Foto: Géssica da Silva/SCPar Porto de Imbituba

Uma carga de 89,5 mil toneladas de minério de ferro partiu do Porto de Imbituba nesta quinta-feira, 16, com destino à China. Foi a maior operação de embarque de granel sólido já realizada no porto do Sul catarinense, e uma das maiores do Sul do Brasil. A marca foi alcançada pelo navio Niki, cargueiro de bandeira liberiana, que conta com 253 metros de comprimento e 40 de largura.

Características como a facilidade de acesso ao Porto, com uma ampla bacia de evolução e a profundidade nos berços que chega a 15 metros, têm contribuído para a movimentação de maiores volumes de cargas em um único navio. “Além disso, a flexibilidade operacional para movimentar diferentes cargas e o baixo tempo de espera para atracação são alguns dos excelentes diferenciais do Porto no atendimento às necessidades do mercado. Esses fatores proporcionam maior eficiência operacional e a diminuição dos custos logísticos”, destaca Jamazi Alfredo Ziegler, diretor-presidente da SCPar Porto de Imbituba.

O navio Niki deixou o porto com 13,5 metros de calado, que é a distância vertical entre a superfície da água e a parte mais baixa do navio. 

Até então, o maior embarque realizado no Porto de Imbituba era de 71,5 mil toneladas, em uma operação de exportação de milho para o Irã, que ocorreu em março de 2019. Desde que foi delegado ao Governo do Estado, o Porto registra um crescimento acumulado de 180% na movimentação de cargas.

O embarque concluído nesta quinta foi realizado pela operadora Imbituba Logística Portuária (ILP), com dois guindastes MHC, entre os dias 10 e 16 de janeiro. A agência marítima Friendship agenciou o navio.

Mais informações para a imprensa:
Géssica da Silva
Comunicação Social
SCPar Porto de Imbituba
Fone: (48) 3355-8908
E-mail: gessica.silva@portodeimbituba.com.br
www.portodeimbituba.com.br


Foto: Mauricio Vieira / Arquivo / Secom

O ano de 2020 começou com oportunidades para os catarinenses. O Sistema Nacional do Emprego em Santa Catarina (Sine/SC), órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável, está intermediando cerca de 1550 vagas no estado. As possibilidades são para diversas áreas e funções.

“Em 2019, o Sine/SC intermediou 42 mil vagas em todas as regiões, o que representa um aumento de 17% em relação a 2018. Para 2020 nossa meta é ir além. Vamos articular novas parcerias com empresas para capacitação de mão de obra qualificada, com base na demanda das vagas oferecidas. Assim, iremos disponibilizar mais oportunidade e dignidade ao cidadão catarinense”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

Com quase mil vagas disponíveis nesta primeira semana de janeiro, o Oeste tem o maior número de oportunidades. Em São Miguel do Oeste são 453 postos, sendo nove para pessoas com deficiência (PcD), seguido por Chapecó (401) e Concórdia (111).

Na Grande Florianópolis são 131 ofertas de emprego, sendo 105 na Capital, 18 em Biguaçu e oito em São José.

“Empregadores procuram por mão de obra qualificada, então aqueles que buscam capacitação e atualização profissional terão mais oportunidades no mercado de trabalho”, ressalta Ramon Fernandes, diretor de Produtividade, Trabalho e Renda na pasta.

Candidatos

Para se candidatar a uma vaga, os interessados devem procurar a unidade do Sine da sua cidade. É imprescindível levar RG, CPF e a carteira de trabalho. Sem esses documentos, não é possível fazer as inscrições. Não há necessidade de levar currículo.

O cadastro é feito direto no balcão do Sine. Para se candidatar a uma vaga de PcD, é necessário levar também o laudo médico. As vagas são disponibilizadas diariamente e podem ser preenchidas rapidamente.

