Museu Etnográfico Casa dos Açores em Biaguaçu que estará aberto sábado e domingo - Foto: Márcio Henrique Martins / FCC

Neste Carnaval, os espaços administrados pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) estarão com horários diferenciados de atendimento ao público. Alguns espaços, como a Casa da Alfândega, o Museu Histórico de Santa Catarina e a Biblioteca Pública, no Centro de Florianópolis onde acontece parte das festas de rua da Capital, estarão fechados durante todo o período, de sábado a terça-feira (10 a 12/2). Todos os espaços voltam a funcionar normalmente na Quarta-feira de Cinzas (13/2).

Centro Integrado de Cultura (CIC)

Sábado e domingo (10 e 11/2): abre normalmente, das 10h às 21h.
Segunda-feira (12/2): fechado.
Terça-feira (13/2): abre normalmente, das 10h às 21h.
Quarta-feira (14/2): abre a partir das 12h.

Endereço: Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis.
Contato: (48) 3664-2555.

Cinema do CIC

Terá sessões de quinta-feira a domingo (8 a 11/2), normalmente.

Endereço: Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis.
Contato: (48) 3664-2555.

Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa

De sábado e terça-feira (10 a 13/2): fechado.
Quarta-feira (14/2): abre a partir das 13h.

Endereço: Praça XV de Novembro, 227 - Centro - Florianópolis.
Contato: (48) 3665-6363

Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC)

Sábado e domingo (10 e 11/2): abre normalmente, das 10h às 21h.
Segunda-feira (12/2): fechado.
Terça-feira (13/2): abre normalmente, das 10h às 21h.
Quarta-feira (14/2): abre a partir das 12h.

Endereço: no Centro Integrado de Cultura (CIC) – Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis
Contato: (48) 3664-2650

Museu de Arte de Santa Catarina (Masc)

De sábado a terça-feira (10 a 13/2): abre normalmente, de terça-feira a domingo, das 10h às 21h.
Quarta-feira (14/2): abre a partir das 12h.

Endereço: no Centro Integrado de Cultura (CIC) – Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis
Contato: (48) 3664-2629

Museu Nacional do Mar - Embarcações Brasileiras

Sábado e domingo (10 e 11/2): abre ao público das 10h às 18h.
Segunda-feira (12/2): fechado.
Terça-feira (13/2): abre ao público das 10h às 18h.
Quarta-feira (14/2): abre ao público das 13h às 18h.

Endereço: Rua Manoel Lourenço de Andrade, 133 - Centro - São Francisco do Sul
Contato: (47) 3481-2155

Casa de Campo do Governador Hercílio Luz

Sábado e domingo (10 e 11/2): abre ao público das 10h às 17h.
Segunda e terça-feira (11 e 12/2): fechado.
Quarta-feira (14/2): abre ao público a partir das 13h.

Endereço: Rua Paulo Sell, 428 - Taquaras - Rancho Queimado
Contato: (48) 3275-1453

Biblioteca Pública de Santa Catarina

De sábado a terça-feira (10, 11, 12 e 13/2): fechada.
Quarta-feira (14/2): abre a partir das 12h30.

Endereço: Rua Tenente Silveira, 343 - Centro - Florianópolis
Contato: (48) 3665-6422

Casa da Alfândega

De sábado a terça-feira (10 a 13/2): fechada.
Quarta-feira (14/2): reabre a partir das 13h.

Endereço: Rua Conselheiro Mafra, 141 - Centro - Florianópolis
Contato: (48) 3665-6097

Museu Etnográfico Casa dos Açores

Sábado e domingo (10 e 11/2): abre normalmente, das 9h às 12h30 e das 13h30 às 18h.
Segunda e terça-feira (12 e 13/2): fechada.
Quarta-feira (14/2): abre a partir das 13h.

