Encontre serviços e notícias do Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Verão Santa Catarina 2019/2020



Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Divulgação / SDE

O I Seminário de Propriedade Intelectual, Inovação e Cidadania foi realizado nesta terça-feira, 3, em Florianópolis. A iniciativa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil reuniu atores do ecossistema inovador e especialistas nacionais, para um debate aprofundado sobre o incentivo à competitividade de Santa Catarina, aliado ao sistema de proteção aos direitos autorais.

“Apesar de novas ideias estarem no coração da maioria dos negócios de sucesso, elas têm pouco valor, se não forem desenvolvidas, transformadas em produtos e registradas. Além disso, dentro do contexto da era da economia do conhecimento, a propriedade intelectual legalmente protegida transformou-se em um importante ativo para a competitividade das empresas que desejam otimizar o valor desses bens”, destacou o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, que abriu o evento.

Palestrante no seminário, o representante do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) Araken Lima, enfatizou que a propriedade intelectual precede à inovação. Com números, destacou que Santa Catarina ocupa o quinto lugar no ranking nacional no registro de marcas e patentes, com uma média de 700 pedidos por ano. A quantidade é considerada baixa quando comparada a grandes potências como Estados Unidos, Coreia do Sul e Alemanha, com as quais Santa Catarina procura competir.

“Os números mostram que Santa Catarina tem bastante potencial a ser desenvolvido, principalmente alinhado a sua veia inovadora e empreendedora e que precisa avançar para a popularização do registro de patentes”.

Para Jatyr Ranzolin, advogado especialista em propriedade intelectual e presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Turismo Brasil Portugal de Santa Catarina, o estado se destaca no Brasil. “Temos incentivo à inovação, temos competência e pessoas comprometidas”, destacou.

Ciente das dificuldades que envolvem o registro de patentes no país, o representante da Subsecretaria de Inovação do Ministério da Economia, Miguel Campo de Carvalho, falou sobre a condução de debates técnicos, estudos e geração de conhecimento para a construção de uma estratégia nacional de propriedade intelectual, em uma parceria entre governo, iniciativa privada e sociedade civil. A estratégia deve ser lançada no próximo ano.

“Conciliar estes atores é trazer luz sobre este tema que de certa forma é negligenciada no Brasil, sendo que o principal ativo de uma empresa que inova é a propriedade intelectual” destacou o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação (DCTI) da SDE, Sandro Yuri Pinheiro.

O presidente do Conselho Estadual de Combate à Pirataria (CECOP), Jair Antônio Schmitt, destacou que a importância de mudar a cultura não só do empreendedor, mas também do consumidor. “Em uma ação conjunta com a DCTI e o Cecop, estamos trabalhando a questão da inovação, da propriedade intelectual, o direito autoral, de tal maneira que o público acadêmico possa entrar no mercado de trabalho já sabendo dessa importância da propriedade intelectual, da ética e da cidadania”, disse.

Concurso de história em quadrinhos

Durante o Seminário ocorreu também a premiação do concurso de Histórias em Quadrinhos, Heróis SC, promovido pela SDE, por meio do CECOP, que mobilizou mais de 200 crianças de várias cidades do estado. Foram 116 inscrições homologadas de alunos de escolas públicas e privadas. A ação teve o intuito de fortalecer a conscientização da importância dos princípios éticos e da segurança com o combate à pirataria.

Matheus Cordeiro Koudela, da Escola Internacional UniSociesc, de Blumenau, foi o grande vencedor. “Agradeço a todos que fizeram este concurso contra a pirataria e que nos ensinou muito sobre cidadania. Espero que esta história em quadrinhos ensine também outras crianças, assim como eu, a ser um bom cidadão”, disse.

Os autores vencedores terão as histórias transformadas em gibis, que serão distribuídos nas instituições de ensino parceiras para contribuir com a disseminação deste conhecimento.

Os demais vencedores, na categoria nível médio, foram Daniel Cauã Hinckel e Luiz Felipe dos Santos, de Bom Retiro, da Escola EM Valmir Omarques Nunes, que fizeram o trabalho em conjunto e na categoria nível superior, a aluna Gilcélia Constante, da Faculdade Superior Sociedade Educacional Leonardo da Vinci Uniasselvi, de Lages.

A professora Fabrícia Begalke Mengarda do município de Timbó foi homenageada com uma menção honrosa pelo envio de 40 trabalhos dos alunos da Escola Estadual Professor Emir Ropelato.