Confira as vagas por cidades:

Sul

Araranguá: 17
Criciúma: 31 (PcD: 8)
Laguna: 02 (PcD1)
Tubarão: 54 (PcD: 20)

Grande Florianópolis

Biguaçu: 18
Florianópolis: 78 (PcD: 27)
São José: 8

Vale do Itajaí

Itajaí: 32 (PcD: 4)
Ituporanga: 53
Rio do Sul: 17
Balneário Camboriú: 78
Blumenau: 31 (PcD:9)
Timbó: 10

Oeste

Chapecó 400 (PcD 1)
Concórdia 111
Joaçaba 16 (PcD 2)
São Miguel do Oeste 444 (PcD 9)

Norte

Joinville: 38
Mafra: 9 (PcD: 2)

Serra

Lages: 15 (PcD: 1)

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

 

 


Foto: Cristiano Estrela / Secom 

Proprietários de veículos com placas que terminam em 1, que optarem por pagar o IPVA em três vezes sem juros, podem quitar a primeira parcela até esta sexta-feira, 10. As demais têm vencimento no dia 10 dos meses seguintes, ou seja, fevereiro e março. O prazo para pagamento do imposto em cota única é 31 de janeiro.

Em 2020, os catarinenses irão pagar, em média, 2,4 % a menos de IPVA do que no ano passado. O índice representa a desvalorização dos veículos em relação a 2019, de acordo com a tabela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), utilizada pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) como base de cálculo. Em Santa Catarina, o tributo varia entre 1% e 2% do valor venal do veículo.

Para pagar o IPVA 2020, clique aqui.

A quitação do imposto é um dos requisitos para licenciar o veículo. O não pagamento também implica em Notificação Fiscal, com multa de 50% do valor devido, mais juros Selic ao mês ou fração.

IPVA em Santa Catarina - Alíquotas vigentes

2% para veículos de passeio, utilitários e motor-casa, nacionais ou estrangeiros;

1% para veículos de duas ou três rodas e os de transporte de carga ou passageiros (coletivos), nacionais ou estrangeiros;

1% para veículos destinados à locação, de propriedade de locadoras de veículos ou por elas arrendados mediante contrato de arrendamento mercantil.

Alíquotas de IPVA em outros Estados

Rio Grande do Sul: 3%

Paraná: 3,5%,

São Paulo: 4%

Rio de Janeiro: 4%

CALENDÁRIO DE PAGAMENTO

FINAL DE PLACA

COTA ÚNICA

PARCELAMENTO-COTAS

     1ª

     2ª

    3ª

1

último dia do mês de janeiro

10.01

10.02

10.03

2

último dia do mês de fevereiro

10.02

10.03

10.04

3

último dia do mês de março

10.03

10.04

10.05

4

último dia do mês de abril

10.04

10.05

10.06

5

último dia do mês de maio

10.05

10.06

10.07

6

último dia do mês de junho

10.06

10.07

10.08

7

último dia do mês de julho

10.07

10.08

10.09

8

último dia do mês de agosto

10.08

10.09

10.10

9

último dia do mês de setembro

10.09

10.10

10.11

0

último dia do mês de outubro

10.10

10.11

10.12

Informações adicionais para imprensa
Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Fazenda

Michelle Nunes
jornalistaminunes@gmail.com (48) 3665-2575 / (48) 99929-4998

Sarah Goulart
sgoulart@sef.sc.gov.br (48) 3665-2504 / (48) 99992-2089


Foto: Julio Cavalheiro / Arquivo / Secom

Os proprietários de veículos emplacados em Santa Catarina irão pagar, em média, 2,4% menos de IPVA em 2020. O índice representa a desvalorização dos veículos em relação a 2019 de acordo com a tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), utilizada pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) como base de cálculo.

“Santa Catarina tem uma das menores alíquotas do país, o IPVA varia entre 1% e 2% do valor venal do veículo. Este será o quinto ano consecutivo que o imposto tem redução”, afirma o secretário da Fazenda, Paulo Eli.

A expectativa é que a arrecadação com IPVA em 2020 seja de R$ 2,1 bilhões. Desse total, 50% serão repassados, no ato do recolhimento, ao município onde o veículo estiver emplacado. Até novembro de 2019, o Estado arrecadou com o imposto R$ 1,8 bilhão, o que significa um incremento de 10,79% em relação ao ano anterior.

