Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Projeto garante acessibilidade para deficientes visuais ao Portal de Serviços do Executivo

Projeto garante acessibilidade para deficientes visuais ao Portal de Serviços do Executivo

Nos últimos meses de 2018, uma equipe de desenvolvedores de software do Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc) recebeu um desafio novo. A missão: tornar o Portal de Serviços do Governo de Santa Catarina 100% acessível para deficientes visuais. Depois de muito de trabalho, a novidade está disponível desde o começo de dezembro.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: James Tavares/Arquivo/Secom

O Departamento Estadual da Infraestrutura (Deinfra), por meio da Consultoria de Licitações (Colic), dará continuidade ao processo licitatório que irá selecionar a empresa responsável pela execução de serviços de supervisão das obras de manutenção das pontes Colombo Machado Salles e Pedro Ivo Campos, em Florianópolis, numa extensão total de 2.478,11 metros.

Na próxima terça-feira, 22, às 14h30, na sede do Deinfra, serão abertos os envelopes com as propostas técnicas apresentadas pelas concorrentes habilitadas para esta segunda fase, que são: o consórcio Pontes Sul, formado pelas empresas ESSE – Empresa Sulbrasileira de Serviços de Engenharia Ltda. e Recuperação - Serviços Especiais de Engenharia Ltda; e as empresas Falcão Bauer – Centro Tecnológico de Controle de Qualidade Ltda.; e Engevix Engenharia e Projetos S.A.

A primeira etapa consistiu na entrega de documentação e o consórcio LBR – Carmona, formado pelas empresas LBR Engenharia e Consultoria Ltda. e Carmona Soluções de Engenharia Ltda; foi inabilitado a seguir no processo licitatório.

Próximas etapas

Após a abertura dos envelopes com as propostas técnicas, a comissão de licitação tem até sete dias úteis para fazer a análise das propostas e apresentar as notas técnicas. As licitantes possuem cinco dias úteis para apresentar recurso. Após o encerramento desta fase será iniciada a terceira etapa, quando serão abertos os envelopes com as propostas de preço. As licitantes têm cinco dias úteis para apresentar recurso. Depois de finalizada a terceira etapa, a vencedora será adjudicada pela comissão e homologada pelo secretário da Infraestrutura. 

Obra

A obra de recuperação das pontes Colombo Machado Salles e Pedro Ivo Campos será realizada pela empresa CEJEN Engenharia Ltda., de Curitiba, vencedora do processo licitatório realizado em 2016. O valor contratado para execução da obra é de R$ 29.661.611,40, e o prazo para conclusão é de 24 meses, conforme previsto no edital.

Mais informações para a imprensa:

Patricia Zomer
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Infraestrutura
(48) 3664-2008 / 9-9995-8494
patriciazomer@sie.sc.gov.br


Foto: Acervo Corpo de Bombeiros

O ano era 2004, a vítima estava em uma embarcação numa área de difícil acesso em Bombinhas quando o helicóptero do Arcanjo foi acionado. Com dificuldades de pousar e muito vento na região, um dos bombeiros da aeronave conseguiu descer de rapel até o barco para avaliar o homem que passava mal, com um rádio na mão, recebendo instruções da equipe médica. Quando a vítima entrou em parada cardiorrespiratória, o médico pulou na água e nadou em direção aos dois, enquanto o resto da equipe levou os materiais necessários numa lancha.

Situações de resgates como essa já não são mais incomuns para tripulantes do Serviço de Resgate Aeromédico Especializado, os Arcanjos, que provém de uma parceria entre Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina – a qual completa nove anos, no dia 20 de janeiro. As aeronaves Arcanjos, que hoje correspondem a duas asas fixas (aviões) e duas rotativas (helicópteros), passaram a ser referência não apenas estadual, como também nacional. O atendimento pré-hospitalar de urgência oferecido pelas bases aéreas localizadas no Estado atende uma média de mil ocorrências por ano.

Nas aeronaves: um piloto, um copiloto, um tripulante, um enfermeiro e um médico. Foi esta integração, por exemplo, que culminou num atendimento singular no mês de setembro, quando uma partida entre Avaí e Figueirense pela Série B do Campeonato Brasileiro foi interrompida para prestar socorro a um jovem de 25 anos que caiu de uma altura de cinco metros – de uma arquibancada. O paciente, na ocasião, chegou a ser entubado no gramado por um médico do SAMU e, mais tarde, transportado até o Hospital Governador Celso Ramos, onde foi atendido e sobreviveu sem complicações.

“É um serviço que une as melhores referências dos Bombeiros e do SAMU: a consciência logística e o pensamento médico, de regulação. Há especificações que são atendidas por nossos profissionais, os quais treinam para isso. Hoje, na área médica do serviço, nós trabalhamos com cerca de 25 médicos e 20 enfermeiros, de segunda a segunda, atendendo as quatro aeronaves”, acrescenta o coordenador Médico do Grupo de Resposta Aérea de Urgência (GRAU) de Santa Catarina, Bruno Quércia Barros.

