Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Medalha Zilda Arns

Medalha Zilda Arns

A medalha Zilda Arns é uma justa homenagem a quem dedica a vida para fazer o bem às pessoas. Nesta semana, o governador Eduardo Pinho Moreira entregou o título ao médium Divaldo Pereira Franco. Homem que desenvolveu um belíssimo trabalho caritativo, fruto da vontade de servir o próximo.

Oportunidades

Próximos eventos


Obras da Penitenciária Feminina em Criciúma. Foto: Denise Lacerda/SJC

A Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC) tem dedicado atenção especial à mulher presa com um planejamento a médio e longo prazo. A SJC está construindo quatro unidades femininas com todas as condições adequadas ao público feminino (segue a relação abaixo) - entre elas uma penitenciária (primeira unidade feminina para mulheres condenadas no Estado e construída com recursos estaduais) prevista para inaugurar em 2018, com toda a infraestrutura necessária para atender às mulheres presas com creche, berçário, brinquedoteca e espaços para estudo e trabalho. Também está prevista a ordem de serviço para outra unidade feminina no Sul do estado: o Presídio Feminino em Tubarão, com mais 224 vagas.

“Estamos trabalhando para entregar espaços físicos adequados, penitenciárias e presídios femininos de acordo com as particularidades da mulher  (como a sala de aleitamento). Com as quatro unidades femininas, criaremos mais de 1,3 mil vagas exclusivas para as mulheres. Isto não está sendo feito em nenhum outro estado do Brasil”, orgulha-se a secretária de Estado da Justiça e Cidadania, Ada Faraco de Luca.

Relação de Obras –  Unidades Femininas

Penitenciária Feminina de Criciúma - Recursos Pacto Por SC - 286 vagas
Presídio Feminino de Chapecó - Recursos federais do Depen - 286 vagas
Presídio Feminino de Itajaí - Recursos federais do Depen - 286 vagas 
Presídio Feminino de Joinville - Recursos federais do Depen - 286 vagas 

Informações adicionais para a imprensa
Denise Lacerda
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania - SJC
E-mail: deniselacerda@sjc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-5810 / 99152-6934
Site: www.sjc.sc.gov.br

 

 

 


Fotos: Nery Nader Jr./ADR Mafra

O Governo do Estado divulgou um balanço das ações desenvolvidas ao longo de 2017 nas sete cidades de abrangência da ADR Mafra. O destaque do ano na região foi o avanço das obras de pavimentação da rodovia SC-477, que vai ligar Papanduva a Doutor Pedrinho, encurtando em aproximadamente 100 quilômetros o trajeto entre o Planalto Norte e o Vale do Itajaí. Com um investimento de R$ 225 milhões, a obra já está com quase 80 dos seus 100 quilômetros pavimentados e irá beneficiar vários municípios da região da ADR Mafra, como Monte Castelo, Papanduva, Itaiópolis e Rio Negrinho, além de municípios de áreas de abrangência de outras ADRs.

Outra importante obra de infraestrutura na região foi inaugurada em dezembro. A Rodovia dos Móveis, SC-418, importante via de escoamento para a produção de móveis dos municípios de São Bento do Sul, Campo Alegre e Rio Negrinho, foi totalmente revitalizada, contribuindo também para melhorar a mobilidade dos moradores da região e o comércio da área urbana que a rodovia atravessa. São 12,3 quilômetros, sendo que um pequeno trecho está localizado no acesso oeste de São Bento do Sul e outro interliga o município ao distrito de Fragosos, em Campo Alegre, na divisa com o Paraná. A obra recebeu investimentos na ordem de R$ 30 milhões.