Calendário

O calendário de pagamento permanece o mesmo dos anos anteriores. Proprietários de veículos com placa final 1 têm até o último dia de janeiro para pagar em cota única. A Fazenda também oferece o parcelamento em três vezes. Nesse caso, o prazo da primeira parcela é o 10º dia dos meses de janeiro, fevereiro e março. Os contribuintes podem antecipar o pagamento a qualquer momento. Confira o calendário completo abaixo:

FINAL DE PLACA

COTA ÚNICA

PARCELAMENTO-COTAS

1

último dia de janeiro

10.01

10.02

10.03

2

último dia de fevereiro

10.02

10.03

10.04

3

último dia de março

10.03

10.04

10.05

4

último dia de abril

10.04

10.05

10.06

5

último dia de maio

10.05

10.06

10.07

6

último dia de junho

10.06

10.07

10.08

7

último dia de julho

10.07

10.08

10.09

8

último dia de agosto

10.08

10.09

10.10

9

último dia de setembro

10.09

10.10

10.11

0

último dia de outubro

10.10

10.11

10.12

IPVA em Santa Catarina - Alíquotas vigentes

2% para veículos de passeio, utilitários e motor-casa, nacionais ou estrangeiros;
1% para veículos de duas ou três rodas e os de transporte de carga ou passageiros (coletivos), nacionais ou estrangeiros;
1% para veículos destinados à locação, de propriedade de locadoras de veículos ou por elas arrendados mediante contrato de arrendamento mercantil.

Alíquotas de IPVA em outros estados

Rio Grande do Sul: 3%
Paraná: 3,5%,
São Paulo: 4%
Rio de Janeiro: 4%

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 99992-2089
Site: www.sef.sc.gov.br 
FACEBOOK: 
facebook.com/fazendasc


Arte: Secom 

A Casa Civil e suas estruturas vinculadas deixaram de gastar R$ 80,3 milhões do orçamento previsto e aprovado para 2019, que era de 127,5 milhões. O relatório anual foi entregue pelo chefe da Casa Civil, Douglas Borba, ao governador Carlos Moisés para prestação de contas e para auxiliar no planejamento de 2020.

“Neste ano a Casa Civil passou a gerenciar financeiramente novos órgãos do Governo. Houve um esforço enorme para que a redução de gastos fosse realmente relevante. O mais interessante é que essa economia não reflete falta de planejamento, e sim a mudança de gestão e a política de austeridade que são a marca do governador Carlos Moisés”, afirmou Douglas Borba. 

A Casa Civil respondia pelo gabinete da Chefia do Executivo e pela Casa Militar. Após a Reforma Administrativa, nove estruturas ficaram no escopo: a própria Casa Civil, os gabinetes do governador e da vice-governadora, o Escritório de Projetos (Eproj), a Secretaria de Integridade e Governança (SIG), e as executivas da Casa Militar, Comunicação, de Assuntos Internacionais e de Articulação Nacional.

Uma das maiores economias foi com transporte aéreo, que atingiu 46,8%, graças à medida do governador Carlos Moisés de ceder o helicóptero que tinha à disposição para o transporte de órgãos. Soma-se a isso a venda do jato Cessna Citation II 550, que deve representar uma economia de R$ 4 milhões aos cofres públicos em 2020.

Já com transporte terrestre, a redução foi de 14,4% mesmo com a transferência de muitos veículos das ADRs após sua extinção. O consumo de combustível caiu pela metade: foram 98,4 mil litros em 2019 contra 185,1 mil litros em 2018. A queda é ainda maior se comparar com 2017, quando foram gastos 218,9 mil litros.

Também houve diminuição nos custos com serviços terceirizados: 43,6%. Os gastos gerais com pessoal registraram queda de 29,5%, enquanto as despesas com as atividades administrativas foram 19,6% menores se comparadas com as do ano passado. Na maioria dos casos, a economia foi estimulada pelas revisões de contratos, de patrimônio e de pessoal.


