Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 16 de junho de 2017

Com a Palavra, o Governador - 16 de junho de 2017

No programa gravado em Lages, o Governador Raimundo Colombo fala sobre o trabalho da Defea Civil, sobre o setor de tecnologia e a retomada das audiências do Fundam 2.

 

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

A infraestrutura básica e adequação para instalação do Centro Regional de Gestão de Riscos e Desastres da Defesa Civil (Cigerd) Araranguá, deverá iniciar na próxima semana no terreno localizado no pátio do Deinfra, na Rua Coronel Apolinário Pereira, no Centro de Araranguá.

O processo licitatório que definiu a empresa executora da obra aconteceu na tarde desta quinta-feira, 8, na sala de reuniões da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá. Apresentando o menor preço global, de R$ 92.161,19, a Construtora Pais de Filhos de Araranguá foi a vencedora. Há um prazo para apresentação de recursos até a próxima terça-feira, 12.

Após a execução da estrutura básica será instalada pela Defesa Civil Estadual a estrutura modular de quase 150 metros quadrados, com previsão de inauguração para o mês de julho. O Centro Regional de Gestão de Riscos e Desastres da Defesa Civil contará com sala de videoconferência, para a realização de reuniões e capacitações, com tecnologia e agilidade no repasse de dados para a base, em Florianópolis, possibilitando uma melhor resposta e informação necessárias para a gestão do evento em andamento.

Informações adicionais para a imprensa
Leneza Della Krás
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá
E-mail: imprensa@aru.sdr.sc.gov.br
Telefones: (48) 3529-0100/(48) 99148-1191
Site: www.sc.gov.br/regionais/ararangua
Facebook: www.facebook.com/regional.ararangua

 


F
oto: Casan/Divulgação

Com o objetivo de proporcionar uma oportunidade de aprendizado a jovens estudantes, a Casan mantém há mais de 30 anos um programa de estágios destinado a alunos de nível médio, técnico e superior.

As vagas estão espalhadas em todas as unidades da empresa, por todo o Estado, e são destinadas a estudantes de Engenharia Sanitária e Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia Química, Administração, Ciências Contábeis, Direito, Jornalismo e Design Gráfico, além de técnicos em Saneamento e em Química.

O processo seletivo é feito por meio de avaliação curricular e análise do perfil do candidato, tentando adequá-lo aos requisitos exigidos pelo setor específico onde o estágio será realizado.

Conforme a área de formação, o estágio pode ser obrigatório, definido no projeto pedagógico e cuja carga horária constitui requisito para aprovação e obtenção do certificado de conclusão do curso. Em casos não obrigatório, torna-se apenas uma opção de o aluno obter experiência profissional.

"O programa de estágio reforça o compromisso social da Casan e oportuniza aos jovens estudantes inserção inicial profissional e possibilita a aproximação dos conceitos e teorias oriundas do meio acadêmico e escolar com a prática corporativa", diz Alexandre Amorim de Souza, gerente da Universidade Corporativa UniCASAN, unidade gestora do projeto de estágios. "É uma excelente oportunidade de aprendizado profissional", afirma.

No momento, a Casan tem 144 estudantes em suas unidades, compartilhando espaço de trabalho e experiência com os demais 2,6 mil funcionários contratados.

Independentemente da disponibilidade de vagas, os estudantes interessados podem enviar currículo para o e-mail lnascimento@casan.com.br. Mais informações também podem ser obtidas pelos telefones: (48) 3221-5743 ou 3221-5755, na Divisão Administrativa e de Parcerias Educacionais da Empresa.

De estagiária a engenheira

Entre 1999 e 2000, a então estudante da Escola Técnica Federal de Santa Catarina (atual IFSC) Andreia May realizou na Casan o estágio do seu curso técnico de Saneamento. “Esta primeira experiência já foi muito positiva. Tive a oportunidade de ver na prática assuntos que eu estava estudando na sala de aula”, lembra Andreia. Em 2004, ela colheria os primeiros frutos daquele estágio ao ser convocada como técnica em Saneamento da empresa.

