Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Oportunidades

Próximos eventos


Imagem / Divulgação Udesc

Até 30 de setembro, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) receberá inscrições do Vestibular de Verão 2019 no site vestibular.udesc.br. São oferecidas 1.265 vagas em 47 cursos presenciais de graduação, todos gratuitos. Confira o Guia de Cursos Udesc.

A data final para pagar a taxa de inscrição, de R$ 110, será 1º de outubro. Veja o edital e o conteúdo das provas. Quem obteve isenção da taxa por critério socioeconômico (resultado) ou por doação de sangue e/ou medula (resultado) também precisará se inscrever. Além disso, será possível pedir atendimento por condição especial, nome social e convicção religiosa (sabatista) até 30 de setembro.


Foto: James Tavares/Secom

Setembro inicia com dias mais frios, possível formação de geada e temperaturas baixas, porém a previsão é que esse quadro mude, a partir da segunda quinzena de setembro, se mantendo por outubro e novembro com temperaturas acima do esperado.

Os próximos meses também podem trazer nevoeiros, associados a nebulosidade baixa, com redução de visibilidade. Atenção: durante a primavera, que inicia no dia 22 de setembro, é comum que, em áreas costeiras, o nevoeiro marítimo estenda-se por mais tempo, começando a noite e indo até parte da tarde do outro dia.

A previsão para as chuvas durante a primavera é na média, com distribuição irregular no trimestre e nas regiões do Estado. As regiões Oeste e Meio-Oeste recebem chuvas mais intensas.

Não esqueça: na primavera aumenta a incidência de temporais com granizo e ventania para Santa Catarina. E até outubro ciclones extratropicais próximos ao litoral sul continuam acontecendo com frequência, trazendo perigo às embarcações, com vento forte, mar agitado e ressaca.

E como fica esta semana?

A segunda-feira começou com chuva e tempo encoberto em todo o território e, principalmente no interior, o termômetro marca temperaturas baixas, especialmente no fim do dia. O sul e o litoral podem ter ventos de fraco a moderados, com rajadas mais intensas.

Para os outros dias o tempo passa a ser encoberto, com aberturas de sol ao longo do dia, exceto na quarta-feira que será firme e ensolarada. As temperaturas tendem a ficar mais baixas, até quinta-feira, 06.

Atenção para as regiões do Litoral e Vale do Itajaí que podem ter chuva fraca na madrugada desta terça, 04.

As regiões do Alto Vale, Florianópolis Serrana, Oeste e Planalto devem se preparar, na quarta-feira, 05, para temperaturas mais baixas na madrugada e no amanhecer de quarta-feira, com boas chances de geada.

Para o feriado, no dia 07, as temperaturas estarão em elevação. Todas as regiões terão o predomínio do sol e a região norte terá mais nuvens. O planalto sul tem chance de geada isolada na madrugada e o Litoral possíveis rajadas de vento.

Tendências climáticas entre os dias 08 e 17/09

Entre 08 e 17 de setembro a maior parte dos dias vai ter tempo seco, sem chuva significativa, com sol e temperaturas mais elevada. No fim deste período as temperaturas voltam a diminuir.

A chuva volta a aparecer, em torno do dia 14, quando uma nova frente fria passa pelo Estado.

 

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
Site: www.sc.gov.br


Foto: James Tavares/Secom

Polícia Civil

Disque-denúncia – Polícia Civil:
Telefone 180 – disque-denúncia exclusivo sobre violência contra a mulher, com ligação gratuita e disponível 24h.
Telefone 181 para denúncias em geral, com ligação gratuita, disponível 24h.

IGP Florianópolis
Foto: Divulgação IGP-SC

COMUNICADO OFICIAL – O Instituto Geral de Perícias (IGP) de Santa Catarina convoca os aprovados e já nomeados em concurso público de Auxiliar Criminalístico, conforme Edital 001/2014 para matrícula no Curso de Formação. Os relacionados abaixo devem comparecer às 7h do dia 19 de novembro de 2018 na 1ª Gerência Mesorregional de Perícias, em Palhoça.