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Mais eficiência 

A Casa Civil também foi mais eficiente no trabalho em 2019. Houve aumento na tramitação de processos: 196% a mais que em 2018, e 100% digital. Também foi registrado crescimento de 47% nos atos legislativos (projetos de leis, decretos, apreciação de autógrafos de lei e diligências), com destaque para 182% a mais de projetos de lei enviados à Assembleia Legislativa de Santa Catarina. 

O chefe da Casa Civil realizou mais de 1,1 mil audiências internas/externas e agendas na Alesc, sem contar viagens e representações (cumprimento de agenda em nome do governador). O subchefe da Casa Civil, Matheus Hoffmann, realizou 696 atendimentos ao longo do ano. 

A Central de Atendimento aos Municípios, estrutura criada após a Reforma, também teve alto nível de desempenho. Ela registrou 1.389 convênios, 414 atendimentos presenciais entre abril e dezembro e 882 processos digitais.

Informações adicionais à imprensa
Mauren Rigo e Márcia Callegaro
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 3666-2104 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

Para aproveitar o período de festas e evitar dor de cabeça na hora de trocar os presentes é fundamental tomar alguns cuidados. O Procon de Santa Catarina dá algumas dicas para garantir a devolução de produtos sem transtornos.

O primeiro passo é o consumidor perguntar ao lojista na hora da compra se há possibilidade de trocas, principalmente no caso de roupas e calçados. O estabelecimento só é obrigado a efetuar a troca em caso de defeitos e terá um prazo de até 30 dias para bens não duráveis e 90 dias para os duráveis.

Produtos com defeito e na garantia devem ser encaminhados para assistência técnica, com um prazo de até 30 dias para trocar ou consertar o aparelho. Caso contrário, o cliente tem direito ao dinheiro de volta.

“O cidadão pode procurar o Procon para garantir seus direitos, mas ele precisa guardar a nota fiscal para realizar as trocas”, destaca o diretor do Procon, Tiago Silva.

Já em compras por telefone ou pela internet, Silva explica que o consumidor tem o direito ao arrependimento. “Se não ficar satisfeito com a mercadoria, ele tem garantido o direito à devolução do produto em até sete dias úteis, independentemente do motivo”, acrescenta.

Procure o Procon em caso de problemas

Caso o cliente tenha alguma dificuldade para troca de produtos ou receba uma cobrança indevida, deve procurar o Procon. O órgão funcionará em regime de plantão entre o Natal e Ano Novo. Para tirar dúvidas ou relatar problemas, o cidadão pode ligar para o número 151 ou procurar o Procon do seu município.

Entre os dias 26 e 28 de dezembro, o Procon funcionará das 13h às 19h, principalmente para atendimentos referentes à garantia e troca de presentes de Natal. Já nos dias 25, 29, 30 e 31 de dezembro não haverá atendimento. As atividades retornam no dia 2 de janeiro.

Informações adicionais para a imprensa
Leonardo Franzoni 
Rádio Secom
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
Fone: (48) 3665-3003
Site: www.sc.gov.br     
www.facebook.com/governosc e @GovSC






Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

O equilíbrio das contas foi prioridade no ano de 2019 no Instituto de Previdência de Santa Catarina (Iprev). Uma das primeiras medidas, adotadas já no começo da gestão, foi o corte com pessoal. A extinção de 13 cargos comissionados e a nomeação de servidores de carreira para ocupar as principais funções do Instituto resultaram em uma economia de aproximadamente R$ 6 milhões em 2019, quando comparado ao ano passado.

No aspecto administrativo também houve redução de gastos com: serviços de terceiros com alterações de contratos, despesas gerais (energia elétrica, água e esgoto, telefonia e digitalização de processos) e locação de imóveis, dentre outras iniciativas tomadas em conjunto com outras unidades estaduais, resultaram em economia de aproximadamente R$ 2 milhões.

Em relação aos resultados de investimentos em 2019, a rentabilidade da carteira do ano até outubro de 2019 foi de 10,15%. Quanto à gestão de bens está sendo implementada a reavaliação dos 35 imóveis do Iprev, uma valorização em torno de 30%.

