O governador Eduardo Pinho Moreira e o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, inauguram nesta sexta-feira, 20, a subestação de Bombinhas. O ato está marcado para as 9h30, na Avenida Falcão, no Bairro Sertãozinho.

A ​subestação de Bombinhas​ representa um incremento de 30% na capacidade instalada do sistema elétrico da região, beneficiando diretamente cerca de 16 mil unidades consumidoras. A carga é suficiente para suprir a demanda de energia elétrica do município nos próximos dez anos.

A ​nova unidade​ contou com investimentos de mais de R$ 10 milhões do Governo do Estado. As obras compreendem a construção da subestação e a infraestrutura de rede, como postes e fiação. A vocação turística do município justifica a importância da obra​ - durante a temporada de verão a ocupação passa de 22 mil habitantes para 200 mil.

SERVIÇO
O quê: Inauguração da Subestação de Bombinhas
Quando: Sexta-feira, 20 de abril, às 9h30
Onde: Avenida Falcão, no Bairro Sertãozinho, em Bombinhas (entre os balneários de Zimbros e Bombas)

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Os programas Celesc Voluntária e Celesc Segura estarão juntos, durante o Hiperdia Solidário em Videira, neste sábado, 7, na Praça Rio do Peixe, para apresentar dois projetos da Empresa: o Eletricidade com Segurança e o Hábito Legal. As ações têm o objetivo de incentivar a população a ter os devidos cuidados na hora de mexer com a energia elétrica, além de descartar corretamente o óleo utilizado na cozinha, tornando o produto um item sustentável, uma vez que ele pode virar sabão para limpezas em geral.

Os empregados da agência regional de Videira trabalharão, de forma voluntária, temas relacionados à Segurança com a Eletricidade diretamente com a população presente no evento. Eles tirarão dúvidas e farão demonstrações de algumas situações do dia a dia, que podem ser perigosas para as pessoas fazerem sem o apoio profissional necessário. Também ficarão expostas maquetes de tomadas e de miniatura da rede elétrica, mostrando a utilização correta e os riscos das tomadas, “benjamins”, “T’s” e filtros de linha de extensão, bem como as possíveis interferências na rede elétrica, como pipa e tênis presos na rede, galhadas de árvores e cabo caído. Manequim utilizando todos os EPI’s da Celesc e a utilização de EPC’s - acessórios de segurança na vestimenta das equipes de campo - estarão expostos durante todo o dia. A equipe entregará material informativo referente à Segurança com a Energia Elétrica, para que a população possa recorrer a essas informações sempre que necessário.

Já para as pessoas participarem do “Hábito Legal”, basta, após o uso do óleo de cozinha, o consumidor deixar esfriar, coar, colocar em uma garrafa pet e levar o óleo até o ponto de coleta no evento. Ao trocar, todos ganham um sabão feito com o óleo coletado nas edições anteriores do projeto, contribuindo para a sustentabilidade do produto, que volta para a natureza de forma menos agressiva. 

Durante o Hiperdia Solidário, que é totalmente gratuito, também será possível verificar a pressão arterial, a glicemia, o índice de massa corporal (IMC) e a circunferência abdominal, além de atividades físicas como arte e ginástica no parque, orientação para hábitos de alimentação saudável, brincadeiras para crianças, sorteios de brindes, orientação sobre gerenciamento de resíduos, orientações de saúde e saúde bucal, entre diversas outras atividades. Com foco na saúde, bem-estar e nutrição, o evento - feito em parceria com inúmeros organizadores - terá atividades físicas, sustentabilidade e solidariedade.

Serviço
O quê: tenda com dois programas: Celesc Voluntária e Hábito Legal
Quando: sábado, 7 de abril
Horário: das 9h às 16h
Local: Praça Rio do Peixe (ao lado do Largo da Estação)
Entrada gratuita

Mais informações para a imprensa:
Agência Comunicaz a serviço da Celesc
(48) 3231-5140 - assessoria de imprensa
(48) 99901-7767 - plantão para emergências

O bom desempenho da economia catarinense, aliado à evolução de diversos indicadores econômicos, financeiros e operacionais da Celesc, são os principais fatores do resultado positivo da Companhia em 2017. Embora tenha sido mais um ano difícil para a economia brasileira, em Santa Catarina os sinais foram de recuperação econômica e, com isso, o consumo de energia elétrica na área de concessão (23.797GWh no ano) foi 4% maior do que o registrado em  2016. A alta foi puxada pelas classes rural (+6,4%) e industrial (+5,2%). No comércio, o crescimento foi de 3,5% e nas residências, de 1,7%.

