Fotos: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Heroína de Dois Mundos, como é conhecida no Brasil e na Itália, Anita Garibaldi foi homenageada na tarde desta segunda-feira, 17, durante solenidade no Museu Histórico de Santa Catarina, localizado no Palácio Cruz e Sousa, em Florianópolis. A cerimônia antecedeu o plantio da rosa híbrida desenvolvida por botânicos europeus especialmente para marcar o bicentenário do nascimento da catarinense.

Participou do ato uma convidada muito especial: a bisneta de Anita e Giuseppe Garibaldi, Annita Garibaldi. Ela veio da Itália a Santa Catarina especialmente para a programação do plantio da flor. Ela elogiou a ideia de plantar a rosa em locais acessíveis à população, o que contribui com a disseminação da trajetória da bisavó como figura importante da história de Brasil e Itália. "Anita renasce com este ato", avaliou.

>> Mais fotos na galeria

A vice-governadora do Estado, Daniela Reinehr, lembrou a bravura da catarinense ao dimensionar os desafios que ela deve ter enfrentado ao se engajar em um meio predominantemente masculino, há 200 anos. "Sua bisavó é um exemplo das mulheres bravas e fortes que temos em Santa Catarina", disse em idioma italiano, dirigindo-se a Annita Garibaldi. Daniela finalizou sua fala lendo uma passagem que narra a fuga de Anita ao ser capturada durante uma batalha em Curitibanos, quando lutou ao lado de Giuseppe pela causa Farroupilha. "Todas nós tempos um pouco de Anita dentro de nós. A rosa da Anita, para mim, representa a força e a delicadeza da mulher. É assim que eu tenho me referido à diferença que a gente é capaz de fazer no mundo", completou.

A presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Ana Lúcia Coutinho, explicou que o plantio da rosa se encerra no Palácio Cruz e Sousa pois, apesar de a heroína nunca ter passado por Florianópolis, o local é responsável pela salvaguarda da memória catarinense. Ela destacou ainda a parceria da FCC com a Secretaria de Estado da Educação, Santur e Secretaria de Assuntos Internacionais, no âmbito do Governo do Estado, para a realização do projeto.

O público acompanhou o plantio da Rosa de Anita, cuja muda foi colocada próximo ao coreto do Jardim do Palácio Cruz e Sousa, onde uma placa sinaliza o local e explica o simbolismo da planta.

O diretor do Instituto CulturaAnita, uma das entidades que compõem a Comissão Estadual Comemorativa ao Bicentenário do Anita Garibaldi, Adílcio Cadorin, lembrou o início do projeto Dois Mundos e Uma Rosa para Anita. A iniciativa proporcionou o plantio e o contato com a comunidade de sete cidades catarinenses por onde a heroína passou durante sua vida: Tubarão, Lages, Anita Garibaldi, Curitibanos, Laguna, Garopaba e Imbituba. "A rosa é o grande símbolo do bicentenário de Anita Garibaldi", pontuou.

A deputada estadual Paulinha, representando a presidência da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, destacou a importância da figura de Anita Garibaldi como modelo de coragem para outras mulheres. "Que Anita seja inspiração para acabar com o estigma de violência contra as mulheres."

Também participaram da cerimônia a primeira-dama de Santa Catarina, Késia Martins da Silva, e outras autoridades.

Bicentenário

A ação integra o calendário comemorativo dos 200 anos de nascimento de Anita Garibaldi, que se estenderá até 2021. Para isso, em 2019 foi criada, em Santa Catarina, a Comissão Estadual Comemorativa ao Bicentenário de Anita Garibaldi, por meio da Portaria FCC nº 39/2019, com o objetivo de promover e difundir a história da heroína catarinense.

O grupo é composto por diversos órgãos estaduais, prefeituras e entidades públicas e privadas, com coordenação da FCC. Ainda em agosto de 2019, mês do aniversário da heroína, Santa Catarina recebeu a visita de uma comitiva de representantes italianos do projeto Una Rosa per Anita. Na ocasião, foi plantado o primeiro exemplar da rosa híbrida na cidade de Imbituba.

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 



Os jardins do Palácio Cruz e Sousa, sede do Museu Histórico de Santa Catarina, receberão em breve uma muda da Rosa de Anita, uma flor híbrida criada na Itália em homenagem à catarinense Anita Garibaldi. O plantio será realizado na próxima segunda-feira, 17, às 17h, e contará com a presença de Annita Garibaldi, bisneta de Anita e Giuseppe Garibaldi.


