A Escola de Saúde Pública Professor Osvaldo de Oliveira Maciel, vinculada à Secretaria de Estado da Saúde, promove uma Especialização em Saúde Pública (edital nº 001/2019) que fará com que o profissional compreenda a dinâmica do processo saúde-doença-atenção. As inscrições são gratuitas e vão até o dia 14 de junho.

O objetivo do curso é fazer com que o profissional busque a reflexão crítica acerca dos valores e princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), como forma de aperfeiçoar a prática da saúde pública e, consequentemente, a atuação no âmbito do SUS.

A especialização será realizada de agosto de 2019 a setembro de 2020, em semanas intercaladas, com aulas presenciais nas quintas e sextas-feiras, pela manhã e tarde. Serão oferecidas 35 vagas, com carga horária de 15 horas nos dois dias, sendo que cada aula dura 50 minutos.

Local de realização do Curso:

- Escola de Saúde Pública de Santa Catarina Professor Osvaldo de Oliveira Maciel, Rua das Tulipas, nº 236, no bairro Bela Vista III, em São José.

Link para inscrição

Baixe o edital

Informações adicionais
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822

 Foto: Maurício Vieira/Secom

Em visita ao Meio-Oeste catarinense, o governador Carlos Moisés anunciou na tarde desta terça-feira, 21, o repasse de R$ 600 mil para o Hospital Maicé, de Caçador. A verba, que servirá para o custeio e manutenção da unidade, será transferida por meio de um convênio em três parcelas de R$ 200 mil, com a primeira a ser paga até o fim de maio.

Durante a visita ao hospital, que passa por um trabalho de reforma e ampliação, Moisés informou que o convênio é temporário, uma vez que a Secretaria de Estado da Saúde está realizando um levantamento de dados a partir do qual serão definidos os repasses mensais fixos para as unidades filantrópicas.

VEJA A GALERIA DE IMAGENS DA VISITA A CAÇADOR

“Estamos nos baseando por critérios técnicos. O beneficiado por isso será o cidadão, que vai ver redução das filas e um atendimento com mais qualidade”, disse Moisés.

A unidade é referência para aproximadamente 350 mil habitantes da região Meio-Oeste, englobando 32 municípios. Durante a visita, o governador recebeu uma placa com a designação de “amigo do Hospital Maicé”. Por sua vez, Moisés assinou um mural no hall de entrada desejando vida longa à unidade de saúde e lembrou do papel desempenhado pelos funcionários.

“Quem trabalha em hospital atua com coração. Os funcionários têm a plena consciência da finitude do ser humano. É um exemplo claro da missão de servir”, falou aos trabalhadores.

Ex-presidente e atual membro do Conselho Consultivo do hospital, Leonir Tesser agradeceu pelo repasse e disse apoiar a nova diretriz do Estado para os hospitais filantrópicos.

“A gente fica até de certa forma emocionado pela sensibilidade do governador de querer conhecer o nosso projeto. É um modelo que pode ser replicado em outras partes do Estado. Já esse convênio, mesmo que temporário, vai nos ajudar bastante com o custeio”, disse Tesser.

Também presente na cerimônia, o deputado estadual Valdir Cobalchini, que é da região de Caçador, frisou a importância de se trabalhar em parceria: “A vinda do governador aqui nos dá a perspectiva de que ele traga investimentos para a cidade. Juntos nós somos mais fortes. Não podemos trabalhar isolados. Os projetos que são bons para Santa Catarina nós vamos votar”, afirmou.

Visita a empresas

Antes de ir ao hospital, o governador fez visita a duas grandes indústrias da região que empregam centenas de pessoas. Trata-se, na visão de Moisés, de uma forma de ter um conhecimento mais profundo da pujança econômica da região de Caçador. 

“São as impressionantes as plantas que nós visitamos e também a empolgação dos empresários em continuar investindo. Santa Catarina cresce acima do país e contamos que isso continue”, finalizou o governador.

