Para contribuir com a reconstrução das áreas mais afetadas pelas chuvas dos últimos dias, a Casan disponibilizou equipes de engenheiros e técnicos à força-tarefa coordenada pela Prefeitura de Florianópolis.

Liderada pelo próprio presidente da empresa, engenheiro Valter Gallina, as equipes estão desde a manhã de quinta-feira realizando levantamentos das áreas destruídas no Bairro Ratones, em especial das pontes levadas pelas águas. Técnicos também estão fazendo levantamentos topográficos das áreas mais afetadas.

Durante o fim da semana, sob a coordenação do engenheiro Fábio Krieger, as equipes tentarão concluir os relatórios que vão subsidiar os pedidos de recursos à Defesa Civil nacional.

Na tarde desta sexta-feira, o presidente Gallina acompanhou o prefeito Gean Loureiro em vistoria à Ratones. Em meio à inspeção, o dirigente e funcionários da Casan receberam o reconhecimento de moradores, do intendente do bairro, Vilmo Hercílio Laurindo, e da presidente do Conselho Comunitário, Nilda de Oliveira.

“As equipes da Casan estão sendo muito ágeis nos consertos emergenciais das redes rompidas pela enxurrada”, disse Nilda. “Assim, ficamos poucas horas desabastecidos, mesmo com as imensas crateras que se formaram na região e que ainda dificultam o tráfego local”, completou. Laurindo também fez um agradecimento especial ao que qualificou de “agilidade e disposição” da Casan. “Esse tipo de postura minimiza os dramas das famílias”, disse.

“Estamos fazendo o que está ao nosso alcance para minimizar os estragos e dramas desta chuva. Essa é a nossa obrigação e contribuição para com a maior cidade do Sistema Casan”, disse o engenheiro Gallina. 

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 


Foto: Casan

Araquari, uma das cidades que mais cresce no Norte de Santa Catarina, recebeu nesse início de ano um reforço em seu sistema de abastecimento de água. A Casan colocou em operação uma nova Estação de Tratamento de Água, a ETA da Divisa, que praticamente dobra a quantidade de água tratada e distribuída na cidade.

O investimento de R$ 1,3 milhão permitiu a implantação da nova unidade compacta de tratamento em aço inox, com capacidade para tratar 25 litros por segundo de água. A unidade contribui com mais 2,1 milhões de litros diariamente no Sistema Integrado de Abastecimento. Foi também construída barragem e captação no Rio Areias Pequenas, estação de recalque, a casa de operação, infraestrutura elétrica e urbanização do entorno.

Localizada na divisa com Balneário Barra do Sul, na localidade de Areias Pequenas, a nova estação beneficia todo o município de Araquari, especialmente a região central. “Essa nova unidade vai permitir maior regularidade e segurança ao abastecimento na região central e possibilitará o atendimento ao grande crescimento populacional que vem ocorrendo no município de Araquari”, explica o engenheiro Rodrigo Maestri, gerente de Políticas Operacionais da Casan.

Investimentos em água e esgoto

Os investimentos em Araquari, incluindo água e esgotamento sanitário, chegam a R$ 31 milhões. Aproximadamente R$ 5 milhões permitiram um conjunto de melhorias no Sistema de Abastecimento de Água do município. Entre elas, melhorias na Estação de Tratamento de Água da Rua das Carpas, perfuração de poço artesiano e a implantação de um moderno reservatório vitrificado. "Esse reservatório, com capacidade de armazenamento de 2 milhões de litros de água, trouxe mais segurança ao abastecimento de moradores do Bairro Itinga", diz o superintendente da Região Norte-Vale do Itajaí.

Foram também implantados aproximadamente seis quilômetros de novas redes de distribuição com maior diâmetro - e que permitiram a interligação do sistema de abastecimento de água em diversos bairros. 

Em Araquari, a Casan está implantando também dois Sistemas de Tratamento de Esgoto (SES), no Centro e no Itinga, num valor total de R$ 26,7 milhões. Em esgotamento sanitário, o investimento em Araquari é superior a R$ 26 milhões. O município conta com dois projetos em implantação: no Centro e no bairro Itinga, ambos em fase de conclusão.

