Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Medalha Zilda Arns

Medalha Zilda Arns

A medalha Zilda Arns é uma justa homenagem a quem dedica a vida para fazer o bem às pessoas. Nesta semana, o governador Eduardo Pinho Moreira entregou o título ao médium Divaldo Pereira Franco. Homem que desenvolveu um belíssimo trabalho caritativo, fruto da vontade de servir o próximo.

Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Eduardo Zabot/ADR Tubarão

Com investimentos de mais de R$ 60 milhões do Governo do Estado, a Rodovia Ivane Fretta Moreira - Contorno Viário de Tubarão - segue em ritmo acelerado para conclusão em 2018. A obra está com 66% dos trabalhos executados, e a fundação do viaduto inicia a concretagem em janeiro.

“Em Tubarão, essa é uma obra muito importante para o Estado, para o município e também para as cidades, porque vai gerar um grande desenvolvimento para região”, destaca o secretário executivo da ADR de Tubarão, Nilton de Campos. A construção da rodovia iniciou em agosto de 2014 e tem previsão de encerrar até o início da segunda quinzena de 2018. São 4,5 quilômetros de extensão, de uma rodovia que vai ligar a BR-101 ao Bairro São Martinho, na SC-370.

Obras do Contorno Viário de Tubarão

A estrada terá quatro faixas de rolamento de 3,5 metros cada, ciclovia nos dois lados da pista com 2,5 metros, além de canteiro central, viaduto próximo a SC-370, trevos e uma ponte de 60 metros de comprimento. De acordo com o engenheiro do Deinfra e fiscal da obra, Jaimir Freccia, a concretagem da fundação do viaduto se inicia em janeiro. “A fundação dessa obra de arte que fica na lado da SC-370, que é o viaduto, vai iniciar em janeiro de 2018. Em relação à pista, já está sendo colocado o aterro nesse lado. A obra está bem desenvolvida”, ressalta.

Além do viaduto, o aterro de sobrecarga da pista entre a BR-101 e o quilômetro 1.300 começará ser retirado em janeiro, quando também inicia a pavimentação com asfalto. Segundo o secretário, esse é um dos investimentos do Governo que complementam as obras na ADR de Tubarão. “Em Tubarão e região, os investimentos foram altos. Além dessa importante rodovia, tivemos três novas escolas e recuperação em todas as demais, ponte, espaço para lazer e esporte e diversas obras nos municípios que demonstram a evolução e o desenvolvimento da nossa região”, afirma Nilton. 

Informações adicionais para a imprensa:
Eduardo Zabot
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de Tubarão
E-mail: imprensa@tro.adr.sc.gov.br
Telefone: (48) 3631-9125 / 98843-1702
Site: sc.gov.br/regionais/tubarao


Foto: Ritta Dias/ArquivoSecom

O aumento da demanda no banco de sangue durante o final de ano torna a doação de sangue ainda mais importante. “Nós entramos em um momento crítico em relação à doação de sangue. Normalmente, há um acréscimo populacional nas cidades do Litoral e de acidentes também, o que aumenta a necessidade do doador neste período’’, destaca Cláudia Lima, do setor de captação do Hemosc.

Aos interessados em doar, é necessário prestar atenção em alguns critérios antes de se dirigir ao Hemosc. Para doar sangue, as pessoas precisam ter de 16 a 69 anos, estar em boas condições de saúde e pesar acima de 50 quilos. Para os menores de idade, é obrigatório o acompanhamento dos pais ou responsáveis na hora de doar. A idade limite para realizar a primeira doação é de 60 anos.

"O processo é simples e leva de 30 a 40 minutos ao todo. Os candidatos realizam um cadastro, uma pré-triagem e um questionário e depois passam por uma triagem clínica", como afirma Cláudia Lima. Após esse processo, começa a doação, que pode levar de 5 a 10 minutos. "Por fim, o doador recebe um lanche e só depois é liberado", disse.