Seis anos depois, em 2010, a já engenheira sanitarista Andreia May, diplomada no ano anterior pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), foi aprovada em concurso público da estatal. “Durante os períodos em que atuei como estagiária tive a oportunidade de adquirir conhecimentos sobre o dia a dia de uma grande empresa de saneamento. Hoje, todo aquele aprendizado se mostra muito útil no meu dia a dia e nas minhas tarefas, inclusive trabalhando ao lado de profissionais que me orientaram nos períodos iniciais", explica.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br


Foto: ADR São Miguel do Oeste

O mau tempo continua causando estragos em Santa Catarina. Na madrugada desta quinta-feira, 8, as cidades de São Miguel do Oeste e Descanso, no Extremo-Oeste, foram atingidas por um  forte vendaval que ocasionou destelhamento de residências e queda de árvores . A Defesa Civil Estadual distribuiu sete rolos de lonas para auxiliar os afetados e a Defesa Civil municipal trabalha no levantamento das informações.

Já em Tangará, no Meio-Oeste, a Defesa Civil municipal removeu três famílias que estavam em área de risco de deslizamento. Desde o dia 26 de maio chove no Estado. Já são 29.361 atingidos em 91 municípios, com 21.631 desalojados, 2.667 desabrigados e 8.886 residências que sofreram danos, de acordo com último boletim da Defesa Civil, às 8h, desta quinta-feira, 8.

E a previsão para esta quinta, deixa a Defesa Civil ainda mais em alerta, pois indica chuva de intensidade moderada a forte do Oeste ao Litoral Sul no decorrer do dia e, especialmente para os períodos da tarde e da noite, nas demais regiões. Há, ainda, risco de temporais isolados no Estado. A temperatura estará amena, declinando à noite com chance de neve nas áreas altas do Meio-Oeste e Planalto Sul .

O secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, pede para que as pessoas acompanhem a previsão do tempo da Epagri/Ciram e alertas com a Defesa Civil SC. Ele reforça ainda para que as pessoas fiquem atentas para qualquer sinal de deslizamentos, como por exemplo, rachaduras, inclinação de postes. Neste caso, deve acionar a Defesa Civil pelo número 199 ou Corpo de Bombeiros 193.

Previsão da Epagri/Ciram

Para sexta-feira, 9, a previsão indica a possibilidade de chuva fraca na madrugada em todas as regiões, melhorando gradativamente com aberturas de sol já na manhã.

Conforme a Epagri/Ciram, haverá uma queda significativa nas temperaturas, devido a chegada de uma massa de ar polar. Com isso, a umidade que ainda deve permanecer, possibilita a chance de neve no Planalto Sul e Meio-Oeste.

Já para o sábado, uma boa notícia aos catarinenses, a previsão é de tempo seco e ensolarado em SC. A temperatura segue baixa, próxima de 0°C e negativa nas áreas altas do Estado, com condições de geada ampla. O frio será intenso também no Litoral, com mínima de 4°C a 6°C.

A tendência de domingo, 11, até a terça-feira, 13, é de tempo mais firme com sol entre nuvens em Santa Catarina, sem previsão de chuva. A partir da quarta-feira, 14, há indicativo de chuva frequente novamente no Estado, com acumulados significativos, devido a frente que deve ficar estacionária no Sul do Brasil.

Abrigos:
Lages: 6  abrigos - 406 pessoas
Rio do Sul: 22 abrigos - 1.079 pessoas
Rio do Oeste: 3 abrigo - 186 pessoas
Laurentino: 4 abrigo - 87 pessoas
Capinzal: 1 abrigo - 6 pessoas
Agronômica: 1 abrigo 97 pessoas
Taió: 2 abrigo - 24 pessoas
Correia Pinto:  6 abrigo -  88 pessoas
Ituporanga: 9 abrigos  -121 pessoas
Otacílio Costa:  1 abrigo - 21 pessoas
Lontras: 5 abrigos - 255 pessoas