No caso do SES Araquari Centro, 90% dos trabalhos já foram executados. O sistema de coleta e tratamento vai atender 2.433 habitantes, com 603 ligações domiciliares. No bairro de Itinga, as obras do Sistema de Esgotamento Sanitário beneficiarão 5.611 moradores em 1.345 ligações domiciliares. A rede de coleta tem 15.990 metros de extensão e um emissário terrestre com 4.763 metros. A Estação de Tratamento de Esgotos compacta terá capacidade de tratar 30 litros por segundo. Ambas as obras têm recursos do PAC2 e contrapartida da Casan.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 


Foto: Casan/Divulgação

Equipes da Casan começam a visitar esta semana na Lagoinha do Norte, em Florianópolis, moradores cujos imóveis estão sendo beneficiados com a nova rede de esgoto instalada no bairro. O objetivo da visita é informar aos proprietários que a partir de agora todos devem fazer a correta ligação do imóvel à rede de esgoto recém-concluída. Com investimentos de R$ 4,6 milhões, esta é a quinta obra de esgoto entregue nos últimos quatro anos pelo Governo do Estado, Casan e Prefeitura.

O SES Lagoinha faz parte do Plano de Investimento em Esgoto que está implantando nove obras na Capital, num investimento total de R$ 401 milhões. Até 2019, a cobertura da cidade saltará de 56% para 74%, colocando Florianópolis entre as principais cidades do país em saneamento. No Estado, a Casan possui em andamento 45 obras de esgoto, em 31 municípios.

Orientações

A liberação para conexão ao sistema público de esgotamento sanitário da Lagoinha também está sendo comunicada nas faturas de água que estão chegando aos moradores neste mês de janeiro. Em campo, os técnicos da companhia vão visitar casa por casa, entregando um fôlder que instrui sobre como realizar a ligação ao sistema público de esgotamento sanitário. Em caso de chuva forte as visitas serão temporariamente interrompidas. Os profissionais da Casan também estão à disposição para orientações e esclarecimento de dúvidas pelo telefone (48) 3271-4510

O trabalho prossegue nas próximas semanas. Inicialmente serão visitados moradores das ruas transversais à Avenida Jaime de Arruda Ramos, a principal desse balneário. Depois serão também visitados comércios e moradores dessa avenida.

A Casan implantou 465 ligações domiciliares na Lagoinha do Norte – a espera em frente aos imóveis, onde o morador deve ligar o seu sistema individual de esgoto. Depois de fazer sua conexão ao sistema público, o proprietário deve aterrar a fossa e sumidouro do seu terreno.

O Sistema de Esgotamento Sanitário da Lagoinha do Norte recebeu 5,6 quilômetros de redes de coleta, cinco estações elevatórias e um emissário terrestre, que encaminha o esgoto para a Estação de Tratamento (ETE).

Saiba Mais

Obras concluídas em Florianópolis:
SES Lagoinha / R$ 4,6 milhões / dezembro 2017
SES Continental / R$ 20,5 milhões / fevereiro 2017
SES Maciço Morro da Cruz / R$ 8,7 milhões / abril 2016
Duplicação ETE Canasvieiras / R$ 8,1 milhões /dezembro 2016
SES Jurerê Tradicional / R$ 18,1 milhões / Verão 2015

Obras em andamento
SES Ingleses/Santinho / R$ 84 milhões
SES Sul da Ilha / R$ 65,5 milhões

Obras em fase final de licitação
SES Saco Grande / R$ 85 milhões
Ampliação SES Insular-Itacorubi /R$ 107 milhões

Fique atento:
A conexão ao sistema público de esgotamento sanitário
De acordo com a Lei Federal 11.445/07 (conhecida como Lei do Saneamento), nos locais em que há rede disponível é obrigatória a ligação das residências e a desativação das fossas sépticas. No caso da Lagoinha do Norte, os moradores estão recebendo nas faturas do mês de janeiro um comunicado autorizando a ligação de seus imóveis à rede pública de esgotamento sanitário. As cobranças iniciais, que correspondem a 100% do valor da conta de água, serão emitidas assim que a CASAN visitar todas as residências que contam com as caixas de inspeção em frente aos imóveis.

O que lançar na rede de esgoto
Apenas esgoto doméstico deve ser colocado na rede. Não podem ser jogados absorventes higiênicos, cotonetes, preservativos, fios de cabelo, embalagens de sabonete, fio dental, fraldas descartáveis, frascos de desodorante, etc, pois são materiais que provocam entupimentos e prejudicam o tratamento do esgoto.

Esgoto e água da chuva
O esgoto é o sistema que recebe os dejetos lançados no vaso sanitário, na pia da cozinha, nos lavatórios do banheiro, no tanque e nos ralos cobertos. A água de chuva deve ir para o sistema de drenagem pluvial, e não para as tubulações de esgoto.

