiagem, que se arrastou de maio a outubro, temos certeza de que a população pode colaborar e reduzir o consumo agora”, destaca o engenheiro Guilherme Campos, coordenador de Operação Verão da companhia. “É bom para a natureza, bom para o sistema de abastecimento e muito bom para o bolso”, complementa.

Sob o slogan “Pingo de Consciência”, a Companhia lançou uma série de peças que estimulam a economia de água e representam medidas simples, ao alcance de todos. A Companhia investiu R$ 46,8 milhões em 66 ações ao longo de 2019 em todo o estado para ampliar a segurança das operações nos sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário.

Com três sistemas principais de abastecimento para atender Florianópolis e a Região Metropolitana – a região mais procurada pelos turistas no verão –, a Casan trabalha com a capacidade de disponibilizar aproximadamente 317 milhões de litros/dia de água.

Mas a orientação de uso consciente sugere cuidados aos hábitos de higiene no banheiro (área da residência onde se consome o equivalente a 70% dos gastos de uma família), limpezas na cozinha e no pátio.

“As dicas de economia estão cada vez mais difundidas, e até são conhecidas de muitas pessoas, mas colocá-las em prática no dia a dia, com apoio da família, é que talvez seja o maior desafio", complementa o engenheiro.

>> Confira algumas dicas:

Banho: esse é um dos momentos em que mais gastamos água

É natural que o banho seja também um momento de prazer e relaxamento, mas ter consciência sobre o quanto se gasta com o chuveiro aberto ajuda a reduzir esse tempo. É claro que tudo depende do tipo de chuveiro, se você mora em casa ou apartamento, mas, em média, gasta-se em torno de seis litros de água por minuto. Então, em um banho de 20 minutos, o gasto de água pode chegar a 120 litros.

Em um banho de cinco minutos (se você passar a marcar verá que não é pouco tempo), é possível reduzir o uso da água para 30 litros de água.

Em apartamentos, os números são mais alarmantes: um banho de 15 minutos consome 243 litros de água. Reduzindo o tempo para cinco minutos, a economia pode chegar a 162 litros.

Evite escovar os dentes, se barbear ou depilar embaixo do chuveiro.

Quando você escova os dentes durante cinco minutos com a torneira não muito aberta, gasta aproximadamente 12 litros de água em casa e 80 litros em apartamento. Se fechar a torneira enquanto escova os dentes, e enxaguar a boca com um copo d’água, pode economizar 11,5 litros em casa e 79 litros em apartamento.

Descarga: é preciso atenção nesse momento

Não aperte a descarga mais tempo do que o necessário.

Um vaso sanitário com válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta cerca de 12 litros. Quando a válvula está defeituosa, pode chegar a gastar até 30 litros. Por esta razão, deve-se manter a válvula da descarga sempre regulada, consertando os problemas assim que forem notados.

Além disso, é importante não fazer o vaso sanitário de lixeira, jogando cabelos, cigarros, papéis ou outros materiais que vão exigir que a descarga seja acionada várias vezes.

Informações adicionais para a imprensa:
Arley Reis 
Gerência de Comunicação Social
Companhia Catarinense de Águas e Saneamento
E-mail: areis@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5036 
www.casan.com.br

 


Foto: Cristiano Estrela / Secom

Com um agronegócio produtivo e voltado para o mercado externo, Santa Catarina segue batendo recordes. De janeiro a novembro de 2019, o setor foi responsável por 68,5% de todo faturamento com as exportações catarinenses, com receitas que chegam a US$ 5,6 bilhões. O grande destaque deste ano foi o aumento nos embarques de carnes e a ampliação da presença internacional.

 "O agronegócio de Santa Catarina encerra 2019 com muitas conquistas. Tivemos uma boa safra e a expectativa é de que a próxima colheita seja ainda melhor. Mas o grande destaque ficou por conta do desempenho da cadeia produtiva de carnes. Algumas mudanças no mercado internacional alavancaram a produção de suínos, aves e bovinos.  Aumentamos nossas exportações, o produtor teve seu produto mais valorizado e o agronegócio mais uma vez cumpriu seu papel no desenvolvimento e na economia de Santa Catarina", destaca o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa.