Foto: Márcio Henrique Martins / FCC

A Escolinha de Arte da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) abre nesta quarta e quinta-feira, 12 e 13 de fevereiro, as inscrições para seleção dos alunos que participarão das atividades em 2020. A inscrição é gratuita e deverá ser feita exclusivamente na secretaria da Escolinha, localizada no Centro Integrado de Cultura (CIC), das 13h às 18h.

Caso haja mais inscritos do que vagas disponíveis, será realizado sorteio no dia 17 de fevereiro, às 14h, no Cinema do CIC. O resultado será fixado na porta da Escolinha de Arte e publicado no site cultura.sc.gov.br, no dia 18 de fevereiro. Não haverá divulgação do resultado por telefone.

Os pais ou responsáveis dos alunos contemplados no sorteio deverão efetuar a matrícula na Escolinha nos dias 19 e 20 fevereiro, das 13h às 18h, apresentando fotocópia do documento da criança, certidão de nascimento ou carteira de identidade. Caso não compareçam, perderão automaticamente a vaga.

A Escolinha de Arte oferece cursos gratuitos de artes visuais, música e teatro para crianças com idades entre cinco e 12 anos. Também oportuniza e estimula experiências artístico-estéticas em diversas linguagens. Foi criada em agosto de 1963, quando suas atividades ficavam no mesmo espaço do Museu de Arte Moderna de Florianópolis, hoje Museu de Arte de Santa Catarina (MASC).

Mais informações podem ser obtidas com a Escolinha de Arte pelo telefone (48) 3664-2648 ou e-mail escolinhadeartefcc@fcc.sc.gov.br.

Confira os horários das aulas:

Matutino – Artes Visuais, Musicalização e Teatro

Idade: cinco e seis anos
Dia: quinta ou sexta-feira
Horário: 8h50 às 11h30

Idade: sete e oito anos
Dia: terça ou sexta-feira
Horário: 8h50 às 11h30

Idade: nove e 10 anos
Dia: terça ou quinta-feira
Horário: 8h50 às 11h30

Idade: 11 e 12 anos
Dia: terça ou quinta-feira
Horário: 8h50 às 11h30

Vespertino – Artes Visuais, Musicalização e Teatro

Idade: cinco e seis anos
Dia: quarta-feira
Horário: 13h50 às 16h30

Idade: sete e oito anos
Dia: segunda ou quarta-feira
Horário: 13h50 às 16h30

Idade: nove e 10 anos
Dia: segunda ou quarta-feira
Horário: 13h50 às 16h30

Idade: 11 e 12 anos
Dia: segunda-feira
Horário: 13h50 às 16h30

Vespertino – Artes Visuais e Teatro

Idade: cinco e seis anos
Dia: terça-feira
Horário: 13h50 às 16h30

Idade: nove e 10 anos
Dia: sexta-feira
Horário: 13h50 às 16h30

Vespertino – Teatro

Idade: 10 e 12 anos
Dia: quinta-feira
Horário: 13h50 às 15h30

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 


Foto: Mariana Passuello e Nicolas Haverroth/ Udesc

 A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Florianópolis será palco de uma intensa programação cultural gratuita e aberta ao público de 8 a 12 de fevereiro. Serão mais de 150 atividades de música, teatro, artes visuais, arte multimídia, design, moda e cultura popular no campus da universidade no Itacurubi e em outros espaços culturais de Florianópolis.

Festival Internacional de Arte e Cultura José Luiz Kinceler - FIK 2020 é promovido pela segunda vez pelo Centro de Artes (Ceart) da Udesc e reúne público de todas as idades em atividades como shows, oficinas, feiras, exposições, palestras, rodas de conversa, residências artísticas, apresentações teatrais e musicais. O objetivo é valorizar a formação de redes artísticas e fomentar o contato entre sociedade, universidade e grupos artístico-culturais.

A professora Cristina Rosa, diretora-geral da Udesc Ceart e coordenadora do evento, destaca que neste ano o evento está maior do que em 2018, atendendo a um público mais amplo. “Ao pensar no Festival, nós tínhamos dois compromissos, o primeiro era de ampliar o diálogo do Centro de Artes com a comunidade, e o outro apresentar um pouco do que é produzido no campus e que a comunidade não conhece. Sendo também um local de intercâmbio cultural entre alunos, artistas, profissionais da área de cultura, moradores da região e também turistas”, reforça Cristina.

O evento conta com apoio do Museu da Escola Catarinense, da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes.

