Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 15 de setembro de 2017

Com a Palavra, o Governador - 15 de setembro de 2017

O Governador Raimundo Colombo fala sobre o saúde em Santa Catarina e a retomada na economia.


Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Elenise Melo Nunes/ADR São Joaquim

Com o registro de temperaturas negativas em diversos municípios catarinenses, moradores de algumas regiões enfrentam problemas com o encanamento de água. Na madrugada desta terça-feira, 18, quando as temperaturas registraram temperatura de até -7,4°C e uma sensação térmica de -27°C na Serra Catarinense, apenas na Agência local da Casan de São Joaquim foram informados 120 casos de vazamento por congelamento, situações que podem ser evitados com algumas medidas preventivas. Na próxima noite, a Casan também irá interromper o fornecimento de água nas regiões mais baixas de São Joaquim.

A servidora pública Vera Lúcia Mariotti foi umas das moradoras de São Joaquim que enfrentou o problema. Ela conta que apenas no final da manhã desta terça-feira,18, provavelmente quando o cano descongelou, ela observou que um cano do hidrômetro estava esguichando água e que estava rachado. “Não sabia que isso poderia acontecer, e que uma simples proteção poderia ter impedido o congelamento e os transtornos”, afirmou.

Entre as medidas indicadas pela Casan para evitar o congelamento de hidrômetros e encanamentos de água expostos está a proteção dos hidrômetros com jornal, plástico ou papelão para abrigar o equipamento e uma alternativa para encanamentos externos, como torneiras de jardins ou tubos de PVC não enterrados é através do esvaziamento dos canos e o fechamento dos registros. “Se houver a possibilidade, o ideal é fechar o registro e esgotar a canalização de água. Outro alerta é para que as pessoas não joguem água quente em encanamento congelado, pois o choque térmico poderá trincar os canos”, explicou o agente local da Casan de São Joaquim, Luiz Carlos do Amaral.

A Casan informa que diante das previsões que indicam temperaturas de até -10°C na próxima noite, o fornecimento de água será interrompido a partir das 18 horas desta terça-feira, 18, nos bairros Bandeira, Cohab I, Jardim das Camélias, Três Pedrinhas, Marita Campos, Santa Paulina e São José. “Com a interrupção pretendemos esgotar as redes e com isso evitar o congelamento e por consequência os transtornos e despesas geradas pelas situações apontadas”, destacou o agente.

 

 


Foto: Márcio Miguel Martins/FCC

O Museu Nacional do Mar conclui mais uma etapa importante das reformas emergenciais com a reabertura total ao público, nesta quinta-feira, 20, da Ala do Mar, que abriga as salas de Artesanato e Modelismo, da Navegação, das Canoas e a Biblioteca Kelvin Palmer Rothier Duarte. A Sala Amyr Klink, situada em outra ala do complexo, também reabre para visitação após ser totalmente revitalizada. Desde março deste ano, o Museu está sendo submetido a um intenso processo de reparos com investimentos superiores a R$ 400 mil pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

“Com essas reformas garantiremos a base para, enfim, buscarmos parcerias e recursos para a revitalização completa do museu, com a implantação do seu plano museográfico”, adiantou o presidente da FCC, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz. Ele destacou também outros avanços que marcaram o primeiro semestre para a instituição, como a regulamentação do regimento interno do Conselho Gestor e a criação do regime de cogestão entre a FCC, a Prefeitura de São Francisco do Sul e a Associação Amigos do Museu Nacional do Mar.

Outra novidade será a entrega, em breve, do píer do Museu Nacional do Mar. A obra é custeada pelo Porto de São Francisco do Sul, uma das entidades que compõem o Conselho Gestor da instituição. Para marcar a reabertura da Ala do Mar, o museu retomará a exposição permanente dos modelos e miniaturas de embarcações do seu acervo de mais de 150 peças – que reproduzem em boa parte as originais da Coleção Alves Câmara.

Já a Sala Amyr Klink foi totalmente revitalizada e também será entregue para visitação permanente. O espaço apresenta uma retrospectiva das principais façanhas marítimas do navegador brasileiro, incluindo a réplica do barco I.A.T. que Amyr utilizou para a travessia a remo do Atlântico Sul em 1984. Ao ser homenageado com o título de benemérito do Museu, no início do mês, o navegador sinalizou positivamente com a possibilidade de levar novamente a embarcação original para exposição no local.

Informações adicionais para imprensa
Marcos Espíndola
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial   
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: Anne Caroline Anderson/Fatma

Com o frio intenso, os pinguins começaram a aparecer no Litoral catarinense. Dezoito deles estão sendo reabilitados no Centro de Tratamento de Animais Silvestres (Cetas), no Parque Estadual do Rio Vermelho, em Florianópolis. O trabalho de reabilitação é feito pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma) em parceria com a ONG R3 Animal e Polícia Militar Ambiental.

Os pinguins-de-magalhães são originários da Argentina e pertencem à colônia Punta Tombo. As aves estão no parque há cerca de dois meses e vão permanecer no local por mais 15 dias, quando deve ser feita a soltura. “Por mais que sejam bonitinhos, as pessoas têm que ter consciência de que lugar de animal silvestre é na natureza”, explica o gerente das Unidades de Conservação da Fatma, Gilberto Morsch.