Ao mesmo tempo, o ano que passou foi de poucas chuvas e a baixa quantidade de água nos reservatórios das usinas afetou o custo da energia elétrica para compra e para a venda. Como consequência, no mercado livre, o MWh alcançou preço médio de  R$318,15, contra R$92,40 em 2016. O preço elevado compensou a baixa produção de energia e fez com que, no ano, a Celesc Geração, responsável pela comercialização da energia gerada nas 12 usinas que compõem o parque gerador do Grupo Celesc, alcançasse Receita Operacional Líquida de R$ 148,8 milhões, superando em 18,3% o resultado do ano anterior (R$ 125,8 milhões).

“A baixa hidraulicidade fez o Governo acionar, em diversos meses do ano, o mecanismo das bandeiras tarifárias. A bandeira vermelha, que cobre os períodos mais críticos, foi praticada seis vezes”, lembra o presidente Cleverson Siewert. Com o aumento do consumo e o custo mais alto da tarifa, a Celesc Distribuição, responsável pelo atendimento de 2,9 milhões de unidades consumidoras em sua área de concessão, apurou crescimento de 16,1% na Receita Operacional Líquida de 2017 (R$6,9 bilhões), comparada com igual período de 2016 (R$5,9 bilhões).

No Consolidado, que agrupa o resultado da Celesc Distribuição e Geração, a Receita Operacional Líquida somou R$ 6,6 bilhões no ano, superando em 16,7% o resultado alcançado em 2016 (R$ 5,7 bilhões).

O bom desempenho das empresas do Grupo, incluindo o resultado proveniente das participações, permitiu alta de 6,3% no EBITDA Consolidado  Ajustado de 2017. O EBITDA mede o lucro das atividades operacionais antes dos impostos, juros, depreciação e amortização e alcançou, no período, volume de R$545,7 milhões, ante R$ 513,4 milhões em 2016. No resultado final, o Grupo Celesc apresentou, no ano, Lucro Ajustado de R$ 176,9 milhões contra R$ 132,5 milhões em 2016, registrando crescimento de 33,5%. Os detalhes estão apresentados na tabela a seguir:

Principais Resultados Ajustados*

Acumulado 12 Meses

2016

2017

Δ

 Receita Operacional Bruta

10.486,1

11.469,0

9,4%

 Receita Operacional Líquida (excluindo Receita de Construção)

5.696,9

6.650,2

16,7%

 EBITDA Ajustado (IFRS   -  Não-Recorrentes)

513,4

545,7

6,3%

 Margem EBITDA Ajustado

9,0%

8,2%

 

 Lucro Líquido Ajustado (IFRS - Não-Recorrentes)

132,5

176,9

33,5%

 Margem Líquida Ajustada

2,3%

2,7%

 

Fonte: Celesc

* Ajustado por: +R$202,2 milhões referente à exposição involuntária contabilizada no 2T16; -R$21,5 milhões de provisão civil (2T17); +R$72,8 milhões relativo à provisão do PDI - Programa de Demissão Incentivada; -R$25,8 milhões decorrente do Processo da Eletrosul (Despacho nº 4.171/2017, que determinou a Eletrosul - Centrais Elétricas S.A devolva a Celesc os valores referentes à remuneração dos investimentos associados às instalações de transmissão necessária ao atendimento do Consumidor Arcelormittal, recebidos em duplicidade pela transmissora. O valor estabelecido foi de R$46,3 milhões, atualizado pelo IPCA acumulado de outubro de 2012 a novembro de 2017 mais juros remuneratórios de 5,59% real ao ano a partir de 2013, sendo contabilizado R$25,7 milhões com recuperação de despesas e o restante como receita financeira).

A Celesc em 2017

Investimentos

No ano, para garantir um melhor desempenho do sistema elétrico na sua área de concessão, a Celesc investiu R$ 384,2 milhões, 13,8% maior que em 2016 (R$337,4 milhões) na expansão, melhoria e automação das redes de alta, média e baixa tensão.  No sistema de alta, destaque para a energização de novas subestações em Balneário Camboriú, Maravilha e Bombinhas; além da ampliação das subestações de Pinhalzinho, Braço do Norte, Arabutã, Ermo, Indaial, Porto Belo, Roçado e Sangão.

No ano, destaque, ainda, para investimentos na Automação do sistema elétrico, com a instalação de 375 novos religadores telecontrolados, beneficiando milhares de consumidores em todas as regiões do estado. O processo permite agilizar a recomposição do sistema após desligamentos emergenciais, de forma remota, melhorando significativamente a qualidade do serviço.