Novo edital

Outra entrega que marcou o dia de debates, foi o lançamento pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), de edital para inserir bolsistas dentro dos Centros de Inovação de Santa Catarina. O lançamento ocorreu durante Assembleia Geral do Pacto da Inovação e Encontro dos Comitês de Implantação dos Centros de Inovação.

A Secretaria do Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) são parceiros neste edital.

O Seminário foi realizado pela Diretoria de Ciência, Tecnologia e Inovação (DCTI), Conselho Estadual de Combate à Pirataria (CECOP), Ordem dos Advogados de Santa Catarina, Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e contou com o apoio da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Via Estação Conhecimento e PROFNIT (Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação).

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

 

 


Foto: Mauricio Vieira / Arquivo Secom

A Secretaria de Estado da Educação (SED) lançou nesta segunda-feira, 2, o Edital Nº 2704/2019, que estabelece os procedimentos para a escolha de vagas da 3ª chamada do Concurso Público de Ingresso no Magistério Público Estadual. Os cargos disponíveis são de professor, assistente de educação, supervisor escolar, administrador escolar e orientador educacional.

A escolha de vagas será realizada nos dias 09, 10 e 11 de dezembro nas Coordenadorias e nas Supervisões Regionais de Educação. O processo será de acordo com a classificação do candidato no concurso e com o cronograma de escolha. Na data determinada, o candidato precisa apresentar um documento de identificação oficial com foto. Quem não comparecer no dia e horário da escolha da vaga ou aquele que comparecer, mas não aceitar nenhuma das vagas, perderá o direito sobre a escolha e passará para o cadastro de reserva.

O quadro de vagas e os endereços de onde serão realizados os chamamentos estão publicados no site da SED. As vagas são para atuar nas unidades escolares da rede pública estadual de ensino e nas escolas indígenas.

Critérios para a abertura de vagas

Em conjunto com as Regionais de Educação, a SED realizou todos os procedimentos previstos quanto à distribuição de aulas para os professores efetivos, como planejamento, processo de reordenamento e concurso de remoção.

As vagas disponibilizadas para o ingresso são remanescentes de um processo constante de análise e adequação do quadro efetivo às demandas das unidades escolares, com o objetivo de garantir a qualidade dos serviços prestados. Neste sentido, por se tratar de um quantitativo limitado de vagas, cada chamada visa a atender situações prioritárias.

Informações adicionais para imprensa:
Sicilia Vechi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
Fone: (48) 3664-0353 / (48) 3664-0353 / 99132-5252
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br
www.sed.sc.gov.br 


Foto: Julio Cavalheiro / Arquivo / Secom

A Penitenciária Regional de Curitibanos foi destaque na 16ª edição do Prêmio Innovare, realizada nesta terça-feira, 3, em Brasília, com o trabalho desenvolvido na unidade pelo Grupo Berlanda. Denominado Ressocialização no Sistema Prisional, o projeto que começou em 2010 na unidade que fica em São Cristóvão do Sul, foi premiado como Prática Destaque.  

A penitenciária regional é considerada modelo porque tem 100% dos presos trabalhando. Do total, a Berlanda é responsável pela oferta de 40% das vagas de trabalho e as 60% restantes vêm de outras 11 empresas. Na unidade, 48% dos apenados estão estudando e há 23 cursando ensino superior à distância.


Manutenção na SC-415, em São Francisco do Sul. Fotos: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

As máquinas já estão na pista. Lançado neste ano pelo Governo de Santa Catarina, o Projeto Recuperar avança com o início dos trabalhos de recuperação das estradas estaduais por meio do modelo de parceria com consórcios interfederativos. Desde o fim de novembro, trabalhadores contratados pelo Cincatarina realizam operações de recuperação asfáltica no Norte e Meio-Oeste catarinense, em rodovias como a SC-415, em São Francisco do Sul, a SC-350, em Caçador e Águas Mornas, e SC-120, em Lebon Régis.

“O Programa Recuperar começa a dar os primeiros sinais de efetividade. Agora, os consórcios municipais que aderiram a esse programa do Governo do Estado começam a receber a atenção das máquinas. E o melhor de tudo: trata-se de uma intervenção com muito mais qualidade do que se fazia antes. É um trabalho que, apesar de emergencial, vai ter uma durabilidade muito maior, com o recorte no asfalto e a colocação de uma base”, explica o governador Carlos Moisés.

>> Mais fotos disponíveis na galeria

Operários em ação

Às margens da SC-415, em São Francisco do Sul, o panificador Adriel Alexandre Dias observa o trabalho dos homens e máquinas. Primeiro, os trabalhadores removem a camada de asfalto danificada. Em seguida, o asfalto quente é colocado, compactado e fresado. Dias conta que, embora aguarde por uma revitalização completa da rodovia, a comunidade do bairro da Reta tem avaliado positivamente o trabalho realizado até aqui.