Outro foco foi o remanejamento das agências regionais, que passaram a fazer compartilhamento de espaços com outros órgãos do Estado - como a Secretaria da Educação, por exemplo, gerando economia aos cofres públicos. Ao longo do ano, o presidente do Iprev ainda tomou outras medidas administrativas visando reduzir custos e aumentar a eficiência, com foco na prestação de serviços essenciais aos segurados.

 “O uso da tecnologia foi a diretriz do Governo em 2019 e também prioridade da gestão do Iprev. Com o auxílio de ferramentas de cruzamento de dados, o Power BI, o que antes era feito em um dia, agora leva uma hora – ganhamos tempo e independências nas nossas ações”, observa o presidente Kliwer Schmitt.

Até novembro de 2019 foram emitidas 537 notificações envolvendo contribuições não recolhidas e benefícios previdenciários indevidos. A partir dos dados, o Instituto de Previdência de Santa Catarina está habilitado a reaver o montante de R$ 20.846.315,46.

A preocupação com a eficiência e a qualidade dos processos resultou em uma parceria com a Fundação Escola de Governo: um curso de Especialização Lato Sensu em Gestão dos Regimes Próprios de Previdência Social. A capacitação tem como foco a valorização do servidor e o objetivo é utilizar todo o aprendizado na solução de problemas da instituição.

Os números

O Iprev ainda fecha o ano com excelentes resultados no campo jurídico. Durante o ano foram elaboradas 5.887 manifestações judiciais e extrajudiciais em defesa do Instituto, além da participação efetiva em dezenas de audiências na Capital e no interior do estado.

Um levantamento elaborado pela Gerência Contencioso Judicial aponta para 2019 uma economia aos cofres públicos de aproximadamente R$ 44.600.000, vindos das 1.018 ações com decisão judicial favorável ao Iprev.

 “Os números levantados não trazem apenas uma economia mensal imediata. Importante destacar que os valores deixam de compor, definitivamente, os proventos de pensão dos interessados, lembrando que, de acordo com os últimos dados do IBGE, a expectativa de vida dos catarinenses é de 79,4 anos”, explica o procurador jurídico, Bruno Lorenz.


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Os bons resultados não param por aí. A Gerência do Contencioso Administrativo ultrapassou, em 2019, a casa dos 1.000 pareceres jurídicos. Foram indeferidos administrativamente 29 requerimentos de pensão por morte. Em números aproximados, a Previdência Estadual deixou de pagar mensalmente cerca de R$ 180.000.

Outro aspecto importante foi a recomposição do quadro de assistentes sociais, que têm papel fundamental na tramitação dos processos de pensão por morte que envolvem requerimento de benefício. Foram colocadas à disposição do Instituto, três novas servidoras que contribuíram diretamente no resultado do trabalho.

“Esse primeiro ano foi de autoconhecimento e diagnóstico da situação. Principal bandeira da administração foi a valorização dos servidores de carreira e a profissionalização da gestão que resultaram não somente na economia, mas na mudança cultural de como fazer as coisas. O sempre foi assim ou o não dá para fazer deixaram de estar presentes nas falas dos servidores. Sempre é possível inovar”, ressalta o presidente do Iprev.

Futuro

O ano de 2020 vai chegar de cara nova para o Instituto já que o site desenvolvido pelo Ciasc deve entrar no ar no fim de janeiro. Alguns projetos importantes também estão em andamento, como a reestruturação no setor de tecnologia que vai beneficiar alguns processos. 

“Temos ainda um projeto de Educação Previdenciária que deve incentivar uma importante mudança cultural nas escolas públicas de Santa Catarina. É uma medida importante feita hoje para colhermos os frutos em longo prazo. Os maiores resultados virão nas gestões futuras. Duas iniciativas devem ganhar corpo no ano que se inicia: a conclusão do estudo de viabilidade de um Fundo Imobiliário como alternativa para saneamento do déficit previdenciário; e a sistematização do procedimento de concessão de benefícios”, projeta Schmitt.

