Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Hospital Celso Ramos completa 52 anos com ampliação de serviços e investimentos

Hospital Celso Ramos completa 52 anos com ampliação de serviços e investimentos

Uma das unidades hospitalares mais importantes de Santa Catarina está comemorando 52 anos de funcionamento em meio a um processo de ampliação dos atendimentos, com a oferta de novos serviços. O Hospital Governador Celso Ramos (HGCR) celebra aniversário nesta quinta-feira, 08, após receber investimentos de mais de R$ 1 milhão.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto de arquivo: James Tavares / Secom

O número de focos do mosquito Aedes aegypti aumentou em 38,9% quando comparado ao mesmo período de 2016. De 1º de janeiro a 16 de setembro de 2017, foram identificados 8.658 focos do mosquito Aedes aegypti, em 139 municípios. Neste mesmo período em 2016, haviam sido identificados 6.233 focos em 132 municípios. Os dados estão no boletim divulgado nesta sexta-feira, 22, pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC). O documento apresenta a situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus, com dados até a Semana Epidemiológica (SE) n°37.

>>> O boletim completo está disponível neste link

Em relação à situação entomológica, até a SE nº 37/2017 já são 61 municípios considerados infestados,o que representa um incremento de 22% em relação ao mesmo período de 2016, que registrou 50 municípios nessa condição. 

A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

Informações adicionais para a imprensa:
Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br


Foto: Jaqueline Noceti / Secom

A conquista de Santa Catarina como o segundo estado mais competitivo do país foi o principal assunto do programa Com a Palavra, o Governador desta sexta-feira, 22. Raimundo Colombo destacou o avanço do Estado, que, de 2011 para 2017, saltou da sétima para a segunda posição, atrás apenas de São Paulo. O ranking, que mede a competitividade entre os estados brasileiros e analisa 66 indicadores de abrangência nacional, é um levantamento coordenado pelo Centro de Liderança Pública (CLP). 

“Nós estamos passando pela maior crise da história do país e muitas decisões difíceis precisaram ser tomadas, esse reconhecimento nos mostra que estamos no caminho certo. Mas o vitorioso não é o Governo é toda a sociedade catarinense, cada um que contribuiu com esse processo que foi de evolução desde 2011. Temos que comemorar”, disse o governador.

O outro assunto foi o Fundam 2. Colombo informou que todas as etapas foram vencidas e a assinatura dos convênios com os municípios começa nas próximas semanas. O governador salientou, que, a exemplo da primeira edição, o programa vai distribuir recursos para as 295 prefeituras catarinenses, priorizando especialmente os pequenos municípios.

“Isso vai gerar emprego, vai fazer um movimento anticrise, porque você injeta na economia recursos, obras, serviços, melhora a infraestrutura, reduz o custo, num momento em que quase ninguém está investindo. O Governo tem que pensar na sociedade como um todo, se a prefeitura vai bem, está realizando obras é melhor pra gente também, dentro da filosofia que é preservar o modelo catarinense”, concluiu Colombo.

A entrevista completa pode ser conferida pelo canal do governo noVimeo ou no canal do Youtube. O Com a Palavra, o Governador também está disponível na Rádio Secom para download.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Saul Oliveira/SOL

O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), Leonel Pavan, e o presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Rodolfo Pinto da Luz, assinaram na tarde desta quinta-feira, 21, no cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), os contratos do edital de chamamento público de projetos culturais 01/2016 do Programa Pontos de Cultura promovido pelo Ministério da Cultura e pela SOL. Foram distribuídos R$ 1,25 milhão a 50 projetos selecionados de ações sociais, culturais, artísticas e educacionais, que receberão R$ 25 mil cada. 

"Este é um momento para comemorar, uma ato para ficar marcado na história de Santa Catarina", destacou o secretário Leonel Pavan, ao lembrar que neste mês também foram assinados contratos do Edital Elisabete Anderle, que somavam mais de R$ 5,6 milhões, ocasião em que também foi anunciado o Prêmio Catarinense de Cinema, que distribuirá R$ 8,2 milhões a 23 produções. "São cerca de R$ 15 milhões de incentivo à cultura que estamos investindo na cultura de Santa Catarina", comentou o secretário. 

