Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Simulado Integrado de Resposta a Desastres da Defesa Civil

Simulado Integrado de Resposta a Desastres da Defesa Civil

O Governo do Estado realizou o Simulado Integrado de Resposta a Desastres. O treinamento, feito por meio da Secretaria de Estado da Defesa Civil, junto do Exército Brasileiro, durou quatro dias. Também participaram do exercício a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, as defesas civis municipais e o Samu. O principal objetivo é a capacitação dos profissionais e a integração das mais diferentes esferas do governo.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: James Tavares / Secom

A greve dos caminhoneiros chega ao seu quinto dia e em Santa Catarina o comitê de crise instalado no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Ciderg) desde o começo a semana, monitora todas as demandas e mantém em funcionamento os serviços básicos, diminuindo os impactos dessa paralisação no Estado. A garantia dos serviços essenciais e a manutenção da vida são a prioridade nesse momento, junto com a segurança da população.

A solução da crise é federal, mas em Santa Catarina não são medidos esforços para garantir a segurança das pessoas e as equipes estão nas ruas trabalhando. "O Estado está aqui para manter a ordem e garantir a segurança de todo e qualquer cidadão catarinense ou não que estiver no nosso território", afirma o secretário de Defesa Civil, Rodrigo Moratelli.

Segurança Pública:

É garantido o combustível para o atendimento de emergências do Corpo de Bombeiros, demandadas pelo telefone 193, além do abastecimento de viaturas das Polícias Militar e Civil para manter a ordem e assegurar o acompanhamento da entrega de materiais essenciais. As aeronaves policiais e dos bombeiros também estão à disposição e abastecidas para garantir o pronto atendimento. Segundo o secretário de Segurança Pública, Alceu de Oliveira Júnior, a garantia das reservas já está acertada com os fornecedores.


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Saúde:

Os serviços de urgência e emergência estão mantidos em todos os hospitais, bem como os atendimentos realizados pelo SAMU.

As cirurgias eletivas serão transferidas e reagendadas, organizadas de acordo com uma fila, assim que a situação se normalizar. É importante destacar que elas não serão canceladas, apenas adiadas.

Procon:

O Procon de Santa Catarina está trabalhando para evitar que haja abusos nos preços ao consumidor. Além da fiscalização nos postos de combustível, o Procon também está orientando os supermercados sobre a limitação da venda, sem aumento dos preços. “O consumidor não pode ser lesado. Por isso estamos atuando com sanções administrativas para que a coletividade não seja ainda mais afetada com os reflexos da paralisação”, explica Michael da Silva, diretor do Procon de Santa Catarina.

Mais informações para a imprensa:

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Paulo Jorge Marques
Melina Cauduro
Francieli Dalpiaz
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022 / 9-99614071 / 9-8843-5676
Site: www.sc.gov.br 




Fotos: Jeferson Baldo/Secom

O governador Eduardo Pinho Moreira participou nesta sexta-feira, 25, de reunião na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), em Florianópolis, com o presidente da entidade, Glauco José Côrte, e empresários de diferentes regiões do Estado. O governador fez um breve balanço das ações do Governo do Estado e salientou a importância de diminuir o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) para as indústrias catarinenses, garantindo a competitividade e os empregos. O quinto dia de paralisação dos caminhoneiros em todo o Brasil também foi discutido.

ICMS

O setor industrial gera 750 mil empregos em Santa Catarina. “Gradativamente estamos conversando com os setores, para atender suas reivindicações, dentro do que é possível mediante decreto. Já conversamos e assinamos acordo com o setor atacadista. Consideramos que quem deve imposto, deve pagar”.
Eduardo Pinho Moreira disse que não é possível uma empresa do mesmo setor pague impostos e a outra não. “Há muita diferenciação, a competição fica desigual. Não somos favoráveis a grandes impostos. O que der para diminuir para movimentar a economia nós faremos”, afirmou o governador, ao agradecer o apoio e parceria da Fiesc para o desenvolvimento do Estado.

Eduardo Pinho Moreira destacou que este é um ano eleitoral, então tudo deve ser discutido com muita cautela, para que as decisões não sejam levadas para o lado político. “Não podemos misturar tributos com política”, alertou o governador.

Glauco Côrte enfatizou que uma das reivindicações da Fiesc é voltar a discutir o projeto que reduz o ICMS incidente sobre as vendas das indústrias feitas dentro do Estado. “Solicitamos porque outros estados já têm 12% nas vendas internas”, explicou.

Greve

Outro assunto abordado na reunião foi a paralisação dos caminhoneiros que já completa cinco dias. Eduardo Pinho Moreira informou que o Governo do Estado está fazendo a sua parte, atento a todas as questões relativas à paralisação e mantém todos os esforços concentrados. “Colocamos comboios à disposição das indústrias e garantimos o abastecimento nos hospitais e reforçamos as ações de segurança. Sabemos que a solução da crise é federal, mas Santa Catarina trabalha efetivamente para minimizar os impactos”, disse Moreira.
O presidente Glauco Corte informou que a Fiesc tem recebido muitas manifestações de todo o setor industrial. “A greve afeta toda a economia. Estamos com muitas indústrias que têm exportação sem poder cumprir os prazos. O comprador internacional não quer saber se tem greve ou não. O descumprimento do prazo acaba resultando em ônus adicional para os produtores, como multas, além da credibilidade que é afetada. E a questão da agroindústria é dramática”.