Qualidade

Com a manutenção dos investimentos, a Empresa registrou 99,86% de disponibilidade do sistema para o uso dos consumidores durante o ano. No período, o indicador DEC, que mede a  duração média das interrupções por unidade consumidora, foi de 12,33 horas, 3,9% melhor do que o índice de 2016 e 10,5% abaixo do limite estabelecido pela ANEEL para 2017, no Contrato de Concessão. Neste mesmo período, o indicador FEC, que mede o número médio de interrupções por unidade consumidora, apresentou queda de 3,9%, representando 8,35 interrupções, e 20% abaixo do limite regulatório estabelecido para 2017 neste indicador, no Contrato de Concessão. Nos últimos cinco anos, os indicadores tiveram melhoria de 20,6% e 20,7%, respectivamente, como pode ser visto no gráfico abaixo:

Novos Negócios

2017 também representa um marco para o Grupo Celesc na área de transmissão de energia, um dos focos da Companhia para a diversificação de negócios e na criação de valor. Em parceria com a empresa EDP Energias do Brasil, a Celesc vai participar da construção de 485 km de linhas elétricas e de uma subestação em alta tensão no território catarinense. Obras que vão significar uma nova realidade para o atendimento do sistema elétrico estadual e regional.

Mais Geração

Na geração de energia, onde nosso potencial de crescimento tem sido ampliado, os esforços permitiram manter a concessão das usinas, quando muitas outras empresas viram seu parque gerador reduzir com as novas regras do Setor Elétrico; estabelecer parcerias para a construção de novos empreendimentos; automatizar a operação e tornar mais eficiente a produção de energia própria. Em 2017, a Celesc Geração S. A. – Celesc G conquistou a renovação do contrato de concessão da usina Pery, a maior do parque próprio, por mais trinta anos, a partir de 10 de julho.

Eficiência Operacional

Em paralelo à ampliação do sistema, que envolve planejamento robusto, a Empresa investe na melhoria dos processos, na adoção de novas tecnologias, em capacitação de pessoal, modernização dos sistemas e revisão da logística operacional. Assim como todo o grupo, a Celesc Distribuição vem evoluindo na gestão de seus custos operacionais, e continua em uma trajetória de redução do PMSO (Pessoal, Material, Serviços e Outros) quando comparado aos patamares regulatórios, com redução de 5,3% desta diferença entre 2016 e 2017, equivalente a R$ 5milhões. Desde 2010, a diferença já foi reduzida em R$180 milhões.

Em relação ao período, destaque ainda para as adequações no Plano de Cargos e Salários, no Plano Previdenciário e na execução de uma nova edição do Programa de Demissão Incentivada, que contribuíram para a otimização dos custos com Pessoal. Os efeitos dessas mudanças serão sentidas ao longo dos próximos anos e, associadas aos bons indicadores técnicos, contribuem, efetivamente, para garantir a manutenção da concessão.

Eficiência Energética

Em 2017, também foram mantidos os investimentos para viabilizar ações de eficiência energética, que somaram R$ 53,6 milhões. Destaque para os projetos: Bônus Fotovoltaico (placas de energia solar para as residências); Bônus Motores (substituição de motores antigos por novos); Bônus Eficiente – Linha Eletrodomésticos (troca de geladeiras, ar-condicionado e freezer); Energia do Bem (substituição de eletrodomésticos antigos por novos, sem custo para famílias baixa renda) e o Banho de Energia,  que viabilizou a instalação de sistemas para aproveitamento do calor gerado por fogões à lenha, típicos na Serra Catarinense, para aquecimento de água em pequenas residências rurais.

Reconhecimentos

No ano, os investimentos na eficiência dos serviços e em ações de sustentabilidade renderam à Celesc onze prêmios, sendo um em âmbito internacional, seis nacionais e quatro estaduais. Vamos destacar, aqui, a conquista da segunda posição no ranking das melhores empresas do Setor Elétrico Brasileiro com mais de 500mil consumidores, na avaliação dos clientes. A vice-liderança foi registrada nas pesquisas realizadas pela Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica e na pesquisa Aneel de Satisfação do Cliente.

Em 2017, a Celesc também manteve, pelo segundo ano consecutivo, a primeira posição no ranking ANEEL de qualidade do atendimento telefônico entre as distribuidoras que atendem mais de 500 mil unidades consumidoras. No ano, o Indicador de Nível de Serviço (INS) foi, na média, de 97,80%, bem acima da meta estabelecida pela Agência Reguladora para essas empresas, que é de 85%. A operação do Contact Center é realizada por atendentes próprios, distribuídos em 126 municípios na área de concessão, e terceirizados, com site localizado em Joinville (principal) e em Goiânia (secundário), que totalizam mais de 300 profissionais.