Endereço: BR-101, km 189 - Balneário São Miguel - Biguaçu
Contato: (48) 3665-6195

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Fone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial 
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) divulga o boletim n° 02/2018 sobre a situação epidemiológica da febre amarela (FA), vigilânciade epizootias de Primatas Não Humanos – PNH (macacos) e eventos adversos pós-vacinação,em Santa Catarina, com dados de 1º de janeiro a 6 de fevereiro de 2018.

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA

>>> Vigilância de casos humanos

A vigilância de casos humanosé feita por meio da notificação de casos com sintomatologia compatível com FA. Todo caso suspeito deve ser imediatamente comunicado por telefone ou e-mail às autoridades de saúde em até 24 horas, por se tratar de doença grave com risco de dispersão para outras áreas do território nacional e internacional.

No período de 1º janeiro a 6 de fevereiro de 2018, foram notificados 16 casos suspeitos de febre amarela em Santa Catarina. Desses, 1 foi confirmado pelo critério laboratorial, 12 foram descartados (seispelo critério laboratorial e seis pelo critério clínico epidemiológico) e 3 permanecem em investigação, aguardando resultado laboratorial (Tabela 1).

Tabela 1: Casos notificados de febre amarela, segundo classificação e evolução. Santa Catarina. (01 a 06 Fev/18)

Classificação

Casos

Óbitos

n

%

n

%

Confirmados

1

6

1

50

        Autóctones

0

0

        Importados

1

100

-

Descartados

12

75

1

50

Em investigação

3

19

Total Notificados

16

100

2

100

 Fonte: SINAN NET (com informações até 06/02/2018).

   

Dos três casos em investigação, um teve histórico de deslocamento para Minas Gerais nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas, e dois tiveram histórico de deslocamento para áreas com recomendação de vacina dentro do Estado. O caso confirmado de febre amarela é de um residente do município de Gaspar, com histórico de viagem para o município de Mairiporã/SP, o que caracteriza como sendo um caso importado.

A tabela 2 mostra a distribuição dos casos por Região de Saúde e município de residência. Dos 3 casos em investigação, dois residem em municípios que fazem parte da Área Com Recomendação de Vacina (Lages e Nova Itaberaba) e um reside em Área Sem Recomendação de Vacina (Joinville).

Tabela 2. Casos notificados para febre amarelapor região de saúde e município de residência.SC, 2018.

Região de Saúde

Município de Residência

Notificados

Em Investigação

Confirmados

Descartados

Óbitos

Médio Vale do Itajaí

Gaspar

1

-

1

-

1

Timbó

1

-

-

1

-

Alto Vale do Itajaí

Agrolândia

1

-

-

1

-

Carbonífera

Criciúma

1

-

-

1

-

Grande Florianópolis

Florianópolis

3

-

-

3

-

Nordeste

Joinville

2

1

-

1

-

Serra Catarinense

São Joaquim

1

-

-

1

-

Lages

1

1

-

-

-

Xanxerê

Lageado Grande

1

-

-

1

1

Oeste

Palmitos

1

-

-

1

-

Nova Itaberaba

1

1

-

-

-

Meio Oeste

Joaçaba

2

-

-

2

-

 

TOTAL

16

3

1

12

2

 Fonte: SINAN NET (com informações até 06/02/2018)

>>> Vigilância de Epizootias em Primatas Não Humanos – PNH (macacos)

A vigilância de epizootias em PNH consiste em captar informações sobre o adoecimento ou morte desses animais e investigar oportunamente, a fim de detectar precocemente a circulação do vírus amarílico e subsidiar a tomada de decisão para a adoção das medidas de prevenção e controle.

Os dados das epizootias serão divulgados conforme sazonalidade da doença e com a padronização da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde para melhor comparabilidade dos dados com os demais Estados da federação. Dessa maneira, serão considerados os períodos de julho de 2017 a junho de 2018.

No período de julho de 2017 até 6 de fevereiro de 2018, foram notificadas 61 epizootias acometendo 83 PNH em 26 municípios de Santa Catarina (tabela 3). 

