Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Conheça o cemitério de navios que existe em Santa Catarina

Conheça o cemitério de navios que existe em Santa Catarina

Você sabia dessa?
Santa Catarina tem um cemitério de navios. Ele fica na cidade de Jaguaruna. Jamais saberíamos curiosidades como essa se não existissem pessoas dedicadas a pesquisar, documentar e preservar todos os detalhes do Estado. Por isso, essa homenagem é para os historiadores. Eles são os responsáveis por preservar nossa história.

Oportunidades

Próximos eventos

 Foto: Ricardo Woffenbuttel/Secom

Seguindo orientação do Ministério da Saúde (MS), o Estado de Santa Catarina vai começar a aplicar nesta quinta-feira, 22, a chamada “dose zero” da vacina tríplice viral – que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola – em todas as crianças com idade entre 6 e 11 meses de idade. A aplicação desta dose extra, segundo o Ministério da Saúde, é uma medida preventiva para proteger os bebês desta faixa etária, já que eles estão mais suscetíveis a casos graves da doença e ao óbito.

A gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC), da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina Lia Quaresma Coimbra esclarece que a “dose zero” não substitui as doses da vacina já previstas no calendário nacional de vacinação. “Isso quer dizer que, além da dose zero, as crianças vão continuar tendo que tomar as doses de rotina: aos 12 meses, com a vacina tríplice viral, e aos e aos 15 meses, com a vacina tetraviral”, esclarece a gerente.

A vacina é a única forma de prevenção contra o sarampo. Além das crianças, jovens e adultos também precisam tomar a vacina contra a doença. Quem não tomou as duas doses da vacina, não lembra ou perdeu a carteirinha de vacinação precisa regularizar a situação vacinal de acordo com a faixa etária. Pessoas entre 1 e 29 anos devem tomar duas doses com um intervalo mínimo de 30 dias entre elas e pessoas com idade entre 30 e 49 anos, devem tomar apenas 1 dose.

As vacinas que previnem o sarampo são: a Tríplice viral (protege contra o sarampo, caxumba e rubéola) e a Tetra viral (protege contra o sarampo, caxumba, rubéola e catapora). Elas são seguras, gratuitas e estão disponíveis nas mais de 1.000 salas de vacinação dos postos de saúde dos 295 municípios catarinenses.

Sarampo em Santa Catarina
Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela DIVE/SC na última segunda-feira (19), o estado tem 15 casos importados confirmados de sarampo e outros 5 em investigação. Entre os 15 casos importados confirmados, 3 foram em tripulantes de um navio que atracou no litoral catarinense em fevereiro de 2019. Outros 12 estão distribuídos nos municípios de Florianópolis (10), Guaramirim (1) e Barra Velha (1).

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbitos, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. O vírus se espalha facilmente pelo ar através da respiração, tosse ou espirros. Uma pessoa com sarampo pode transmitir a doença para uma média de 12 a 18 pessoas que nunca foram expostas ao vírus anteriormente ou que não tenham se vacinado.

Os principais sintomas do sarampo são: febre, tosse, coriza, aparecimento de manchas vermelhas no corpo e olhos avermelhados. Apresentando sinais e sintomas do sarampo, o serviço de saúde deve ser procurado imediatamente para que seja feito o diagnóstico e tratamento da doença. 

Informações adicionais para imprensa:
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
Assessoria de Imprensa
Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
Instagram: @divesantacatarina Facebook: Dive Santa Catarina
Fone: (48) 3664-7406/(48) 3664-7402/(48) 3664-7385
Site: www.dive.sc.gov.br

 Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O Poder Judiciário não deve interferir no resultado de exame psicotécnico realizado por banca examinadora de concurso público, a menos que seja constatada alguma ilegalidade na condução do teste. Esse foi o entendimento do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) que atendeu recurso da Procuradoria Geral do Estado (PGE) em ação de candidato ao cargo de soldado da Polícia Militar reprovado no exame psicotécnico do concurso de 2015. A decisão do TJSC foi publicada na última sexta-feira, 16.