 

São Bento do Sul - Cedup Padre Afonso Robl foi inaugurado em 2017

Em 2017 também foi inaugurado o Cedup Padre Afonso Robl, em São Bento do Sul, com capacidade para atender 1,2 mil alunos da região. A estrutura possui 3,5 mil metros quadrados, 12 salas de aula, seis laboratórios para atividades de pesquisa e extensão, duas oficinas, biblioteca, auditório com 200 lugares, ginásio de esportes, salas para atividades administrativas, refeitório, cozinha, depósito e almoxarifado. O espaço conta ainda com estacionamento e área de convivência. O investimento chegou a R$ 8,6 milhões do Ministério da Educação (MEC), por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e contrapartida do Governo do Estado via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Atualmente, o Cedup conta com gestão compartilhada com a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

Outra cidade da região que terá um novo Cedup é Mafra. A obra, que estava paralisada, foi relicitada, sendo retomada no segundo semestre de 2016 e concluída no fim de 2017. Com um investimento total de mais R$ 11 milhões, o Cedup de Mafra está pronto e deverá ser inaugurado no início do próximo ano letivo, beneficiando alunos de toda a região. Sua estrutura física é praticamente a mesma do Cedup de São Bento do Sul, mas a diferença no investimento se justifica pelo relevo do terreno, que exigiu adequações substanciais no projeto.

Outro investimento na área da educação, que visa beneficiar toda a região, é a ampliação do Centro de Educação do Planalto Norte (Ceplan) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A nova estrutura, que conta com investimento de R$ 8,5 milhões, terá dois novos prédios que vão ocupar uma área de 4,8 mil metros quadrados, com 32 salas de aulas e laboratórios, 32 salas de professores, oito salas para secretarias, reuniões, diretório e videoconferência e dois anfiteatros.

Também em dezembro, a Secretaria da Defesa Civil entregou, em Rio Negrinho, 20 casas modulares para famílias que estavam em área de risco. Cada moradia custou ao Estado R$ 62.250,00, totalizando R$ 1.245.000,00, com recursos do Fundo Estadual de Proteção e Defesa Civil (Fundec).

Mais informações para a imprensa:
Nery Nader Jr.
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de Mafra
E-mail: imprensa@mfa.sdr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3647-0017 / 99240-5668
Site: sc.gov.br/regionais/mafra


Foto: Suzana Francieli Ferrari/ADR Maravilha

O Governo do Estado divulgou um balanço das ações desenvolvidas ao longo de 2017 nas 14 cidades de abrangência da ADR Maravilha. O destaque do ano na região é a construção da subestação da Celesc no município de Maravilha, que está conectada às subestações de Pinhalzinho e São Miguel do Oeste.

A obra custará aproximadamente R$ 12 milhões e representará acréscimo de 50% de energia disponível para os municípios de Maravilha, Iraceminha, Flor do Sertão, São Miguel da Boa Vista, Santa Terezinha do Progresso e a área rural de Tigrinhos, além de mais de 21 mil unidades consumidoras, incluindo laticínios de grande porte e agroindústrias. A Subestação Maravilha melhorará a qualidade no fornecimento de energia elétrica e promoverá o aumento da capacidade instalada, permitindo o crescimento da carga pelos próximos 20 anos.

Educação

A ADR repassou um total de R$ 2.217,212,00 para o transporte escolar de 3.347 estudantes de escolas públicas estaduais do Ensino Fundamental e Médio dos 14 municípios de abrangência da Regional de Maravilha.

Está sendo realizado serviço de reforma geral e instalações preventivas contra incêndio na EEB. Silvio Romero, do município de Bom Jesus do Oeste, com investimento total de R$ 264.174,94. A EEB Emilia Boos Laus Schmidt de Saltinho também receberá reforma no valor total de R$ 388.983,90.


Udesc. Foto: Suzana Francieli Ferrari/ADR Maravilha

No município de Pinhalzinho está sendo finalizada a obra de construção da nova Udesc. Sua edificação corresponde a 2,4 mil m² no valor de R$ 4.005.176,77. Os cursos disponibilizados são de Engenharia Química e de Alimentos, que irão capacitar mais profissionais para contribuir com a mão de obra das agroindústrias da região.