 “Por ter âmbito de abrangência estadual, as aeronaves podem ser requisitadas por qualquer central de regulação de Santa Catarina. Há duas situações e há dois tipos de aeronaves – os helicópteros, que são utilizados para o atendimento primário, de risco iminente de morte, e os aviões, os quais atendem mais casos de transportes de pacientes clinicamente estáveis. E essa regulação se tornou vital para a eficácia do socorro e de sua agilidade”, concluiu Barros.

Os atendimentos

Atual comandante do Batalhão de Operações Aéreas (BOA) de Santa Catarina, o Major BM Sandro Fonseca destaca que as aeronaves são acionadas para atendimentos considerados de difícil/impossível acesso via terrestre e que elas são equipadas para darem uma assistência equivalente a que uma vítima receberia em uma UTI móvel.

“Nossa aeronave, hoje, voa a uma velocidade de 200 a 250 Km/h. Isto nos dá a possibilidade de atender um raio de 100 km em cerca de 25/30 minutos. O tempo resposta, por consequência, é percebido rotineiramente pelos catarinenses. Tornou-se sinônimo de confiabilidade e esperança”, avalia.

O futuro Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, Coronel BM Edupércio Pratts, que atuou na integração aérea das duas Instituições, analisou os últimos nove anos como produtivos e de agregação de conhecimentos e protocolos para as duas corporações.

“Se temos um sistema de atendimento pré-hospitalar integrado e fortalecido, nos dias atuais, deve-se bastante as experiências de sucesso anteriores, como a dos Arcanjos, que foram uma construção propositiva para o fortalecimento do APH de hoje. É a minha percepção. A parceria otimiza os recursos em cena e direciona o procedimento com especialização avançada. Fomos pioneiros no Brasil. Naquele mesmo ano, por exemplo, outros Estados iniciaram uniões aéreas similares, neste sentido.”, finalizou.

Informações adicionais para a imprensa:
Andrey Lehnemann
Jornalista
Centro de Comunicação Social
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina / Serviço de Atendimento Móvel de Urgência


Foto: James Tavares/Secom

As cidades de Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, Angelina, Anitápolis, Rancho Queimado e São Bonifácio, na Grande Florianópolis, têm uma nova delegada regional. Tomou posse no cargo na tarde desta quinta-feira,17, a delegada Michele Alves Correa Rebelo, em ato no bairro Pedra Branca, que contou com a presença da vice-governadora Daniela Reinehr e do delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Koerich. Entre as prioridades elencadas pela nova chefe da regional de Palhoça, destacam-se a diminuição dos índices de criminalidade, a melhoria dos atendimentos prestados à população e a realização de um trabalho com base em estatísticas e metas de curto, médio e longo prazo.

“Vamos fazer um trabalho bastante técnico. Temos um planejamento estratégico para os próximos quatro anos e vamos apostar em parcerias com outros órgãos, como o Ministério Publico, a Polícia Militar e os Bombeiros”, afirmou Michele.

A vice-governadora destacou que a posse da delegada para o novo desafio é fruto da competência demonstrada ao longo de sua carreira na Polícia Civil, que começou no Oeste do Estado em 2002. Daniela Reinehr se disse muito empolgada com a chegada de mais mulheres a postos de comando dentro da organização governamental, ainda mais na área da Segurança Pública.

Durante o seu discurso, a vice-governadora salientou que a redução dos índices de criminalidade é uma prioridade da administração de Carlos Moisés, um egresso do Corpo de Bombeiros Militar. Na opinião de Daniela, é tempo de recuperar, no Estado e no Brasil, a sensação de segurança para o cidadão, que acabou se privando de algumas liberdades em função da escalada da violência:

“Essa é a nossa missão: levar a Segurança Pública para a sociedade. Uma das palavras-chave no governo é a integração. Isso vai facilitar muito a entrega do serviço para a comunidade. Temos a consciência de que segurança é o que todo catarinense pede”, disse Daniela. 

Delegado-geral comemora autonomia administrativa e financeira

O delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, também destacou a capacidade técnica da nova chefe da regional de Palhoça e comemorou que a posse ocorre em meio a um novo momento da corporação, que recuperou a sua autonomia administrativa nesta semana após a assinatura de um decreto por parte do secretário de Segurança Pública, o coronel Araújo Gomes.

“Com o Colegiado Superior da Segurança Pública, vivemos um momento novo. Sentados na mesa mesma, as forças policiais têm melhores condições de decidir os seus destinos. Nós já percebemos isso. Temos a responsabilidade de melhorar os índices de combate à criminalidade”, afirmou Koerich.