Dos 83 PNH acometidos, 04 (4,8%) permanecem vivos e 79 (95,2%) foram a óbito. Do total, 23 (27,7%) tiveram a causa do óbito indeterminada (sem possibilidade de diagnóstico devido à ausência de coleta de amostras para análise), 31 (37,3%) foram descartadas por critério laboratorial (resultado negativo para febre amarela) e 29 (35,0%) permanecem em investigação.

Os municípios que registraram epizootias no período de monitoramento de julho 2017 a junho de 2018 estão dispostos na figura 2. Até o dia 06 de fevereiro de 2018, o estado de Santa Catarina não registrou nenhuma epizootia confirmada por FA.

Historicamente, a maior frequência de óbitos de PNH ocorre entre os meses de dezembro a maio (período sazonal), momento em que os serviços de vigilância devem estar mais sensíveis à suspeição de casos humanos e à ocorrência de epizootias. No entanto, é essencial que a população, diante do conhecimento de mortes de PNH, informe, em até 24 horas, as autoridades de saúde, para que as coletas de amostras ocorram em tempo oportuno, visando a redução do número de epizootias indeterminadas.

>>> Eventos Adversos Pós Vacinação

Evento adverso pós-vacinação (EAPV) é qualquer ocorrência médica indesejada após a vacinação eque, não necessariamente, possui uma relação causal com o uso de uma vacina ou outro imunobiológico (imunoglobulinas e soros heterólogos). Um EAPV pode ser qualquer evento indesejável ou nãointencional, isto é, sintoma, doença ou um achado laboratorial anormal (CIOMS; WHO, 2012).

No período de 1º de janeiro a 6 de fevereiro de 2018, foram notificados cinco (cinco) casos suspeitos de evento adverso grave após a vacinação contra a febre amarela em Santa Catarina. Desses, 4 foram descartados e 1, residente em Itajaí, continua em investigação aguardando resultado laboratorial

>>> Mais informações

Hotsite da DIVE/SC sobre Febre Amarela: http://dive.sc.gov.br/febre-amarela/

Página sobre febre amarela do Ministério da Saúde: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/febre-amarela-sintomas-transmissao-e-prevencao

Página da Anvisa sobre saúde do viajante: http://portal.anvisa.gov.br/dicas-de-saude-para-viagem

Informações adicionais para a imprensa:
Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br


O secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba e o procurador chefe da Procuradoria da República em Santa Catarina, Darlan Airton Dias, assinaram acordo de cooperação técnica para disponibilizar acesso ao banco de dados do Sistema Integrado de Segurança Pública, o SISP,  aos membros e servidores da Procuradoria da República. A Diretoria de Informação e Inteligência da SSP, gestora do SISP, será a responsável pela disponibilização dos acessos de seu sistema aos servidores da PR.

Pelo termo de cooperação são obrigações da SSP fornecer apoio técnico especializado para os usuários da PR, autorizar os Procuradores da República e servidores do órgão federal a utilizar o SISP além de outros pontos definidos no termo de cooperação. É de responsabilidade da PR comunicar a DINI identificação dos usuários autorizados a acessar o sistema, fornecer apoio técnico especializado para os servidores da SSP dentre outras obrigações.

A assinatura do documento foi realizada na tarde desta quarta-feira, 7, no gabinete do secretário César Augusto Grubba, que destacou a importância do compartilhamento das informações, já que fortalece o vínculo entre as duas instituições, em prol da segurança dos catarinenses.

Participaram do ato o diretor de Informação e Inteligência da SSP, delegado Daniel Sá Fortes Régis; diretor de Integração da SSP, coronel PMRR, Rogério Martins, o agente de Polícia Emerson Licio Silva e servidores da Procuradoria da República.

Informações adicionais para a imprensa
João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-8183 / 98843-7615
Site: www.ssp.sc.gov.br

 

China se consolida como principal mercado para carne suína catarinense. Em janeiro, o Estado faturou US$ 20 milhões com as vendas para o mercado chinês – mais do que o dobro da receita em dezembro de 2017. No último mês foram embarcadas 9,7 mil toneladas de carne suína com destino ao país asiático – 110,5% a mais do que em dezembro. A ampliação das vendas para a China acabou contribuindo para que Santa Catarina entrasse em 2018 com saldo positivo nas exportações de carne suína.