Desempenho no Mercado Acionário

O Índice BOVESPA fechou 2017 com desempenho positivo de 26,86%. O Índice do Setor de Energia Elétrica – IEE apresentou valorização de 10,04% no mesmo período. Enquanto isso, as Ações Preferenciais – PN da Celesc apresentaram desempenho positivo de 70,55%.

A Celesc também se manteve na carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da Bovespa, que abriga as 33 empresas brasileiras mais bem alinhadas em governança corporativa e sustentabilidade.

A atuação eficiente, a pujança do mercado na área de concessão e o potencial de crescimento da Empresa tem despertado o interesse, inclusive do mercado financeiro, interessado em investimentos de longo prazo. Em 2017, destaque para a compra de ações da Companhia pela  EDP Energias do Brasil, um grande player do Setor, que passou a ser sócia minoritária da Celesc e com direito à participação no Conselho de Administração.

“A participação da EDP na estrutura societária da Celesc deverá promover troca de experiências no segmento de distribuição e a geração de negócios em outras frentes que são foco de nosso interesse, como a comercialização de energia e a geração distribuída”, comenta o presidente Siewert.

Resultados e Destaques do 4º Trimestre de 2017

O crescimento do consumo de energia na área de concessão e a evolução dos processos de eficiência operacional também são os principais fatores dos resultados positivos registrados pela Celesc no 4º trimestre de 2017.

No período, as vendas de energia elétrica na área de concessão da Celesc Distribuição somaram 5.902 GWh, volume 5,9% maior que o registrado em igual período do ano passado. No desempenho das classes, destaque para o crescimento de 9,2% no consumo da classe rural e de 6,2% da industrial. No comércio, registrou-se aumento de 6% e 3,9% na residencial. “O desempenho do mercado aponta para um cenário de recuperação econômica, sendo este o trimestre com maior crescimento percentual no ano. No trimestre anterior, a variação havia sido de 3,5%” destaca o presidente.

O desempenho do 4º trimestre reflete, ainda, o reajuste de 7,85% aplicado às tarifas a partir de agosto. No ano anterior as tarifas tiveram redução média de 4,16%. Com os dois fatores, a Receita Operacional Líquida do Grupo, no período, somou R$1,8 bilhão, apresentando acréscimo de 16,9% em relação ao realizado em igual período de 2016.

O bom desempenho, porém, é impactado, no trimestre, pela provisão de R$72,8 milhões referente aos custos do Plano de Demissão Incentivado-PDI  aprovado em novembro, com previsão de desligamento de 186 empregados (6% do quadro total), até maio de 2018. “O PDI faz parte do projeto de Eficiência Operacional da empresa visando se adequar aos custos regulatórios estabelecidos pelo órgão regulador Aneel”, conta o presidente.

No trimestre, o EBITDA Consolidado Ajustado sofreu uma redução de 17,8% em relação ao 4º Trimestre de 2016. Naquele período, é importante destacar que o resultado foi impactado positivamente por ajustes contábeis reconhecendo, principalmente, créditos referentes à compensação de desembolsos feitos pela empresa sem cobertura tarifária. Já o Lucro Ajustado apresentou crescimento de 79,1%, passando de R$11,2 milhões para R$20,1 milhões, devido a um melhor resultado financeiro no 4º trimestre deste ano.

Os detalhes estão apresentados na tabela a seguir:

Principais Resultados Ajustados*

4º Trimestre

2016

2017

Δ

 Indicadores Financeiros - Consolidado (R$ Milhões)

     

 Receita Operacional Bruta

2.730,2

3.163,8

15,9%

 Receita Operacional Líquida (excluindo Receita de Construção)

1.565,7

1.829,9

16,9%

 EBITDA Ajustado

160,8

132,2

-17,8%

 Margem EBITDA Ajustado

10,3%

7,2%

 

 Lucro Líquido Ajustado

11,2

20,1

79,1%

 Margem Líquida Ajustada

0,7%

1,1%

 

Fonte: Celesc

* Ajustado por: +R$72,8 milhões relativo à provisão do PDI - Programa de Demissão Incentivada; -R$25,8 milhões decorrente do Processo da Eletrosul (Despacho nº 4.171/2017, que determinou a Eletrosul - Centrais Elétricas S.A devolva a Celesc os valores referentes à remuneração dos investimentos associados às instalações de transmissão necessária ao atendimento do Consumidor Arcelormittal, recebidos em duplicidade pela transmissora. O valor estabelecido foi de R$46,3 milhões, atualizado pelo IPCA acumulado de outubro de 2012 a novembro de 2017 mais juros remuneratórios de 5,59% real ao ano a partir de 2013, sendo contabilizado R$25,7 milhões com recuperação de despesas e o restante como receita financeira).

