Os diversos atrativos de Santa Catarina estão presentes na 7ª edição da World Travel Market Latin America (WTM), principal evento internacional de viagens e turismo da América Latina. Cerca de 50 representantes do setor público e privado integram o estande do estado no evento, realizado em São Paulo entre 02 a 04 de abril.

No espaço de 70 m² coordenado pela Santur, estão representadas cidades de seis regiões turísticas do estado: Grande Florianópolis, Costa Verde e Mar, Vale Europeu, Caminho dos Contestado, Encantos do Sul e Caminho dos Príncipes. A realeza da Festa das Flores (Joinville), da Fenarreco (Brusque) e da Festa Pomerana (Pomerode) recepciona os visitantes. A cidade mais alemã do Brasil, Pomerode, oferece chopp e comidas típicas da região, como a linguiça Blumenau e as tradicionais bolachas decoradas com tema de Páscoa.

Capacitação inédita

Dois destinos de Santa Catarina participaram ainda de uma ação inédita de promoção do turismo, durante sessão do Buyers Club, na manhã de quarta, dia 03. O público foi formado por 75 responsáveis diretos por compras de destinos da América Latina, América do Norte e Europa. O evento contou com apresentação realizada em inglês pelo Parque Unipraias, de Balneário Camboriú, e pelo Floripa Convention & Visitors Bureau.

De acordo com a presidente da Santur, Flavia Didomenico, participar dessa rodada durante a WTM permite ao trade de Santa Catarina ampliar sua rede de contatos com compradores altamente qualificados: “Além dessa ação inédita, pela primeira vez nosso estado contou com estande próprio neste evento. Isso nos permite projetar de forma mais assertiva nossos inúmeros atrativos e alinhar parcerias com os participantes”, destaca a presidente.

World Travel Market Latin America

A WTM é um evento business-to-business (B2B) que espera atrair ao longo dos três dias cerca 8.000 visitantes e 600 empresas expositoras para fazer networking, negociar e se atualizar sobre as novidades do setor.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Flores
Assessoria de Imprensa Santur
Santa Catarina Turismo S.A - Santur
E-mail: imprensa@santur.sc.gov.br
Fone: (48) 3212-6311 / (48) 98844-1240
Site: www.turismo.sc.gov.br


Fotos: Divulgação / SCC

O Governo do Estado vai repassar R$ 262,9 mil para o município de Armazém no Sul do Estado, para a reconstrução da cabeceira da ponte que corta o Centro da cidade. O anúncio foi feito pelo governador Carlos Moisés, que, de Florianópolis, fez uma chamada de vídeo com o secretário da Casa Civil, Douglas Borba e o prefeito Benjamim Arent, que estavam em Armazém.

O secretário representou o governador na visita à cidade do Sul do Estado acompanhado do adjunto Matheus Hoffmann. Eles conferiram de perto a situação da ponte e seguiram para Prefeitura, onde contataram Moisés.

Governo do Estado libera recursos para ponte do Centro de Armazém

“Uma parte que envolve o Centro da cidade ficou isolada com a queda da cabeceira. A situação de muitos moradores, comerciantes e empresários é extremamente complicada”, disse Borba.

A cabeceira foi danificada no dia 18 de fevereiro pela chuva e pela intensidade das águas do Rio Capivari, que corta a cidade. Inúmeros moradores ficaram isolados. A ponte chegou a ser interditada até que a prefeitura construiu uma estrutura provisória de madeira para que a travessia fosse possível. Porém, só passam pelo local pedestres, motos e veículos de pequeno porte.

Governo do Estado libera recursos para ponte do Centro de Armazém

Sem a ponte, muitas empresas do setor do agronegócio e da construção civil também foram prejudicadas, pois o acesso alternativo, a 10 quilômetros de distância do local, tem limite de carga de 30 toneladas.

Informações adicionais à imprensa
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), por meio da Diretoria de Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Sustentável (DMUC), lançou nesta quarta-feira, 03, o Planejamento Estratégico do Programa Produtor de Água em São Francisco do Sul, realizado na microbacia do Morro da Palha, importante fonte de captação de água para abastecimento público. 