Recordes na exportação de carnes


Foto: Jader Nones / Cidasc

As carnes são o carro-chefe das exportações catarinenses. De janeiro a novembro, o estado bateu o recorde histórico com as exportações de carne suína, ao longo do ano foram 373,5 mil de toneladas embarcadas, gerando um faturamento de US$ 766,4 milhões.

É importante lembrar que Santa Catarina é o maior produtor nacional de suínos e o segundo maior produtor de aves. A produção baseada na agricultura familiar tem alcançado os mercados mais exigentes e competitivos do mundo. Grande parte das exportações catarinenses tem como destino o mercado chinês. China e Hong Kong concentram 59% de todo faturamento catarinense com os embarques de carne suína e 15% das exportações de carne de frango.

Segundo o analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), Alexandre Giehl, a expectativa é de que a China continue aumentando suas importações de proteínas de origem animal, em função da drástica redução no rebanho suíno causada pelo surto de peste suína africana que o país atravessa.

A carne de frango é o principal produto exportado por Santa Catarina. De janeiro a novembro foram 1,16 milhão de toneladas vendidas para o mercado externo, com um faturamento que passa de US$ 2 bilhões.  Os produtos de origem vegetal e florestal responderam por US$ 2,4 bilhões de faturamento, os maiores produtos são soja, milho e madeira, produtos de madeira.

Diferenciais de Santa Catarina

Santa Catarina é reconhecida internacionalmente pela qualidade do seu agronegócio e o cuidado com a saúde animal e vegetal. É o único estado brasileiro reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa sem vacinação e área livre de peste suína clássica. Na área vegetal, o estado é livre de Cydia pomonella, considerada o pior inseto praga da fruticultura, e também do Moko da Bananeira.

Investimentos


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Em 2019, o Governo do Estado investiu mais de R$ 45 milhões nos Programas de Fomento para aumento da produtividade, melhoria do processo produtivo, agregação de valor, desenvolvimento da pesca e aquicultura, aquisição de animais, projetos de irrigação e armazenagem e kits de informática para jovens agricultores. Foram quase 70 mil produtores rurais beneficiados. A partir deste ano, as mulheres e jovens agricultores e pescadores passaram a ter atendimento prioritário na liberação de recursos.

Sem contar os investimentos para regularização e legalização de imóveis rurais. Em 2019, os financiamentos para compra de propriedades rurais chegaram a R$ 28,7 milhões, beneficiando 205 famílias. Os recursos são do Programa Nacional do Crédito Fundiário, executado pela Secretaria de Estado da Agricultura.

Ao longo do ano, o Governo do Estado lançou ainda uma força tarefa para regularizar as propriedades rurais de Santa Catarina. Com investimentos de R$ 882,6 mil, a Secretaria da Agricultura forneceu a 2.596 agricultores os documentos necessários para impetrar Ação de Usucapião, escriturar o terreno ou re-ratificar a escritura existente, de acordo com as normas vigentes.

Agilidade na indenização de produtores rurais


Foto: Cristiano Estrela / Secom

Santa Catarina reduziu o tempo de espera para indenizações e ampliou o número de produtores rurais beneficiados. Os catarinenses querem manter a liderança no cuidado com a saúde dos animais, para isso o Estado aumentou os esforços para erradicar a brucelose e tuberculose.

"Agilidade. Essa foi a palavra de ordem no Fundesa. Ser uma referência no cuidado com os animais é também preservar a saúde dos produtores rurais e dos consumidores. Estamos muito contentes com os resultados alcançados este ano porque a indenização dá ao produtor a chance de recomeçar, de adquirir animais sadios e seguir com sua produção", ressalta o secretário Ricardo de Gouvêa.

Santa Catarina já tem a menor prevalência de brucelose e tuberculose do país e segue indenizando os produtores rurais pelo abate sanitário de animais contaminados. De janeiro a novembro deste ano, o Fundo Estadual de Sanidade Animal (Fundesa) investiu aproximadamente R$ 6,7 milhões na indenização de mais de 600 criadores.

Em 2019, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural aumentou em quase 70% o recurso disponível para a indenização dos produtores, o que deu mais agilidade no pagamento. Até o ano passado, os criadores aguardavam em média 150 dias pela indenização, hoje esse tempo caiu para 30 dias.