Caixas de gordura
Os canos de esgoto da cozinha devem ser ligados a uma caixa de gordura. Ela serve para reter a gordura que é despejada pelo ralo da pia e que vem da lavagem da louça. A gordura fica na caixa e o restante do resíduo segue pelos canos e vai para rede coletora. Essa caixa deve ser limpa periodicamente. A gordura retirada da caixa de gordura deve ser colocada em um saco de lixo e descartada junto aos demais resíduos semisólidos que serão coletados pela Comcap e levados para aterros sanitários. No caso de estabelecimentos como restaurantes, a frequência de limpeza deve ser bem maior, em alguns casos até diariamente.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 

 


Foto: Divulgação /  Casan

A Casan concluiu às 15h30 - três horas antes do previsto - desta quarta-feira, dia 13, a operação de interligação da adutora 1.200 mm que traz água dos rios Pilões e Cubatão à Ilha de Santa Catarina. Assim, o Sistema de Abastecimento de Água de Florianópolis foi religado imediatamente, permitindo que os bairros afetados pelo corte comecem a ser abastecidos. O retorno da água será gradual.

Segundo estimativa da área operacional, é provável que ainda na noite desta quarta-feira, dia 13, os bairros Centro, José Mendes, Carianos, Costeira do Pirajubaé, a parte baixa da Agronômica e a Vila Aparecida (esta, no Continente) estejam com vazão normal. Saco dos Limões, Trindade, Pantanal, Carvoeira, Santa Mônica, Parque São Jorge e a parte alta da Agronômica devem ser abastecidos ao longo da madrugada de quarta para quinta-feira.

A previsão para os bairros João Paulo, Saco Grande e Monte Verde é normalizar o abastecimento ao longo da quinta-feira, 14. Córrego Grande e Itacorubi, por serem localizados em ponta de rede, serão as últimas áreas da Ilha a normalizar, quando a pressurização estiver recuperada a pleno, no final da noite de quinta e madrugada de sexta-feira.

A Casan solicita que pelo menos até sexta-feira a população restrinja ao máximo o uso de água. “Um morador que economiza neste período colabora com que outros recebam água antes”, explica o engenheiro Joel Horstmann, gerente Operacional da Superintendência Metropolitana, coordenador da Operação adutora 1.200. Até sexta, portanto, a Companhia pede que o usuário reduza o tempo ao chuveiro, feche a torneira ao lavar louça, escovar os dentes e fazer a barba e só use máquina de lavar roupa em casos essenciais.

Mais de 30 trabalhadores, além de uma frota de caminhões, guindastes e retroescavadeiras, atuaram para interligar a rede de 1,2 metro de diâmetro a mais de 3 metros de profundidade. A obra de conexão foi realizada próximo ao Supermercado Angeloni, em Capoeiras.

Em três semanas a adutora 1.200 mm deverá entrar em operação, cumprindo o prazo da Casan de entregar a obra para a temporada de Verão 2018. Esta adutora vai ampliar o abastecimento de São José, Biguaçu e Florianópolis (Continente e Ilha). Bairros como Itacorubi e Córrego Grande, em pontas de rede, serão amplamente beneficiados.

Esta é a maior tubulação da Casan no Estado, trazendo água dos rios Pilões e Cubatão para o Sistema Integrado da Grande Florianópolis. Considerada a principal obra da Operação Verão 2018 da Casan, a adutora 1.200 mm recebeu investimentos que somam R$ 24,6 milhões.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 


Foto: Divulgação / Casan

Para concluir a principal obra de água da Operação Verão, a Casan terá de interromper o abastecimento durante esta quarta-feira, 13, em 16 bairros da Ilha,  mais a Vila Aparecida, no Continente.

Uma grande operação será realizada próximo ao Supermercado Angeloni, em Capoeiras, para interligar a Adutora 1.200 mm (que vem desde a Estação de Tratamento do Morro dos Quadros, em Palhoça) à adutora que abastece a Ilha. Os trabalhos serão executados a partir de 6h, com previsão de encerramento no início da noite.


Fotos: Casan

Uma das mais complexas operações da Casan está concluída com o restabelecimento do Sistema de Abastecimento de Água da Região Metropolitana. A obra realizada para interligar a maior adutora do Estado, de 1.200 mm, se encerrou ainda na sexta-feira à noite. A operação exigiu a redução da pressão e volume para boa parte da Grande Florianópolis durante a sexta, 8, sendo religada a pleno (vazão e pressão normal) às 23h50 do mesmo dia.