Existem algumas coisas que impedem os doadores de fazerem as doações. Quem realizou cirurgia, exame invasivo (endoscopia ou colonoscopia) ou fez tatuagem recentemente, o Hemosc recomenda que aguarde seis meses para retornar e realizar a doação. O uso de alguns medicamentos também pode impedir a doação, mas cada caso é analisado na hora da triagem.

Medula óssea

A doação de medula óssea ainda é desconhecida por grande parte da população. Diferente da retirada de sangue, o doador de medula precisa passar por um outro processo para finalmente doar. "Quando alguém se interessa em doar medula, os dados dessa pessoa ficam disponíveis em um cadastro mundial. A amostra para o exame da medula pode ser feita quando for doar sangue", destaca Cláudia Lima. 

A coleta de sangue será enviado ao laboratório e é examinada a compatibilidade sanguínea do candidato. O cadastro feito no Hemosc e o exame de compatibilidade ficam disponíveis no Registro Brasileiros de Doadores de Medula Óssea (Redome). Com esse registro, será possível buscar pacientes que estão à espera por um transplante. 

"Depois que houver uma compatibilidade, o doador passa por uma nova bateria de exames e, só depois, é feita a doação por meio de um procedimento cirúrgico", diz.

Para fazer parte do banco de medula é necessário ter de 18 a 55 anos. Além de não ter nenhum tipo de insuficiência cardíaca ou hepática e doenças auto imunes. "O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para milhares de portadores de leucemia e algumas outras doenças do sangue", como explica Cláudia Lima. A chance de encontrar uma medula compatível pode chegar a uma em um milhão.

A medula óssea é um tecido que ocupa o interior dos ossos, sendo conhecido popularmente por tutano. É fundamental para o desenvolvimento das células sanguíneas, pois é lá que são produzidos os leucócitos (glóbulos brancos), as hemácias (glóbulos vermelhos) e as plaquetas.
São células importantes para o sistema de defesa do organismo, oxigenação de células e coagulação de sangue.

Mais informações para a imprensa:
Guilherme Pereira
Rádio Secom
Secretaria de Estado da Comunicação
Fone: (48) 3665-3022

 


Policlínica Regional Sul. Foto: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

O Governo do Estado divulgou um balanço das ações desenvolvidas ao longo do ano nas 15 cidades de abrangência da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá. O destaque do ano na região foi a conclusão da Policlínica Regional Sul, a primeira do Estado, com investimento de R$ 9,1 milhões.

Com uma área de 2.556 metros quadrados, a policlínica fica ao lado do Hospital Regional de Araranguá, para facilitar o acesso dos usuários de saúde de todo o Extremo-Sul. Ela prestará atendimento por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) em regime ambulatorial eletivo, consultas com médicos especialistas e exames.

Estão previstos atendimentos com médicos das áreas de cardiologia, endocrinologia (infantil e adulto), gastroenterologia, ginecologia, mastologia, nefrologia, neurologia (infantil e adulto), oftalmologia, psiquiatria, ortopedia, otorrinolaringologia, pneumologia, proctologia, urologia, enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição dietética, psicologia, consulta pré-anestésica, cirurgia geral, cirurgia vascular, clínica obstétrica e clínica pediátrica.

Segundo o secretário executivo da ADR Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, a Secretaria de Estado da Saúde está preparando edital para buscar o novo administrador do Hospital Regional de Araranguá, que também deverá gerir a policlínica, com previsão de lançamento de edital em fevereiro de 2018.

No setor de educação, outras três importantes obras merecem destaque. A construção da EEM Ana Machado Dal Toé, em Morro Grande, chega à sua fase final. A nova escola possui 5,6 mil metros quadrados, dividida em quatro grandes blocos, e recebeu investimento do Governo do Estado de R$ 8 milhões para sua construção.

EEM Ana Machado Dal Toé
EEM Ana Machado Dal Toé. Foto: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

Segue em ritmo acelerado a construção e ampliação da EEB Maria Garcia Pessi, em Araranguá, com 55% de obra concluída. A escola localizada no Bairro Cidade Alta é a maior da área de abrangência da Gered Araranguá, com cerca de 1,7 mil alunos. O investimento na obra é de R$ 4,3 milhões, com previsão de conclusão em novembro de 2018.

