Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Conheça o cemitério de navios que existe em Santa Catarina

Conheça o cemitério de navios que existe em Santa Catarina

Você sabia dessa?
Santa Catarina tem um cemitério de navios. Ele fica na cidade de Jaguaruna. Jamais saberíamos curiosidades como essa se não existissem pessoas dedicadas a pesquisar, documentar e preservar todos os detalhes do Estado. Por isso, essa homenagem é para os historiadores. Eles são os responsáveis por preservar nossa história.

Oportunidades

Próximos eventos

O projeto Novos Talentos/ SC Games, que já formou mais de 1670 alunos, completa 10 anos de atuação no Estado. A iniciativa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) abrange, principalmente, crianças e adolescentes provenientes de escolas públicas, dando oportunidades de um futuro promissor no concorrido mercado profissional de games, entretenimento digital e cinema de animação. Para comemorar esta data, a SDE, em parceria com o Senac, realiza entre 23 e 25 de agosto, a primeira edição da SC Criativa Weekend, uma maratona para a criação de jogos digitais voltada para crianças e adolescentes de 9 a 15 anos.

O desafio tem o objetivo de fomentar a economia criativa, levando a este público a oportunidade de explorar este segmento promissor que somente em 2016 faturou US$ 1,6 bilhão. O Game Jam ocorre nas faculdades Senac de quatro cidades catarinenses e, em cada uma delas, os participantes terão o desafio de desenvolver um jogo segundo a temática da economia criativa local: moda em Criciúma, gastronomia em Blumenau, tecnologia em Chapecó e patrimônio cultural e histórico em Palhoça.

Reforma Administrativa

“O setor de games e jogos digitais é bastante promissor, um nicho que prospera cada vez mais, onde Santa Catarina, referência em inovação, vem se destacando. O Projeto Novos Talentos/SC Games é bom exemplo de empreendedorismo inovador. Nossa missão é fomentar ainda mais este ecossistema, oferecendo oportunidades e abrindo portas a um futuro promissor aos nossos jovens e, assim, desenvolvendo nosso Estado”, analisa Lucas Esmeraldino, Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável.

Mercado de games aquecido em SC

Dados do Sebrae revelam que Santa Catarina tem se posicionado como polo nesta área: atualmente, o estado é o quarto no país com mais empresas no setor de games e jogos digitais, com uma diversidade de gêneros que vai do eSports a gamification. “Iniciativas como a SC Criativa Weekend fortalecem o ecossistema da economia criativa em especial do segmento de games e geram ainda mais interesse para este cenário que é favorecido por incentivos públicos, ofertas de cursos de profissionalização e perfil empreendedor dos catarinenses", afirma Juliano Vieira, analista de informação e comunicação do Senac SC. 

Capacitação de desenvolvedores

Não é à toa que a entidade comemora 10 anos de atuação com resultados bastante positivos no segmento. “Desde a implantação do programa no Estado, diversos cursos de jogos digitais e animação foram criados, estúdios de games tomaram forma, impulsionando o setor e o ecossistema. Muitos alunos e estagiários do projeto SC Games atuam diretamente na área”, explica.

Em todas as quatro cidades contempladas, a maratona também se torna um ponto de convergência entre participantes e os players que incentivam o aprimoramento e formação neste segmento. “É fundamental que as crianças e os adolescentes apropriem-se dos jogos como ferramentas de aprendizagem, tanto pelas técnicas aliadas a produção de jogos quanto pelo engajamento gerado em atividades lúdicas e que facilitam o entendimento e consolidação dos conteúdos pedagógicos”, acredita Marlon Souza, head de Economia Criativa e Game da Blusoft e um dos idealizadores do movimento SC Criativa em Blumenau.

SC Criativa Weekend: como vai funcionar o Game Jam?

Em Blumenau, Chapecó, Criciúma e Palhoça, a SC Criativa Weekend terá 20 horas de duração, com intervalos. Competidores de 9 a 15 anos, com ou sem conhecimento prévio na área, deverão criar um jogo inédito de acordo com a temática proposta em cada cidade.

