Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Santa Catarina é líder na exportação de frango

Santa Catarina é líder na exportação de frango

O agronegócio catarinense é referência internacional em qualidade da produção e no cuidado com a segurança alimentar. Em 2019, mais de 696 mil toneladas foram embarcadas, gerando uma receita que passa de US$ 1,08 bilhão

Oportunidades

Próximos eventos

Em 2019, Santa Catarina registra 20 registros da doença meningocócica, meningite causada pela bactéria Neisseria meningitidis. O número é considerado dentro do previsto para o período, e a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina acompanha de perto as notificações da doença no estado.

A doença meningocócica é rara. Em 2019, houve um caso para cada 350 mil habitantes, aproximadamente. “Sabemos que é uma doença que causa pânico e comoção na população e, com isso, muitas informações desencontradas são divulgadas. O fato é que os casos registrados da doença registradas em Santa Catarina ainda estão dentro do já esperado para o período do ano. Não há surto”, frisa o médico infectologista da DIVE, Fábio Gaudenzi.

>> Leia aqui o boletim epidemiológico

De acordo com ele, os profissionais de saúde fazem a notificação imediata quando identificam com um paciente com meningite. “A partir daí, o caso já passa a ser investigado para que a equipe de saúde possa tomar as providências, dando o tratamento mais adequado de acordo com o agente causador”, explica o médico.

Cuidados

O fato de não haver surto, no entanto, não significa que a população possa se descuidar. Os cuidados básicos continuam sendo necessários. As meningites bacterianas e virais demandam ações semelhantes àquelas adotadas para a prevenção da gripe, como evitar ambientes fechados, respeitar a etiqueta da tosse e manter as mãos higienizadas

A meningite meningocócica é transmitida por meio das vias respiratórias, no contato próximo com secreções, gotículas do nariz e da garganta expelidas pela fala, tosse e espirro. A propagação é facilitada em ambientes fechados e/ou sem ventilação. Pessoas residentes na mesma casa, que compartilham dormitórios ou alojamentos estão suscetíveis ao contágio que também pode ocorrer em creches, escolas, acampamentos ou locais em que há aglomeração de pessoas.

Medidas de prevenção

Por ser uma doença de transmissão respiratória de pessoa a pessoa através de gotículas,as principais medidas de prevenção são:

- evitar aglomeração;
- manter locais arejados, ventilados e sempre que possível ensolarados;
- manter higiene pessoal e de utensílios;
- lavar as mãos com água e sabão várias vezes ao dia;
- ao visitar bebês, lavar as mãos e usar álcool 70%;
- não visitar bebês se estiver resfriado ou com febre;
- manter a caderneta de vacinação em dia.

No período de 15 de junho a 15 de setembro, não é permitida a manutenção de plantas vivas de soja em crescimento no território catarinense. O vazio sanitário surgiu para proteger da ferrugem asiática os cultivos de soja em Santa Catarina. Segundo o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), não deve haver soja em estado vegetativo para que o fungo, que causa a ferrugem asiática, e seus esporos não consigam sobreviver e contaminar o próximo plantio.

“O vazio sanitário é muito importante para a manutenção do baixo potencial de transmissão da ferrugem asiática no início da próxima semeadura, contribuído assim para um estabelecimento uniforme das lavouras, com redução nas aplicações de agrotóxicos. Assim, é fundamental a sua adoção por todos os sojicultores do nosso estado”, ressalta o secretário adjunto da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo Miotto.

Cada estado do país pode estabelecer o período mais adequado para o vazio sanitário, de acordo com suas condições climáticas. No caso de Santa Catarina, o frio intenso que ocorre no inverno nas regiões produtoras, normalmente, elimina todas as plantas de soja. Contudo, se isso não ocorrer, é necessário o controle químico por meio de dessecação com herbicidas.

O vazio sanitário de Santa Catarina foi estabelecido pela Portaria nº 18/2017.

Soja em Santa Catarina

A produção de soja vem ganhando cada vez mais espaço em Santa Catarina e ocupando as áreas antes destinadas ao plantio de milho, pastagens e fruticultura. A área plantada no estado chegou a 669,3 mil hectares nesta safra e a expectativa é de uma colheita de 2,38 milhões de toneladas.

A soja é também importante na pauta de exportações catarinenses. Em 2018, o estado exportou 2,34 milhões de toneladas, um aumento de 900% em dez anos.

