Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Campanha Compre de SC

Campanha Compre de SC

O Governo do Estado lançou a campanha Compre de SC para incentivar o consumo de produtos produzidos em Santa Catarina. Além de estimular a produção interna e muitas vezes de pequenos produtores, a campanha faz a economia girar, gerando renda e emprego.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Divulgação / FCC

Uma conciliador e profundo conhecedor dos caminhos da esfera pública. Ozéas Mafra Filho, 67 anos, assume a presidência da Fundação Catarinense de Cultura (FCC). Desde o início de 2016 ele respondia pela gerência financeira da instituição, até receber o convite do governador Eduardo Pinho Moreira para assumir o comando da FCC.

Descrição do áudio:

O governador Eduardo Pinho Moreira esteve reunido com o novo ministro do Trabalho e Emprego, Helton Yomura, tratando de recursos para o Sistema Nacional de Emprego (Sine),
na manhã desta terça-feira, 10./
A intenção é manter o convênio do Governo Federal com Santa Catarina para que os serviços nas agências do Estado continuem sendo oferecidos com qualidade à população.
De acordo com a secretária da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Romanna Remor, o ministro se comprometeu a repassar o valor da terceira etapa do convênio além de uma suplementação de recursos./
SONORA
Em Santa Catarina, a execução do Sine ocorre por meio de convênio plurianual, sendo que o último documento foi assinado em 2012, contemplando a primeira etapa com um custo aproximado de R$ 8 milhões./
Já a segunda fase, que encerrou em 28 de fevereiro de 2017, contabilizou um investimento de quase R$ 7,5 milhões. O valor da terceira etapa orçada em mais de R$ 3,8 milhões deveria ter sido liberado em março de 2017, mas ainda não ocorreu./
Os serviços do Sine ajudaram Santa Catarina a ser o estado que mais gerou emprego no ano passado.//

 

 

Duração: 01 Min. 51 Seg.
Apresentação: Leonardo Franzoni
Técnica: Leonardo Franzoni
Produção: Serviço de Rádio da Secretaria de Estado da Comunicação
Contato: (48) 3665-3003 / 3665-3051
E-mail: radio@secom.sc.gov.br



A cultura de Santa Catarina ganha mais um espaço de divulgação: está no ar o portal cultura.sc.gov.br, novo site da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), órgão do Governo do Estado. Mais do que um espaço para informações institucionais, o novo portal disponibilizará ao público a agenda cultural dos teatros, museus e demais casas administradas pela FCC, de forma organizada e fácil navegação. Será priorizada a publicação de notícias, que ganham mais espaço e destaque na página principal.

O site anterior havia sido construído em 2008 e desde 2012 não recebia melhorias em sua estrutura. Por isso, uma das preocupações na elaboração do novo portal foi apresentar um layout moderno, seguindo a tendência de diversos portais de cultura existentes no país.


Em Joinville, o Hospital Infantil recebeu 13 novos leitos de UTI Neonatal em outubro de 2017 - Foto: Paulo Goeth / SES

Santa Catarina conta com 226 leitos de UTI Neonatal, sendo 174 públicos e 52 privados. A quantidade é acima do parâmetro estabelecido pela Portaria 930 de 2012,  do Ministério da Saúde, que preconiza dois leitos de UTI Neonatal para cada 1000 nascidos vivo.  

"Em Santa Catarina nascem em torno de 100 mil crianças por ano. Isso significa que são necessários 200 leitos de UTI Neonatal. Como temos 226, o Estado está acima do recomendado",  destaca o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande.

Dos leitos públicos em SC, 144 são custeados pelo Ministério da Saúde (MS) e 30 com recursos do Governo do Estado. Além destes, o Hospital Regional de São José (HRSJ) contará em breve com mais 10 leitos, também custeados com recursos do tesouro estadual.

IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL

O secretário destaca que a ocupação leitos de UTI Neonatal pode ser diminuída com ações relacionadas ao acompanhamento das mulheres no pré-natal e na atenção ao parto. "Nos últimos anos, mais de 73% das mulheres tiveram sete consultas ou mais durante a gestação. Mesmo assim, ainda cerca de 11% das crianças nascem prematuramente", observa Casagrande.

Esta prematuridade, segundo o secretário, em grande parte dos casos está relacionada  a intercorrências na gestação como infecção urinária, hipertensão e também às cesarianas eletivas agendadas.  Apesar de registrar redução a cada ano, a taxa de cesariana em 2016 em Santa Catarina foi de 57,7%.

Este é um índice ainda alto, pois a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda uma taxa desejável de até 15% dos partos cirúrgicos, enquanto o Ministério da Saúde (MS) estabelece uma meta de 35% para os hospitais de referência que atendem gestação de alto risco.

REDE CEGONHA

Preocupada em alcançar os índices preconizados pela OMS e MS, a Rede Cegonha, implantada em 2013 no Estado, vem promovendo ações para a melhoria destes indicadores. "Uma das ações é o projeto Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia (APICEON) envolvendo a  Maternidade Darcy Vargas (Joinville), Maternidade Carmela Dutra  e Hospital Universitário (Florianópolis) e o Hospital Nossa Senhora da Conceição (Tubarão).

