Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

A homenagem do Governo do Estado a todas as mulheres

A homenagem do Governo do Estado a todas as mulheres

A força, a esperança, a persistência e a superação. Atributos importantes no trabalho, nos estudos e na vida familiar são destacados na mensagem em vídeo divulgada nas redes sociais e compartilhado em grupos de WhatsApp. Foi a maneira que o Governo de Santa Catarina encontrou para homenagear as mais de 3,6 milhões de mulheres catarinenses

 

Oportunidades

Próximos eventos


Foto arquivo: James Tavares / Secom

A inclusão da cidade de Penha como uma nova rota para cruzeiros nacionais foi tema de uma reunião realizada na manhã desta quinta-feira, 21, na Delegacia da Capitania dos Portos, em Itajaí.

Duas companhias de cruzeiros participaram do encontro (Costa e MSC Cruzeiros) e têm interesse em operar no local. A expectativa agora é realizar uma escala-teste, mas antes deve ser apresentada uma carta náutica à Capitania dos Portos para que sejam homologados dados técnicos, como o ponto de fundeio do canal de acesso e a capacidade do píer.

A Prefeitura da cidade, representada na reunião pelo secretário de Planejamento de Penha, Fredolino Alfredo Bento, se comprometeu a criar um protocolo de preparação o píer, para melhorar a segurança do local de atracação.

Reunião_Capitania_Portos_Itajaí_2.jpeg

Santa Catarina dispõe de uma diversidade de cenários que podem integrar roteiros para cruzeiros, na avaliação da presidente da Santur, Flavia Didomenico: "Mas é preciso que as cidades preparem seus atrativos e invistam em mobilidade e qualidade, para atender bem os milhares de passageiros que desembarcam em um curto espaço de tempo", avalia.

A expectativa da empresa pública é criar a Rota SC, para ampliar destinos de cruzeiros no Estado, para que os navios permaneçam por mais tempo em nosso Litoral. Balneário Camboriú e Porto Belo já integram a rota de cruzeiros. Itajaí retomará as escalas na próxima temporada. Além de Penha, Florianópolis e Imbituba estão no radar.

O setor de cruzeiros cresce em ritmo avançado no mundo. A expectativa da associação internacional do setor (Clia) é que haja 30 milhões de cruzeiristas viajando pelo mundo em 2019. Até 2021 haverá 113 novos navios circulando pelo Litoral do país.

Além da presidente da Santur e do secretário de Penha, participaram do encontro o diretor de Planejamento e Desenvolvimento Turístico da Santur, Leandro "Mané" Ferrari, o delegado capitão de Fragata da Delegacia da Capitania dos Portos, Thales Barroso Alves, o presidente da Clia Brasil, Marco Ferraz, além dos representantes da MSC Cruzeiros, Marco Cardoso e da Costa Cruzeiros, Renê Hermann.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Flores
Assessoria de Imprensa Santur
Santa Catarina Turismo S.A - Santur
E-mail: imprensa@santur.sc.gov.br
Fone: (48) 3212-6311 / (48) 98821-7367
Site: www.turismo.sc.gov.br


Foto arquivo: James Tavares / Secom

Foram confirmados em Santa Catarina 28 casos autóctones de dengue (transmissão dentro do Estado), entre 30 de dezembro de 2018 a 16 de março de 2019. Os dados são do Boletim Epidemiológico n°07/2019 de Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica de dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina. Um aumento de 50% se comparado com o último boletim. Há ainda outros 17 casos importados (transmissão fora do Estado).

>>> Confira aqui o boletim completo

Em comparação com o último boletim, foram confirmados mais 14 casos autóctones e 5 casos importados. Dos 28 casos autóctones registrados, três com Local Provável de Infecção (LPI) em Balneário Camboriú, dois com LPI em Camboriú, três com LPI em Cunha Porã, sete com LPI em Florianópolis, residentes dos municípios de Biguaçu, Florianópolis e São José, dois com LPI em Itajaí, três com LPI em Itapema, dois com LPI em Joinville, dois com LPI em Porto Belo e quatro com LPI indeterminado.