Todas as equipes vão contar com o auxílio de mentores especializados para auxiliar no processo de criação, com metodologia baseada em uma maratona de desenvolvimento de games. Os competidores serão distribuídos em cinco equipes com cinco pessoas cada uma e utilizarão uma plataforma introdutória para desenvolvimento de games para trabalharem de maneira dinâmica e lúdica. A premiação é um tablet para todos os integrantes da equipe vencedora do desafio.

Serviço
O quê: SC Criativa Weekend
Quando: 23 a 25 de agosto de 2019
Onde: faculdades Senac em Blumenau, Palhoça, Criciúma e Chapecó
Quanto: Gratuito, mediante inscrição
Informações e inscrições: http://www.sc.senac.br/criativaweekend/

 

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

 

 Foto: Elisabety Borghelotti/GVG

A vice-governadora Daniela Reinehr participou da abertura do Seminário Estadual de Vereadores 2019, realizada nesta quarta-feira, 21, no Centro de Eventos Maria Thaler Moser, em Treze Tílias. O evento que segue até o dia 23, é promovido pela União dos Vereadores de Santa Catarina (UVESC) e reúne cerca de 200 parlamentares. O encontro tem como objetivo aprimorar os serviços prestados pelas câmaras municipais. 

“Eu fico muito satisfeita em cada um dos eventos que reúnem pessoas determinadas em buscar aperfeiçoamento, bem como trocar experiências a fim de encontrar melhorias, soluções e respostas para todos os cidadãos catarinenses.  É assim que eu considero o papel do Seminário Estadual de Vereadores”, declarou Daniela.

A UVESC realiza seminários anuais com vereadores e servidores dos órgãos legislativos nos municípios catarinenses. No decorrer dos próximos três dias, os participantes receberão capacitações técnicas e compartilharão conhecimentos de diversos âmbitos com a finalidade de corrigir e melhorar as atividades desenvolvidas nas regiões. 

“Os vereadores exercem um papel muito importante de estar próximo do cidadão. O Governo do Estado é parceiro dos municípios, afinal, ninguém melhor do que quem vive nos locais para perceber o que a população de fato precisa”, ressaltou a vice-governadora.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria do Gabinete da Vice-Governadora
Elisabety Borghelotti
Fone: (48) 3665-2281 | (48) 98843-5460
E-mail: comunicacao@gvg.sc.gov.br

 Foto: Ricardo Woffenbuttel/Secom

Seguindo orientação do Ministério da Saúde (MS), o Estado de Santa Catarina vai começar a aplicar nesta quinta-feira, 22, a chamada “dose zero” da vacina tríplice viral – que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola – em todas as crianças com idade entre 6 e 11 meses de idade. A aplicação desta dose extra, segundo o Ministério da Saúde, é uma medida preventiva para proteger os bebês desta faixa etária, já que eles estão mais suscetíveis a casos graves da doença e ao óbito.

A gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC), da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina Lia Quaresma Coimbra esclarece que a “dose zero” não substitui as doses da vacina já previstas no calendário nacional de vacinação. “Isso quer dizer que, além da dose zero, as crianças vão continuar tendo que tomar as doses de rotina: aos 12 meses, com a vacina tríplice viral, e aos e aos 15 meses, com a vacina tetraviral”, esclarece a gerente.

A vacina é a única forma de prevenção contra o sarampo. Além das crianças, jovens e adultos também precisam tomar a vacina contra a doença. Quem não tomou as duas doses da vacina, não lembra ou perdeu a carteirinha de vacinação precisa regularizar a situação vacinal de acordo com a faixa etária. Pessoas entre 1 e 29 anos devem tomar duas doses com um intervalo mínimo de 30 dias entre elas e pessoas com idade entre 30 e 49 anos, devem tomar apenas 1 dose.

As vacinas que previnem o sarampo são: a Tríplice viral (protege contra o sarampo, caxumba e rubéola) e a Tetra viral (protege contra o sarampo, caxumba, rubéola e catapora). Elas são seguras, gratuitas e estão disponíveis nas mais de 1.000 salas de vacinação dos postos de saúde dos 295 municípios catarinenses.

