Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Eduardo Pinho Moreira definiu, na tarde desta segunda-feira, 16, o nome de Tufi Michreff Neto como o novo secretário de Turismo, Cultura e Esporte de Santa Catarina. Junto com o anúncio, o governador e o novo secretário confirmaram a contrapartida do Estado para o prêmio catarinense de cinema 2018, no valor de R$ 3,5 milhões.

Para o governador, o setor do Turismo, que já representa cerca de 13% do PIB catarinense, é um dos potenciais econômicos de Santa Catarina, que tem contribuído de forma significativa com a arrecadação estadual. O perfil técnico de Michreff foi decisivo para a escolha do novo secretário. “Ele conhece os caminhos para acessar os recursos e tem proximidade com o ministro do Turismo, que também é catarinense. Teremos todas as condições de avançar e consolidar Santa Catarina no topo dos investimentos do setor”, destacou o governador Eduardo Pinho Moreira.

Meeting turismo Rio do Sul

A Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL) realizou em Rio do Sul, nesta terça-feira, 10, o 4º Meeting de Turismo, desta vez na região Caminhos do Alto Vale. Gestores municipais e regionais de turismo, representantes de associações municipais e comerciais, trade de turismo e de instituições de ensino superior participaram dos debates sobre potencialidades e desafios para a sustentabilidade do turismo.

“Estamos trabalhando com foco no fortalecimento regional, porque o turista não reconhece limites municipais. Precisamos trabalhar de forma integrada”, destacou o secretário adjunto da SOL, Francisco dos Anjos, na abertura do Meeting. Além disso, ele enfatizou a relevância de aliar as ações públicas e privadas e olhar o turismo também como negócio”.

O diretor de Políticas Integradas do Lazer (Pdil/SOL), Amarildo Kanitz, falou sobre as diretrizes estratégicas construídas pela Secretaria para balizar as ações de turismo no Estado – governança, educação para o turismo, ambiente de negócios, informação e tecnologia, promoção e comercialização e oferta de turística. “Queremos estruturar esses eixos também nas regiões, o que vai contribuir com a elaboração do Plano Estadual de Turismo”, disse. Para viabilizar esta ação, acrescentou Kanitz, a partir de maio serão promovidas 60 oficinas para capacitar os atores locais e definir as competências de cada um para alavancar o desenvolvimento do setor.

Encerrando a programação da manhã, a presidente da Instância de Governança Regional (IGR) do Alto Vale e assessora de turismo da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi), Fabiana Dickmann, fez uma apresentação do trabalho da IGR e falou sobre a dinâmica da região para fortalecer o turismo.

A diretora de Eventos da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis - Santa Catarina (ABIH-SC), Lara Perdigão, pontuou aspectos simples, porém indispensáveis para atrair e fidelizar o turista. “É uma responsabilidade muito grande divulgar os atrativos do nosso destino, porque chama atenção. E as pessoas querem viver a experiência. Então, o que se anuncia tem que ter”, alerta Lara. “Quem tem que prestar informação ao visitante? Todos! Seja empresa ou órgão público”, acrescentou.

Experiências de sucesso no Alto Vale

O último bloco da programação do Meeting foi reservado para compartilhar iniciativas que refletiram no incremento do movimento turístico na região, como a Mutter Delícias Artesanais, fábrica de chocolates fundada e administrada pela família Franz em Trombudo Central. Além de buscar aprimorar e diversificar a produção, a família percebeu que faltavam outros atrativos para desenvolver o turismo. Assim, a partir de uma articulação local com outros empreendedores, novos empreendimentos foram surgindo e hoje o visitante encontra opções como café colonial, cervejaria, visitas a propriedades históricas da imigração alemã e a jazidas de ardósia, pedra abundante no município.