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação Celesc
(48) 3231.5140 - assessoria de imprensa
(48) 99901.7767 - plantão para emergências

Os moradores dos municípios de São João do Sul, Passo de Torres e Praia Grande, no Extremo-Sul catarinense, serão os principais beneficiados com a nova linha de transmissão de 69.000 Volts, de 20,6 quilômetros, que a Celesc está construindo entre Sombrio e São João do Sul. A obra vai beneficiar as 15.500 unidades consumidoras atendidas pela Ceprag (Cooperativa de Eletricidade que atende as localidades citadas) e possibilitar que os municípios da região tenham um crescimento com energia elétrica em quantidade e qualidade.

Além da linha de transmissão, a Celesc também está trabalhando em melhorias de dois alimentadores (redes troncos que abastecem a malha elétrica nas cidades) que atendem Santa Rosa do Sul e Sombrio. Com um investimento que ultrapassa os R$17 milhões, a previsão é de que as obras sejam concluídas no próximo mês de maio.

A Celesc ainda trabalha na conclusão da segunda etapa de construção do alimentador que atenderá a região das praias e lagoas entre Sombrio e Balneário Gaivota. O valor da obra é de aproximadamente R$ 1 milhão. A primeira etapa da obra, feita em 2016, foi desde a subestação Sombrio até o início da rodovia de acesso ao Balneário Gaivota.

Mais melhorias no Sul

No final de 2017, a região do Vale do Araranguá também foi contemplada com obras da Celesc. A subestação Ermo foi completamente reformada e ampliada. Além disso, foi construída uma linha de transmissão de 69.000 Volts, interligando Turvo a Ermo, que permitiu conectar o sistema que atende a região do extremo sul à Rede Básica Nacional, ganhando muito mais robustez e confiabilidade.

Também estão em andamento as obras de construção de um novo alimentador duplo (com dois circuitos), para aumentar a quantidade e a qualidade de energia fornecida pela Celesc à Cooperativa de Eletricidade Jacinto Machado (Cejama), beneficiando mais de 5 mil unidades consumidoras no município. A previsão é que os serviços estejam concluídos em maio, com um investimento superior a R$ 2,5 milhões.

Outras obras estão sendo iniciadas na região. Em Araranguá, a Celesc reformou e ampliou a subestação local e construiu um novo alimentador para Balneário Arroio do Silva. Com investimento de R$ 1,2 milhão, o alimentador de energia elétrica foi energizado em dezembro de 2017 e garantiu um verão sem problemas no fornecimento de energia elétrica para Arroio do Silva e para o Morro dos Conventos.

Maracajá, por sua vez, recebe a reforma e a ampliação da subestação Maracajá, bem como a melhoria dos alimentadores que atendem o município. A previsão é que sejam investidos R$ 3,5 milhões para estas obras.

De acordo com o chefe da Regional de Criciúma, Enaldo dos Santos, as reformas feitas nas subestações da região visam melhorar o fornecimento de energia elétrica para os consumidores locais. “Queremos que os nossos clientes saibam que podem confiar no nosso trabalho e contar com o fornecimento de energia elétrica de qualidade, sempre com a intenção de melhorar e crescer cada vez mais”, afirma Enaldo. O conjunto de obras representa um investimento de R$30 milhões no sistema do extremo-sul catarinense e asseguram atendimento para os próximos 20 anos, mantidas as atuais taxas de crescimento do mercado.

Assessoria de Imprensa
Agência Comunicaz a serviço da Celesc
(48) 3231.5140 - assessoria de imprensa
(48) 99901.7767 - plantão para emergências

A Celesc acaba de conquistar, pelo segundo ano consecutivo, o primeiro lugar no ranking da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em qualidade do atendimento telefônico, entre as distribuidoras que atendem mais de 500 mil unidades consumidoras. Com Indicador de Nível de Serviço (INS) de 97,80% — que é o percentual de chamadas atendidas em até 30 segundos em relação ao total de chamadas recebidas nos períodos típicos —  em relação à meta estabelecida pela agência reguladora, que é de no mínimo 85%.

