Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Volta às Aulas: ano letivo começa segunda para 600 mil alunos no estado

Volta às Aulas: ano letivo começa segunda para 600 mil alunos

Às vésperas do início das aulas, a Secretaria de Estado de Educação (SED) está trabalhando para elevar a qualidade de ensino ao patamar de países como Cingapura e Finlândia, fazendo de Santa Catarina uma referência na educação pública..

 

Oportunidades

Próximos eventos

O tumulto após o clássico entre Avaí e Figueirense, no último dia 27, não teve relação com torcidas organizadas e nem rivalidade entre torcedores dos dois clubes. Essa é a conclusão do inquérito da Polícia Civil, entregue nesta quinta-feira, 21, no Fórum de Florianópolis. O delegado Daniel Régis, da 3ª Delegacia de Polícia da Capital, concluiu as investigações com o indiciamento de seis pessoas, cinco adultos e um adolescente.

Segundo a investigação conduzida, apenas dois envolvidos na confusão eram membros de organizadas. A apuração da Polícia Civil confirmou que, apesar de existirem pessoas com camisetas de torcidas, não se pode afirmar que as infrações tenham sido planejadas por um grupo específico. O inquérito confirmou que os envolvidos na confusão sequer estavam juntos no mesmo grupo antes do ocorrido.

Os envolvidos serão autuados individualmente por suas infrações. Entre as causas do indiciamento, estão dano qualificado, furto e tumulto, conduta prevista no Estatuto do Torcedor. O gerente do posto de gasolina foi indiciado pela infração de vias de fato, em função do tapa dado em um dos torcedores. O adolescente terá sua conduta apurada pela DPCAMI da capital por ato infracional equiparado a crime.

Discussão deu origem à confusão

A briga iniciou após o jogo ocorrido no Estádio Orlando Scarpelli, quando um torcedor embriagado tentou entrar na loja de conveniência do posto de gasolina e foi impedido pelo gerente, pois o estabelecimento estava fechando. Após uma discussão, o gerente deu um tapa no torcedor para afastá-lo, o que fez com que o homem revidasse, dando início à confusão. Outros torcedores que estavam nas proximidades se envolveram na briga, causando danos ao estabelecimento e furtando alguns itens da loja.

Entre os adultos envolvidos na confusão, dois já possuíam antecedentes criminais, um deles com três passagens policiais por infrações ao Estatuto do Torcedor. Destaca-se que a Polícia Militar detectou diversas outros delitos nos arredores do estádio após o jogo. Os agentes da PM redigiram vários Termos Circunstanciados no dia, sendo que um dos envolvidos na briga no posto de gasolina aparece nos relatórios.

O delegado Daniel Régis alerta que esse tipo de conduta gera insegurança nos torcedores que comparecem aos estádios. Além dos indiciamentos, o inquérito da Polícia Civil sugere ao Ministério Público que os torcedores envolvidos na confusão sejam proibidos de frequentarem eventos esportivos em todo o território nacional e fiquem recolhidos em suas residências durante jogos do Figueirense realizados no estádio Orlando Scarpelli.

Informações adicionais para a imprensa

Paulo Jorge Marques

Assessoria de Imprensa da Polícia Civil de SC

3665.8708 – 99961.4071

 Fotos: Maurício Vieira/ Secom

A nova presidente da Santur S.A., Flavia Didomenico, tomou posse na tarde desta quinta-feira, 21, em cerimônia realizada no auditório da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL). O governador Carlos Moisés, a vice Daniela Reinehr, outras autoridades do Governo de Santa Catarina e representantes de entidades ligadas ao turismo acompanharam o ato. 

No discurso de posse, Flavia antecipou que vai trabalhar para promover o desenvolvimento do turismo com respeito às características de cada região do Estado, além de estratégias segmentadas para áreas como turismo náutico, termalismo, gastronomia, eventos, enoturismo, turismo cervejeiro e da cachaça, entre outros segmentos.

“Temos uma importante missão, que é transformar em desenvolvimento econômico todo o potencial que Santa Catarina tem no turismo”, destacou Flavia. A Santur vai absorver as atribuições relacionadas ao turismo que antes eram da SOL. Assim, passará a planejar e executar políticas públicas voltadas para o setor, além de promover os atrativos catarinenses. “Vejo essa fusão como algo muito positivo. Vamos unificar as ações e pensar em conjunto com as demais secretarias”, afirmou.