Foram realizados, durante 2017, diversos serviços de manutenção nas unidades escolares da região da ADR de Maravilha, como pinturas e reformas. Também foram elaborados projetos de prevenção de incêndio e elétrico. Kits de sistema vital de prevenção contra incêndio foram entregues para 21 escolas da rede pública estadual que correspondem ao valor de R$ 218.899,27. As escolas João XXIII e José Marcolino Eckert receberam melhorias na pintura que somam R$ 215.783,05.

Com recursos do Fundo Social, foram repassados para as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) de Maravilha, Modelo, Pinhalzinho, Romelândia e Iraceminha o montante de R$ 975.918,23 mil para custeio e manutenção.

Infraestrutura

Foram investidos para a realização da conservação das rodovias estaduais pavimentadas e não pavimentadas o total de R$ 447.165,33. Ao todo, a ADR de Maravilha possui 10 km de rodovias não pavimentadas e 169 km de rodovias pavimentadas. Os serviços para as rodovias foram divididos em três lotes: o primeiro lote contempla a realização dos serviços de conservação da SC-492, não pavimentada entre os municípios de Romelândia/São Miguel da Boa Vista no valor de R$ 56.840,00. Para o segundo lote que contempla o serviço de conservação das rodovias de roçada mecanizada, limpeza de sarjetas nas SCs de abrangência da Regional foi disponibilizado o valor de R$ 85.917,50. E o terceiro lote contempla o serviço de pavimentação asfáltica e tapa buracos nas SCs no valor total de R$ 304.407,83.

Saúde

Na área da saúde, foi instalada em 2017 a Vigilância Sanitária Regional. A vigilância sanitária tem a missão de promover e proteger a saúde da população por meio de ações integradas e articuladas de coordenação. Ela atua em um conjunto de ações para eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente da população e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde. A Vigilância Regional atenderá aos municípios de abrangência da ADR Maravilha.

O Programa Tratamento Fora Domicílio (TFD) interestadual viabilizou atendimento a 33 pacientes e foi disponibilizada ajuda de custo com transporte aéreo e terrestre para mais 57 pacientes. Foram atendidos, em 2017, 50 pacientes de colostomia e 67 pacientes atendidos com oxigenioterapia domiciliar. As profissionais da Regional de Saúde de Maravilha estão auxiliando na capacitação dos responsáveis dos TFD do município, além de participar de reuniões e capacitações.

Defesa civil

Cigerd de Maravilha
Foto: Suzana Francieli Ferrari/ADR Maravilha

O Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres Regional (Cigerd Regional) em Maravilha está concluído. O Cigerd será um espaço de apoio, um ponto de encontro, em que poderão reunir-ser agentes, prefeitos dos municípios, bombeiros e demais responsáveis para tomarem decisões num evento adverso. A obra conta com uma estrutura modular de 156m².  Atenderá aos municípios da ADR de Maravilha e de Palmitos.

Agricultura

O programa SC Rural, que finalizou a sua primeira etapa em 2017, beneficiou 220 famílias de agricultores dos municípios de Bom Jesus do Oeste, Flor do Sertão, Iraceminha, Maravilha, Modelo, Pinhalzinho, Romelândia, Saltinho, Santa Terezinha do Progresso, São Miguel da Boa Vista, Saudades, Serra Alta, Sul Brasil e Tigrinhos. Os recursos utilizados para o fortalecimento da extensão rural e defesa agropecuária totalizaram R$ 1.036.194,00 desde o seu início no ano de 2013.

Cras

No município de Serra Alta, está em construção o Centro de Referência da Assistência Social (Cras), onde são oferecidos os serviços da área social, com o objetivo de fortalecer a convivência com a família e com a comunidade. O município de Modelo também receberá uma unidade do Cras, com previsão de início em 2018.

