Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Simulado Integrado de Resposta a Desastres da Defesa Civil

Simulado Integrado de Resposta a Desastres da Defesa Civil

O Governo do Estado realizou o Simulado Integrado de Resposta a Desastres. O treinamento, feito por meio da Secretaria de Estado da Defesa Civil, junto do Exército Brasileiro, durou quatro dias. Também participaram do exercício a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, as defesas civis municipais e o Samu. O principal objetivo é a capacitação dos profissionais e a integração das mais diferentes esferas do governo.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Saul Oliveira/SOL

O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), Leonel Pavan, e o presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Rodolfo Pinto da Luz, assinaram na tarde desta quinta-feira, 21, no cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), os contratos do edital de chamamento público de projetos culturais 01/2016 do Programa Pontos de Cultura promovido pelo Ministério da Cultura e pela SOL. Foram distribuídos R$ 1,25 milhão a 50 projetos selecionados de ações sociais, culturais, artísticas e educacionais, que receberão R$ 25 mil cada. 

"Este é um momento para comemorar, uma ato para ficar marcado na história de Santa Catarina", destacou o secretário Leonel Pavan, ao lembrar que neste mês também foram assinados contratos do Edital Elisabete Anderle, que somavam mais de R$ 5,6 milhões, ocasião em que também foi anunciado o Prêmio Catarinense de Cinema, que distribuirá R$ 8,2 milhões a 23 produções. "São cerca de R$ 15 milhões de incentivo à cultura que estamos investindo na cultura de Santa Catarina", comentou o secretário. 

Ao todo, o edital recebeu 134 propostas originárias de 42 municípios de Santa Catarina. Dos 50 selecionados, 68% correspondem a projetos de fora da região da Grande Florianópolis e Capital. "Esses números mostram a diversidade da cultura de Santa Catarina e demonstram a capilaridade e força dos nossos pontos de cultura", observou o presidente da FCC, Rodolfo Pinto da Luz.

Os contratos foram assinados com os produtores dos pontos de cultura selecionados. O evento contou com apresentações artísticas do Grupo de Danças Folclóricas e Tambores Japoneses ShyuDaiko, de Joinville, que levaram ao palco a tradição milenar do taikô (tambor), e do Causos da Serra - Biblioteca de Oralidade, de Lages, que apresentou suas bem-humoradas narrativas. Ambos estavam entre os projetos selecionados pela Comissão de Organização e Acompanhamento do edital.

>>> Confira a lista completa  

Informações para a imprensa:
Eduardo Correia
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL)
Fone: (48) 3665-7436 / 99924-7590
E-mail: educorreia.sol@gmail.com
www.sol.sc.gov.br

 

 


Foto: Jaqueline Noceti/Secom

A Epagri divulgou nesta sexta-feira, 22, uma análise detalhada dos riscos da estiagem que atinge o estado para agricultura de Santa Catarina. O documento foi redigido em conjunto pelos técnicos do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) e do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epágri/Ciram). 

O estudo aponta as precipitações abaixo do normal climatológico no mês de setembro. Segundo nota informativa, o estado é frequentemente atingido por fenômenos climáticos que causam prejuízos à agropecuária, especialmente excesso de chuvas e estiagens. As estiagens mostram seus efeitos negativos à medida que estendem sua duração e conforme coincidem com períodos de implantação das culturas ou com períodos em que o desenvolvimento vegetativo e reprodutivo das plantas são mais sensíveis à baixa disponibilidade hídrica.

Confrontar as informações das atividades agrícolas, monitoramento dos rios e previsão do tempo, traz embasamento importante para compreensão e escolha de estratégias de manejo a serem adotadas em tempos de restrições hídricas.

Desde o dia 23 de agosto não chove regularmente no estado de Santa Catarina. As precipitações para o mês de setembro estão abaixo da média climatológica em todas as regiões do Estado. A situação agravou-se ainda mais com o baixo volume de chuva verificado no mês de agosto nas regiões do Litoral Norte, Litoral Sul, Meio Oeste, Planalto Sul e Vale do Itajaí.

