Em Joinville, o Hospital Infantil recebeu 13 novos leitos de UTI Neonatal em outubro de 2017 - Foto: Paulo Goeth / SES

Santa Catarina conta com 226 leitos de UTI Neonatal, sendo 174 públicos e 52 privados. A quantidade é acima do parâmetro estabelecido pela Portaria 930 de 2012,  do Ministério da Saúde, que preconiza dois leitos de UTI Neonatal para cada 1000 nascidos vivo.  

"Em Santa Catarina nascem em torno de 100 mil crianças por ano. Isso significa que são necessários 200 leitos de UTI Neonatal. Como temos 226, o Estado está acima do recomendado",  destaca o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande.

Dos leitos públicos em SC, 144 são custeados pelo Ministério da Saúde (MS) e 30 com recursos do Governo do Estado. Além destes, o Hospital Regional de São José (HRSJ) contará em breve com mais 10 leitos, também custeados com recursos do tesouro estadual.

IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL

O secretário destaca que a ocupação leitos de UTI Neonatal pode ser diminuída com ações relacionadas ao acompanhamento das mulheres no pré-natal e na atenção ao parto. "Nos últimos anos, mais de 73% das mulheres tiveram sete consultas ou mais durante a gestação. Mesmo assim, ainda cerca de 11% das crianças nascem prematuramente", observa Casagrande.

Esta prematuridade, segundo o secretário, em grande parte dos casos está relacionada  a intercorrências na gestação como infecção urinária, hipertensão e também às cesarianas eletivas agendadas.  Apesar de registrar redução a cada ano, a taxa de cesariana em 2016 em Santa Catarina foi de 57,7%.

Este é um índice ainda alto, pois a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda uma taxa desejável de até 15% dos partos cirúrgicos, enquanto o Ministério da Saúde (MS) estabelece uma meta de 35% para os hospitais de referência que atendem gestação de alto risco.

REDE CEGONHA

Preocupada em alcançar os índices preconizados pela OMS e MS, a Rede Cegonha, implantada em 2013 no Estado, vem promovendo ações para a melhoria destes indicadores. "Uma das ações é o projeto Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia (APICEON) envolvendo a  Maternidade Darcy Vargas (Joinville), Maternidade Carmela Dutra  e Hospital Universitário (Florianópolis) e o Hospital Nossa Senhora da Conceição (Tubarão).

"O projeto tem a parceria do Ministério da Saúde e envolve estes quatro  hospitais de ensino que  estão sendo preparados para serem multiplicadores de práticas baseadas nas melhores evidências científicas de atenção ao parto e nascimento", complementa Carmen Delziovo, coordenadora do Grupo de Condução Estadual da Rede Cegonha.

LEITOS EM SANTA CATARINA:

UTI NEONATAL - TIPO I

Estabelecimento

Município

Existentes

SUS

Hospital E Maternidade Santa Luiza

Balneário Camboriú

7

0

Clinica Santa Helena

Florianópolis

10

0

Ilha Hospital E Maternidade

Florianópolis

5

0

Hospital Dona Helena

Joinville

6

0

Socimed

Tubarão

2

0

   

30

0

 Total

5

 
           

UTI NEONATAL - TIPO II

Estabelecimento

Município

Existentes

SUS

Hospital Municipal Ruth Cardoso

Balneário Camboriú

10

6

Hospital Santo Antonio

Blumenau

10

10

Hospital Regional Do Oeste

Chapecó

10

10

Hospital Unimed Chapecó

Chapecó

5

0

Hospital São Francisco

Concórdia

6

6

Hospital Materno Infantil Santa Catarina

Criciúma

7

7

Hospital Helio Anjos Ortiz

Curitibanos

7

7

Hospital Infantil Joana De Gusmão

Florianópolis

10

0

Hospital Universitário

Florianópolis

9

8

Maternidade Carmela Dutra

Florianópolis

10

10

Hospital E Maternidade Marieta Konder Bornhausen

Itajaí

10

10

Hospital E Maternidade Jaraguá

Jaraguá Do Sul

6

6

Hospital Materno Infantil Dr Jeser Amarante Faria

Joinville

20

7

Maternidade Darcy Vargas

Joinville

10

10

Hospital Geral E Maternidade Tereza Ramos

Lages

8

6

Hospital Infantil Seara Do Bem

Lages

3

3

Maternidade Dona Catarina Kuss

Mafra

9

9

Hospital Regional Alto Vale

Rio Do Sul

4

4

Hospital Regional De São Jose Drhomero Miranda Gomes

São Jose

10

10

Hospital Regional São Paulo Assec

Xanxerê

9

8

   