Programação

Com extensa programação, o evento terá atividades na Udesc e também em outros espaços culturais de Florianópolis, como o Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), o Museu da Escola Catarinense (Mesc) e a Galeria Municipal Pedro Paulo Vecchietti.

Confira a programação completa e a descrição de cada atividade no site udesc.br/ceart/fik2020/programacao. As atividades são gratuitas e abertas ao público. Oficinas terão inscrições no dia e local da atividade, uma hora antes do início. Apresentações artísticas em espaços fechados também terão distribuição de ingressos uma hora antes no próprio local.

Abertura - O evento inicia no dia 8 de fevereiro, sábado, com diversas atividades, mas a solenidade de abertura oficial está marcada para o domingo, 9, às 16h30, no auditório da Udesc Ceart. E a partir das 18h ocorrem os shows no palco montado no estacionamento da universidade, com apresentação de Elô Gonzaga, da banda Orquidália, e o show nacional com a banda paulista Francisco, el Hombre.

Oficinas - Mais de 30 oficinas estão previstas para o evento. Entre os assuntos abordados, temas como: danças africanas, música circular, games em museus de arte, grafismos indígenas, estamparia natural com o uso de plantas, antotipia, palhaçaria, figurino para cinema e teatro, canção no imaginário infantil, moda inclusiva, comunicação não-violenta, reflexões sobre o futuro da moda, entre outros temas.

Música – O FIK 2020 reúne programação musical variada, de recitais de música clássica a shows com bandas locais e nacionais. Nomes como a banda paulista Francisco, el hombre, e as bandas locais Grillo e os Mosquitos, O Exótico Quark Encanto, Orquidália e Elô Gonzaga sobem ao palco do Festival. Recital de piano, shakuhachi, violão e guitarra flamenca também estão na programação.

Artes Cênicas – 28 apresentações, entre teatro, dança e performance serão realizadas nos espaços cênicos da Udesc e também no Teatro Álvaro de Carvalho. Destaque para a peça Ilusões, com a La Vaca Companhia de Artes Cênicas, de Florianópolis; a apresentação Chão de Pequenos, da Cia. Negra de Teatro, de Belo Horizonte/MG, e a performance Skin Structures: one-on-one performance, proposta pela canadense Sophia Marie Cole, de Montreal.

Peças produzidas por alunos e professores da Udesc também serão apresentadas, aproximando a comunidade das atividades desenvolvidas no ambiente acadêmico. É o caso da apresentação A Cantora Careca, produzida em uma das disciplinas do curso de Teatro da universidade.

FIK Criança – Oficinas de pintura, modelagem em argila, improvisação teatral, instrumentos musicais com materiais alternativos e apresentações de teatro estão entre as atividades programadas para o FIK Criança, que ocorrerá de 10 a 12 de fevereiro, das 13h30 às 18h30 na Udesc Ceart.

As inscrições foram realizadas de forma antecipada para três turmas, divididas por faixa etária. Para a turma de 4 a 6 anos, as vagas já estão esgotadas. Para as turmas de 07 a 09 anos e 10 a 12 anos ainda há vagas, e as inscrições podem ser realizadas no dia 10 de fevereiro no hall de entrada da antiga biblioteca do Ceart. Já as apresentações teatrais da programação infantil terão entrada livre, com distribuição de senhas uma hora antes do início da peça.

Feiras – A Feira FIK 2020 reunirá mais de 70 expositores, expondo artesanato, pinturas, ilustrações, brinquedos educativos, objetos em cerâmica, serigrafia, fotografia, roupas e acessórios, entre outros itens. A feira ocorre de 10 a 12 de fevereiro, das 16h às 20h, na tenda que haverá no campus da Udesc.

Outras duas feiras também ocorrem no evento de 10 a 12 de fevereiro: Parque Gráfico – Pocket Edition, das 14h às 21h no hall do Bloco Amarelo do Centro de Artes; e Renda-se à moda: Cultura, Arte e Artesanato, das 14h às 19h na tenda.

Exposições – 13 exposições artísticas integram o evento, incluindo a 9ª edição do Encontro de Livros de Fotografia de Autor. A abertura ocorre no dia 8 de fevereiro, das 16h às 18h na Galeria do Departamento de Artes Visuais (DAV), com visita coletiva a cada uma delas.

Floripa Eco Fashion – Nesta edição, o FIK 2020 terá em sua programação a 2ª edição do Floripa Eco Fashion, evento que debate de 9 a 12 de fevereiro no campus da Udesc a temática da moda sustentável, com palestras, oficinas, feiras, exposições, entre outras atividades.