Mais de 30 trabalhadores estiveram envolvidos, entre engenheiros e operários da Casan e da construtora Stemag, além de dois caminhões munck, um guindaste, uma escavadeira hidráulica, duas retroescavadeiras, três caçambas-basculantes, um caminhão-pipa e dois caminhões modelo hidrovácuo. A operação também contou com equipamentos menores, como motodiscos, motosserras e rolo compressor.

As fotos dão uma ideia da grandiosidade das peças e das escavações necessárias (a cerca de 4 metros de profundidade), bem como os cuidados extras de escoramentos que tiveram de ser tomados. A peça principal, em formado de “Y”, era maior do que a carroceria de um caminhão. Foram 24 horas ininterruptas de trabalho, das 5h da manhã de sexta às 5h de sábado, na pista marginal da BR-101, na altura do Bairro Forquilhinhas, em São José.

A interligação de sexta-feira foi a penúltima parte de implantação de 15,6 quilômetros desta grande rede. O traçado da Adutora 1.200 mm se estende desde a Estação de Tratamento de Água localizada do Morro dos Quadros, em Palhoça, até a entrada da Capital. É a maior tubulação da Casan no Estado, trazendo água dos rios Pilões e Cubatão para o Sistema Integrado da Grande Florianópolis. Esta é a principal obra da Operação Verão 2018, com investimento de R$ 24,6 milhões.

Última etapa da obra

Na próxima quarta ou quinta-feira, deverá ser feita uma interligação semelhante, desta vez próximo ao Supermercado Angeloni, em Capoeiras (Continente). A Casan vai divulgar nesta segunda - em comunicados oficiais de rádios, à imprensa em geral e pelas suas redes sociais - a data e horário desta nova obra, que exigirá o corte do abastecimento por cerca de 12 horas em parte de Florianópolis, mais especificamente na Ilha. Será a última etapa antes de colocar a Adutora 1.200mm em operação plena, melhorando o abastecimento de toda a região metropolitana.

A Casan pede desculpas pelos transtornos, mas sabe que está fazendo uma obra com benefícios perenes. Na manhã deste domingo, apenas pontas de rede do município de Biguaçu e áreas da chamada Bacia do Itacorubi (na Ilha) ainda estavam com baixa pressão. A demora na região do Itacorubi/Saco Grande/João Paulo deveu-se também ao rompimento de uma outra rede, de 300mm, que traz água do Norte da Ilha, mas cujo conserto está sendo providenciado.

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Stefanelli 
Assessoria de Comunicação
Presidência da Casan
E-mail: rstefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5034 / 99136-9345
www.casan.com.br

A Casan assina nesta quinta-feira, 30, a renovação de convênio com o Consórcio Ibere para continuidade de projeto de proteção de mananciais e a recuperação da vegetação ao longo de cursos d´água na região Oeste. Com essa nova parceria, a Casan chega a um investimento de aproximadamente R$ 2 milhões na recomposição da mata ciliar na Bacia Hidrográfica do Rio Chapecó-Irani.

A solenidade será realizada às 10h30, no auditório da Agência de Desenvolvimento Regional de Chapecó, localizada na Rua Nereu Ramos, 31, segundo andar, Centro. O ato será realizado com o Dia de Ação de Governo, no qual o Estado presta contas às comunidades.

A nova cooperação técnica-financeira vai permitir o repasse de R$ 362.600,00 para continuidade do trabalho que, desde 2006, vem permitindo a proteção de mananciais e a recuperação da vegetação ao longo de cursos d´água na Região Oeste. Com essa nova parceria, a Casan chega a um investimento de aproximadamente R$ 2 milhões na recomposição da mata ciliar na Bacia Hidrográfica do Rio Chapecó-Irani.

 “A Casan tem um enorme orgulho de participar do Consórcio Iberê, que protege os mananciais e garante o abastecimento de água e a qualidade de vida de famílias de agricultores da Região Oeste. O novo repasse de recursos vai garantir que esse importante trabalho, cada vez mais premiado e reconhecido, tenha continuidade”, destaca o presidente da Casan, engenheiro Valter Gallina. 

Premiações

Reconhecido no mês de novembro desse ano com o prêmio Fritz Müller, da Fundação de Meio Ambiente (FATMA), o Projeto Iberê já possibilitou a recuperação de 145 hectares de mata ciliar – o que representa a recomposição da vegetação em uma área equivalente a aproximadamente 145 campos de futebol. O trabalho contou com a participação direta de 300 famílias e o envolvimento de aproximadamente 10 mil pessoas. 

