Fotos: James Tavares/Secom

Com a segunda maior exportação de frango halal do Brasil para a Turquia, Santa Catarina poderá ampliar relações comerciais com o país. Em visita ao Estado, o cônsul-geral da Turquia, Serkan Gedik, esteve em audiência com o governador Eduardo Pinho Moreira, na manhã desta terça-feira, 17, no Centro Administrativo do Governo, em Florianópolis, com objetivo de prospectar novas parcerias.

“A Turquia tem um excelente mercado para exportação. A visita do cônsul é importante, tanto do ponto de vista cultural, quanto para conhecer nosso Estado, principalmente nossos portos, que foram avaliados como excelentes, podendo ter mais produtos turcos e catarinenses nessa troca. Precisamos aumentar o comércio entre Santa Catarina e Turquia e, para isso, vamos até lá se for necessário”, destacou o governador. 

Gedik elogiou a capacidade de infraestrutura logística catarinense e disse que a viagem teve objetivo de conhecer melhor o Estado para aconselhar as autoridades de ambos os países de que a região é importante. “A atenção de todos está sempre voltada para São Paulo e Rio de Janeiro. Precisamos ampliar isso, e Santa Catarina está em uma posição geográfica favorável, além de ter uma infraestrutura portuária de excelente qualidade”, comentou o cônsul.

>>> Galeria de fotos

Além de ocupar a segunda maior exportação de frango halal (abatido segundo Rituais Islâmicos) do Brasil, Santa Catarina fez, neste ano, a primeira exportação de bezerro vivo para a Turquia, o que chamou atenção do país. “Estamos interessados no Sul pelo sucesso da primeira importação de bezerros vivos. São Paulo, que é o principal fornecedor, aumentou muito o preço e estamos interessados em Santa Catarina”, afirmou Gedik.

INTERCÂMBIO UNIVERSITÁRIO

Experiências na área da agricultura e da pesca tiveram êxito em Santa Catarina graças a intercâmbios, como a maçã, no Japão, e a maricultura, na França. Além da ampliação das relações comerciais, o governador sugeriu fomentar operações acadêmicas. “Precisamos ter esse tipo de troca para conhecermos a cultura e a vida acadêmica de outros países. Somos os maiores produtores de maçã do país, notadamente devido à troca de experiências com o Japão”, assegurou.

Gedik, que participou da abertura de uma exposição fotográfica em comemoração aos 160 anos de relação diplomática entre o Brasil e a Turquia na Univali, em Florianópolis, também palestrou na Univali de Itajaí e ficou impressionado com a infraestrutura da universidade. “É uma experiência nova para nós realizar este intercâmbio, mas nunca é tarde para começar”, finalizou.

Leia também

>>> Relações entre SC e Turquia são reforçadas em visita do cônsul geral ao Estado

Mais informações para a imprensa:
Paula Darolt
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Fone: (48) 3665-3009
Site: www.sc.gov.br


Fotos: Jackson Jacques/CBMSC

Uma comitiva formada por quatro profissionais do Instituto de Bombeiros do Estado de Renânia Norte Westfália, na Alemanha, chegou por volta das 9h desta segunda-feira, 16, ao Centro de Ensino do Corpo de Bombeiros Militar, no Bairro Trindade, em Florianópolis. Eles conheceram as atividades desenvolvidas pela corporação e o modelo de atendimento prestado à população catarinense pelo Corpo de Bombeiros Militar.

No local, foram recebidos pelo comandante-geral do CBMSC, coronel BM João Valério Borges, pelo subcomandante-geral, coronel BM Vanderlei Vanderlino Vidal, pelo chefe do Estado Maior-Geral, coronel BM Alexandre Corrêa Dutra, pelo chefe da 1° Região de Bombeiros Militar, coronel BM César Assumpção Nunes, além de outros militares. Logo na chegada, o coronel BM Alexandre Corrêa Dutra entregou a um dos integrantes da comitiva o cabo Alamar, que simboliza o ajudante de ordens, aquele que seria referência da equipe ao longo do dia e que estaria à disposição para auxiliar no que fosse necessário. 