EEB Maria Garcia Pessi
EEB Maria Garcia Pessi. Foto: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

No Centro de Sombrio, começaram em setembro as obras de reforma e ampliação da EEB Catulo da Paixão Cearense em uma área total de 4,2 mil metros quadrados, sendo que o investimento do Governo do Estado nas melhorias será de R$ 2,6 milhões, com previsão de conclusão no segundo semestre letivo de 2018.

Na área de Proteção e Defesa Civil, Araranguá recebeu a instalação do Centro Regional de Gestão de Riscos e Desastres da Defesa Civil (Cigerd Araranguá). A estrutura fica no Centro da cidade sede da região, com equipamentos de ponta, e possui sala de videoconferência para a realização de reuniões e capacitações, com tecnologia e agilidade no repasse de dados para a base, em Florianópolis, possibilitando uma melhor resposta aos cidadãos. O centro atenderá as 15 cidades do Extremo-Sul.

Também fica localizada em Araranguá, no farol do Morro dos Conventos, a base do Radar Móvel Sul. O equipamento adquirido pela Secretaria de Estado da Defesa Civil, com investimento de R$ 3,4 milhões, cobre um raio de 100 quilômetros a partir do ponto onde estiver operando. Com o início da operação do radar móvel, Santa Catarina terá 100% de seu território coberto.

Além disso, dois municípios da ADR Araranguá - Sombrio e Maracajá - contarão em breve com novos equipamentos sociais para atendimento da população. Iniciaram em novembro as construções das sedes dos Centros de Referência em Assistência Social (Cras), que juntos somam investimento de quase R$ 750 mil.

Cada Cras terá, em média, 200 metros quadrados. Eles são unidades de proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social (Suas), com objetivo de fortalecer os vínculos familiares e comunitários e foco principal em famílias que necessitam da assistência social.

Na infraestrutura, a rodovia SC-447, trecho de 18,8 quilômetros entre Araranguá e Meleiro, está recebendo revitalização do Deinfra. A obra contempla recuperação asfáltica, serviços de drenagem, sinalização e obras complementares, no valor de R$ 5,7 milhões. A previsão de conclusão é maio de 2018. Além disso, todas as rodovias da Regional de Araranguá foram contempladas com operação tapa-buracos, serviços de roçada, limpezas de bueiros e manutenção nas estradas não pavimentadas, com investimento de R$ 465 mil.

Entre os grandes projetos executados pela Celesc na região está a construção de uma linha de transmissão, ligando a subestação de Sombrio à Ceprag (Cooperativa de Eletricidade Praia Grande), com investimento do Governo do Estado de R$ 16 milhões. A obra está em andamento. Outro investimento é a construção de um alimentador duplo para a Cejama (Cooperativa de Energia Elétrica de Jacinto Machado), no valor de R$ 2 milhões, que também está em andamento. Além disso, estão quase concluídos dois novos alimentadores, que entrarão em operação até o verão para atender moradores, veranistas e turistas - um entre Araranguá e Balneário Arroio do Silva e outro entre Sombrio e Balneário Gaivota.

O secretário executivo Heriberto Schmidt destaca ainda que, neste ano, a ADR por meio dos técnicos da Gerência Regional de Infraestrutura, fiscalizou recursos públicos (obras licitadas pela ADR, SED, SES) na ordem de R$ 51 milhões. Além disso, foram firmados na ADR somente em 2017 o total de 34 convênios com prefeituras e entidades do Extremo-Sul, totalizando repasse de aproximadamente R$ 5,5 milhões, garantindo investimentos em diversos setores.