Já em Presidente Getúlio, as cachoeiras são o principal atrativo. Para fomentar o turismo, ações vêm sendo desenvolvidas pelo poder público e iniciativa privada, como melhorias nas vias de acesso, apoio a eventos de cicloturismo, trilhas e caminhadas, capacitação de guias, conscientização quanto ao Cadastur (cadastro junto ao Ministério do Turismo), divulgação e elaboração de material – folder e mapa com localização das cachoeiras.

Outras experiências compartilhadas no encontro foram a revitalização da Ponte Roberto Machado, em Taió, patrimônio histórico do município, com apoio do programa de Desenvolvimento Econômico Local (DEL), da Federação das Associações Empresariais de SC (Facisc); o turismo sustentável praticado em Atalanta por meio da Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi); o turismo de aventura desenvolvido em Ibirama e o turismo religioso, promovido em Ituporanga, onde fica a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes.

Informações adicionais para a imprensa:

Carla Coloniese
Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte - SOL
Fone: (48) 3665-7436
E-mail: imprensa@sol.sc.gov.br
Site: www.sol.sc.gov.br


Fotos: Jeferson Baldo / Secom

A posse de 11 novos ministros foi prestigiada pelo governador Eduardo Pinho Moreira em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta terça-feira, 10. Entre a reformulação ministerial do presidente da República, Michel Temer, está o novo ministro do Turismo, o catarinense Vinícius Lummertz, então presidente da Embratur.

Para Eduardo Pinho Moreira, esta é uma representatividade bastante expressiva para Santa Catarina, uma vez que o Estado recebe visitantes de todo o Brasil e de outros países. “Um catarinense no Ministério do Turismo é mais um caminho para buscarmos parcerias para desenvolvermos o nosso potencial turístico, responsável por 13% da riqueza catarinense. Além de Lummertz, estamos prestigiando também os demais ministros que são grandes parceiros na articulação de recursos para o nosso Estado”, destaca.

meeting turismo

A Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL) promove na terça-feira, 10, o 4º Meeting de Turismo para discutir “Potencialidades e desafios para a sustentabilidade do turismo no Alto Vale”. O evento será realizado no auditório do Parque Universitário (PUNF) da Unidavi, em Rio do Sul, com início às 9h30.

O público alvo são gestores municipais e regionais de turismo, associações municipais e comerciais, trade de turismo e instituições de ensino superior.  Mais informações pelo e-mail eventos@sol.sc.gov.br ou pelos telefones (48) 3665 - 7420/7411.

Confira a programação completa aqui. 

Informações adicionais para a imprensa

Carla Coloniese
Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte - SOL
Fone: (48) 3665-7436
E-mail: imprensa@sol.sc.gov.br
Site: www.sol.sc.gov.br

 
Fotos: James Tavares/Secom

Está oficialmente aberta a Vila da Regata no Centro de Eventos de Itajaí para receber os velejadores que participam da Volvo Ocean Race - maior regata de volta ao mundo, conhecida como Fórmula 1 dos mares. Sete equipes, com aproximadamente dez integrantes cada uma, partiram da Nova Zelândia e, depois de percorrerem em milhas náuticas o equivalente a 14 mil quilômetros, farão escala na cidade catarinense, que sedia a competição pela terceira vez. Itajaí é a única parada na América Latina.

Na noite desta quinta-feira, 5, o governador Eduardo Pinho Moreira acompanhou a abertura oficial ao lado de lideranças, do CEO da Volvo Ocean Race, Richard Brisius, e do velejador e campeão olímpico Torben Grael, embaixador da competição no Brasil e pai de Martine Grael, única brasileira a participar da regata em 2018. Martine está na equipe holandesa Team AkzoNobel.

>>> Galeria de fotos

Para o governador, é fundamental que o Estado seja atrativo para eventos esportivos do porte da Volvo Ocean Race. “O turismo já representa 13% de toda a riqueza gerada em Santa Catarina, e o nosso Estado tem, neste evento, uma demonstração da capacidade de gestão estrutural para receber os profissionais, os visitantes e os catarinenses que quiserem conhecer toda essa grande atração”, convidou o governador.