Pioneiro na região, o estudo mapeia os problemas da região e aponta as ações, estimulando à política de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) voltada à proteção hídrica no Brasil – um dos objetivos que vai ao encontro das diretrizes da Agência Nacional de Águas (ANA). A pesquisa aponta ações que visem a redução da erosão e do assoreamento de mananciais no meio rural, melhorando a qualidade e a oferta de água.

Atualmente São Francisco do Sul conta com 52 mil habitantes (IBGE/2010) e, na alta temporada, recebe cerca de 2 milhões de turistas. A Microbacia do Morro da Palha é a maior responsável pelo abastecimento do município. A entrega do estudo ocorreu no auditório da RPPN Vega do Sul, situada na microbacia estudada e reuniu representantes de associações, prefeitura, empresários e indústrias. 

“Nossas cidades estão crescendo economicamente, é preciso pensar no desenvolvimento sustentável e este projeto contempla as prioridades ambientais de conservação, preservação e idealização do futuro das regiões”, destaca o secretário Lucas Esmeraldino. 

De acordo com o diretor de Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Sustentável, Luis Antônio dos Santos, o Programa Produtor de Água de Santa Catarina já impactou, até o momento, São Bento do Sul e São Francisco do Sul. 

O próximo lançamento do programa será o Planejamento Estratégico da Bacia do Rio Cubatão, prevista para o final deste semestre. O start das ações ocorreu em um hotel em Santo Amaro do Imperatriz, na última terça-feira, 02. 

“A finalidade é estimular todos os atores do ecossistema a investir em ações que ajudem a preservar o meio ambiente, como por exemplo, incentivar produtores ao cuidado do trato com as águas, recebendo apoio técnico e financeiro para implementação de práticas conservacionistas. Assim, além do ganho econômico na produção, o produtor também melhora a quantidade e a qualidade da água da região, beneficiando a todos”, explica o  diretor Luís Antônio.

Oportunidade

Demais regiões do Estado que queiram aderir ao modelo executado pela SDS terão acesso no fim de 2019 ao Plano Modelo de Viabilidade e Sustentabilidade Econômica para Projetos de Pagamento por Serviços Ambientais, que contém explicações minuciosas dos processos de diagnóstico, análise e plano de ação.

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo
Jornalista: Mônica Foltran
E-mail: comunicacao@sds.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665 2261/ (48) 996961366

Foto: Maiara Gonçalves/PGE

A Procuradoria Geral do Estado de Santa Catarina (PGE) firmou acordo com a Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas (Fepese) que prevê o pagamento, em favor do Estado, de R$ 122 mil. O valor é referente à sanção em razão de inexecução parcial de contrato celebrado, em 2014, entre a Fepese e o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado (MPTC) para a realização de concurso público para o cargo de procurador do MPTC.

“Para evitar o ajuizamento de uma nova demanda e cobrar os valores devidos ao Estado, a PGE optou por firmar o acordo e garantir o pagamento da multa. É importante valorizar que a própria instituição reconheceu a responsabilidade pela inexecução parcial”, ressaltou a procuradora-geral do Estado, Célia Iraci da Cunha, que representou o Estado de Santa Catarina no ato de assinatura, realizado nesta quarta-feira, 3. A Fepese foi representada pelo presidente Mauro Fiuza.

A procuradora-geral do Ministério Público de Contas, Cibelly Farias, que atuou como anuente do acordo entre Estado e Fepese, agradeceu o apoio jurídico da PGE desde o início do processo. “Com esse acordo, finalizamos essa pendência e conseguimos encontrar a melhor forma de composição para garantir que não houvesse prejuízo ao Estado”, reforçou Cibelly.

Informações adicionais:
Maiara Gonçalves
Assessoria de Comunicação
Procuradoria Geral do Estado
comunicacao@pge.sc.gov.br
(48) 3664-7650 / 99131-5941 / 98843-2430

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV), da Secretaria de Estado da Saúde, confirmou nesta quinta-feira, 4, o registro da primeira morte de macaco por febre amarela no Estado. A coleta do material para análise foi feita no dia 20 de março, após um morador encontrar o macaco, da espécie bugio, morto em uma área de mata no município de Garuva, no Norte do Estado. As amostras foram encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen) e seguiram para a Fiocruz, do Paraná, laboratório de referência para o Estado.