Ao todo, o edital recebeu 134 propostas originárias de 42 municípios de Santa Catarina. Dos 50 selecionados, 68% correspondem a projetos de fora da região da Grande Florianópolis e Capital. "Esses números mostram a diversidade da cultura de Santa Catarina e demonstram a capilaridade e força dos nossos pontos de cultura", observou o presidente da FCC, Rodolfo Pinto da Luz.

Os contratos foram assinados com os produtores dos pontos de cultura selecionados. O evento contou com apresentações artísticas do Grupo de Danças Folclóricas e Tambores Japoneses ShyuDaiko, de Joinville, que levaram ao palco a tradição milenar do taikô (tambor), e do Causos da Serra - Biblioteca de Oralidade, de Lages, que apresentou suas bem-humoradas narrativas. Ambos estavam entre os projetos selecionados pela Comissão de Organização e Acompanhamento do edital.

>>> Confira a lista completa  

Informações para a imprensa:
Eduardo Correia
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL)
Fone: (48) 3665-7436 / 99924-7590
E-mail: educorreia.sol@gmail.com
www.sol.sc.gov.br

 

 


Foto: Reprodução

O jornal Correio do Norte, de Canoinhas, fará parte do acervo da Hemeroteca Digital Catarinense, projeto da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) em parceria com a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A solenidade para a assinatura do termo de cessão de direitos de digitalização ocorrerá na próxima segunda-feira, 25, às 19h, na Câmara Municipal de Canoinhas, região norte catarinense.

O presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, participará da solenidade, que marcará, ainda, a passagem dos 70 anos do periódico que é o mais antigo da região do Planalto Norte de Santa Catarina. Na ocasião, será autorizada a digitalização dos jornais publicados entre 1947 e 2017. Além do presidente da FCC, estarão presentes também a administradora da Biblioteca Pública de Santa Catarina, Patricia Karla Firmino; o coordenador técnico da Hemeroteca Digital Catarinense, Alzemi Machado; e representantes do jornal.

O trabalho de digitalização das 3,4 mil páginas do jornal está estimado para durar três anos, sendo que todo o conteúdo estará armazenado e disponível para consulta pública no site da Hemeroteca Digital.

Sobre o Correio do Norte

A primeira edição do periódico foi lançada na cidade de Canoinhas no final da tarde do dia 29 de maio de 1947. A publicação nasceu com o objetivo de ser porta-voz udenista, em contraposição ao periódico local, O Barriga-Verde, defensor dos interesses do Partido Social Democrático (PSD). A periodicidade do jornal era semanal com circulação nas quintas-feiras, sendo impresso pelo sistema tipográfico na Gráfica do Witt, em seis páginas no formato standard.

Ao longo dos anos, o Correio do Norte passou por diversas transformações na linha editorial, redacional e administrativa: em 2001, a responsabilidade editorial fica a cargo de jornalistas responsáveis. Em 2005, ocorrem mudanças no quesito visual alterando o formato para tabloide. Em maio de 2008, aumenta o número de páginas de 24 para 32, sendo oito coloridas; e a partir de novembro de 2011, passou a ter 16 coloridas, num total de 32 páginas.

Atualmente, o jornal possui mais de 3 mil assinantes, e a edição impressa circula às sextas-feiras. Conta, ainda, com atualizações diárias na Internet, no endereço www.jornalcorreiodonorte.com.br.

Sobre a Hemeroteca Digital Catarinense

A Hemeroteca Digital Catarinense promove o acesso a fontes documentais selecionadas, organizadas e estruturadas em formato digital. A iniciativa é uma parceria entre o Centro de Ciências Humanas e da Educação (Faed) / Instituto de documentação e Investigação em Ciências Humanas (IDCH) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e a Biblioteca Pública de Santa Catarina, administrada pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

Iniciada em novembro de 2013, a Hemeroteca já contempla em sua base de dados 806 títulos digitalizados, com 32.686 edições, totalizando aproximadamente 200 mil páginas* disponíveis para consulta pública e transferência de arquivos mediante acesso pelo endereço eletrônico: hemeroteca.ciasc.sc.gov.br. São periódicos, jornais e revistas que ajudam a contar a história de Santa Catarina desde o século XIX.

Em 2016, o projeto foi um dos finalistas do 29º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, a maior premiação na área de promoção e preservação do Patrimônio Cultural de todo o país, promovida pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

(*Dados atualizados em 21/09/2017) 

Com informações da assessoria de comunicação da FCC.