173

137

 Total

20

 
           


UTI NEONATAL - TIPO III

Estabelecimento

Município

Existentes

SUS

Hospital Santa Catarina

Blumenau

5

0

Centro Hospitalar Unimed

Joinville

9

0

Hospital Nossa Senhora Da Conceição

Tubarão

9

7

   

23

7

 Total

3

 
         

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Saúde 
(48) 3664-8820 

 



A cultura de Santa Catarina ganha mais um espaço de divulgação: está no ar o portal cultura.sc.gov.br, novo site da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), órgão do Governo do Estado. Mais do que um espaço para informações institucionais, o novo portal disponibilizará ao público a agenda cultural dos teatros, museus e demais casas administradas pela FCC, de forma organizada e fácil navegação. Será priorizada a publicação de notícias, que ganham mais espaço e destaque na página principal.

O site anterior havia sido construído em 2008 e desde 2012 não recebia melhorias em sua estrutura. Por isso, uma das preocupações na elaboração do novo portal foi apresentar um layout moderno, seguindo a tendência de diversos portais de cultura existentes no país.


Fotos: Jeferson Bado / Secom

O governador Eduardo Pinho Moreira esteve reunido com o novo ministro do Trabalho e Emprego, Helton Yomura, nesta terça-feira, 10, tratando de recursos para o Sistema Nacional de Emprego (Sine). A intenção é manter o convênio do Governo Federal com o Estado para que os serviços nas agências do Estado continuem sendo oferecidos com qualidade à população.

Para Eduardo Pinho Moreira, o trabalhador é o maior beneficiado com a atuação do Sine, uma porta de entrada para o mercado de trabalho. “As agências são essenciais para o crescimento dos nossos índices de empregabilidade, que nos últimos meses se destacaram expressivamente. O trabalho desenvolvido nas agências do Estado fomenta o mercado e a competitividade”, destaca.

SC conta com 124 postos de atendimentos, sendo 23 de execução direta e os demais com parcerias técnicas com os municípios.

ESTADO AGUARDA REPASSE FEDERAL

Em Santa Catarina, a execução do Sine ocorre por meio de convênio plurianual, sendo que o último documento foi assinado em 2012, contemplando a primeira etapa com um custo de R$ 8.063.874,51 milhões. Já a segunda fase, que encerrou em 28 de fevereiro de 2017, contabilizou um investimento de R$ 7.494.074,77 milhões. O valor da terceira etapa orçada em R$ 3.888.852,70 deveria ter sido liberado em março de 2017, mas ainda não ocorreu.



>>> Mais fotos na galeria

De acordo com a secretária da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Romanna Remor, o serviço das agências é imprescindível, tendo em vista que Santa Catarina foi o Estado que mais gerou emprego em 2017.

“Iremos trabalhar internamente para resolvermos todas as pendências existentes, tendo em vista o comprometimento do ministro de nos repassar os valores da terceira etapa do convênio, o que permite que nós honremos com os atendimentos à população. O ministério sinalizou, ainda, uma suplementação de recurso para que possamos dar continuidade aos serviços até o fim do ano, quando se encerra o convênio”, destaca.

PARCERIA ENTRE ESTADO E UNIÃO

Yomura ressaltou que os entraves serão solucionados em parceria com o Governo do Estado, mediante as análises avalizadas pelo Ministério do Trabalho. O ministro salientou ainda a importância do trabalho das agências. Segundo ele, o Sine é o elo entre o Ministério do Trabalho e Emprego e o Governo do Estado.

“Isso permite estar mais próximo do trabalhador e realizar os atendimentos que a população necessita. Também ficamos muito felizes com esta aproximação de Santa Catarina com o ministério”, frisa.

Para o ministro, Santa Catarina vem se destacando não só na região Sul do país, mas como números significativos para todo o Brasil. “Sua economia diversificada, sua posição estratégica e sua postura logística facilita todo o setor produtivo de Santa Catarina. A expectativa para este ano é que os indicativos permanecem ou avancem ainda mais”, comenta.