Os macacos não transmitem a febre amarela. Eles são vítimas da doença e sinalizam a circulação do vírus na região. Por isso, ao encontrar um macaco doente ou morto, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) deve ser comunicada imediatamente.

:: CONFIRA INFOGRÁFICO SOBRE A FEBRE AMARELA

Estratégias de vigilância

Na tarde desta quinta-feira, 4, a Dive realizou na sede da Defesa Civil, em Florianópolis, uma videoconferência para discutir propostas de intensificação da vacinação contra a febre amarela, com base na avaliação das principais áreas de risco. Participaram da reunião, os profissionais de saúde que atuam em áreas de vigilância epidemiológica e atenção básica das gerências regionais do Estado e dos municípios.

De acordo com o gerente de zoonoses da Dive, João Fuck, esse trabalho é importante para protegermos a população catarinense da doença “O vírus está aqui, circulando pelo Estado, e precisamos trabalhar em conjunto, notificando situações de macacos mortos ou doentes e reforçando as estratégias de vacinação, melhor forma de prevenção da doença”, esclareceu.

Em 28 de março de 2019, Santa Catarina já havia confirmado o primeiro caso de febre amarela autóctone (contraída dentro do Estado) em humano com morte. O paciente era um homem de 36 anos que não havia se vacinado. Ele morava em Joinville, no Norte do Estado.

Por isso, Maria Teresa Agostini, diretora da Dive, reforça o pedido: “Todas as pessoas acima de 9 meses devem procurar uma sala de vacina para receber a dose que protege contra a febre amarela para a vida toda.”

Reforçando as ações de intensificação da vacinação contra a febre amarela, no dia 11 de abril, às 15h30, será realizado um Fórum Aberto online sobre o assunto para profissionais da atenção básica dos municípios. A médica infectologista da Gerência de Vigilância de Zoonoses, Marise Mattos e a gerente de Imunização e Doenças Imunopreveníveis, Lia Quaresma Coimbra, vão falar sobre os casos suspeitos de febre amarela estratégias de vacinação.

Campanha Estadual de Vacinação Contra a Febre Amarela

Devido às baixas coberturas vacinais, em 20 de março Santa Catarina deu início à Campanha de Vacinação Contra a Febre Amarela que vai até o dia 20 de abril. Nesse período, todos os moradores devem procurar um posto de saúde para tomar a vacina contra a doença.

:: VEJA MENSAGEM DO GOVERNADOR SOBRE A IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO

A Dive informa que distribuiu o quantitativo de doses da vacina contra a febre amarela para as 17 regionais de saúde do Estado até o dia 3 de abril de 2019. O Ministério da Saúde (MS) enviou para o Estado 1.300.000 doses (em janeiro de 2019, 500 mil doses; em fevereiro de 2019, o quantitativo foi de 200 mil doses; e em março de 2019, recebeu 600 mil doses). Até o momento a cobertura vacinal está em 61,47%, considerando doses aplicadas entre 1994 e 2019.

A previsão de recebimento da próxima remessa enviada pelo Ministério da Saúde é de 300 mil doses até o dia 14 de abril.

Quantidades de doses de vacina por gerências de saúde
De janeiro a 4 de abril

Araranguá 90.250
Blumenau 138.000
Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (Crie) 800
Chapecó 25.000
Concórdia 8.000
Criciúma 190.000
Florianópolis 168.390
Itajaí 148.000
Jaraguá do Sul 63.000
Joaçaba 10.500
Joinville 210.000
Lages 10.000
Mafra 15.000
Rio do Sul 104.000
São Miguel do Oeste 6.000
Tubarão 160.250
Videira 14.000
Xanxerê 7.000

Informações adicionais para imprensa:
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
Assessoria de Imprensa
Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
Instagram: @divesantacatarina Facebook: Dive Santa Catarina
Fone: (48) 3664-7406/(48) 3664-7402/(48) 3664-7385
Site: www.dive.sc.gov.br

Fotos: Júlio Cavalheiro/Secom

Quem precisa fazer a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) definitiva, tirar uma segunda via ou obter uma Permissão Internacional para Dirigir (PID) não precisa mais se deslocar até o Ciretran para dar início ao processo. O Governo de Santa Catarina lançou, na tarde desta quinta-feira, 4, o Detran Digital, serviço online que permite fazer essas solicitações sem sair de casa. O único deslocamento que o cidadão precisa fazer será para buscar o documento quando estiver pronto.