De acordo com o monitoramento dos níveis dos rios em Santa Catarina, existem 22 estações hidrológicas na qual o regime hídrico se apresenta abaixo da normalidade. Os municípios mais atingidos na condição de alerta e emergência são Forquilhinha, Bocaina do Sul, Otacílio Costa, Canoinhas, Palhoça, Chapadão do Lageado, José Boiteux, Salete, Taió, Timbó, São João Batista, São Martinho,  Orleans, Tubarão, Passos Maia, Joaçaba, Rio das Antas, Tangará, Concórdia, Camboriú e Rio Negrinho. A situação encontra-se em atenção para os municípios de Curitibanos,  Itapiranga e Itapema.

Monitoramento dos rios no Estado de Santa Catarina

Esta situação de estiagem em algumas regiões de Santa Catarina é decorrente do baixo índice de pluviométrico em setembro de 2017. A região do Litoral Sul foi a que mais teve chuva no estado, cerca de 31,8mm na média, seguida da região do Extremo-Oeste com 29,6mm. A região que menos choveu neste mês de setembro foi o Meio-Oeste de Santa Catarina, com uma média de 1mm, seguida da região Florianópolis litorânea com 1,3mm. A média histórica em Santa Catarina varia entre 159mm a 251mm, portanto em algumas regiões não choveu nem 10% dos valores médios históricos.

Como em qualquer atividade econômica, há dificuldade em quantificar perdas por determinado fenômeno climático, pois vários outros fatores atuam simultaneamente sobre ela. Não basta simplesmente comparar a safra colhida com a anterior ou com a expectativa inicial de plantio da próxima safra. Fatores de mercado, a busca de produtos num ambiente globalizado, a atratividade dos preços, a forte relação do produto com outras cadeias produtivas podem alterar fortemente a intenção de plantio e os investimentos na produtividade.

O acompanhamento de safra é feito rotineiramente pela Epagri/Cepa, e o que pode ser observado no momento é que algumas atividades já sofrem danos em menor ou maior grau, em função da região em que estão inseridas e que serão impactadas em diferentes grandezas se a oferta hídrica não se reestabelecer em 15 ou 20 dias.

>>> Acesse o relatório na íntegra

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação da Epagri
Gisele Dias
Fone: (48) 3665-5147 / (48) 99989-2992
E-mail: giseledias@epagri.sc.gov.br
Cinthia Andruchak
Fone: (48) 3665-5344
E-mail: cinthiafreitas@epagri.sc.gov.br
Isabela Schwengber
Fone: (48) 3665-5407
E-mail: isabelas@epagri.sc.gov.br
Site: www.epagri.sc.gov.br

 


Foto: Defesa Civil

O secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, assinou junto à Marinha do Brasil, em Florianópolis, a autorização para que a Defesa Civil Estadual possa utilizar a área do Farol de Morro dos Conventos, em Araranguá, para a instalação do radar móvel que cobrirá a região Sul de Santa Catarina.

O equipamento, adquirido pela Defesa Civil no valor de R$ 3,4 milhões, vai apoiar a previsão de curto prazo para chuva e tempestades, cobrindo um raio de 100 km a partir do ponto onde estiver operando. Ele também poderá auxiliar em pesquisas.

Segundo o coordenador Regional de Defesa Civil na Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, Sebastião Antônio de Souza, em casos de previsão de eventos meteorológicos mais extremos ou da ocorrência deles, o radar poderá ser deslocado para outras regiões do estado.


Foto: Leneza Della Krás/ADR Araranguá

Agora, está sendo aguardada autorização do processo licitatório que está sendo realizado pela ADR, que se encontra no grupo gestor do Governo, para infraestrutura básica do local que receberá o radar (muro, parte elétrica, base e videomonitoramento).

Com o início da operação do radar móvel em Araranguá, Santa Catarina terá 100% de seu território coberto por estas imagens. O estado já possui radares fixos em Lontras e em Chapecó.

Informações adicionais para a imprensa
Leneza Della Krás
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá
E-mail: imprensa@aru.adr.sc.gov.br
Telefones: (48) 3529-0084 / 99183-1799
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrararangua
Facebook: www.facebook.com/regional.ararangua


Fotos: Gabriela Ressel/SES

O secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, participou, nesta quinta-feira, 21, da 214ª Reunião Ordinária da Comissão de Intergestores Bipartite (CIB), realizada na Associação dos Municípios da Grande Florianópolis, em Capoeiras. Na ocasião, gestores das secretarias de Saúde dos municípios aprovaram o novo modelo de gestão do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). 