Reforma da Previdência

Está na Assembleia Legislativa de Santa Catarina a proposta de reforma da previdência dos servidores públicos estaduais. O projeto segue basicamente as regras gerais das mudanças recentemente aprovadas pelo Congresso Nacional. Um grupo de trabalho, com representantes de todos os Poderes, se dedicou à tarefa nos últimos meses.

“Embora pareça uma iniciativa apressada, esta matéria já vem sendo discutida no âmbito interno do governo desde março de 2019, logo após a apresentação da proposta de Reforma da Previdência ao Congresso Nacional. O amadurecimento sobre a necessidade de ingressos dos estados foi ocorrendo ao longo dos últimos oito meses e a situação financeira de Santa Catarina não permite um adiamento dessa medida. São R$ 4 bilhões todo ano repassados para cobrir pagamentos de benefícios previdenciários e desde 2016 temos mais aposentados e pensionistas que servidores em atividade”, reforça Schmitt.

O projeto segue basicamente as regras gerais das mudanças recentemente aprovadas pelo Congresso Nacional. Se a PEC e o Projeto de Lei Complementar forem aprovados na Alesc, em 10 anos, Santa Catarina deve economizar R$ 900 milhões, R$ 3,3 bilhões em 15 anos e R$ 6,4 bilhões em 20 anos.

Informações adicionais à imprensa: 
Assessoria: Mariana Paniz
Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina - Iprev
(48) 3665.4600
comunicacao@iprev.sc.gov.br
www.sc.gov.br 


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

A vida do empreendedor catarinense vai ficar mais simples a partir de 2020. O governador Carlos Moisés assinou na tarde desta quinta-feira, 19, um decreto que possibilitará que 597 atividades econômicas sejam dispensadas de licenciamento prévio. Com a assinatura do governador, o comitê gestor do programa SC Bem Mais Simples fica autorizado a publicar uma resolução, o que ocorrerá nos primeiros dias de janeiro e dará um caráter prático para a medida.

A assinatura do decreto significa uma desburocratização do processo de abertura de empresas. Com o ato, Santa Catarina é o primeiro estado a seguir o Governo Federal, que fez movimento semelhante com a Lei da Liberdade Econômica em setembro. A diferença é que o Governo estadual foi além: enquanto a União dispensou de licenciamento 287 atividades econômicas, no Estado esse número foi de 597.

:: Confira a lista de atividades

Na visão do governador, o decreto faz com que o princípio da boa fé prevaleça, uma vez que o empreendedor faz a declaração e automaticamente lhe é concedido o direito de abrir o negócio. Ele ressalta, no entanto, que a fiscalização continuará a ocorrer, e eventuais irregularidades serão punidas. 

“Queremos fazer com que Santa Catarina seja um lugar aprazível para se fazer negócios, atraindo novos investidores. O Poder Público deve ser um incentivador, e não um obstáculo. Nosso Estado avança mais uma vez. Esse talvez seja um case nacional. Alguns estados tiveram dificuldades de estabelecer 15 ou 20 atividades livres de licenciamento e nós estamos trabalhando com o dobro do que o Governo Federal liberou”, destacou Carlos Moisés. 

O presidente do Conselho Regional de Contabilidade (CRC), Marcello Seemann, descreveu a assinatura como a realização de um sonho para a classe empresarial de Santa Catarina:

“A desburocratização é um desejo antigo. Fizemos mais que o dobro do Governo Federal. É um trabalho de formiguinha realizado por todas as entidades envolvidas e que faz novamente com que Santa Catarina seja o número 1 do Brasil”.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Lucas Esmeraldino, destacou que a assinatura do decreto coloca Santa Catarina na vanguarda dentro do Brasil e reforça a condição de melhor estado para se fazer negócios. 

“O nosso trabalho dentro da SDE é justamente esse: de desburocratizar para atrair mais investidores. Medidas como essa fazem com que o empreendedor olhe para Santa Catarina de uma maneira diferenciada”, salientou Esmeraldino.

