O Primeiro Encontro Regional Sobre Altas Habilidades/ Superdotação, aconteceu nesta quarta-feira, 26, no Parque Norberto  Frahm, em Rio do Sul, promovido pela Fundação Catarinense de Educação Especial, em parceria com o Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação, e apoio da Agência de Desenvolvimento Regional de Rio do Sul.

  O evento foi dirigido aos educadores do Alto Vale do Itajaí que lidam com alunos superdotados, dando informações técnicas a respeito da identificação e do atendimento adequados às necessidades educacionais especiais de pessoas com altas habilidades. Segundo o diretor de Pesquisa, Ensino e Extensão da FCEE, Pedro de Souza, além de aspectos didáticos, debateu-se assuntos relacionados à educação especial, como por exemplo da desmistificação de crenças equivocadas acerca deste assunto, para que a sociedade possa valorizar e apoiar os talentos de nosso Estado, que calcula-se em 40 mil educandos com altas habilidades ou superdotados. A partir deste encontro  se aplicará instrumentos de avaliação para atender a este segmento. È evidente a necessidade urgente de se promover meios e instrumentos que identifiquem este público para implantar o atendimento educacional especializado, afirmou o diretor da FCEE.

 A gerente regional de Educação, professora Kátia Brasil, diz que a interação entre Gerencias de Educação e a Fundação Catarinense de Educação Especial, difunde as ações em prol dos superdotados, que estavam ignorados até então, e nosso Estado é  pioneiro nestas ações que buscam resgatar indivíduos com altas habilidades, os superdotados, com ganhos para eles próprios, suas famílias e a sociedade.

   Segundo a psicóloga Fernanda Haeser, presente ao evento por atuar na área de educação especial, a partir de agora a situação vai melhorar, pois nunca houve antes  uma capacitação regional para o ensino aos superdotados. Cita um caso em que contatou a NAAH/S e aplicou a escala teste que certificou que o educando em questão tem características de superdotação. Outro aluno superdotado, Brian Rodrigues Moreira, de 12 anos e freqüentador do 6º ano 1 da EEB Paulo Cordeiro, em Rio do Sul, acha que o ensino vai melhorar, como também a convivência com colegas de sala de aula e com a família, mais feliz em vê-lo melhor atendido na escola.  Por sua vez a diretora da EEB Paulo Cordeiro, professora Viviane Knihs, vê o encontro como uma etapa importante do trabalho junto ao segmento de superdotados. Na escola que dirige há 16 alunos de 10 a 13 anos de idade com altas habilidades, e, como outras diretoras presentes ao evento, vê como uma espécie de redenção, para alunos, seus familiares, e professores,  a FCEE, com a Secretaria de Estado da Educação, e outros agentes de governo, promover a educação pública para superdotados, pois é um passo importante para a sociedade e que trará benefícios para todos.

Informações adicionais: Homero Buzzi Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Rio do Sul E-mail: imprensa@rsl.sdr.sc.gov.br Telefone: (47) 3526-3014 / 98855-3946

O Primeiro Encontro Regional Sobre Altas Habilidades/Superdotação, foi nessa nesta quarta-feira, 26, no Parque Norberto Frahm, em Rio do Sul, promovido pela Fundação Catarinense de Educação Especial, em parceria com o Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação, e apoio da Agência de Desenvolvimento Regional de Rio do Sul.

O evento foi dirigido a educadores do Alto Vale do Itajaí que lidam com alunos superdotados, dando informações técnicas a respeito da identificação e do atendimento adequados às necessidades educacionais especiais de pessoas com altas habilidades. Segundo o diretor de Pesquisa, Ensino e Extensão da FCEE, Pedro de Souza, além de aspectos didáticos, debateu-se assuntos relacionados à educação especial, como a desmistificação de crenças equivocadas, para que a sociedade possa valorizar e apoiar os talentos do Estado. A estimativa é de que em SC há 40 mil educandos com altas habilidades ou superdotados.

A gerente regional de Educação, professora Kátia Brasil, diz que a interação entre Gerências de Educação e Fundação Catarinense de Educação Especial difunde ações em prol dos superdotados. 

Segundo a psicóloga Fernanda Haeser, a partir de agora a situação vai melhorar. O aluno superdotado, Brian Rodrigues Moreira, de 12 anos e freqüentador do 6º ano 1 da EEB Paulo Cordeiro, em Rio do Sul, acha que o ensino vai melhorar, como também a convivência com colegas de sala de aula e com a família.  Por sua vez a diretora da EEB Paulo Cordeiro, professora Viviane Knihs, vê o encontro como uma etapa importante do trabalho junto ao segmento de superdotados. 

Informações adicionais:
Homero Buzzi
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Rio do Sul
E-mail: imprensa@rsl.sdr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3526-3014 / 98855-3946




 

Nesta segunda-feira, 24, o secretário executivo regional de Rio do Sul, Ítalo Goral, com uma comissão da Secretaria de Estado da Saúde, visitou o Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul, onde esteve reunido com a diretoria da Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí (Fusavi), mantenedora do hospital, e representantes dos poderes públicos federais, estaduais e municipais, para decidir sobre a habilitação do Centro Oncológico da entidade.

