Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 22 de dezembro de 2017

Com a Palavra, o Governador - 22 de dezembro de 2017

O Governador Raimundo Colombo dá sua mensagem de agradecimento pelo ano que passou e os votos de um feliz natal e próspero ano novo.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Johatan Tavares/SSP

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) oficializou na tarde desta terça-feira, 23, a criação da Divisão de Combate a Roubos e Furtos de Cargas (DFRC) que irá funcionar junto à Diretoria Estadual de Investigação Criminal (DEIC). O ato foi realizado no gabinete do secretário César Augusto Grubba com a presença do presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística no Estado de Santa Catarina (Fetrancesc), Ari Rabaiolli, e a cúpula da Polícia Civil.

A criação desta unidade policial obedecerá o que determina Lei 17.405/2017, promulgada no final de dezembro. A nova legislação prevê a cassação da inscrição estadual de empresas receptadoras de carga roubada. A DFRC terá um efetivo de seis policiais civis - um delegado de polícia, um escrivão e quatro agentes de polícia - e será coordenada pelo delegado Rafael Werlling.

Uma das grandes mazelas do Transporte Rodoviário de Cargas (TRC), o roubo de cargas é um crime que afeta a cadeia produtiva como um todo, na avaliação do presidente da Fetrancesc. “Nós transportamos cargas variadas, com valores altíssimos, além da vida do nosso colaborador, que é a mais valiosa. Desta forma, combater este crime é mais do que uma missão, é uma obrigação que temos enquanto empregadores, sobretudo como seres humanos”, destacou Ari Rabaiolli.

O secretário César Grubba ressaltou o rigor da nova legislação, que prevê a cassação da inscrição para quem recepta carga roubada. “Entendemos que deveria haver uma penalidade mais rigorosa para as empresas que praticam este crime, o de receptação, e as empresas aceitaram esta alteração”, disse Grubba.

O secretário também destacou que além da imposição de ações mais rigorosas e efetivas, há necessidade de enfrentamento às organizações criminosas que têm transformado esse tipo de crime em fonte de financiamento.

Roubo de Cargas teve redução em SC

Em todo o Brasil, empresas do Transporte Rodoviário de Cargas precisam driblar a ação de criminosos para garantir a segurança daquilo que transportam. A região com maior índice deste crime é a Sudeste, com destaque para São Paulo e Rio de Janeiro, que somam 85,76% do total nacional. Somente em 2015, segundo dados da NTC&Logística, foram 19.250 casos em todo o país.

Em Santa Catarina, no comparativo entre 2016 e 2017, houve redução de 20,2%. Foram 258 ocorrências registradas em 2016 contra 206 no ano seguinte. Este ano, de dia 1° a 22 de janeiro, foram seis registros de roubo de cargas no Estado contra 13 no mesmo período do ano passado. Isso representa uma redução de 54%.

O evento também contou com a presença do Delegado Geral da Polícia Civil, Artur Nitz; diretor da DEIC, delegado Adriao Bini; diretor de Informação e Inteligência da SSP, delegado Mauro Cândido Rodrigues; delegado Anselmo Cruz, da divisão de Repressão ao Crime Organizado da DEIC, e o presidente da Associação dos Delegados de Polícia (Adepol), Ulisses Gabriel.

Informações adicionais para a imprensa
João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-8183 / 98843-7615
Site: www.ssp.sc.gov.br


Foto: SES

O secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, tomou posse nesta segunda-feira, 22, e falou com a imprensa sobre os projetos e ações para 2018 à frente da pasta. O ortopedista Marcelo Lemos dos Reis será o secretário adjunto e trabalhará com Casagrande para reduzir custos, otimizar recursos e regionalizar a Saúde. As nomeações foram publicadas no Diário Oficial 20.693, de 19/01/2018.

>>> Mais fotos

Acélio Casagrande retorna à casa com um grande desafio. “Temos linhas definidas de trabalho e estamos ainda montando a equipe que buscará os resultados conosco. Nossa prioridade é efetivar a regionalização da Saúde, tirar as ambulâncias das estradas, organizar os serviços em cada região do estado, vocacionar os hospitais. Para isso, vamos fazer o Plano Diretor de Regionalização Regional (PDR), que é um plano emergencial com critérios rígidos daquilo que os hospitais e municípios podem oferecer”, explica Casagrande.

