Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Ponte Hercílio Luz - 10/07/2017

Ponte Hercílio Luz - 10/07/2017

Nas redes sociais e portais da #nossahercilioluz e do Governo é possível acompanhar as obras de restauração da ponte. Etapas importantes já foram realizadas e nesse vídeo você pode relembrar as principais. Confira.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: 1ºBB / Divulgação

Entre os dias 21 e 28 de julho foram registradas 206 ocorrências de incêdios florestais ou de vegetação em Santa Catarina. O levantamento foi feito pela Diretoria de Tecnologia e Informação do Corpo de Bombeiros Militar e levou em consideração todos os registros feitos nos 14 Batalhões do Estado. A incidência maior, concentrando 25% das ocorrências registradas nesta semana, foi nas regiões de Chapecó e Xanxerê, respectivamente. Neste ano, os números já chegam a 1.006 casos registrados.

A segunda região do Estado mais atingida por incêndios em vegetação nesta semana foi a área do 4° Batalhão, no Sul do estado, em Criciúma. Na grande Florianópolis, nos Batalhões de São José e da Capital, as ocorrências ao longo da semana são de 10% em cada região do total de casos registrados no Estado. As áreas mais atingidas na Ilha foram no Rio Vermelho e no Rio Tavares.  Em São José, os focos foram concentrados em terrenos às margens da rodovia BR-101.

28 07queimada2

O aumento nos casos de incêndios florestais e em vegetação se deve a fatores climáticos e ação humana. Entre os fatores de clima, está a baixa umidade relativa do ar, com um período de estiagem em todo Estado. Outro agravante foi a onda de frio atingiu Santa Catarina no início do mês. “Este tipo de incêndio é dependente de dois fatores: de combustíveis secos e de umidade baixa. Com as fortes geadas que ocorreram há poucos dias, grande parte da vegetação morreu, principalmente as gramíneas que estão extremamente secas nesse momento devido ao longo período sem chuvas. Esses fatores aumentam o risco de incêndios florestais e deixam sua propagação muito rápida, dificultando as ações dos Bombeiros” explica o major, Walter Parizotto, Comandante do 14° Batalhão.

COMO EVITAR

Para evitar incêndios em vegetação, o Major Parizotto orienta a população a seguir algumas recomendações:

Evitar queimadas, seja para plantio ou queimadas de lixo, em áreas próximas a vegetação ou terrenos;

Não jogar cigarro em terrenos limítrofes de rodovias;

Não acender fogueiras;

Prestar atenção a ligações elétricas mal feitas em áreas de vegetação.

Em caso de ocorrências de fogo em vegetação, acione o Corpo de Bombeiros Militar por meio do telefone 193.

Informações adicionais para a imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa 
Corpo de Bombeiros Militares de Santa Catarina - CBMSC
E-mail: ccs@cbm.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-9614 / 98843-4427
Site: www.cbm.sc.gov.br

 

 


Fotos: Cid Junckes/Casan

Com canteiro de obras montado, engenheiros e topógrafo em campo para inspeções e medições de ruas, a Casan começa na próxima terça-feira, 1° de agosto, a abertura de vias para o assentamento das primeiras redes coletoras do Sistema de Esgotamento Sanitário de Ingleses e Santinho.

A abertura das ruas acontecerá de forma paralela nos dois bairros. No Santinho, o trabalho começa pela Servidão Maria Ramos Gama. Na sequência, em intervalos de aproximadamente 15 dias, os trabalhos começam pela Rua João Manoel Vieira e pela Servidão Navegantes do Mar (veja cronograma abaixo). 

Em Ingleses, o assentamento de redes de coleta se inicia no Sítio Capivari, Servidão Júlio Petroski, passando depois para a servidão Eduardo Marques Rosa e servidão Luiz Flor Francisco. Folderes explicativos estão sendo entregues aos moradores ou colocados nas caixas de correio comunicando ao morador sobre início das obras em sua rua e os benefícios do sistema de esgotamento.