Gerenciamento ambiental participativo

Criado em 2006, o Projeto Iberê de Conservação da Mata Ciliar (uma referência à palavra que em língua indígena significa água limpa) é desenvolvido em sete municípios da Bacia Hidrográfica do Rio Chapecó-Irani: São Carlos, Águas de Chapecó, Caxambu do Sul, Planalto Alegre, Guatambu, Chapecó e Cordilheira Alta.

Nessa região predominam pequenas propriedades rurais, em grande parte com uso do solo até as margens dos cursos d`água e acesso livre dos animais. Os produtores aderem de forma voluntária para desenvolver ações de preservação da cobertura vegetal às margens dos rios e nascentes.

Técnicos que atuam no Projeto Iberê auxiliam na identificação dos problemas ambientais da região, aplicam uma metodologia de gerenciamento ambiental participativa, intermunicipal e integrada, compartilhando as responsabilidades e buscando opções técnicas de baixo custo, fácil replicabilidade e levando em conta a vivência das pessoas do local. 

Uma das ações é a construção de cercas que isolam os animais (grande parte dos agricultores trabalha com bovinocultura leiteira) e a produção agrícola da área a ser restaurada. Os materiais para as cercas são comprados com recursos do convênio com a Casan e repassados aos produtores rurais. Dessa forma, além de permitir que a vegetação seja recuperada ao longo dos cursos d´água, o projeto reduz a erosão do solo, que era comum nas margens desprotegidas nos períodos chuva.

A regeneração natural da área é favorecida com práticas simples, que permitem também o retorno gradativo da fauna. Aumento da disponibilidade de água, contenção da erosão das margens dos riachos, reaparecimento de fauna local e melhoria do trabalho e dos produtos fabricados nas propriedades são outros benefícios citados por famílias que participam do projeto. 

“Sem o agricultor proteger a margem do curso d´água com cercas, o local era um descampado, muitas vezes com estrutura para o gado. Agora no terreno há uma floresta”, descreve a técnica do Consórcio Iberê Geciane Pereira Jordani, que realiza o trabalho de campo com as famílias.

São parceiros do Consórcio Iberê, além de prefeituras da Região Oeste e Casan, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Policia Ambiental, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e Unochapecó.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo e o presidente da Casan, Valter Gallina, entregaram nesta terça-feira, 28, em Piratuba, a ordem de serviço para o início das obras de implantação do Sistema Integrado de Esgotamento Sanitário (SES) dos municípios de Piratuba e Ipira, no Oeste do Estado. O investimento de R$ 11 milhões vai permitir a coleta e o tratamento de esgoto em 61,6% da área urbana de Piratuba e 29,4% de Ipira. A previsão de implantação do sistema é de 13 meses.

“É o início de uma ação muito importante para a comunidade de Ipira e Piratuba. É um novo patamar de desenvolvimento. Muda todos os indicadores sociais. Quando se trata de esgoto, imediatamente se diminui o número de doenças e o meio ambiente fica preservado. É uma obra que num primeiro momento causa alguns desconfortos, pois tem que quebrar, abrir ruas para fazer a tubulação subterrânea, mas o resultado é para sempre, é mais qualidade de vida e traz um benefício extraordinário ”, disse Colombo.

O investimento será viabilizado com recursos captados junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). As obras serão executadas pela CFO (Construtora Fonseca e Oliveira Ltda). Em Piratuba, serão executadas 468 ligações domiciliares, que vão beneficiar uma população de 3.843 habitantes. As obras incluem rede coletora com 9.948 metros de extensão e mais 2,9 mil metros em emissários terrestres. Também serão construídas três estações elevatórias.



>>> Mais imagens na galeria

A nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Sistema Integrado será instalada em território de Piratuba, com capacidade para tratar até 15 litros de esgoto por segundo. Nesta primeira etapa, Ipira terá 256 ligações domiciliares e uma rede coletora de 4.932 metros, mais emissários terrestres com 1.103 metros de extensão, além de duas estações elevatórias.

Os recursos integram o Plano de Investimentos em desenvolvimento na Casan, que prevê um total de R$ 1,6 bilhão aplicado apenas em esgotamento sanitário. A Casan está implantando Sistemas de Esgotamento Sanitário em 30 municípios. A meta é levar Santa Catarina a um dos primeiros lugares do ranking de saneamento. No início da década, o Estado ocupava a indesejada 23ª colocação neste ranking e vai chegar ao final deste Verão já na 13ª posição.