Informações adicionais para a imprensa
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC 

 Foto: Robson Valverde/ SES

As mudanças e a situação da gestão da saúde pública foram tema de explicações por parte do secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Ele participou de uma reunião da Comissão de Saúde nos parlamento na manhã desta quarta-feira, 15, atendendo a uma convocação dos deputados. 

Zeferino explicou qual era a situação que herdou na pasta quando assumiu a função, em janeiro deste ano, e detalhou os esforços para pagamento da dívida e melhorias na gestão do setor. "O custeio como um todo precisa ser aprimorado, a gestão precisa ser melhorada para que possamos cumprir tudo o que está previsto para a saúde ao longo de 2019", afirmou o secretário.

Os deputados questionaram sobre assuntos como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), centrais de regulação, situações específicas de hospitais catarinenses e o programa Mais Médicos. "O Mais Médicos é um programa federal. O Governo do Estado recebe os profissionais de uma chamada feita pelo Governo Federal, e estamos em um processo de abertura de vagas em todo o Brasil", esclareceu Zeferino.

De acordo com ele, o principal desafio é gerir a dívida, que havia levado parte dos fornecedores a desistir de participar das licitações, prejudicando e encarecendo o fornecimento de materiais e serviços. Os contratos e convênios estão sendo revistos para se adequarem a critérios técnicos que possam ter os resultados mensurados. Zeferino frisou que a reforma administrativa proposta pelo governador Carlos Moisés ajudará a qualificar a gestão da saúde, uma vez que fará com que toda a estrutura do setor trabalhe de forma integrada.

A Comissão de Saúde da Alesc é presidida pelo deputado estadual Neodi Saretta. Os demais membros são Ada De Luca, Ismael dos Santos, Jessé Lopes, José Milton Scheffer, Valdir Cobalchini e Vicente Caropreso.

*Com informações da Agência AL

 Foto: Mauricio Vieira/ Secom

O prazo final da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe é 31 de maio. Até lá, Santa Catarina precisa alcançar uma cobertura vacinal de, ao menos, 90% dos grupos prioritários, segundo meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. No entanto, de acordo com o balanço divulgado nesta terça-feira, 14,  pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde Santa Catarina, apenas 52,48% das pessoas que fazem parte do público-alvo procuraram as unidades de saúde para tomar a vacina.

De acordo com a gerente de imunização da DIVE/SC, Lia Quaresma Coimbra, com a queda nas temperaturas, a preocupação aumenta, principalmente entre as pessoas que fazem parte dos grupos de risco como crianças, idosos, gestantes. Por isso, a importância da imunização. “O vírus da gripe circula o ano todo, mas a transmissão é maior do inverno, quando as pessoas buscam se abrigar do frio em ambientes fechados. A vacina é capaz de promover imunidade durante todo esse período de maior circulação dos vírus, reduzindo o agravamento”, explica a gerente.

Em Santa Catarina, fazem parte dos grupos prioritários pouco mais de 2 milhões de pessoas (2.000.034).

Cobertura vacinal por grupo:
- crianças (6 meses a menores de 6 anos): 50,68%
- gestantes: 49,73%
- trabalhadores da saúde: 42,35%
- mães até 45 dias após o parto: 68,44%
- povos indígenas: 65,71%
- idosos com 60 anos ou mais de idade: 66,23%
- professores: 53,78%
- portadores doenças crônicas e condições especiais: 40,95%
- população privada de liberdade e funcionários: 19,65%
- funcionários do sistema prisional: 24,18%
- profissionais das forças de segurança e salvamento: 21,43%

Gripe em Santa Catarina
De acordo com o último boletim da DIVE/SC, do início do ano até 10 de maio de 2019 foram confirmados 32 casos de influenza em Santa Catarina, sendo 26 pelo vírus A (H1N1) e 6 pelo vírus A (H3N2). Os municípios que apresentaram ocorrências confirmadas foram: Blumenau com 6 casos; Florianópolis, com 4 casos; Chapecó, Itajaí e Joinville, com 3 casos cada; Jaraguá do Sul e Tubarão, com 2 casos cada; Braço do Norte, Brusque, Camboriú, Criciúma, Lages, Maravilha, Palhoça, Pomerode e São José, com 1 caso cada.
Dos 32 casos de influenza, 22 apresentaram algum fator de risco associado, dos quais 10 eram idosos (acima de 60 anos); 2 crianças menores de 2 anos; 1 obeso e 9 eram portadores de doenças crônicas.