AgroConsciente



Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

AgroConsciente é o novo projeto do Governo de Santa Catarina. Esta é a nova diretriz para a elaboração de políticas públicas e ações voltadas para o agronegócio. A intenção é oportunizar mais renda ao produtor rural, com maior segurança alimentar à população e minimizando os impactos ao meio ambiente. A Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural pretende investir mais de R$ 40 milhões no cuidado com o solo, melhorias sustentáveis no processo produtivo e sistemas alternativos de produção, buscando a competitividade e rentabilidade da agricultura e pesca catarinenses. As ações de pesquisa, extensão rural, defesa agropecuária e apoio a comercialização também estarão alinhadas com o Projeto.

O secretário adjunto Ricardo Miotto explica que o AgroCosciente dá um novo olhar para os programas e ações da Secretaria da Agricultura e suas empresas vinculadas (Epagri, Cidasc e Ceasa). "Vamos rever os programas atuais e em execução e dar um novo olhar sob a ótica do AgroConsciente. Isso tudo sempre pensando na qualidade do alimento produzido, na sustentabilidade ambiental e na geração de renda e riqueza para o produtor. Visando a manutenção do jovem no campo, na melhoria de qualidade de vida, com inovação e tecnologia. Esses são os pilares do AgroConsciente".

Equipamentos

 


Foto: Mauricio Vieira / Secom

Para fortalecer a agricultura familiar em Santa Catarina, a Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural cedeu 498 equipamentos e implementos agrícolas para as prefeituras. Foram R$ 25,3 milhões em recursos do Governo do Estado e de emendas parlamentares.

Fortalecimento da pesca e maricultura

A Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural se aproximou do setor produtivo para fortalecer a aquicultura e pesca em Santa Catarina. Entre as ações em andamento estão a estruturação das cadeias produtivas, a rastreabilidade dos produtos e o apoio na criação de regulamentações que tragam mais segurança ao setor.

"A pesca tem um papel fundamental na economia de Santa Catarina, são milhares de famílias que se dedicam a essa atividade. O setor está passando por grandes transformações e nós queremos contribuir para seu fortalecimento e organização”, afirma Ricardo de Gouvêa.

A Secretaria da Agricultura trabalha em oito projetos para captação de recursos do Governo Federal em prol do fortalecimento da pesca e aquicultura. Este ano, foram investidos R$ 720 mil em apoio a estruturação de cooperativas e frigorífico de ostras e de infraestrutura para o setor pesqueiro.

Informações adicionais para imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O dia 30 de dezembro de 2019 será histórico para Florianópolis e Santa Catarina com a reabertura da Ponte Hercílio Luz. Para garantir tranquilidade aos visitantes, as forças de segurança pública do Estado estarão de prontidão nos sete dias do evento com programação gratuita.

Uma “Praça da Segurança Pública” será instalada no Parque da Luz, com unidades móveis da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Instituto Geral de Perícias (IGP). Os profissionais estarão prontos para atender e prestar informações. Além disso, cada órgão de segurança terá atribuições específicas durante o Projeto Viva a Ponte, entre 30 de dezembro e 5 de janeiro.

>> Fotos, notícias e detalhes da obra da Ponte Hercílio Luz estão disponíveis aqui

Responsável pelo Plano de Contingência, o Corpo de Bombeiros Militar terá uma estrutura fixa. Possíveis ocorrências poderão ser atendidas com apoio de barco e helicóptero, que estarão à disposição dos plantonistas, assim como o Samu.

A Polícia Militar marcará presença 24 horas por dia nas cabeceiras da Hercílio Luz, com apoio das polícias especializadas e das câmeras de videomonitoramento da região. Ao todo, 35 policiais vão atuar nessa tarefa. Policiais militares, civis e servidores do IGP ficarão de plantão para atendimento aos cidadãos. Haverá entrega de pulseiras para identificação de crianças e a quem necessitar.


Arte: Secom

Confira algumas dicas para aproveitar esse momento histórico:

Atenção aos horários

A Ponte Hercílio Luz estará liberada para a passagem de pedestres após o desfile de carros e motos antigos, agendado para 11h no dia 30 de dezembro. A estrutura será fechada ainda no dia 31, às 17h, e reabre às 10h do dia 1º de janeiro de 2020. A programação completa pode ser acessada no site.