"É muito importante que o cidadão tenha o direito de ter acesso aos serviços de forma simples, ágil e online"

Carlos Moisés
,
governador

No futuro, outros serviços serão adicionados ao portal. “É muito importante que o cidadão tenha o direito de ter acesso aos serviços de forma simples, ágil e online”, considera o governador Carlos Moisés. Ele fez o lançamento oficial do Detran Digital, serviço construído em conjunto entre o Departamento Estadual de Trânsito, o Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc), a Secretaria de Estado de Administração e a Secretaria de Estado da Segurança Pública.

:: VEJA GALERIA DE FOTOS DA REUNIÃO

O Detran Digital pode ser acessado no site do órgão, detran.sc.gov.br.

No total, a quantidade de solicitações para esses três serviços é de 140 mil por ano em Santa Catarina. Isso significa que 280 mil deslocamentos são feitos anualmente, já que é preciso entregar a documentação e, depois, ir buscar o documento. A possibilidade de iniciar o processo de forma online pode diminuir as filas para a obtenção da CNH definitiva, segunda via ou PID em até 50%.

Próximos passos

O governador frisou que o Estado pretende avançar na digitalização de serviços, dando aos catarinenses a opção de ter o documento físico, apenas digital ou ambos. “Queremos chegar no nível em que não seja mais necessário nem ir buscar o documento, mas receba de forma digital no smartphone se assim desejar. Isso precisa ser ajustado com o Governo Federal, mas vamos perseguir essa evolução”, garantiu Moisés.

De acordo com o secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca, o objetivo é, até 2022, digitalizar 100% dos serviços que possam ser feitos de forma online. “Hoje tenho convicção de que vamos alcançar essa meta. Todo esse trabalho em conjunto vai facilitar a vida do cidadão catarinense”, afirmou.

O site dispõe de sistema de acessibilidade para deficientes visuais e foi elaborado de forma que seja fácil inclusive para quem tem poucos conhecimentos de informática. Basta fazer um cadastro e o acesso é liberado instantaneamente. Para iniciar uma solicitação, é só selecionar o serviço desejado. O sistema informa o valor da taxa e libera um código de barras para o pagamento. Enquanto a guia não for paga, é possível cancelar a solicitação a qualquer momento. O andamento de todos os processos pode ser consultado no site, que informa quando o documento está pronto para ser buscado.

“Nossa meta, dentro do Detran, é fazer com que a pessoa tenha cada vez menos deslocamentos, com a implantação da acessibilidade digital em processos mais ágeis e informatizados”, explica a diretora do departamento, Sandra Mara Pereira. Segundo o presidente do Ciasc, Sérgio Maliceski, lembrou que o trabalho para digitalizar serviços continua. “O Ciasc vem para ajudar o governo na sua tarefa mais importante, que é melhorar a vida do cidadão”, resumiu.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Foto: James Tavares/ Secom

O Governo do Estado fechou uma parceria com as associações de municípios catarinenses na manhã desta quinta-feira, 4, em Florianópolis, para agilizar e reduzir custos com recuperação e manutenção de rodovias. O governador Carlos Moisés e o secretário da Casa Civil, Douglas Borba, ouviram o presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Joares Ponticelli, e representantes das 21 entidades municipais para construir um modelo que atendesse à infraestrutura viária, o principal gargalo apresentado pelos prefeitos de Santa Catarina. Optou-se pela criação de consórcios intermunicipais para implantação de usinas de asfalto em todas as regiões.