O ato também foi comemorado pelo presidente da Junta Comercial (Jucesc), Juliano Chiodelli: 

“Este decreto coloca o estado de Santa Catarina em outro patamar em relação a medidas de desburocratização para a abertura de novas empresas. Estamos criando um ambiente totalmente dinâmico e favorável para o empreendedorismo”.

A meta da SDE, juntamente com os outros órgãos que integram a RedeSim (Jucesc, CBMSC, Divs e IMA), é ampliar a lista de dispensa de licenciamento prévio de outras atividades econômicas no próximo ano. 

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

 


Foto: Roberto Gobbi / SEF

O fluxo de trânsito nas estradas Federais e Estaduais aumenta com as festas de fim de ano e, com ele, os crimes transfronteiriços de descaminho, tráfico e contrabando. Em razão dessas ilegalidades, o Exército Brasileiro intensificou a fiscalização na faixa de fronteira do Paraná e de Santa Catarina. A Operação Choque de Segurança/Ágata, deflagrada nesta semana, teve o objetivo de fortalecer a segurança nas estradas e cidades e contou com participação da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF).

“É importante que a Administração Fazendária participe deste tipo de operação, na qual o Exército proporciona uma boa infraestrutura para a realização da fiscalização do trânsito de mercadorias. Assim, temos ainda mais sinalização e segurança para os agentes fiscais e usuários das rodovias nos pontos de bloqueio; colaboração no trabalho e tratamento respeitoso e com urbanidade para com todos, em especial para a população do Oeste catarinense, que fica distante da presença do Estado”, afirma o auditor fiscal da SEF, Roberto Gobbi. Dez auditores fiscais da SEF participaram das ações.

Na operação, o Exército ocupou diversos postos de bloqueios nas principais estradas do Paraná e Santa Catarina. Participam da fiscalização, ainda, as tropas da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, de Cascavel (PR); a 5ª Brigada de Cavalaria Blindada de Ponta Grossa (PR); e o 14º Regimento de Cavalaria Mecanizado de São Miguel do Oeste (SC).

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 99992-2089
Site: www.sef.sc.gov.br 
FACEBOOK: 
facebook.com/fazendasc


Setor de comércio foi o que puxou o bom desempenho catarinense - Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Santa Catarina obteve mais um resultado positivo na geração de empregos formais em novembro. No último mês, o saldo de vagas de trabalho foi de 10.026, o melhor para o período desde 2011. Com isso, o estado tem agora 95,4 mil empregos formais a mais desde o começo do ano. Trata-se do terceiro melhor desempenho do país no acumulado até novembro, atrás de São Paulo (289,5 mil) e Minas Gerais (132,9 mil), os dois estados brasileiros mais populosos. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 19, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O bom resultado de Santa Catarina em novembro foi puxado por dois setores: comércio, com 6,1 mil vagas de saldo, e serviços, com 4,1 mil empregos a mais. A agropecuária também teve um número positivo, com 1,8 mil empregos de saldo.

O governador Carlos Moisés comemorou os números e disse que eles representam a veia empreendedora do catarinense e o otimismo com a economia. Ressaltou também o empenho do Governo do Estado em facilitar a vida do empresariado.

“Fazemos um esforço de desburocratização. O empreendedor catarinense quer ampliar a sua produção, e o Estado é parceiro para isso. Nós vemos que é um momento de confiança do mercado. Encerramos o ano com diversos indicadores muito bons para o nosso estado, tanto no setor público quanto no privado”, destacou o governador.

Na avaliação do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, o desempenho de Santa Catarina pode ser explicado tanto pelo esforço da administração pública quanto pela diversidade econômica catarinense:

“O Governo vem tomando medidas para facilitar a abertura de empresas. Além disso, temos muitos setores econômicos, como o metal mecânico, a pesca, entre tantos outros. Santa Catarina sempre foi um berço de atração de negócios e é isso que esse resultado mostra”.

Nacionalmente, o saldo de empregos formais em novembro foi de 99 mil. Até o último mês, foram gerados 948 mil empregos no país, o melhor resultado desde 2013.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br