Sarampo em Santa Catarina
Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela DIVE/SC na última segunda-feira (19), o estado tem 15 casos importados confirmados de sarampo e outros 5 em investigação. Entre os 15 casos importados confirmados, 3 foram em tripulantes de um navio que atracou no litoral catarinense em fevereiro de 2019. Outros 12 estão distribuídos nos municípios de Florianópolis (10), Guaramirim (1) e Barra Velha (1).

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbitos, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. O vírus se espalha facilmente pelo ar através da respiração, tosse ou espirros. Uma pessoa com sarampo pode transmitir a doença para uma média de 12 a 18 pessoas que nunca foram expostas ao vírus anteriormente ou que não tenham se vacinado.

Os principais sintomas do sarampo são: febre, tosse, coriza, aparecimento de manchas vermelhas no corpo e olhos avermelhados. Apresentando sinais e sintomas do sarampo, o serviço de saúde deve ser procurado imediatamente para que seja feito o diagnóstico e tratamento da doença. 

Informações adicionais para imprensa:
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
Assessoria de Imprensa
Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
Instagram: @divesantacatarina Facebook: Dive Santa Catarina
Fone: (48) 3664-7406/(48) 3664-7402/(48) 3664-7385
Site: www.dive.sc.gov.br

 

A coleta do perfil genético de um homem preso por assalto a banco em São Paulo permitiu identificá-lo como o autor de pelo menos dois outros arrombamentos a caixas eletrônicos ocorridos em Santa Catarina e no Paraná. Isso foi possível por meio do cruzamento de informações da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG). A perícia havia colhido material biológico nos crimes de SC e PR, mas a identidade do criminoso foi revelada quando ele foi preso em SP, realizado o perfil genético e os dados cruzados no banco.

O caso ilustra a importância da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos, base de dados com o DNA de autores de crimes hediondos ou coletados na cena de crimes, em 19 estados e do Distrito Federal. O trabalho começou a ser realizado em Santa Catarina em 2010, mas está sendo ampliado por meio de uma parceria entre o Departamento de Administração Prisional (Deap), da SAP, do Instituto Geral de Perícia (IGP) e da Secretaria de Segurança Pública (SSP). A Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG) é uma das prioridades do Ministério da Justiça e Segurança Pública, pois é uma importante ferramenta para auxiliar na apuração criminal e no processo de investigação.

De acordo com o agente penitenciário e coordenador do projeto de implantação do banco no âmbito do sistema prisional, Gabriel da Silveira, em todo o estado aproximadamente 500 apenados de diversas unidades, condenados por crimes hediondos, já tiveram seu perfil genético identificado e inserido no banco. “A meta é fechar o ano com 1.100 perfis cadastrados até o final de 2019.”

Santa Catarina amplia coleta de material para Banco de Perfis Genéticos

Para garantir a confiabilidade do material recolhido, os agentes penitenciários foram treinados pelos peritos do IGP. Durante o procedimento, os internos são conduzidos a uma sala, onde é feita a identificação por meio digital e coletada a saliva. O material é colocado em invólucro lacrado e levado pelos peritos para o IGP onde, após análise, passa a compor o banco de dados.

O perito criminal do IGP Odilon de Souza Junior assegura que o material genético dá 100% de certeza na identificação da autoria. “Crimes que não foram elucidados mesmo tendo material genético colhido na cena agora podem indicar o autor por meio do cruzamento das informações”, observa o perito. Ele lembra que o DNA pode imputar a responsabilidade de um crime a uma pessoa, mas também é decisivo para provar a inocência de um suspeito.

A coleta de material biológico de suspeitos para fins de cadastro no Banco é prevista quando há decisão judicial. Porém, desde 2012, a Lei de Identificação Criminal possibilita a identificação criminal genética, em casos concretos, a critério da autoridade judiciária. A legislação prevê também que os condenados por crime doloso, com violência de natureza grave contra pessoa, ou por crime hediondo, serão submetidos, obrigatoriamente, à identificação do perfil genético, mediante extração de DNA. 

