Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Projeto garante acessibilidade para deficientes visuais ao Portal de Serviços do Executivo

Projeto garante acessibilidade para deficientes visuais ao Portal de Serviços do Executivo

Nos últimos meses de 2018, uma equipe de desenvolvedores de software do Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc) recebeu um desafio novo. A missão: tornar o Portal de Serviços do Governo de Santa Catarina 100% acessível para deficientes visuais. Depois de muito de trabalho, a novidade está disponível desde o começo de dezembro.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto  de arquivo: Márcio Henrique Martins / FCC

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL) expressam profundo pesar pelo falecimento da artista plástica Eli Heil, aos 88 anos, ocorrido na tarde deste domingo, 10, em Florianópolis. Pintora, desenhista, escultura e ceramista, Eli edificou um legado sem precedentes na história das artes visuais brasileiras, projetando Santa Catarina para além das suas divisas e fronteiras.

Autodidata, como sempre costumava se apresentar, Eli nasceu no município de Palhoça em 1929. Na juventude, formou-se professora de educação física e, a partir da década de 1960, protagonizou o despertar da sua condição de artista. Em suas próprias palavras “a arte é a expulsão dos seres contidos, doloridos, em grandes quantidades, num parto colorido”. Sua forma de criar alcançava uma dimensão que tornava difícil a tarefa de classificá-la. Quando convidada para expor na 16ª Bienal Internacional de São Paulo, realizou um trabalho de tamanha comoção que foi registrado no catálogo oficial como “arte incomum”.

Às margens da SC-401, em Florianópolis, mais precisamente na freguesia de Santo Antônio de Lisboa, onde viveu até o fim dos seus dias, Eli edificou o seu mundo particular: O Museu O Mundo Ovo de Eli Heil, que reúne o seu acervo fantástico de mais de 3 mil obras

Por ocasião dos seus 85 anos, em 2014, O Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) abriu seu espaço para receber aquela que foi a última das 14 exposições individuais que Eli realizou na instituição. Na ocasião, a retrospectiva repassou a produção de mais de cinco décadas da artista. A relação entre o Masc e Eli Heil pode ser definida como daquelas amizades que superam o tempo e pautam uma existência. A instituição foi a casa de Eli, o museu onde ela mais expôs sendo, consequentemente, a artista com mais individuais realizadas no espaço.

Era a década de 1960, quando o então Museu de Arte Moderna de Florianópolis (MAMF), embrião do que viria a ser o MASC , dava seus primeiros passos e lá estava Eli expondo seus trabalhos sob a curadoria de Ylmar Corrêa Neto e Adriano Pauli. O MASC, que em 2018 celebrará seus 70 anos de criação, pode ser considerado também um dos tantos “filhos de luz” que a arte de Eli legou ao mundo. “A obra de Eli é carregada de singularidade. E vai muito além de contextos simbólicos. Ela traduz a singular personagem que Eli representa. Em especial, a sua forte espiritualidade”, disse a diretora de Difusão Artística da FCC, Mary Garcia.

Ao tomar conhecimento do falecimento de Eli Heil, o artista plástico, jornalista, crítico e editor Bené Fonteles manifestou a sua admiração e pesar: “E de uma pureza original. Os céus estão em festa assim devia estar sua terra em gratidão.”

Neste momento de dor e saudades, a Fundação Catarinense de Cultura e a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte expressam a sua solidariedade aos amigos e familiares da artista, especialmente seus filhos, netos e bisnetos. E se junta a toda classe artística para manifestar um profundo sentimento de gratidão por tudo o que fez e representou para as artes visuais catarinense e nacional. E mais ainda, por tingir de um colorido visceral o universo que a cercou e provando que um mundo, seja novo, seja ovo e libertário é possível.

Informações adicionais para imprensa
Marcos Espíndola
Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial   
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O programa Juro Zero e a chegada do navio Cap San Juan, com 331 metros de comprimento, ao Porto de Imbituba, no Sul do Estado, foram os destaques do programa Com a Palavra, o governador dessa semana. O governador Raimundo Colombo falou que as duas ações representam importantes oportunidades de crescimento econômico, competitividade e geração de renda para o Estado.