A operação do Contact Center da Celesc é realizada por aproximadamente 200 profissionais nas cidades de Joinville e Goiânia e, em 2017, foram realizados mais de 2.500.000 atendimentos aos consumidores da Empresa. Para o chefe do Departamento de Gestão de Clientes e Receitas da Empresa, Cristiano Ghisi, esta colocação consolida a qualidade desse canal de atendimento tão importante na comunicação entre os consumidores e a distribuidora, refletindo nos resultados da Pesquisa de Satisfação da ABRADEE e no Prêmio IASC da Aneel de 2017, nas quais a Celesc foi considerada a 2ª melhor empresa entre as distribuidoras que atendem mais de 500 mil unidades consumidoras.

Durante todo o ano passado, a Celesc também esteve dentro da meta da Aneel em outros dois indicadores que balizam a qualidade do atendimento telefônico: Indicador de Abandono (IAB) — razão entre o total de chamadas abandonadas em tempo superior a 30 segundos e a diferença entre o total de chamadas recebidas e o total de chamadas abandonadas em tempo inferior ou igual a esse período, em termos percentuais — que foi de 0,29%, sendo a meta estabelecida pela Aneel de no máximo 4%; e o Indicador de Chamadas Ocupadas — percentual entre o total de chamadas ocupadas e o total de chamadas oferecidas — que foi de 0%, sendo a meta estabelecida pela Aneel de no máximo 2%.

OUTRA CONQUISTA EM 2018

Já no início de 2018, A Celesc foi reconhecida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) como a 2ª melhor distribuidora do país e do sul do Brasil, entre as Empresas que atendem mais de 400 mil unidades consumidoras. O importante prêmio foi entregue em cerimônia do Prêmio IASC (Índice ANEEL de Satisfação do Cliente), realizada em Brasília (DF), no dia 1º de fevereiro. Nesta avaliação, o índice conferido à Celesc por seus clientes foi de 73,90, relativo ao seu grau de satisfação aos serviços prestados, resultado bem acima do índice médio nacional, que foi de 62,28.

Assessoria de Imprensa
Agência Comunicaz a serviço da Celesc
(48) 3231.5140 - assessoria de imprensa
(48) 99901.7767 - plantão para emergências

Nesta quarta e quinta-feira, 21 e 22, a Celesc recebe no auditório Milan Milach, no Itacorubi, o 1º Seminário de Segurança das Empresas de Energia da Região Sul. Na ocasião, profissionais de segurança do trabalho, pesquisadores e engenheiros de diversas partes do Brasil, expõem trabalhos e discutem o cenário atual com profissionais das distribuidoras de energia elétrica de Santa Catarina, do Paraná e do Rio Grande do Sul, sobre equipamentos de segurança, sistema normatizador e questões comportamentais para realizar o trabalho com energia elétrica, bem como cuidados com a saúde do trabalhador da área.

De acordo com Fábio Rafaelli, engenheiro de segurança do trabalho da Celesc Distribuição, que está recebendo os participantes em Florianópolis, este evento é de grande importância para o setor, uma vez que é o momento para as concessionárias e as empresas participantes se organizarem e estarem atualizadas com o mercado prevencionista. “Serão 20 horas de imersão no assunto, com profissionais de relevância da área, com certeza os participantes sairão do evento mais atualizados e ainda mais aptos a exercerem suas funções”, conclui Rafaelli. 

Mais informações:
Agência Comunicaz a serviço da Celesc
(48) 3231-5140 - assessoria de imprensa
(48) 99901-7767 - plantão para emergências

Representantes do Consórcio Aliança, formado pela Celesc e a EDP Energias do Brasil, realizam encontros com prefeitos das 28 cidades catarinenses por onde passará o traçado de cinco novas linhas transmissão e uma subestação a serem construídas em Santa Catarina. O empreendimento representa um dos maiores investimentos na expansão do sistema elétrico catarinense.

O diretor de Geração, Transmissão e Novos Negócios da Celesc, Ênio Branco, é quem tem liderado as visitas às prefeituras, juntamente com diretores da EDP, para apresentar os detalhes do projeto, que está em fase de licenciamento ambiental. Os encontros envolvem municípios do Planalto Serrano, Sul catarinense e Grande Florianópolis.

Orçadas em R$ 1,265 bilhão, as obras estão previstas para iniciar em agosto deste ano e finalizarem após 24 meses. O pacote inclui a construção de cinco trechos de linhas de transmissão de energia com mais de 480 quilômetros de extensão, além de uma subestação 525/230kV em Siderópolis. De acordo com o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, o objetivo é melhorar a confiabilidade da rede básica nas regiões Sul e Extremo-Sul catarinense, criando uma nova conexão com o Sistema Interligado Nacional e reduzindo, inclusive, a dependência do despacho térmico local para o fornecimento de energia.

