Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Campanha Compre de SC

Campanha Compre de SC

O Governo do Estado lançou a campanha Compre de SC para incentivar o consumo de produtos produzidos em Santa Catarina. Além de estimular a produção interna e muitas vezes de pequenos produtores, a campanha faz a economia girar, gerando renda e emprego.

Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: James Tavares/Secom

 A área da Segurança Pública também foi contemplada com melhorias durante a passagem do governador Eduardo Pinho Moreira pelo Sul do Estado na tarde desta sexta-feira. Isso porque chegou ao fim uma longa espera dos policias civis de Criciúma. Após anos de imbróglio jurídico, foram inaugurados no fim do dia os novos espaços da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) e da Central de Plantão Policial (CPP).

O investimento estadual foi de aproximadamente R$ 650 mil para pintura, aberturas, colocação de divisórias e construção de celas para as prisões provisórias. Houve uma contrapartida do Fórum da Comarca de Criciúma, com R$ 47 mil para a aquisição da mobília.

Prioridade

O governador reforçou que a Segurança Pública, ao lado da Saúde, é uma área prioritária na sua administração e que os espaços no bairro Comerciário trazem até mesmo uma melhora na autoestima dos agentes da Polícia Civil.

“ O espaço vai tornar as instalações mais adequadas para servir a população. Essa DPCAMI é um avanço. Atende pessoas mais frágeis. Por isso é um investimento tão importante”, disse o governador.

O delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Guizoni, também salientou que o fato de a CPP e a DPCAMI estarem no mesmo terreno também evitará deslocamentos, especialmente por parte da Polícia Militar, que poderá utilizar esse tempo para atender outras ocorrências, em benefício da população de Criciúma.

 


>>> mais fotos na galeria

Informações adicionais para a imprensa
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Divulgação / SED

A secretária de Estado da Educação, Simone Schramm, autorizou investimento de R$ 503 mil em nove escolas da região Norte do Estado. Os serviços serão realizados entre três e cinco meses. As ordens de execução foram ntregues nesta sexta-feira, 22. A solenidade ocorreu na Escola de Educação Básica Marli Maria de Souza, no Bairro Paranaguamirim, em Joinville.

“Quem se dedica à educação sabe da importância de fortalecer as escolas, com investimentos, tecnologia, condicionadores de ar e uma melhor estrutura para proporcionar ao jovem o aprendizado com mais qualidade”, destacou Simone, e complementou: “É sabido que os recursos estão escassos, então o dinheiro público precisa ser fiscalizado pela comunidade e as empresas vencedoras dessas licitações devem fazer o melhor na prestação do serviço”, destacou.

Seis escolas com mais de 40 anos serão contempladas com nova rede elétrica e aumento na sua capacidade de energia, bem como, melhorias no padrão de entrada. Outras serão beneficiadas com melhorias em seus projetos arquitetônicos e questões de segurança no aspecto de proteção contra incêndio. A Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville vai lançar no segundo semestre serão lançadas novas licitações para dedetização, limpeza de reservatórios de água e manutenção.

ESCOLAS ATENDIDAS:

EEB Marli Maria de Souza, de Joinville, padrão de energia;

EEB Annes Gualberto, de Joinville, padrão de energia;

EEB Olavo Bilac, de Joinville, padrão de energia;

EEB Léa Maria Lepper, padrão de energia;

EEB Carmem Seara Leite, em Garuva, padrão de energia e projeto de proteção contra incêndio;

EEB Jorge Lacerda, em Joinville, padrão de energia e projeto arquitetônico;

EEB Jandira D’Ávila, em Joinville, projeto arquitetônico;

EEB Santa Catarina, em São Francisco do Sul, projeto arquitetônico.

EEB Almirante Boiteux, em Araquari, projeto de proteção contra incêndio.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Keller
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville
E-mail: anakeller@jve.adr.sc.gov.br / imprensa@jve.adr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3461-1225 / 99240-8064
Site: sc.gov.br/regionais/joinville


Fábrica de Celulose em Irani - Foto arquivo / Secom

Nos extensos campos da Serra Catarinense, a natureza encontrou o espaço ideal para espalhar araucárias, símbolo da paisagem típica e de um ciclo econômico que transformou a região em um polo de desenvolvimento e geração de renda, na década de 1950. A exploração, até então, extrativista, foi esgotando matéria-prima e espaço no mercado, dando lugar, entre outras alternativas econômicas, ao reflorestamento e à atividade industrial de transformação da madeira.