“Santa Catarina trabalhou e se preparou muito para este momento, e, agora, definitivamente, estamos na rota das grandes embarcações com destino aos maiores mercados comerciais do mundo”, disse Colombo. A cada semana um navio chegará a Imbituba dentro da nova linha comercial. Serão 13 navios se revezando na nova linha, saindo de Busan, na Coreia do Sul, e passando por países como China, Singapura, Malásia, Argentina e Uruguai, além do Brasil, antes de retornar para Coreia do Sul. O governador salientou que a nova linha traz competitividade e passa a ser uma alternativa importante pra quem importa e exporta.

Sobre o programa Juro Zero, Colombo explicou que, diferente dos grandes empresários, o pequeno e micro empreendedor muitas vezes têm dificuldades de acessar linhas de financiamento e sofrem com processos burocráticos. “Com esse programa, o Estado paga o juro e dá a esse pequeno empresário uma ajuda importante de desenvolver seu negócio, se tornar competitivo e contribuir com a geração de renda e emprego no Estado”, observou Colombo, ao acrescentar que não se trata de uma obra física, mas de uma ação de governo fundamental para o desenvolvimento econômico e social.

Desde 2011, o programa Juro Zero já distribuiu cerca de R$ 200 milhões em empréstimos para aproximadamente 77 mil pequenos empresários em todo o Estado. O Juro Zero disponibiliza até R$ 3 mil em linha de crédito para MEIs formalizados com receita anual inferior a R$ 60 mil. Este valor pode ser parcelado em até oito prestações. Se as sete primeiras forem pagas em dia, a última, que corresponde aos juros, é quitada pelo Governo do Estado.

Veja a íntegra da entrevista nos canais oficiais do Governo do Estado no Vimeo e no Youtube. O áudio do programa pode ser acessado na Rádio Secom.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Janaina Guliato/Detran SC

A Comissão Estadual de Leilão do Detran/SC concluiu nesta quarta-feira, 6 de setembro, em Caçador, a 11ª edição do processo de prensagem de veículos com restrições judiciais. Os 384 itens inservíveis entre carros, motos e motores após compactados geraram 197 toneladas de material ferroso que serão reciclados e reutilizados como matéria prima na indústria siderúrgica. Uma solução ecologicamente correta para esses veículos que estavam abandonados há anos, constituindo-se uma ameaça ao meio ambiente e à sociedade, e que agora seguem no caminho da sustentabilidade.

Os veículos, já sem combustível; óleo do motor; extintor de incêndio; bateria e cilindro de gás natural, retirados no processo de descontaminação, foram colocados, individualmente, na prensa, que em segundos se transformou em um pacote, com cerca de 800 quilos, colocados em caminhões e transportados até a empresa que fará a trituração e a separação do material ferroso, que será então encaminhado à reciclagem.

No procedimento, denominado Logística Reversa Veicular, a sucata de aço é 100% reaproveitável. Além deste, também são reciclados borracha, alumínio, cobre e plásticos.

Segundo o engenheiro ambiental, Jonver Bonini, para cada tonelada de aço reciclado, há uma economia de 1.140 quilos de minério de ferro e uma redução no consumo de 154 quilos de carvão e 18 quilos de cal. “A vida útil de um automóvel está estimada entre 10 e 20 anos, após esse período o caminho mais correto é a reciclagem. A implantação do sistema de logística reversa é mais um elemento rumo ao desenvolvimento sustentável do planeta, pois possibilita a reutilização e redução no consumo de matérias-primas”, frisa Bonini.

O projeto executado pela Comissão Estadual de Leilão, com a parceria do poder judiciário e Ministério Público do município, somente este ano, compactou 1.168 veículos, totalizando 227 toneladas de material a ser reciclado. Desde o início dos trabalhos, no segundo semestre de 2015, foram 2.196 itens prensados, num total de 865,6 toneladas. A meta para 2017 é alcançar a marca dos 3 mil veículos.