Informações adicionais para a imprensa
Suzana Francieli Ferrari
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de Maravilha
E-mail: imprensa@mvh.adr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3664-6532 / (49) 98839-1117
Site: sc.gov.br/regionais/maravilha
Facebook: www.facebook.com/regional.maravilha


Foto: Aires Carmem/Epagri

O agronegócio é uma das bases da economia catarinense e fortalecer o meio rural foi um dos desafios da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca em 2017. Ao longo do ano, os investimentos em pesquisa, extensão rural, defesa sanitária animal e vegetal e fomento agropecuário chegaram a R$ 700 milhões. Só para os programas de fomento da Secretaria da Agricultura foram destinados mais de R$ 70,7 milhões.

Ao todo, mais de 73 mil famílias foram beneficiadas no ano passado com a concessão de empréstimos, subvenção de juros, Programa Terra-Boa, Seguro Agrícola, Programa Água para o Campo, entre outros. Segundo o secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, as ações do Governo do Estado são focadas em aumentar a competitividade e a qualidade de vida dos produtores rurais catarinenses. “Nós reconhecemos a importância de quem produz nosso alimento. Se, hoje, Santa Catarina é referência no setor agropecuário é porque temos produtores dedicados, que trabalham incansavelmente e que buscam sempre melhorar. Os agricultores encontram na secretaria e em suas empresas vinculadas um apoio para que possam investir, inovar e prosperar”, afirma.

Terra-Boa

O Programa Terra-Boa encerrou 2017 com recorde na distribuição de calcário. Ao longo do ano, foram 284,1 mil toneladas de calcário distribuídas, sem contar as 202,5 mil sacas de milho, 415 kits apicultura e 2.862 kits forrageira. Os investimentos no programa chegam a R$ 43,7 milhões e 68,9 mil agricultores foram beneficiados.

Programa de Fomento à Produção Agropecuária

De janeiro a dezembro, foram aplicados R$ 8,5 milhões na concessão de financiamentos voltados para melhoria do processo produtivo, agregação de valor, desenvolvimento da pesca e aquicultura e saneamento rural. Os recursos são do Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR) e atenderam 612 produtores rurais em 2017.

Dentro do Fomento, existem ainda linhas de financiamento para aquisição de kits informática, kits para piscicultura, de animais em exposições e feiras agropecuárias e de reprodutores de gado de corte. Para essas ações, a secretaria investiu mais R$ 3,1 milhões e foram 395 agricultores beneficiados.

Ao todo, o Fomento à Produção Agropecuária aplicou R$ 11,6 milhões e possibilitou a compra de 196 kits de informática; 51 matrizes de gado leiteiro; 250 touros de raças de corte; além da construção de cisternas, aquisição de implementos agrícolas, melhoramento de pastagens e benfeitorias nos sistemas produtivos.

Outros Programas

Os agricultores contam ainda com o Programa de Desenvolvimento da Ovinocultura e Caprinocultura e da Pecuária de Corte Catarinense. As duas ações atenderam 206 agricultores em 2017 com recursos de R$ 999,5 mil.

Em 2017, foram 1.027 agricultores beneficiados com um investimento total de R$ 844,8 mil. Para minimizar os impactos da estiagem no estado, a secretaria investe ainda no Programa Água para o Campo, que construiu 232 cisternas, com recursos de R$ 9,9 milhões.

A Secretaria da Agricultura segue ainda pagando os juros referentes ao Programa Juro Zero Agricultura/Piscicultura, encerrado em 2015. Em 2017, foram pagos R$ 76,2 mil em juros de 174 projetos de agricultores. O mesmo acontece com o Programa Armazenar, foram R$ 3,7 milhões em juros pagos dos investimentos em construção e ampliação de armazéns.

Os produtores rurais catarinenses contam também com programas de aquisição de terras e regularização fundiária, além do Fundo Estadual de Sanidade Animal (Fundesa) que indeniza os produtores pelo abate sanitário de animais acometidos por febre aftosa e outras doenças infecto-contagiosas contempladas em programas de controle sanitário do Estado.

Informações adicionais:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Foto arquivo: Josiane Zago / Videira

Durante o ano de 2017, a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) registrou muitas conquistas em diferentes áreas, com o apoio do Governo do Estado, da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Programa SC Rural.