Três pessoas morreram, todas pelo vírus A (H1N1). Um homem, de 52 anos, morador de Tubarão; uma mulher, de 79 anos, moradora de Blumenau; e uma mulher, de 48 anos, moradora de Jaraguá do Sul. Os três apresentaram algum fator de risco para o agravamento da doença.

Cuidados e prevenção
Além da vacina, é recomendado adotar algumas medidas de prevenção para evitar a gripe: higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar; a higienização também é importante depois de usar o banheiro; antes das refeições; antes e depois de tocar os olhos, a boca e o nariz; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (corrimão, bancos, maçanetas etc), além de manter hábitos de alimentação saudáveis, com ingestão de líquidos e realização de atividades físicas.
 
Pessoas com influenza devem evitar contato com outras pessoas. Em caso de suspeita, o paciente deve procurar atendimento médico o mais rápido possível. O tratamento precoce com Oseltamivir (Tamiflu) reduz tanto os sintomas quanto a ocorrência de complicações da influenza e está disponível em todas as unidades de saúde e hospitais de Santa Catarina.
Saiba mais em: www.gripe.sc.gov.br

Informações adicionais para imprensa:
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
Assessoria de Imprensa
Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
Instagram: @divesantacatarina Facebook: Dive Santa Catarina
Fone: (48) 3664-7406/(48) 3664-7402/(48) 3664-7385
Site: www.dive.sc.gov.br

 Foto: Paulo Goeth/SES

O Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC), referência no estado na área de toxicologia, completa 35 anos nesta terça-feira, 14 de maio. Também nesta data é lembrado o Dia Estadual de Prevenção de Acidentes Tóxicos no Estado de Santa Catarina, instituído pela Lei 13.175 de 2004.

Ao longo dessas três décadas e meia, o CIATox/SC contribui para a melhoria da qualidade da assistência, redução da morbimortalidade das intoxicações e dos custos finais do sistema de saúde.

Entre os anos de 1984 e 2018, foram registrados aproximadamente 250 mil atendimentos. São casos de intoxicação por diversos agentes, como medicamentos, agrotóxicos, produtos veterinários, raticidas, produtos químicos industriais e de uso domiciliar, drogas de abuso, plantas tóxicas e envenenamentos por animais peçonhentos.

O serviço mantém plantão de 24 horas para informações específicas em caráter de urgência na área de Toxicologia Clínica aos profissionais de saúde, principalmente médicos da rede hospitalar e ambulatorial. Também atende a população em geral, em caráter educativo/preventivo, diretamente ou por meio de ligação gratuita pelo telefone 0800 643 5252.

Localizado dentro do Hospital Universitário, o CIATox/SC está subordinado a Superintendência de Serviços Especializados e Regulação da Secretaria da Saúde de Santa Catarina (SUR/SES/SC), mantendo cooperação técnica e parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Hospital Universitário. 

Informações adicionais à imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br/ secretariadeestadodasaude@gmail.com

Entre os dias 20 a 24 de maio, a Reciclanip, entidade gestora do sistema de Logística Reversa de Pneus Inservíveis em todo o Brasil, realizará o recolhimento de pneus em Santa Catarina. A campanha de divulgação da mobilização e conscientização da população começa nesta segunda-feira (13). A atividade foi articulada durante reuniões da Sala Estadual de Coordenação e Controle do Aedes aegypti, coordenada pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC).