Atividades diversas – Palestras e rodas de conversa, atividades de moda e design, residências artísticas, arte multimídia, encontro de pesquisa-criação, entre outras atividades diversas também estão na programação.
Entre elas, a pintura coletiva de um mural na Udesc Ceart pela segunda vez no FIK, guiado pelas artistas argentinas Anali Chanquia e Vanessa Galdeano, criadoras do projeto Medianeras. O evento também terá como atividade especial a revitalização no Ceart das hortas verticais de José Luiz Kinceler, com Isabela Mendes Sielski e Coletivo Geodésica Cultural Itinerante

Kinceler, o homenageado

Desenhista, pintor, ceramista, escultor e professor de artes visuais, José Luiz Kinceler (1960-2015) tem homenagem especial com o festival recebendo o seu nome. Graduado em arquitetura e urbanismo pela UFSC (1984) e com doutorado em escultura na Universidad del País Vasco (2001), fez pós-doutorado em Arte Pública pela UFF-RJ (2010). Como professor atuou nos cursos de graduação e do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Udesc Ceart. Sua trajetória como artista teve como marca a ênfase em arte relacional em sua forma complexa, arte pública de novo gênero e processos criativos emergentes.

Natural de Curitiba (PR), morreu em junho de 2015 em Florianópolis, aos 54 anos, em decorrência de um AVC. Um dos pioneiros das Oficinas de Arte do Centro Integrado de Cultura (CIC), o nome dele também está fortemente ligado à formação de alunos nas décadas de 1980 e 1990 em aulas de escultura em cerâmica e bronze. Nome significativo da chamada Geração 80, integrou os emblemáticos grupos Nha-Ú e o Artmosfera. Seu currículo aponta exposições coletivas e individuais em Santa Catarina, no Brasil, nos Estados Unidos e na Argentina. Em 1996, criou o Monumento Integração Conesul, instalado no jardim do CIC, em Florianópolis.


Serviço:

O quê: Festival Internacional de Arte e Cultura José Luiz Kinceler - FIK 2020.
Quando: De 8 a 12 de fevereiro de 2020.
Onde: Udesc Ceart, av. Madre Benvenuta, 1907, bairro Itacorubi
Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), rua Mal. Guilherme, 26, Centro
Museu da Escola Catarinense (Mesc), Rua Saldanha Marinho, 196, Centro
Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti, Praça XV de Novembro, 180, Centro
Quanto: Gratuito e aberto ao público.
Mais informações: udesc.br/ceart/fik | facebook.com/festivalFIK | instagram.com/fik.udesc

Assessoria de Comunicação da Udesc Ceart
E-mail: comunicacao.ceart@udesc.br
Telefones: (48) 3664-8350



A Biblioteca Pública de Santa Catarina recebe na próxima quinta-feira, 13, uma roda de conversa sobre o Carnaval. Nesta edição estão sendo convidados o servidor Alzemi Machado, que é mestre em Educação e Cultura e pesquisador das Sociedades Carnavalescas e o carnavalesco Willian Tadeu Melcher Jankovski Leite, doutorando em História, sob mediação do professor João Pacheco de Souza.

O Carnaval está entre as maiores manifestações da cultura popular brasileira e vem sendo, ao longo dos tempos, objeto de análises e investigações em diversas áreas do conhecimento como história, sociologia, antropologia, turismo, dança e música, entre outras. "Quem não se encanta em observar as coreografias, os enredos, ritmistas, passistas, mestres-salas e porta-bandeiras, o brilho dos carros alegóricos e seus movimentos, o colorido das alas que dão vida aos desfiles, bem como, a alegria descontraída dos foliões integrantes dos blocos de sujos e os bailes de salão?", destaca Alzemi. 

Na capital catarinense, a tradição está presente há mais de 170 anos. Em Desterro, o povo brincava nas residências e nas ruas, incorporando a tradição do carnaval português denominado "Entrudo". A partir da proibição da prática do Entrudo em 1832, surgem os bailes de máscaras, seguindo os padrões das metrópoles europeias. Com a importação do modelo europeu, nascem as sociedades carnavalescas que passam a realizar desfiles ou préstitos pelas ruas, acompanhadas por integrantes de bandas musicais que caminhavam em direção aos locais de realização dos bailes.