Integrante da Comissão de Leilão e coordenador dos ferrosos, o delegado Adalberto Safanelli ressalta que a situação nos pátios de todo o Estado é preocupante, a maioria dos veículos encontram-se totalmente destruídos, causando problemas de saúde pública e ao meio ambiente, dentre outros fatores sociais e econômicos.

“Com essa medida conseguimos liberar espaço no pátio, para que sejam realocados os veículos que estão em áreas públicas, além de evitarmos a contaminação do solo e a proliferação de doenças. Agradecemos a credibilidade do magistrado de Caçador, Rodrigo Dadalt que deu início a essa ação através da provocação, e que resultou no êxito dos trabalhos, que é favorável a toda a sociedade. Queremos levar essa operação para as demais regiões do estado”, frisou Safanelli.

Mais informações:
Janaina Guliato
Comissão Estadual de Leilão
Detran/SC
E-mail: janainaguliato@detran.sc.gov.br


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo esteve em Mafra, no Planalto Norte catarinense, nesta sexta-feira, 8, dia que o município recebe simbolicamente o título de Capital do Estado, em função do aniversário de 100 anos. Colombo participou da inauguração do monumento construído para marcar o centenário de Mafra e, na Praça Ferroviário Miguel Bielecki, participou da abertura oficial da festa do centenário.

"É uma data que merece ser reconhecida e comemorada com a responsabilidade de olhar para o futuro e construir um cenário de desenvolvimento, de progresso e de qualidade de vida, para as gerações que vão escrever a história dos próximos 100 anos", disse Colombo, em seu discurso na abertura da Festa do Centenário Mafrense.


Foto: Paulo Monauar/ADR Chapecó

Com coreografias, música e apresentações, cerca de 2,3 mil alunos da rede estadual de ensino de Chapecó participaram do Desfile Cívico no município, na manhã desta quinta-feira, 7, dia em que o Brasil comemora 195 anos de independência.  

A Gerência Regional da Educação da Agência de Desenvolvimento Regional de Chapecó, por meio das escolas de abrangência, prestou homenagem aos 100 anos de emancipação político-administrativa de Chapecó ao mostrar na avenida a história, o presente e as perspectivas de futuro. Segundo a coordenadora do Desfile Cívico da Rede Estadual, Eliane Dal Berto, as expectativas foram superadas. “A alegria e entusiasmo tomaram conta da avenida. As escolas e os alunos abraçaram a proposta”, destaca.

Com montagem de quebra-cabeça, surgiram na avenida as bandeiras do Estado e do município. A memória dos primeiros habitantes foi lembrada com a representação dos povos indígenas presentes na região antes da colonização e com a chegada das companhias colonizadoras simbolizadas pelo desbravador. A estudante Tayana Miotto, da EEB Luiza Santin, estava na ala que representava a formação do município. “Estudamos este tema na escola e estamos representando a presença dos índios no início da nossa história”, destaca.

O desenvolvimento de Chapecó foi ilustrado pela força do trabalho com cooperativismo, profissões e competitividade exemplificada pelos cursos do Centro de Educação Profissional (Cedup). O esporte também ganhou a Avenida Getúlio Vargas com a lembrança de 1975, ano em Chapecó sediou pela primeira vez os Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc). Com a palavra-chave “Reconstrução”, as escolas prestaram uma homenagem à Associação Chapecoense de Futebol.

A secretária da Agência de Desenvolvimento Regional Chapecó, Astrit Savaris Tozzo, acompanhou o desfile. “A participação do público foi espetacular. O povo chapecoense está mais envolvido, valorizando a educação e civismo na comemoração dos 100 anos do município”, afirma. A professora aposentada Maria Salete Ramos acompanhou atentamente do desfile. “Foi muito bonito, bem organizado. Há fé e esperança no futuro”, enfatiza.

Mais informações para a imprensa:
Andréia Cristina Oliveira
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de Chapecó
Fone: (49) 2049-7427 / 99938-6966
E-mail: imprensasdrcco@gmail.com
Site: sc.gov.br/regionais/chapeco

Página 246 de 361

Conecte-se