Em janeiro, o Estado embarcou 25 mil toneladas do produto, 10,2% a mais do que no último mês de 2017. O faturamento com as vendas internacionais também teve alta de 4,2% e fechou em US$51,3 milhões.

Em comparação com janeiro de 2017, os embarques de carne suína tiveram uma pequena queda tanto na quantidade (-1,7%) quanto no faturamento (-6,7%). O que pode ser explicado pela suspensão das vendas para Rússia, maior comprador da carne suína catarinense no último ano (102 mil toneladas).

Com a saída temporária da Rússia, a China passou a ser o maior mercado para a carne suína produzida no estado. Em relação ao primeiro mês de 2017, as vendas para o mercado chinês foram 69,6% maiores em janeiro e o faturamento aumentou em 71,9%.

Santa Catarina segue como o maior produtor e exportador de carne suína do país. O Estado foi responsável por 46,9% de toda carne suína vendida pelo Brasil em janeiro.

Segundo o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, o agronegócio vem conquistando cada vez mais espaço na pauta de exportações catarinenses, resultado da qualidade e da sanidade dos rebanhos. “O agronegócio faturou US$ 5,5 bilhões com as exportações em 2017, isso foi 65% do total exportado pelo Estado. É um desempenho incrível. As carnes produzidas em Santa Catarina têm um grande diferencial que é a sanidade dos nossos rebanhos e isso nos dá acesso aos mercados mais exigentes do mundo. Nosso desafio é manter esse status sanitário diferenciado e ampliar nossas vendas ao exterior”.

Os principais mercados para carne suína catarinense nesse início de ano foram China, Hong Kong, Chile e Argentina.

Carne de aves

O mês de janeiro teve queda nas exportações de carne de frango. Ao todo, o Estado vendeu 69,6 mil toneladas e faturou US$ 120 milhões em janeiro. Uma redução de 11,6% na arrecadação e de 6,4% na quantidade – em relação a dezembro.

Quando comparado com o mesmo período de 2017, a queda é de 17,6% no faturamento e de 13,9% na quantidade. O Estado respondeu por 22% das exportações brasileiras de carne de frango em janeiro. Os principais mercados para a carne de frango catarinense foram: Japão, Emirados Árabes e Arábia Saudita.

Exportações Brasil

Como grande exportador de carnes, Santa Catarina interfere no desempenho nacional. Sendo assim, o país também registra uma redução nos embarques de carne suína e de frango em relação ao mesmo período de 2017. Em janeiro o Brasil embarcou 323 mil toneladas de carne de frango – 8,9% a menos – e 53,3 mil toneladas de carne suína – 15,8% a menos. O faturamento também foi menor, uma redução de 13,4% para carne de frango (US$ 512,7 milhões) e de 20,1% para carne suína (US$110,2 milhões).

Exportações catarinenses em 2017

Em 2017, foram 276,5 mil toneladas de carne suína vendidas para mais de 50 países. As receitas geradas com as exportações passaram de US$ 639,2 milhões. Os principais compradores da carne suína catarinense foram Rússia, China, Hong Kong, Chile e Argentina.

Ao longo do ano foram embarcadas 971 mil toneladas de carne de aves, com um faturamento de US$ 1,8 bilhão no último ano. A carne de frango produzida em Santa Catarina chegou a mais de 120 países e os principais compradores foram Japão, China, Países Baixos e Arábia Saudita.

Os números foram divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e analisados pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Cepa/Epagri).