“Tudo que vem para beneficiar o que não está bom é salutar. Será bom para o município e para quem usa a rodovia essa parceria com o Governo. A gente fica até um pouco espantado com a rapidez que a empresa veio para realizar o serviço, atendendo ao pedido da comunidade”, relata Dias.

Duas empresas contratadas atuam no local, uma para executar a obra e outra para fiscalizar. Na SC-415, o trecho a ser recuperado tem uma extensão total de 10 quilômetros, e o fiscal responsável é Edson Manoel de Farias. Além de acompanhar in loco a recuperação da rodovia, ele também realiza o levantamento que precede a operação em si.

“Nós percorremos a estrada e fazemos um levantamento fotográfico. Em um relatório, marcamos o diâmetro dos buracos e fazemos a marcação dos cortes. Em seguida, isso é levado para o nosso setor de engenharia. Por fim, retornamos ao trecho para acompanhar o trabalho da empreiteira, ver se tudo está correto. O objetivo de todo esse processo é fazer um serviço dentro das normas e bom para quem trafega aqui”.

Ainda segundo Farias, o trabalho realizado pelo Programa Recuperar é com asfalto quente, ao contrário do que era realizado anteriormente. Essa técnica proporciona uma maior durabilidade, com a retirada completa do piso danificado com infiltrações e buracos.



Próximos trabalhos

Além das SCs 350 e 415, o Cincatarina dará início aos trabalhos até a próxima semana na SC-284, em Campos Novos, e na SC-390, em Zortéa, com recuperação asfáltica, limpeza de sarjeta e roçada. Na SC-390, em Celso Ramos, está autorizada a manutenção emergencial da rodovia não pavimentada.
No total, cerca de 600 quilômetros de estradas já foram mapeados pelo consórcio e devem receber intervenção em breve. É o caso das SCs 416 (Itapoá), 417 (Garuva / Itapoá), 452 (Monte Carlo/Fraiburgo), 452 (Abdon Batista / Anita Garibaldi), 452 (Vargem / Abdon Batista), 355 (Lebon Régis / Fraiburgo), 355 (Fraiburgo / Videira), 284 (Campos Novos), 135 (Celso Ramos), 135 (Caçador / Matos Costa), 135 (Matos Costa / Porto União), 390 (Zortéa), 390 (BR-470 a Brunópolis), 390 (Celso Ramos / Anita Garibaldi), 155 (Xanxerê / Xavantina) e 455 (Macieira).



Como funciona o projeto

O Projeto Recuperar é um modelo de cooperação inovador e mais econômico para manutenção de rodovias estaduais por meio da parceria com consórcios interfederativos. O Governo do Estado repassa os recursos para a execução dos trabalhos, e as associações de municípios - ligadas aos consórcios - apontam os trechos e os serviços prioritários. O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, reforça que o Recuperar não delega a competência das estradas para os municípios e que o Estado segue com suas responsabilidades jurídicas sobre as rodovias.

De acordo com o Cincatarina, já nos primeiros editais para execução do projeto, foi possível alcançar uma economia de cerca de 32% no valor estimado para os serviços. Os investimentos também são maiores. A partir do ano que vem, a previsão é que o projeto receba R$ 120 milhões por ano, o que representa um crescimento de 124% em relação aos R$ 53,5 milhões aplicados em 2018.

Grande parte do Estado já aderiu ao Recuperar. Atualmente, nove consórcios integram a iniciativa, abrangendo 15 associações de municípios. A parceria alcança cerca de 4 mil quilômetros de malha rodoviária estadual — Santa Catarina tem 6 mil quilômetros de estradas estaduais.

“Queremos que todas as 265 cidades que possuem estradas estaduais em Santa Catarina façam parte e se beneficiem deste projeto, possibilitando essa ação em âmbito local e dando agilidade e economia aos cofres públicos”, salientou Borba.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 


Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Fotos: Divulgação / Secom

O governador Carlos Moisés esteve reunido com Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna, em São Paulo (SP), nesta terça-feira, 3, para tratar de continuidade de parceria entre a organização e a rede estadual de educação.

O Instituto, que há 25 anos promove ações de melhorias na educação no país, é parceiro de Santa Catarina no programa Ensino Médio Integral em Tempo Integral (EMITI). O projeto prevê um currículo voltado para desenvolver competências e habilidades no jovem do século 21.

Página 10 de 638

Conecte-se