O Curso de Formação será  entre os dias 19 e 30 de novembro de 2018 das 8h às 22h. Quem não comparecer nas datas e horários acima especificados será considerado desistente da vaga, salvo por motivo de força maior, devendo para tanto apresentar justificativa.

Os convocados já fazem parte do quadro de servidores do IGP, porém as nomeações aconteceram após a realização do último curso de formação em 2017. O curso de formação é obrigatório para que os auxiliares criminalísticos possam exercer plenamente as funções inerentes ao cargo.

Convocados:
   Inscrição         Nome
1 931702111 ALLAN TERENCE FABRO
2 910740635 ALESSANDRA FERNANDES ELIAS VIEGA
3 935705983 BRUNO GASNHAR TONET
4 933225171 BRUNO MEDEIROS
5 935230564 CAROLINA ROCHA BARBOSA
6 925819933 CLEDINA DE O S DOS SANTOS
7 928107883 DIANEI FORTTI
8 932667209 EVANDRO JOAO MARTINS
9 938939158 FERNANDO STAHELIN HAMES
10 923992641 JAILSON MACHADO
11 934623118 MARIANA YURI MORI
12 920137904 MONICA RADAELLI
13 935634955 NILMAR PIROCA
14 937868481 RUBIA FATIMA DALL ALBA
15 932847965 TIAGO JOSÉ BRAUN

Assessoria de Imprensa
Insituto Geral de Perícias de SC
(48) 3331-4512


Foto: Paulo Goeth/SES

A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito. O déficit motor instala-se repentinamente e sua evolução, frequentemente, não ultrapassa três dias. Atinge, em geral, os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular, com sensibilidade conservada e arreflexia no segmento atingido.

No Brasil, não há circulação de poliovírus selvagem desde 1990, em virtude do êxito da política de prevenção, vigilância e controle desenvolvida pelos três níveis do Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, a baixa taxa de vacinação fez com que o Ministério da Saúde antecipasse para agosto o início da campanha de vacinação.

Como é a transmissão?

A transmissão ocorre por contato direto pessoa a pessoa, pela via fecal-oral (mais frequentemente), por meio de objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores, ou pela via oral-oral, por meio de gotículas de secreções da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar). A falta de saneamento, as más condições habitacionais e a higiene pessoal precária constituem fatores que favorecem a transmissão do poliovírus.

Existe tratamento?

Não há tratamento específico para a poliomielite. Todos os casos devem ser hospitalizados, procedendo-se ao tratamento de suporte, de acordo com o quadro clínico do paciente.

Quais as complicações?

Sequelas paralíticas. Parada respiratória devido à paralisia muscular.

Como se prevenir?

A vacinação é a única forma de prevenção da poliomielite. Todas as crianças menores de cinco anos de idade devem ser vacinadas conforme esquema de vacinação de rotina e na campanha nacional anual. Confira o esquema de proteção no Calendário Nacional de Vacinação.

Como é o esquema vacinação?

Vacina poliomielite 1, 2 e 3 (inativada) – VIP

Administrar aos dois, quatro e seis meses de idade, com intervalo de 60 dias. Em situação epidemiológica de risco, o intervalo mínimo pode ser de 30 dias entre as doses. Completar o esquema de vacinação com a vacina poliomielite 1 e 3 (atenuada).

Vacina poliomielite 1 e 3 (atenuada) – VOP

Este esquema é um reforço que deve ser feito aos 15 meses de idade, e o segundo reforço deve ser aos quatro anos de idade.

Atenção aos viajantes!

Recomenda-se a vacinação para quem se deslocar para países com circulação de poliovírus selvagem e/ou derivado da vacina, conforme a situação vacinal.

Situação da doença no país

No Brasil, a realização de duas campanhas anuais de vacinação, a partir de 1980, reduziu a incidência da poliomielite de 2,2/100.000 hab. para 0,2/100.000 hab. em 1985. Em 1989, ano em que ocorreu o último caso de pólio no país, a incidência foi de 0,03/100.000 hab. Foram implementadas medidas que tornaram o sistema de vigilância epidemiológica mais sensível, permitindo um controle mais eficaz da doença.

Informações adicionais para a imprensa:
Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br

Página 1 de 2