Aliado a isso, as secretarias municipais de Saúde serão chamadas para um grande trabalho de prevenção. “Não adianta só tratar o doente. Precisamos trabalhar a prevenção, evitando que o paciente com diabetes não chegue descompensado nos hospitais e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Será um trabalho de interação com programas específicos e de excelência com integração dos sistemas”, fala o secretário.

O avanço da Telemedicina foi outro tema tratado. “Vamos continuar desenvolvendo a Telemedicina para que nosso plano de regionalização se fortaleça. Onde as pessoas consigam ser atendidas nas suas regiões e o médico consiga ter um parecer rápido pelo especialista”, cita Casagrande.

Perguntas da imprensa

Imprensa: Como colocar em prática esse plano ousado em tão pouco tempo?

Acélio: Estamos trabalhando com indicadores e criando programas. Com este diagnóstico de quem vem para a capital ou quem sai do estado para ser atendido, podemos atuar pontualmente em cada região, de acordo com suas necessidades. O tempo é curto, mas a equipe é boa e trabalharemos muito.

Imprensa: Qual o valor do orçamento da saúde em 2018?

Acélio: Segundo a Secretaria de Estado da Fazenda, o orçamento da Saúde para esse ano é de R$ 2,7 bilhões, ou seja, 14% da aplicação mínima em Saúde do governo catarinense. Por mês, é em torno de R$ 220 milhões. É importante lembrar que, desse montante, R$ 105 milhões é para o pagamento da folha de pessoal da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Vamos trabalhar com muita transparência.

Imprensa: E quanto à judicialização da Saúde?

Acélio: Dentro desses R$ 2,7 bilhões, tem uma previsão de R$ 200 milhões que devem ser gastos com a judicialização. Vamos pedir muita colaboração dos médicos para tentar diminuir isto, para podermos investir em outras áreas como a prevenção, por exemplo. É muito mais caro atender dentro do hospital que fazendo a prevenção nas unidades de saúde.

Imprensa: Marcelo, enquanto diretor do Hospital Celso Ramos e superintendente dos Hospitais Públicos, o senhor vinha realizando ações importantes para a Saúde. Quais serão as estratégias de trabalho como secretário adjunto?

Marcelo: Na Superintendência dos Hospitais Públicos, atuei fortemente na integração de todos os sistemas dentro dos hospitais próprios. Falava-se muito em perda de controle de medicação, de prontuários, e nós estamos informatizando todos os hospitais da SES. Queremos levar esta integração também para fora da rede de hospitais próprios. Os hospitais filantrópicos têm uma contribuição de mais de 70% de todo o atendimento de Santa Catarina.

Outra ação é integrar os prontuários médicos. Atualmente, o prontuário em Santa Catarina não é único. Isso seria de grande valia para os pacientes, pois em qualquer lugar do território catarinense o paciente teria um único prontuário. Isso diminuiria o excesso de pedidos de exames para o mesmo objetivo, otimizando recursos e atendimento.

Imprensa: Qual o valor da dívida da Secretaria de Estado da Saúde atualmente?

Acélio: Vamos aguardar o Tribunal de Contas do Estado oficializar a secretaria sobre o relatório da dívida. Após isso, faremos uma análise de item por item. Os técnicos da SES fizeram um levantamento e chegou-se no valor em torno de R$ 700 milhões. Se o Tribunal de Contas apresentar R$ 1 bilhão, certamente será uma análise muito bem feita e aguardaremos a recomendação do órgão para a liquidez disto.

Imprensa: Como ficará o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)?

Acélio: Sou simpático ao trabalho do Samu em parceria com o Corpo de Bombeiros. Está marcada para a próxima semana uma reunião entre a nossa secretaria e o Corpo de Bombeiros para ajustar essa cogestão. Hoje, o que vem de recursos do Ministério da Saúde para o Samu é R$ 1,8 milhão por mês, enquanto o contrato é de R$ 9 milhões. Estamos fazendo de tudo para dar uma equacionada nisto.

No final da entrevista coletiva, o secretário Acélio Casagrande informou que estará reunido nesta terça-feira, 23, pela manhã, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, para se apresentar como novo gestor da pasta e solicitar mais recursos para Santa Catarina. “Queremos aumentar o per capita e, para isso, temos que apresentar soluções ao ministério. Um caminho é mostrar que o estado produz mais do que recebe e, o outro, é fazer as habilitações para isso. Precisamos aumentar a receita e diminuir as despesas. Tenho uma ótima relação com o ministro e demais profissionais do Ministério da Saúde, então as expectativas são muito boas”, conclui Casagrande.

Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br e secretariadeestadodasaude@gmail.com


17ª edição Itaipu Rural Show, em 2015. Foto: James Tavares/Arquivo Secom

Já um tradicional conhecido dos agricultores, o Programa Terra-Boa terá investimentos de R$ 53,7 milhões em 2018. Este ano, o programa apoiará a aquisição de 220 mil sacos de semente de milho, 300 mil toneladas de calcário, 1.100 kits forrageira e 500 kits apicultura. O lançamento oficial do Terra-Boa acontece nesta quarta-feira, 24, às 10h30, durante a abertura da Itaipu Rural Show, em Pinhalzinho. O governador em exercício Eduardo Pinho Moreira participará do evento.

O Terra-Boa é um dos programas mais tradicionais da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e, há mais de 20 anos, beneficia os produtores rurais catarinenses com a subvenção para aquisição de calcário, sementes de milho, kit forrageiras e kit apicultura. Com o Programa, o Governo do Estado quer aumentar a produtividade nas lavouras catarinenses, além de incentivar os investimentos na melhoria de pastagens e na apicultura. Os produtores têm acesso ainda a sementes de milho de alta tecnologia, obtendo maior produtividade por área plantada.

Em 2017, o Terra-Boa distribuiu 202,5 mil sacas de semente de milho, 284 mil toneladas de calcário, 415 kits apicultura e 2.862 kits forrageira. Ao todo, aproximadamente 70 mil agricultores catarinenses foram beneficiados no último ano.

Itaipu Rural Show

Considerado o maior evento do agronegócio catarinense, o Itaipu Rural Show trará as tecnologias e tendências do setor. A feira tem como objetivo mostrar aos participantes as tecnologias e tendências do agronegócio.

O evento é direcionado aos agricultores, agropecuaristas, pesquisadores, empresários e técnicos de todos os estados. Com mai de 350 expositores de diferentes segmentos, a expectativa da Comissão Central Organizadora é receber mais de 58 mil visitantes nos quatro dias de feira.

O evento acontece entre 24 e 27 de janeiro, no Centro de Difusão de Tecnologias da Cooperativa Regional Itaipu, localizado no quilômetro 580 da Rodovia Federal BR-282.

Informações adicionais:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br 
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 8843-4996
www.agricultura.sc.gov.br 


Foto: Paula Darós / ADR Criciúma

Pouco mais de um ano após a instalação em Criciúma, o Serviço Aeropolicial (Saer) vai receber uma nova aeronave. O equipamento será entregue pelo governado em exercício Eduardo Pinho Moreira nesta quarta-feira, 24. “A vinda do Saer para Criciúma já mostrou inúmeros resultados, tanto no auxílio da segurança como na saúde e uma nova aeronave vai melhorar o funcionamento destes serviços”, comentou o secretário Executivo da Agência de Desenvolvimento Regional, João Fabris.

Mais novo e moderno, o equipamento modelo AS-350 B2 conta com diferenciais como sistema digital, que traz mais segurança no voo, além de facilitar o planejamento e interação do piloto com a aeronave. Vem acompanhada ainda, de um rádio policial que melhora e agilizar a comunicação da aeronave com equipes em solo de todas as instituições que o Saer auxilia, principalmente na área policial. A aeronave conta ainda com um Bambi Bucket, equipamento de combate a incêndios com capacidade de transporte de forma ágil e segura de 500 litros de água por vez.

Com mais de 353 horas de voo em 2017, o Saer em Criciúma vem atuando em importantes operações policiais e já contabilizou mais de 30 transportes aeromédicos. “A nova aeronave representa mais segurança e tecnologia no dia-a-dia do policial. Os equipamentos fornecem mais agilidade e melhora na comunicação, além de trazer, também, um conforto, visto que nossa atual aeronave é de 1994”, explicou o comandante do Saer em Criciúma, delegado Gilberto Mondini.

A aeronave será entregue oficialmente pelo governador em exercício na quarta-feira, 24, às 16h, na base do Saer em Criciúma.