Informações adicionais para a imprensa
Leneza Della Krás
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá
E-mail: imprensa@aru.sdr.sc.gov.br
Telefones: (48) 3529-0100/(48) 99148-1191
Site: www.sc.gov.br/regionais/ararangua
Facebook: www.facebook.com/regional.ararangua

 

 

 

 

 

 


Foto: James Tavares / Secom

Nesta terça-feira, 26, a SCPar Porto de Imbituba completa seu 5º ano de atividades. Nessa primeira meia década exercendo a Autoridade Portuária de Imbituba, os resultados consolidados são extremamente animadores: crescimento na movimentação de cargas, diversificação do portfólio de clientes, investimentos em melhorias de infraestrutura, contratação de novos e qualificados colaboradores, apoio a projetos sociais, conquista de reconhecimentos socioambientais e expansão econômica, fortalecendo-se como importante ferramenta de desenvolvimento regional, em especial do Sul de Santa Catarina.

Com a perspectiva de encerrar 2017 com um total de R$ 4,5 milhões de toneladas movimentadas, o Porto alcançará ao fim deste ano um crescimento acumulado de 119%, desde que a administração portuária foi delegada ao Governo do Estado de Santa Catarina. Entre os fatores que contribuem para esse expressivo desempenho operacional está a capacidade de movimentar contêineres, granéis agrícolas, minerais e líquidos, e cargas gerais.

Para o diretor-presidente da SCPar Porto de Imbituba, Rogério Pupo, a qualificação da gestão e infraestruturas terrestre e marítima também podem ser destacadas como pontos fundamentais da alavancagem do Porto de Imbituba no últimos anos. “As melhorias nas vias e procedimentos de acesso internos, além, claro, da capacidade de acesso marítimo, possível graças à conclusão da dragagem de aprofundamento, permitiram colocar o Porto de Imbituba em posição estratégica no setor portuário. Esse trabalho ultrapassa os 60 milhões em investimentos da SCPar Porto de imbituba na infraestrutura portuária”, afirma Pupo.

Os resultados positivos conquistados ano a ano têm gerado um clima de confiança junto à comunidade portuária que se reflete no remodelamento da retroárea, com a construção de novos armazéns equipados com maquinário de última geração e a aquisição de novos guindastes para movimentação de cargas. Somente entre 2016 e 2017, Imbituba recebeu cerca de R$ 150 milhões em investimentos da iniciativa privada, fazendo com que a estrutura portuária seja disseminadora e também mecanismo de desenvolvimento econômico do município.

Atuação socioambiental

No campo social, a SCPar Porto de Imbituba tem atuado através do Projeto Carga Preciosa, que é viabilizado por meio de legislação municipal e federal de incentivo fiscal, uma vez que, por lei, o capital da empresa só pode ser reinvestido dentro do porto. Apenas em 2016, aproximadamente 50 ações com foco na promoção da cultura e esporte receberam apoio do porto.

Destaca-se ainda a gestão ambiental realizada pela Autoridade Portuária. Entre os procedimentos que integram o Plano de Controle Ambiental da SCPar Porto de Imbituba estão 18 programas de monitoramento, dentre eles o Programa de Pesquisa e Monitoramento das Baleias Francas, vencedor de três prêmios ambientais.

Além disso, a atuação alinhada ao desenvolvimento sustentável garantiu à empresa a Certificação em Responsabilidade Social, concedida pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina em 2016 e 2017.

Novas linhas e novas perspectivas

A mais recente conquista foi a inclusão da instalação portuária como escala na linha de navegação para a Ásia, consolidando-se como uma forte opção logística de aproximação da produção nacional de grandes mercados produtores e consumidores.

“Com certeza a linha da Ásia permite que a qualificação profissional e técnica com que se trabalha hoje no Porto de Imbituba sejam vistas, passando a serem consideradas pelo mercado para atração de novas linhas. Nós estamos entrando definitivamente no mapa e no mercado internacional e esta conquista é parte de um plano estratégico estabelecido logo no início de nossas atividades, que vem sendo cumprido, vencendo etapa por etapa, e sabendo que cada passo dado é um passo de consolidação do Porto de Imbituba, é uma ação coerente dentro de uma estrutura de empresa pública presente em um mercado altamente competitivo”, ressalta o diretor-presidente.