Quem é a nova delegada regional de Palhoça

Michele Alves Correa Rebelo é delegada de Polícia do Estado de Santa Catarina desde 2009. Sua primeira lotação foi na comarca de Coronel Freitas - Chapecó. Depois, passou a atuar na cidade de Florianópolis, na 10ª DP da Capital, na Delegacia de Repressão a Roubos – DRR, Gerência de Fiscalização de Jogos e Diversões e DPCAMI Capital.

Michele ingressou na Polícia Civil em 2002, no cargo de escrivã de Polícia. É graduada em Direito pela Fundação Educacional de Brusque e mestre em Gestão de Políticas Públicas pela Univali. Também é especialista em Gestão de Segurança Pública pela Unisul e especialista em Direito Processual e Material pela Faculdade Exponencial-FIE, de Chapecó (SC).

Atualmente, é membro da Diretoria do Instituto Brasileiro de Direito e Política de Segurança Pública e professora da Academia da Polícia Civil de Santa Catarina nas disciplinas de Legislação Penal Especial e Direito Penal.

Posse em São José

Também na tarde desta quinta-feira, tomou posse Gisele de Faria Jerônimo como delegada regional de São José. Ela está na Polícia Civil desde 2003 e é graduada em Direito pela Univali, com pós-graduação em Gestão de Segurança Pública pela mesma universidade.  Gisele também é pós-graduada em Gestão de Trânsito pelo Icetran. Ao longo de sua carreira na Polícia Civil atuou nas delegacias de Palhoça, Xanxerê, São José e na corregedoria da corporação. A regional de São José engloba os municípios de Biguaçu, Antônio Carlos, São Pedro de Alcântara e Governador Celso Ramos. 

Informações adicionais para a imprensa

Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Maurício Vieira/Secom

Com 25 anos de experiência de atuação na área de turismo, Flavia Didomenico é a nova presidente da Santur. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira,17, pelo governador Carlos Moisés. A vice-governadora Daniela Reinehr também deu as boas-vindas à gestora.

 "O desafio é muito grande, com a Santur não sendo apenas promotora do turismo de Santa Catarina, mas também absorvendo outras ações, como administração e planejamento. Vamos inovar na gestão do turismo em Santa Catarina", afirmou a nova presidente.

Flavia é especialista em Planejamento, Gestão e Marketing Turístico e bacharel em Turismo e Hotelaria. Ela já foi professora em cursos de ensino superior, trabalhou nas áreas de hotelaria, alimentos e bebidas e, mais recentemente, atuou como consultora em todas as regiões catarinenses e construiu políticas públicas para municípios, por meio do desenvolvimento de planos municipais de turismo.

O governador Moisés reiterou a confiança na capacidade de Flavia para atuar a favor do turismo catarinense. "Ela conhece vários municípios, atuou na implantação rotas turísticas. O turismo é uma atividade importante, tem participação de 13% no PIB catarinense, é uma indústria limpa. Tenho certeza que a Flavia vai contribuir muito", projetou.

A nova presidente da Santur é natural de Chapecó e reside em Florianópolis há mais de duas décadas.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

O primeiro boletim epidemiológico com dados da situação do mosquito Aedes aegypti, divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV), alerta que foram identificados 727 focos do mosquito em 75 municípios do Estado até o dia 12 de janeiro deste ano. O número representa 28,4% a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado.
 
Além do alto número de focos, o boletim alerta para uma queda de 42% no número de notificações no início deste ano, comparado com o mesmo período de 2018 (até 12 de janeiro). De acordo com o gerente de zoonoses da DIVE/SC João Fuck, as notificações alertam para possíveis casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya, o que facilita as ações de controle vetorial na região. “Os serviços de saúde precisam ficar atentos e notificar os casos suspeitos. É através das notificações que são desencadeadas as ações de controle ao mosquito”, destaca.
 
Diante do risco de epidemias das doenças transmitidas pelo mosquito, especialmente agora no verão, as ações devem ser intensificadas. A Secretaria de Estado da Saúde conta com profissionais de saúde, laboratórios, veículos, equipamentos e materiais informativos de forma a prestar apoio aos municípios nas ações locais. “Mas mesmo assim, é fundamental o envolvimento de todos para o controle do número de focos do mosquito”, salienta Maria Teresa Agostini, diretora da DIVE/SC.
 
Cenário epidemiológico
Em 2019, até o momento (dados atualizados em 12/01/2019), Santa Catarina registrou 56 notificações de dengue, oito foram descartadas e 48 continuam em investigação. Já em relação à chikungunya, oito casos foram notificados e continuam como suspeitos. Até a data de atualização do boletim, nenhum casos de zika foi notificado.

 
Informações para imprensa:
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
(48) 3664-7406
(48) 3664-7402
(48) 3664-8385
 

Página 1 de 362

Conecte-se