Informações adicionais para a imprensa:
Paula Darós Darolt
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Criciúma
E-mail: imprensa@cua.adr.sc.gov.br
Telefone: (48) 3403-1018 / 99127-6838
Site: sc.gov.br/regionais/criciuma


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O governador Raimundo Colombo lidera missão internacional aos Estados Unidos para tratar de parcerias na área da Defesa Civil. Em viagem oficial entre os dias 22 e 27 deste mês, Colombo e o secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, participam de compromissos no Banco Mundial e na Organização dos Estados Americanos (OEA). Durante a viagem, o vice-governador Eduardo Pinho Moreira assume o comando do Governo do Estado.

“Durante muitos anos, nosso estado enfrentou calamidades tremendas, um sofrimento grande da população. Agora estamos conseguindo administrar melhor os eventos climáticos. Fizemos muitas coisas, mas existem muitas outras que precisam ser feitas e vamos buscar recursos para que o sistema possa ser aprimorado cada vez mais”, afirmou o governador Colombo.

O primeiro compromisso oficial da missão nos EUA será em Washington, DC, no dia 23, quando a comitiva participa de reunião no Banco Mundial. O Governo de Santa Catarina apresentará proposta de parcerias para financiamento de novas ações de redução do risco de desastres no estado. São obras que garantem a continuidade ao maior programa de prevenção às catástrofes do clima no Vale do Itajaí. “Santa Catarina tem hoje um projeto de estado, para vários anos. Já foram feitas importantes obras e agora estamos buscando recursos para as próximas etapas”, explica o secretário Moratelli.

Na mesma reunião, também dever tratada a continuidade do programa SC Rural, voltado para a promoção da agricultura familiar. O Banco Mundial é o órgão financiador do programa estadual.

Em seguida, no dia 24, ainda em Washington, DC, o governador e o secretário Rodrigo Moratelli participam do Seminário de Emergências Complexas e Respostas a Desastres no Colégio Interamericano de Defesa, da Organização dos Estados Americanos (OEA). “Vamos apresentar o modelo catarinense, um modelo de gestão integrada de crise diante de desastres naturais”, informa Moratelli, que vai palestrar no evento. O convite para a palestra partiu da organização do encontro, que neste ano terá como tema: “A prioridade da preparação: envolvendo o cidadão e o poder da descentralização”.

No dia 25, está prevista agenda em New York, na Organização das Nações Unidas. Em 2017, o trabalho da Defesa Civil de Santa Catarina foi reconhecido pela ONU com o Prêmio Sasakawa, concedido bianualmente pelo escritório da ONU para a Redução do Risco de Desastres (UNISDR) e pela Fundação Nippon, do Japão. A premiação reconhece projetos que contribuam substancialmente para salvar vidas e reduzir a mortalidade por desastres naturais. Diante do reconhecimento, o Governo do Estado pretende convidar o secretário-geral da ONU, Antônio Manuel de Oliveira Guterres, para proferir palestra magna no Seminário Internacional de Proteção e Defesa Civil, que ocorre nos dias 13 e 14 de março de 2018, em Florianópolis. E ainda para prestigiar a inauguração do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres, que também ocorrerá em março, em Florianópolis.

Entre as ações de Santa Catarina nos últimos anos na promoção da Defesa Civil, destacam-se as obras de ampliação das barragens de Taió e Ituporanga, o pioneiro serviço de envio de alertas por SMS para a população, a implantação de novos radares meteorológicos (dois fixos, em Lontras, no Vale, e em Chapecó no Oeste; e um móvel, em Araranguá, no Sul do estado), e a construção de novos centros regionais e do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres, em Florianópolis. “Santa Catarina vive um momento ímpar, com investimento em estruturas novas, em políticas públicas de prevenção, em um trabalho de conscientização da população. Trata-se da consolidação de um modelo para que nosso estado, mesmo que em uma situação adversa de clima, possa reduzir seus impactos e viver normalmente, evitando tragédias como as que já ocorreram no passado”, acrescenta Moratelli.

Também integram a comitiva da viagem aos Estados Unidos, o secretário executivo de Assuntos Internacionais (SAI), Carlos Adauto Virmond Vieira; o ajudante de ordens do governador, coronel Luiz Carlos Vitório; o diretor de Imprensa da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), Claudio Thomas, e o cinegrafista Osmair Cercal. Contando com esta, foram realizadas 16 missões internacionais lideradas pelo governador Colombo desde 2011, sendo seis no atual mandato.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Página 1 de 252