Na avaliação de Pupo, as perspectivas para os próximos 5 anos são promissoras. “Continuamos a seguir o processo instituído em nosso planejamento estratégico de desenvolvimento sustentável, em que o foco é crescer com qualidade. Aliado à consolidação do desenvolvimento de todo o Sul de Santa Catarina, nos posicionamos no mercado da navegação como um porto capaz de atender as demandas e atrair novas cargas e novas linhas, solidificando ainda mais o que até aqui foi conquistado”, conclui.

Mais informações para a imprensa:
Géssica da Silva
Comunicação Social
SCPar Porto de Imbituba
Fone: (48) 3355-8908
E-mail: gessica.silva@portodeimbituba.com.br
www.portodeimbituba.com.br


Foto: Juliana Balotin/ADR São Lourenço do Oeste

Em 2017, atendendo a uma reivindicação de décadas da população de Campo Erê, o Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Agência de Desenvolvimento Regional de São Lourenço, tornou realidade a implantação e pavimentação de um Contorno Viário no município, trecho compreendido entre as rodovias SC-305 e a paranaense PR-180. A ação garantiu relevante diminuição do tráfego de veículos pesados pelo centro da cidade, preservando assim as vias municipais, promovendo também a diminuição da emissão de gases poluentes e da poluição sonora.

O trecho tem extensão de 1.186,80 metros e demandou investimentos na ordem de R$ 2,9 milhões, oriundos da Secretaria de Estado da Infraestrutura. A Agência de Desenvolvimento Regional de São Lourenço atuou acompanhando e fiscalizando o andamento da obra.

Foram executados serviços de terraplenagem, drenagem, obras de artes correntes, pavimentação, interseção com a PR-180, sinalização e obras complementares. Segundo dados da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), o fluxo diário na rodovia é de aproximadamente quatro mil veículos. 

O governador Raimundo Colombo inaugurou a obra em outubro deste ano, em uma solenidade que contou com maciça presença da população. “Campo Erê fica na divisa com o Paraná e é grande em produção de milho e  soja. É impressionante a produtividade, o desenvolvimento que este setor está tendo. É um povo honrado, trabalhador, que produz muito e ajuda no desenvolvimento do Estado. Mas uma região que se desenvolve precisa de uma infraestrutura melhor, e este contorno cumpre com este objetivo. É uma obra importante que melhora todo trânsito e oferece segurança e mobilidade”, disse o governador durante o evento de inauguração. 

Para o prefeito de Campo Erê, Odilson Lima, trata-se de uma obra bem executada e segura. “É de grande importância, pois vem melhorar a vida dos que trafegam por aqui, moradores e transportadores de toda região. É uma obra que vai fortalecer ainda mais a economia do município, além de oferecer segurança a quem trafega”, afirmou.

O secretário-executivo da ADR, Walmor José Pederssetti, ressalta que se sentiu honrado em participar desta ação transformadora para a economia da região.

Importância para os moradores 

Genir Sadi Moreira tem uma empresa às margens da rodovia e relatou que antes era muito perigoso o trajeto, pois uma escola fica próxima e todo trânsito passava na frente. Hoje não mais. “E para o meu comércio também melhorou muito. Essa obra veio solucionar os problemas que tínhamos de tráfego, melhorando o fluxo e, com certeza, o desenvolvimento da nossa cidade”, disse.

Uma iniciativa da Câmara de Vereadores do município pretende colocar o nome do Contorno Viário de Campo Erê de Guerreiros da Chapecoense, em homenagem à tragédia ocorrida com a delegação e atletas da Associação Chapecoense de Futebol, no dia 29 de novembro de 2016. 

Mais informações para a imprensa:
Juliana Balotin
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de São Lourenço do Oeste
E-mail: ascom@snx.adr.sc.gov.br e juliana.balotin@gmail.com
Fone: (49) 3372-1003 / 98832-9273
Site: sc.gov.br/index.php/regionais/saolourencodooeste 

Página 73 de 304