Organização e sustentabilidade

Na Vila da Regata, os visitantes podem conhecer um pouco mais da competição em exposições fotográficas e observar os barcos das equipes. O local também conta com praça de alimentação, expositores do mercado náutico, construção civil, artigos esportivos, móveis, moda e acessórios, além de espaços para atividades culturais e educacionais. A estrutura foi elogiada pelo representante da Volvo Ocean Race. “Itajaí é um exemplo de organização com sustentabilidade. É fantástico estarmos aqui”, afirmou Brisius.

Este ano, a etapa catarinense chama a atenção para o problema da poluição plástica no planeta. A proposta é conscientizar a população para a redução do plástico descartável, protegendo as praias. Dentro da Vila, não serão utilizados copos descartáveis nem vendidas garrafas de plástico.

De Itajaí, os velejadores seguem no dia 22 de abril para a próxima escala em Newport, nos Estados Unidos. A perna entre Auckland e Itajaí é considerada a mais desafiadora da regata, com uma maratona de 7,6 mil milhas náuticas (14 mil quilômetros) cruzando águas ao Sul do continente americano e em torno do Cabo Horn, um dos pontos mais perigosos do mundo. Por este desafio, a etapa tem pontuação dupla, com um adicional extra atribuído ao primeiro navio que passar pelo Cabo.

Homenagem

Durante a abertura da Vila da Regata, em Itajaí, o CEO da Volvo Ocean Race, Richard Brisius, lembrou do velejador John Fischer que morreu no percurso entre a Nova Zelândia e Itajaí. “Um dos nossos homens não chegará até aqui e, a nós, resta homenagear ele e sua família”, pediu. Fogos de artifício foram queimados assim que foi aberta a visitação à Vila. “Quando o céu se iluminar, vamos olhar para cima. Assim, John Fischer saberá que estamos pensando nele”, homenageou.

Evento

No dia 20 de abril, haverá a In-Port Race, uma competição realizada nos locais de parada. No dia 21, os barcos estarão abertos ao público e, no dia 22, acontecerá a partida das sete equipes competidoras para o próximo porto, em Newport nos Estados Unidos.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Arquivo Secom

A Comissão de Licenciamento Ambiental do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), órgão que substitui a Fatma, aprovou nesta quarta-feira, 4 de abril, a emissão da Licença Ambiental Prévia (LAP) para a obra de engordamento da faixa de areia da Praia Central de Balneário Camboriú. Esta é a segunda vez que um município no Brasil - a primeira foi em Fortaleza - recebe autorização para alargamento da praia.

O projeto de alimentação artificial da Praia Central prevê um aumento de aproximadamente 60 metros a serem incorporados na faixa de areia ao longo dos cerca de seis mil metros de extensão do balneário desde o extremo da Barra Sul à Barra Norte. Desta forma, somando-se os atuais 30 metros, a orla da Praia Central de Balneário Camboriú passará a ter 90 metros ao final das obras.

Critérios

A Comissão de Licenciamento Ambiental avaliou o processo sobre aspectos formais como documentação, audiência pública e estudo ambiental, aspectos técnicos que avaliam os meios físico, biótico e socioeconômico e aspectos jurídicos.

Para o parecer favorável, a Comissão levou em consideração questões como o atual sombreamento da faixa de areia, os poucos espaços de lazer na cidade, a importância estratégica da Praia Central ao desenvolvimento turístico do município e que maiores faixas de areia permitem que os processos de erosão natural minimizem os impactos sobre mobiliário urbano, entre outras.

Marco histórico

De acordo com o presidente do IMA, Alexandre Waltrick Rates, este foi um processo complexo e longo, porém histórico. “Essa é uma obra de interesse do Estado e do Brasil. Para a concessão da licença, técnicos estiveram, inclusive, no Nordeste onde uma operação deste porte já foi realizada para analisar os impactos. É um marco para a nossa história”, concluiu.