Situação nas barragens e rios – Atualizado às 8h

- Vale Sul  
* Montante: 32.06m
* Jusante: 1.70m
* Lâmina vertedouro: 1.06m
* Comportas abertas: 0
* Comportas fechadas: 5
* Canal extravasor: fechado
* Tempo: nublado  
* Reservatório: 100% 

- Vale Oeste
* Montante: 20.22m
* Jusante: 7.15m
* Comportas abertas: 5
* Comportas fechadas: 2
* Canal extravasor: Fechado
* Tempo: nublado
* Reservatório: 79 %

- Vale Norte:
* Comportas abertas: 0
* Comportas fechadas: 2
* Reservatório: 13 %

Nível dos Rios:  
* Taió: 7.22m
* Rio do Oeste: 8.58m
* Ituporanga: 1.64m
* Rio do Sul: 8.44m

>>> Celesc trabalha na recuperação do sistema elétrico no Oeste, Meio-Oeste e região Serrana

>>> Municípios são atingidos por vendaval em Santa Catarina

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação – Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC

Cleiton Ferrasso
Secretaria de Estado da Defesa Civil
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br 


Foto: Gisele Vizzotto/ADR São Miguel do Oeste

São Miguel do Oeste e Descanso foram atingidos pelo vendaval na madrugada desta quinta-feira, 8. As famílias estão sendo atendidas pelo Corpo de Bombeiros, Defesa Civil Estadual, município e o Exército. São Miguel do Oeste já decretou Situação de Emergência e aguarda a homologação do Governo do Estado.

>>> Confira a galeria de fotos

Até o meio dia, foram registrados 145 imóveis entre casas, colégios, creches, estabelecimentos comerciais e unidades de saúde que sofreram prejuízos. Mais de 8,6 mil unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica e a Celesc está trabalhando para restabelecer os serviços no município. São 11 vias interrompidas com a queda de árvores, postes e outros materiais.

Cerca de 40 bombeiros militares e comunitários, divididos em sete equipes, estão atuando no atendimento dos atingidos. Cerca de 10 mil metros quadrados de lonas foram distribuídos e mais materiais estão sendo solicitados. As aulas foram interrompidas nas creches Criança Feliz, do Bairro Agostini; Mundo Novo, do Salete e Jardim Encantado, do Jardim Peperi. A EEB São João Batista, do Bairro Agostini e a Escola Municipal Marechal Arthur da Costa e Silva, do Bairro Salete, também foram atingidas e estão sem aulas.

A Assistência Social está recebendo donativos como colchões, roupa de cama, roupas, água e comida, em sua sede administrativa, junto ao CAIC. O fenômeno atingiu Centro e Bairros do município. O Bairro Sagrado Coração foi o mais prejudicado. No decorrer do dia, serão calculados os prejuízos.

Descanso

Vendaval em Descanso
Foto: Prefeitura de Descanso

O município também foi atingido e cerca de 30 residências sofreram prejuízos com destelhamento parcial. O levantamento da prefeitura aponta residências com danos no Bairro Antônio Rech; a sede do Cras no centro; duas famílias na comunidade Itajubá e três na Pratinha. Foram distribuídos dois rolos de lona, totalizando 200 metros.

>>> Celesc trabalha na recuperação do sistema elétrico no Oeste, Meio-Oeste e região Serrana

>>> Municípios são atingidos por vendaval em Santa Catarina

Informações para imprensa
Gisele Vizzotto
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de São Miguel do Oeste
E-mail: imprensa@sge.adr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3631-2900
Site: www.sc.gov.br/regionais/saomigueldooeste
Facebook: www.facebook.com/regional.saomigueldooeste


Foto:Helena Marquardt/ADR Ibirama

Considerando o grande número de ações judiciais contra o Governo de Santa Catarina que chegam ao Fórum de Ibirama sem documentos e informações essenciais que comprovem a real necessidade e urgência no fornecimento de medicamentos e tratamento à saúde, os juízes Sandro Pierri e Angélica Fassini, que respondem pela primeira e segunda vara, determinaram através de uma portaria que os autores das ações passem a apresentar uma série de documentos para que os pedidos sejam analisados.

