Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo reuniu o colegiado de secretários executivos das Agências de Desenvolvimento Regional para apresentar as conquistas de Santa Catarina ao longo de 2017 e os encaminhamentos para o fechamento do ano. O encontro realizado nesta sexta-feira, 17, em Lages também contou com a participação dos secretários de Estado da Casa Civil, Nelson Serpa e da comunicação, João Debiasi e dos assessores de comunicação ADRs.

A reunião teve um tempo reservado ao debate para aprimorar estratégias e posicionamentos do Governo do Estado para o próximo ano.
"É um momento importante para trocarmos ideias, discutirmos os desafios e, principalmente, partilharmos o que deu certo, porque Santa Catarina tem bons indicadores e foi um exemplo de superação em meio à maior crise econômica e política do país", disse Colombo na abertura da reunião.

Ibirama - Reunião do Colegiado Regional de Governo
Foto: Adilson Turnes/ADR Ituporanga

Nesta segunda-feira, 13, foi realizada a reunião do Colegiado Regional de Governo, reunindo as Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) de Ibirama, Ituporanga, Rio do Sul e Taió. O encontro teve como sede o auditório da ADR de Ibirama, com participação dos membros do Colegiado Regional e dos secretários executivos das ADRs: Jamir Marcelo Schmidt (Ibirama), Elias Souza (Ituporanga), Ítalo Goral (Rio do Sul) e Jardel Fronza (Taió).

Durante o encontro, o coordenador regional da Defesa Civil para o Alto Vale do Itajaí, Jaimerson Espíndola, apresentou relatório da Defesa Civil com ações voltadas a prevenção e reconstrução em relação aos desastres naturais que atingem o Estado. Entre as principais ações, destaque para os investimentos nas barragens, radares meteorológicos, sistemas de alertas por SMS, kits de transposição de obstáculos e kits de casas modulares.

Também durante o encontro, a capitã da 3ª Companhia do 5º Batalhão de Bombeiros Militar, Priscila Casagrande, apresentou relatório das estruturas e dos efetivos que atendem os municípios das quatro Regionais. De acordo com o relatório, de janeiro a outubro deste ano, o Corpo de Bombeiros prestou 6.623 atendimentos e realizou 15.241 procedimentos de atividades técnicas na região.

Os membros do Colegiado Regional das quatro ADRs ainda discutiram problemas pontuais existentes em cada região, definindo estratégias e ações para sanar cada um deles. O próximo encontro do Colegiado acontecerá na ADR de Taió, no dia 18 de dezembro.

Informações adicionais para a imprensa
Adilson Turnes
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Ituporanga
E-mail: imprensa@iupi.adr.sc.gov.br
Fone: (47) 3533-8722 / 99632-2277
Site: sc.gov.br/regionais/ituporanga


Foto: Divulgação / Epagri

A Estação Experimental da Epagri em Ituporanga (EEItu) observou na safra 2017/18 a ocorrência de um vírus em cebola ainda não relatado na região Sul do país. A diagnose do vírus foi confirmada por análises realizadas no laboratório da Embrapa Hortaliças em Brasília. Este vírus, conhecido como Iris yellow spot virus, foi observado no Nordeste em 1994. Desde então, não existiam relatos oficiais da ocorrência dessa virose para a cultura da cebola no Brasil.

Até o momento foi constatada a presença do vírus nos municípios catarinenses de Ituporanga, Aurora e Campos Novos. Estudos realizados até agora certificam que o microrganismo não é transmitido por sementes.

O vírus é transmitido pelo tripes ou piolho da cebola, que é o principal inseto-praga da cultura. “Essa é uma informação importante em termos epidemiológicos, uma vez que em anos mais secos e com maiores infestações por tripes os riscos de ocorrência da doença se elevam”, avalia Edivânio Rodrigues de Araújo, pesquisador da EEItu.

Além da infestação por tripes, outros fatores podem estar associados à ocorrência da virose. “Apesar de estudos sobre manejo e epidemiologia da doença ainda serem praticamente inexistentes nas condições brasileiras, sabe-se que o aparecimento dos sintomas pode estar associado a algum fator de estresse abiótico, como temperaturas elevadas e estresse hídrico, entre outros”, explica Renata de Souza Resende, também pesquisadora da unidade.

Os sinais da doença merece atenção. Há uma distinção clara entre os sintomas observados nas folhas ou no pendão floral. No pendão os sintomas são mais característicos, geralmente com manchas amarelas ou verde claras, em formato de losango, podendo ter o centro verde ou não. Já nas folhas os sintomas são menos específicos: pode-se observar manchas esbranquiçadas nas folhas, mas a queima ou “sapeco” generalizado das folhas, em um curto período de tempo, é o sintoma mais agressivo da virose.

Essa queima foliar repentina (em questão de dias a lavoura apresenta aspecto de queima) é parcialmente desencadeada por algum fator de estresse. Isso significa que, em alguns casos, podem existir plantas infectadas com o vírus, mas que não apresentam sintomas. Então, após serem submetidas a algum fator estressante, os sintomas se manifestam de forma rápida. Os sintomas normalmente aparecem no período de início da bulbificação.

O manejo da doença envolve uma série de práticas integradas: 1) Controle do tripes; 2) Controle de plantas daninhas (plantas daninhas, como o caruru, podem servir de fonte de inóculo do vírus); 3) Manejo correto da irrigação e da adubação; 4) Práticas conservacionistas, como uso de cobertura no solo e rotação de culturas também são recomendadas.

Por ser uma doença nova na região e ainda haver pouca pesquisa sobre o tema, a Estação Experimental de Ituporanga vai iniciar estudos sobre o tema. Já a partir da próxima safra serão pesquisadas a detecção do vírus, para entender a disseminação da doença, bem como práticas de manejo que minimizem as perdas ocasionadas pela virose.

Informações e entrevistas
Edivânio Araújo e Renata Resende, pesquisadores da Estação Experimental da Epagri em Ituporanga: (47) 3533- 8844 (edivanioaraujo@epagri.sc.gov.br / renataresende@epagri.sc.gov.br)

Mais informações para a imprensa:
Gisele Dias
Assessoria de imprensa 
Epagri
Fone: (48) 3665-5147 / 99989-2992
E-mail: giseledias@epagri.sc.gov.br
Site: www.epagri.sc.gov.br


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

Santa Catarina avança para a etapa final do Prêmio Gestão Escolar 2017 que avalia as gestões na Educação Básica pública de todo o país. Na tarde desta terça-feira, 31, a diretora Viviane Rosa Bennert, da EEF Mont Alvern, de Ituporanga venceu a etapa regional, pelo Sul, sediada em Florianópolis com a participação de 11 estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. Além dos gestores, participaram do evento os secretários de Estado da Educação de Santa Catarina, Eduardo Deschamps; do Distrito Federal, Julio Gregório Filho e do Acre, Marcos Brandão que coordena o prêmio no âmbito nacional. A etapa final ocorre em dezembro, na cidade de Bonito, Mato Grosso do Sul.

Realizado desde 1998, o prêmio contempla projetos inovadores e gestões competentes na Educação Básica da rede pública de todo o país. “Todos os premiados até aqui são uma verdadeira demonstração de qualidade na rede pública de ensino. O que eles fazem inspira outros gestores, pais e alunos e solidifica um processo que é de evolução e busca de práticas sempre melhores para a educação”, destacou o secretário Eduardo Deschamps.