Na década de 1920, os Corsos, os Cordões e os Blocos movimentaram e incrementaram o Carnaval de rua, incorporando novas práticas no brincar carnavalesco. Já as Escolas de Samba nascem na Capital a partir dos anos 1940, com a fundação em 1948 da Protegidos da Princesa, incorporando o samba nas manifestações momescas, contribuindo com a consolidação e no fortalecimento na cultura de Florianópolis.                   

Roda de conversa: 
O CARNAVAL EM DESTERRO/FLORIANÓPOLIS
Quando : 13 de fevereiro de 2020, às 18h30
Onde: Auditório da Biblioteca Pública de Santa Catarina
Rua Tenente Silveira, 343 - Centro - Florianópolis (SC)
Entrada gratuita.

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 

A Biblioteca Pública de Santa Catarina vai receber atividades semanais sobre a cultura japonesa. A proposta é transmitir costumes do país oriental às crianças, por meio do idioma, da escrita, da música, da dança, da contação de história e do origami. Os encontros serão às segundas-feiras, das 14h às 16h, entre 10 de fevereiro a 29 de junho.

:: Clique aqui para fazer a inscrição

Conforme os organizadores, também se pretende enriquecer a diversidade cultural  de Santa Catarina com a apresentação de uma cultura bimilenária, multifária, de pensamento, usos, costumes, religião, artes e língua que provêm de outras origens: nem europeia, nem africana, nem indígena.  
A atividade é direcionada a crianças entre 5 e 12 anos, sendo livre a participação de pais e acompanhantes. 

Serviço:

Encontro com a Cultura Japonesa
Local: Biblioteca Pública de Santa Catarina - setor infantojuvenil 
Quando: segundas-feiras das 14h às 16h
Início das atividades: 10 de fevereiro
Público: crianças de 5 a 12 anos
Número de vagas: 15
Atividade gratuita.

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 


Foto: Márcio Henrique Martins / FCC

A equipe que organiza a Sessão Cinemática precisou cancelar as sessões em homenagem aos 100 anos de Federico Fellini, marcadas para esta semana.

Uma nova data será agendada. A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) pede desculpas pelo transtorno.

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 


Foto: Mauren Rigo / Casa Civil

A marca Hard Rock International escolheu Santa Catarina para investir na maior arena coberta para shows no Brasil. O espaço escolhido para a instalação foi a Arena Petry, em São José, na Grande Florianópolis. A inauguração do Hard Rock Live ocorreu na noite de sexta-feira, 31, com a presença de representantes da multinacional americana, do chefe da Casa Civil, Douglas Borba, e demais lideranças empresariais e políticas. 

No evento, Borba falou que a iniciativa promove entretenimento de renome mundial em Santa Catarina, estimulando o turismo e o lazer por meio de shows e eventos nacionais e internacionais. O chefe da Casa Civil ainda pediu apoio ao Governo Federal e aos senadores Jorginho Mello e Dario Berger, presentes no evento, para a regulamentação dos jogos no país. Dessa forma, seria possível a abertura de cassinos no estado. “Conclamamos que, no âmbito federal, haja a regulamentação dos jogos, ou pelo menos, a delegação para que os estados possam regulamentar. Se isso acontecer, queremos que Santa Catarina seja pioneira”, afirmou.

O vice-presidente sênior de desenvolvimento global de hotéis do Hard Rock, Todd Hricko, e o vice-presidente sênior de operações de cassino, Alex Pariente, presentearam o Governo do Estado com uma guitarra em agradecimento ao apoio para a instalação da multinacional em Santa Catarina. Os dirigentes ainda falaram que o estado tem um amplo potencial de investimento na área de entretenimento e que a Grande Florianópolis foi escolhida pela sua localização, belezas naturais, cultura musical e o alto grau de segurança. 

O Hard Rock trabalhou em colaboração com o Grupo Arena Petry para reformular o local, que foi projetado para acomodar 18 mil pessoas e hospedar simultaneamente até 10 eventos sociais. “Estamos confiantes de que a paixão da marca por música e entretenimento será a combinação perfeita para uma Arena viva e renovada", afirmou o presidente do Grupo Arena Petry, Sandro Petry. 

A marca americana ainda anunciou a construção de um hotel com 300 quartos, loja, restaurante e um possível projeto de cassino, se houver a mudança nas regras referentes aos jogos no Brasil. A previsão é gerar mais de dois mil empregos diretos com o projeto da multinacional para Santa Catarina, além de oportunidades adicionais após a conclusão de cada empreendimento.