Informações adicionais:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/

Foi concluída em janeiro as obras de reformulação e ampliação da iluminação de toda a área de cais do Porto de Imbituba. Ao todo, 226 refletores com a tecnologia LED foram instalados em 22 torres metálicas ao longo dos três berços de atracação. O objetivo é alcançar as melhores condições possíveis de segurança e saúde aos trabalhadores portuários e se adequar aos níveis de iluminação previstos nas Normas Regulamentadoras (NR) 29 e 17 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

O MTE exige um fluxo luminoso mínimo de 50 lux para atividades portuárias. No entanto, a SCPar Porto de Imbituba adotou a referência mínima de 100 lux para melhor suprir os serviços de operação noturna. A tecnologia LED é mais resistente que as tradicionais lâmpadas de vapor metálico e tem vida útil estimada em 23 anos. Conforme explica Luiz Gustavo Piucco, engenheiro eletricista responsável pelo projeto, esse tipo de iluminação consome menos energia e ratifica as políticas de sustentabilidade da administração portuária.

As novas estruturas também foram projetadas para suportar rajadas de até 200 km/h, em razão dos fortes ventos característicos da região.

Mais informações para a imprensa:
Géssica da Silva
Comunicação Social
SCPar Porto de Imbituba
Fone: (48) 3355-8908
E-mail: gessica.silva@portodeimbituba.com.br
www.portodeimbituba.com.br

O Comitê de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Coderf) aprovou o texto do novo projeto de lei complementar estadual que será enviado à Alesc para viabilizar o transporte coletivo metropolitano em reunião na última quarta-feira, 7, na sede da Granfpolis, em Florianópolis.

A proposta da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf) é simplificar o projeto de lei 0007.3/2017, tratando apenas do transporte público metropolitano, de acordo com as Leis Federais 12.587 de 3 de janeiro de 2012 e 13.089 de 12 de janeiro de 2015. O projeto de lei estadual transfere as competências e atribuições do transporte público coletivo intermunicipal de caráter urbano do DETER para a SUDERF, no território da Grande Florianópolis.

“A aprovação do texto do projeto de lei hoje pelo Coderf, instância técnica consultiva da região metropolitana, é o primeiro passo para viabilizar a integração dos serviços municipais e intermunicipais de transporte. Após homologação dos prefeitos, nossa intenção é enviar para a Assembleia Legislativa”, explicou o diretor técnico da Suderf, Celio Sztoltz.

“É necessário que a gente se empenhe para que isso aconteça o mais rápido possível, pois senão São José e Palhoça licitarão os transportes municipais, acarretando prejuízo para a população”, afirmou o secretário de Planejamento e Assuntos Estratégicos da prefeitura de São José, Rodrigo de Andrade.

A partir da aprovação do projeto de lei na Alesc serão firmados contratos de programa com os municípios que vão estabelecer atribuições do Estado e dos municípios. Participaram da reunião representantes dos municípios de Águas Mornas, Antônio Carlos, Biguaçu, Governador Celso Ramos, São José, São Pedro de Alcântara, além de OAB, Fiesc e Granfpolis.

Rede Integrada de Transporte Coletivo Metropolitano

Melhorar a conectividade entre os municípios da região metropolitana da Grande Florianópolis por meio do transporte coletivo é um dos objetivos da proposta da rede de 190 linhas de ônibus de Águas Mornas a Governador Celso Ramos. Criada pela Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf), em parceria com o Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, a proposta prevê a integração dos sistemas de transporte coletivo municipais com o intermunicipal após licitação única pelo Governo do Estado.

A rede de ônibus metropolitana contempla novas linhas locais nos municípios, além de conexões entre as maiores centralidades da área continental da região (centros de Palhoça e Biguaçu, bairros Kobrasol, Campinas e Barreiros, em São José). Integram o sistema os municípios de Águas Mornas, Antônio Carlos, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Palhoça, São José, São Pedro de Alcântara e Santo Amaro da Imperatriz. A grande motivação da proposta é fornecer à população da região melhores serviços de transporte público coletivo, com integração física e tarifária entre os oito municípios. Na proposta da SUDERF, o usuário do transporte coletivo da Região Metropolitana da Grande Florianópolis utilizará um único sistema, com um único cartão de ônibus e tarifas integradas, que substituirão o pagamento de duas ou três tarifas cheias em vários deslocamentos, como acontece atualmente.