Após a reprovação, o candidato ingressou com ação questionando o resultado da avaliação psicológica. O juiz mandou realizar nova perícia e, em 2016, julgou o caso a favor do candidato para afastar a reprovação no exame e determinar a manutenção no concurso da PM. No entanto, a PGE recorreu da decisão, argumentando que a intervenção do Poder Judiciário em concursos públicos está limitada ao exame da legalidade, sendo vedada qualquer outra interferência, em especial no julgamento dos critérios de avaliação ou, de forma direta ou indireta, substituição da própria banca examinadora ao determinar a realização de novo teste.

Para o Estado, não houve qualquer demonstração de que a banca examinadora tenha descumprido as regras do edital ou a legislação durante a aplicação do exame psicotécnico. A PGE observou ainda que é preciso garantir o tratamento igualitário entre todos os candidatos que participam do concurso, não podendo a Justiça substituir a banca examinadora para avaliar apenas um interessado. “Permitir que um único candidato tenha uma segunda chance e, mediante perícia judicial, ser novamente avaliado, fere o princípio da isonomia”, destacou.

Na decisão do recurso, o desembargador Artur Jenichen Filho destacou que tanto o Supremo Tribunal Federal (STF) quanto o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já decidiram que o Poder Judiciário não deve interferir nos critérios adotados por banca examinadora e que a realização de exame psicotécnico em concursos públicos é legítima desde que haja previsão legal, cientificidade e objetividade dos critérios adotados, além da possibilidade de revisão do resultado obtido pelo candidato.

“No caso concreto, entendo que os três requisitos mencionados estão presentes. A lei que fundamenta a possibilidade de realização do exame psicotécnico é a Lei Complementar Estadual n. 587/2013, a qual apresenta como requisito para ingressar na carreira militar estadual ‘ser considerado apto no exame de avaliação psicológica’. [...] Entendo também que há cientificidade e objetividade nos critérios apresentados. [...] A possibilidade de revisão do resultado estava prevista no item 10.14 e seguintes do edital, pelo qual se possibilitava a apresentação de recurso”, avaliou o desembargador.

Para Jenichen Filho, embora a perícia realizada durante o processo judicial tenha considerado o candidato apto ao exercício do cargo, o novo exame foi realizado somente um ano depois, não se podendo permitir que a perícia judicial substitua o exame psicotécnico da banca. Além disso, a própria perícia judicial não aponta “quaisquer vícios, erros ou algum equívoco naquela avaliação realizada pela banca, quanto ao exame das condições de adequação psicossociais, segundo a metodologia e critérios previamente estabelecidos”.

O entendimento do desembargador foi acompanhado por unanimidade pelos demais membros da Quinta Câmara de Direito Público do TJSC, Hélio do Valle Pereira e Vilson Fontana. Atuaram no processo os procuradores do Estado, Osmar José Nora, Paulo Roney Ávila Fagúndez e Gian Marco Nercolini.

Processo 0302298-98.2015.8.24.0040

Informações adicionais:
Maiara Gonçalves
Assessoria de Comunicação
Procuradoria Geral do Estado - PGE
comunicacao@pge.sc.gov.br 
(48) 3664-7650 / 99131-5941 / 98843-2430
Site: www.pge.sc.gov.br 

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) lançou o edital do Vestibular de Verão 2020 e abriu as inscrições no site vestibular.udesc.br. Os candidatos poderão se inscrever até 7 de outubro e pagar a taxa de inscrição, de R$ 110, até 8 de outubro. O prazo para pedir isenção já terminou. Acesse o edital.

São 1.425 vagas de 52 cursos de graduação, sendo 49 presenciais e três a distância. Todos eles são gratuitos – confira o Guia de Cursos Udesc. Os aprovados começarão a ter aulas no primeiro semestre de 2020. A universidade mantém o sistema de cotas pelo Programa de Ações Afirmativas. Em cada curso, 30% das vagas estão reservadas: 20% para candidatos com todo o ensino médio na rede pública e 10% para candidatos negros.