A participação da Celesc no leilão foi baseada nas diretrizes do Plano Diretor da companhia. Conforme explica Siewert, por meio de novos negócios, a Celesc pode criar alternativas de receita sem “depender apenas e tão somente da distribuição, que hoje responde por 97% do seu faturamento”.   

Obras a serem executadas:

São três Linhas de Transmissão de energia em 525 mil volts, ligando:

  • Abdon Batista – Siderópolis 2, com 261 Km;
  • Biguaçu – Siderópolis 2, com 149 Km; e
  • Campos Novos – Abdon Batista, com 39 Km.

Mais duas Linhas de Transmissão de energia em 230 mil Volts entre:

  • Siderópolis 2 – Forquilhinha, com 28 Km; e
  • Siderópolis 2 – Siderópolis, com 7,5 Km

Além da uma subestação de 525/230 mil Volts em Siderópolis 2.

Informações adicionais para a imprensa
Lau Macarini
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elét
ricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: laumacarini@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br


Fotos: Jeferson Baldo / Secom

Com incremento de 50% na quantidade de energia disponível para mais de 21 mil unidades consumidoras, a Subestação Maravilha foi inaugurada pelo governador Eduardo Pinho Moreira na tarde desta quinta-feira, 8. A obra, que recebeu investimento de R$ 11 milhões, faz parte do plano de expansão do sistema da Celesc para melhor atender a região Oeste do estado. Também estiveram presentes o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional de Maravilha, Jonas Dall'Agnol, outras autoridades e comunidade.

“A energia é fundamental para o desenvolvimento de uma região. E o Extremo-Oeste tem frigoríficos e indústrias que precisam de energia de qualidade e em quantidade suficiente. Com a subestação, também é possível incentivar ainda mais a abertura de indústrias nessa região”, afirmou o governador.

Estrategicamente posicionada, a obra beneficia os municípios de Maravilha, Iraceminha, Flor do Sertão, São Miguel da Boa Vista, Santa Terezinha do Progresso e a área rural de Tigrinhos. “A subestação Maravilha vem aumentar a confiabilidade e a robustez do sistema de toda a região, garantindo energia de alta qualidade a um mercado formado especialmente por agroindústrias e com forte presença de laticínios de grande porte”, salientou o presidente da Celesc.



>>> Mais imagens na galeria

A subestação foi projetada para assegurar a qualidade energética pelos próximos sete anos, considerando-se as atuais taxas de crescimento do mercado existente, sem que haja necessidade de ampliação da estrutura. Com mais energia disponível, especialmente o setor industrial e o agronegócio poderão crescer ainda mais, oferecendo novas oportunidades de negócios, mais empregos, geração de renda e qualidade de vida de toda a população, segundo Siewert.

A subestação mudou a vida do casal Luiz Ivo e Elma Forgiarini, ambos com 71 anos, de duas formas: foram eles que venderam o terreno onde hoje está a subestação e também foram diretamente beneficiados com melhoria do abastecimento de energia elétrica. A prefeita de Maravilha, Rosimar Maldaner, agradeceu ao casal durante a cerimônia, especialmente por terem aceito venderem o terreno à prefeitura, que veio a ceder o espaço para a instalação da estrutura.



O casal conta que a venda ocorreu por um ótimo motivo, pois já enfrentou diversos problemas como a falta ou oscilação de luz nos mais de 60 anos que moram em Maravilha. “Na casa dos meus filhos, quando um ia tomar banho, o outro tinha que ficar esperando. Era impossível ligar dois chuveiros de uma única vez, pois a luz caía”, conta Luiz Ivo. Elma diz que muitos eletrodomésticos queimaram por conta da energia precária. “Em alguns momentos, a luz ficava bem fraquinha. Eu já perdi máquina de lavar roupa e outros eletrodomésticos por conta disso”, explica.

Especificações sobre a obra da SE Maravilha:

- Tecnologia de ponta que permitirá que a subestação opere de forma remota e tele assistida, integrada ao Sistema Digital de Supervisão e Controle da Celesc;
- Tensão de operação de 138 mil Volts, com subestação atendida através de duas Linhas de Transmissão provenientes do seccionamento da LT Pinhalzinho – São Miguel D’Oeste II;
- Dimensionada para melhorar a qualidade e confiabilidade do atendimento à região e para comportar o crescimento do setor industrial e do agronegócio nos próximos sete anos, sem necessidade de ampliação;
- Atende a mais de 21 mil unidades consumidoras localizadas em Maravilha, Iraceminha, Flor do Sertão, São Miguel da Boa Vista, Santa Terezinha do Progresso e a área rural de Tigrinhos;
- Esta obra também desafoga a carga da Subestação da Celesc em Pinhalzinho, beneficiando indiretamente, toda a região atendida por aquela subestação.