Informações adicionais para a imprensa
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br

Contribuintes catarinenses com débitos nos Impostos sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA); sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); ou de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) têm até sexta-feira, 28, para regularizar a situação com descontos de 70% a 90% sobre multas ou juros. Esta é a data de encerramento do Programa Catarinense de Recuperação Fiscal (Prefis), que está disponível desde abril e é válido para pagamentos em cota única.

“É importante ressaltar que esta é a última oportunidade para os contribuintes regularizarem a situação com descontos sobre juros e multas. Não será lançada outra edição nos próximos quatro anos”, reforça o secretário de Estado da Fazenda (SEF), Paulo Eli. Podem participar contribuintes com débitos cujos fatos geradores tenham ocorrido até 30 de setembro de 2018, constituídos ou não e inscritos ou não em dívida ativa, inclusive ajuizados.

Os acessos para emissão do documento que concedem os benefícios foram desenvolvidos pela equipe técnica do Sistema de Administração Tributária (SAT) da SEF. Os interessados em aderirem o Prefis para quitar dívidas de IPVA podem acessar a aplicação para o pagamento clicando aqui. Já o acesso para os débitos de ICMS é feito pelo Sistema de Administração Tributária (SAT) . Por fim, os débitos de ITCMD estão disponíveis neste link, com certificado digital.

Dúvidas e mais informações podem ser esclarecidas na Central de Atendimento Fazendária, pelo telefone 0300-645-1515 ou em uma das Gerências Regionais da SEF/SC.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 9929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 98843-8553
Site: www.sef.sc.gov.br
FACEBOOK: facebook.com/fazendasc

 Foto: Jonas Pôrto/UDESC

Nesta segunda-feira, 24, às 16h55, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) publicou a primeira chamada do Vestibular de Inverno 2019 para cursos presenciais de graduação, com o total de 1.040 candidatos aprovados. O desempenho individual poderá ser consultado a partir das 18h. Além disso, as imagens dos cartões de resposta e da redação ficarão disponíveis durante 48 horas. Nesse período, os candidatos poderão apresentar recursos. 

Conforme o Calendário Acadêmico 2019, a matrícula da primeira chamada ocorrerá em 15 e 16 de julho, nos centros da Udesc (confira os documentos necessários), e as aulas inciam em 29 de julho. As datas das próximas chamadas serão definidas em breve.  

Confira a lista em www.vestibular.udesc.br.

Mais informações

Mais informações podem ser conferidas na página oficial, no FAQ do Vestibular e com a Coordenadoria de Vestibulares e Concursos da Udesc (Covest) pelos telefones (48) 3664-8089 e 8091, das 13h às 19h, e pelo e-mail vestiba@udesc.br.

Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010

 Foto: Instituto Santé

O Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste – Instituto Santé realizou, no último sábado e domingo, 22 e 23, um curso teórico-prático de suporte avançado em cardiologia. Os instrutores do Centro de Treinamento e Simulação de Emergência (CTSEM), de Porto Alegre, foram os encarregados de ministrar o curso, com objetivo de trazer para o estado o que há de mais avançado em atendimento às vítimas de emergências cardiológicas. Os participantes vivenciaram experiências em tempo integral com aulas teóricas e exercícios práticos.

O instrutor Darlan da Rosa explica que o programa Advanced Cardiologic Life Support (ACLS) existe em mais de 100 países e é baseado em protocolos que mudam a visão de atuação dos profissionais. “Permite que médicos, enfermeiros e técnicos abordem os pacientes em equipe, pensando juntos”, avisa Rosa. Ele afirma que o Centro de Treinamento tem experiência de mais de 20 anos, além de ser referência nacional.

A gerente de enfermagem, Márcia Dreher, destaca que Hospital Regional recebe diversos casos de pessoas com emergências cardiológicas. “O curso qualifica a equipe e agrega segurança e qualidade ao paciente. É um investimento que entendemos como necessário diante da demanda, qualificando equipes do pronto socorro, internações, UTI e oncologia”, disse.

Sobre o ACLS

O Advanced Cardiologic Life Support (ACLS) é um curso americano de capacitação avançada no suporte à vida, elaborado para garantir um melhor atendimento às emergências cardiológicas. Durante o programa, os alunos aprendem uma abordagem sistemática do diagnóstico das principais patologias em emergência cardiológica, algoritmos de tratamento, reanimação cardiopulmonar, uso de desfibrilador externo automático (DEA) e dinâmica de equipe. 

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

Página 1 de 483

Conecte-se