Ao final da manhã, eles receberam uma minuta de um convênio para troca de experiências profissionais entre o CBMSC e o Instituto de Bombeiros de Estado de Renânia Norte Westfália, na Alemanha. Durante todo o dia desta terça-feira, 17, os alemães seguem em visitas ao Corpo de Bombeiros catarinense, com viagem a Itajaí, ao 7° Batalhão de Bombeiros Militar para conhecer a estrutura de salvamento aquático.

Importância do convênio

O comandante-geral do CBMSC explica que a visita dos alemães a Santa Catarina pretende impulsionar um intercâmbio de conhecimentos entre as instituições de Bombeiros. O motivo é a similariedade nos modelos de atividades desenvolvidas para atender as demandas da população. “Na Alemanha, eles também têm o Bombeiro do Estado (que seria equivalente ao nosso Bombeiro Militar) e têm o serviço voluntário, em que os municípios arcam com estrutura e equipamentos, enquanto pessoas da comunidade (depois de treinadas pelo estado) atuam de forma totalmente voluntária no atendimento às ocorrências de incêndio,” disse. 

Em Santa Catarina, há também dupla modalidade de atendimento: por meio do Estado, com o Corpo de Bombeiros Militar, e com os Bombeiros Voluntários, em que os municípios pagam equipamentos, estrutura e salários para quem atua nas ocorrências. ”Porém, com a entrada em vigor da Lei Kiss, em março do ano passado, o Estado passa a ser o único responsável legal pela área de atividades técnicas, responsável pelas análises de projetos e vistorias para liberação de habite-se e atestados de funcionamentos (alvarás). Nosso interesse hoje é atuar constitucionalmente na área técnica e fortalecer os Bombeiros Voluntários para que, por meio de convênios com o Estado, possam continuar a atuar no atendimento de ocorrências”, disse o comandante-geral, coronel BM João Valério Borges, durante a palestra de apresentação para a comitiva alemã.

Atualmente, em Santa Catarina, o município de Joinville possui a mais antiga corporação de Bombeiros Voluntários do país. O vice-presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Mario Cezar Aguiar, que participou da palestra á comitiva de alemães, disse que, desde que houve a mudança na legislação, os estados brasileiros passaram a ser responsáveis pelo serviço de Bombeiros. “A parceria entre os municípios e o Estado é essencial. Afinal de contas, o objetivo de todos é o mesmo: o bom atendimento à população nos momentos de emergência”, explicou.

O coronel BM Alexandre Corrêa Dutra, chefe do Estado Maior-Geral, também vê como salutar a parceria entre o Estado e municípios no atendimento a situações emergênciais, conforme o modelo alemão adotado. “Nesse sentido, um intercâmbio com o Instituto do Fogo Alemão, para treinamento de profissionais do CBMSC que multiplicariam o conhecimento adquirido entre as comunidades, seria essencial para efetivação desse modelo de integração”, avaliou.

Na Alemanha, uma legislação nacional assegura um tempo de resposta máximo de até 8 minutos para início do controle de uma cena de emergência. O que somente é possível com a interação constante da comunidade. “Em caso de emergências, as pessoas da comunidade, que já estão treinadas e mapeadas para atenderem a determinadas áreas, recebem um sinal sonoro. Elas têm de se dirigir ao quartel, colocar EPI e fazer os procedimentos de segurança necessários para controle da situação. Somente assim, seria possível cobrir uma área tão vasta", explicou o tenente-coronel Alexandre da Silva, assessor do chefe do Estado Maior-Geral, que acompanha os alemães.

Almoço da Ilha dos Guarás e visita à Defesa Civil

Ao final da palestra, o comandante-geral repassou à comitiva uma minuta do acordo que se pretende celebrar para avaliação até o final da estada em Santa Catarina. Após conhecerem a estrutura do Centro de Ensino Bombeiro Militar, os alemães se dirigiram para um almoço de confraternização na Ilha dos Guarás. O secretário de Estado da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Junior, e demais autoridades, participaram da recepção.

Integram a comitiva que visita Santa Catarina: o chefe e os gerentes de Departamento e Executivo, do Instituto de Bombeiros de Estado de Renânia Norte Westfália, Berthold Penkert, Peter Strickmann e Yannick Ngatchou, respectivamente, e o chefe do Corpo de Bombeiros da cidade de Münster, Gottfried Wingler-Scholz.