"O projeto tem a parceria do Ministério da Saúde e envolve estes quatro  hospitais de ensino que  estão sendo preparados para serem multiplicadores de práticas baseadas nas melhores evidências científicas de atenção ao parto e nascimento", complementa Carmen Delziovo, coordenadora do Grupo de Condução Estadual da Rede Cegonha.

LEITOS EM SANTA CATARINA:

UTI NEONATAL - TIPO I

Estabelecimento

Município

Existentes

SUS

Hospital E Maternidade Santa Luiza

Balneário Camboriú

7

0

Clinica Santa Helena

Florianópolis

10

0

Ilha Hospital E Maternidade

Florianópolis

5

0

Hospital Dona Helena

Joinville

6

0

Socimed

Tubarão

2

0

   

30

0

 Total

5

 
           

UTI NEONATAL - TIPO II

Estabelecimento

Município

Existentes

SUS

Hospital Municipal Ruth Cardoso

Balneário Camboriú

10

6

Hospital Santo Antonio

Blumenau

10

10

Hospital Regional Do Oeste

Chapecó

10

10

Hospital Unimed Chapecó

Chapecó

5

0

Hospital São Francisco

Concórdia

6

6

Hospital Materno Infantil Santa Catarina

Criciúma

7

7

Hospital Helio Anjos Ortiz

Curitibanos

7

7

Hospital Infantil Joana De Gusmão

Florianópolis

10

0

Hospital Universitário

Florianópolis

9

8

Maternidade Carmela Dutra

Florianópolis

10

10

Hospital E Maternidade Marieta Konder Bornhausen

Itajaí

10

10

Hospital E Maternidade Jaraguá

Jaraguá Do Sul

6

6

Hospital Materno Infantil Dr Jeser Amarante Faria

Joinville

20

7

Maternidade Darcy Vargas

Joinville

10

10

Hospital Geral E Maternidade Tereza Ramos

Lages

8

6

Hospital Infantil Seara Do Bem

Lages

3

3

Maternidade Dona Catarina Kuss

Mafra

9

9

Hospital Regional Alto Vale

Rio Do Sul

4

4

Hospital Regional De São Jose Drhomero Miranda Gomes

São Jose

10

10

Hospital Regional São Paulo Assec

Xanxerê

9

8

   

173

137

 Total

20

 
           


UTI NEONATAL - TIPO III

Estabelecimento

Município

Existentes

SUS

Hospital Santa Catarina

Blumenau

5

0

Centro Hospitalar Unimed

Joinville

9

0

Hospital Nossa Senhora Da Conceição

Tubarão

9

7

   

23

7

 Total

3

 
         

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Saúde 
(48) 3664-8820 

 


Foto: Fabricio Escandiuzzi

Uma reunião estratégica para tratar das filas nos hospitais da Grande Florianópolis foi realizada na noite desta segunda-feira, 9, com representantes de unidades hospitalares e secretários municipais de Saúde de toda a região. O encontro, promovido pelo secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, teve como principal objetivo a criação de uma força-tarefa para minimizar filas de pacientes no Hospital Regional de São José (HRSJ) e no Hospital Celso Ramos (HCR).

Com a medida, pacientes que precisam de atendimento de baixa e média complexidade e os que não necessitam de internação poderão ser atendidos em outras unidades de saúde da região.

O diretor do HRSJ, médico Valdir José Ferreira, explicou sobre a situação do hospital que recebe pacientes de toda a região e conta com procedimentos de alta e média complexidade. “Estamos falando de um complexo hospitalar que recebe 30 mil pessoas por mês e realiza 1,5 mil cirurgias e outras 1,5 mil internações. Tenho normalmente 100 pessoas a mais do que a minha capacidade de leitos diariamente”, afirmou Ferreira, lembrando que muitos desses usuários são classificados como azul ou verde, ou seja, poderiam ser atendidos em unidades básicas de saúde e de pronto atendimento.

No encontro, também ficaram definidas algumas ações e trocas de informações entre as unidades para uso de leitos ociosos e realização de procedimentos em unidades de Biguaçu, Canelinha, Angelina, Santo Amaro da Imperatriz, Tijucas, Florianópolis e São José. “Esse é o início de um caminho para pensarmos em rede”, observou o diretor do HRSJ.

Atualmente, existem 3059 leitos em toda a região e, muitos deles encontram-se ociosos, com vagas a serem preenchidas. “Temos 50 leitos em um hospital de muita qualidade e também podemos auxiliar com internações”, comentou a irmã Maria Harordt, diretora Administrativa do Hospital de Angelina. “Nunca presenciei uma reunião com todos os diretores de hospitais. Assim teremos clareza para continuar trabalhando firme para atender as pessoas que precisam”, complementou a irmã.

O secretário Acélio Casagrande reforçou o compromisso do Governo do Estado em solucionar a questão das filas nos hospitais, oferecendo atendimento de qualidade à população catarinense. “A união de forças na Atenção Básica, por meio das secretarias municipais de saúde, UPAs, hospitais e SES, com certeza diminuirá o tempo de espera de pacientes em nossos hospitais”, destacou Casagrande. O próximo encontro entre os representantes das unidades hospitalares da Grande Florianópolis e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) será no dia 8 de Maio.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação - Secretaria de Saúde 
(48) 3664-8820 

Página 50 de 345