De acordo com o gerente de Zoonoses, João Fuck, esse aumento no número de casos autóctones em SC se deve, principalmente, às condições favoráveis para a proliferação do mosquito: calor e chuva. “Mais uma vez reforçamos que a população precisa ajudar no controle dos focos do mosquito. Recipientes que podem conter água precisam ser vistoriados e eliminados corretamente. Importante também observar a vedação das caixas da água e manter as calhas limpas”, alerta.

Ações no Litoral Norte

Durante essa quinta-feira, 21, representantes da Dive estiveram no Litoral Norte para participar de reuniões com técnicos dos municípios de Balneário Piçarras, Bombinhas, Ilhota, Itajaí, Itapema, Luiz Alves, Navegantes, Penha, Camboriú, Porto Belo e Balneário Camboriú. Além disso, foram realizadas reuniões com os Secretários Municipais de Saúde de Itapema e Porto Belo.

“Nosso objetivo é intensificar a vigilância epidemiológica e o controle vetorial. É fundamental que as Salas de Situação Municipais estejam ativas, discutindo e implementando ações intersetoriais”, explica João Fuck.

LIRAa

Na próxima segunda-feira, 25, às 14h, acontece mais uma reunião da Sala de Situação Estadual. No encontro, será apresentado o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) de março deste ano.

O objetivo do LIRAa é a identificação do tipo e a quantidade de depósitos encontrados que possam ser potenciais criadouros do mosquito nos imóveis vistoriados. A atividade foi desenvolvida pelo Ministério da Saúde (MS) em 2002, sendo realizada pelos municípios considerados infestados pelo Aedes aegypti.

O levantamento, feito duas vezes ao ano, normalmente em março e em novembro, é realizado por meio da visita a um determinado número de imóveis do município, onde ocorre a coleta de larvas para definir o Índice de Infestação Predial (IIP).

Os dados serão apresentados na Sala Estadual de Situação que é um espaço intersetorial e permanente que gerencia e monitora a intensificação das ações de mobilização e controle ao mosquito Aedes aegypti em Santa Catarina. É composta por órgãos públicos e da sociedade civil organizada.

Informações adicionais à imprensa:
Assessoria de Comunicação
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
(48) 3664-7406 (48) 3664-7402 (48) 3664-7385

 Foto: Peterson Paul/Secom

Dando sequencia às reuniões de trabalho com prefeitos, na tarde desta quinta-feira, 21, o governador Carlos Moisés recebeu na Casa d'Agronômica administradores municipais das regiões Oeste e Meio-Oeste. As principais solicitações foram melhorias na infraestrutura rural, com maior capacidade na rede de energia elétrica, e melhores condições viárias.

Grande parte dos prefeitos manifestou agradecimento por serem recebidos pelo governador na residência oficial e apoio à atual gestão. “Precisamos fazer um governo diferente e nós, nos municípios, devemos seguir o exemplo de economizar, gastar só quando há condição e dizer que acreditamos nessa forma diferente de fazer política e que estaremos juntos”, declarou o prefeito de São Carlos.

O governador destacou que a comunicação com os municípios é um dos principais elos entre o Estado e o cidadão catarinense: “Quanto mais próximos estivermos, mais eficientes seremos no atendimento das demandas locais. Somos um só e somente com união vamos vencer os desafios”.

Participaram da reunião o secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, o deputado Altair Silva e os prefeitos: de Água Doce, Antônio José Bissini; Arroio Trinta, Cláudio Spricigo; Cerro Negro, Ademilson Conrado; Entre Rios, Jurandi Dell Osbel; Ibiam, Ivanir Zanin; Jardinópolis, Dorildo Pegorini; Mondaí, vice-prefeito João Zarych; Nova Itaberaba, Marciano Mauro Pagliarini; São Carlos, Rudi Miguel Sander; São José do Cedro, Antônio Plínio de Castro Silva; Serra Alta, Darci Cerizolli, Frei Rogério, Jairo da Silva Ribeiro; Guatambú, Silvestre Fávaro; Seara, Flávio Ragagnin; vice-prefeito de Pinhalzinho, Darci Fiorini; Calmon Pedro Spautz Netto e Riqueza, Leandro Alba.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Cristiano Estrela / Secom

O Governo do Estado enviará na próxima semana à Assembleia Legislativa (Alesc), em regime de urgência, um projeto de lei para reajustar as quatro faixas do salário mínimo regional. A decisão foi tomada pelo governador Carlos Moisés após uma reunião com representantes tanto da classe empresarial, quanto dos trabalhadores na tarde desta sexta-feira, 22, na Casa d’Agronômica.