Informações adicionais para a imprensa
Mauren Del Claro Rigo
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: mauren@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5439
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Heda Wenzel
Agência Comunicaz a serviço da Celesc
(48) 3231.5140 - assessoria de imprensa
(48) 99901.7767 - plantão para emergências

O governador Eduardo Pinho Moreira e o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, inauguram nesta quinta-feira, 8, às 15h30, a Subestação da Celesc Maravilha. A obra, que representa investimento de R$ 11 milhões, traz mais energia e confiabilidade ao atendimento dos municípios de Maravilha, Iraceminha, Flor do Sertão, São Miguel da Boa Vista, Santa Terezinha do Progresso e a área rural de Tigrinhos. Haverá um incremento de 50% na quantidade de energia disponível para essas cidades.

Serviço:

Inauguração Subestação Maravilha
Data: 08/03/2018
Horário: 15h30
Local: Linha Araçá, próximo ao campo do Vasco, em Maravilha – SC
*Jornalista, confirme sua presença enviando um e-mail para imprensa@celesc.com.br.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br


Informações adicionais para a imprensa
Suzana Francieli Ferrari
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de Maravilha
E-mail: imprensa@mvh.adr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3664-6532 / (49) 98839-1117
Site: sc.gov.br/regionais/maravilha
Facebook: www.facebook.com/regional.maravilha




Foto: Celesc/Divulgação

A queda de árvores, galhos e cascas de plantas sobre os cabos da rede elétrica, principalmente durante tempestades com ventos, é responsável por mais de 30% dos desligamentos de energia em Santa Catarina. Para prevenir acidentes e conscientizar a população dos perigos da vegetação próxima à rede, a Celesc busca orientar os consumidores sobre cuidados no plantio e manutenção das árvores, tanto nas cidades quanto em áreas rurais.

“O primeiro passo é observar o local antes de plantar uma muda, por exemplo. A planta que hoje aparenta ser de pequeno porte, poderá crescer mais que o esperado e atingir a fiação elétrica, causando um curto circuito”, alerta o gerente da área de pós-operação do sistema elétrico da Celesc, Rodrigo Winck. A responsabilidade pela vegetação em área particular, lembra Winck, é do proprietário do imóvel. Já o que for plantado em áreas públicas como calçadas, canteiros e praças, deve ser mantido pelas prefeituras.

Os moradores que desejarem cortar ou podar árvores em seus terrenos também devem observar se elas estão perto da rede elétrica. Esse tipo de manutenção precisa ser realizado por profissionais habilitados e com equipamento de segurança. Sempre que houver proximidade dos cabos, a Celesc deve ser comunicada para prestar auxílio.

Outra observação é quanto à vegetação nativa. Protegida por lei ambiental, ela só pode sofrer intervenção quando oferecer risco à vida das pessoas que vivem ou circulam no entorno. Nesse caso, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil devem ser acionados para realizar o procedimento.

A Celesc também faz a sua parte com o trabalho constante de poda e roçada, realizado nas áreas críticas do Estado. “Só em 2017, foram investidos mais de R$ 16 milhões nesse serviço, tanto em áreas rurais quanto urbanas”, explica o assistente de assuntos estratégicos da Celesc, Ayslan de Souza Ferreira.  As regionais que mais receberam investimento para este serviço no último ano foram Florianópolis, Lages, Blumenau, Mafra, Chapecó, Joinville e Concórdia.

Como agir com a vegetação:

- Optar por espécies de pequeno porte (máximo 5 metros de altura) para evitar que alcancem os fios elétricos;

- Manter distância segura entre as plantações de árvores de grande porte e a rede elétrica, em especial nas regiões de reflorestamento (mínimo 20 metros para cada lado do eixo da rede elétrica);

- Informar à Celesc antes de realizar corte de árvores de grande porte próximas à rede elétrica para receber suporte;

- Isolar local e impedir aproximação de pessoas ou animais caso um fio de energia arrebente e caia; além de informar imediatamente a Celesc pelo 0800 48 0196;

- Verificar se equipamentos agrícolas com partes móveis estão em distância segura da rede elétrica;

- Evitar queimadas próximo a postes e fios, tanto o fogo quanto o calor podem causar curto circuitos.