Compartilhe


Fotos: Leticia Wilons / Dive

O secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, esteve nesta quinta-feira, 23, com prefeitos e profissionais de saúde dos municípios de Itapema, Balneário Camboriú e Joinville para atualização das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. Foi assinado o Termo de Compromisso para qualificar as ações de combate, alertar sobre o aumento expressivo do número de focos e também buscar o envolvimento da comunidade. Participaram também o superintendente de Vigilância em Saúde, Fábio Gaudenzi, e o diretor de Vigilância Epidemiológica, Eduardo Macário.

Segundo Vicente Caropreso é necessário redobrar a atenção para esta causa. “Além das ações realizadas pelos profissionais da área, há a necessidade da população fazer a sua parte. É um trabalho simples e direcionado que intensifica o combate ao mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e do Vírus Zika”, completa o secretário.

Em Itapema, a prefeita Nilza Simas afirma que “agora é o momento de uma divulgação muito forte, com apelo à população para que nos ajude na prevenção do Aedes”. Segundo ela, é necessário fazer contratações para aumentar o número de agentes da dengue para prevenção e monitoramento de focos e visitação nas residências.

O prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, comenta sobre a força tarefa que o município está fazendo. “O que fizemos aqui foi envolver várias secretarias para gestão desse caso, pois o aumento de focos no município é grande e totaliza 15% dos casos registrados no estado. Contamos também com a população, que deve contribuir na fiscalização e prevenção dos focos”, finaliza.

Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Fábio Gaudenzi, a região do Litoral sofre a pressão da entrada de turistas e de cargas, apresentando grande risco tanto para a inserção do vetor quanto das doenças transmitidas por ele. 

Já o diretor de Vigilância Epidemiológica da SES, Eduardo Macário, afirma que Itapema sempre chamou a atenção pela aglomeração de pessoas e pelo risco de infestação. “Atualmente, a cidade possui 34 mil imóveis em áreas de infestação. O município tem um bom número de imóveis visitados, mas precisa aumentar a produtividade dos agentes de endemias, contratando mais 26 agentes para atender os parâmetros do programa nacional”.

Em Joinville, a maioria dos focos está concentrada no bairro Boa Vista, na zona leste da cidade.  “Vamos agir com rapidez. Temos duas semanas para trabalhar forte nas escolas e realizar mutirões nas regiões com focos”, garantiu o prefeito de Joinville, Udo Döhler. Ele também determinou a vinculação da sala de situação municipal ao gabinete da prefeitura, para maior controle e acompanhamento das ações.

Para cumprir os parâmetros estabelecidos em portaria pelo Programa Nacional de Combate ao Aedes aegypti, é preciso de um agente para cada mil imóveis em um ciclo de visita que ocorre a cada dois meses. Itapema ainda precisa contratar 26 agentes de controle de endemias, já Balneário Camboriú precisa de 40. Em Joinville o número de agentes está de acordo.

Até o dia 11 de novembro deste ano, foram identificados 9.953 focos do mosquito Aedes aegypti em 142 municípios de Santa Catarina, sendo 322 focos em Itapema, 1.579 em Balneário Camboriú e 243 em Joinville.

Informações adicionais para a imprensa:
Letícia Wilson e Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br