Informações adicionais para a imprensa
Douglas Saviato
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Articulação Nacional
E-mail: douglas@san.sc.gov.br
Fone: (61) 3101-0900 / 99304-0198
Site: www.san.sc.gov.br 

Será realizada nesta sexta-feira, 13, no Centro de Ciências Tecnológicas (CCT) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Joinville, a cerimônia de instalação da Embaixada de Direitos Humanos ao Serviço da Humanidade, ligada ao Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH). O ato será  Auditório do Bloco F do CCT, às 14h e terá a presença do reitor, Marcus Tomasi, de prefeitos, conselheiros tutelares e de Direito das regiões norte e nordeste.


Foto: James Tavares/Secom

Santa Catarina registrou, em 2017, saldo positivo de vagas com carteira assinada chegando a 29.165 novos postos, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Joinville aparece na primeira posição do país com 5.562 novos postos e São José em sexto lugar com 2.503. As duas cidades estão entre as 10 que tiveram um saldo positivo na geração de empregos do Brasil.

Em fevereiro, o mais recente levantamento do Caged deste ano, Santa Catarina aparece em segunda posição no ranking geral do país com saldo de 16,3 mil novas vagas, atrás de São Paulo, que gerou 30 mil novos postos de trabalho.

O coordenador do Sine de Joinville, Magnus Klostermann, explica que o crescimento de oportunidades de emprego no município são devidos a vários fatores e um deles é a recuperação da economia na indústria. “A economia na parte das indústrias de metal-mecânica teve uma recuperação assim como na de automóveis. Outros fatores influenciaram esse aumento como os polos de incubadoras na área da informática, a proximidade com os Portos de São Francisco do Sul e de Itapoá”.

Já em Santa Catarina, a indústria da transformação foi a que mais gerou emprego nos últimos 12 meses, com 15.505 vagas. Em segundo lugar foram os serviços a exemplo do comércio e administração de imóveis, técnicos, alimentação e hospedagem.

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Fabricio Escandiuzzi

Uma reunião estratégica para tratar das filas nos hospitais da Grande Florianópolis foi realizada na noite desta segunda-feira, 9, com representantes de unidades hospitalares e secretários municipais de Saúde de toda a região. O encontro, promovido pelo secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, teve como principal objetivo a criação de uma força-tarefa para minimizar filas de pacientes no Hospital Regional de São José (HRSJ) e no Hospital Celso Ramos (HCR).

Com a medida, pacientes que precisam de atendimento de baixa e média complexidade e os que não necessitam de internação poderão ser atendidos em outras unidades de saúde da região.

O diretor do HRSJ, médico Valdir José Ferreira, explicou sobre a situação do hospital que recebe pacientes de toda a região e conta com procedimentos de alta e média complexidade. “Estamos falando de um complexo hospitalar que recebe 30 mil pessoas por mês e realiza 1,5 mil cirurgias e outras 1,5 mil internações. Tenho normalmente 100 pessoas a mais do que a minha capacidade de leitos diariamente”, afirmou Ferreira, lembrando que muitos desses usuários são classificados como azul ou verde, ou seja, poderiam ser atendidos em unidades básicas de saúde e de pronto atendimento.

No encontro, também ficaram definidas algumas ações e trocas de informações entre as unidades para uso de leitos ociosos e realização de procedimentos em unidades de Biguaçu, Canelinha, Angelina, Santo Amaro da Imperatriz, Tijucas, Florianópolis e São José. “Esse é o início de um caminho para pensarmos em rede”, observou o diretor do HRSJ.

Atualmente, existem 3059 leitos em toda a região e, muitos deles encontram-se ociosos, com vagas a serem preenchidas. “Temos 50 leitos em um hospital de muita qualidade e também podemos auxiliar com internações”, comentou a irmã Maria Harordt, diretora Administrativa do Hospital de Angelina. “Nunca presenciei uma reunião com todos os diretores de hospitais. Assim teremos clareza para continuar trabalhando firme para atender as pessoas que precisam”, complementou a irmã.