O canteiro de obras do consórcio construtor Trix/Infracon está montado na Servidão Três Marias, 164, dentro do terreno onde será construída a Estação de Tratamento de Esgotos.

Orientações para a população

A partir da próxima semana, periodicamente serão divulgadas orientações para a população de Ingleses e Santinho, onde as obras de esgotamento sanitário serão executadas.

A Casan vai desenvolver nos dois bairros um trabalho socioambiental para dialogar com a população. São realizadas ações permanentes de divulgação junto a residências e imóveis comerciais, em veículos de comunicação e pelas redes sociais. O objetivo é informar sobre o cronograma das frentes de trabalho, eventuais interrupções no tráfego e opções de desvio, assim como orientações sobre os benefícios do saneamento básico.

Investimento

A ampliação do sistema de esgotamento sanitário receberá investimento total de R$ 84 milhões, atendendo o centro de Ingleses (áreas Norte e Sul do bairro), além da praia do Santinho. Serão beneficiados 42 mil moradores fixos, além de veranistas. 

Serão implantados 58 quilômetros de redes coletoras, em torno de 4,5 mil ligações domiciliares, oito estações elevatórias e uma Estação de Tratamento de Esgoto. Essa unidade terá capacidade de depurar 105 litros de esgoto por segundo em nível terciário, o mais efetivo. Esse tipo de tratamento possibilita a remoção de matéria orgânica e também de fósforo e de nitrogênio do efluente, evitando o comprometimento de ambientes aquáticos.

A obra dos Ingleses teve sua primeira etapa iniciada ainda nos anos de 1990, quando somente 21 quilômetros de tubulação foram implantados na região da Avenida das Gaivotas. Por resistência de moradores e órgãos ambientais, na época, o tratamento dessa pequena rede até hoje tem de ser realizado na ETE de Canasvieiras. Com a conclusão da obra dos Ingleses/Santinho, prevista para o final de 2019, não será mais enviado esgoto dos Ingleses para ser tratado nesta unidade, aliviando ainda mais o sistema Canasvieiras-Cachoeira do Bom Jesus que, em dezembro passado, recebeu uma segunda estação compacta.

Os recursos para o SES Ingleses/Santinho integram o Plano de Investimentos da Casan direcionado a elevar a atual cobertura de coleta e tratamento de esgoto em Florianópolis de 56% para 72% ou 74%% até o primeiro semestre de 2019. O investimento total na Capital ultrapassa os R$ 400 milhões, em nove obras - sendo quatro já concluídas, duas em execução e três em processo final de licitação.

"Ao final de todas estas nove obras, Florianópolis será um modelo nacional em cobertura de esgoto", destaca o diretor-presidente da Casan, engenheiro Valter José Gallina. "Com um adequado sistema de drenagem que está sendo providenciado pela Prefeitura, e com a população ligada corretamente à rede pública de esgoto, nossa população terá mais saúde, os imóveis destas regiões serão mais valorizados e as praias terão melhor balneabilidade", disse. 

Saiba mais:
Frentes iniciais de trabalho, que passam de uma rua a outra no período aproximado de 15 a 20 dias.

Frente 1 / Santinho 
1° Servidão Maria Ramos Gama
2° Rua João Manoel Vieira
3° Servidão Navegantes do Mar
4° Servidão Rosa da Silva
5° Servidão Francisca da Silva

Frente 2 / Sitio Capivari 
1° Servidão Júlio Petroski
2° Servidão Eduardo Marques da Rosa
3° Servidão Luiz Flor Francisco
4° Servidão Valdevino Marques da Natividade
5° Servidão Pedro Santos Filho

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 

A partir da próxima segunda-feira, 31, estarão abertas as inscrições para programadores, analistas de sistemas, estudantes de Engenharia, Computação e Design, entre outros inovadores, que queiram participar de uma maratona de desenvolvimento entre 1º e 3 de setembro, na sede da Celesc, em Florianópolis. Todas as informações estão disponíveis no site www.celesc.com.br/hackathon2017.