Informações adicionais para a imprensa:
Sérgio Teixeira da Silva
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Canoinhas
E-mail: comunicacao@cni.adr.sc.gov.br / sdrcanoinhas@spg.sc.gov.br
Fone: (47) 3627-4021 / 98802-2391
Site: sc.gov.br/regionais/canoinhas


Foto: Jaqueline Noceti/Secom

A Epagri divulgou nesta sexta-feira, 22, uma análise detalhada dos riscos da estiagem que atinge o estado para agricultura de Santa Catarina. O documento foi redigido em conjunto pelos técnicos do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) e do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epágri/Ciram). 

O estudo aponta as precipitações abaixo do normal climatológico no mês de setembro. Segundo nota informativa, o estado é frequentemente atingido por fenômenos climáticos que causam prejuízos à agropecuária, especialmente excesso de chuvas e estiagens. As estiagens mostram seus efeitos negativos à medida que estendem sua duração e conforme coincidem com períodos de implantação das culturas ou com períodos em que o desenvolvimento vegetativo e reprodutivo das plantas são mais sensíveis à baixa disponibilidade hídrica.

Confrontar as informações das atividades agrícolas, monitoramento dos rios e previsão do tempo, traz embasamento importante para compreensão e escolha de estratégias de manejo a serem adotadas em tempos de restrições hídricas.

Desde o dia 23 de agosto não chove regularmente no estado de Santa Catarina. As precipitações para o mês de setembro estão abaixo da média climatológica em todas as regiões do Estado. A situação agravou-se ainda mais com o baixo volume de chuva verificado no mês de agosto nas regiões do Litoral Norte, Litoral Sul, Meio Oeste, Planalto Sul e Vale do Itajaí.

De acordo com o monitoramento dos níveis dos rios em Santa Catarina, existem 22 estações hidrológicas na qual o regime hídrico se apresenta abaixo da normalidade. Os municípios mais atingidos na condição de alerta e emergência são Forquilhinha, Bocaina do Sul, Otacílio Costa, Canoinhas, Palhoça, Chapadão do Lageado, José Boiteux, Salete, Taió, Timbó, São João Batista, São Martinho,  Orleans, Tubarão, Passos Maia, Joaçaba, Rio das Antas, Tangará, Concórdia, Camboriú e Rio Negrinho. A situação encontra-se em atenção para os municípios de Curitibanos,  Itapiranga e Itapema.

Monitoramento dos rios no Estado de Santa Catarina

Esta situação de estiagem em algumas regiões de Santa Catarina é decorrente do baixo índice de pluviométrico em setembro de 2017. A região do Litoral Sul foi a que mais teve chuva no estado, cerca de 31,8mm na média, seguida da região do Extremo-Oeste com 29,6mm. A região que menos choveu neste mês de setembro foi o Meio-Oeste de Santa Catarina, com uma média de 1mm, seguida da região Florianópolis litorânea com 1,3mm. A média histórica em Santa Catarina varia entre 159mm a 251mm, portanto em algumas regiões não choveu nem 10% dos valores médios históricos.

Como em qualquer atividade econômica, há dificuldade em quantificar perdas por determinado fenômeno climático, pois vários outros fatores atuam simultaneamente sobre ela. Não basta simplesmente comparar a safra colhida com a anterior ou com a expectativa inicial de plantio da próxima safra. Fatores de mercado, a busca de produtos num ambiente globalizado, a atratividade dos preços, a forte relação do produto com outras cadeias produtivas podem alterar fortemente a intenção de plantio e os investimentos na produtividade.

O acompanhamento de safra é feito rotineiramente pela Epagri/Cepa, e o que pode ser observado no momento é que algumas atividades já sofrem danos em menor ou maior grau, em função da região em que estão inseridas e que serão impactadas em diferentes grandezas se a oferta hídrica não se reestabelecer em 15 ou 20 dias.

>>> Acesse o relatório na íntegra

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Epagri
Gisele Dias
Fone: (48) 3665-5147 / (48) 99989-2992
E-mail: giseledias@epagri.sc.gov.br
Cinthia Andruchak
Fone: (48) 3665-5344
E-mail: cinthiafreitas@epagri.sc.gov.br
Isabela Schwengber
Fone: (48) 3665-5407
E-mail: isabelas@epagri.sc.gov.br
Site: www.epagri.sc.gov.br

 

Página 193 de 324