A marca

O Hard Rock Internacional está presente em 76  países, com hotéis, cassinos, rock shops e cafés. Além dessas operações, a marca também tem a coleção de objetos de música mais valiosa do mundo, com 83 mil peças exibidas em museus próprios, com instrumentos e roupas de astros como Elvis Presley, Madonna, Michael Jackson e integrantes dos Beatles. Parte dos itens pode ser exposta de forma permanente em Santa Catarina com a inauguração do Hard Rock Live.

Informações adicionais à imprensa
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Foto: Márcio Henrique Martins / FCC

Nas comemorações de 100 anos de nascimento do mestre do cinema de invenção, o italiano Federico Fellini, a Sessão Cinemática exibe dois filmes que pintam seu mundo particular, metafórico e alegórico: os longas 8½ e Satyricon. As sessões ocorrem na sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), nos dias 3 e 4 de fevereiro, às 20h, com liberação de senhas às 19h e conversa sobre o autor antes da projeção.

Embaladas pela trilha de Nino Rota, são algumas das imagens mais marcantes do cinema. A fotografia de Vittorio Storaro conjuga o tema recorrente, do contraste entre a brutalidade e a delicadeza. No filme 8½, o diretor-autor está em crise, perseguido pela fama que criou e a expectativa da próxima grande obra. Já em Satyricon, Fellini traduz a obra de Petrônio, do século I, de forma onírica, extravagante, psicodélica, erótica e brutal, criando um retrato fascinante da decadência do Império Romano, falando muito do tempo atual.

Programação:

8 E MEIO FELLINI
Dia 3 de fevereiro (segunda-feira):
19h: liberação de senhas.
19h30: Material Extra sobre Fellini: Terry Gilliam apresenta 8½, entrevista Nino Rota e Vittorio Storaro.
20h: exibição do filme 8½ (1963, 138min, Classificação indicativa: 14 anos) 
Sinopse: O diretor de cinema Guido Anselmi está prestes a rodar sua próxima obra, mas está sem ideias para o filme. Pressionado por todos, ele passa a trabalhar tanto que não consegue mais distinguir a realidade da fantasia.

SATYRICON FELLINI 
Dia 4 de fevereiro (terça-feira): 
19h: liberação de senhas 
19h30: Conversa sobre Fellini 
20h: exibição do filme Satyricon (1969, 124min, Classificação indicativa: 16 anos)
Sinopse: Após seu jovem amor, Gitone, o deixar por um outro homem, Encolpio decide se matar, mas um súbito terremoto destrói sua casa antes de ele ter a chance de completar seu plano. Vagando por Roma no tempo de Nero, Encolpio encontra um cenário bizarro e surreal. Ele é convidado para uma leitura de poesias que acaba em violência, é feito refém por piratas e é forçado a lutar com um gladiador disfarçado de minotauro em um labirinto gigante.

Serviço:
O quê: Sessão Cinemática - Especial Fellini 100 anos
Quando: 3 e 4 de fevereiro. Liberação de senhas às 19h; conversa com o público às 19h30; sessões às 20h.
Onde: Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Entrada gratuita.

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 


Foto: Divulgação / FCC

Estão abertas as inscrições para a Oficina de Bonecas Abayomi que será realizada na Biblioteca Pública de Santa Catarina (BPSC), com a contadora de histórias Maria Ana Raimundo. A atividade será desenvolvida na sexta-feira, 24, das 15h às 17h. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 24 pelo e-mail bpscsecretaria@fcc.sc.gov.br,  pelo telefone (48) 3665-6422 ou presencialmente na recepção.  

Serão oferecidas 20 vagas para crianças a partir de 7 anos. Não é necessário que os participantes levem material.

As Abayomis são bonecas de origem africana. Eram feitas por mães escravas com retalhos de tecidos ou até mesmo pedaços das próprias roupas como conforto e distração para as crianças. As bonecas se caracterizam por não ter costuras: são feitas apenas com nós e tranças.

Serviço

Oficina de de Bonecas Abayomi 
Local: Biblioteca Pública de Santa Catarina (auditório)
Rua Tenente Silveira, nº 343 - Centro, Florianópolis
Inscrições: 17/01/2020 a 24/01/2020
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail bpscsecretaria@fcc.sc.gov.br,  pelo telefone (48) 3665-6422 ou presencialmente na recepção.  
Data da oficina: 24/01/2020
Horário: das 15h às 17h
Ministrante: Maria Ana Raimundo
Número de vagas: 20

Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial