Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 17 de novembro de 2017

Com a Palavra, o Governador - 17 de novembro de 2017

O governador Raimundo Colombo fala sobre a ressocialização dos presos no estado, os resultados do agronegócio e o projeto piloto da Secretaria da Educação com a implantação do sistema de matrículas online.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Rafael Paulo/SAI

Apresentações de ferramentas para prospecção de investimentos estrangeiros pautou o primeiro dia da quinta reunião do Fórum Nacional de Gestores Estaduais de Relações Internacionais (Fórum RI 27), grupo presidido por Santa Catarina. O secretário de Assuntos Internacionais (SAI), e presidente do Fórum, Carlos Adauto Virmond, abriu a reunião nesta quinta-feira, 7, no Rio de Janeiro.

Segundo Virmond, um dos objetivos do Fórum RI 27 é justamente reforçar e atualizar a formação dos seus membros. "Buscamos fornecer aos entes federados brasileiros informações e conhecimento diferenciados para que exerçam o seu papel nas relações internacionais com ainda mais profissionalismo", disse Virmond. "Esta ação do Fórum RI 27 reforça o nosso objetivo de consolidar o papel das secretárias e assessorais de relações internacionais dentro da estrutura dos governos estaduais", completou.

A capacitação foi promovida pelo Fórum Ri 27 em parceria com a subsecretária de Relações Internacionais do Rio de Janeiro, anfitriã da reunião, e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), veiculada ao Ministério das Relações Exteriores, no Palácio Guanabara.

As apresentações focaram nas estruturas e nos serviços da Apex-Brasil, no acesso a banco de dados sobre investidores e investimentos externos, e na geração e manutenção de contatos com investidores. "Apresentamos o instrumento necessário para que estados estejam cada vez mais capacitados para atração de investimentos estrangeiros qualificados para o Brasil", descreveu o coordenador da gerência de investimento estrangeiros Luiz Carlos Carvalho.

A quinta reunião do Fórum RI 27 marca as comemorações dos 10 anos de criação da Subsecretaria de Relações Internacionais (SSRI) do Rio de Janeiro, estado que ocupa o vice-presidência do Fórum RI 27. O subsecretário interino da pasta, Bruno Queiroz Costa, apresentou, em primeira mão para os membros do Fórum, o livro comemorativo do aniversário da SSRI. A publicação, que deve ser lançada no próximo ano.

Neste encontro, além dos representantes de Santa Catarina e o Rio de Janeiro, estavam representantes da Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais e Paraíba, cuja participação formalizou a entrada do Estado nordestino como o 17° membro do Fórum RI 27.

Atuação internacional em rede

Os membros do Fórum assistiram também a uma mensagem do representante da ORU-Fogar, a maior rede internacional de governos subnacionais do mundo, com um convite para participação. Fundada em 2007, a rede trabalha para dar voz aos governos subnacionais junto a entidades e fóruns internacionais, além de oferecer capacitações, promover a participação dos seus integrantes em debates internacionais e estimular a troca de experiências entre eles.

O presidente do Fórum RI 27, Carlos Adauto Virmond, propôs que seja estabelecido uma linha de comunicação entre o Fórum RI 27 e o Conselho Nacional de federações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) para identificar formas de atuação em conjunto que ampliem a internacionalização dos estados brasileiros no setor de pesquisa e desenvolvimento. "A SAI já conta com uma parceria estratégica com a FAPESC, que presidiu o Confap no último ano, no trabalho do governo do Estado em favor da internacionalização de Santa Catarina", lembrou Virmond.

Rio de Janeiro - SC preside a quinta reunião do Fórum de Relações Internacionais

Mais informações para a imprensa:
Rafael Paulo
Assessoria de Comunicação
Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais
E-mail: rafael@sai.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2214 / (48) 99952-4504

Foto: Helena Marquardt / ADR Ibirama

A reforma e a ampliação do Hospital e Maternidade Maria Auxiliadora, em Presidente Getúlio, serão inauguradas nesta sexta-feira, dia 8, com a presença do governador Raimundo Colombo. O Governo de Santa Catarina investiu cerca de R$ 4,8 milhões, quantia que será fundamental para melhorar ainda mais o atendimento.

A inauguração, que marca também os 80 anos do hospital, começa às 15h com uma celebração eucarística presidida por Dom Onésimo Alberton e segue com uma breve cerimônia e visita das autoridades aos espaços reformados e ampliados.

A diretora do HMMA, irmã Aurélia Pauli, explica que graças ao investimento do Estado foi possível construir 21 leitos, reformar o pronto atendimento, setor administrativo, de nutrição e refeitório, a capela, além de concluir o Centro de Diagnóstico por Imagem. “Para mostrar a importância dessa obra podemos citar o Centro de Diagnóstico onde teremos raio-x, endoscopia, colonoscopia, ressonância magnética, ultrassom e mamografia, exames fundamentais para garantir a melhora do paciente e até a prevenção de doenças”, comentou.

Agenda de Colombo no Alto Vale

Além de Presidente Getúlio Raimundo Colombo também participa no mesmo dia da inauguração da reforma e ampliação do Hospital Dona Lisette, em Taió, visita a prefeitura de Braço do Trombudo e assina um convênio do Programa Badesc Cidades em Ituporanga.

Mais informações para a imprensa:
Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.adr.sc.gov.br
Site: sc.gov.br/regionais/ibirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama


Fotos: Jaqueline Noceti / Secom

A prefeitura de Biguaçu vai receber R$ 5 milhões para pavimentação de ruas por meio do programa Badesc Cidades, do Governo do Estado. A assinatura do contrato foi realizada em ato nesta quinta-feira, 7, em Biguaçu, na Grande Florianópolis, com a presença do governador Raimundo Colombo, do presidente da Agência de Fomento de Santa Catarina (Badesc), José Caramori, e do prefeito Ramon Wollinger.



Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex/Camex) aumenta imposto para importação de cebola. A partir de 2018, a alíquota será de 25% e não mais de 10%. A medida atende a uma demanda dos produtores brasileiros de cebola, já que o preço praticado em outros países era menor do que os custos de produção. Santa Catarina é o maior produtor nacional de cebola e será um dos estados mais beneficiados com a decisão.

Segundo informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), durante a reunião do Gecex/Camex, ficou estabelecido um cronograma para retorno gradual da alíquota ao nível estabelecido pela Tarifa Externa Comum do Mercosul, de 10%, em 2021. Até lá, o percentual será escalonado, ficando em 20%, em 2019, e 15%, em 2020.

Maior produtor de cebola do país, Santa Catarina teve uma safra recorde de 630 mil toneladas este ano, com preços baixos pagos aos produtores. O secretário da Agricultura e da Pesca em exercício, Airton Spies, explica que a safra de cebola acontece apenas em alguns meses do ano e a importação justamente nessa época acaba contribuindo para reduzir ainda mais os preços. “Isso acontece justamente no período em que os produtores precisam vender. Por ser um produto perecível, os produtores acabam perdendo sua renda”, ressalta.

Importações

De janeiro a outubro deste ano, o Brasil já importou 62,12 mil toneladas de cebola, principalmente da Argentina, Holanda, Espanha e Chile. Na safra 2015/16, a importação de cebolas chegou a 334,7 mil toneladas.

Gecex

O Comitê Executivo de Gestão (Gecex) é o núcleo executivo colegiado da Camex, e conta com representantes da Casa Civil, dos ministérios da Agricultura, da Indústria e Comércio Exterior, das Relações Exteriores, da Fazenda, do Planejamento, dos Transportes e da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Mais informações para a imprensa:

Coordenação-geral de Comunicação Social
Inez De Podestà
imprensa@agricultura.gov.br

Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Foto: James Tavares/Secom

A manutenção dos incentivos fiscais de ICMS do Governo do Estado para as indústrias catarinenses para garantir a competitividade e os empregos foram os assuntos abordados em audiência, nesta quinta-feira, 7, entre o governador Raimundo Colombo, secretário da Fazenda, Renato Lacerda, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Glauco Côrte, e representantes de sindicatos de indústrias de Santa Catarina. A reunião aconteceu no Centro Administrativo, em Florianópolis. O setor da indústria emprega 734 mil trabalhadores e é composto por 50 mil indústrias, conforme dados da Fiesc.

>>> Galeria de fotos

“Sem dúvida não aumentar impostos foi uma forma de proteger e gerar empregos. Esta realidade faz com que Santa Catarina tenha um bom desempenho e uma retomada da economia mais forte do qualquer outro Estado do Brasil. Estamos mais competitivos. E para 2018, a retomada será muito mais forte. O mais difícil passou”, disse o governador.

O presidente da Fiesc destacou os efeitos positivos das políticas fiscais colocadas em prática pelo Governo do Estado nos últimos anos, determinado a manter a competitividade da indústria, não só dos produtos importados, mas de benefícios da mesma natureza previstos na legislação de outros Estados.

“Sem os incentivos fiscais, as empresas não estariam em SC e os empregos não existiriam, de maneira que a perda é incremento de receitas indiretas. Sem benefício fiscal, muitas indústrias já teriam se transferido para o Paraguai e para outros estados”, disse o presidente.

Diante deste contexto, Glauco Côrte destacou que é vital, portanto, que o Estado preserve a atual política fiscal sustentando o crescimento econômico-social do Estado, inclusive no campo das finanças públicas, no qual é um exemplo para todo o país. “Sem emprego não há renda, que é sinônimo de capacidade de consumo. Reduzida a capacidade de consumo da população catarinense, aí sim, teremos decréscimo da receita pública”, explicou.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Página 10 de 221