:: VEJA GALERIA DE FOTOS DA REUNIÃO

O investimento com aquisição das usinas de asfalto fica sob responsabilidade do Governo do Estado, por meio de financiamento junto ao BNDES. “A adesão das associações é total neste projeto. O consórcio vem para aproximar Governo e Prefeituras, trazer legalidade ao processo e dar agilidade e economia na recuperação de estradas. É uma excelente forma de autorizar o município a investir seus esforços com contrapartida do Estado”, disse o governador.

O secretário da Casa Civil explicou que 70% das estradas catarinenses estão em condições ruins ou péssimas. “A melhoria das rodovias é uma necessidade urgente. Acreditamos no municipalismo e que o Estado nem sempre precisa ser o executor, e sim o meio facilitador. Por isso, precisamos fortalecer os prefeitos, pois são eles que conhecem a realidade local”, afirmou Douglas Borba.

A Fecam aprovou a iniciativa do Governo do Estado e a agilidade em tentar resolver o problema viário. “Quero cumprimentar todo o Governo por ouvir os municípios. A decisão foi unânime pela formalização de consórcios. O governador tem demonstrado uma vocação municipalista nunca antes vista em Santa Catarina, e isso é extremamente importante, pois são nos municípios que as pessoas vivem”, disse Joares Ponticelli.

Experiência de Pinhalzinho

A cidade de Pinhalzinho já possui uma modalidade de consórcio com outros municípios e uma usina de asfalto. O prefeito Mário Afonso Woitexem compartilhou a experiência: “Há muitas vantagens ter a usina, como a desburocratização do processo, a agilidade e o controle da qualidade do serviço. Sem falar na questão econômica, pois gastamos a metade do que pagaríamos para contratar uma empreiteira”, afirmou.  

O secretário-adjunto da Infraestrutura, Pedro Luiz Humphreys Stonoga, também participou do evento e informou que a secretaria irá a Pinhalzinho para conhecer a usina de asfalto. A Fecam ficou responsável por fazer um levantamento de onde as estruturas podem ser instaladas de forma a atender todas as cidades.

Este foi o 2º Encontro de Articulação entre Estado e Municípios, promovido pela Casa Civil. Em 9 de maio, será realizado uma nova rodada de conversas com as associações para dar continuidade à formalização dos consórcios. No primeiro encontro, em 19 de março, foi firmada uma parceria que permitirá a criação de Núcleos de Gestão de Convênios (NGC) do Governo do Estado. Essas estruturas funcionarão dentro das associações municipais após a desativação total das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs).  

Pagamento de convênios

O secretário da Casa Civil também anunciou o início do pagamento de mais de 100 convênios que estão pendentes desde 2014, referentes a obras finalizadas, em andamento ou paralisadas no estado. O montante é de aproximadamente R$ 65 milhões. “As prefeituras precisam cumprir as exigências legais e financeiras para que possam receber os recursos”, informou.

Neste primeiro momento, os repasses serão feitos a Apiúna, Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Campo Belo do Sul, Caxambu do Sul, Cerro Negro, Chapecó, Cordilheira Alta, Corupá, Criciúma, Ermo, Lages, Otacílio Costa, Ponte Alta, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, Santo Amaro da Imperatriz, Sombrio e Tubarão.

Informações adicionais à imprensa
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Casa Civil
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br
www.fb.com/casacivilsc / @CasaCivilSC


Foto: Laís Moser / Udesc

Atividades artísticas e culturais gratuitas para adultos e crianças serão realizadas novamente neste ano aos sábados, uma vez por mês, no Centro de Artes (Ceart) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) pelo projeto Ceart Aberto à Comunidade.

Oficinas diversas, apresentações artísticas, exposição, roda de conversa, espaço com atividades para crianças e feiras de gastronomia, arte, moda e artesanato estão marcadas para a primeira edição do ano, que ocorre em 13 de abril.

Foto: Michelle Nunes/SEF.

Um panorama com os números relativos ao terceiro quadrimestre de 2018 foi apresentado a deputados estaduais nesta quarta-feira, 3, pelo secretário de Estado da Fazenda de Santa Catarina (SEF), Paulo Eli. O relatório, produzido pela diretoria de Contabilidade Geral da SEF, leva em consideração as receitas e as despesas até dezembro de 2018, comparando com os resultados do mesmo período do ano anterior.