“Santa Catarina é uma das poucas unidades da federação que tem essa modalidade do piso regional. Nós nos comprometemos com as categorias representadas aqui nesta reunião para encaminhar o projeto de lei até a próxima semana”, disse Moisés.

Na mensagem à Alesc, o governador pedirá que, conforme acordado entre as categorias, não haja emendas ao projeto e que ele tenha caráter retroativo a 1º de janeiro. Haverá também o pedido de tramitação conjunta nas comissões da Alesc, de modo a acelerar o processo. “As categorias já discutiram incessantemente para chegar a um acordo”, frisou Moisés.

O acordo entre entidades laborais e patronais ocorreu em fevereiro. Com o acordo, os novos mínimos regionais para as quatro faixas foram de R$ 1.158, R$ 1.201, R$ 1.267 e R$ 1.325. O índice médio de reajuste foi de 4,29%.

Veja abaixo as faixas que compõem o mínimo regional:

-Piso Atual
-Piso Proposto 2019

Primeira Faixa
-R$ 1.110
-R$ 1.158

Segunda Faixa
-R$ 1.152
-R$ 1.201

Terceira Faixa
- R$ 1.214
- R$ 1.267

Quarta Faixa
- R$ 1.271
- R$ 1.325

Primeira faixa:
a) na agricultura e na pecuária;
b) nas indústrias extrativas e beneficiamento;
c) em empresas de pesca e aquicultura;
d) empregados domésticos;
e) em turismo e hospitalidade; (Redação da alínea revogada pela LPC 551/11).
f) nas indústrias da construção civil;
g) nas indústrias de instrumentos musicais e brinquedos;
h) em estabelecimentos hípicos; e
i) empregados motociclistas, motoboys, e do transporte em geral, excetuando-se os motoristas.

Segunda faixa:
a) nas indústrias do vestuário e calçado;
b) nas indústrias de fiação e tecelagem;
c) nas indústrias de artefatos de couro;
d) nas indústrias do papel, papelão e cortiça;
e) em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas;
f) empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas;
g) empregados em empresas de comunicações e telemarketing; e
h) nas indústrias do mobiliário.

Terceira faixa:
a) nas indústrias químicas e farmacêuticas;
b) nas indústrias cinematográficas;
c) nas indústrias da alimentação;
d) empregados no comércio em geral; e
e) empregados de agentes autônomos do comércio.

Quarta faixa:
a) nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico;
b) nas indústrias gráficas;
c) nas indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana;
d) nas indústrias de artefatos de borracha;
e) em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito;
f) em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade;
g) nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas;
h) auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino);
i) empregados em estabelecimento de cultura;
j) empregados em processamento de dados; e
k) empregados motoristas do transporte em geral.
I) empregados em estabelecimentos de serviços de saúde.

Informações adicionais para a imprensa
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC 

 Foto: Osmair Cercal/Secom

O presidente da Celesc, Cleicio Martins, apresentou na tarde desta quinta-feira, 21, o orçamento da companhia para 2019: mais de R$ 1 bilhão. Os recursos serão utilizados para investimentos em geração e distribuição de energia e para o custeio das atividades operacionais e de apoio, além de P&D e Eficiência Energética.

“Estamos destinando recursos para investimentos estratégicos que visam atender ao crescimento do mercado na nossa área de concessão (por meio da construção e a ampliação de subestações, por exemplo) e necessidades específicas do meio rural (com a substituição de redes monofásicas por redes trifásicas e a instalação de cabos protegidos), pleito antigo que beneficia diretamente o agronegócio, responsável por cerca de 30% do PIB catarinense”, explicou o presidente da empresa, Cleicio Poleto Martins.