Os municípios catarinenses também foram comunicados pela Federação Catarinense de Municípios - FECAM, em parceria com a Gerência de Saúde Ambiental da Diretoria de Vigilância Sanitária, por meio de ofício, sobre a possibilidade de criação de pontos de coleta dos pneus inservíveis.

O objetivo da ação faz parte das estratégias de vigilância para o controle dos possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti e já aconteceu outras duas vezes no estado, em 2017 e em 2018, concomitante em todo o país. Neste ano, ocorrerá de forma pré-agendada, por regiões.

Para participar da campanha, a população deve se informar no seu município onde será instalado o ponto de coleta dos pneus e agendar a entrega. “A ação protege a saúde das pessoas. Os pneus descartados de maneira incorreta e que ficam expostos à ação do tempo acabam servindo de criadouros para o mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya”, explica João Fuck, gerente de Zoonoses da DIVE/SC.

Para saber onde estão pontos de coleta já conveniados pode-se acessar o link: http://www.reciclanip.org.br/pontos-de-coleta/coleta-no-brasil/.

 

Informações adicionais para imprensa:
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
Assessoria de Imprensa
Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
Instagram: @divesantacatarina Facebook: Dive Santa Catarina
Fone: (48) 3664-7406/(48) 3664-7402/(48) 3664-7385
Site: www.dive.sc.gov.br

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), realiza nos dias 30 e 31 de maio o Seminário de Capacitação na Atenção à Saúde das Pessoas com Ostomias Intestinais, Urinários e/ou Fístulas Cutâneas e Respiratórias de Florianópolis. Até o final de 2019 ocorrerão mais cinco encontros: Concórdia (junho), Mafra (agosto), Lages (setembro), Blumenau (outubro) e Chapecó (novembro).

O objetivo é capacitar mil profissionais em todo o Estado, com foco na Atenção à Saúde das Pessoas com Ostomias. O seminário é resultado de um Projeto da Área Técnica da Saúde da Pessoa com Deficiência da SES com a Comissão de Saúde da Alesc.

O primeiro evento será realizado no Auditório Antonieta de Barros, na Alesc, em Florianópolis. Para participar é preciso se inscrever no site da Escola do Legislativo.

Evento: Seminário de Capacitação na Atenção à Saúde das Pessoas com Ostomias Intestinais, Urinários e/ou Fístulas Cutâneas e Respiratórias
Quando: 30 e 31 de maio de 2019
Onde: Auditório Antonieta de Barros da Alesc, localizado no Palácio Barriga Verde, Rua Doutor Jorge Luz Fontes, 310, Centro, em Florianópolis/SC

Mais informações: site Escola do Legislativo (http://escola.alesc.sc.gov.br/evento/?eid=1408)

Informações adicionais
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail:

 Foto: Dive/SC

O bloqueio vacinal em Gravatal e região, no Sul do estado, imunizou 499 animais contra a raiva, entre cães e gatos, durante essa quinta-feira, 9. As equipes começaram o trabalho pelo Bairro Indaial, local onde o caso de raiva humana foi registrado. A partir dali, em um raio de até cinco quilômetros, os animais começaram a receber a vacina.

A ação acontece casa a casa e atinge também os municípios de Capivari de Baixo e Pescaria Brava. O trabalho deve se estender ainda na próxima semana. “O dia foi positivo. Conseguimos aplicar a vacina antirrábica em aproximadamente 373 cães e 126 gatos”, comenta João Fuck, gerente de Zoonoses da Dive.

A atividade, coordenada pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV) da Secretaria de Estado da Saúde, contou também com a participação de profissionais e técnicos da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), dos três municípios que fazem parte da região (Gravatal, Pescaria Brava e Capivari de Baixo), das Gerências Regionais de Saúde e de professores e acadêmicos da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

A médica veterinária da Dive, Alexandra Schlickmann Pereira, lembra que a forma mais eficaz de proteção contra a raiva é a vacinação dos animais. “O ideal seria ter um veterinário de confiança e ele indicar qual o calendário de vacinas mais adequado para o seu animal de estimação”, ressalta.