O projeto da Rede Integrada de Transporte Coletivo Metropolitano está disponível no endereço bit.ly/onibusmetropolitano. No mapa é possível consultar as linhas de ônibus por município e as conexões entre as cidades.

Mais informações para a imprensa:
Rosália Dors Pessato
Assessoria de Comunicação
Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis - Suderf
E-mail: rosalialdors@gmail.com
Fone: (48) 99150-1222
Site: www.spg.sc.gov.br/suderf

O sistema de massa de ar seco no Sul do Brasil fará com que a quinta-feira, 8, seja de sol e calor, com pancadas muito isoladas de chuva à tarde, em todas as regiões de SC. De acordo com a previsão do tempo da Epagri/Ciram, a temperatura estará em elevação no estado.

O vento é sudeste, com variações de nordeste do Oeste ao Litoral Sul e com variações de leste nas demais regiões, fraco a moderado.

Acompanhe a atualização dos avisos meteorológicos diários e de curto prazo (de 1 até 3 h de antecedência), na página da Epagri/Ciram, Defesa Civil e nas redes sociais.

Receba alertas via SMS. Envie seu CEP para o número 40199. O serviço é gratuito.

Mais informações para a imprensa:
Central de Meteorologia
Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5007 e (48) 3665-5172
E-mail: contatociram@epagri.sc.gov.br
Site: www.ciram.epagri.sc.gov.br
Facebook


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O empreendedorismo catarinense ganhou mais um importante incentivo. O governador Raimundo Colombo oficializou nesta quarta-feira, 7, o anúncio dos 102 projetos selecionados entre as 1.791 ideias inscritas na 6ª edição do programa Sinapse da Inovação. Cada contemplado receberá R$ 60 mil do Governo do Estado como auxílio financeiro para colocar a ideia em prática e mais R$ 40 mil em bolsa federal do CNPq para contratação de um técnico especialista, totalizando a aplicação de mais de R$ 10 milhões em recursos para promover a inovação catarinense.

“A cada ano, o programa é mais disputado e a qualidade dos projetos aumenta e isso está fazendo com que Santa Catarina se fortaleça como um centro de inovação. O Sinapse garante um recurso fundamental para que ideias se transformem em projetos, e que projetos virem empresas, gerando empregos em todas as regiões do estado. Estou muito feliz em ver essa juventude construindo um futuro de forma tão inteligente e competente”, destacou Colombo.

O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado (Fapesc), Sergio Gargioni, afirmou que o programa é fundamental para que Santa Catarina mantenha o status de estado mais empreendedor do país. No ato desta quarta, também participaram representantes da Junta Comercial e da Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável, que estão à frente do programa Bem Mais Simples. A iniciativa facilita o processo de abertura de empresas no Estado e vai contemplar os novos empreendedores que surgirem do programa Sinapse.



>>> Mais imagens na galeria

Em suas cinco primeiras edições, o Sinapse da Inovação gerou 385 empresas e mais de 1.500 empregos direto, abrangendo 90% dos municípios catarinenses. Já foram geradas 151 patentes e exportados produtos para 36 países.

Boas ideias em todas as regiões

O ato desta quarta contou com a participação de representantes de alguns dos projetos selecionados, envolvendo empreendedores de todas as regiões do Estado. Robison Wille, da Armatech, de Luserna, no Oeste, por exemplo, está à frente do protótipo de um braço mecânico que possa ser usado como assistente cirúrgico, podendo ser aplicado em diferentes áreas da medicina.

As mulheres também ganharam destaque nesta edição. Liliane Fernandes Antonio, da CHAWork, de Criciúma, integra o grupo que criou uma plataforma inteligente de recrutamento e seleção de profissionais.

“Santa Catarina é o sucesso que é hoje graças aos seus empreendedores. Grandes empresas começaram suas trajetórias com projetos pequenos, como as ideias que saem daqui hoje”, acrescentou o governador Colombo.