O projeto de alimentação artificial da Praia Central de Balneário Camboriú prevê, além do alargamento da faixa de areia, a revitalização da orla, com a implantação de calçadão, área de estacionamento, ciclovia e pista de corrida, rampas de acesso à praia, recomposição vegetal e construção de núcleos para comércio e serviços.

Esta é a primeira das três licenças necessárias para o início das atividades. As próximas são Licença Ambiental de Instalação (LAI) e Licença Ambiental de Operação (LAO).

Mais informações para a imprensa:
Fundação do Meio Ambiente (Fatma)
comunicacao@fatma.sc.gov.br
(48) 3665-4177 

O governador Eduardo Pinho Moreira participa nesta quinta-feira, 5, às 19h em Itajaí, da abertura da Volvo Ocean Race, o maior evento náutico do planeta. São sete embarcações que partiram de Auckland, Nova Zelândia, em direção a Itajaí, na perna considerada mais longa e difícil. Até chegar a Itajaí, os participantes já percorreram seis trechos, mais conhecidos como “pernas”.

É a terceira vez consecutiva que Itajaí recebe a Volvo Ocean Race, considerada a “Fórmula 1 dos Mares”. O evento reúne grandes nomes da vela mundial, entre elas a brasileira Martine Grael, campeã olímpica no Rio 2016, filha do velejador Torben Grael e integrante da equipe holandesa Team AkzoNobel.

RETORNO ESTIMADO DE R$ 82 MI A SC

O Governo do Estado está investindo R$ 4,7 milhões para sediar a regata, única parada na América Latina, e o retorno financeiro estimado é superior a R$ 82 milhões, valor contabilizado na última edição.

As primeiras equipes devem chegar no dia 8 de abril, um domingo. No dia 20 de abril haverá a In-Port Race, uma competição realizada nos locais de parada. No dia 21, os barcos estarão abertos ao público e, no dia 22, acontecerá a partida das sete equipes competidoras para o próximo porto, em Newport nos Estados Unidos.

O EVENTO

A perna entre Auckland e Itajaí é considerada a mais desafiadora da regata, com uma maratona de 7,6 mil milhas náuticas (14 mil quilômetros) cruzando águas ao sul do continente americano e em torno do Cabo Horn, um dos pontos mais perigosos do mundo. Por este desafio, a etapa tem pontuação dupla, com um adicional extra atribuído ao primeiro navio que passar pelo Cabo.

A edição 2017-2018 tem a distância mais longa da história da competição, ao navegar por quatro oceanos e com paradas em 12 cidades de cinco continentes, num total de 45 mil milhas náuticas (83 mil quilômetros). A atual líder da competição é a equipe Mapfre, da Espanha.

OITAVO PORTO

Itajaí será o oitavo porto da regata. Após largar em Alicante (Espanha), os barcos passaram por Lisboa (Portugal), Cidade do Cabo (África do Sul), Melbourne (Austrália), Hong Kong, Guangzhou (China), Hong Kong novamente e Auckland (Nova Zelândia). Após a parada catarinense, as embarcações seguirão para Newport (Estados Unidos), Cardiff (País de Gales), Gotemburgo (Suécia) e Haia (Holanda). A chegada à última estação está prevista para 20 de junho.

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 4, na sede da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), o secretário Leonel Pavan fez um balanço de seus 15 meses de gestão à frente da pasta e anunciou que na sexta-feira, 6, pede exoneração do cargo, para concorrer nas eleições de outubro. Na segunda-feira, 9, reassume o mandato na Assembleia Legislativa.

"Hoje nosso principal projeto em andamento é a obra do Centro de Eventos de Balneário Camboriú e a concessão da gestão deste empreendimento e do de Canasvieiras. Mas, além disso, temos as parcerias público-privadas, como o projeto da plataforma de vidro na Serra do Rio do Rastro, o turismo rural e os programas com os municípios no turismo cultura e esporte", resumiu o secretário.