Raiva

Após 38 anos sem registrar casos de raiva humana no estado, a Dive confirmou no início desta semana, um óbito de uma paciente de 58 anos, residente em área rural do município de Gravatal, por conta da doença.

Já os últimos casos de raiva em cães e gatos em Santa Catarina foram registrados em 2006, nos municípios de Xanxerê (um cão e um gato), Itajaí (um cão), e em 2016, em Jaborá (um cão).

A raiva é uma doença transmissível que atinge mamíferos como cães, gatos, bois, cavalos, macacos, morcegos e também o homem, quando a saliva do animal infectado entra em contato com a pele ou mucosa por meio de mordida, arranhão ou lambedura do animal.

O vírus ataca o sistema nervoso central, levando à morte após pouco tempo de evolução. A raiva não tem cura estabelecida (há apenas três casos de cura conhecidos no mundo, um deles no Brasil) e a única forma de prevenção é por meio da vacina.

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Imprensa
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC
Instagram: @divesantacatarina Facebook: Dive Santa Catarina
Fone: (48) 3664-7406/(48) 3664-7402/(48) 3664-7385
Site: www.dive.sc.gov.br

A partir de agora, o Hospital Regional de São José Homero de Miranda Gomes (HRSJ) terá uma sala própria para o serviço de ouvidoria. O atendimento no novo espaço, localizado ao lado do setor de Estatística, está ocorrendo das 13h às 18h, pelo telefone (48) 3271-9011, sob a responsabilidade da ouvidora Elzira Izaura Martins.

No período da manhã, o serviço ainda está funcionando no setor de Humanização, localizado próximo à entrada de visitantes, pelo (48) 3271-9019.

Segundo Elzira Martins, a instalação do novo local vai promover maior satisfação das necessidade do usuário do hospital e garantir a prestação do serviço público de qualidade.

A ouvidoria é o meio oficial e legítimo para o cidadão levar suas questões ao conhecimento dos gestores e por meio do qual recebe esclarecimentos e informações. É um canal de comunicação e um elo entre a população e o poder público. O serviço é responsável por receber reclamações e/ou sugestões sobre os serviços prestados à população.

Para atender aos usuários dos hospitais administrados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), a Ouvidoria Estadual do Sistema Único de Saúde (SUS) atua por meio de sub-redes localizadas em cada unidade. No HRSJ, o serviço funcionava integralmente junto com o setor de Humanização.

Mais informações sobre a Ouvidoria Estadual do SUS neste link.

Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822


Foto: Arquivo / Secom

Estão abertas até 17 de maio as inscrições para cinco editais de processo seletivo da Secretaria de Estado da Saúde (SES). As vagas são para cargos de médico, nutricionista, farmacêutico, enfermeiro, entre outros de nível superior, com atuação nas unidades da Grande Florianópolis, Joinville, Lages, Mafra e Ibirama.

A seleção é para contratação temporária pelo período de 12 meses, podendo ser prorrogada por uma única vez, pelo mesmo prazo.

O edital de nº 010/2019/SES é para Grande Florianópolis. Nas unidades hospitalares as vagas são para médico, farmacêutico e nutricionista. A Administração Central possui vaga para médico, enquanto o Centro Catarinense de Reabilitação precisa de assistente social e enfermeiro.

Em Joinville, o processo seletivo de nº 011/2019/SES possui vagas para médico na Maternidade Darcy Vargas e no Hospital Hans Dieter Schmidt. Este último também precisa de farmacêutico, enfermeiro e profissional de nível superior na área da saúde especialista em circulação extracorpórea (perfusionista).

No Hospital e Maternidade Tereza Ramos, em Lages, as vagas são para médico (edital de nº 012/2019/SES). Já a Maternidade Dona Catarina Kuss, em Mafra (edital nº 013/2019/SES), e o Hospital Waldomiro Colautti, em Ibirama (edital nº 014/2019/SES), precisam de médicos e enfermeiros.

Para ler os editais e fazer as inscrições acesse AQUI.

Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822