Também já é possível ver o conteúdo das provas no programa das disciplinas e na lista das obras literárias. A prova objetiva e a prova de redação ocorrerão em 24 de novembro. Além disso, os candidatos dos cursos de Música deverão gravar sua prova prática em vídeo, com envio do material audiovisual entre 25 e 29 de outubro, e os de Teatro precisarão fazer presencialmente a prova prática, em 5 de dezembro, em Florianópolis. Veja mais detalhes no edital.

Municípios com vagas

Confira onde há oportunidades de estudo da Udesc:

  • Balneário Barra do Sul (Cead): Pedagogia a Distância
  • Balneário Camboriú (Cead): Ciência e Tecnologia a Distância - Ênfase em Gestão Ambiental e Sustentabilidade
  • Balneário Camboriú (Cesfi): Administração Pública e Engenharia de Petróleo
  • Chapecó (CEO): Enfermagem e Zootecnia - Ênfase em Produção Animal Sustentável
  • Florianópolis (Ceart): Artes Visuais (Bacharelado), Artes Visuais (Licenciatura), Design Gráfico, Design Industrial, Moda, Música (Bacharelado em Piano; Violão; Violino ou Viola; Violoncelo; e Licenciatura) e Teatro (Licenciatura)
  • Florianópolis (Cefid): Educação Física (Bacharelado), Educação Física (Licenciatura) e Fisioterapia
  • Florianópolis (Esag): Administração, Administração Pública e Ciências Econômicas
  • Florianópolis (Faed): Biblioteconomia - Habilitação Gestão da Informação, Geografia (Licenciatura), História (Bacharelado), História (Licenciatura) e Pedagogia
  • Ibirama (Ceavi): Ciências Contábeis, Engenharia Civil e Engenharia de Software
  • Joinville (CCT): Ciência da Computação, Física (Licenciatura), Matemática (Licenciatura), Química (Licenciatura), Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Engenharia (Civil; de Produção e Sistemas; Elétrica; e Mecânica)
  • Lages (CAV): Agronomia, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Florestal e Medicina Veterinária
  • Laguna (Cead): Pedagogia a Distância e Ciência e Tecnologia a Distância - Ênfase em Metodologias e Tecnologias Aplicadas à Educação
  • Laguna (Ceres): Engenharia de Pesca e Arquitetura e Urbanismo
  • Pinhalzinho (CEO): Engenharia de Alimentos
  • São Bento do Sul (Ceplan): Engenharia de Produção - Habilitação Mecânica e Sistemas de Informação

Mais informações

Mais informações podem ser obtidas na página oficial e com a Coordenadoria de Vestibulares e Concursos da Udesc (Covest), pelos telefones (48) 3664-8089 e 8091, das 13h às 19h, e pelo e-mail vestiba@udesc.br.

Acompanhe as notícias pelo FacebookInstagramTwitter e Udesc em Rede (newsletter e podcast).

Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010

Fotos: Júlio Cavalheiro/Secom

Santa Catarina tem mais de 6,6 mil mulheres vítimas de violência sendo atendidas pelo Sistema Único de Assistência Social (Suas). Para prevenir novos casos, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SDS) entende ser necessário que um trabalho também seja realizado com os agressores. A fim de discutir o tema, foi realizada uma webconferência com os profissionais que atuam no atendimento às vítimas. O governador Carlos Moisés abriu os trabalhos e chamou a atenção dos profissionais para a prioridade que a violência contra a mulher tem para o Governo do Estado.

>>> Para combater violência contra a mulher, Governo do Estado lança campanha Agosto Lilás

"Temos que envolver todas as áreas possíveis no papel de prevenir. É um número que não combina com Santa Catarina, que tem índices tão positivos em vários outros aspectos. É uma demanda prioritária", determinou Moisés, no diálogo com os profissionais. A ação fez parte da programação do Agosto Lilás, iniciativa do Estado para chamar a atenção para o problema. "Mas não podemos tratar da violência contra a mulher apenas em agosto. É uma atenção que precisa se perpetuar", acrescentou o governador.