O último ato oficial do secretário Leonel Pavan será a participação na abertura oficial da regata Volvo Ocean Race, nesta quinta-feira, 5, às 19h, na Vila da Regata, em Itajaí. O investimento do Estado no evento foi de R$ 4,7 milhões e o retorno esperado na movimentação econômica é superior a R$ 82 milhões - valor registado na etapa anterior, em 2015. "Quero encerrar com chave de ouro este momento, e com certeza será uma comemoração de todos. Depois, a partir de segunda-feira, retorno para a Assembleia Legislativa e definirei qual caminho seguirei em relação à política", disse Pavan, que ainda não definiu a qual cargo concorrerá em outubro.

Informações para a imprensa:
Eduardo Correia
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL)
Fone: (48) 3665-7436 / 99924-7590
E-mail: educorreia.sol@gmail.com
www.sol.sc.gov.br

 

 

Ação do Cadastur em SC

Prestadores de serviços turísticos de várias regiões de Santa Catarina participaram nesta terça-feira, 3, de um encontro com representantes do Ministério do Turismo para tratar sobre o novo Cadastur e a Operação Verão Legal 2018, que está percorrendo todas as capitais para fiscalizar meios de hospedagem. O evento foi realizado no auditório da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, em Florianópolis.

“A movimentação turística em Santa Catarina se destaca no cenário nacional. Somos um Estado diferenciado que está evoluindo. Sempre digo que para alguns municípios o que falta é atitude, é despertar para o potencial que tem o turismo”, disse o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, na abertura do encontro.

A versão 3.0 do Cadastur, cadastro de prestadores de serviços turísticos, foi lançada na região Sul no final de março. Com o novo sistema, agora todo eletrônico, o Ministério do Turismo buscou diminuir a burocracia e agilizar o processo de regularização de quem trabalha no setor.

De acordo com a coordenadora de Cadastramento e Fiscalização de Prestadores de Serviços Turísticos do MTur, Tamara Galvão, o foco das visitas às capitais é sensibilizar os prestadores de serviços turísticos quanto às vantagens de estar regularizado. “Com o Cadastur os municípios conseguem fazer um retrato do turismo e com isso desenvolver um bom planejamento do setor”, exemplificou.

A fiscalização em meios de hospedagem será realizada nesta quarta e quinta-feira, por fiscais do MTur com apoio da SOL. O objetivo é conferir se os estabelecimentos estão seguindo o que determina a Lei do Turismo. Segundo a legislação, o Cadastur também é obrigatório para agência de turismo, parque temático, acampamento turístico, organizadora de eventos, guia de turismo e transportadora turística.

Informações adicionais para a imprensa

Carla Coloniese
Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte - SOL
Fone: (48) 3665-7436
E-mail: imprensa@sol.sc.gov.br
Site: www.sol.sc.gov.br


Canasvieiras - Foto arquivo: James Tavares / Secom

O turismo em Santa Catarina representa 13% da movimentação econômica do Estado. E este bom momento no setor foi apresentado, nesta terça-feira, 3, pela Fecomércio SC, com a Pesquisa Turismo de Verão no Litoral Catarinense 2018. O relatório aponta que o percentual do público estrangeiro mais do que dobrou em relação a 2017, passando de 12,4% para 29%. E os turistas desembolsaram 33,9% a mais que o ano anterior.

“O turismo é vital para economia do Estado. Estes números mostram que Santa Catarina tem se tornado cada vez mais atraente, especialmente no exterior. Por isso, vamos continuar com os investimentos em infraestrutura e segurança”, enfatizou o governador Eduardo Pinho Moreira.