A lista completa com os 102 projetos será disponibilizada no site da Fapesc.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo assinou nesta quarta-feira, 7, no Centro Administrativo em Florianópolis, o protocolo de intenções entre Governo do Estado por meio das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) e a Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú para ampliação do sistema de distribuição de energia elétrica em rede subterrânea na Avenida Brasil. O valor da obra será de R$ 10 milhões.

“Eu não tenho dúvida que o grande problema das vias urbanas é a poluição visual. Em uma cidade turística tão importante, tão valorizada para todos nós, esse é um ganho de qualidade extraordinário. É outra cidade quando os fios passam por baixo. É incrível como acaba com aquela poluição visual”, destacou Colombo.

Serão investidos R$ 10 milhões para a realização da obra que contempla o rebaixamento dos cabos de energia elétrica na Avenida Brasil, no Centro de Balneário Camboriú.

“A Avenida Brasil tem o comércio mais adensado do país e com grande importância econômica. O cabeamento subterrâneo é uma obra fundamental de revitalização para que aquele comércio possa ser requalificado através dessa obra”, disse o prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira.

O presidente da Celesc, Cleverson Siewert, explica que o prazo para conclusão será de até 18 meses e que com esse tipo de obra ocorre uma redução na manutenção da rede. “Essas obras são importantes porque esteticamente melhoram toda a região na qual elas fazem parte e além disso, do ponto de vista do sistema também porque obviamente há menos interação com chuva, com vento e com raios, permitido com que o desempenho também seja mais adequado. A expectativa é que a gente possa terminar o projeto, fazer o processo licitatório e em 18 meses podemos ter aquela parte da Avenida Brasil concluída”.

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo e o presidente da Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc), José Caramori, liberaram nesta quarta-feira, 7, em Florianópolis, R$ 12,4 milhões do Programa Badesc Cidades para sete municípios: Timbó, São Cristóvão do Sul, Rio das Antas, Matos Costa, Major Vieira, Lajeado Grande e Ipumirim. Os recursos serão investidos em pavimentação, compra de equipamentos, veículos e infraestrutura.

“A partir desse momento essas cidades já começam a realizar obras, a melhorar a sua infraestrutura e também a gerar desenvolvimento e emprego aqui em Santa Catarina. Temos que investir e melhorar a cada dia nossa infraestrutura para permitir e promover o desenvolvimento de todos nós catarinenses. É mais um passo importante e vai transformar a realidade desses municípios”, disse Colombo.

“Esse programa é um grande reforço para todas as administrações públicas e é tratado com muito carinho pelo Badesc e por determinação do nosso governador, que como ex-prefeito, sabe o sentimento daqueles que tem o dever, a obrigação e a responsabilidade de zelar pelos seus municípios”, destacou Caramori.



>>> Mais imagens na galeria

O Badesc Cidades é uma linha de crédito que financia até 100% do valor de investimento ligados ao sistema viário, apoio ao turismo, desenvolvimento institucional, empreendimentos comunitários, equipamentos comunitários, infraestrutura de habitação, saneamento básico, saúde e transporte escolar. Por meio dele, cada município, com base no que arrecada, pode obter financiamentos com um ano de carência e três anos para amortização.

Desde 2011, o programa já atendeu cerca de 230 municípios disponibilizando aproximadamente R$ 842 milhões.

CIDADE

INVESTIMENTO

OBRAS

Timbó

R$ 6 milhões

Infraestrutura na malha viária e espaços públicos

São Cristóvão do Sul

R$ 500 mil

Dois ônibus escolares

Rio das Antas

R$ 1 milhão

Três caminhões e uma máquina

Matos Costa

R$ 750 mil

Máquinas e caminhões

Major Vieira

R$ 1,7 milhão

Asfaltamento de ruas Pedro Maron e aquisição de motoniveladora

Lajeado Grande

R$ 1,5 milhão

Asfaltamento perímetro urbano

Ipumirim

R$ 1 milhão

Pavimentação

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC