Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Simulado Integrado de Resposta a Desastres da Defesa Civil

Simulado Integrado de Resposta a Desastres da Defesa Civil

O Governo do Estado realizou o Simulado Integrado de Resposta a Desastres. O treinamento, feito por meio da Secretaria de Estado da Defesa Civil, junto do Exército Brasileiro, durou quatro dias. Também participaram do exercício a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, as defesas civis municipais e o Samu. O principal objetivo é a capacitação dos profissionais e a integração das mais diferentes esferas do governo.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Mauren Rigo/SPG

O projeto de reestruturação do transporte coletivo da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (RMF) foi detalhado na tarde de segunda-feira, 21, em seminário que apresentou soluções para mobilidade urbana, na UFSC, em Florianópolis. O evento foi promovido pelo Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC e pela Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Planejamento (SPG).

Durante o evento, o diretor técnico da Suderf, Célio Sztoltz, apresentou o projeto do transporte coletivo para oito cidades da região, que inclui a reorganização da rede de linhas de ônibus, projetos de infraestrutura viária, construção de novos terminais, modernização da frota de ônibus, formas de pagamento e compra de créditos, interação dos usuários com o sistema, política tarifária e indicadores de qualidade.

“O projeto vai trazer diversos benefícios para os usuários de ônibus, com ganho de tempo e qualidade dos serviços. É importante que a população também participe deste processo de reorganização do transporte coletivo, seja com sugestões ou críticas. Os usuários podem ajudar a aprimorar o projeto”, informou Célio.

O sistema integrado irá reunir os serviços municipais e intermunicipais com ampliação da abrangência das linhas e uso de um único cartão de transporte para toda a área continental da RMF. Mais de 150 mil usuários devem ser beneficiados.

Rede Integrada

A intenção do Governo do Estado e dos municípios da região metropolitana é integrar os serviços de transporte municipal e intermunicipal de caráter urbano de oito cidades da Grande Florianópolis (Águas Mornas, Antônio Carlos, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Palhoça, São José, São Pedro de Alcântara e Santo Amaro da Imperatriz). O sistema metropolitano de ônibus vai eliminar sobreposição de linhas; racionalizar o serviço; aumentar a conectividade entre as centralidades da região, como centros de Palhoça e Biguaçu, além de Campinas/Kobrasol em São José; e promover uma gestão associada do transporte coletivo entre municípios, Estado e sociedade.   

O projeto da Rede Integrada de Transporte Coletivo Metropolitano está disponível neste endereço. No mapa é possível consultar as linhas de ônibus por município e as conexões entre as cidades.

Seminário

Durante o Seminário Transporte Coletivo na Região Metropolitana da Grande Florianópolis ainda foram apresentados estudos e propostas relacionados à acessibilidade espacial e à experiência da região metropolitana de Lisboa com palestra do professor catedrático do Instituto Superior Técnico de Lisboa Fernando Nunes da Silva. Outro tema em discussão foi a redução da emissão de poluentes e melhorias para a saúde pública, assunto apresentado pelo coordenador do Grupo de Trabalho de Transporte Limpo e Energias Renováveis do Comitê de Mudanças Climáticas de São Paulo Olimpio de Melo Alvares Junior.

Mais informações para a imprensa:
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Planejamento
(48) 3665-3319 / 9-9186-9740
mauren@spg.sc.gov.br





Fotos: Denise Lacerda / SJC

A coordenadora do maior programa mundial sobre arte nas prisões envolvendo música, teatro, fotografia e dança, professora americana da Universidade de Michigan (Estados Unidos), Ashley Lucas, está em Santa Catarina para apresentar seu trabalho. Na tarde desta terça-feira, 23, ela visitou o Presídio Feminino de Florianópolis acompanhada de um grupo de 13 estudantes de Michigan que integram um intercâmbio com universidades brasileiras. Já na noite de segunda-feira, 22, ela expôs detalhes do projeto, o PCAP (Prision Creative Arts Project) ao secretário de Estado da Justiça e Cidadania, Leandro Lima.

“As ações artísticas e educacionais são de extrema importância dentro das prisões, complementam e contribuem com as nossas ações de ressocialização por meio do trabalho e do estudo. É um trabalho que admiramos e incentivamos em Santa Catarina”, disse o Leandro Lima. Para a professora Ashley, é possível transformar a vida das pessoas na prisão oferecendo ao encarcerado a oportunidade de conhecer o mundo da arte.

Além dos 13 estudantes da Universidade de Michigan, mais três alunos do curso de Licenciatura em Teatro da Udesc participaram da visita ao Presídio Feminino de Florianópolis, que hoje abriga 71 reeducandas.  O grupo foi recebido pela gerente Joana Mahfuz Vicini que explicou aos visitantes que a unidade está passando por reformas e ampliação. Eles foram até o pátio externo e ao  espaço de sala de aula e ainda puderam visitar o novo prédio que está sendo construído na unidade.

A estudante de teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Naguissa Takemoto, 21 anos, entrou pela primeira vez em uma unidade prisional. “Eu acredito que a arte em geral pode mudar a vida das pessoas e a relação delas com o corpo. Eles já são retirados da vida em sociedade, então trazer o teatro para dentro de uma prisão é uma forma de oferecer a ressocialização”, disse Naguissa.

No sábado, 19, a professora Ashley ministrou atividades de jogos teatrais com oito reeducandas do presídio feminino que participam do projeto piloto de teatro coordenado pelo professor do Departamento de Artes Cênicas da Udesc, Vicente Concílio. Concílio, que acompanha a visita da norte-americana, também foi responsável pelo Seminário Internacional de Arte e Educação Prisional realizado na Udesc em maio do ano passado.

A reeducanda Daiane Neves de Melo, de 38 anos, dona de casa com três filhos, hoje cumpre sua pena de oito anos no presídio da Capital. Ela foi uma das primeiras apenadas a se inscrever na oficina de teatro com o professor Vicente Concílio e está feliz com o resultado. “É uma terapia e uma diversão. Abre muito a nossa mente e faz a gente pensar. Adoro o professor Vicente, mas a professora Ashley é maravilhosa”, declarou Daiane que já concluiu a educação formal e agora vai prestar vestibular para Pedagogia.

O secretário da Justiça Leandro Lima colocou-se à disposição da professora Ashley e aproveitou a visita para convidá-la para a  2ª Mostra Laboral do Sistema Prisional Brasileiro. A Mostra, que inclui atividades laborais executadas nas unidades prisionais, feira com exposição de produtos fabricados por reeducandos, apresentações artísticas e seminários sobre a ressocialização, será realizada em julho, em Florianópolis, pela Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC), Departamento Estadual de Administração Prisional (Deap) em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

Informações adicionais para a imprensa
Denise Lacerda
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania - SJC
E-mail: deniselacerda@sjc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-5810 / 99152-6934
Site: www.sjc.sc.gov.br


Foto: Arquivo/Elenise Melo Nunes/SDR São Joaquim

As baixas temperaturas que chegam ao Estado e as previsões da ocorrência de neve movimentam os municípios da Serra Catarinense. As cidades de Urubici, São Joaquim, Urupema e Bom Jardim da Serra, as mais procuradas por serem as mais frias do Estado, já estão com quase 100% das hospedagens esgotadas para o próximo fim de semana. São cerca de quatro mil leitos reservados, 75% deles em Urubici, segundo a Amures - Associação de Municípios da Serra Catarinense.

 Aquecimento na economia regional

O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Tufi Michreff Neto, está otimista quanto ao movimento, já que é uma garantia de emprego e renda não só na região litorânea, mas também no oeste. “A SOL, em conjunto com a Santur, tem feito forte trabalho de promoção dos atrativos de Santa Catarina, incluindo os destinos de inverno. É um trabalho contínuo, assim como os municípios estão promovendo constantes melhorias e qualificando os serviços para receber os visitantes cada vez melhor”, destaca.

Para capacitar as Instâncias de Governança Regional, nesse segundo semestre serão realizados pela SOL, com apoio do Ministério do Turismo, 18 encontros envolvendo gestores públicos e representantes do trade. De acordo com o secretário também está programado para o mês de junho um whorkshop sobre identidade cultural e turismo, em Lages.

 Caminho das Neves

 A SC 114, conhecida como Caminho das Neves, via importante para o desenvolvimento do turismo na região serrana, está recebendo pavimentação asfáltica entre São Joaquim e a divisa com o Rio Grande do Sul. Para esta obra de infraestrutura rodoviária, a SOL está investindo perto de R$ 16 milhões. A descentralização de recursos do Funturismo ao Deinfra começou em 2014, com R$ 3 milhões, mais R$ 4,9 milhões em 2015 e R$ 4,8 milhões em 2017. Para este ano, serão repassados mais R$ 3 milhões.

Informações adicionais para a imprensa:

Carla Coloniese
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte
imprensa@sol.sc.gov.br
Fone: (48)-3665-7435 / 99924-7590


Foto arquivo / Secom

Faltando nove dias para o fim do prazo de inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR), Santa Catarina tem 86% de áreas registradas. O banco de dados que é obrigatório, público e eletrônico, funciona como uma espécie de identidade ambiental do imóvel rural, com informações sobre vegetação nativa, áreas usadas para produção e as que precisam ser recuperadas. Neste sentido, o CAR é um dos mecanismos mais importantes para implementar o Código Florestal. É imprescindível que todos os produtores rurais cadastrem suas áreas até o dia 31 de maio.

De acordo com o levantamento da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, são mais de 314 mil cadastros realizados em SC, que representam mais de 7 milhões de hectares - meta bem maior que o previsto pelo Ministério do Meio Ambiente que estima 6,1 milhões de hectares cadastrados por Estado. O bom andamento se dá em virtude das parcerias com associações, federações, prefeituras e sindicatos.

“O excelente andamento de cadastros realizados em Santa Catarina demonstra a consciência e respeito à sustentabilidade em nosso Estado. Ações que comprovam que o desenvolvimento das áreas rurais anda atrelado com o cuidado e a preocupação na preservação do meio ambiente”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Adenilso Biasus.

QUEM NÃO SE CADASTRAR SOFRERÁ SANÇÕES

Além das questões de sustentabilidade é importante lembrar que os proprietários que não aderirem ficarão impossibilitados de solicitar financiamentos em bancos oficias e não poderão aderir ao Programa de Regularização Ambiental (PRA), nem emitir Cota de Reserva Ambiental. Eles ainda terão que cumprir penalidades cometidas antes de 22 julho de 2008. Em Santa Catarina, o PRA conta com mais de 150 mil adesões e permite a produtores e posseiros a correção de possíveis danos ao meio ambiente.

“Por isso, é importante que os produtores façam o CAR até o prazo limite para obter os benefícios da regularização. A falta deste registro sujeita a sanções, como a perda do acesso a crédito rural, multa, ou ainda, problemas em transações imobiliárias”, explica o coordenador do Cadastro Ambiental Rural, José Emídio Trilha Ribeiro Junior

LEVANTAMENTO INÉDITO

Trilha explica ainda que o país nunca teve um banco de dados dessa natureza, que permite a gestão da propriedade rural, com informações transparentes a todos os envolvidos na questão ambiental, inclusive instituições financeiras que concedem empréstimos à produção rural.

“É uma oportunidade para o setor produtivo se tornar o maior conservador de vegetação, em lugar de ser tratado como o grande vilão ambiental. O país cresce aos olhos do mercado externo em termos de sustentabilidade e de produção agropecuária de baixo carbono. É um primeiro passo na construção de políticas inovadoras de restauração florestal, e de sustentação das políticas agrícolas e ambientais brasileiras em relação ao uso do solo”, finaliza o coordenador.

PARA CADASTRAR


O cadastro das áreas rurais deve ser feito pela internet no site www.car.gov.br, dúvidas e informações pelo endereço eletrônico car@sds.sc.gov.br ou no telefone (48) 3665-4218.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br


Foto: Cidasc

Único Estado do país habilitado a exportar carne suína para a Coreia do Sul, Santa Catarina está pronto para enviar o primeiro carregamento do produto ao novo mercado. A JBS de Seara anunciou nesta segunda-feira, 21, que nos próximos dias embarcará 50 toneladas de cortes suínos (pernil, paleta, barriga e copa de lombo) partindo do Porto de Itajaí com destino à Coreia do Sul.

A abertura do mercado sul-coreano foi anunciada na última semana e trouxe uma onda de otimismo para o agronegócio catarinense. A escolha da Coreia do Sul por Santa Catarina se deve ao status sanitário diferenciado do Estado, reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa sem vacinação.

O governador Eduardo Pinho Moreira lembra também que em 2015 esteve em Paris, onde recebeu em nome de Santa Catarina o certificado de Zona Livre de Peste Suína Clássica, durante a 83ª Assembleia Mundial da OIE. Moreira entende que o Estado colhe frutos de um longo e dedicado trabalho que, depois de inúmeras etapas vencidas, alcança um quadro de excelência. “Avançamos muito em qualidade e sanidade, por isso, hoje podemos exportar para os mercados mais importantes do mundo”, comemora.

Segundo o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, o primeiro embarque de carne suína com destino à Coreia do Sul será emblemático. “É a comprovação e materialização do esforço que Santa Catarina fez para erradicar a febre aftosa. A certificação internacional está se transformando em negócios e comprova que a estratégia do Estado está correta”, destaca.

A JBS de Seara é uma das quatro empresas catarinenses autorizadas a exportar carne suína para a Coreia do Sul. A Aurora Alimentos, a BRF de Campos Novos e a Pamplona Alimentos também fazem parte desta lista.

MERCADO SUL-COREANO

A Coreia do Sul é o quarto maior comprador de carne suína do mundo – foram 645 mil toneladas importadas em 2017 – e reconhecido como um dos mercados mais exigentes. Para Spies, este é um marco histórico para o agronegócio catarinense. “Este é o início da conquista de um mercado muito importante e a expectativa é de que as exportações aumentem ainda mais a partir de agora.”

O país já é um grande parceiro de Santa Catarina nas importações de carne de frango. Em 2017, foram 39,8 mil toneladas de carne de frango vendidas para Coreia do Sul, gerando um faturamento de US$ 81,4 milhões.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/

Página 4 de 326