Na parte da tarde, conheceram o Grupamento de Busca e Salvamento e o Centro Integrado de Gerenciamento e Resposta a Desastres da Defesa Civil de Santa Catarina.

Nesta terça-feira, eles seguem para Itajaí onde conhecerão a estrutura de salvamento aquático do 7° Batalhão de Bombeiros Militar e o modelo de atuação dos guarda-vidas civis adotados pelo CBMSC. Na quarta-feira, 18, visitarão o 3° Batalhão de Bombeiros de Blumenau e seguirão para Pomerode, considerada a cidade mais alemã do país.

Informações adicionais para a imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa 
Corpo de Bombeiros Militares de Santa Catarina - CBMSC
E-mail: ccs@cbm.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-9614 / 98843-4427
Site: www.cbm.sc.gov.br


Foto: Aires Mariga / Epagri

A Epagri foi mais uma vez destaque no Prêmio de Expressão de Ecologia, cujos vencedores foram divulgados nesta segunda-feira, 16. Desta vez, a Empresa foi premiada pelo projeto Organização e Melhoria no Sistema de Produção Orgânica de Banana Prata no Extremo Sul Catarinense. Esse será o 15° troféu Onda Verde que a Empresa recebe nos 25 anos da premiação, tornando-se uma das três instituições que mais vezes foi laureada.

O projeto premiado envolve seis municípios do Extremo Sul catarinense onde existe produção orgânica de banana prata (Jacinto Machado, Praia Grande, Timbé do Sul, Ermo, Turvo e Santa Rosa do Sul). São 103 famílias, reunidas em três associações, que passaram a produzir banana de forma orgânica, sem o uso de agrotóxicos ou fertilizantes químicos. No total, elas são responsáveis por 450 hectares de produção orgânica certificada pelo Ministério da Agricultura.

>>> Porto de Imbituba é bicampeão no Prêmio Expressão de Ecologia

Graças ao trabalho da Epagri, as famílias que optaram pela produção orgânica deixaram de depositar em suas propriedades cerca de 337 toneladas de adubos químicos e 45 mil litros de calda de agrotóxicos por ano. Tudo isso foi conquistado por conta dos conhecimentos e tecnologias adquiridas durante o projeto premiado.

SC Rural

O projeto da Epagri, de R$ 1 milhão, teve apoio financeiro do Programas SC Rural, com contrapartida de 50% dos agricultores. Com essa verba, eles foram capacitados e implantaram inovações na forma de produzir bananas orgânicas. Também foram adquiridos novos equipamentos, entre eles um caminhão refrigerado. As famílias ainda passaram a contar com canhões para pulverização de óleo mineral, roçadeiras, caçambas, distribuidores de esterco e casas de embalagem, entre outras estruturas. Todo esse investimento resultou num crescimento de 15% na produção.

Reginaldo Ghellere, gerente regional da Epagri em Araranguá e um dos responsáveis pelo projeto, explica que a produção de bananas é uma vocação natural da região e a transição para a sistema orgânico vem mostrando bons resultados. Os valores pagos pelo produto, por exemplo, são na maioria das vezes superiores ao convencional, com a grande vantagem de variarem muito pouco durante o ano.

A produtividade também não decepciona. Segundo Reginaldo, algumas propriedades da região já alcançam produtividades maiores do que em cultivos convencionais. O custo de produção da banana orgânica - que exige mais mão de obra – tende a diminuir com o aumento da produtividade. “O objetivo da Epagri é que, em quatro anos, a produtividade dos cultivos orgânicos da região se aproxime dos convencionais”, projeta o gerente regional da Epagri.

Outro aspecto positivo é o mercado de bananas orgânicas, que na avaliação de Reginaldo está em franca expansão. Ele conta que a demanda é bastante superior à oferta, garantindo assim um bom preço pago pelo produto, mesmo num cenário com maior produção e produtividade.

O prêmio

O Prêmio Expressão de Ecologia foi criado em 1993 pela Editora Expressão para divulgar e incentivar ações ambientais das empresas da região Sul do Brasil. Em 25 anos de realização, foram 2.643 cases inscritos, das principais empresas, ONGs, prefeituras e entidades do Sul. Na mais recente edição, a Epagri disputou a premiação com outras 125 instituições.