Com a chegada do inverno no Hemisfério Sul, os pinguins partem em busca de alimentos. Alguns se perdem dos bandos e adoecem. Já bem fracos e debilitados, chegam ao Litoral catarinense. Para avaliar se os pinguins estão em condições de voltarem ao mar, os tratadores fazem hemograma e exames clínicos e parasitológicos. “As aves ficam em tratamento, em média, por 45 dias e são soltos, no mínimo, em grupo de dez aves”, afirma a médica veterinária da ONG R3 Animal, Samira Costa.

O que fazer ao encontrar um pinguim

Se você encontrar um pinguim que precise de reabilitação, a orientação é aquecê-lo e não colocá-lo em lugares frios. Ao chegar às praias catarinenses, eles estão doentes, magros e sem a camada de gordura natural que os fazem suportar baixas temperaturas. Com auxílio de uma toalha, os animais devem ser colocados dentro de uma caixa de papelão e não devem ser alimentados nem devolvidos ao mar. Em seguida, a Polícia Militar Ambiental deve ser acionada pelo (48) 3665-4487 para que os pinguins sejam encaminhados ao centro de tratamento. Se as aves estiverem nadando em grupo, não há necessidade de resgate.

Preservação e educação

O Centro de Triagem do Parque do Rio Vermelho recebe cerca de 2,5 mil animais silvestres por ano vítimas de tráfico ou maus-tratos. Além de abrigar e tratar os animais, o local disponibiliza uma trilha ecológica usada para educação ambiental. Como o objetivo do tratamento dos pinguins é devolvê-los à natureza, os animais não estão à disposição do público para visitação. 

Mais informações para a imprensa:
Claudia de Conto
Texto: Anne Caroline Anderson
Ascom Fatma
E-mail: comunicacao@fatma.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4177/99172-8277


Terreno sendo preparado em Presidente Nereu. Foto: Helena Marquardt/ADR Ibirama

Os municípios do Alto Vale que foram contemplados com Centros de Referência em Assistência Social (Cras) da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, já finalizam os terrenos que vão receber as unidades e tentam deixar tudo pronto até a próxima segunda-feira, 24, quando será realizada a licitação para definir a empresa responsável pelos trabalhos.

Ao todo, o secretário da pasta, Valmir Comin, anunciou a construção de 42 unidades do Cras e Creas em todo o estado. Cada uma delas custará R$ 450 mil e os recursos são do Pacto Por Santa Catarina. Só na região, nesse primeiro lote, as unidades serão instaladas em Presidente Nereu, Dona Emma e Apiúna. Já numa outra etapa, Lontras também será beneficiada.

O gerente de Planejamento e Apoio a Políticas Públicas da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Ibirama, Egon Gabriel Junior, tem vistoriado os terrenos para garantir agilidade. “Cada prefeitura precisa fazer a sua parte, pois essa é a única contrapartida exigida dos municípios que vão receber esse importante investimento”, disse.

O prefeito de Presidente Nereu, Isamar de Melo, ressalta que, na cidade, a prefeitura já concluiu o estudo técnico do solo, trabalha nesse momento na finalização do muro e, em seguida, será feito o aterramento do terreno. “Acredito que em uns 10 dias esteja tudo pronto para receber a empresa que vai fazer a obra”, falou.

Ele completou dizendo que a nova unidade do Cras será fundamental para melhorar o atendimento das famílias em situação de vulnerabilidade social. “Além de ser um prédio que dará um novo visual para a cidade, teremos melhores condições de atender as pessoas que hoje são recebidas num espaço cedido, que é muito pequeno e não é o ideal”, explicou.

Mais informações para a imprensa:
Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.adr.sc.gov.br
Site: sc.gov.br/regionais/ibirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama


Foto de arquivo: Jaqueline Noceti / Secom 

O primeiro semestre de 2017 apresentou saldo positivo na geração de emprego em Santa Catarina: foram registradas 21.183 novas vagas com carteira assinada. Os dados, que representam o saldo entre profissionais admitidos e desligados no período, foram divulgados nesta segunda-feira, 17, pelo Ministério do Trabalho. O setor com melhor resultado foi o da indústria de transformação (saldo de 20.470 vagas no semestre), seguido pelo segmento de serviços (4.350 vagas).

Os números representam também uma situação bem mais favorável do que a registrada no mesmo período do ano passado, quando o saldo acumulado dos seis primeiros meses fechou em -7.676.

Os indicadores de 2017 continuam positivos porque Santa Catarina apresentou bons resultados principalmente nos primeiros meses deste ano.

Considerando, contudo, exclusivamente o desempenho no mês de junho, o resultado foi negativo, com saldo de -1.546 postos de trabalho para o período. As quedas mais expressivas do mês foram nos setores de serviços (-523), comércio (-485) e indústria da transformação (-378). Apresentaram saldo positivo apenas as áreas da administração pública (164) e agropecuária (80).

Mesmo negativo, o saldo de junho de 2017 foi melhor do que o registrado no mesmo mês dos últimos anos. Por exemplo, em junho de 2016 o resultado foi de -8.290 vagas, e em junho de 2015 foi de -7.922.

Entre os municípios catarinenses com mais de 30 mil habitantes, os melhores resultados no mês de junho foram os de Jaraguá do Sul (195 vagas, sobretudo determinado pelo comércio), Fraiburgo (132 vagas, com influência positiva principalmente da agropecuária) e Indaial (109 vagas, com destaque para o setor de serviços).

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Página 71 de 144