Dados para planejar o turismo

Flavia antecipou que pretende implantar mecanismos para extrair números e informações que auxiliem na elaboração de projetos e políticas públicas. Na avaliação dela, são esses dados que permitirão à Santur conhecer melhor o público que visita Santa Catarina e identificar as ações e programas que revertam melhores resultados. “Temos um desafio muito grande para trabalhar o marketing, transformar, digitalizar e acompanhar a evolução internacional na promoção do turismo”, afirmou a nova presidente. “Precisamos trazer o investidor e mostrar que este é o nosso ambiente de negócios e ele é favorável”, resumiu Flavia.

Critério técnico

Além do governador e da vice, participaram da solenidade os secretários da Casa Civil, Douglas Borba, e de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, o presidente do Conselho Estadual de Turismo, Rogério Siqueira, dirigentes de entidades do trade, secretários municipais de turismo, servidores da SOL e funcionários da Santur.

O governador Moisés enalteceu a experiência de Flavia e reforçou que a considera a pessoa certa para liderar o desenvolvimento turístico catarinense. “Ver como a Flavia pensa e entende o turismo fortalece a nossa vontade de fazer um governo técnico, feito por pessoas que tenham capacitação, experiência e formação na área”, declarou. Ele destacou a importância do setor, que é responsável por aproximadamente 13% do Produto Interno Bruto (PIB) de Santa Catarina e pediu um trabalho pensado para todo o estado, considerando os potenciais de todas as regiões.

Flavia é especialista em Planejamento, Gestão e Marketing Turístico e bacharel em Turismo e Hotelaria. Ela já foi professora em cursos de ensino superior, trabalhou nas áreas de hotelaria, alimentos e bebidas e, mais recentemente, atuou como consultora em todas as regiões catarinenses para construir políticas públicas para municípios, por meio do desenvolvimento de planos municipais de turismo. Flavia é natural de Chapecó e reside em Florianópolis há duas décadas.

O secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, endossou a expectativa de que o turismo em Santa Catarina será beneficiado com a nova gestão e o novo modelo. "Desejo votos de sucesso à Flavia Didomenico, competente e experiente nas questões atinentes ao segmento. Reitero sempre nosso propósito de colocar Santa Catarina — esse estado privilegiado, plural e dinâmico, com formação multiétnica e gente hospitaleira — no mapa do turismo do mundo”, frisou.

Turismo planejado de forma integrada

A incorporação das atribuições da SOL por parte da Santur foi bem-vista por representantes do setor turístico. Presidente do Beto Carrero World e do Conselho Estadual de Turismo, Rogério Siqueira acredita que a unificação do trabalho trará resultados positivos para o setor em Santa Catarina. “O trade e o Conselho entendem que racionalizará todo o trabalho que era feito pelas duas entidades. Agora vai se fortalecer com toda a experiência dos servidores das duas casas. É uma grande oportunidade que o governo tem de promover uma política de Estado, mais perene, plurianual, que dê segurança jurídica e assuma toda a estrutura que já existe hoje e possa se desenvolver ainda mais”, avaliou Siqueira.

A posse também marcou a despedida do ex-presidente da Santur, Valdir Rubens Walendowsky, que exerceu a função por mais de dez anos. Ele agradeceu aos colaboradores e representantes das entidades ligadas ao turismo. Walendowsky valorizou a expansão do planejamento do turismo para o interior catarinense durante a gestão. "Se hoje nosso Estado é protagonista do turismo nacional e na América do Sul é por conta de um trabalho de regionalização feito em conjunto com todo o trade", reconheceu.

A posse oficial da nova presidente e da diretoria executiva da Santur se deu na segunda-feira, 18, durante reunião do Conselho de Administração da empresa. Assumiu como diretor de marketing, Ramon Fernandes de Jesus, como diretor de Planejamento e Desenvolvimento Turístico, Leandro Ferrari Lobo, e como diretor administrativo-financeiro, William Ribeiro Goulart. Eles se unem a Izabel Paiva de Lima, diretora de Sistemas da Informação, eleita pelos funcionários em pleito realizado em 2017.