O secretário Acélio Casagrande reforçou o compromisso do Governo do Estado em solucionar a questão das filas nos hospitais, oferecendo atendimento de qualidade à população catarinense. “A união de forças na Atenção Básica, por meio das secretarias municipais de saúde, UPAs, hospitais e SES, com certeza diminuirá o tempo de espera de pacientes em nossos hospitais”, destacou Casagrande. O próximo encontro entre os representantes das unidades hospitalares da Grande Florianópolis e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) será no dia 8 de Maio.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação - Secretaria de Saúde 
(48) 3664-8820 

O Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) interditou na manhã desta terça-feira, 10,  a SC-415, no km 85, em São João do Itaperiú, no Norte do Estado. A rodovia permanecerá bloqueada para obras perto da localidade de Morro dos Monos.

De acordo com o setor de engenharia do Deinfra, será preciso escavar uma profundida de sete metros para poder identificar o problema no solo. Quem precisar ir até São João do Itaperiu estando próximo de Massaranduba precisa se deslocar pela BR-101. 
 
O Deinfra vai instalar placas com orientação aos motoristas nos acessos de Barra Velha, Massaranduba e Guaramirim. Não há previsão de liberação do trânsito antes de três semanas.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Keller
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville
E-mail: anakeller@jve.adr.sc.gov.br / imprensa@jve.adr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3461-1225 / 99240-8064
Site: sc.gov.br/regionais/joinville


Foto: Cidasc

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) tem um novo presidente: Luiz Alberto Rincoski Faria tomou posse nesta segunda-feira, 9. Luiz Alberto é natural de Curitiba (PR), médico veterinário, formado pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), com especialização em Produção de Ruminantes pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Desde 1985, desenvolve atividades ligadas à produção agropecuária em Santa Catarina, tendo experiência na área de zootecnia com ênfase em produção animal.

“Assumo hoje um grande desafio e espero trazer um pouco da minha experiência para somar ao trabalho já realizado pela Cidasc”, afirmou o novo presidente. Luiz Alberto ressaltou ainda a competência técnica da Companhia, que foi fundamental para que Santa Catarina se tornasse referência em sanidade agropecuária. “A credibilidade da Cidasc é reconhecida nacional e internacionalmente e é inegável a competência de seu corpo técnico”.


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

Um programa educativo para jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade em Santa Catarina começou na tarde desta segunda-feira, 9, na Academia de Polícia (Acadepol), em Florianópolis. O programa, que é piloto, da Polícia Civil em parceria com a Prefeitura de Florianópolis e o Instituto Padre Wilson Groh reuniu 30 adolescentes entre 13 e 17 anos do Norte da Ilha de Santa Catarina para participar de oficinas e atividades interdisciplinares. Após a abertura, os participantes fizeram um tour pela Acadepol e conheceram um pouco das atividades policiais, como o trabalho com os cães farejadores.

IMG 9509

Nesta segunda feira , 9, a secretária de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Romanna Remor, assinou e entregou ordens de serviço para o término das obras de seis Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e três Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas). As obras já haviam começado, mas algumas empresas reincidiram os contratos.

“Com a grande crise econômica que ataca o país, muitas empresas de construção não estão conseguindo cumprir os contratos. É muito importante que retomemos a obras para que esses importantes equipamentos sejam entregues à população e cumpram com sua função”, afirmou a secretária.

As obras são realizadas dentro do programa Pacto pela Proteção Social do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação. Os investimentos nesses nove equipamentos somam R$ 2 milhões.

Os Cras são responsáveis pela organização e pela oferta de serviços da proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), nas áreas de vulnerabilidade e risco social dos municípios. O prédio é construído no padrão de 171 metros quadrados e contempla toda a mobília. Todos os equipamentos estão dentro dos padrões exigidos de acessibilidade e espaço físico compatível com o trabalho realizado.

Os Creas oferecem apoio e orientação especializados a famílias e indivíduos em situação de risco comprovadas como violência física, psíquica, sexual, abandono, ameaça, maus tratos e discriminações sociais.

Obras:

CRAS - 
Bandeirante  - R$294,179,89; 
Barra Bonita  - R$294.342,63; 
Belmonte  - R$298.118,39,  
União do Oeste - R$273.553,44;
Passos Maia  - R$179.000,00;
Abdon Batista - R$132.899,70.

CREAS
Dionísio Cerqueira - R$219.501,65; 
Palmitos -  R$123.000,00;
Tigrinhos - R$189.000,00.

Informações adicionais para a imprensa
Patrícia Antunes
Assessoria de Comunicação 
Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST)
E-mail: patyantunes1@gmail.com
Fone: (48) 3664-0916 / (48) 98817-7973
Site: www.sst.sc.gov.br