Também presente na coletiva, o governador Carlos Moisés afirmou que as ações são necessárias para manter a Celesc como uma empresa de economia mista com resultados positivos aos seus acionistas: “A partir de uma gestão austera e de qualidade, com investimentos onde realmente são necessários, a Celesc será cada vez mais valorizada e vai contribuir significativamente para a qualidade de vida das pessoas, das indústrias, da produção rural e dos serviços, como hospitais e comércios”.

Mais da metade dos recursos anunciados será aplicada para ampliação, operação e manutenção do sistema elétrico, para onde serão destinados R$ 595 milhões, sendo:

* R$ 167 milhões no sistema de alta tensão (construção e ampliação de subestações + implantação de Linhas de Distribuição);

* R$ 234 milhões no sistema de média e baixa tensão (construção de alimentadores e extensão de redes, incluindo a implementação do programa , e de cabos protegidos);

* R$ 56 milhões em Geração (obras de ampliação do parque de geração própria, parceria para novos negócios);

* R$ 61 milhões na expansão comercial (ligação de novas unidades consumidoras, aquisição de medidores e etc);

* R$ 78 milhões para suporte da operação (TI, frota de veículos, edificações, itens de segurança);

Os investimentos no sistema de distribuição incluem, entre outras ações, a construção de sete novas subestação e ampliação de 13 subestações existentes, além da transformação de 618,5 quilômetros de rede monofásica para rede trifásica (veja adiante mais informações a esse respeito, por região).

Parte dos recursos será destinada à ampliação do parque gerador da companhia, em iniciativas como a ampliação em mais 7,2 MW a capacidade instalada da Usina Celso Ramos, em Faxinal dos Guedes, totalizando 12,6 MW de potência, assim como a revitalização da Usina Maruim, patrimônio histórico catarinense localizado em São José.

Além disso, R$ 314 milhões serão aplicados na compra de materiais e na contratação de serviços, R$ 127 milhões na área de Pesquisa & Desenvolvimento e Eficiência Energética — em projetos da Chamada Pública, programas como o Bônus Eficientes e o Energia do Bem, Iluminação Pública, Mobilidade Elétrica, Geração Eólica, Robótica, Meio Ambiente, entre outros.

O capital também prevê atender um antigo pleito do interior catarinense: a instalação de cabos protegidos e a transformação da atual rede monofásica para rede trifásica de energia. “Estão planejado investimentos de cerca de R$ 50 milhões nesta alteração que irá garantir mais segurança ao produtor rural, contribuindo com toda a produção agrícola, agrária e industrial do nosso estado”, afirma Cleicio.

CONHEÇA OS RECURSOS PREVISTOS PARA CADA REGIÃO

Núcleo Grande Capital – Florianópolis e região (R$ 170 milhões)

* Destaque para construção de três novas subestações (Real Parque, em São José; Palhoça Caminho Novo, em Palhoça e Capoeiras, em Florianópolis), além da ampliação da subestação Ilha Sul, no bairro Campeche. As obras vão representar incremento de 10,7% na capacidade instalada do sistema elétrico na região. 
* Transformação de 27 km de redes monofásicas para trifásicas.
* Eficientização energética da Iluminação Pública de Santo Amaro da Imperatriz.

Núcleo Alto Vale – região de Blumenau e Rio do Sul (R$ 140 milhões)

* Destaque para construção de uma subestação (Brusque São Pedro, em Brusque), além da ampliação da subestação Gaspar. As obras vão representar incremento de 5,4% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
* Transformação de 75,2 km de redes monofásicas para trifásicas.
* Cabos Protegidos — instalação de 400 km de cabos protegidos na Unidade Rio do Sul
* Eficientização energética da Iluminação Pública de Pomerode e instalação de painéis fotovoltaicos na FURB, em Blumenau.

Núcleo Norte – Joinville, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Mafra e região (R$ 170 milhões)

*Destaque para construção de duas novas subestações (Canoinhas Rio da Areia, em Canoinhas e Araquari Corveta, em Araquari), além da ampliação das subestações Canoinhas, Porto União, Joinville Vila Nova, em Joinville, e Jaraguá Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul. As obras vão representar incremento de 6,4% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
* Transformação de 117,1 km de redes monofásicas para trifásicas.
* Eficientização energética do Hospital Bethesda, em Joinville, e a instalação de sistema fotovoltaico na Univille, na mesma cidade.