O 1º Hackathon Celesc visa incentivar os novos talentos empreendedores na busca de soluções inovadoras para Gestão de Perdas Financeiras Não Técnicas e de Relacionamento com Clientes para a Celesc Distribuição. “Serão dois dias e meio de trabalho ininterrupto dedicado ao desenvolvimento de contribuições que nos ajudem a trabalhar melhor para nossos consumidores e clientes. Essa proposta, neste formato, é inédita na área de distribuição do setor elétrico”, diz o presidente da Celesc, Cleverson Siewert.

Ao todo, estarão disponíveis 70 vagas para interessados em formar equipes e apresentar projetos. A equipe que apresentar o melhor projeto será premiada com uma viagem à Colômbia para conhecer projetos e soluções inovadoras. Também serão premiadas as equipes dos projetos que ficarem em segundo e terceiro lugar (veja adiante).

Siewert aponta que há um diferencial importante desse hackathon. “Após o evento, essas equipes terão condições de pré-incubar os seus projetos, viabilizando a produção final das soluções”, diz. "Inovação é um de nossos valores corporativos e temos investido para consolidar essa cultura em nosso contexto. Isso fará desse hackathon, certamente, um marco para a Celesc e para o setor de energia”, conclui.  

Inscrições 

As inscrições podem ser feitas exclusivamente em www.celesc.com.br/hackathon2017 entre as 8h de 31 de julho até as 23h55 do dia 15 de agosto, com valor promocional de R$ 29 por pessoa até o dia 7 de agosto. A partir de 8 de agosto, o valor será de R$ 49 por pessoa. Além disso, no dia do evento, deverá ser entregue à organização um quilo de alimento não perecível. O pagamento deve ser feito por meio de boleto bancário.

A inscrição é individual, mas é obrigatória a indicação da equipe à qual pertence o participante. Cada equipe pode ter de quatro a cinco participantes e deverá ser composta por, no mínimo, um analista de negócios, um designer e dois desenvolvedores. A inscrição somente será homologada após o pagamento da taxa de inscrição.

A Celesc vai receber os inscritos em sua sede, no Bairro Itacorubi, na Capital. O Hackathon começa às 17h do dia 1º de setembro e se encerra às 18h do dia 3 de setembro, com a apresentação dos melhores projetos: “Serão oferecidas alimentação completa, segurança, serviços de saúde e área para descanso”, informa Siewert.

A equipe que apresentar o melhor projeto será premiada com uma viagem à Colômbia para conhecer soluções inovadoras no âmbito de cidades, tecnologias e práticas sociais. Também serão premiadas as equipes que ficarem em segundo lugar (smartphones) e terceiro lugar (vale-compras).

Para realizar o evento, a Celesc tem o apoio da Softoplan, do Grupo Sonda, da A Vero Domino, da APC Associação dos Profissionais da Celesc e da Fundação Celos, além de contar com a colaboração do Governo do Estado. 

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br


Foto: Secom/Arquivo

No período entre 15 de junho a 15 de setembro, fica proibido ter plantas de soja em crescimento no estado. A medida visa proteger as lavouras catarinenses da ferrugem asiática da soja e atende a uma demanda do setor produtivo. A Portaria nº 18/2017 foi assinada nesta quinta-feira, 27, pelo secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, em Abelardo Luz.

Para que seja respeitado o vazio sanitário, a portaria proíbe a semeadura de soja no período de 11 de fevereiro até 14 de setembro de cada ano em Santa Catarina. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, destaca que o vazio sanitário foi estabelecido após ampla discussão envolvendo a Secretaria da Agricultura, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) e representantes do setor produtivo catarinense. “A medida traz mais segurança para os produtores catarinenses e protege as lavouras da ferrugem asiática, que pode comprometer todo cultivo”, ressalta.

Cada estado do país pode estabelecer o período mais adequado para o vazio sanitário da soja, de acordo com suas condições climáticas. O secretário adjunto da Agricultura, Airton Spies, explica que, no caso de Santa Catarina, o frio intenso que ocorre no inverno nas regiões produtoras de soja, normalmente, já elimina todas as plantas de soja vivas, que são queimadas pela geada. Se isso não ocorrer, é necessário o controle químico por meio de dessecação com herbicidas.

Segundo o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no período de vazio sanitário não deve haver soja em estado vegetativo para que o fungo, que causa a ferrugem asiática, e seus esporos não consigam sobreviver e contaminar o próximo plantio.

Soja em Santa Catarina

Os produtores catarinenses colheram a maior safra de soja da história. A produção chegou a 2,4 milhões de toneladas, 13,4% a mais do que no último ano. A soja vem ganhando cada vez mais espaço nas lavouras catarinenses, principalmente as áreas que antes eram usadas para o plantio de milho. Na safra 2016/17, o grão ocupou 660,2 mil hectares no estado, a maior área plantada já registrada. O aumento na produção é o resultado da combinação entre área plantada e produtividade, o rendimento médio das lavouras catarinenses chega a 3,6 toneladas por hectare – um aumento de 11,24% em relação à última safra.

A soja é ainda um grande produto na pauta de exportações de Santa Catarina. Em junho, de tudo o que o estado exportou, 11,4% era do complexo soja. No acumulado do ano, de janeiro a junho, o volume exportado foi 15% superior ao volume exportado no mesmo período de 2016, passando de 1,2 milhão de toneladas. Os principais destinos da soja catarinense são China, Rússia, Coreia do Sul e Tailândia.

Informações adicionais para a imprensa
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br


Campos Novos. Foto: James Tavares/Secom

O tempo continua estável, com sol e poucas nuvens, nesta sexta-feira, 28, em Santa Catarina. A exemplo dos últimos dias, não há previsão de chuva e os únicos fenômenos são nebulosidade baixa e formação de nevoeiros nas primeiras horas da manhã, especialmente no Planalto Norte, Litoral Norte, Vale do Itajaí e Florianópolis. Conforme a Epagri/Ciram, a condição ocorre devido à diferença de temperatura entre o ar e a água do mar. A temperatura segue elevada na maior parte do dia e um pouco mais amena no Litoral em razão dos nevoeiros.

Um sistema de alta pressão continua atuando sobre o estado pelo menos até o início da próxima semana. Este sistema inibe a formação de nebulosidade, mantendo o tempo seco. Assim como na sexta-feira, no sábado e domingo, o tempo segue firme com predomínio de sol e poucas nuvens, devido ao ar muito seco. A temperatura do ar segue com grande variação, um pouco baixa pela manhã e alta à tarde, condição típica do tempo seco. As máximas podem atingir 30°C no Extremo-Oeste e Litoral do estado.

Esta condição de estabilidade muda com a passagem de uma frente fria na próxima quarta-feira, 2, que deve provocar chuva no estado. Logo em seguida, uma nova massa de ar frio e seco chega ao Sul do país, voltando a estabilizar o tempo.

>>> Baixa umidade do ar em Santa Catarina exige cuidados com a saúde

Período de estiagem

Até esta sexta, 28, o total de chuva acumulado em Santa Catarina está bem abaixo da média climatológica para o mês de julho. A média para esta época do ano varia de 80mm a 140mm, tendo ficado, neste mês, muito abaixo deste valor em todas as regiões. O município com maior acumulado de chuva foi Garuva, localizado no Litoral Norte, com 37mm apenas. As regiões com maior escassez de água em relação à média são Oeste e Meio-Oeste catarinense, onde geralmente são registrados os maiores acumulados de chuva do estado. Até o momento, só choveu cerca de 15% a 20% do esperado para todo o mês. Não há previsão de chuva até o final de julho.

>>> Média climatológica de chuva para o mês de julho de 1961 a 1990Média climatológica de chuva para o mês de julho de 1961 a 1990

Mais informações para a imprensa:
Central de Meteorologia
Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5007 e (48) 3665-5172
E-mail:contatociram@epagri.sc.gov.br
Site: www.ciram.epagri.sc.gov.br

Página 1 de 88