O evento de premiação acontece no dia 20 de julho, na sede da Fiesc, em Florianópolis.

>>> Confira o projeto da Epagri na íntegra

>>> Lista completa dos vencedoresista completa dos vencedores

Mais informações
Reginaldo Ghellere, gerente regional da Epagri em Araranguá, pelo fone (48) 35290303 / 99988-4481

Informações para a imprensa
Gisele Dias, jornalista: (48) 99989-2992/3665-5147
Cinthia Andruchak Freitas, jornalista: (48) 3665-5344


Foto: Paula Navarro/Sebrae/SC

A cidade de Chapecó foi palco da primeira edição do Startup Weekend Agro (SW Agro) em Santa Catarina. O evento global estimula a criação de projetos inovadores, servindo de incentivo a empreendedores, desenvolvedores, designers e entusiastas da área de tecnologia e inovação que desejam compartilhar ideias, discutir projetos e criar protótipos. Todo o evento ocorre em um único final de semana. O Startup Weekend Agro é promovido pela Techstars e Google Entrepeneurs, e a realização é uma parceria entre a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS) e o Sebrae-SC.

Para o secretário de Estado Desenvolvimento Econômico Sustentável, Adenilso Biasus, o evento é mais do que propor ideias inovadoras. “Esta metodologia transforma os participantes em futuros empreendedores, no período de 54 horas do Startup Weekend. Daqui eles saem com a possibilidade real de competir, buscar clientes e fazer acontecer com um negócio focado na vocação regional. O objetivo do Governo é fortalecer esta rede de empreendedores inovadores e gerar novas oportunidades de negócios, emprego renda e riquezas para nossa gente”, enfatiza Biasus.

Startup Weekend Agro incentiva empreendedorismo e tecnologia em Chapecó

Alexandre Souza, gestor do projeto Startup SC pelo Sebrae-SC, afirma que o foco principal do Startup Weenkend é a educação empreendedora, ou seja, capacitar para a criação de um negócio digital, como aplicativo, site, entre outros. “No entanto, se nascer algum case, ótimo”, enfatizou, destacando que existem vários cases bem-sucedidos que iniciaram a partir da participação no Startup Weekend. Os projetos vencedores desta edição foram: 1º Skeyes, 2º Uai Fruit e 3º Plante Certo.

>>> Galeria de fotos

Soluções e inovação

Na edição de Chapecó, os desenvolvedores buscaram soluções e inovação para o agronegócio. Eles apresentaram soluções para os problemas do agronegócio, melhorando a produtividade, oferecendo sustentabilidade e qualidade de vida. O time de mentores da edição contou com: Allan Panossian Kajimoto, cofundador da Kekanto e Delivery Direto; Giovani Zamboni, CTO e cofundador da JetBov; e Marcelo Cazado, líder regional RIA-SC/Anjos do Brasil e diretor executivo da Floripa Angels.

O evento criado e mantido pela aceleradora americana TechStars tem como parceiros em Santa Catarina o Sebrae/SC e a Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS).

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

O Estado não pode ser diretamente responsabilizado pelos atos praticados por cartórios. Essa é a conclusão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ/SC), que atendeu aos argumentos da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e reformou decisão de primeira instância.

O processo começou quando um casal de Fraiburgo, no Meio-Oeste catarinense, ajuizou ação indenizatória por danos materiais e morais contra o Estado de Santa Catarina em razão de suposta negligência e imperícia do Cartório de Registro de Imóveis da cidade, que não teria conferido a autenticidade de documentos apresentados por um fraudador.

Os cônjuges informaram que compraram um imóvel e o registraram no cartório. Porém, tempo depois, foram citados em uma demanda judicial, ajuizada por quem alegava ser o legítimo proprietário do bem, objetivando anular o ato jurídico. A ação foi julgada procedente e o imóvel teve que ser devolvido, após declarada a nulidade da escritura pública de compra e venda. Em razão disso, no ano passado, o Juízo da Comarca de Fraiburgo condenou o Estado a pagar cerca de R$ 50 mil ao casal pelos prejuízos sofridos na transação.

A PGE, por meio do procurador do Estado André Rossi, da Regional de Caçador, recorreu ao TJ alegando que o Estado não pode ser diretamente responsabilizado por “ato do delegatário de serviço público, quando não demonstrada a sua insolvência em relação ao cumprimento de alguma obrigação que lhe foi imposta”.

O relator do processo na 2ª Câmara de Direito Público, desembargador Francisco Oliveira Neto, concordou com os argumentos e lembrou que a lei que dispõe sobre a responsabilidade civil de atos praticados por delegatários do serviço público é clara: "Os notários e oficiais de registro são civilmente responsáveis por todos os prejuízos que causarem a terceiros, por culpa ou dolo, pessoalmente, pelos substitutos que designarem ou escreventes que autorizarem, assegurado o direito de regresso".

Ainda citou jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça que definiu que a responsabilidade civil por atos praticados por delegatários do serviço público é sempre objetiva, de modo que o ente público que delegou o serviço apenas responde de forma subsidiária.

Assim, por votação unânime, a Câmara, também formada pelos desembargadores Sérgio Roberto Baasch Luz e Cid Goulart, deu provimento ao recurso.
“Conclui-se que a demanda, da forma como foi proposta - isto é, diretamente contra o Estado, o qual figurou como o único integrante do polo passivo na lide principal –, não merece subsistir”.

(Apelação Cível Nº 0003132-04.2010.8.24.0024)

Informações adicionais para a imprensa
Billy Culleton
Assessoria de Imprensa 
Procuradoria Geral do Estado - PGE
E-mail: billyculleton@gmail.com
Fone: (48) 3664-7650 / 98843-2430
Site: www.pge.sc.gov.br

A edição de abril do Boletim Agropecuário da Epagri/Cepa traz uma boa notícia sobre o leite. Pela primeira vez na história, Santa Catarina superou o Paraná na quantidade de leite adquirido pela indústria. O documento também aponta para a alta nos preços da cebola e do milho e mostra que produtores de arroz vem sofrendo com custos. Já o alho vem sendo ameaçado por dificuldades na comercialização.

O Boletim Agropecuário é um documento emitido mensalmente pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (Epagri/Cepa). Ele apresenta, de forma sucinta, as principais informações conjunturais referentes ao desenvolvimento das safras, da produção e dos mercados para produtos selecionados, usando informações referentes à última quinzena ou aos últimos 30 dias.

>>> Leia o documento na íntegra

Resumo das análises desde mês:

Leite

Pela primeira vez na história a quantidade de leite adquirido pelas indústrias inspecionadas de Santa Catarina foi maior que a do Paraná. A informação faz parte da Pesquisa Trimestral do Leite, realizada pelo IBGE e divulgada recentemente, que consolidou os dados de 2017 e que mostra a rápida e acentuada alteração geográfica na industrialização de leite no Brasil. Em 2016, Santa Catarina já havia ultrapassado Goiás neste índice.

O Boletim mostra ainda que produção dos meses recentes é decrescente e os preços tendem a se recuperar.

Cebola

Com mais de 90% da safra comercializada, Santa Catarina se confirma como o maior produtor de cebolas do país. Esta posição é fruto dos avanços tecnológicos, infraestrutura produtiva das unidades familiares de produção, associada à cultura e conhecimento técnico e inserção nos mercados dos agricultores familiares.

A safra catarinense é comercializada, geralmente, até os meses de abril e maio. Após uma certa retração nos preços e mercado pouco movimentado nas primeiras semanas de março, no final do mês e início de abril os preços reagiram. Nas regiões de Ituporanga e Rio do Sul, o preço pago aos produtores girou entre R$ 1,50 e R$ 2/kg no início de abril.

As importações em março se expandiram significativamente, chegando a 22,546 mil toneladas. Um crescimento de 600% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram importadas 3,5 mil toneladas do produto.

Milho

Os preços apresentaram forte reação desde o início do ano (24% de alta). Em relação ao mês anterior, o preço apresentou, em média, alta de 17,9% no Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina. Quando comparado a março de 2017, o aumento no preço foi de 16,7%. Estes são os valores mais elevados registrados desde dezembro de 2016.

A situação preocupa o setor agroindustrial do Estado, que enfrenta historicamente um amplo déficit entre o consumo e a produção de milho. Em 2016, por exemplo, a demanda pelo grão totalizou 6,6 milhões de toneladas, enquanto a oferta fechou em 3,3 milhões de toneladas.

Arroz

A colheita do arroz entra em reta final e sinaliza para uma “safra cheia”. No entanto, os baixos preços recebidos pelo produtor e alto custo de produção têm gerado dificuldade de permanência na atividade.

O preço médio pago ao produtor catarinense em março de 2018 foi de R$ 32 a saca de 50 kg, o menor observado para o mês desde 2011. Já na comparação com fevereiro, os preços em março foram 23,9% menores. Enquanto isso, os custos de produção têm sido crescentes nas últimas safras. O documento revela que, na média, os preços têm cobrido apenas parte dos custos variáveis ou nem isso.

Alho

As coletadas a campo realizadas pela Epagri/Cepa junto a diversos parceiros e cooperativas de comercialização mostram que os preços pagos aos produtores permanecem nos patamares de março e com tendência de baixa neste momento. Isso é reflexo do aumento nas áreas plantadas em diversos países, inclusive no Brasil e em Santa Catarina, bem como das condições climáticas mais favoráveis em países exportadores, como a China, que recuperou sua produção após a safra anterior ter sofrido perdas por estiagem.

Outros produtos

Essa edição do Boletim traz ainda análises sofre banana, feijão, trigo, soja, frangos, bovinos e suínos.

Mais informações
Reney Dorow, gerente da Epagri/Cepa, pelos fones (48) 36655078 / 98801-1219

Informações para a imprensa
Gisele Dias, jornalista: (48) 99989-2992/3665-5147
Cinthia Andruchak Freitas, jornalista: (48) 3665-5344


Foto: SES/SC

O secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, reuniu-se com representantes de municípios de Santa Catarina na tarde desta segunda-feira, 16, buscando fortalecer as ações de regionalização de serviços. Foram encaminhadas propostas para ampliar o oferecimento de novos serviços e a realização de cirurgias eletivas em diversas regiões do Estado.

Os encontros com diretores de unidades de Saúde de Lauro Müller, Santo Amaro da Imperatriz e Camboriú foram agendados com a deputada estadual Dirce Heiderscheidt. Entre as questões tratadas estava o acerto dos últimos detalhes para que o Hospital de Santo Amaro da Imperatriz possa receber pacientes de ortopedia, reduzindo assim a fila nos hospitais Celso Ramos e Regional de São José. 

Maio

A expectativa é que a partir da primeira semana de maio, a unidade possa receber pacientes da região. “Estamos apenas definindo como será esse fluxo para que já nos primeiros dias de maio possamos atender esses pacientes na área de ortopedia em Santa Amaro da Imperatriz”, destacou o diretor técnico do Hospital, Fernão Bittencourt. 

Para o secretário Acélio Casagrande, a medida é resultado da reunião realizada na semana passada, a qual definiu medidas em conjunto para fortalecer a regionalização e, consequentemente, diminuir tempo de espera em filas para exames e procedimentos. “É o fruto do nosso encontro e mais um passo em direção ao nosso objetivo, que é a regionalização da saúde”, afirmou Casagrande.

Plano operacional

Também foi apresentado o plano operacional para a realização de 250 procedimentos no Hospital Cirúrgico Camboriú, reaberto em setembo do ano passado. O plano apresentado pela secretária municipal de Saúde, Diane Scherwz, prevê a realização de 100 cirurgias oftamológicas, além de 30 eletivas em ortopedia, 40 na área de ginecologia, 20 de urologia e outros 60 procedimentos gerais. 

Para o município de Lauro Müller, Acélio recebeu o pedido para investimento em endoscopia na Fundação Henrique Lage, que administra o hospital local. “Também solicitamos auxílio para possuirmos uma maternidade na região, o que pode atender aos moradores de várias localidades”, ressaltou o diretor do hospital, Cleir Estevão.

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br


Foto: Patrício A. Medeiros

A SCPar Porto de Imbituba conquistou nesta segunda-feira, 16, o 25º Prêmio Expressão de Ecologia, na categoria Conservação de Energia, com o projeto da nova iluminação dos cais, utilizando tecnologia LED. A remodelação permitiu reduzir os custos com energia, modernizar a infraestrutura elétrica do porto e aumentar a segurança dos trabalhadores. Esta é a segunda vez que a Autoridade Portuária recebe o maior prêmio ambiental do Sul do Brasil. Em 2016, o Programa de Pesquisa e Monitoramento das Baleias Francas venceu a categoria Conservação da Vida Silvestre. 

A entrega do troféu Onda Verde acontecerá no dia 20 de julho, dentro da programação do Fórum de Gestão Sustentável, que será realizado na sede da Fiesc, em Florianópolis. Além disso, o projeto do Setor de Obras da SCPar Porto de Imbituba fará parte do livro Trajetória Ambiental do Sul, publicação especial da Editora Expressão que trará os vencedores desta e de outras edições.

O projeto

Ao longo de 2017, 226 refletores foram instalados em 22 torres metálicas ao longo dos três berços de atracação do Porto de Imbituba. As novas estruturas são projetadas para suportar rajadas de até 200km/h, em razão dos fortes ventos característicos da região. Para Luiz Gustavo Piucco, engenheiro eletricista responsável pelo projeto, a constante busca por soluções eficientes e sustentáveis também motivou a opção pela tecnologia LED. “O material é mais resistente e representa uma economia de energia de quase 50% em relação às tradicionais lâmpadas de vapor metálico, além de apresentar uma vida útil estimada em 23 anos”, afirma Piucco.

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) exige um fluxo luminoso mínimo de 50 lux para atividades portuárias. No entanto, a SCPar Porto de Imbituba adotou a referência mínima de 100 lux para melhor suprir os serviços de operação noturna, proporcionando mais condições de segurança aos trabalhadores e adequando-se aos níveis de iluminação previstos na Normas Regulamentadoras (NRs) 17 e 29 do MTE. 

Mais informações para a imprensa:
Géssica da Silva
Comunicação Social
SCPar Porto de Imbituba
Fone: (48) 3355-8908
E-mail: gessica.silva@portodeimbituba.com.br
www.portodeimbituba.com.br


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Eduardo Pinho Moreira definiu, na tarde desta segunda-feira, 16, o nome de Tufi Michreff Neto como o novo secretário de Turismo, Cultura e Esporte de Santa Catarina. Junto com o anúncio, o governador e o novo secretário confirmaram a contrapartida do Estado para o prêmio catarinense de cinema 2018, no valor de R$ 3,5 milhões.

Para o governador, o setor do Turismo, que já representa cerca de 13% do PIB catarinense, é um dos potenciais econômicos de Santa Catarina, que tem contribuído de forma significativa com a arrecadação estadual. O perfil técnico de Michreff foi decisivo para a escolha do novo secretário. “Ele conhece os caminhos para acessar os recursos e tem proximidade com o ministro do Turismo, que também é catarinense. Teremos todas as condições de avançar e consolidar Santa Catarina no topo dos investimentos do setor”, destacou o governador Eduardo Pinho Moreira.


Fotos: Jeferson Baldo / Secom

Em comemoração aos 160 anos de relacionamento diplomático entre o Brasil e a Turquia, Santa Catarina recebe, pela primeira vez no país, uma mostra do fotógrafo Turco, Ara Güler. A abertura da exposição Testemunho de um Século de Ara Güler foi realizada nesta segunda-feira, 16, na Universidade do Vale do Itajaí (Univali), campus Florianópolis e contou com as presenças do Cônsul Geral da Turquia, Serkan Gedik, e da primeira dama e presidente da Fundação Nova Vida, Nicole Torret Rocha Moreira.

A convite do governador Eduardo Pinho Moreira, o cônsul cumpre agenda no Estado com objetivo de aproximar ações culturais, além de possíveis trocas comerciais. “Acredito que atividades culturais como esta podem fazer uma ponte entre as nações. A exposição vai ajudar os brasileiros a perceber as similaridades entre os nossos povos e ela só foi possível graças ao Governo de Santa Catarina”, agradeceu Gedik.