“É um processo gradativo de desenvolvimento que está avançando. Isso se deve há vários aspectos de planejamento e investimentos em todo o Estado. As ações têm sido fundamentais para a elevação dos índices de saneamento. O resultado após a conclusão das obras é para sempre, é mais qualidade de vida”, afirmou Gallina.

O prefeito de Piratuba, Olmir Paulinho Benjamini, informou que o município recebe em torno de 500 mil turistas por ano, em função das águas termais. “Piratuba precisava dessa obra para garantir ainda mais crescimento, saúde e preservação do meio ambiente. Somos um município turístico e a obra é muito importante”.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC



O governador Raimundo Colombo e o presidente da Casan, engenheiro Valter Gallina, entregam nesta terça-feira, 28, a ordem de serviço que autoriza o início das obras de implantação do Sistema Integrado de Esgotamento Sanitário (SES) dos municípios de Piratuba e Ipira, no Oeste do Estado. A solenidade está marcada para as 17h30, no anfiteatro do Centro de Eventos (Rua Florianópolis 246, Bairro Balneário).

O investimento de R$ 11 milhões será viabilizado com recursos captados junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e prevê 12 meses implantação do sistema. As obras serão executadas pela CFO (Construtora Fonseca e Oliveira Ltda).

Em Piratuba, serão executadas 468 ligações domiciliares, que vão beneficiar uma população de 3.843 habitantes, proporcionando uma cobertura de coleta e tratamento de esgoto de 61,6% para a cidade. As obras incluem rede coletora com 9.948 metros de extensão e mais 2,9 mil metros em emissários terrestres. Também serão construídas três estações elevatórias.

A nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Sistema Integrado será instalada em território de Piratuba, com capacidade para tratar até 15 litros de esgoto por segundo. Ipira terá 256 ligações domiciliares e uma rede coletora de 4.932 metros, mais emissários terrestres com 1.103 metros de extensão, além de duas estações elevatórias – obtendo uma cobertura, nesta primeira etapa, de 29,4% em coleta e tratamento de esgotos.

Os recursos direcionados a cidades do Oeste integram o Plano de Investimentos em desenvolvimento na Casan, que prevê um total de R$ 1,6 bilhão aplicado apenas em esgotamento sanitário. A Casan está implantando Sistemas de Esgotamento Sanitário em 30 municípios. A meta é levar Santa Catarina a um dos primeiros lugares do ranking de saneamento. No início da década, o Estado ocupava a indesejada 23ª colocação neste ranking e vai chegar ao final deste Verão já na 13ª posição. 

Dentro da mesma meta, nesta segunda-feira, 27, a Casan está entregou à população de Braço do Norte a rede de coleta e a estação de tratamento de esgoto.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 


Fotos: Jeferson Baldo / GVG

O vice-governador Eduardo Pinho Moreira e o presidente da Casan, Valter Galina, inauguraram o tratamento de esgoto de Braço do Norte nesta segunda-feira, 27. O sistema foi implantado com o investimento de R$ 23,5 milhões, financiado junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

Essa primeira etapa contempla a rede coletora na Bacia C, numa extensão de 35 mil 191 metros, além de 2 mil 623 metros em emissários terrestres. Também foram construídas duas Estações Elevatórias. A Estação de Tratamento de Esgoto é modelo compacta, com capacidade para tratar até 40 litros por segundo. As obras beneficiam diretamente 10.263 habitantes em 2.351 ligações domiciliares instaladas.

“Até o final deste ano, Santa Catarina saltará da 23ª posição no ranking nacional de cobertura sanitária para a 13ª posição e, até a temporada de verão 2018/2019 deverá chegar ao 4º lugar”, adiantou Moreira.



>>> Mais imagens na galeria

O sistema de Braço do Norte proporcionará à cidade mais qualidade de vida e saúde, com praticamente 50% de cobertura em coleta e tratamento. O investimento em Braço do Norte integra o Plano de Investimentos em desenvolvimento na Casan, que prevê um total de R$ 1,6 bilhão aplicado apenas em esgotamento sanitário.

A Casan está implantando Sistemas de Esgotamento Sanitário em 30 municípios.

Mais informações para a imprensa:
Vitor Hugo Louzado
Assessoria de Comunicação
Gabinete do Vice-Governador
Fone: (48) 3665-2283 / 99118-9821
E-mail: vhlouzado@hotmail.com