Responsável por movimentar R$ 6,5 bilhões de Valor Bruto da Produção Industrial (VBPI) de Santa Catarina, o setor de Celulose e Papel é uma das vocações econômicas mais importantes da Serra Catarinense. Em Santa Catarina é o 8º em exportações e o 10º em geração de empregos, com mais de 20,2 mil vagas, segundo dados de 2015, divulgados pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc).

Os municípios de Lages e Otacílio Costa juntos representam cerca de 47% das exportações do setor de Celulose e Papel, com destaque para as vendas dos produtos de papel kraft, não revestidos e recipientes de papel. Resultado das relações comerciais, especialmente com a Argentina, Equador, México e Paraguai, em 2015, o município de Lages movimentou cerca de US$ 37 milhões e Otacílio Costa aproximadamente US$ 74 milhões.

Embora a grande maioria dos associados produzam o chamado papel Kraft, para caixas de papelão que são fornecidas diretamente aos fabricantes, um outro item produzido pelo setor é básico para os consumidores catarinenses: o papel higiênico. Diretores de parques industriais em polos do Celulose e Papel, como na cidade de Canoinhas, no Planalto Norte, acreditam que a campanha vai ajudar a fortalecer a marca em Santa Catarina.

Compre de SC traz novo estímulo ao setor ao estimular consumo interno

Estimular o consumo interno, por meio do movimento Compre de SC, traz um novo vigor para os negócios e estimula a criatividade. A secretária executiva do Sindicato das Indústrias de Celulose e Papel de Santa Catarina (Sinpesc), com sede em Lages, Neuza Moreira Franco, garante que a própria instituição vai compartilhar a ideia da campanha com clientes e associados. “A partir de agora, todas as nossas correspondências serão enviadas com o selo da campanha no rodapé. Vamos apoiar e fazer chegar ao maior número de pessoas, a essência dessa campanha”, explica.

Para Neuza, além da qualidade, da segurança já reconhecidas no setor produtivo catarinense, é uma questão de conscientização. "O consumidor precisa conhecer a origem e, principalmente o impacto social que está gerando ao dar preferência para um produto fabricado em Santa Catarina”, ressalta ao afirmar que este gesto contribui com a geração de empregos, estimula a economia local e aumenta a arrecadação de Impostos. “Isso volta pra gente depois, em mais qualidade de vida em nossos municípios e em nossas comunidades”, observa.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: Saul Oliveira / Secom

O comando-geral da Polícia Militar de Santa Catarina recebeu um visitante especial na tarde desta quinta-feira, 21. O embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, reuniu-se com o comandante-geral da corporação, coronel Araújo Gomes, e outras autoridades estaduais, entre elas o secretário de Estado da Agricultura, Airton Spies. Em cerca de duas horas, eles trocaram informações nas áreas de segurança pública, agropecuária, portos, turismo, energia e tecnologia da informação. 

Embaixador no Brasil desde 2017, Shelley se disse bem impressionado com a Capital catarinense. Ele afirmou que Florianópolis é uma cidade muito bonita e limpa, e que o encontro foi positivo para o intercâmbio de experiências, que podem render frutos tanto para Santa Catarina quanto para Israel.


Foto arquivo / Secom

Na tentativa de percorrer trajetos de forma mais dinâmica, conseguir romper com facilidade extensos congestionamentos, ou mesmo agilizar entregas com economia, a frota de motociclistas e mototaxistas tem crescido vertiginosamente em todo país. Santa Catarina acompanha essa tendência, somando mais de 800 mil motos registradas em 2017 de acordo com o Detran-SC.

Contando com o maior número de veículos por habitante do país, Santa Catarina tem em circulação 4,7 milhões de veículos, sendo 22,9% de motos e motonetas, segundo levantamento do Denatran em 2016. A cidade de Joinville ocupa a liderança do ranking, com 69 mil motocicletas, seguida por Florianópolis, com 54 mil, Blumenau, com 48 mil, e Itajaí, 43 mil. Levantamento do Detran-SC mostra que 25% da população catarinense tem habilitação para pilotar motos, um total de mais de 1,7 milhão de pessoas.

Campanha foca nos motociclistas

Esse expressivo volume de motociclistas no trânsito acaba repercutindo no índice de acidentes, onde os principais traumas atingem, em sua maioria, o piloto e o passageiro das motos. Dados da Secretaria de Estado da Saúde mostram que nos três primeiros meses de 2018 os dois principais hospitais públicos da Grande Florianópolis - Celso Ramos e o Regional de São José - atenderam 1.312 vítimas de acidentes de moto.