<<<Mais fotos na galeria

Celesc 

Ainda durante o encontro, o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, anunciou que companhia atingiu a marca de três milhões de clientes. “Estamos mostrando que, mesmo sendo uma companhia pública, podemos ser eficientes e competitivos. Nada resiste ao trabalho árduo e diário, ao bom planejamento e à vontade de acertar”.

Siewert também destacou que a energia elétrica é um fator de competitividade e de indução de desenvolvimento e que Santa Catarina possui um dos mais altos índices de qualidade de vida do país, também impulsionado pelo desenvolvimento industrial que garante, entre outras coisas, emprego e renda à população.

“Nosso estado detém o sexto maior PIB do Brasil e conta com 41 empresas no ranking das mil Melhores e Maiores da revista Exame que, juntas, faturam R$ 48 bilhões. O papel da Celesc neste cenário é garantir que essa engrenagem funcione da melhor forma possível, por meio da qualidade dos serviços que prestamos e que atinge diretamente o desempenho da indústria e o dia a dia dos catarinenses”, afirmou.

Atuando há mais de 60 anos em um mercado complexo e dinâmico como o de energia. Nos últimos anos a Celesc, com apoio do Governo do Estado, seu maior acionista, vem transformando sua gestão com foco no planejamento estratégico e em busca por mais eficiência e produtividade.

Para isso, Siewert destacou o comprometimento dos empregados como o maior trunfo da Companhia que está sempre se renovando e pronta para atender mais clientes, mas também para a obtenção de diversos reconhecimentos da sociedade em geral e do mercado energético.

Mais informações
Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da redação da Secom/SC no (48) 3665-3006 ou com a assessora Elisabety Borghelotti, que acompanha o governador. O celular da assessora é (48) 98843-5460. Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa.
As fotos também estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Para pedidos de fotos ou outro material de imagens, favor enviar no fotografia@secom.sc.gov.br ou diretamente pelo telefone (48) 3665-3014.

Estamos à disposição.

 


Foto: Jaqueline Noceti / Secom

O Governo do Estado está orientando a população para que busque somente informações oficiais sobre os impactos da paralisação dos caminhoneiros que afeta todo o Brasil. De acordo com o secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira, em entrevista coletiva à imprensa, nesta quinta-feira, 24, muitas informações falsas, as famosas fake news, estão surgindo em grupos de whatsApp e canais não oficiais.

“É importante que o cidadão utilize como fonte de informação os sites e canais do Governo do Estado para manter-se atualizado. Também os veículos de comunicação são fontes com credibilidade. A difusão de informações falsas, comum em situações como esta que vivemos, traz prejuízo à sociedade, e deve ser combatida”, ressalta.


Fotos: James Tavares/Secom

O governador Eduardo Pinho Moreira esteve na manhã desta sexta-feira, 25, no Centro Integrado de Gerenciamento de Risco e Desastres (Cigerd), em Florianópolis, acompanhando as ações das equipes que trabalham para a redução dos impactos provocados pelo quinto dia de paralisação dos caminhoneiros em todo o Brasil. De acordo com o governador, todas as equipes do governo estadual trabalham integradas para garantir que os serviços essenciais à população permaneçam garantidos.

“O Estado está fazendo a sua parte. O governo está atento a todas as questões relativas à paralisação e mantém todos os esforços concentrados. Colocamos comboios à disposição das indústrias e garantimos o abastecimento nos hospitais e reforçando as ações de segurança. Sabemos que a solução da crise é federal, mas Santa Catarina trabalha efetivamente para minimizar os impactos”, disse Moreira.

De acordo com o governador, ações para combater o aumento abusivo do combustível e para sensibilizar sobre a importância do transporte de animais, dentre outras, também estão sendo coordenadas pelo governo. “A morte dos animais por inanição é um ato de crueldade”, ressaltou.


<<< Mais fotos na galeria

Além do comitê de crise em Florianópolis, o Cigerd trabalha conectado com núcleos regionais em todo o estado.

Moreira esteve reunido com os secretários da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, da Agricultura, Airton Spies, Comunicação, Gonzalo Pereira, com o secretário adjunto da Defesa Civil, Fabiano de Souza, com comandante geral da Polícia Milita, coronel Araujo Gomes e com o comandante da 1ª região do Corpo de Bombeiros Militar, coronel César de Assumpção Nunes. 

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
Site: www.sc.gov.br


Foto: Jeferson Baldo / Secom

Numa ação conjunta, na tarde desta quinta-feira, 24, o Ministério Público de Santa Catarina, os Procons estadual e de Florianópolis, com o apoio das Polícias Militar e Civil atuaram em postos de combustíveis da Capital. De quatro fiscalizados, em dois foram encontradas irregularidades, que resultaram na interdição dos estabelecimentos por 24 horas. A operação de caráter educativo visa proteger os catarinenses da prática de preços abusivos e vai continuar nessa sexta-feira, 25. Procons municipais de outras partes do estado também realizaram operações, enviando informações para o Centro Integrado para Gestão de Riscos e Desastres (Cigerd), onde o Procon também está atuando durante a paralisação dos caminhoneiros.

“O consumidor não pode ser lesado. Por isso estamos atuando com sanções administrativas para que a coletividade não seja ainda mais afetada com os reflexos da paralisação”, explicou Michael Silva, diretor do Procon de Santa Catarina.

Página 2 de 326