Os investimentos (despesas de capital) efetuados pela Cidasc em 2017, totalizaram R$ 6,6 milhões, de janeiro a novembro, empenhados e/ou pagos, segregados por fonte de recursos da seguinte forma: R$ 1,8 milhões em convênio com o Mapa; mais de R$ 3,5 milhões em recursos próprios;  mais de 1 milhão advindo do Programa do SC Rural.  Dos recursos próprios, em torno de 41%, cerca de R$ 1,4 milhões, foram aplicados no Terminal Graneleiro de  São Francisco do Sul.

O Presidente da Cidasc, Enori Barbieri, reafirma os compromissos da Companhia. “A Cidasc, para além dos números, é uma empresa que cuida das pessoas e de negócios, oportuniza a abertura de mercados através da agregação de valores em produtos com qualidade em defesa sanitária animal e vegetal. Somos referência em sanidade agropecuária, reconhecidos nacional e internacionalmente. Temos o compromisso de manter a excelência dos produtos aqui produzidos e comercializados”, diz.

Defesa Sanitária Vegetal

O Departamento Estadual de Defesa Sanitária Vegetal tem como destaque em 2017 as ações realizadas mediante convênio com o Mapa, pelo qual foram fiscalizadas 334 unidades de produção de banana, maçã e citrus, bem como 160 unidades de consolidação destas espécies. Essas atividades viabilizaram no último ano a comercialização dessas frutas para diversos estados da federação, movimentando cerca de R$ 2,4 bilhões na economia catarinense.

Para manter o status de Área livre de Cydia pomonella, o Departamento instalou 200 armadilhas, que foram monitoradas semanalmente. A erradicação da praga, viabilizou no último ano a exportação de 60 mil toneladas, o que gerou receitas na ordem de 40,6 milhões de dólares aos produtores catarinenses.

Neste ano foram emitidas cerca de 70 mil Permissões de Trânsito Vegetal – PTV’s, através da Certificação Fitossanitária, sistema que acompanha e atesta as condições sanitárias de plantas, partes de vegetais ou produtos de origem vegetal, hospedeiros de pragas quarentenárias ausentes ou presentes, em cumprimento às normas nacionais e internacionais, exigidos nas transações comerciais. É com a certificação que as partidas de produtos vegetais podem transitar livremente pelo território nacional, sem nenhum embaraço ou entrave fitossanitário, tornando-se assim, um instrumento fundamental para a sustentabilidade do setor produtivo e comercial de Santa Catarina.


Foto arquivo: James Tavares / Secom

Através do Programa de Monitoramento dos Resíduos de Agrotóxicos em Produtos Orgânicos – MPOrg-SC e Programa Alimento Sem Risco – PASR, foram coletadas 795 amostras ao longo deste ano, que resultou em 94% dos alimentos orgânicos isentos de resíduos de agrotóxicos.

Santa Catarina, após apresentação ao mapa do dossiê com a situação do cancro cítrico no Estado, de acordo com a nova normatização que atinge a citricultura nacional, obteve o status de Sistema de Mitigação de Risco – SMR para a praga Cancro cítrico. Ou seja, O SMR possibilitará ao citricultor catarinense comercializar a produção para todo o país.

O lançamento do Programa e-Origem é outra conquista da Cidasc neste ano. O programa proporcionará a inserção do pequeno produtor no mercado de produtos com origem identificada, de forma gratuita, fato de grande importância para a produção de frutas e hortaliças.

Por meio do  Programa SC Rural, foram realizadas 145 capacitações em boas práticas de fabricação, rastreabilidade de produtos de origem vegetal, rotulagem, embalagem, classificação vegetal, segurança de alimentos, entre outras, reunindo cerca de 4 mil participantes.

Santa Catarina, por meio da Cidasc, realizou o 1º Simulado em Emergência Fitossanitária do Brasil para a praga Fogo Bacteriano das rosáceas, contando com a participação de profissionais que atuam na defesa vegetal dos três estados do Sul. “O evento teve como objetivo preparar os profissionais do serviço oficial, bem como do setor produtivo para, juntos, adotarem ações organizadas no caso de introdução de novas pragas no estado, minimizando perdas econômicas e preservando o patrimônio fitossanitário”, destaca o Gestor do Departamento, Ricardo Miotto Ternus.

Divisão de Classificação

A Divisão de Classificação presta consultoria a 24 empresas em diversos segmentos de processamento de alimentos de forma voluntária, tornando os processos padronizados e os produtos seguros para os consumidores. Cerca de 600 empresas solicitam os trabalhos da classificação para atender a legislação.

Neste ano seis empresas receberam o certificado do Selo de Conformidade Cidasc – SCC, sendo uma na produção de temperos a base de alho, uma de farinha de mandioca, uma de erva mate e chás, duas em beneficiamento de maçã e uma em beneficiamento e embaladora de cereais.

“O SCC visa adequar os processos de fabricação com base na legislação pertinente, elevar a segurança dos produtos de origem vegetal e oferecer condições para melhoria contínua aos estabelecimentos do agronegócio e agrofamiliares de Santa Catarina”, destaca a Gestora da Divisão, Valdirene Régia Bizolo Sommer.

A classificação vegetal atende importação em quatro portos e uma aduana seca, empresas cerealistas e beneficiadoras de frutas, no qual foram classificados, de janeiro a outubro, um total de 850 mil toneladas de produtos. Sendo subdivididos em mercado interno: com 370 mil toneladas de produtos e 1.900 certificados emitidos; mercado externo: com 50 mil toneladas de produtos classificados; 1.200 certificados emitidos e importação: com 430 mil toneladas de produtos e 9.100 certificados emitidos.

Apoio Laboratorial

Os Laboratórios de Diagnóstico Animal, que receberam a acreditação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) no ano de 2016, localizados nos Departamentos Regionais de Joinville e Chapecó e o Centro de Triagem de Florianópolis, realizam atividades de apoio aos Programas da Defesa Sanitária Animal em Santa Catarina.

Em números, as atividades dos Laboratórios de Diagnóstico em 2017 somam 4.316 exames realizados, 10.296 amostras triadas, 5.980 amostras enviadas aos Laboratórios Nacionais Agropecuários – Lanagros, entre outros. “Também atuamos na prestação de serviços a terceiros através de exames, os quais possibilitam a  detecção rápida de casos positivos de brucelose, permitindo que aqui no estado o saneamento das propriedades seja feito com maior agilidade para manter em níveis muito baixos  a prevalência desta doença”, afirma a gestora da Divisão de Apoio Laboratorial, Cláudia Scotti Ducioni Matos. 

Inspeção de Produtos de Origem Animal

O Serviço de Inspeção Estadual (SIE) do Departamento Estadual de Inspeção de Produtos de Origem Animal realiza ações de fiscalização, supervisões e auditorias em estabelecimentos que manipulam e elaboram produtos de origem animal. Dessa maneira, garantem a qualidade e inocuidade dos alimentos, permitindo a comercialização dos mesmos.

Atuam na fiscalização das atividades inerentes a inspeção, aproximadamente 400 médicos veterinários habilitados, vinculados a 11 empresas credenciadas e 37 médicos veterinários oficiais no departamento de inspeção da Cidasc. Os profissionais prestam serviço nos 1.130 estabelecimentos registrados, dos quais 541 estabelecimentos estão ativos no SIE.

“Ao longo do ano, as ações do serviço de inspeção apresentam números significativos, 30 estabelecimentos obtiveram o título de registro. Santa Catarina acrescentou seis empresas no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal – Sisbi/Poa, totalizando 28 indústrias”, destaca o Gestor do Departamento, Sergio Silva Borges.

Defesa Sanitária Animal

O Departamento Estadual de Defesa Sanitária Animal desenvolve ações de controle e combate às principais doenças que atacam os rebanhos catarinenses. É responsável pela manutenção do reconhecimento internacional de Zona Livre de Febre Aftosa sem vacinação e Zona Livre de Peste Suína Clássica. Este status possibilitou que os produtos de origem animal catarinenses alcançassem os mercados mais exigentes do mundo, como a abertura do mercado de exportação de carne suína para a Coreia do Sul.