MAIS EMPREGOS

A pesquisa mostra ainda que para atender o aumento no fluxo de clientes, 39,4% dos estabelecimentos contrataram funcionários extras, especialmente bares e restaurantes, mercados e supermercados. A admissão foi maior na hotelaria com 63,2%.

O secretário de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, disse que a pesquisa demonstra a evolução do Estado no setor do turismo. “Este avanço não aconteceu por acaso. Todos os envolvidos - governo, trade, empresário, conselho estadual e outros - focaram muito naquilo que o turista busca encontrar. E assim evoluímos, conseguimos superar outros estados e, ao longo do ano passado, crescemos 6,5% no setor, enquanto o Brasil na média, encolheu”, explicou Pavan.

A PESQUISA

Os dados são apurados com turistas e empresários desde 2013. Neste ano, o levantamento foi feito em Balneário Camboriú, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Imbituba, Laguna, Porto Belo e São Francisco do Sul, nos meses de janeiro e fevereiro.

O presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, observou que para qualificar os destinos turísticos é preciso conhecer o comportamento de quem vem a Santa Catarina. Conforme ele, com a pesquisa os empresários e o setor público têm nas mãos uma ferramenta para melhorar o planejamento e a gestão, com uma série de indicadores estratégicos para tomada de decisão.

VISITANTES

Destaque para os argentinos, com uma fatia de 23,5% em 2018. Entre os brasileiros, 71%, o grupo mais representativo é do Rio Grande do Sul, 29,3%, acima inclusive do público catarinense.

PERFIL DO TURISTA

Nos últimos cinco anos a classe C foi o maior motor do turismo catarinense, variando de 57% a 65% do público desde o início da série histórica. Dois movimentos chamam a atenção nesta temporada: o aumento da presença da classe A B de 14% para 19% e o recuo da D, de 14% para 9%.

O turismo na temporada é majoritariamente terrestre, 90%. Sete a cada 10 chegam ao destino de carro: 52,6% dos brasileiros, 15,3% dos argentinos, 1,6% dos uruguaios e 1,3% dos paraguaios - e os outros 15% de ônibus em linhas regulares ou fretados. A maioria, 55,9% dos visitantes, também utiliza veículos próprios para deslocamento dentro da cidade.

Os principais tipos de hospedagem foram os imóveis alugados 35,2%, hotéis/pousada/hostel 33,4% e casa de parentes/amigos 20%.

Até 2016, a divisão de turistas por sexo era bastante equilibrada. Em 2017 e 2018 houve uma oscilação no perfil: em 2017 predominou o sexo feminino (60,6%) e em 2018 o público foi mais masculino (66,5%).

IMPACTO PARA EMPRESÁRIOS

Os turistas desembolsaram em média R$ 4.130,90 na temporada, 33,9% a mais do que 2017 (R$3.085,26). O valor é calculado levando em conta a média de gastos por tipo, conforme relato dos turistas. Enquanto os gastos com lazer representaram aumento de 42,3% em relação ao ano anterior, as compras no comércio caíram 13,5%.

Apesar da alta no ticket médio - valor médio que cada cliente gastou nas compras em um estabelecimento, exceto hotelaria - de R$ 135,28 para R$ 156,11, na percepção de mais da metade dos empresários o faturamento encolheu 8,1% em comparação a temporada passada. Já em relação ao outros meses, a avaliação é positiva (34,1%).

Nas agências de viagens e operadores turísticos, que vendem de ingressos a pacotes completos de viagens, a alta chegou a 82,2%.

SETOR HOTELEIRO

O gasto médio no setor de hotelaria foi de R$ 816,41, crescimento de 26% em relação ao ano anterior. Na comparação com os outros meses, houve aumento de 68,3% no faturamento, puxado pelo aumento na média de permanência (5,8 dias) e taxa de ocupação (81,6%). A expansão no número de leitos (7,9%) também aponta mais otimismo e o início da recuperação do nível de investimentos do setor.

*Com dados da Assessoria de Imprensa da Fecomércio

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC