Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Hospital Celso Ramos completa 52 anos com ampliação de serviços e investimentos

Hospital Celso Ramos completa 52 anos com ampliação de serviços e investimentos

Uma das unidades hospitalares mais importantes de Santa Catarina está comemorando 52 anos de funcionamento em meio a um processo de ampliação dos atendimentos, com a oferta de novos serviços. O Hospital Governador Celso Ramos (HGCR) celebra aniversário nesta quinta-feira, 08, após receber investimentos de mais de R$ 1 milhão.

Oportunidades

Próximos eventos



Os maiores destaques do turismo catarinense são premiados anualmente com o Título Beto Carrero de Excelência no Turismo. Criada em 2008, a premiação deste ano sofreu alterações, como a inclusão de uma nova categoria, ampliando para quatro o número de homenageados. Serão premiados: uma personalidade; um município; um empreendimento e um evento de destaque no turismo catarinense. 

Além disso, a forma de votação foi alterada, buscando democratizar e descentralizar o processo de escolha dos homenageados, possibilitando a participação de todas as instâncias do turismo de Santa Catarina.

A finalidade do título é homenagear e reconhecer as pessoas e instituições que tenham contribuído de forma relevante para a divulgação e o desenvolvimento da atividade turística catarinense. De acordo com o Secretário de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), Tufi Michereff Neto, a alteração do prêmio, regulamentada pelo decreto nº 1.769/2018, permitiu a descentralização do processo, ao “oportunizar a efetiva integração das 12 Instâncias de Governança Regionais (IGRs) de Santa Catarina”, afirma.

O processo de seleção dos candidatos ao prêmio conta com as seguintes etapas: indicação pelas IGRs dos candidatos da respectiva região turística em cada categoria; escolha, pelo Conselho Estadual de Turismo (CET), de um indicado por categoria, por região turística, dentre os indicados pelas IGRs; e, finalmente, eleição, mediante voto popular, dos vencedores das quatro categorias, dentre os escolhidos pelo CET.

Como participar

O CET escolheu, dentre os indicados pelas IGRs, por maioria dos votos dos membros, um candidato de cada categoria para cada uma das 12 regiões turísticas. A escolha dos candidatos se deu por votação secreta em um formulário online. A lista dos 12 candidatos de cada categoria escolhidos pelos membros do CET estará disponível no site da Santa Catarina Turismo (SANTUR) para votação popular (www.turismo.sc.gov.br). O processo ficará aberto até dia 03 de dezembro.

O candidato mais votado em cada categoria será agraciado com o Título Beto Carrero de Excelência no Turismo. Serão conferidas menções honrosas ao segundo e terceiro candidatos mais votados. Todos serão conhecidos em uma cerimônia para convidados que será realizada no dia 04 de dezembro, no Beto Carrero World, em Penha. 

Foto: Jeferson Baldo/Secom

O governador eleito Carlos Moisés da Silva e a vice-governadora Daniela Reinehr estiveram reunidos, nesta segunda-feira, 12, com representantes de órgãos de controle. O primeiro encontro foi com o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Luiz Eduardo Cherem, e conselheiros do órgão. Na reunião, Moisés afirmou que o TCE será um parceiro de seu governo para aconselhar e melhor gerir os recursos públicos, sobretudo na área preventiva.

“O Tribunal é parceiro e possui um corpo técnico que poderá nos auxiliar principalmente atuando na área preventiva, fazendo a lição de casa, que é enxugar a máquina, gastar menos e aplicar melhor os recursos públicos. Vamos encontrar soluções junto ao TCE, que já tem estudos e levantamentos para otimizar os gastos”, comentou o governador eleito.

Para o presidente do TCE, as duas instituições precisam caminhar juntas para o bem dos catarinenses. “O Tribunal fiscaliza com rigor as contas públicas, mas a prevenção é fundamental. Se trabalharmos em conjunto, teremos um avanço significativo. Não tenho dúvidas de que, no que couber no papel do TCE, ele o fará em função de melhor atender todo o povo catarinense. Colocamo-nos à disposição do governo eleito, para que, se necessário, usar do Tribunal para terem suas necessidades contábeis financeiras melhor aprovadas”, assegurou Cherem.

Estudos do TCE auxiliam próximo governo

Durante o encontro, os conselheiros salientaram que Santa Catarina é um estado privilegiado quando comparado aos demais da federação, mas que ainda tem problemas que precisam ser ajustados. O presidente da Casa colocou à disposição, também, estudos, balanços orçamentários e auditorias operacionais para colaborar com o próximo governador.

“Temos um bom material, orientativo e pedagógico, para que o próximo governo possa trabalhar, e Santa Catarina possa alcançar novos objetivos”, salientou o conselheiro César Filomeno Fontes.

Segundo a conselheira substituta, Sabrina Iocken, a parceria entre o Executivo e o Tribunal de Contas é o caminho para uma nova e melhor gestão:

“Eu acredito que nós temos expertise, corpo técnico multidisciplinar e caminhos possíveis que estão sendo trabalhos em conjunto, como um guia prático de avaliação de políticas públicas. Como nós podemos prevenir e antecipar possíveis problemas. Como trazer um pouco mais competência no sentido de qualificação para elaboração das políticas públicas. Existem outros caminhos, mas existem caminhos possíveis que podemos trabalhar em parceria com o poder executivo”.

Ao final do encontro, o governador eleito ponderou que há um grande desafio e que o Estado precisa ser gerido sob uma ótica de transparência e com responsabilidade.

“O sentimento de toda equipe é este. Vamos encontrar soluções fazendo uma revisão geral, revendo contratos e fazendo cortes necessários. Não há outra solução”, garantiu.

Visita ao Ministério Público de Contas

No fim da tarde, Moisés e Daniela foram ao Ministério Público de Contas (MPC), onde se reuniram com a procuradora-geral Cibelly Farias e outros dois procuradores. A visita de cortesia foi a primeira de um governador eleito ao órgão.

No encontro, os procuradores elencaram questões consideradas prioritárias do ponto de vista financeiro para o Estado e se colocaram à disposição para auxiliar, de forma republicana, no que for possível nos próximos quatro anos.

“Nós pudemos discutir assuntos relevantes para Santa Catarina. Tratamos dos principais problemas que nós temos identificado. Foi uma conversa muito interessante, e o governador se mostrou muito aberto às sugestões que nós apresentamos”, disse a procuradora-geral.

Foto: Antonio Prado/Fesporte

Começa nesta sexta-feira, 9, em Itá, a etapa Oeste do Festival Escolar Dança Catarina. Estarão no município cerca de 350 alunos bailarinos de 24 escolas de 18 municípios catarinenses que disputarão até este sábado, dia 10, medalhas nas categorias dança livre (mirim, infantil e juvenil), danças populares, dança folclórica infantil, dança de salão infantil e juvenil (que engloba danças contemporâneas, jazz, moderna, urbana, entre outras).
 
As apresentações ocorrerão no Ginásio Municipal Hermes Pierozan, com a cerimônia de abertura às 18h30 desta sexta-feira.  Fazem parte da regional escolas que congregam as Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) de São Miguel do Oeste, Dionísio Cerqueira, Itapiranga, Palmitos, Maravilha, São Lourenço do Oeste, Quilombo, Xanxerê, Chapecó e Seara. 
 
Neste sábado, a partir das 10 horas, a organização do Dança Catarina oferece gratuitamente aos educadores da região cursos de dança ministrados pelos jurados do festival. As aulas ocorrerão Ginásio Municipal Hermes Pierozan.
A manhã desta sexta-feira foi reservada para a montagem do palco, ajustes na iluminação e som e no período da tarde houve a passagem de palco pelos participantes. 
 
O Festival Escolar Dança Catarina é uma promoção do Governo Estadual por meio da Fesporte, com apoio das ADRs.  A etapa Oeste tem a parceria da prefeitura de Itá.
 
Itá sedia o segundo evento da etapa regional do festival. O primeiro foi a etapa Leste-Norte realizado nos dias 20 e 21 de outubro em Gaspar. A terceira regional será a Sul em Balneário Camboriú, entre os dias 16 e 17 de novembro, com as disputas entre as escolas das ADRs da Grande Florianópolis, Brusque, Itajaí, Laguna, Tubarão, Criciúma, Braço do Norte e Araranguá.
 
E por fim a quarta e última regional, a Centro-Oeste,  que será realizada entre os dias 23 e 24 de novembro, em Caçador, envolvendo as escolas das ADRs de Lages, São Joaquim, Campos Novos, Curitibanos, caçador, Joaçaba, Videira, Mafra, Canoinhas e Concórdia.
 
Participam da etapa regional as escolas campeãs e vices da fase microrregional de sua região. Em 2018 foram realizadas 20 etapas classificatórias microrregionais com início dia 31 de agosto com a microrregional de Laguna. 


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Não é uma questão de gênero, não é saber quem é o mais forte, quem é o mais frágil. Homens e mulheres precisam cuidar da saúde, mas novembro é o mês dedicado a tratar com mais ênfase da do sexo masculino. Desde 2008, a campanha “Novembro Azul”, instituída pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, alerta para a prevenção. Inicialmente voltada à temática do câncer de próstata, agora, além dela, o movimento vem quebrando paradigmas para aproximar os homens dos serviços de saúde, especialmente os de atenção básica para prevenir todo o tipo de problema em qualquer fase da vida.