 

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Flores
Assessoria de Imprensa Santur
Santa Catarina Turismo S.A - Santur
E-mail: imprensa@santur.sc.gov.br
Fone: (48) 3212-6311 / (48) 98821-7367
Site: www.turismo.sc.gov.br

 James Tavares/Secom

Proprietários de veículos com placas que terminam em 2, que optaram por pagar o IPVA em cota única, devem quitar a dívida até a próxima quinta-feira, 28 de fevereiro. 

Em 2019, os catarinenses irão pagar, em média, 3,2% a menos de IPVA do que no ano passado. O índice representa a desvalorização dos veículos em relação a 2018 de acordo com a tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), utilizada pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) como base de cálculo. Em Santa Catarina, o tributo varia de 1% a 2% do valor venal do veículo.

Para pagar o IPVA 2019, clique aqui.

A quitação do imposto é um dos requisitos para licenciar o veículo. O não pagamento também implica em Notificação Fiscal, com multa de 50% do valor devido, mais juros Selic ao mês ou fração. Para saber qual o valor do IPVA do seu carro acesse a tabela disponível aqui.

Tributação
Dos 5 milhões de veículos em circulação no Estado, 3,3 milhões são tributados. Os demais têm isenção e/ou imunidade (veículos antigos, táxis e portadores de deficiência). Motocicletas até 200CC estão isentas, desde que não tenha recebido penalidade por infração de trânsito, no ano anterior. Neste caso, valem os registros de 2018.

—> IPVA mais caro é do automóvel I/LAMBORGHINI AVENT S (ano de fabricação 2018): R$ 77.440,68

IPVA em Santa Catarina — Alíquotas vigentes
2% para veículos de passeio, utilitários e motor-casa, nacionais ou estrangeiros;
1% para veículos de duas ou três rodas e os de transporte de carga ou passageiros (coletivos), nacionais ou estrangeiros;
1% para veículos destinados à locação, de propriedade de locadoras de veículos ou por elas arrendados mediante contrato de arrendamento mercantil.

Alíquotas de IPVA nos Estados vizinhos
Rio Grande do Sul: 3% 
Paraná: 3,5%, 
São Paulo: 4%

CALENDÁRIO DE PAGAMENTO

FINAL DE PLACA

COTA ÚNICA

PARCELAMENTO-COTAS

     1ª

     2ª

    3ª

1

último dia do mês de janeiro

10.01

10.02

10.03

2

último dia do mês de fevereiro

10.02

10.03

10.04

3

último dia do mês de março

10.03

10.04

10.05

4

último dia do mês de abril

10.04

10.05

10.06

5

último dia do mês de maio

10.05

10.06

10.07

6

último dia do mês de junho

10.06

10.07

10.08

7

último dia do mês de julho

10.07

10.08

10.09

8

último dia do mês de agosto

10.08

10.09

10.10

9

último dia do mês de setembro

10.09

10.10

10.11

0

último dia do mês de outubro

10.10

10.11

10.12


Informações adicionais para imprensa

Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Fazenda
Michelle Nunes
jornalistaminunes@gmail.com (48) 3665-2575 / (48) 99929-4998
Sarah Goulart
sgoulart@sef.sc.gov.br (48) 3665-2504 / (48) 99992-2089

Representantes da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV) da Secretaria de Estado da Saúde, participam durante esta quinta-feira, 21, de uma reunião em Curitiba, promovida pelo Ministério da Saúde e Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), para discussões e alinhamento das estratégias de controle da febre amarela.

Além de Santa Catarina, participam do encontro representantes do Paraná, Rio Grande do Sul e de São Paulo, além do Ministério da Saúde e Organização Panamericana de Saúde (Opas).

João Fuck, gerente de zoonoses da DIVE/SC, explica que a reunião tem o objetivo de conhecer a experiência de estados onde existe a circulação do vírus da febre amarela e discutir o fortalecimento das ações de vigilância na região. “O Paraná tem quatro casos confirmados da doença e isso deixa Santa Catarina em alerta. O vírus já está no estado vizinho e pode chegar a Santa Catarina”, explica.

A diretora da DIVE/SC, Maria Teresa Agostini, destaca que todos os moradores de Santa Catarina, com idade superior a 9 meses de idade, devem procurar um posto de saúde e tomar a vacina contra a febre amarela. “A doença é grave e pode matar. A vacina é a única forma de prevenção. Lembrando que as doses estão disponíveis gratuitamente nos postos de saúde”, enfatiza.

Ampliação da vacinação

Para facilitar o acesso da população catarinense às doses, a ampliação da vacinação está ocorrendo de forma gradativa, em seis etapas. A expansão começou em setembro de 2018, nos municípios do Norte do estado, e agora chegou a última etapa, nos municípios do Sul e do Litoral Sul.

Ainda conforme a diretora, mesmo após o término da ampliação, todos os 295 municípios catarinenses vão continuar oferecendo as doses contra a febre amarela nas unidades de saúde: “O nosso pedido é para que a população se imunize o quanto antes”, conclui Agostini.

Atualmente, a cobertura vacinal de Santa Catarina contra a febre amarela é de 54,51%.

Febre amarela

De acordo com o boletim sobre a situação epidemiológica da febre amarela em Santa Catarina, divulgado nesta quinta pela DIVE/SC, até o dia 16 de fevereiro foram notificados 15 casos suspeitos da doença. Desses, 12 foram descartados e três continuam em investigação.

A febre amarela é uma doença grave causada por um vírus e que pode levar a óbito em 50% dos casos. Os sintomas são febre alta (40ºC), sensação de mal-estar, dor de cabeça, dor muscular, cansaço, calafrios, náuseas e vômitos. No entanto, algumas pessoas podem manifestar sintomas mais graves como: aumento da febre, diarreia, vômitos com sangue, dor abdominal, icterícia (olhos amarelados, semelhante à hepatite), manifestações hemorrágicas (equimoses, sangramentos no nariz e gengivas) com comprometimento dos órgãos vitais como fígado e rins.

Informações adicionais para imprensa:
Amanda Mariano
Bruna Matos
Patrícia Pozzo
Assessoria de Imprensa
Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
Instagram: @divesantacatarina Facebook: Dive Santa Catarina
Fone: (48) 3664-7406/(48) 3664-7402/(48) 3664-7385
Site: www.dive.sc.gov.br

Foto: Aires Mariga/Epagri

Com o objetivo de uniformizar e refinar a previsão da altura das marés em Santa Catarina, a equipe de monitoramento costeiro da Epagri/Ciram recalculou dez pontos do litoral Catarinense. Agora, cada um deles ganha sua própria referência, com informações mais detalhadas do que as oferecidas pela Marinha.

Matias Boll, pesquisador da Epagri/Ciram, explica que, em janeiro de 2019, foram compilados dados de maré medidos entre 2017 e 2018, com frequência de amostragem de 15 minutos, totalizando 70.080 leituras por estação maregráfica. Com auxílio do software Pacmare 2003, foram extraídas para cada ponto as constantes harmônicas que caracterizam a influência astronômica sobre o nível do mar. Finalmente, a maré astronômica (previsão) foi recalculada para cada ponto para um período de 19 anos, com frequência amostral de 15 minutos, o que representa cerca de 666.240 valores por estação.

O resultado de todo esse trabalho pode ser visto no link Litoral On-line, do site da Epagri/Ciram. Clicando em qualquer uma das estações maregráficas que aparecem no site, o usuário vai poder ver a maré prevista segundo os novos cálculos da Epagri/Ciram (linha azul) e a maré observada de fato (linha vermelha). A previsão de maré astronômica tornou-se bastante precisa, o que deve fazer com que, em condições ideais de tempo, a linha vermelha no gráfico acompanhe quase que fielmente o previsto na linha azul. Só a presença de vento ou outras variáveis meteorológicas que influenciam a maré pode fazer a condição observada se afastar da prevista, esclarece Matias.

"O recálculo vai permitir uma melhor previsibilidade do comportamento das marés, aumentando a segurança para usuários envolvidos em operações de navegação, pesca artesanal, maricultura, e previsão de alagamentos nos centros urbanos do litoral, entre outras utilidades”, informa o pesquisador da Epagri/Ciram. Ele destaca que as atividades de praticagem (entrada e saída de navios) dos portos catarinenses serão especialmente beneficiadas pelo trabalho desenvolvido.

*Informações e entrevistas: Matias Boll, pesquisador da Epagri/Ciram: (48) 3665-5174 / 99911-3767

Informações para a imprensa:
Gisele Dias, jornalista: (48) 99989-2992 / 3665-5147
Cinthia Freitas, jornalista: (48) 3665-5344
Isabela Schwengber, jornalista: (48) 3665-5407

Página 1 de 389

Conecte-se