Use transporte público

O trânsito nesta época do ano costuma ser intenso em Floriabnópolis. Além disso, muita gente vai querer acompanhar o ato histórico da reabertura da Ponte Hercílio Luz. Para curtir o momento sem se preocupar com congestionamentos e estacionamento, o melhor é usar o transporte coletivo. 

De olho no estacionamento

Se optar por ir de carro, o ideal é procurar estacionar mais longe, e caminhar parte do trajeto. Se vier do continente, use a ponte Pedro Ivo Campos, já que a Hercílio Luz só será liberada para pedestres e ciclistas e só depois do desfile de carros e motos antigos.

Calçados confortáveis

Dê preferência a calçados de solas regulares e confortáveis e evite usar salto alto. A medida facilita a passagem pela Ponte Hercílio Luz, que tem o piso gradeado. Use filtro solar.

Cuidado com as crianças

Identifique os pequenos com o número do telefone do responsável. A Polícia Civil distribuirá pulseiras nos dias de evento. Instrua as crianças a procurar policiais ou bombeiros caso se percam.

Viva a Ponte

O Projeto Viva a Ponte é um conjunto de ações integradas da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Fundação Catarinense de Cultura, Fundação Catarinense de Esporte, Santur, Casa Civil, Secretaria Executiva da Casa Militar, Secretaria Executiva de Comunicação, Defesa Civil e Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

A Ponte Hercílio Luz vai voltar a fazer parte do cotidiano catarinense e não apenas em Florianópolis. As peças de aço usadas no apoio provisório durante a restauração começam a chegar ao interior do estado. O projeto prevê o reaproveitamento de mais de mil toneladas para a construção de 532 pontes metálicas, que irão substituir estruturas precárias, a maioria de madeira, em municípios de Santa Catarina. As primeiras pontes serão entregues a partir de janeiro, assim que as prefeituras concluírem as cabeceiras.

Além disso, durante a cerimônia de reabertura da Ponte Hercílio Luz, no dia 30 de dezembro, será assinado mais um termo de cooperação, dessa vez para o repasse de três estruturas para Biguaçu. Até o momento, 16 municípios já assinaram o termo para receber os kits metálicos. No total, 144 prefeituras enviaram pedidos, e a intenção da Defesa Civil do Estado é contemplar todas.

A ação vai resultar na economia de quase R$ 35 milhões para os cofres do Governo de Santa Catarina. "A princípio o material seria vendido como sucata em leilão, mas é de excelente qualidade e com isso buscamos sustentabilidade e valorização dos recursos públicos", comentou o chefe da Defesa Civil de Santa Catarina, João Batista Cordeiro Júnior.

O aço passa por tratamento que garante a durabilidade das pontes. Esse processo já está em andamento e em ritmo acelerado. De acordo com o chefe da Defesa Civil, cada ponte vai custar cerca de R$ 10 mil, ou seja, R$ 65 mil a menos do que os kits de transposição de concreto que são repassados aos municípios em ações de recuperação após desastres naturais. "Esta é uma ação de prevenção já que as pontes metálicas serão instaladas acima das cotas de inundação e evitando o estrangulamento dos rios", completou.

A montagem das pontes metálicas é realizada pelo consórcio, formado pelas empresas RMG e Teixeira Duarte, vencedor da licitação e que também é responsável pela reforma do cartão-postal catarinense. Até o momento, a Defesa Civil de Santa Catarina recebeu 765 solicitações de kits.


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Além do estado das pontes que serão substituídas, serão usados como critério para a entrega a existência da Defesa Civil municipal e o Plano de Contingência Municipal elaborado. "Com isso estamos incentivando a capacidade de resposta a desastres naturais e promovendo a resiliência dos municípios", explicou João Batista. Também serão analisadas a disponibilidade de dimensões das pontes e a ordem dos pedidos.

Os locais para a instalação serão analisados pelos técnicos da Defesa Civil do Estado em conjunto com os coordenadores regionais para garantir o dimensionamento correto das pontes. Os municípios ficam responsáveis apenas pela construção das cabeceiras, pilar central (se necessário), tabuleiro de concreto para a pista de rolamento e o transporte do kit até o local da montagem.

Informações adicionais para imprensa:
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - DC
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

Página 16 de 662

Conecte-se