Em Santa Catarina, a secretaria de Estado da Saúde (SES) ampliou as ações voltadas à saúde do homem durante o Novembro Azul. Com o slogan definido para a campanha “Homem, da infância à velhice, cuide de sua saúde, de novembro a novembro”, a SES trabalha dentro do que determinam os cinco eixos da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), do Ministério da Saúde. Ampliar o número de cirurgias eletivas, especialmente as urológicas, também é uma das ações do Novembro Azul em Santa Catarina, segundo a superintendente de Planejamento e Gestão do SUS Grace Ella Berenhauser.

De acordo com Berenhauser, o foco é na qualidade do atendimento na Atenção Básica. “É importante que homem procure a unidade para cuidar da saúde em qualquer suspeita de uma doença mais grave. Além do câncer, existem outras doenças que matam ainda mais homens e que poderiam ser evitadas”, alerta.

Pelos levantamentos da PNAISH, é possível conhecer dados epidemiológicos de morbimortalidade (tipo de doença e a estatística de morte sobre uma população), causas externas, discutir meios de acesso e acolhimento, compreender os determinantes sociais e os aspectos culturais relacionados às masculinidades. Com essas informações, o desafio foi estabelecer melhores estratégias para acolher, prevenir e tratar doenças que afetam os homens.

Números em Santa Catarina

Segundo o IBGE, em 2018, a população do sexo masculino em Santa Catarina representa 49,6%. No Brasil, o percentual é de 48,9%. Deste total, 9,4 % têm 65 anos ou mais; 19,4% têm até 14 anos; 71,1% têm entre 15 e 64 anos.

De acordo com dados de 2017, a expectativa média de vida dos homens de Santa Catarina atinge os 75,8 anos. Estudos apontam que o homem vive em média sete anos a menos que a mulher. A cada três mortes de adulto, duas são de homens.

Causas de morte entre homens de todas as idades em SC

Relatórios da secretaria de Estado da Saúde, com base no Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, apontam que as doenças do aparelho circulatório são as que mais matam homens, de todas as idades, em Santa Catarina. Em segundo aparecem as neoplasias e, em terceiro, causas externas (acidentes). 

Os acidentes, no entanto, representam a maior causa das mortes de homens adultos entre os 20 e 59 anos de idade. Estão incluídos acidentes de trânsito, acidentes de trabalho e lesões por violência. O segundo motivo de morte nesta faixa etária são as doenças do aparelho circulatório, seguida das neoplasias. 

Em 2017 foram registradas em Santa Catarina 22.685 mortes de homens entre todas as idades. Do total, das três causas mais comuns, 5.704 foram causadas por doenças circulatórias; 4.833 provocadas por tumores e 3.666 causadas por acidentes. Entre as neoplasias, o câncer que mais mata do gênero masculino, no estado, é o que envolve órgãos do sistema respiratório (891 mortes em 2016), seguido pelo de próstata (462 mortes em 2016) e de estômago (392 mortes em 2016). 

Com base nas estatísticas e para implementar a política de saúde do homem em Santa Catarina, a SES desenvolve ações em cinco eixos:

Acesso e Acolhimento

Trabalhar a prevenção. O objetivo é sensibilizar os trabalhadores da saúde e os homens quanto à necessidade de buscarem os serviços de atenção básica, ser atendidos com qualidade, evitando que uma doença torne-se crônica e precise de atendimento especializado. Este eixo considera as peculiaridades sociais, econômicas e culturais da população masculina e norteia-se para a formulação de estratégias que incentivem a realização dos exames preventivos.

A temática também envolve adoção de estilos e hábitos de vida saudáveis. Para promover a saúde, as ações serão voltadas à educação e em práticas que propiciem mudanças na ambiência física dos serviços, no comportamento, nos trabalhadores, na comunidade e nos usuários.

Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva (SSSR)

Tem como objetivo abordar as questões sobre a sexualidade masculina, nos campos psicológico, biológico e social, bem como respeitar o direito e a vontade do indivíduo de ter filhos – ou não.

Diz respeito ao direito da saúde sexual e saúde reprodutiva, sua relação com os conceitos ditados pela sociedade, os princípios morais e crenças dos usuários, bem como suas demandas no campo de práticas sexuais e reprodutivas.

O direito de expressar sua orientação sexual e sua vontade individual de planejar a constituição, ou não, da sua família ou entidade familiar deve também ser levado em consideração, assim como a vulnerabilidade da saúde sexual masculina a doenças e agravos, tanto no campo biológico quanto no psíquico.

Paternidade e Cuidado

Envolver ativamente o homem em todo o processo de planejamento reprodutivo, gestação, parto, puerpério e desenvolvimento infantil é a meta, proporcionando oportunidades para criação de vínculos mais fortes e saudáveis entre pai, mãe e filhos.