Uma atividade decisiva realizada pela Cidasc para promover medidas de proteção sanitária é a fiscalização de veículos e cargas em postos nas divisas do Estado ou em barreiras móveis nas estradas. A vigilância busca prevenir a introdução de doenças animais e vegetais que colocam em risco a saúde pública, a sanidade animal, vegetal e os interesses econômicos do Estado. O sistema funciona o ano inteiro, 24 horas por dia, sete dias por semana. Neste ano foram realizadas pela Cidasc cerca de 500 mil fiscalizações de trânsito.

Em 2017 o setor agropecuário cresceu como um todo e para acompanhar e estimular o desenvolvimento foram realizadas melhorias no Sistema de Gestão de Defesa Agropecuária Catarinense – Sigen+, um sistema informatizado desenvolvido para facilitar o acesso do produtor aos serviços da Companhia. Somente neste ano, foram emitidas 1,3 milhão de Guias de Trânsito Animal – GTA’s. O produtor pode solicitar a GTA de qualquer computador com acesso à internet e impressora, documento que antes era solicitado apenas em escritórios da empresa. A ampliação do sistema consolida a interação entre 160 mil produtores rurais e a Companhia.

O Gestor do Departamento, Marcos Vinicius de Oliveira Neves, ressalta que “a consolidação  do Sistema de Vigilância Ativa para Febre Aftosa em Santa Catarina em 2017, possibilita fortalecer o sistema de vigilância para esta enfermidade, por meio da implantação de um sistema contínuo de fiscalização e inspeção a estabelecimentos rurais de maior risco para a doença.”

Também neste ano, o Departamento implantou a Comissão Estadual do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose – PNCEBT, permitindo que os assuntos relacionados a essas zoonoses sejam discutidos por todos os órgãos públicos e instituições privadas envolvidas com a cadeia produtiva.

Santa Catarina é o maior produtor de moluscos bivalves (ostras, mexilhões, vieiras e berbigões) do Brasil, e estes produzidos no Litoral catarinense são de grande importância gastronômica, sociocultural e econômica das regiões produtoras. Reconhecendo tal valor, a Cidasc atuou firmemente no monitoramento microbiológico e de ficotoxinas (maré-vermelha). Foram realizadas 977 análises, atendendo a legislação sanitária vigente e aumentando a segurança no consumo.

Projeto Sanitarista Junior

O projeto educativo, focado na defesa agropecuária, sanidade ambiental e humana, foi elaborado a partir da construção do Programa Estadual de Educação Sanitária em Defesa Agropecuária, documento este produzido pelo Comitê de Educação Sanitária, composto por engenheiros agrônomos e médicos veterinários da Cidasc, e foi desenvolvido para ser executado junto às escolas por livre demanda.


Foto arquivo Cidasc / Araranguá 

Já na terceira edição, o Projeto Sanitarista Junior formou parcerias com 69 escolas, de 36 municípios, alcançando 3 mil crianças em 2017. “Este ano ingressamos oficialmente na Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental de SC, que favorecerá a adesão de novas parcerias ao projeto”, conta a engenheira agrônoma da Cidasc e coordenadora do projeto Patrícia Almeida Barroso Moreira.

Para o próximo ano, o projeto contará com novos materiais didáticos como o Livro do Professor e o Caderno de Atividades dos Alunos, que proporcionará maior autonomia para os professores no desenvolvimento do projeto em sala de aula. O material foi desenvolvido com assessoria pedagógica, através de recursos oferecidos pelo Mapa.

Mais informações à imprensa:
Assessoria de Comunicação – Cidasc
Fone: (48) 3665 7000
ascom@cidasc.sc.gov.br
www.cidasc.sc.gov.br
www.facebook.com/cidasc.ascom

Página 66 de 302