Informações adicionais para imprensa:
Jacqueline Iensen e Karem Fabiani
E-mail: jacqueline.iensen@gmail.com e imprensa@igp.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3045 / 99147-6761 e (48) 3665-8498
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O Poder Judiciário não deve interferir no resultado de exame psicotécnico realizado por banca examinadora de concurso público, a menos que seja constatada alguma ilegalidade na condução do teste. Esse foi o entendimento do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) que atendeu recurso da Procuradoria Geral do Estado (PGE) em ação de candidato ao cargo de soldado da Polícia Militar reprovado no exame psicotécnico do concurso de 2015. A decisão do TJSC foi publicada na última sexta-feira, 16.

Após a reprovação, o candidato ingressou com ação questionando o resultado da avaliação psicológica. O juiz mandou realizar nova perícia e, em 2016, julgou o caso a favor do candidato para afastar a reprovação no exame e determinar a manutenção no concurso da PM. No entanto, a PGE recorreu da decisão, argumentando que a intervenção do Poder Judiciário em concursos públicos está limitada ao exame da legalidade, sendo vedada qualquer outra interferência, em especial no julgamento dos critérios de avaliação ou, de forma direta ou indireta, substituição da própria banca examinadora ao determinar a realização de novo teste.

Para o Estado, não houve qualquer demonstração de que a banca examinadora tenha descumprido as regras do edital ou a legislação durante a aplicação do exame psicotécnico. A PGE observou ainda que é preciso garantir o tratamento igualitário entre todos os candidatos que participam do concurso, não podendo a Justiça substituir a banca examinadora para avaliar apenas um interessado. “Permitir que um único candidato tenha uma segunda chance e, mediante perícia judicial, ser novamente avaliado, fere o princípio da isonomia”, destacou.

Na decisão do recurso, o desembargador Artur Jenichen Filho destacou que tanto o Supremo Tribunal Federal (STF) quanto o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já decidiram que o Poder Judiciário não deve interferir nos critérios adotados por banca examinadora e que a realização de exame psicotécnico em concursos públicos é legítima desde que haja previsão legal, cientificidade e objetividade dos critérios adotados, além da possibilidade de revisão do resultado obtido pelo candidato.

“No caso concreto, entendo que os três requisitos mencionados estão presentes. A lei que fundamenta a possibilidade de realização do exame psicotécnico é a Lei Complementar Estadual n. 587/2013, a qual apresenta como requisito para ingressar na carreira militar estadual ‘ser considerado apto no exame de avaliação psicológica’. [...] Entendo também que há cientificidade e objetividade nos critérios apresentados. [...] A possibilidade de revisão do resultado estava prevista no item 10.14 e seguintes do edital, pelo qual se possibilitava a apresentação de recurso”, avaliou o desembargador.

Para Jenichen Filho, embora a perícia realizada durante o processo judicial tenha considerado o candidato apto ao exercício do cargo, o novo exame foi realizado somente um ano depois, não se podendo permitir que a perícia judicial substitua o exame psicotécnico da banca. Além disso, a própria perícia judicial não aponta “quaisquer vícios, erros ou algum equívoco naquela avaliação realizada pela banca, quanto ao exame das condições de adequação psicossociais, segundo a metodologia e critérios previamente estabelecidos”.

O entendimento do desembargador foi acompanhado por unanimidade pelos demais membros da Quinta Câmara de Direito Público do TJSC, Hélio do Valle Pereira e Vilson Fontana. Atuaram no processo os procuradores do Estado, Osmar José Nora, Paulo Roney Ávila Fagúndez e Gian Marco Nercolini.

Processo 0302298-98.2015.8.24.0040

Informações adicionais:
Maiara Gonçalves
Assessoria de Comunicação
Procuradoria Geral do Estado - PGE
comunicacao@pge.sc.gov.br 
(48) 3664-7650 / 99131-5941 / 98843-2430
Site: www.pge.sc.gov.br 

Página 1 de 535

Conecte-se