Núcleo Planalto – Lages e região (R$ 55 milhões)

* Transformação de 95,8 km de redes monofásicas para trifásicas.
* Lançamento da 3ª edição do Programa Banho de Energia.

Núcleo Meio Oeste – Joaçaba, Videira e região (R$ 80 milhões)

* Destaque para a ampliação da subestação Capinzal, que vai representar incremento de 3,2% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
* Transformação de 58 km de redes monofásicas para trifásicas.
* Eficientização energética da Iluminação Pública das cidades de Caçador, Fraiburgo e Campos Novos.

Núcleo Sul – Criciúma, Tubarão e região  (R$ 110 milhões)

*Destaque para a ampliação da subestação Siderópolis, da Subestação Imbituba, da Subestação Laguna, da Subestação Garopaba e aquisição de terreno para futura construção e instalação da Subestação Araranguá. As obras vão representar incremento de 8,4% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
* Transformação de 36,4 km de redes monofásicas para trifásicas.
* Eficientização energética (Eficientização energética das instalações da UNESC).

Núcleo Leste – Itajaí e região (R$ 75 milhões)

* Destaque para a ampliação da subestação Camboriú e da subestação Itapema. As obras vão representar incremento de 11,4% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
* Transformação de 9,9 km de redes monofásicas para trifásicas.
* Instalação de painéis fotovoltaicos na Univali, em Itajaí.

Núcleo Oeste – Chapecó, São Miguel do Oeste, Concórdia e região (R$ 170 milhões)

* Destaque para construção de uma nova subestação (Chapecó Santo Antônio, em Chapecó), que vai representar incremento de 3,5% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
* Transformação de 199,1 km de redes monofásicas para trifásicas.
* Eficientização energética da Iluminação Pública das cidades de Itá e de Modelo e instalação de painéis fotovoltaicos na UNOESC.

Novo Modelo Organizacional da Celesc

A estrutura da Celesc por Agências Regionais foi idealizada em 2009 e não havia sofrido alterações desde então. Na época, a realidade era de 72 mil km de rede de média tensão, 142 mil transformadores e 2,11 milhões de unidades consumidoras em todo o estado. Na última atualização dos dados, em 2018, o cenário havia se transformado: 81 mil km de rede de média tensão, 177 mil transformadores e 3,03 milhões de unidades consumidoras em Santa Catarina.

O porte e a complexidade do sistema elétrico já não estavam mais compatíveis com a composição vigente até então e, com base em amplo estudo, foi estruturado, assim, um novo modelo organizacional que manteve os 16 pólos regionais do estado, porém com adequação de suas estruturas. “A nova configuração torna os processos internos mais ágeis, dinâmicos e uniformiza os procedimentos internos com o incremento das melhores práticas operacionais”, afirmou Cleicio.

Dessa forma, a Empresa passa a contar com oito Núcleos que representam as macrorregiões Sul, Leste, Norte, Alto Vale, Meio Oeste, Oeste, Planalto e Grande Capital; e oito Unidades, localizadas em Tubarão, Videira, São Miguel do Oeste, Mafra, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Rio do Sul e Concórdia.

Todas as Agências de Distribuição (AGDs) e as Lojas de Atendimento ao Consumidor permanecem vinculadas às antigas Agências Regionais, exatamente como era anteriormente, sem prejuízo algum aos consumidores e empregados da Celesc.

Sobre a Celesc

Prestes a completar 64 anos, a Celesc é uma das maiores companhias do Setor Elétrico brasileiro. E estruturada como Holding em 2006, a Companhia possui duas subsidiárias integrais: a Celesc Geração e a Celesc Distribuição. Atualmente, é 7ª maior Empresa em volume de energia fornecida e leva energia para mais de 3 milhões de Unidades Consumidoras em sua área de concessão, que atende 264 municípios em Santa Catarina e um no Paraná.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 

Página 1 de 410

Conecte-se