“Nosso trabalho na Fazenda é criar um ambiente favorável aos negócios do Estado. Quando a renda média das famílias aumenta, a economia fica aquecida e a arrecadação de impostos cresce, gerando mais empregos e investimentos”, afirma Eli.

Durante sessão, realizada na comissão de Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), a secretária adjunta da SEF, Michele Roncalio, e a diretora de Contabilidade Geral, Maria Luiza Seemann, fizeram uma radiografia do desempenho das contas públicas do ano passado. O relatório atende ao artigo 9º da Lei Complementar Federal nº 101/2000, que prevê a prestação de contas pelo Poder Executivo.

O total de receitas arrecadadas em 2018 foi de R$ 35,9 bilhões. A arrecadação de tributos estaduais somou R$ 26,1 bilhões, sendo R$ 21,3 bilhões de ICMS, R$ 1,75 bilhão de IPVA e R$ 3 bilhões de outros tributos (ITCMD, taxas estaduais e IRRF). As transferências de impostos arrecadados pela União resultaram em apenas R$ 1,15 bilhão aos cofres de Santa Catarina, sendo a mais expressiva o Fundo de Participação dos Estados (FPE).

As despesas dos Poderes e órgãos do Estado totalizaram R$ 26,9 bilhões em 2018, sendo 15,7% maior que o mesmo período do ano anterior. A maior parcela foi com a folha de servidores ativos, inativos e pensionistas: R$ 16,3 bilhões. Em seguida, o custeio e a manutenção dos serviços públicos somaram R$ 7,2 bilhões. Os investimentos somaram R$ 1,5 bilhão. O pagamento das parcelas e juros da dívida pública consumiu R$ 1,79 bilhão, um aumento de 31,7% em relação a 2017.

“Para esse ano, teremos um comprometimento ainda maior com a dívida pública, de R$ 2,3 a R$ 2,4 bilhões, dependendo da variação do dólar. Estamos trabalhando para honrar os compromissos e manter as contas em dia”, salientou o secretário da SEF.

Informações adicionais:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 9929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart 
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 98843-8553
Site: www.sef.sc.gov.br 
FACEBOOK: 
facebook.com/fazendasc

 Foto: SCPar Porto de Imbituba/ Divulgação

Com 592.600 toneladas movimentadas em março, o Porto de Imbituba registrou o maior volume mensal da sua história. A marca, divulgada pela SCPar Porto de Imbituba, estatal que administra o Porto, mostra ainda um crescimento de 28% em relação a março de 2018 e de 20,5% no acumulado do primeiro trimestre de 2019, comparado ao mesmo período do ano anterior. Nos três primeiros meses do ano passaram pelo Porto 63 navios e mais de 1,3 milhão de toneladas.

As principais cargas movimentadas em Imbituba foram os contêineres, a importação de coque de petróleo e do sal e a exportação de milho e de soja. A exportação cresceu 46% no primeiro trimestre em comparação com o mesmo período de 2018. Já as importações avançaram 37,4%. A cabotagem, navegação na costa brasileira, teve alta de 16,6%.

“Este resultado é fruto do trabalho que a comunidade portuária de Imbituba, por meio dos operadores, arrendatários, agências marítimas, entidades empresariais e públicas, órgãos intervenientes, Autoridade Portuária e o Governo do Estado de Santa Catarina vêm fazendo em parceria, visando não apenas o crescimento do Porto, assim como o desenvolvimento da região Sul catarinense e das relações comerciais e industriais do estado”, avalia Jamazi Alfredo Ziegler, diretor-presidente da SCPar Porto de Imbituba.

Segundo a administração do Porto de Imbituba, a expectativa é que em 2019 passem pelo complexo portuário mais de 5,4 milhões de toneladas em cargas gerais, granéis e conteinerizadas. Isso significa que vêm mais recordes por aí, visto que o melhor resultado anual de Imbituba é de 5,2 milhões de toneladas.

Mais informações para a imprensa:
Géssica da Silva
Comunicação Social
SCPar Porto de Imbituba
Fone: (48) 3355-8908
E-mail: gessica.silva@portodeimbituba.com.br
www.portodeimbituba.com.br