Evitar a reincidência

De acordo com a secretária de Estado do Desenvolvimento Social, Maria Elisa De Caro, o enfoque no agressor tem por objetivo evitar que outras mulheres se tornem vítimas do mesmo homem em futuros relacionamentos. "É óbvio que a vítima da violência precisa de toda a nossa atenção, mas precisamos atuar na origem do problema para evitar a reincidência. É uma situação que ninguém mais quer que se repita", explica.

O modelo a ser seguido, conforme a secretária, vem de uma experiência bem-sucedida em Blumenau, onde, desde 2003, o assistente social Ricardo Bortoli desenvolve um trabalho de atendimento aos agressores. Os homens começam a participar dos encontros por determinação da Justiça, mas muitos deles acabam participando mesmo quando não têm mais a obrigação. O objetivo é reverter os aspectos que levaram à violência, como uso de drogas, álcool ou problemas familiares.

Bortoli foi um dos palestrantes da webconferência, assim como a advogada Alliny Burich da Silva, que tratou dos aspectos legais relacionados ao autor da violência contra a mulher. A transmissão ocorre por meio dos Centros Integrados de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerds) nos municípios.

Cartilha para os profissionais

Durante a webconferência, também foi lançada a cartilha online "Viver Sem Violência é Direito de Toda Mulher”. O material é voltado para os profissionais que atuam no atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, principalmente nos 387 Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e 100 Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas). “A cartilha é mais um importante instrumento de orientação para melhorar a qualidade do atendimento da rede de assistência social”, lembrou a secretária Maria Elisa.

O evento também teve a participação da diretora interina de Assistência Social, Luciane dos Passos, da gerente de Políticas para Mulheres e Direitos Humanos, Aretusa Larroyd, e da gerente de Proteção Social Especial, Emanuella Borges, além dos profissionais de diversas cidades catarinenses.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Foto: Arquivo/SDE

As inscrições para o credenciamento de propostas que visem à conservação, restauração da vegetação nativa e boas práticas agropecuárias, em São Bento do Sul, se encerram no próximo dia 23. Produtores da região podem participar do edital que prevê cerca de R$ 100 mil de investimentos na restauração de 1400 hectares de áreas prioritárias e conservação de outros 5.340 hectares.

As prioridades foram apontadas após estudos contratados por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) para o Programa Produtor de Água do Rio Vermelho. Serão selecionadas ações que visem à recuperação e conservação de florestas em áreas degradadas. O certame ocorre por meio do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae).

São Bento do Sul foi uma das cidades pioneiras no Estado para a implantação do Programa Produtor de Águado Rio Vermelho (PPARV) do qual a SDE é parceria, desde 2016, por meio da Agência Nacional das Águas. O Programa tem como objetivo estimular a recuperação e conservação de áreas naturais e sua biodiversidade, melhorando a qualidade e quantidade dos mananciais da microbacia que abastece a região.

“Pioneiro, o estudo mapeia os problemas e aponta soluções, estimulando à política de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) voltada à proteção hídrica no Brasil – um dos objetivos que vai ao encontro das diretrizes da Agência Nacional de Águas. Nosso objetivo é focar em uma gestão que vise o crescimento sustentável do Estado, sem danos ao meio ambiente e sem barrar o desenvolvimento”, destaca o secretário da SDE, Lucas Esmeraldino.

O edital que teve as suas inscrições prorrogadas até 23 agosto. Acesse aqui o link do Edital. 

Ações no Estado
As ações estaduais do Programa Produtor de Águas em Santa Catarina ocorrem nas regiões de São Bento do Sul, São Francisco do Sul, Balneário Camboriú e na Bacia do Rio Cubatão, na Grande Florianópolis. Neste ano, a SDE concretizou o "Planejamento Estratégico do Projeto Produtor de Água da Bacia do Rio Cubatão", investindo aproximadamente R$ 500 mil em parceria com a Agência Nacional de Água (ANA). Na região de São Francisco do Sul o Programa Produtor de Águas está em fase inicial de implantação.

“Desta forma, o Estado vem atendendo as diretrizes e objetivos da política estadual de Pagamento por Serviços Ambientais”, explica o diretor de Biodiversidade e Clima da SDE, Luis Antônio de Freitas.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

Página 1 de 534

Conecte-se