Entre as decisões tomadas, está a verificação de pendências da Fusavi, a obtenção de alvará de funcionamento para o futuro Centro Oncológico, a concentração de esforços para a realização de vistoria, a obtenção de recursos para o funcionamento do Centro, e só então, a realização de auditoria, que sinalizará para a habilitação do Centro. O hospital já é referência em terapia oncológica desde 2014, e núcleo de cirurgias e internações.  Atualmente realiza 450 procedimentos e 52 cirurgias oncológicas por mês.  Em funcionamento, prevê-se que o centro fará 650 cirurgias e 1.800 atendimentos anuais. Grace Berenhauser, técnica que cuida da habilitação de hospitais, informou que há uma série de documentos e procedimentos para tal, e é preciso realizar um levantamento de custos do centro a ser habilitado.

Giovani Nascimento, da administração do hospital, ponderou que as dificuldades da entidade são quanto à certeza de recebimento futuro de recursos que possam garantir o funcionamento do Centro Oncológico. Adriano Ribeiro, superintendente de Planejamento e Gestão do Sistema Único de Saúde, sugeriu a busca de tais recursos também junto à Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajai (Amavi). O secretário executivo, Ítalo Goral, fez incluir no plano de ação a busca por parcerias em Brasília, Florianópolis e Alto Vale do Itajaí, para que se pactue a manutenção do Centro Oncológico que é almejado há décadas pela populaçã. Ítalo lembrou que recursos do Fundam poderão ser utilizados, o que depende da decisão dos prefeitos municipais.

Paulo Cunha, médico no hospital e vice-prefeito de Rio do Sul, disse que o hospital já tem equipe técnica, equipamentos e locais adequados, faltando somente os recursos. Nardelle Junkes, gerente de Planejamento da Secrataria de Estado da Saúde, ao final, falou que o centro oncológico em Rio do Sul é estratégico para Santa Catarina, e é preciso acompanhar os trâmites em Brasília, pois a espera pela a habilitação poderá chegar a um ano. O gerente regional de Saúde, Everson  Pedrozo, irá cuidar do agendamento das etapas: obtenção de alvará, vistoria, funcionamento inicial e habilitação.

Informações adicionais:
Homero Buzzi
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Rio do Sul
E-mail: imprensa@rsl.sdr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3526-3014 / 98855-3946

A abertura da etapa dos Jasti na ADR de Rio do Sul foi realizada na Casa dos Idosos de Rio do Oeste, na manhã desta quinta-feira, 20, e teve o juramento do atleta feito pela atleta Maria Pizetta - de Rio do Oeste. A cerimônia contou com a presença do prefeito de Rio do Oeste, Humberto Pessati e com os demais prefeitos e secretários de Educação dos municípios da ADR de Rio do Sul.  

O secretário regional Ítalo Goral, a Gerente Regional de Educação, Kátia Brasil e o presidente do Clube dos Idosos de Rio do Oeste, Odilo Vanderlinde também participaram da abertura. 
Em seu pronunciamento o secretário regional Ítalo Goral além de desejar boas vindas a todos, disse que em nosso país diminui o número de crianças e aumenta o de idosos e a tendência é o envelhecimento da população. Justamente para atender a população com mais de 60 anos, o Governo do Estado criou em 2008 os Jogos Abertos da Terceira Idade (Jasti), que estimulam a participação de idosos em atividades esportivas e recreativas.

Os Jasti fortalecem a participação de idosos, o convívio social, a troca de experiências, valorizando a prática esportiva na terceira idade, como fator de promoção de saúde e bem estar, resgatando a auto-estima para melhor convívio social.

Após as competições nas diversas modalidades, os campeões que irão à etapa estadual em 15 de maio em  Blumenau, são os seguintes: 
Dança de salão categoria 60 a 69 anos: Gersib Dickow/Márcia Dickow de Agronômica, que classificou-se também na modalidade Canastra do naipe feminino; Dança de salão 70 anos ou mais o município de Trombudo Central está direto na etapa estadual; o mesmo acontecendo com a modalidade de Dança coreográfada, ambos os naipes de Dominó em que Agrolândia está classificada direto ao Jasti estadual; no Bolão 23 e no Vôley adaptado de ambos os naipes, em Canastra, Truco e Bocha Masculino os campeões foram as equipes de Rio do Sul, e Trombudo Central que venceu na modalidade Bocha do naipe feminino.

 Os Jasti são disputados nas etapas classificatórias microrregional e estadual tendo uma média de 8  mil participantes de 222 municípios catarinenses. Na etapa regional de Rio do Sul contou com a organização do integrador esportivo regional Ademar Podgaietzky e do professor Marco Antônio 'Cabelo' Prates.

Informações adicionais:
Homero Buzzi
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Rio do Sul
E-mail: imprensa@rsl.sdr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3526-3014 / 98855-3946