Esse volume representa quase a totalidade de acidentados de moto atendidos durante 2017 pelo Hospital Celso Ramos, que foi de 1.647 atendimentos. Já no Regional de São José, o volume de atendimentos ano passado foi ainda mais alarmante, totalizando 3.530 emergências envolvendo motociclistas, uma média de 294 por mês, ou quase 10 por dia.

Sensibilizado com esses dados alarmantes, o Governo de Santa Catarina escolheu os motociclistas como principais protagonistas da campanha de conscientização deste ano, “Mais Segurança no Trânsito”, lançada no dia 19 de junho.

Impacto econômico

Levantamentos do DPVAT (Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) referentes aos dois primeiros meses de 2018 mostram que já foram pagas indenizações a mais de 56 mil vítimas de acidentes. Desse total, 91% dos casos foram de motociclistas; 56% das indenizações foram pagas por acidentes fatais e 61% dos acidentes resultaram em sequelas permanentes. A faixa etária que mais registra vítimas é a dos 25 aos 34 anos, concentrando 27% das vítimas.

A morte, além de provocar danos psicológicos incalculáveis às famílias envolvidas, ainda afeta toda a sociedade ao reduzir a força de trabalho e de criatividade, em idades de alto potencial intelectual. Estudos do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) estimam que cada acidente fatal representa para a sociedade uma perda superior a R$ 600 mil.

Entre os anos de 2008 a 2014, foram registrados 3.943 óbitos por acidentes moto-ciclísticos em Santa Catarina, segundo o DATASUS. Apuração do Ministério da Saúde apontou que 52% dos gastos do SUS com internações são decorrentes de acidentes de trânsito envolvendo motociclistas.

Os acidentes de trânsito matam cerca de 45 mil pessoas por ano no Brasil e deixam mais de 300 mil com lesões graves. Pesquisa do IPEA calculou que os acidentes em rodovias custam à sociedade brasileira cerca de R$ 40 bilhões ao ano, enquanto os acidentes nas áreas urbanas alcançam R$10 bilhões. Impactam nestes custos a perda relativa à produção, seguido pelos custos hospitalares.

Os acidentes determinam uma série de prejuízos individuais para a sociedade como ocorrência de sequelas temporárias ou permanentes, invalidez, perda de dias de trabalho, altos custos para serviços de saúde e gastos com indenizações.

Problema de saúde pública

Estudo desenvolvido por acadêmicos do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) apurou que a dinâmica no trânsito para motociclistas em Santa Catarina é mais perigosa do que no restante do país, devido à taxa de mortalidade por acidentes e da gravidade dos mesmos.

O risco de morte em acidentes de moto geralmente se dá pela falta de proteção a que estão sujeitos tanto motorista como o passageiro. A morte geralmente decorre de trauma crânio encefálico ou trauma visceral em pacientes politraumatizados.

Cerca de 80% dos acidentes envolvendo motociclistas causam lesões. Entre as principais causas de seus agravamentos estão a não utilização do capacete, a ingestão de bebidas alcoólicas e o abuso da velocidade para cumprir prazos de entregas, por exemplos.

Perda irreparável

Para o estudante de engenharia elétrica da UFSC, Leonardo Guzi, 25 anos, a segurança sobre duas rodas sempre foi algo fortemente disseminado em sua família. Mas se tornou um fator ainda mais essencial após um trágico acidente em abril passado, que resultou na morte de seu pai, Girceu Angelo Guzi, aos 54 anos.

O agricultor do município de Videira trafegava em uma via de mão dupla, logo atrás de um veículo utilitário, e foi surpreendido por uma brusca conversão de pista do veículo da frente, que pretendia chegar à madeireira do outro lado da via. Girceu perdeu o capacete ao ser arremessado para o outro lado da pista, batendo com a cabeça no asfalto. “Existe um trevo logo à frente deste trecho, onde seria possível fazer a conversão com segurança”, lamenta Leonardo.

O jovem, que é filho único, ainda contava com apoio financeiro do pai, enquanto conclui a faculdade. Uma perda afetiva e financeira que compromete de forma irreparável a vida de todos os envolvidos.

Sugestão de personagem:

· Leonardo Guzi (48) 9 9123-5293

· Lúcio Botelho – pesquisador do Departamento de Saúde Pública da Ufsc (48) 3721-6359

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
Site: www.sc.gov.br

Página 1 de 346