A proposta é de integração do Samu Estadual, sob gestão da Secretaria de Estado da Saúde (SES) com o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina. Além disso, serão integradas as Unidades de Suporte Básico (USB) dos municípios também para a gestão do Estado, de forma gradativa.

Segundo o secretário Vicente Caropreso, o Samu passa por uma nova fase de comunicação e integração. “Haverá um aumentando de disponibilidade de viaturas e de pessoal. Também teremos um custo menor do que antes. Esse conjunto de situações aprovadas interessa a todos. Foi definida uma teia de atendimento com um trabalho integrado entre Estado, Corpo de Bombeiros Militar e Voluntários, saúde e municípios para que possamos atender aos reclames da sociedade”, destacou Caropreso.

De acordo com a superintendente de Serviços Especializados e Regulação, Karin Geller, está sendo elaborado um termo de cooperação técnica entre a SES e o Corpo de Bombeiros para a cogestão do Samu. “Estamos fazendo um planejamento de migração do Samu atual para o novo sistema de cogestão”, explicou Karin.

O gerente estadual do Samu, coronel João Batista Cordeiro Júnior, destacou que Santa Catarina continua sendo referência no Brasil em atendimento pré-hospitalar. “Além disso, somos o único estado que tem a proposta de integrar o Samu Básico e Avançado, e isso será um grande passo”, destacou o João Batista.

O secretário Vicente Caropreso reforçou que o Samu é uma política de estado. “Essa aprovação foi uma grande vitória não apenas para a secretaria e, sim, para toda a saúde de Santa Catarina, incluindo os municípios. Estou extremamente contente com essa novidade e com esse avanço que acabamos de promover. Parabéns a todos os envolvidos”, comemorou o secretário.

Outras deliberações da CIB

A CIB também aprovou as transferências de alguns hospitais municipais credenciados de gestão estadual para gestão municipal. Além disso, foram aprovadas as habilitações de:

- 15 leitos de retaguarda clínica do Hospital São, de Seara;

- 8 leitos de UTI adulto tipo II para o Hospital Oase, de Timbó;

- 15 leitos da Unidade Cuidados Prolongados, de Luzerna;

- leitos de UTI para o Hospital Santo Antônio, de Blumenau;

- do serviço de retirada e transplante renal no Hospital Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí.  

Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br e secretariadeestadodasaude@gmail.com


Fotos: James Tavares/Secom

As ações para manter a força econômica catarinense, o bom andamento das obras do Governo do Estado e os sinais da retomada do crescimento da economia foram alguns dos assuntos abordados pelo governador Raimundo Colombo, em Videira, na noite desta quinta-feira, 21, em um dos encontros de uma série que está acontecendo em todas as 35 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs). O evento foi realizado no auditório da Unoesc e reuniu agentes políticos da região, representantes da sociedade civil organizada e servidores.

O governador ressaltou que, apesar dos desafios, Santa Catarina foi o último estado brasileiro a entrar na crise e está sendo o primeiro a sair. O governo estadual não aumentou impostos para garantir a competitividade e não punir a sociedade. Colombo citou que Santa Catarina ficou em segundo lugar no ranking da geração de empregos em agosto, com 6,1 mil vagas com carteira assinada.

“Diversos setores da economia receberam incentivos para garantir o dinamismo. Fizemos ajustes no modelo de gestão. Não atrasamos salários. As obras continuaram com seus cronogramas. Fortalecemos os potenciais de Santa Catarina. E a resposta positiva do nosso estado diante da crise reforça nosso modelo, com regiões com autonomia e muita capacidade de produzir e gerar riquezas. O cenário é de retomada e crescimento”, afirmou o governador.

O fortalecimento das exportações foi outro assunto abordado pelo governador. As exportações catarinenses, puxadas principalmente pelo agronegócio, cresceram 14,3% em relação a 2016, chegando a R$ 5,7 milhões em 2017, conforme dados do MIDC. Os destaques são os volumes exportados de carne suína, que tornam o estado o maior produtor nacional, com 968,8 mil toneladas - o que representa 26,1% da produção nacional. Colombo ressaltou que 35,2% das exportações de carne suína partem de SC.