Entre as novas exigências estão atestado ou receita médica contendo nome nacional do medicamento, ou em sua falta, nome internacional e princípio ativo. A portaria estabelece ainda que o cidadão apresente cópia dos exames indicados pelo médico responsável pelo diagnóstico, acompanhados da ficha ou prontuário médico do paciente e também da negativa formal do atendimento por parte do Estado e do Município, caso o medicamento necessário para o tratamento conste na lista da Farmácia Básica.

Quem fizer a solicitação judicial ainda deverá apresentar cópia do cartão nacional da saúde e comprovante de rendimentos da família e posse de imóveis. Caso alguns dos documentos não sejam anexados no processo, os juízes determinaram, que o Chefe do Cartório deverá intimar a parte autora a juntar os documentos em um prazo de 15 dias sob pena de indeferimento do pedido.

O relatório do médico servirá como base para os juízes catarinenses terem elementos e critérios concretos ao julgarem pedidos para que o Estado forneça medicamentos que não são distribuídos gratuitamente pelo SUS,

A medida visa agilizar os processos e garantir que pessoas que realmente necessitem de determinado remédio, sejam atendidas o mais rápido possível. Na Regional de Ibirama, por exemplo, só nos primeiros meses do ano foram 41 pedidos judiciais de medicamentos, exames de alto custo ou cirurgias de alta complexidade. De acordo com o gerente de Saúde, Amarildo Moser, os números são alarmantes já que a maioria das indicações médicas poderia ter sido substituída. “Hoje percebemos uma judicialização da saúde e sabemos que o cidadão tem direito e é dever do Estado fornecer medicamentos, mas entendemos que deve haver critérios para essa distribuição ou todos acabam sendo prejudicados”.

Ele explica que o problema vem se agravando a medida que grandes laboratórios lançam novos medicamentos. “Nós temos uma lista de remédios padronizados pelo Ministério da Saúde e o médico que trabalha na atenção básica deve buscar receitar primeiramente esses medicamentos, até por uma questão de economia, e caso isso não seja possível aí sim as pessoas devem buscar uma outra alternativa. Mas muitos profissionais receitam medicamentos que receberam de amostra de grandes laboratórios e para continuar o tratamento o paciente acaba recorrendo a justiça sem necessidade. Muitas vezes o cidadão acaba não entendendo essa situação e acha que estamos negando tratamento.”

Juízes contarão com ajuda para decisões sobre medicamentos

Em breve os magistrados de todas as regiões de Santa Catarina contarão com o apoio de técnicos especializados em Saúde nas ações judiciais que envolvam o fornecimento de medicamentos por parte do Estado. Para isso, todas as comarcas catarinenses deverão contar, até o final de 2018, com o atendimento do Núcleo de Apoio Técnico (NAT), da Secretaria Estadual da Saúde.

O NAT vai fornecer aos juízes informações sobre medicamentos padronizados, tratamentos mais adequados para cada caso e, eventualmente, a necessidade de mais dados por parte do paciente para instruir mais adequadamente o pedido feito na Justiça.

Em 2016, foram gastos cerca de R$ 155 milhões para atender a decisões judiciais que obrigam o Estado de SC a fornecer remédios e tratamentos médicos não padronizados pelo SUS. “Em muitos casos existem medicamentos similares, com a mesma efetividade, que são distribuídos gratuitamente. Porém, alguns juízes não têm conhecimento disso e acolhem pedidos de remédios que não têm a sua eficiência comprovada ou que são muito mais caros, onerando o já apertado orçamento da Saúde”, explica o procurador do Estado Daniel Cardoso, consultor jurídico da Secretaria Estadual da Saúde.

Mais informações para a imprensa:

Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br
Site: www.adrs.sc.gov.br/adribirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama

 

Página 14 de 57