Para a PNAISH, a questão da paternidade é considerada uma “porta de entrada positiva” para os serviços de saúde, além do bem-estar que pode gerar para toda a família, a paternidade pode integrar os homens na lógica dos sistemas de saúde ofertados e na realização de exames de rotina, como HIV, sífilis, hepatites, hipertensão e diabetes, dentre outros.

Prevenção de Violências e Acidentes

Tem por objetivo orientar ações voltadas para a redução da morbimortalidade da população masculina por causas externas como: acidentes por transporte, acidentes de trabalho, violência urbana, violência doméstica e familiar, e suicídio. Com exceção da violência sexual e das violências que ocorrem no âmbito doméstico e familiar, segundo os dados do Ministério da Saúde, os homens, especialmente os jovens negros de camadas empobrecidas, são mais vulneráveis à violência.

Doenças prevalentes na população masculina

O tema se refere à prevenção e promoção da saúde ao segmento masculino por meio de ações educativas, organização dos serviços e capacitação dos trabalhadores da saúde, além da formulação de políticas para a prevenção e controle das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) e de outras enfermidades.

No Brasil, as DCNT correspondem a um grande percentual das causas de mortes, atingindo as camadas mais pobres e os grupos mais vulneráveis. Como determinantes sociais destas doenças, são apontadas as desigualdades sociais, diferenças relacionadas ao acesso dos bens e serviços, baixa escolaridade, desigualdades no acesso à informação, além de fatores de risco modificáveis, como tabagismo, consumo de bebida alcoólica, inatividade física e alimentação inadequada.

A PNAISH tem buscado elaborar e executar um amplo projeto que fortaleça e dissemine preceitos e diretrizes, evidenciando os fatores de risco e proteção e a influência das questões de gênero no adoecimento de homens por doenças crônicas. A política leva em conta questões do próprio comportamento masculino. Estratégias que ajudam as mulheres também podem se transformar numa oportunidade de levar os homens à prevenção de uma série de problemas.

Pré-natal do parceiro

Tradicionalmente um exame realizado por mulheres durante a gestação, o pré-natal é fundamental para o acompanhamento da saúde da mãe e do bebê. Durante o período onde as consultas são frequentes, o profissional consegue verificar de forma geral o quadro de saúde da paciente, diagnosticar precocemente e até mesmo tratar problemas que ameacem mãe e filho, ainda na fase gestacional.

Essa relação de cuidado e acompanhamento da saúde foi o que motivou estender o pré-natal aos parceiros e futuros pais. A coordenadora da Saúde do Homem, da secretaria de Estado da Saúde, Sandra Barreto, diz que “a estratégia é a porta de entrada para os homens iniciarem uma rotina de cuidados com a saúde e o bem-estar”. Por meio do pré-natal, é possível solicitar aos parceiros os mesmos exames que a mulher realiza durante a gravidez.

Entre os procedimentos mais importantes estão o controle da pressão arterial, dos níveis de açúcar e gordura no sangue e os exames que detectam, por exemplo, doenças sexualmente transmissíveis que podem ser passadas também ao feto. O pré-natal do parceiro já pode ser realizado em todas as unidades de saúde do estado. 

Por que Novembro Azul?

Inspirado pelo “Movember” - movimento internacional dedicado à conscientização e arrecadação de fundos na luta contra o Câncer - a campanha se concentrou no mês de novembro porque no dia 19 comemora-se o Dia Internacional do Homem e, por isso, passou a se chamar “Novembro Azul”. Desde então, diversas ações e atividades relacionadas ao tema são desenvolvidos anualmente no Brasil e em Santa Catarina.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Maurício Vieira/Secom

O secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, reafirmou na tarde desta quinta-feira, 8, o pagamento da segunda parcela do 13º salário para 17 de dezembro. Serão aproximadamente 147 mil pessoas, entre ativos, inativos, civis, militares, além de empresas, autarquias e fundações, como a Epagri e Cidasc, beneficiados. Ao todo, o pagamento soma R$ 415 milhões. Para o secretário, o compromisso com o salário do servidor e o 13º é prioridade, pois reflete diretamente na qualidade dos serviços prestados aos catarinenses.

Paulo Eli ainda destacou que diante da recessão vivida no Brasil, Santa Catarina segue cumprindo rigorosamente o calendário de pagamento aos servidores. “Desde que o governador Eduardo Pinho Moreira assumiu o governo, fez questão de uma gestão transparente informando mês a mês a população sobre a situação financeira. Temos boas perspectivas de melhora na nossa arrecadação, pois estamos saindo do período de recessão. Contando ainda com a redução da máquina pública e reduzindo gastos, nosso estado consegue manter em dias a folha de pagamento”, destacou o secretário.

As folhas dos servidores também seguem o cronograma, com o pagamento agendado para o dia 30 de novembro e 28 de dezembro.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 9929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 98843-8553
Site: www.sef.sc.gov.br 
 

Página 1 de 323