O recorde histórico ocorreu em agosto deste ano: 28,7 mil toneladas. O principais compradores são a Rússia, China, Hong Kong, Japão e Estado Unidos. A região de Videira é responsável por 11,7% do total de suínos abatidos em Santa Catarina. Em 2016, foram abatidos 1,3 milhão de suínos, um aumento de 17% com relação ao que foi produzido em 2013.

Colombo também destacou que Santa Catarina é o segundo maior exportador de frango do país, com 23,24% das exportações brasileiras, em 2016. As exportações de frango tiveram um crescimento de 21,3%. Em agosto de 2016, foram 79.730 toneladas, enquanto no mesmo mês de 2017 foram 96.681 toneladas. Na região de Videira, são abatidos, por ano, 67,6 mil frangos, ou seja, 7,2% do total em Santa Catarina.

A produção de uva também chama a atenção. Santa Catarina é o 5º produtor do Brasil e 41% da uva comum são produzidas nos municípios de Tangará, Caçador e Pinheiro Preto. O produto teve um aumento de 30% na área plantada desde 2011. Passou de 25 mil toneladas para 29 mil toneladas em 2016. Além disso, a maçã é a segunda fruta mais produzida na região e recebe isenção de impostos do Governo do Estado.

Para garantir e gerar mais competitividade, o Governo do Estado viabilizou R$ 7,4 milhões a 3.122 famílias, que puderam adquirir sementes de milho, calcário, kit forrageira e outros. O governador argumentou que os incentivos fiscais também são fundamentais para garantir o bom andamento do agronegócio e a geração de empregos e renda. Na região de Videira, sete grandes indústrias recebem os incentivos. Os abatedouros beneficiados geram 3.737 empregos diretos e indiretos na região.

Infraestrutura

Conforme Colombo, para garantir o desenvolvimento e escoar a produção também é necessário ter bons acessos. Na região de Videira, desde 2011, o Governo do Estado investiu R$ 350 milhões em infraestrutura. Dentre as obras, o governador citou como exemplo, a pavimentação da SC-464, que liga Salto Veloso a Herciliópolis, obra aguardada há mais de 40 anos. Na SC-135, de Tangará a Campos Novos, foram recuperados 44 quilômetros de rodovia.

O Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam), programa do Governo do Estado, foi fundamental para que ruas fossem pavimentadas em Arroio Trinta, Fraiburgo e Tangará, Os recursos também foram usados na aquisição de maquinário para Salto Veloso, Iomerê e Pinheiro Preto. Sobre a segunda edição do programa, o governador informou que, na próxima semana, começam a ser aprovados os projetos, com isso, será possível formalizar os convênios. O investimento previsto para a nova edição é de R$ 700 milhões para todo o estado.

Educação, Saúde e Segurança

Na área da Educação, o Governo do Estado investiu R$ 10,7 milhões na região. A Escola de Educação Básica Governador Gonçalves Dias é umas das beneficiadas, com ginásio novo, salas de aula e reforma de toda estrutura. A obra está em andamento e deve ser concluída no início do próximo ano.

Na Saúde, foram R$ 6 milhões para a região, em construções, reformas, ampliações e compra de equipamentos, ambulâncias para hospitais e unidades de saúde. O Hospital Salvatoriano Divino Salvador, de Videira, recebeu reforma e ampliação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e compra de equipamentos.

Para área de Segurança também foram feitos muitos investimentos, como a instalação de câmeras de videomonitoramento em Fraiburgo e Videira, ampliação das delegacias de Videira e Fraiburgo, além de novas viaturas para Polícia Militar de Videira, Fraiburgo, Arroio Trinta, Tangará e Pinheiro Preto.



Videira abriu oficialmente a série de palestras nas ADRs, embora Lages tenha sido foi a cidade que sediu o projeto piloto dos encontros regionaos. Participaram da palestra em Videira o secretário da Casa Civil, Nelson Serpa, o presidente do Deinfra, Wanderley Agostini, o secretário da ADR, Euro Viecili, o vice-reitor Ildo Fabris, prefeitos e outras autoridades. Na ocasião, o prefeito de Videira, Dorival Carlos Borga, agradeceu ao governador por sancionar o projeto de lei que incrementa o título de Videira como Capital Catarinense da Uva e do Espumante.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Página 181 de 324